Blog do Eliomar

Categorias para Brasil

Candidatos da "Ficha Suja" receberam mais de 8,8 milhões de votos

“Em um universo de 111 milhões de eleitores que compareceram às urnas, cada um escolhendo seis cargos diferentes, candidatos barrados pela Lei da Ficha Limpa (Lei Complementar 135/10), mas ainda no páreo por conta de recursos, receberam 8.885.614 votos em 24 unidades da federação. O estado campeão de sufrágios em postulantes com problemas na Justiça foi o Pará, seguido de São Paulo e Paraíba.

Os números de votos em candidatos barrados pela Justiça Eleitoral, tanto pela ficha limpa quanto por outras condições de elegibilidade e inelegibilidade (como quitação eleitoral e prestação de contas de campanha), foram divulgados ontem (4) pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Na sexta-feira, a corte havia decidido que, pela primeira vez nas eleições brasileiras, os eleitores ficariam sabendo como foi votado cada político com o registro indeferido.

Até o fechamento desta matéria, às 22h, somente os números do Acre ainda não haviam sido divulgados. No total, de 242 candidatos com registros negados pela Justiça Eleitoral, 165 continuam no páreo e esperam o julgamento de recursos pelo TSE e, eventualmente, pelo Supremo Tribunal Federal (STF), para saber se têm chances de serem eleitos ou não.”

Veja a lista com todos os votos dados aos barrados pela ficha limpa, com exceção do Acre

(Congresso em Foco)

José Guimarães é reeleito, mas irmão perde em São Paulo

197 4

O deputado federal José Nobre Guimarães (PT), o segundo mais votado no Ceará (209.752 votos), não comemorou muito com a família o resultado. É que o irmão dele, José Genoíno (PT-SP), acabou derrotado no seu objetivo de ser reeleito.

Genoíno teve sua vida política marcada pela luta contra a ditadura, mas acabou envolvido no chamado Escândalo do Mensalão, o que lhe custa, até hoje, dores de cabeça e muito desgaste.

Quanto a Guimarães, é retomar o trabalho de coordenador-geral da bancada e reforçar a luta pela aprovação da Emenda 29, aquela que garante mais recursos para a saúde. O que está precisando. E muito.

Joãosinho Trinta atravessa no voto

Joãosinho Trinta, o responsável pela vitória de escolas do grupo especial do carnaval carioca como Salgueiro e Beija-Flor, não é bom de votos. Atravessou feio no desfile das urnas e dançou sem samba-enredo na sua luta por uma vaga de deputado no Distrito Federal.

O carnavalesco recebeu apenas 233 votos, ficando com a 554ª posição no pleito. Ele promete não desistir e recebeu a derrota como resultado de carnaval: perdeu um desfile, mas não perdeu o samba no pé.

Ciro, o saxofone e o trombone

284 3

“O deputado federal Ciro Gomes (PSB) aproveitou o fim da campanha eleitoral no Estado para renovar desabafo. Disse que saia magoado com a “baixaria” que foi a campanha eleitoral no Estado. Principalmente por conta de reportagem “mentirosa” da Veja, usada trazendo um suposto esquema de prefeituras envolvendo seu nome e o nome do seu irmão, o governador reeleito Cid Gomes (PSB).

Ciro até voltou a admitir abandonar a política, no que para alguns seria jogo de cena de quem, no passado, dizia que sairia desse terreiro e até aprenderia a tocar saxofone. Há quem aposte e assegure: Ciro continua, mais do que nunca, firme no cenário político. Com direito a continuar botando a boca no trombone.”

(Coluna Vertical , do O POVO)

DETALHE – Ciro é aquele que o senador tucano Tasso Jereissati não quer ver pintado em sau frente tão cedo. Tasso está magoado com ele, principalmente, sua cria política, em razão da campanha eleitoral na qual saiu derrotado. Já o ex-governador Lúcio Alcântara (PR), que disputou e perdeu o Governo de novo, não poupa: Tasso provocu do remédio aplicado na disputa governamental de 2006.

Posição de Dilma a favor do aborto pesou no fim das eleições

173 3

“A ofensiva católica e evangélica contra o PT e Dilma Rousseff devido à posição dela favorável à legalização do aborto — que ela mudou na campanha — se tornou uma espécie de “cruzada” nas últimas semanas e foi um dos fatores que influenciaram na tendência de queda nos votos da presidenciável, na avaliação da cúpula de campanha.

