Blog do Eliomar

Categorias para Brasil

Lula, um cabo eleitoral de R$ 2,5 milhões

“O comitê financeiro da candidata do PT ao Palácio do Planalto, Dilma Rousseff, reservou R$ 2,5 milhões para gastar com a mobilização do presidente Luiz Inácio Lula da Silva pedindo votos Brasil afora. Desse total, foram gastos R$ 344,5 mil nos primeiros 23 dias de campanha em julho. Segundo o tesoureiro da campanha, José Filippi Júnior, a previsão é que as despesas tripliquem em agosto graças à maior participação do principal cabo eleitoral da campanha em prol de sua pupila. Filippi disse que os R$ 2,5 milhões levam em conta os dois turnos. “No primeiro, devemos ficar um pouco abaixo disso”, afirmou o tesoureiro, ex-prefeito de Diadema, no ABC paulista. Lula já participou de comícios em Curitiba, Belo Horizonte, Campo Grande, Osasco (SP), Mauá (SP), São Bernardo do Campo (SP), Salvador e Recife. Essas agendas ainda não tiveram o valor calculado pela Casa Civil.

No primeiro mês da campanha, quando Dilma Rousseff não havia consolidado a dianteira em relação a José Serra (PSDB), os comícios ocorreram no Rio de Janeiro, em Garanhuns (PE) e em Porto Alegre (RS). A Casa Civil, responsável pelo cálculo, informou que a despesa do comício do Rio, o primeiro ato com a participação de Lula, subiu de R$ 58,1 mil para R$ 118,6 mil. A diferença deve-se a uma decisão da campanha de Dilma, de ressarcir todas as despesas de transporte ocorridas nos trajetos das viagens. Antes, o PT devolvia aos cofres públicos apenas o custo do deslocamento de Lula da agenda oficial para o ato político. O custo passou, então, a ser calculado a partir de Brasília. “Para não ter dúvida. Se o presidente saiu de Brasília e vai para participar da campanha depois de ato oficial, vamos ressarcir tudo”, disse Filippi.

Dados fornecidos pela Casa Civil mostram que em Garanhuns a participação ao lado de Dilma no Festival de Inverno ficou em R$ 113,8 mil. O comício em Porto Alegre custou R$ 112,1 mil. O comitê financeiro havia devolvido R$ 58,1 mil na primeira parcial da prestação de contas entregue no início de agosto. Na terça, ressarciu R$ 286,4 mil, segundo informou a campanha. O valor consta do documento a ser entregue ao TSE hoje, com a segunda parcial de arrecadação e gastos.”

(Correio Braziliense)

Programa de Serra no rádio compara Dilma a Dunga

“O programa de rádio do candidato do PSDB à Presidência, José Serra, utilizou mais uma metáfora futebolística para atacar sua principal adversária na corrida eleitoral, a petista Dilma Rousseff. Em depoimento que foi ao ar hoje (2), uma pessoa não identificada diz que “Dilma é como o Dunga”, que dirigiu a seleção brasileira na Copa da África, e “deu no que deu”. O candidato promete continuar o que está dando certo, como o Bolsa Família, corrigir o que está com problemas, citando as estradas federais, e acelerar o que está lento, criticando os investimentos do Planalto no metrô.

Exaltando a capacidade de Serra, o locutor diz que “onde ele bota a mão, acontece”. O tucano afirmou que vai criar um milhão de vagas no ensino técnico e colocar duas professoras nas salas de aula dos alunos do primeiro ano do ensino fundamental.

O programa da candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, defendeu crescimento com distribuição de renda e apresentou realizações do governo Lula, como Bolsa Família, PAC, reajustes do salário mínimo além da criação de 14 milhões de empregos com carteira assinada. Dilma foi apresentada como a líder das pesquisas. Com uma música, o programa prestou homenagem aos gaúchos.

Francisca Nunes, de Sobradinho 2, deu depoimento contando como sua vida melhorou por causa dos programas do governo federal. No final, o locutor pede que os ouvintes escrevam para a candidata contando o que mudou em suas vidas nos últimos anos.

Marina Silva (PV) cobrou coerência dos candidatos e criticou a postura do PT e do PSDB, que defenderam a CPMF quando estiveram no governo, mas criticaram o imposto quando na oposição. Plínio de Arruda Sampaio (PSOL) afirmou que a política econômica não muda há 16 anos, período em que PT e PSDB ocuparam a Presidência da República. O candidato disse que vai combater a desigualdade.”

