Blog do Eliomar

Categorias para Brasil

TSE manda retirar de circulação o Jornal da CUT

179 1

“O ministro Joelson Dias, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), determinou, na madrugada desta segunda-feira (18), a retirada de circulação do Jornal da CUT e da Revista do Brasil. O conteúdo “censurando” é referente à edição do mês de setembro do jornal da central sindical. E o da revista, à edição de outubro, que traz na capa a foto da candidata à presidência, Dilma (PT).

A decisão do ministro tem como base liminar de autoria dos advogados da campanha de José Serra (PSDB) – adversário de Dilma – que acusa a CUT e a Revista do Brasil de produzirem “farto material” impresso para promoção da candidata. Além do material impresso, o conteúdo postado na internet também deverá ser retirado. Na decisão, Joelson Dias ressalta que “os sindicatos não podem contribuir direta ou indiretamente para a campanha de um candidato ou de um partido”.

Na liminar, os advogados da campanha de Serra também pedem que seja retirado do ar o blog do presidente da CUT, Artur Henrique, o que não foi atendido pelo ministro. 

O jornal, produzido pela CUT, foi criado em 2008 e tem uma tiragem de 20 mil exemplares. Ele é distribuído mensalmente.

Já a revista é produzida pela Editora Gráfica Atitude Ltda. No site da empresa diz que a revista é distribuída mensalmente para 360 mil trabalhadores, por meio de dezenas de entidades sindicais ligadas a profissionais dos mais diversos setores da economia – como indústria, energia, bancos, saúde, educação.

Segundo a editora, para atender ao público que não recebe o material por meio dos sindicatos, desde o junho de 2008 a publicação é distribuída também em bancas de todas as capitais e nas principais cidades do estado de São Paulo. 

(Blog do Noblat)

Até a capitalização, Petrobras investiu R$ 47 bilhões em obras e aquisição de materiais

“Dados do Ministério do Planejamento mostram que o Grupo Petrobras investiu, entre janeiro e agosto deste ano, mais de R$ 47 bilhões em obras e aquisição de materiais. O montante representa 91% do total aplicado pelas estatais brasileiras no período (R$ 51,8 bilhões) e é 20% superior ao verificado no mesmo período do ano passado, em valores atualizados. Além disso, é a maior quantia já investida pela empresa no período janeiro-agosto desde 1995, primeiro ano completo do Plano Real, em valores atualizados (veja a tabela). Esses são os últimos resultados dos investimentos da empresa antes da mega capitalização, que aconteceu em setembro.

Para o sociólogo Antônio Ramalho, professor de relações internacionais da Universidade de Brasília, a capitalização da estatal servirá para elevar  ainda mais os recursos a serem investidos. Ele não vê possibilidade de privatização da empresa e acredita que, no longo prazo, os investimentos da Petrobras podem refletir na vida dos acionistas da empresa. “Isso acontecerá quando [os investimentos] vierem a produzir resultados e as ações se valorizarem”, afirma.

Dos R$ 94,9 bilhões previstos para as estatais este ano, quase 84% está por conta do Grupo Petrobras e suas 29 empresas – pouco mais de R$ 79,3 bilhões. O restante é dividido entre entidades vinculadas ao Grupo Eletrobrás, Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero), Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT), entre outras. A verba autorizada apenas para investimentos da Petrobras este ano é R$ 20,9 bilhões superior à prevista para os Três Poderes (Executivo, Legislativo e Judiciário) e três vezes maior do que a dotação do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) no Orçamento Geral da União 2010.

Este ano, até agosto, o “PAC Orçamentário” – que não inclui os investimentos das estatais, estados, municípios e financiamentos habitacionais – foi responsável por aplicar R$ 11,3 bilhões em projetos e atividades espalhados por todo o país. Isso significa que a Petrobras sozinha, em oito meses, desembolsou R$ 35,9 bilhões a mais que o carro-chefe do governo Lula no mesmo período. Os valores do programa referem-se aos recursos de obras e projetos tocados pela administração federal direta passíveis de monitoramento por meio do Sistema Integrado de Administração Financeira (Siafi).