Enquanto a presidenciável se escorava em lideranças evangélicas do meio político, padres e pastores realizaram uma mobilização em missas e cultos, além de cartas e víde os na internet para pregar contra o voto no PT.

A Regional Sul 1 da CNBB, que contempla o estado de São Paulo, divulgou longo documento, lido nas missas, que “recomenda encarecidamente” que não se vote no PT.

Pela internet, um culto da 1 Igreja Batista de Curitiba foi visto por quase 3 milhões de pessoas. Entre cenas fortes de fetos mortos e despedaçados, uma criança indígena sendo enterrada viva e uma mulher sendo espancada, o pastor pede que não se vote em petistas.

Também no fim de agosto, o bispo Nelson Westrupp, da Diocese de Santo André (região do ABC) e presidente da Regional Sul 1, recomendou a difusão do documento “Apelo a Todos os Brasileiros e Brasileiras” onde se argumenta que o governo se comprometeu, em acordos multilaterais e com envio de projeto de lei, à legalização do aborto.

A orientação política anti-PT do pastor Paschoal Piragine aconteceu em um culto, gravado, no fim de agosto. O pastor opina que o PT — por ter fechado questão favorável à legalização do aborto e à união civil entre homossexuais — tenta transformar o país em uma terra onde o pecado é aceito e vulgarizado.

A campanha de Dilma já gravou vídeos e imprimiu material para conter uma possível debandada. Procurado na semana passada, o secretário de comunicação do PT, deputado reeleito André Vargas (PR), disse que o pastor Piragine é “preconceituoso, mentiroso, difamador e caluniador”. Petistas se reuniram com ele mas não o demoveram de sua postura.

— Isso é a opinião preconceituosa dele, lastreada na mentira — disse Vargas.

 (O Globo)

Mega-Sena deve pagar maior prêmio de sua história: R$ 150 milhões

“O concurso de número 1.220 da Mega-Sena, que será sorteado nest quarta-feira, deve pagar R$ 115 milhões para a aposta que acertar as seis dezenas, segundo estimativa da Superintendência de Loterias da Caixa EconômicaFederal (CEF), em Brasília. Se confirmada a expectativa, esse será o maior já registrado entre os sorteios regulares da modalidade. O maior valor pago nos concursos regulares foi de R$ 90 milhões, sorteado no início de setembro e dividido por sete bilhetes.

A Mega-Sena já pagou R$ 144,9 milhões. Mas, no sorteio especial da Mega-Sena da Virada, em 31 de dezembro do ano passado. De acordo com a Caixa, o acúmulo de R$ 90 milhões é resultado de oito sorteios sem vencedor na faixa principal e mais um valor adicionalde R$ 18 milhões acumulado para o concurso de final zero. O valor aplicado na poupança, por exemplo, tornaria possível conseguir uma renda mensal de aproximadamente R$ 700 mil.

A Caixa acrescentou que o prêmio seria suficiente para comprar uma frota de 4,6 mil carros populares ou 23 mil motocicletas de 125cc. Quemquiser tentar a sorte no próximo concurso, deve fazer suas apostas até as 19 horas de Brasília do dia do sorteio. A aposta mínima, de seis números, custa R$ 2,00. O sorteio acontecerá na cidade de Catalão (GO).”

(Com Agências)

TSE – Eleição no Pará pode ser anulada

“O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Ricardo Lewandowski, alertou nesta segunda-feira para a possibilidade de anular a eleição no Pará. Na disputa ao Senado, 57% dos votos foram dados a candidatos banidos das eleições pela Lei da Ficha Limpa. O segundo e o terceiro colocados na disputa no Pará concorreram sem registro: Jader Barbalho (PMDB) obteve 1.799.762 votos e Paulo Rocha (PT), 1.733.376.

Lewandowski explicou que, pela lei, quando há mais de metade dos votos nulos em uma eleição, ela não tem validade. Seria necessário, portanto, realizar nova votação. O ministro informou que a situação será resolvida pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Pará, na proclamação dos resultados da votação.

– No caso do Pará, a lei em tese estabelece que se houver maioria de votos nulos será feita nova eleição. É possível que o processo tenha alguma particularidade que motive uma interpretação diferente. Não quero me pronunciar previamente até para não influenciar o TRE – analisou.

A indefinição ocorreu porque nem a Justiça Eleitoral, nem o Supremo Tribunal Federal (STF) conseguiram julgar os casos a tempo. O TSE já negou recurso a Barbalho, que recorreu ao STF.