 (Folha.com)

Se eleito, Reginaldo Rossi promete muito "borogodó"

536 1

“Aos 66 anos de idade e prestes a lançar mais um CD na praça, ainda este mês, o cantor Reginaldo Rossi, candidato a uma vaga na Assembleia Legislativa pelo PDT, promete focar seu trabalho na educação, caso seja eleito. “Na Assembleia vai ter muito borogodá”, promete o “Rei do Brega, lembrando um dos seus maiores sucessos. Filiado ao PDT há mais de dez anos, Rossi  defende a criação de escolinhas de música e também de futebol. “A educação é tudo, tudo, tudo, em qualquer país, em qualquer lugar”, afirmou o cantor-candidato nesta entrevista exclusiva ao Blog da Folha.

O que motivou o senhor a ser candidato?
Veja bem. Sou um cidadão brasileiro e pernambucano. Graças a Deus estudei um pouco e sempre trabalhei muito em política. Nos showmícios eu falava tanto ou mais do que os candidatos, principalmente quando o candidato era mais inibido. Estou filiado ao PDT há muitos anos e vi que agora já tenho tempo de me dividir, pois os shows estão mais estabilizados.

Havia restrição da sua parte em fazer shows para candidatos por ser de partido A ou B?
Uma vez perguntaram isso para Luiz Gonzaga e ele disse que a sua profissão era cantar. Eu canto em mansões, em circos, na high-society, na periferia, na boate Metrópole… Eu gosto de cantar. Adoro ser o ‘Rei do Brega’. Gosto de ver o povão cantado. Posso cantar para o Santa Cruz e para o Náutico, por exemplo.

Quais os seus projetos para Pernambuco caso seja eleito deputado?
Olha, o governo tem que fazer escolinhas de música e também de futebol A educação é tudo, tudo, tudo, em qualquer país, em qualquer lugar.

No guia da TV, o senhor diz que “vai dar show” como deputado estadual. Como assim?
Realmente, como deputado estadual eu vou dar um show de educação e cultura. Não tinha tempo para falar isso completamente na televisão (11 segundos). Agora estou falando pra você.

É bom ser considerado o “Rei do Brega” ?
Seja o “Rei dos carroceiros”, o “Rei do Futebol” ou de qualquer coisa, é um diferencial para o lado bom. Adoro esse título e adoro ser popular.

O que é ser brega?
No Brasil, inventou-se essa coisa de quando você canta para o povão alguém tenta denegrir. E a verdade não é essa. Quando o Caetano (Veloso) canta: “Esse papo seu tá qualquer coisa, você já está pra lá de Marrakesh”, ninguém canta. De modo geral não se sabe o que é Marrakesh e onde fica Marrakesh. Mas quando ele canta: ‘E agora, o que faço eu da vida sem você”, que é um bregão de Fernando Mendes… Aí dez milhões cantam. Adoro comer feijão, arroz e calabresa. Feijão, arroz e pescoço de galinha. Se eu tirar 200 milhões na loteria vou continuar comendo isso. Se ser brega é isso, eu quero mais é ser o “imperador” do brega.

E o que é borogodá?
Essa música surgiu de uma música francesa chamada Les Cornichons, que é orquestrada e faz muito sucesso nos cruzeiros mundo afora. Quando essa música estourou no Brasil, tivemos a ideia de colocar esse nome na música. Hoje, muita gente diz: “aquele cara tem muito borogodó”, que é ter carisma, uma bossa… Na Assembleia Legislativa vai ter muito borogodá.”

(Folha de Penambuco)

Quebra de sigilo – Contador é alvo de processos

“O técnico em contabilidade Antônio Carlos Atella Ferreira, de 62 anos, responde a dois processos sigilosos em Rondônia e é acusado de ter cinco CPFs diferentes. O GLOBO localizou três CPFs de Atella, sendo que dois foram cancelados. No único documento válido, ele consta como proprietário de uma empresa de motores, a RDW Motor Ltda, em Lins, no interior de São Paulo, aberta em 2006. A empresa teve seu registro cancelado na Junta Comercial há pouco mais de dois meses, em 22 de junho.

Na procuração forjada em nome de Verônica Serra, filha do candidato tucano à Presidência, José Serra, é fornecido um site de uma suposta empresa de Atella: a Atella Assessoria. A empresa não consta na Junta Digital sob esse nome. O site apresentado no documento teve seu domínio suspenso desde o fim de 2009, e o endereço já foi posto à venda.