Apesar das boas marcas registradas nos oito primeiros meses deste ano, o montante investido pela Petrobras ainda representa 59% do total previsto para a estatal em 2010. Se o ritmo de investimentos permanecer na mesma média de janeiro-agosto, ao final do ano a empresa terá investido 89% dos R$ 79,3 bilhões.

De 1995 para cá, os investimentos da Petrobras, voltados a atividades de oferta de petróleo e gás natural em âmbito nacional e internacional, também aumentaram significativamente sua participação do Produto Interno Bruto (PIB). Naquele ano, o R$ 1,9 bilhão (em valores correntes) desembolsado pela estatal nos oito primeiros meses representou 0,57% da soma das riquezas produzidas no país no mesmo período. Já entre janeiro e agosto deste ano, o montante investido pela empresa equivale a 2,73% do PIB apurado no primeiro semestre, o maior índice desde 1995.”

(Site Contas Abertas)

Taxa básica de juros deve ficar em 10,75%, preveem analistas do mercado financeiro

“Analistas do mercado financeiro consultados pelo Banco Central (BC) esperam a manutenção da taxa básica de juros, a Selic, no patamar de 10,75% ao ano, na reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC), marcada para esta terça-feira, 19, e para a quarta-feira, 20.

Para os analistas, a Selic, instrumento de controle da inflação, também não deve ser alterada na última reunião do ano, nos dias 7 e 8 de dezembro. O Copom eleva os juros para estimular a poupança e conter a expansão excessiva da demanda. O comitê também pode não mexer nos juros básicos quando acredita que o patamar da taxa é suficiente para gerar equilíbrio entre o que se produz, o que se compra e os preços. Pode ainda reduzir a taxa Selic se o objetivo for aquecer o mercado consumidor e estimular a atividade econômica.

Segundo o boletim Focus, divulgado nesta segunda-feira, 18, pelo BC, o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) deve ficar acima do centro da meta de inflação (4,5%) neste ano e em 2011, na avaliação dos analistas. Mas a expectativa está abaixo do limite superior de 6,5%. A projeção para o IPCA neste ano está em 5,20%, contra 5,15% da semana passada. Essa estimativa tem crescido nos últimos dias. Há quatro semanas, a projeção era de 5,01%. Para 2011, a expectativa para o IPCA oscilou de 4,98% para 4,99%. Essa estimativa era de 4,95% há quatro semanas.
 
O boletim Focus também traz projeções para o Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI). A previsão referente a esse índice passou de 9,64% para 9,68%, neste ano, e de 5,08% para 5,14%, em 2011. A expectativa para o Índice Geral de Preços de Mercado (IGP-M) oscilou de 9,57% para 9,73%, em 2010, e de 5,07% para 5,25%, no próximo ano.
A projeção para o Índice de Preços ao Consumidor da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (IPC-Fipe), neste ano, passou de 5,24% para 5,33%. Para 2011, subiu de 4,63% para 4,66%. A expectativa dos analistas para os preços administrados caiu de 3,53% para 3,50%, em 2010, e de 4,75% para 4,70%, em 2011.
Os preços administrados são aqueles cobrados por serviços monitorados, como combustíveis, energia elétrica, telefonia, medicamentos, água, educação, saneamento, transporte urbano coletivo, entre outros.” 

(Agência Brasil)

2º Turno – Tucano diz que PV ficou neutro para manter cargos em Estados como o Ceará

283 2

O deputado federal Raimundo Gomes de Matos, vice-presidente regional do PSDB, lamentou, nesta segunda-feira, que a senadora Marina Silva tenha adotado uma postura neutra com relação ao segundo turno da eleição presidencial. O PV e Marina, que disputou a presidência da República e ajudou, com mais de 20 milhões de votos, a forçar o segundo turno, decidiram não optar por Serra (PSDB) ou Dilma Rousseff (PT)  durante encontro nacional realizado nesse domingo, em São Paulo.