Paulo Rocha também teve o recurso negado pelo TSE, mas ele recorreu ao próprio tribunal, que deverá examinar o caso ainda nesta semana.

– Estamos dando prioridade absoluta para o julgamento de candidatos que tiveram os registros indeferidos. Se tudo der certo, teremos definido antes da diplomação – garantiu o ministro.

Lewandowski lembrou que a situação dos chamados “fichas sujas” só será definida pelo Supremo Tribunal Federal (STF). A Corte teve a chance de fazer isso no julgamento do ex-candidato ao governo do Distrito Federal Joaquim Roriz (PSC), mas um empate impossibilitou a decisão. Lewandowski acredita que o impasse só será resolvido quando for nomeado novo ministro para o Supremo.

– Se nenhum ministro mudar de opinião, e as manifestações dos ministros foram públicas e muito bem fundamentadas, acredito que o impasse perdurará até a nomeação do próximo ministro – afirmou.

Lewandowski citou outros casos de “fichas sujas” que deixam o cenário de votações indefinido. Na Paraíba, Cássio Cunha Lima (PSDB) concorreu sem registro ao senado e obteve primeiro lugar, com 1.004.183 votos – ou 35% do total. Não se sabe ainda se ele será empossado no cargo.

No Amapá, João Capiberibe (PSB) também concorreu ao senado sem registro e ficou em segundo lugar, com 130.411 votos.”

(O Globo)

Se Dilma gnhar no 2º turno, poderá casar e batizar no Congresso

289 1

“Em 2011, a base aliada de um eventual governo Dilma Rousseff (PT) será 13% maior do que aquela que emergiu das urnas há quatros anos e estava alinhada com a administração do presidente Lula. Serão 402 deputados federais, ante os 380 de hoje e os 357 eleitos em outubro de 2006. O PT será o partido com maior número de cadeiras, com 88 parlamentares, seguido pelo PMDB, com 79.

Ou seja, se hoje o presidente Lula tem uma maioria folgada na Câmara, o eventual governo Dilma Rousseff deve ter ainda mais tranqüilidade com os deputados federais. E a eventual administração de José Serra (PSDB) terá razoáveis dificuldades com a oposição dos petistas.

É o que revela levantamento do Congresso em Foco com base em dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), coletados até pouco depois da 0h desta segunda-feira. De forma inversa, as oposições devem encolher um pouco mais. Se em outubro de 2006 PSDB, DEM, PPS e PSOL somavam 156, atualmente eles são 133. E a previsão é que em 2011 eles sejam apenas 111 parlamentares. Uma redução de 29%.”

(Congresso em Foco)

Carlito Matos vem aí!

341 1

Esse ai é o ex-superintendente estadual do Ibama, Carlos Matos. Hoje, entre muitas de suas atividades, atua como compositor e cantor, já preparando o lançamento de mais um CD, cujo título é uma homenagem à neta, Clara, filha dos jornalistas Carla Matos, sua filha, e Marcos André Borges, este o homem-forte da VSM Comunicação.

Carlito Matos, como é conhecido, é desses papos maravilhosos, de encantar e cantar mesmo, mexendo com a sensibilidade das pessoas. O repertório de suas músicas é variadíssimo: do forró, com direito a letra gaiata ou repente tradicional, a belas poesias que abordam a nastureza e o amor. 

O local do lançamento do novo CD de Carlito Matos ainda está sendo fechado, mas, caros leitores, se esse camarada tivesse maior espaço na mídia, com certeza, teria composições gravadas por gente famosa. E olhe que são letras de quem carrega nas veias a herança do grande e saudoso poeta Costa Matos.

Cid, Eunício, Pimentel e Ciro conversam com Dilma sobre o 2º turno no Ceará

277 1

Depois da vitória, é arregaçar mangas pró-candidata petista.

O governador reeleito Cid Gomes (PSB) participa, nesta tarde de segunda-feira, em Brasília, de reunião com a candidata petista à Presidência da República, Dilma Rousseff. O encontro reúne também os senadores eleitos Eunício Oliveira (PMDB) e José Pimentel (PT) e outros governadores e senadores de outros Estados consagrados nas urnas desse domingo.