Atella, que afirma ter quase 40 anos de atuação no ramo contábil, tem outra empresa aberta em seu nome na Junta Comercial de São Paulo, mas sem as informações de CNPJ nem endereço.

A empresa, que tem seu nome, foi aberta em 1971, como varejista de ferragens, ferramentas, cofres e extintores de incêndio.

Em Rondônia, ele responde a dois processos sigilosos no Tribunal de Justiça. E uma ação de execução fiscal contra ele já foi arquivada.

Em entrevista à “Folha de S. Paulo”, ontem, ele disse que não sabia dos processos, mas que deveria ter outros tantos movidos por ele, já que seria um rico proprietário de terras. No entanto, o nome da mãe de seu filho consta na lista de recebedores do Bolsa Família:

— Para quem teve uma fazenda de 900 hectares, com certeza tenho uns 40 processos contra alguém e uns quatro se defenderam contra mim. Tive fazendas lá. Tenho vida pregressa de trabalho, estou acima do bem e do mal — disse o técnico contábil.

Atella disse ter mais de um CPF porque seria “um direito de qualquer cidadão”, concedido pela “própria Receita”. No entanto, cada pessoa só pode ter um CPF.

— Tinha — disse, admitindo ter possuído cinco CPFs — mas pedi para o delegado da Receita suspender com uma carta de próprio punho, e ele deferiu.

A mãe de seu filho Antonio Carlos Atella Junior, Gredy Regina de Francisco, recebe R$ 112 mensais do Bolsa Família desde setembro de 2009. Segundo dados do site Transparência, do próprio governo, Gredy recebeu R$ 448 em 2009 e pouco mais de R$ 700 este ano. Os pagamentos são feitos pela prefeitura de Nova Resende (MG).

Um de seus filhos, Atella Júnior, que vive em Campinas, tem 26 anos. Numa comunidade da família Atella no Orkut, Grady diz que tem dois filhos, Junior e Carla.”

(Globo)

TSE nega registro de Jader Barbalho

“Por 5 votos a 2, os ministros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) negaram nesta terça-feira (31) o pedido de registro de candidatura de Jader Barbalho (PMDB), que disputa uma vaga ao Senado pelo estado do Pará. Cabe recurso da decisão ao Supremo Tribunal Federal (STF). Jader foi alvo de um pedido de impugnação da Procuradoria Eleitoral do estado, porque renunciou ao mandato de senador, em 2001, para evitar um processo de cassação em meio às investigações do caso que apurava desvios no Banpará e a denúncias de envolvimento no desvio de dinheiro da Superintendência de Desenvolvimento da Amazônia (Sudam). Ele sempre negou irregularidades.

Ele teve a candidatura aprovada pelo Tribunal Regional do Pará (TRE-PA), que entendeu que a ficha limpa não pode ser aplicada para casos anteriores à vigência da norma no que se refere a políticos que renunciaram aos mandatos. A Procuradoria Eleitoral entrou com recurso no TSE para rever a decisão da Justiça Eleitoral do estado.

O advogado do candidato, Eduardo Alckmin, argumentou que o processo de Jader Barbalho é diferente do caso de Joaquim Roriz, julgado pelo TSE nesta terça-feira (31). Segundo ele, na época da renúncia, Barbalho foi alvo de reportagens sobre denúncias de desvio de dinheiro. “Teve como alvo violador do decoro parlamentar um direito constitucional de não se autoincriminar. Se queria que Jader Barbalho admitisse publicamente que cometeu um crime que ele não cometeu. Nessa hipótese, não há como dizer que há atentado à imoralidade pública ou atentado para inferir esses elementos para exercício do caso”, afirmou o advogado do candidato.

Relator do caso, o ministro Arnaldo Versiani votou contra a liberação do registro de Jader e reforçou decisões anteriores do TSE sobre a ficha limpa, segundo as quais a norma vale para casos de renúncia anteriores à vigência da lei. O ministro leu parte da carta de renúncia de Jader Barbalho, em que o parlamentar admitia conhecer as denúncias contra si. “O quer há é que o legislador atualmente considera essa renúncia como uma causa que atenta contra o princípio da moralidade e da probidade administrativa. Não cabe à Justiça Eleitoral avaliar se o candidato sofreria ou não a perda do mandato. Interessa verificar se houve renuncia desde o oferecimento de denúncia”, afirmou o relator.”