“A gente lamenta essa postura do PV e da senadora Marina. Todos esperavam que Marina, que se saiu bem nas eleições e como líder do seu partido, se posicionasse”, disse o parlamentar.

Raimundo Gomes, no entanto, não se disse surpreso, observando que a decisão de Marina deve ter sido resultado da pressão de diretórios regionais do PV que acharam melhor evitar brigas e manter posições em cargos públicos. Ele citou como exemplo disso o PV do Ceará, onde, por conveniências, detém posições na esfera estadual.

Polêmica do aborto faz bispos racharem

“A discussão da questão do aborto na campanha eleitoral, que está dividindo os católicos por causa do veto de alguns bispos à candidata petista Dilma Rousseff, provocou um racha no episcopado em nível nacional e deverá deixar sequelas na vida da Igreja, seja qual for o resultado do segundo turno, em 31 de outubro.

A polêmica terá também reflexos na eleição para a presidência da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), em maio do próximo ano, quando um grupo conservador, contrário à atual linha de diálogo, tentaria tomar o poder para adotar uma posição mais dura de oposição ao governo. Pelo menos, na hipótese de Dilma vir a ser a vencedora.

A confusão foi armada pelo apoio dado pela direção do Regional Sul 1, que reúne as 41 dioceses de São Paulo, em 26 de agosto, a uma nota intitulada Apelo a Todos os Brasileiros e Brasileiras, da Comissão em Defesa da Vida, que recomendava aos eleitores que “independentemente de suas convicções ideológicas ou religiosas”, dessem seu voto “somente a candidatos ou candidatas e partidos contrários à descriminalização do aborto”.

O autor ou inspirador do texto foi o padre Berardo Graz, da diocese de Guarulhos, cujo bispo, d. Luiz Gonzaga Bergonzini, encampou o manifesto e citou, entre os vetados, o nome de Dilma. Passado o primeiro turno, d. Luiz Gonzaga reiterou sua posição, alegando que, embora a petista tenha feito uma profissão de fé em defesa da vida, não se podia acreditar nela. “Dilma, que se faz agora de santinha para dizer que é contra o aborto, já mudou de opinião três vezes.”

Artigos e entrevistas de d. Luiz Gonzaga irritaram outros membros do episcopado paulista, principalmente porque grupos de católicos contrários ao aborto e à candidatura Dilma distribuíram milhares de cópias da nota do Regional Sul 1 de apoio ao manifesto da comissão coordenada pelo padre Berardo.

A distribuição do material em paróquias de outras dioceses, à revelia de seus bispos, pôs mais lenha na fogueira. O texto se multiplicou também em mensagens pela internet, espalhando-se por todo o País.”

(Agência Estado)

Expectativa da economia não é boa para 2011

“Enquanto Dilma Rousseff e José Serra praticamente ignoram o debate dos temas macroeconômicos, as expectativas de analistas e investidores para o próximo ano vêm piorando ao longo da campanha eleitoral.

A petista e o tucano ostentam a condição de economistas em seus programas de rádio e TV, mas pouco ou nada se sabe sobre o que pretendem fazer a respeito das políticas fiscal, de administração das receitas e gastos públicos; monetária, de controle dos juros e da inflação; e cambial, referente à relação entre o real e as moedas de outros países.

Nos três casos, o futuro presidente terá de tomar medidas para responder a incertezas que se acumularam nos últimos meses e tornaram o cenário para 2011, embora sem ameaça visível de crise, menos benigno do que parecia antes do início oficial da corrida ao Planalto. A preocupação mais imediata é com a credibilidade do Orçamento federal.

Desde o ano passado, o governo não tem conseguido cumprir as metas de superavit primário, ou seja, a parcela da arrecadação de impostos e outros recursos poupada para abater a dívida pública.