A novidade do encontro é a presença do deputado federal Ciro Gomes (PSB), que atuou como coordenador da campanha cidista. O encontro, segundo informou o próprio Cid após o fechamento das urnas, é para começar a preparar a estratégia de vitória de Dilma no segundo turno da disputa presidencial.

Cid Gomes sabe que é preciso trabalhar para que Dilma ganhe do tucano José Serra. Com Dilma, terá compromisso de tocar todos os grandes projetos estruturantes que planejou. Se der Serra – e ele bate na madeira, pode ficar a pão e água, segundo analistas políticos.

(Foto – Divulgação)

Coordenador da campanha de Dilma diz que aproximação com Marina é "natural"

“Integrante da coordenação da campanha de Dilma Rousseff (PT), o deputado José Eduardo Cardozo (PT-SP) afirmou nesta segunda-feira que é “natural” a aproximação para o segundo turno com Marina Silva (PV), terceira colocada na disputa presidencial. “Até outro dia a Marina era do PT. É natural que ocorra essa aproximação. Há setores muito próximos a Marina”, afirmou. Cardozo disse que não há mudança de postura e que a campanha vai continuar propositiva. O petista tentou minimizar a frustração no alto escalão da campanha com a continuidade da disputa sustentando que Dilma venceu a eleição. “O segundo turno foi importante para definir a base do governo Lula e vai ser muito importante agora […] É preciso ficar claro que vencemos a eleição tivemos 47 milhões de votos”, disse.

Segundo Cardozo, ainda não foi definido quando nem onde a campanha de Dilma vai recomeçar. O deputado afirmou que a campanha está avaliando os resultados da eleição de ontem e conversando com aliados para consolidar os apoios. Na tarde de hoje, Dilma se reúne com governadores, senadores, deputados e lideres aliados. Dilma almoçou com Cardozo e o ex-ministro Antonio Palocci em sua casa no Lago Sul, bairro nobre da capital federal. Pela manhã, a candidata reuniu a coordenação da campanha em um dos escritórios políticos em Brasília para discutir estratégias para o segundo turno. A chamada “onda verde”, de Marina e os boatos anti-Dilma divulgados entre os cristãos foram apontados pela campanha como os principais fatores que provocaram o segundo turno, resultado considerado frustrante pelo alto escalão dilmista.

O crescimento de Marina e o impacto dos rumores entre católicos e evangélicos já alertavam há uma semana a campanha de uma possibilidade de ter que enfrentar o tucano José Serra no dia 31. Entre os religiosos, circulava o boato de que Dilma teria dito que nem Jesus tirava dela a vitória, além de declarações anteriores dela a favor da legalização do aborto. Dilma desmentiu a frase afirmando que sempre evitou comentar a possibilidade de vitória em primeiro turno para rechaçar a idéia de salto alto. A candidata disse ainda que é contra o aborto e que defende que o tema seja tratado como questão de saúde pública.”

(Folha.com)

As Pesquisas forma as grandes derrotadas nestas eleições?

“A eleição de 2010 tem um grande derrotado, vença Serra ou Dilma: as pesquisas de opinião. E nem me refiro especialmente ao resultado, embora todos os institutos tenham errado: uns mais, outros menos. Refiro-me à derrota desse importante instrumento de avaliação da opinião pública. E isso só aconteceu porque o ambiente foi tomado por vigaristas e negociantes — que não vendem um serviço, mas um resultado. As pessoas sérias envolvidas com essa atividade deveriam evitar a defesa corporativa da “categoria”. Os que erram de boa-fé devem procurar afinar seus instrumentos. Os malandros continuarão a fazer malandragens; são pagos para isso. Por isso mesmo, os que procuram acertar — em vez de se acertar — devem evitar as más companhias.

Comecemos pelo óbvio: erraram, sim! Todos! Sem exceção! O Datafolha, mais perto da realidade, dava a Dilma 50% dos votos válidos no dia do pleito. Ela obteve 47,6% — fora da margem de erro. O Sensus via a candidata com 54,7% dos válidos. Para o Vox Populi, a petista estava 12 pontos à frente da soma dos adversários. No dia 29 de outubro, o Ibope atribuía a Dilma 55% dos votos válidos — 7,4 pontos a mais do que ela conseguiu. Os erros se repetiram em boa parte dos estados. Desse bola para os levantamentos, aquele que será, em números absolutos, o senador mais votado da história do Brasil —Aloysio Nunes Ferreira (PSDB) — deveria ter entregado os pontos.