(Portal G1)

CCJ do Senado dificulta liberdade condicional para crimes hediondos

“A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado aprovou nesta quarta-feira um projeto que aumenta o prazo que o condenado por crime hediondo terá de cumprir pena para conseguir ter o benefício de da liberdade condicional. Como tem caráter terminativo, a proposta segue direto para a Câmara, que ainda definirá em qual comissão será analisado, salvo se houver recurso para a votação em plenário. O projeto, de autoria do senador Hélio Costa (PMDB-MG), aumenta de 2/3 para 4/5 o prazo da pena que terá de ser cumprida para que o condenado possa receber o benefício. São considerados crimes hediondos ações como tortura, terrorismo, tráfico de drogas, entre outros.

O relator Demóstenes Torres (DEM-GO) afirma que a intenção é endurecer a legislação contra esses crimes. “Realmente é um tempo muito pequeno o cumprimento de apenas 2/3 da pena imposta a alguém pela prática de crimes tão graves para a concessão do benefício penal”, argumenta. O único voto contra a proposta foi do senador Eduardo Suplicy (PT-SP). Ele argumentou que a função da prisão é a ressocialização e que um dos critérios para a concessão da benefício é o bom comportamento e a avaliação do juiz de que o condenado não apresenta mais perigo à sociedade.”

(Portal iG)

Quebra de sigilos – Serra quer cassação do registro de Dilma

102 1

“A coligação de José Serra (PSDB) entrou com uma representação do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) pedindo a cassação do registro da candidatura de Dilma Rousseff (PT) por conta de quebras de sigilos fiscais na Receita Federal. O pedido de investigação será analisado pelo corregedor-geral eleitoral, ministro Aldir Passarinho Junior.

Serra acusa a petista de usar em sua campanha para a quebra de sigilo fiscal de pessoas ligadas a ele, dentre elas a sua filha Verônica Serra. Além de Dilma, a coligação aponta como responsáveis o candidato ao Senado por Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT); o jornalista Amaury Junior; o jornalista Luiz Lanzetta; o secretário da Receita Federal Otacílio Cartaxo; e o corregedor-geral da Receita Federal, Antonio Carlos Costa D’avila.

Pimentel e Lanzetta são apontados como responsáveis pela iniciativa de preparar dossiês que pudessem atingir Serra. Cartaxo e D’avila estariam, de acordo com Serra, dificultando as investigações da Polícia Federal sobre o caso. Já a acusação contra Amaury Junior seria pelo fato de ele ter supostamente declarado que “já teria dois tiros fatais contra Serra”, sendo um deles envolvendo informações sobre Verônica.”

(Folha.com)

Copom mantém juros em 10,75%

“O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) definiu na noite desta quarta-feira que a taxa básica de juros (Selic) deve permanecer no patamar de 10,75% ao ano, em vigor desde 21 de julho. Com isso, o colegiado finalizou o processo de aperto monetário adotado nas três últimas reuniões, quando elevou a taxa de 8,75% para 9,50%, em abril, depois para 10,25%, em junho, e para 10,75%, em julho.

A decisão do Copom veio em sintonia com as expectativas da maioria dos analistas financeiros, que, há duas semanas, alegam haver condições favoráveis no mercado para o BC encerrar o ciclo de ajustes da Selic. O principal motivo apontado pelo mercado é a inflação ter entrado em declínio nos três últimos meses. Além disso, argumentaram os analistas, não existem sinais de pressão de preços no horizonte, a médio prazo. As projeções de inflação para o final do ano têm caído gradativamente e já se aproximam do centro da meta de 4,5%.

Segundo o boletim Focus, divulgado pelo BC na última segunda-feira (30), o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que serve de parâmetro para as correções oficiais, deve encerrar 2010 em 5,07%. Apesar de o crescimento interno continuar sólido, com expansão da renda e do crédito, o comportamento mais ameno da inflação contribuiu para o fim do processo de alta da taxa Selic, de acordo com o economista-chefe do Banco Schahin, Silvio Campos Neto.

Há, no entanto, quem acompanhe a cena econômica com alguma desconfiança, como a economista-chefe do Banco Fibra, Maristella Ansanelli. Embora admita que todas as sinalizações de mercado apontavam para uma tendência de manutenção do nível atual da Selic, antes mesmo da decisão do Copom, Maristella considera que o ritmo de reajustes de preços dos gêneros alimentícios pode voltar a aumentar já neste mês. A economista acredita que haverá pressão inflacionária, por causa dos reajustes salariais programados para os próximos meses.”