Segundo pesquisa do Banco Central, o mercado não acredita no anunciado superavit de 3,3% do Produto Interno Bruto em 2011. As projeções dos especialistas, que convergiam para 3% até julho, hoje estão em 2,8% do PIB. A diferença em relação à meta é de quase R$ 20 bilhões, ou um ano e meio de Bolsa Família.”

(Folha Online)

Bancários assina acordo com banqueiros nesta 3º feira

O presidente do Sindicato dos Bancários do Ceará, Carlos Eduardo Bezerra, seguiu, nesta segunda-feira, para Brasília. Ali, ele participará de reunião de avaliação da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Instituições Financeiras (Contrafi) pós-greve dos bancários. Segundo Bezerra, a categoria saiu vitoriosa da paralisação, pois conseguiu avanços importantes.

Entre avanços, reajuste de 7,5%, o que dá um ganho real sobre a inflação de 3,08%, assim como aumento na participação dos lucros na ordem de 14,3%.

Carlos Eduardo Bezerra, que integrou a coordenação nacional da greve dos bancários, estará nesta terça-feira em São Paulo para participar do ato de assinatura do acordo coletivo da categoria com a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban).

Num debate morno, Dilma reconhece erro de Erenice e Serra nega doações ilegais

“Pela primeira vez, a candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, admitiu neste domingo (17) no debate RedeTV/Folha de S.Paulo que sua ex-braço direito, Erenice Guerra, “errou” no período que passou à frente da Casa Civil, de onde saiu acusada de tráfico de influência. O presidenciável tucano José Serra, por sua vez, negou que sua campanha recebesse doações ilegais vindas de um ex-diretor do Dersa.

A líder nas pesquisas de intenção de voto, que por muito tempo evitou condenar a ex-assessora, afirmou que não concorda com contratação de parentes e amigos no serviço público. Erenice tinha o filho, Israel, trabalhando na Casa Civil, assim como indicados dele. “As pessoas erram e a Erenice errou”, disse Dilma, em resposta a uma pergunta de jornalista, no terceiro bloco do debate.

“Quero deixar claro que eu considero a situação da Erenice com muita indignação. Não concordo com a contratação de parentes e de amigos. Eu tenho um compromisso em combater o nepotismo e o tráfico de influência”, afirmou. “Nós investigamos, e a Erenice saiu do governo. A Polícia Federal está investigando o caso e 16 pessoas foram interrogadas. Isso significa que nós apuramos aquilo que acontece.”

O candidato do PSDB, por sua vez, teve de responder sobre o ex-diretor de Engenharia da Dersa, empresa de estradas paulistas, Paulo Vieira de Souza. Conhecido como Paulo Preto, ele foi acusado de arrecadar ilegalmente cerca de R$ 4 milhões para financiar campanhas de tucanos paulistas. Para Serra, essa acusação faz parte de uma “estratégia do pega ladrão” do PT.

“Esse é o método. Disseram que alguém tinha recebido uma contribuição para essa campanha e não tinha entregue. Eu sou a vitima. Isso não aconteceu na minha campanha”, afirmou. “Alguém teria pego e não entregue para a campanha. Nunca veio ninguém reclamar que o dinheiro não chegou”, afirmou o tucano.

Serra disse que o caso de Paulo Preto é diferente dos escândalos na Casa Civil e criticou o apelido dado ao ex-assessor, que disse desconhecer no início da semana para depois admitir que sabia de quem se tratava. “Eu não o conhecia assim. Esse é um apelido racista. Como ele é descendente de africanos, deram esse apelido”, disse.

Em sua resposta sobre Erenice, Dilma aproveitou para criticar o adversário. “Isso é propina na obra mais importante do governo de São Paulo, o Rodoanel. Essa denúncia é de maio, não é de ontem.”, disse ela. “Nós investigamos.”

Privatizações e segurança

A petista centrou ataques nas privatizações feitas no governo Fernando Henrique Cardoso e na gestão de Serra em São Paulo. Ela afirmou que o tucano Serra quis dificultar uma operação na qual a Petrobras compraria a Gás Brasiliano, uma empresa paulista de distribuição de gás. O presidenciável fez, então, o ataque mais duro do início do debate “[A campanha do PT] mente o tempo todo e uma das principais questões é a da privatização”, disse.