Vou insistir neste aspectos: embora o resultado não seja irrelevante, inaceitável mesmo foi  o comportamento de alguns “responsáveis” (?) pelos institutos, que resolveram posar de analistas políticos e videntes. Não se contentavam em passar adiante números que, como vimos, se mostraram errados: também faziam perorações a respeito e expeliam sentenças definitivas.

O mais animado deles, sem dúvida, é Marcos Coimbra, o manda-chuva do Vox Populi, instituto que chegou a agonizar e que renasceu com força no petismo. Ele trabalha para e com o PT, embora suas pesquisas e ele próprio sejam vistos em certas áreas, só em certas áreas, como isentos. Coimbra é colunista de uma revista petista e escreve também no Correio Braziliense como “cientista político.”

(Blog do Reinaldo Azevedo – Veja Online)

NO CEARÁ, as pesquisas davam Lúcio em segundo lugar e acabou entrando o tucano Marcos Cals. Eis um dado que vai ser alvo de muitas avaliações.

CNJ vai lançar campanha contra o crack

142 1

“O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) estuda lançar campanha nacional contra o crack. A ideia é produzir materiais gráficos, como cartilhas e audiovisuais (campanha publicitária em rádio e televisão) alertando para os prejuízos que a droga ilícita pode trazer para a saúde das pessoas e a vida social das comunidades, bem como informando cidadãos e agentes públicos sobre as formas de lidar com o problema, e o tratamento dos usuários.

A iniciativa é da Corregedoria Nacional de Justiça, com apoio da Presidência do CNJ, em parceria com as Coordenadorias da Infância e da Juventude dos Tribunais dos estados.

O asssunto foi discutido na última quinta-feira, durante reunião realizada no CNJ com a participação dos juízes auxiliares da Presidência, Daniel Issler e Reinaldo Cintra; dos juízes auxiliares da Corregedoria Nacional, Nicolau Lupianhes Neto e desembargador Sílvio Marques Neto; do coordenador de infância e juventude do Tribunal do Estado de São Paulo, desembargador Antonio Carlos Malheiros; da médica psiquiatra das prefeituras dos municípios de São Paulo e Guarulhos, Dra. Vera Lúcia Polverini; da psicóloga judiciário da Vara de Infância do Fórum Regional de São Miguel Paulista, Lúcia Zanetti, e do médico psiquiatra da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), Dr. Ronaldo Laranjeira.”

(Site do CNJ)

Eleições 2010 – O Resultado segundo a imprensa internacional

Olha só como os principais jornais internacionais repercutem a disputa pela presidência da República, que acabou indo para o segundo turno entre Dilma (PT) e Serra (PSDB):

* NEW YORK TIMES

O jornal americano “New York Times” diz que a candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff, sofre com a falta de carisma que tornou o presidente Lula tão popular no país.
“Especialistas não têm dúvida de que Rousseff irá prevalecer no segundo turno contra [O TUCANO JOSÉ]Serra. Apesar de sua falta de experiência política e carisma, ela foi exaltada na onda de prosperidade no Brasil sob a liderança de Lula, cujos índices de aprovação chegam a 80%”, escreve o “NYT”.
“Rousseff, que militou contra a ditadura na década de 1960, é considerada uma administradora competente, mas sofre com a falta do carisma sedutor que ajudou Lula a se tornar tão popular”, continua o jornal.
O “NYT” diz ainda que o fato de a eleição não ter sido decidida no primeiro turno se deve à “presença forte” da candidata Marina Silva. “Rousseff perdeu votos por conta da presença forte de uma terceira candidata, Marina Silva, do Partido Verde, ex-ministra do Meio Ambiente, que teve mais de 19% dos votos”.

* LE MONDE

O jornal francês destaca as eleições presidenciais na primeira página de seu site e também ressalta que a campanha de Roussef preza a “continuidade da política que tem ajudado a tirar milhões de brasileiros da pobreza e do país experimentar um boom econômico sem precedentes”.

* DER SPIEGEL

A revista alemã ainda mantinha a apuração parcial dos votos em seu site –apontando que, se a apuração seguisse o caminho indicado, a eleição iria para 2º turno.
A “Der Spiegel” também traz a recusa de Lula sobre uma suposta candidatura em 2014, com uma citação atribuída a Lula: “Não, não. Se você já esteve na Presidência, então só precisa de paz na vida”.