(Agência Brasil)

POlícia Federal e Civil querem reinserção nas carreiras jurídicas

“Os delegados das polícias Federal e Civil querem que a categoria volte a ser considerada carreira jurídica, a exemplo dos advogados da União e dos defensores públicos. Além disso, defendem a aprovação de lei orgânica para as polícias vinculadas à União (Federal e Civil do Distrito Federal) e da Lei Geral das Polícias Civis. As reivindicações constam de carta compromisso entregue hoje (1º) ao secretário executivo do Ministério da Justiça, Rafael Favetti. O documento é assinado pela Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal (ADPF), Associação dos Delegados de Polícia do Brasil (Adepol) e Federação Nacional dos Delegados de Polícia Federal (Fenadepol). Favetti se comprometeu a ajudar a categoria.

O secretário ressaltou que boa parte das reivindicações está sendo discutida no Congresso Nacional. Nesse contexto, assinalou, o papel do ministério é limitado. “A maioria das preocupações dos delegados é relativa a discussões que ainda estão sendo feitas no Congresso. É dever do ministério analisar e apoiar as iniciativas e propostas que são boas para melhorar a cidadania.”

No documento, os delegados defenderam também que o mandato e a escolha dos diretores das polícias civis e da Polícia Federal sejam definidos “entre integrantes da carreira de delegados de polícia”. “O que estamos fazendo é promover o Dia Nacional de Mobilização, que é de conscientização em defesa do fortalecimento da Polícia Judiciária e da modernização da investigação criminal para que o Brasil possa consolidar um instrumento de combate à criminalidade”, disse o presidente da ADPF, Reinaldo Almeida.

“Queremos chamar a atenção para o fato de que, ao nos desatrelar da carreira jurídica, [os legisladores] criaram uma concorrência tanto no tratamento jurídico como no salarial”, acrescentou o presidente da Adepol do Brasil, Carlos Eduardo Benito Jorge. De acordo com o presidente da Fenadepol, Antônio Barbosa Góis, o salário inicial de um delegado federal é de cerca de R$ 13 mil, podendo chegar a R$ 19,6 mil, com as promoções previstas na carreira. “No entanto, os delegados da Polícia Civil de São Paulo iniciam a carreira recebendo [líquido] pouco mais do que R$ 4,5 mil”, afirmou Benito Jorge. Depois da audiência com Favetti, os delegados foram para o Congresso Nacional em busca do apoio dos parlamentares. Eles pretendem entregar a carta também aos candidatos à Presidência da República.”

(Agência Brasil)

DETALHE – Nesse grupo de lideranças reivindicando reinseção da PF como carreira juídica havia um cearense: César Bertosi, que é vice-presidente da Federação Nacional dos Delegasdos Federais.

Carlos Lupi será cidadão cearense

136 2

O ministro do Trabalho e Emprego, Carlos Lupi, vai receber, no próximo dia 17, às 15 horas, no Plenário 13 de maio, da Assembleia Legislativa, o título de Cidadão Cearense. A iniciativa é do deputado Ferreira Aragão, líder do PDT na Casa. 

“A homenagem é um reconhecimento ao grande trabalho do ministro à frente da sua pasta”, justifica o parlamentar, acrescentando que Lupi “é um defensor dos direitos trabalhistas e seu trabalho tem como foco a geração de empregos e renda no nosso País.”

QUEM É?

Carlos Roberto Lupi tem Licenciatura Plena em Administração, Economia e Contabilidade, casado com a jornalista Ângela Rocha e pai de três filhos. Teve o seu primeiro contato com a administração pública em 1983, quando assumiu a coordenação das Regiões Administrativas da Cidade do Rio de Janeiro, no governo do então Prefeito Marcelo Allencar. Foi eleito em 1990 pelo PDT – único partido de sua vida – deputado federal. Em 1992, se licenciou do mandato para assumir a Secretaria Municipal de Transportes do Rio. Em 1999, assumiu a Secretaria de Governo do Estado do Rio.

Grupo do Ceará confere no RS o Intercom 2010

Uma caravana de professores e estudantes dos cursos de Comunicação Social do Ceará embarcou nas últimas horas rumo ao Intercom 2010. Trata-se do Congresso Nacional de Comunicação que, até o próximo dia 6, ocorrerá na cidade gaúcha de Caxias do Sul.

Segundo Mariana Lázari e Geimison Maia, estudantes de Jornalismo da UFC, essa Instituição deverá apresentar cerca de 40 trabalhos na área. O Intercom é o evento mais importante do setor de comunicação na área científica no País.

TSE libera registro de Sarney Filho

“O Tribunal Superior Eleitoral arquivou recurso do Ministério Público Eleitoral contra ato do Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão que deferiu pedido de registro de candidatura a Sarney Filho (PV-MA), ao cargo de deputado federal nas eleições de 2010. A decisão foi tomada pelo ministro Hamilton Carvalhido.