“Esse não é o assunto que depende do governo de São Paulo. O governo Lula e a Dilma fizeram mais concessões a empresas privadas do que o Fernando Henrique. É por causa de eleição [que criticam privatizações]”, afirmou Serra, que questionou a rival sobre um tema mais ameno: cursos profissionalizantes.

Na resposta, Dilma afirmou que Lula não fez mais escolas técnicas porque na gestão de FHC “foi feita uma lei proibindo que se criassem escolas técnicas no Brasil a não ser que os Estados e os municípios assumissem a manutenção”. “Nós mudamos essa legislação e passamos a investir”, disse.

As polêmicas religiosas que permearam a primeira semana de campanha no segundo turno não apareceram no primeiro bloco do debate. A única referência nesse sentido foi feita por Dilma, ao dizer que espera ser “eleita, graças a Deus”.

No quarto bloco, Dilma acusou o governo tucano em São Paulo de abandonar a segurança e permitir que o PCC (Primeiro Comando da Capital) dominasse de dentro dos presídios o tráfico de drogas. “Tenho um compromisso: é livrar São Paulo do PCC”, disse. E completou afirmando que o PSDB é responsável pelo “domínio do trafico pelo PCC das cadeias”.”

(Portal Uol)

Vice de Serra terá encontro com jovens e evangélicos em Fortaleza nesta 2ª feira

270 5

Saiu, nesta noite de domingo, a programação que o deputado federal Índio da Costa (DEM-RJ), candidato a vice da chapa de José Serra, cumprirá nesta segunda-feira em Fortaleza.

Índio chegará por volta do meio-dia e, às 13 horas, participará de almoço com jovens empresários em local a ser definido pela assessoria do postulante nesta manhã de segunda-feira.

O candidato a vice terá encontro com a coordenação da campanha pró-Serra no Estado e também reuniões com o senador tucano Tasso Jereissati e com o ex-governador Lúcio Alcântara.

Às 19 horas, Índio da Costa, ao lado de Tasso, participará no Barbra’s Cambeba, de um encontro envolvendo pastores e líderes evangélicos.

DETALHE – Pedro Fiúza, que foi vice do candidato derrotado ao Governo, Marcoss Cals (PSDB), coordena essa programação de Índio da Costa.

Debate entre Dilma e Serra promete ser duro

189 1

“A duas semanas da eleição, os candidatos à Presidência Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB) prometem protagonizar duro confronto a partir das 21h10 de hoje, no debate Folha/RedeTV!. No comando da campanha do PT, a recomendação é para que Dilma insista numa linha agressiva contra Serra no conteúdo, ainda que seja mais moderada na forma. A petista está sendo treinada a parecer mais simpática e sorrir mais, o que é considerado uma das fraquezas dela frente às câmeras. Dilma reproduzirá o discurso do programa eleitoral: de que Serra tem mil caras, diz uma coisa em campanha e faz outra no poder. A estratégia é repetir a performance do debate da Band, quando partiu para o ataque, mas apresentando-se como vítima do adversário.

Os dois deverão ser cuidadosos nas perguntas. A exemplo da estratégia fixada para a Band, Serra irá reservar os comentários mais contundentes para respostas, evitando que a palavra final fique com a adversária. Ele deve se referir a ataques contra sua família para tentar colar em Dilma o que chama de “campanha suja” contra ele. A aliados, o tucano disse ontem estar “indignado” com ataques a sua mulher e sua filha.
Em outra frente, a campanha quer tentar mostrar deficiências técnicas de Dilma. Serra martelará a tecla de que sabe como fazer. A orientação é para que contenha seus impulsos durante o debate da Folha/Rede TV! e preserve a calma, apostando na imagem de que é Dilma quem foge do controle. Ontem, porém, pessoas próximas a Serra apostavam que ele será mais agressivo. Além do que chama de valores éticos _como aparelhamento do Estado–, Serra deverá explorar vulnerabilidade de programas sob gestão direta de Dilma. A petista, por sua vez, está sendo preparada a questionar a gestão de Serra em São Paulo.
 