* LE FIGARO

Outro jornal francês, também destaca as eleições brasileiras em sua página principal e diz que “não houve surpresa” na vitória de Dilma sobre Serra no 1º turno.

* EL PAÍS

O diário espanhol põe as eleições em submanchete, e destaca Marina Silva (PV) como um “fator decisivo” para o 2º turno. “Dilma Rousseff não conseguiu evitar uma segunda etapa eleitoral”, diz o texto, apontando também que assessores da candidata já admitiam 2º turno na tarde de domingo (3).
“Lula escolheu uma sucessora improvável, pouco conhecida, e se lançou com todas as suas forças e enorme popularidade (80%) em uma campanha eleitoral agitada”, diz o jornal. “Esse 2º turno será, sem dúvida, decepcionante para o presidente mais popular de toda a história do Brasil, que acreditou poder transmitir todo esse respaldo pessoal”.

* WALL STREET JOURNAL

Para o “Wall Street Journal”, a decisão no segundo turno demonstra um grande revés nas previsões feitas por especialistas. “Dilma Rousseff, 62, uma ex-guerrilheira esquerdista, terminou em primeiro lugar com uma grande folga na eleição presidencial do Brasil neste domingo, mas falhou ao não conseguir votos suficientes para evitar um segundo turno no maior país da América Latina –um revés para uma candidata cuja vitória no primeiro turno era certa algumas semanas atrás”, diz o “WSJ”.

* THE INDEPENDENT

O jornal britânico “The Independent” aponta que Dilma está tentando ser a primeira chefe de Estado mulher no Brasil –e também narra brevemente a trajetória da ex-ministra enquanto combatente antagônica ao regime militar (1965-1984). Sobre Serra, o jornal diz apenas que ele era governador do Estado de São Paulo –e que perdera as eleições presidenciais para Lula em 2002 como representante do PSDB.

* THE TIMES

Já o também inglês “The Times” coloca, em chamada de capa, que “Dilma Roussef promete aos eleitores que seguirá os passos do presidente Lula para reduzir o abismo entre ricos e pobres”.

* REUTERS

A agência destaca que Rousseff foi “escolhida a dedo” por Lula para continuar suas “políticas esquerdistas que fizeram do Brasil um dos mais empolgantes mercados emergentes.” A Reuters ressalta ainda que “nem Rousseff, nem Serra fogem dos programas sociais e políticas que favorecem o investimento estrangeiro que fizeram Lula popular.”

* THE DAILY TELEGRAPH

O inglês “The Daily Telegraph” indica que “Dilma Rousseff, a favorita para vencer as eleições presidenciais no Brasil, foi forçada a um segundo turno com seu principal rival, depois de não assegurar os 50% de votos no primeiro turno”. O jornal aponta ainda uma “inesperado crescimento tardio” da terceira candidata, Marina Silva (PV), com 19,5% dos votos válidos.
O diário britânico diz ainda que as recentes descobertas sobre Erenice Guerra, somadas a questões cristãs sobre as posições de Dilma sobre o aborto e outros problemas sociais aparentemente instituiu dúvidas na cabeça dos eleitores –a ponto de custar a ela a vitória no 1º turno.

* DAILY MAIL

Em um texto inserido à tarde no site do jornal, Dilma é chamada de “guerrilheira e marxista por formação”, que pode vir a se tornar “a mulher mais poderosa do mundo” –mais influente que a secretária de Estado Hillary Clinton ou que a chanceler alemã Angela Merkel. Entretanto, até a publicação da reportagem, o jornal não publicou nenhum resultado do primeiro turno das eleições brasileiras.

(Portal Uol)

Cientista político diz que Lula foi o grande derrotado

196 4

Em artigo publicado no site Congresso em Foco, o cientista político Paulo Kramer avalia que o presidente Lula foi o grande derrotado nas eleições, porque mergulhou na campanha pró-Dilma, ultrapassando “todos os limites do bom senso e da decência”. Confira:

No momento em que escrevo, 94,3% das urnas de todo o país já foram apuradas,  delas emergindo o maior derrotado até agora: o presidente da República, que, durante a campanha – e  campanha para ele é permanente, confundindo-se com o exercício de suas atribuições constitucionais -, ultrapassou todos os limites do bom senso e da decência para fazer desta eleição um plebiscito arrasador entre as eras Lula e FHC.

Ele não contava com o espetacular desempenho de Marina Silva, do PV, cuja votação  provou ser o dobro do que previam os institutos de pesquisa e empurrou o pleito para o segundo turno entre Dilma e Serra.