A Procuradoria defendia a aplicação imediata da Lei da Ficha Limpa contra o candidato, que tenta a reeleição. Carvalhildo verificou que Sarney Filho foi condenado em 2006 por ter veiculado propaganda eleitoral, via internet, no site oficial do município de Pinheiro (MA).

Apesar disso, a única sanção aplicada foi uma multa. Por não ter ficado comprovada a “efetiva potencialidade do ato ilícito para influir no resultado do pleito”, o TRE-MA não determinou a cassação do diploma. De acordo com o ministro, apenas a imposição de multa não é causa de inelegibilidade.”

(Folha.com)

Agnaldo Timóteo: "Eu era apaixonado pela inteligência do Clodovil"

“Foram 42 anos de amizade. Amizaaaaade. Próxima, de intimidades. De palavras, da vida pessoal, até de homossexualismo. Nós éramos amigos. Eu era apaixonado pela inteligência do Clodovil, pela cultura do Clodovil, e, como ele era parecido comigo, pela audácia do Clodovil.” Dessa forma, o cantor e vereador Agnaldo Timóteo, 73, explica o motivo pelo qual se coloca, no horário eleitoral, como herdeiro político do estilista Clodovil Hernandes (morto em 2009).

Candidato a deputado federal em 2010, Timóteo diz pretender levar adiante, dentre os projetos de Clodovil, a “gratuidade para que todo homem possa fazer o exame da próstata a partir de 40 anos”. Ao lado de Tiririca e do humorista Juca Chaves, é uma das esperanças do PR de aumentar a bancada paulista do partido na Câmara dos Deputados.

Por que o sr. decidiu se candidatar?
Por causa do Lula. Eu sou macaco de auditório do Lula. Fui preconceituoso contra ele em 2002. Não votei nele, não acreditava nele e hoje eu e todos os demais que o preconceituaram devemos morrer de vergonha. Porque ele nos dá uma aula de habilidade, de competência, de audácia e de convergência. Até na diplomacia. É um show.

O sr. chegou a conversar com ele sobre isso?
Claro! Aliás, eu pedi duas audiências ao Lula. Ele me recebeu nas duas. Na mais recente levei comigo o meu chefe de gabinete, que é o Alexandre. Um pretinho, elegante… levei o Alexandre comigo. E quando nós conversávamos, o Lula pegou o telefone e disse: “Dilma, sobe aqui pra conhecer o Agnaldo Timóteo”. Subiu a ministra Dilma, com um sorriso fantástico, despojado, e eu disse: “mas ministra, a rapaziada lá fora diz que a senhora anda de cara amarrada… sorriso mais bonito que esse só se for da Elke Maravilha!” Na bucha, falei com ela.

Por que o sr. pediu uma audiência com o Lula?
Já havia um zunzunzum de que a Dilma seria candidata. E eu queria conversar com o presidente sobre a Dilma, sobre a linguagem que a Dilma precisa, que é essa que ela está mostrando…

Qual?
Ah! Todo mundo dizia que ela era um mulher antipática. Hoje é a figura mais simpática do programa eleitoral! Ela precisa conversar com as mulheres. A mulher dá a luz. A mulher limpa o cocô do menino, troca a fralda, faz comida pro marido, lava a roupa, e não pode ser presidente? Brincadeira tem hora!

A sua participação no horário eleitoral já está dando o que falar por causa do Clodovil. O sr. quer herdar os votos dele?
Eu estou dizendo o que é uma coisa absolutamente real. Foram 42 anos de amizade. Amizaaaaade. Próxima, de intimidades. De palavras, da vida pessoal, até de homossexualismo. Nós éramos amigos. Eu era apaixonado pela inteligência do Clodovil, pela cultura do Clodovil, e, como ele era parecido comigo, pela audácia do Clodovil. Vou chegar em Brasília e vou ter que mexer naquilo que ele deixou.

Qual parte da obra dele o sr. quer levar adiante?
O Clodovil brigava até pelo casamento entre homossexuais, que é uma coisa que eu não vou brigar.

Por que não?
Porque… come quem você quiser, dá pra quem você quiser, mas negócio de homem casar com homem… sai fora! Tá com brincadeira? “Ô, João, você aceita o Antonio como sua legítima esposa?”. Ah, para! Brincadeira tem hora. Isso era um ponto de vista distinto, meu e do Clodovil.