JORNALISTAS
A campanha de Serra acredita que perguntas mais espinhosas ficarão a cargo das jornalistas Renata Lo Prete, editora do Painel, e Patrícia Zorzan, repórter especial da RedeTV!, no 3º bloco. A participação das jornalistas, apostam, servirá ainda para quebrar o calor do embate direto dos dois candidatos, nos outros três blocos.
Sob a mediação de Kennedy Alencar, repórter especial da Folha e apresentador do “É Notícia” na RedeTV!, Dilma e Serra responderão a uma pergunta comum na abertura do 1º bloco. A partir daí, trocarão perguntas nos 1º, 2º e 4º blocos, partindo para as considerações finais no 5º bloco. Cada pergunta consumirá um minuto. Já resposta, réplica e tréplica terão duração de dois minutos, cada uma.”
(Folha.com)

Marina e PV anunciam posição de "independência" neste 2º turno


“A senadora Marina Silva e Partido Verde anunciaram neste domingo posição de “independência” em relação à disputa do segundo turno da eleição presidencial entre Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB). No primeiro turno, Marina, candidata a presidente pelo PV, obteve 19,6 milhões de votos, quase 20% dos votos válidos. O apoio dela e do PV era cobiçado por Dilma e por Serra, que enviaram cartas à senadora  destacando afinidades entre pontos dos planos de governo.

Durante a reunião plenária do PV em São Paulo que decidiu pela ‘independência’, Marina leu uma carta aberta a Dilma e Serra, em que afirma que essa é posição que melhor pode contribuir para o processo eleitoral. Em discurso, a ex-presidenciável fez críticas ao que chamou de uma “dualidade destrutiva” entre PT e PSDB, comparada por ela às oposições entre MDB e Arena no regime militar e a republicanos e monarquistas no período imperial. A posiçao defendida por Marina Silva foi semelhante à de varias lideranças do PV que discursaram na reunião plenária.”

(Portal G1)

Uma cobrança à cúpula do BNB

177 3

Funcionários e ex-funcionários parabenizam a presidência do Banco do Nordeste do Brasil que, a partir de novembro, terá aumento em R$ 1 bilhão do seu capital social, subindo para R$ 3 bilhões. Eles, no entanto, lamentam.

É que ganharam ação de equiparaçao ao pessoal do Banco do Brasil (em última instância), que rolava há mais de 20 anos, e, até agora, não viram a cor do dinheiro.

Esperançosos, sugerem ao competente presidente do BNB, Roberto Smith, que passe a régua e liquide essa fatura.

Marcos Cals lamenta posicionamento político de celebrante em Canindé

624 40

“É lamentável que esses procedimentos aconteçam em eventos religiosos da importância das romarias do Santuário de Canindé, diante de milhares romeiros e de visitantes de todas as partes do Brasil. É lamentável, repito, que a fé cristã sirva de motivação para outros objetivos que não sejam o da verdadeira religiosidade do povo nordestino”, afirmou, nesta noite de sáabdo, o deputado estadual Marcos Cals (PSDB), ao falar para setores da imprensa, após chegar de Canindé (120 km de Fortaleza), onde acompanhou a visita do presidenciável José Serra (PSDB). Para ele, os fatos acontecidos após a celebração de Missa foram resultados ” da postura política do celebrante”.
 
Durante vários momentos da celebração, o padre – que não teve seu nome revelado pela Secretaria Paroquial, fez críticas à presença de políticos, chegando, até, a reclamar do trabalho da imprensa e, em especial, de cinegrafistas e fotógrafos. O padre ainda criticou a divulgação de um panfleto com críticas à candidata petista à presidência da República, Dilma Rousseff, alertanto que “a Igreja não comuga com esse pensamento”.