O velho adágio de que o segundo turno é uma nova eleição não se aplica à  sua  ainda curta história nas corridas presidenciais brasileiras. Collor em 89, Lula em 2002 e novamente Lula em 2006, vencedores no primeiro turno, tiveram sua preferência popular confirmada no segundo.

Agora, novamente, caberá ao segundo colocado a tarefa mais difícil de atrair a maior parte dos eleitores da candidata do PV, que ficou em terceiro. Afinal, nos estados onde  conquistou um inesperado segundo lugar, como Bahia e Pernambuco, Marina avançou sobre os votos destinados a Dilma, e não a Serra. Teoricamente, pelo menos,  será mais fácil para a  petista ‘reconquistá-los’ do que para Serra, que jamais frequentou as cogitações daqueles eleitores.

Mesmo assim, vale adiantar que  a inevitável bipolarização do segundo turno, com uma enormidade de tempo na TV igualmente dividida entre ambos, na base do cara-a-cara, assumirá o feitio de um teste de personalidades e, sobretudo, de temperamentos. Os estrategistas da campanha tucana tudo farão para trazer para fora a verdadeira Dilma, que na imagística oposicionista afigura-se uma personagem grosseira, mandona, desagradável. Até agora, seus marqueteiros tiveram muito sucesso em blindá-la a salvo desses demônios interiores, com a ajuda, é bem verdade, do formato insôsso dos debates televisivos. Será que tanta beatitude vai resistir ao mano a mano que tomará conta do ‘horário político’  até o fim deste mês de outubro?

Já quando se trata do padrinho da candidatura Dilma, nem é preciso apelar para sofisticados estrategemas de marketing a fim de provocar sua ira. Este analista se arriscaria até mesmo a conjecturar que, ao lado do escândalo Erenice, as explosões de Lula em palanque  foram outro fator a abalar o até então franco favoritismo de sua pupila na reta final rumo a uma lavada em primeiro turno.

Uma última observação sobre o plebiscito que, afinal, não se materializou. Quase tão surpreendente quanto a conquista da primeira vaga paulista no Senado por Aloysio Nunes Ferreira foi o amplo emprego da imagem e das declarações de Fernando Henrique na sua campanha. O que sugere que nem mesmo todo o tempo, toda a energia e todo o dinheiro público gastos por Lula para desconstruir o legado do seu antecessor nos últimos oito  anos foi suficiente para empanar o papel ainda desempenhado por este como referência maior da oposição brasileira.

Irá a campanha de Serra, no segundo turno, finalmente resgatar e assumir a herança (bendita?) de FHC? 

Paulo Kramer é cientista político, com doutorado pelo Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro (Iuperj), e professor licenciado do Instituto de Ciência Política da Universidade de Brasília (Ipol/UnB). Mantém conta no Twitter em homenagem aos pensadores liberais Alexis de Tocqueville e Max Weber.

(Congresso em Foco)

Presidente da CNI agora é senador

O deputado federal Armando Monteiro Neto (PTB) retoma, a partir desta semana, a presidência da Confederçaão Nacional da Indústria (CNI). Isso, depois de ter sido eleito senador por Pernambuco. Armando disse que vai “honrar” o compromisso com o Estado e que vai “com grande esforço” se dedicar ao mandato de senador. Armando confessou que esperava sair vitorioso do pleito, mas não imaginava que seria eleito em primeiro lugar. Ele disse que esperava uma “vitória expressiva”, mas sempre achou que a votação dos dois senadores terminaria muito próxima.

Teve dedo de cearense na campanha de Armando Monteiro: o publicitário Ricardo Alcântara, que chegou a trabalhar em campanhas no Estado como a primeiro de Lúcio Alcântara contra Cid Gomes. Ricardo se engajou a essa equipe recomendado por um grupo de empresários cearenses ligado à CNI.

Delegado Protógenes Queiroz é eleito deputado federal com sobras de Tiririca

A votação do palhaço Tiririca (PR) em São Paulo, que conseguiu 1.353.829 conseguiu puxar mais três cadeiras para a  coligação PRB/PT/PRPCdoB/PTdoB. 

Entre os nomes que se beneficiaram com a sobra de votos está o delegado federal Protógenes Queiroz (PCdoB), aquele que investigou e chegou a prender, por meio da “Operação Satiagraha” o doleiro Daniel Dantas.