Mas e os pontos convergentes?
Tem o negócio da próstata, que ele apresentou….

O que é o negócio da próstata?
É um projeto do Clodovil para que todo homem tenha direito de fazer seu exame da próstata gratuitamente a partir de 40 anos. Eu vou ver isso depois direitinho. O Clodovil tem um projeto de atendimento às mamães solteiras, que eu vou ter que verificar como a gente vai administrar.

O sr. manteve contato com ele ao longo de todos esses anos?
Todos! Eu o levei para cantar num programa de rádio que eu tinha no Rio de Janeiro. Porque ele cantava bem. Suavemente, mas cantava muito melhor que o João Gilberto. Até porque o João Gilberto nunca cantou.

Mas eram amigos de frequentar a casa um do outro?
Não, não. Eu não sou uma pessoa muito sociável. Sou mais caseiro.

Vocês mantiveram contato no período em que ele esteve no ostracismo, fora da televisão?
Mas você acredita mesmo que uma pessoa como o Clodovil em algum momento tenha estado no ostracismo? Ele estava fora da televisão. É como o Agnaldo Timóteo. Onde quer que nós estejamos, somos celebridades. Não tem como nos ignorarem. Não tem.

Vamos falar dos projetos que o sr. apresentou quando foi deputado federal.
Eu apresentei um projeto transferindo para as Forças Armadas a responsabilidade sobre os menores desassistidos. Isso em 1985. De lá pra cá imagine quantas crianças poderiam ter sido salvas, em vez de aparecer na televisão com uma.45 na cintura. O Genoíno me disse: “você quer transformar o Brasil num quartel”. Eu falei: “não! eu quero transformar numa escola, onde os professores sejam militares. sargentos, soldados, tenentes, cabos. A formação moral deles a gente não pode questionar”.

Algum dos projetos que o sr. apresentou em Brasília em seus dois mandatos chegou a ser aprovado?
Lamentavelmente, nenhum. Todos saídos da minha sensibilidade de ser humano de família modesta.

O sr. tem algum projeto novo que gostaria de levar para Brasília?
A minha paixão, que lamentavelmente ainda não foi tornada realidade pelo Kassab, é um projeto que foi sancionado pelo Serra quando era prefeito, que é o posto de apoio ao taxista. Nada mais, nada menos, que um ponto de táxi com dependência sanitária. Não só para São Paulo, mas para todos os municípios que tenham mais de 300 mil municípios, ou 200 mil. Que é uma coisa absolutamente fácil de realizar. Baratíssimo.

Mas por que o sr. quer fazer isso?
Para os taxistas! É justo você ver o taxista mijando dentro do túnel? Mijando atrás da árvore? Mijando atrás da porta? Ponto de táxi tem que ter dependência sanitária. Como lá em Congonhas [Aeroporto de Congonhas, em São Paulo]. É um ponto de táxi com dependência sanitária para 60 taxistas. Tá lá! Lindo, limpinho, para homens, mulheres, um espetáculo!

Algum dos projetos que o sr. apresentou como vereador foi implementado?
Vários. Um dia eu fui a um enterro, e eu com 114 quilos. A cova ficava a uns 400 metros de distância, aqui no cemitério do Araçá. E aí andei uns 400 metros pra chegar no túmulo. E depois você desce morro e sobe morro. Eu cheguei aqui e apresentei um projeto criando a obrigatoriedade de que todos os cemitérios tenham aqueles veículos de bateria para conduzir as pessoas obesas, deficientes, até o local onde se realiza o sepultamento. Foi sancionado pelo Kassab e eu agradeço muito.

Tem algum outro projeto?
Alguns importantíssimos, que lamentavelmente foram vetados. Por exemplo, uma câmera em todas as cozinhas dos grandes restaurantes e uma tela dentro do estabelecimento para que possamos ver como está sendo preparada a nossa alimentação.”

 (Folha.com)

Em Alagoas, único governador do PSDB usa imagem de Lula em propaganda

“Único governador do PSDB no Nordeste e em busca da reeleição, o alagoano Teotonio Vilela Filho (PSDB) passou a usar imagens ao lado do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na propaganda eleitoral gratuita na TV. Porém, passados 15 dias do início da propaganda eleitoral, governador, que ocupa apenas a terceira colocação nas pesquisas em Alagoas, ainda não pediu votos, apresentou imagens ou mesmo citou o nome do presidenciável do partido, José Serra.