Sobre esse material, Marcos Cals garantiu que, em nenhum momento, foi elaborado pelo PSDB e assegurou que o próprio Serra havia criticado tal divulgação.
 
DETALHE – O administrador da paróquia, Frei Hamilton, estava escalado para celebrar a missa das 16 horas, mas foi substituído minutos antes do seu início.
 
DETALHE  2 – Durante todo o dia, manifestantes do PT, com bandeiras e carros de som, circularam nas proximidades da basílica de Canindé, permanecendo até a saída de José Serra do local, informaram alguns moradores da área.

ACM Neto diz ser praticamente impossível derrotar Dilma na Bahia

160 2

“O deputado federal Antônio Carlos Magalhães Neto (DEM-BA) considera ser praticamente impossível conseguir virar o jogo na Bahia e estabelecer no Estado votação do presidenciável tucano José Serra (PSDB) superior à da petista Dilma Rousseff, que obteve 62% no primeiro turno. “Diminuir a diferença é uma certeza”, diz o parlamentar, que direciona esforços na região Oeste do Estado.

A relação com o agronegócio será uma das armas do deputado democrata, que foi o mais votado no Estado com pouco mais de 328,4 mil votos, para tentar alavancar a candidatura de Serra na região oeste. Em função disso, foi escolhido o prefeito de São Desidério, Zito Barbosa (PMDB), para alavancar a candidatura do tucano na região. “Com certeza, Dilma terá menos votos”, disse o prefeito. Outro cabo eleitoral será Herbert Barbosa, irmão do prefeito, e deputado estadual mais votado na região.

ACM Neto afirma que utilizará todo o aparato de internet para contribuir com a candidatura do tucano. O parlamentar gravou um vídeo, no qual pede votos para Serra, e distribuiu para mais de 250 mil pessoas via e-mail. O deputado federal disse que “a estratégia é buscar voto a voto para reduzir a diferença na Bahia”.

(Portal Terra)

Padre Reginaldo Manzotti dará coletiva dia 21

O Padre Reginaldo Manzotti, que fará show em Fortaleza dia 23, ocasião em que, no aterro da Praia de Iracema, gravará DVD ao vivo, dará coletiva para a imprensa dia 21, às 14h30min, no Hotel Sonata.

Jornalistas e comunicadores de jornais, internet, rádio e TV poderão confirmar sua presença para a coletiva que terá uma hora de duração. Os participantes deverão chegar com uma hora de antecedência para o credenciamento.

Nessa ocasião, segundo a assessoria de imprensa do evento, o Padre Reginaldo dará detalhes sobre a gravação e falará sobre os artistas convidados.

Hélio Bicudo, um dos fundadores do PT, anuncia que apoia Serra

227 13

“Um dos fundadores do PT e vice de Marta Suplicy (PT) na prefeitura de São Paulo (2001-2004), o jurista Hélio Bicudo declarou voto no tucano José Serra no segundo turno das disputa à Presidência da República. Na primeira rodada de votação, Bicudo havia apoiado Marina Silva, do PV, em detrimento da presidenciável petista Dilma Rousseff. Tido como um militante histórico pelos direitos humanos no país, o jurista justificou seu voto alegando que o “continuísmo” do PT no poder “não é democrático”. “A alternância de poder é uma característica da democracia”, disse.

“Se nós deixarmos que a candidata Dilma vença, essas eleições, nós vamos ter aqui no Brasil um sistema mexicano”, disse, em referência ao PRI (Partido Revolucionário Institucional), que ficou no poder no México por 70 anos, até ser derrotado nas eleições de 2000.

Em setembro deste ano, Bicudo e outros juristas lançaram o “Manifesto em Defesa da Democracia”, durante um ato na Faculdade de Direito do Largo São Francisco, na capital paulista. “É inconcebível que uma das mais importantes democracias do mundo seja assombrada por uma forma de autoritarismo hipócrita”, afirma o documento, crítico à administração do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.”

(Folha Online)