Na última sexta-feira e nesta segunda-feira, o programa do candidato à reeleição no Estado apresentou imagens do presidente entregando o “diploma de mérito de reconhecimento à vida”, recebido no dia 18 de junho, em Brasília. Os programas ainda mostraram mais três fotografias, onde Vilela e Lula aparecem juntos em outros eventos, trocando sorrisos e apertando as mãos. Em seus discursos, o governador afirma sempre que o presidente Lula é um parceiro do governo de Alagoas.

Em Alagoas, os outros dois principais candidatos chegaram a brigar judicialmente pelo direito de usar o nome e imagens de Lula e da presidenciável Dilma Rousseff (PT). Após lançar um jingle citando que Lula e Dilma apoiaria Fernando Collor de Mello (PTB), a coligação “Frente Popular por Alagoas”, que inclui o PT, conseguiu na Justiça uma decisão impedindo que o ex-presidente citasse os dois nomes em propagandas eleitorais.

O uso das imagens e Lula pelo PSDB no Estado foi duramente criticado pelo diretório PT de Alagoas. “O que ele acabou de produzir se constitui em fraude política, numa tentativa grosseira de confundir o eleitorado”, afirmou, em nota divulgada à imprensa, o presidente do PT e candidato a vice-governador de Ronaldo Lessa (PDT), Joaquim Brito.

O PT informou ainda que vai apresentar uma representação na Justiça Eleitoral questionando o uso das imagens do presidente. “Ele está agindo com oportunismo, talvez até cometendo ilegalidade perante a legislação eleitoral. Por que ele esconde o seu candidato a presidente? Até hoje José Serra não apareceu no programa majoritário do PSDB alagoano” questionou Brito.

A explicação para o uso das imagens de Lula pode estar no desempenho do candidato do PSDB à presidência no Nordeste. Na última pesquisa Datafolha, José Serra aparecia com 21% das intenções de voto na região, contra 60% de Dilma Rousseff (PT), líder na corrida presidencial. A diferença entre os dois é a maior entre as cinco regiões do país.

Segundo pesquisa Ibope, encomendada pela TV Gazeta , Ronaldo Lessa lidera a corrida pelo governo de Alagoas com 29% das intenções de voto, seguido por Fernando Collor de Mello (PTB), com 28%, e Teotonio Vilela, com 24%.”

(Uol Eleições)

Presidente do BNB ganha título de "Professor Honoris Causa da UFC"

O presidente do Banco do Nordeste do Brasil, Roberto Smith, vai receber o título de “Professor Honoris Causa” da Universidade Federal do Ceará. O título foi aprovado pelo Conselho Universitário em sessão ordinária realizada na última segunda-feira.

Roberto Smith é professor aposentado do Departamento de Teoria Econõmica da Faculdade de Economia, Administração, Atuária, Contabilidade e Secretariado Executivo.

Smith comemorou o título como reconhecimento. À frente do BNB desde 2003, ele colocou o banco entre as melhores Instituições financeiras do País, com programas reconhecidos internacionalmente como o CredAmigo, voltado para a economia solidária.

Semana da Pátria em exposição

O Shopping Benfica abriu a exposição “Brasil dos Pés a Cabeça” dentro da Semana da Pátria. A exposição traz para o público, por exemplo, bandeiras históricas do Brasil, desde a primeira em 1332, até a atual.

O Hino da Independência, sua criação e criadores, também pode ser conferido, além de imagem do quadro do artista Pedro Américo que retrata o grito de Dom Pedro I.

SERVIÇO

* Visitação gratuita até o dia 7, das 10 às 22 horas.

BNB busca saídas para agronegócio

O presidente do Banco do Nordeste do Brasil, Roberto Smith, encontra-se, nesta quarta-feira, em Brasília. Ali, ele participa de várias reuniões no Ministério da Fazenda.

O mote é um só: buscar soluções para o setor do agronegócio de Petrolina (PE) e Juazeiro (BA) que passa por dificuldades de safra. As cheias do rio São Francisco causaram problemas.

Dilma admite retorno da CPMF

“Questionada sobre a recriação da CPMF, a candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, não quis falar sobre o tributo, mas não descartou a sua volta ao afirmar que a saúde é “subfinanciada” e que, caso eleita, “mobilizará” a população para discutir e solucionar o problema.

“Tem subfinanciamento na nossa saúde, sim. Ao tirarem a CPMF de nós, nós perdemos R$ 40 bilhões. (…) Tenho compromisso com essa questão. Se eu for eleita eu vou, de todas as formas, deixar claríssimo qual é o problema da saúde”, disse.

(Folha Online)