Blog do Eliomar

Categorias para Brasil

Um tucano que não vai alçar voos

Da Coluna do Eliomar de Lima, no O POVO desta terça-feira:

O PSDB do Ceará encomendou pesquisa qualitativa e quantitativa sobre eleições, mas, claro, tudo ficou para consumo interno. A novidade é que o nome do senador Tasso Jereissati, o líder maior do tucanato cearense, não consta entre opções para o Governo. Pouco se sabe dos resultados, que continuam sendo avaliados em reuniões noturnas e sempre no escritório político de Jereissati.

O vice-presidente tucano Raimundo Gomes de Matos confirma que o nome de Tasso não entrou na pesquisa, que abre para avaliações quanto aos nomes, por exemplo, do Capitão Wagner, Roberto Pessoa e até de Geraldo Luciano, o tucano de peso executivo – vice do Grupo M. Dias Branco, que já avisou, por várias vezes, não querer carregar esse fardo.

Capitão Wagner andou chutando o pau da barraca dos tucanos, depois que se mudou, de malas e bagagens, para comandar o Pros. Ele sempre aparece bem cotado, mas, naquela de que não é capitão para virar soldado de partido, vai acabar candidato mesmo a deputado federal, apostam alguns.

Há tucanos, no entanto, acreditando que se o quadro da violência permanecer como está, em crise, o Capitão possa repensar seus planos e o PSDB também repensar apoiá-lo. Pena, no caso, que por uma causa muito, muito complicada.

Reação contra o medo

Com o título “Reação contra o medo”, eis o Editorial do O POVO desta terça-feira:

Os ataques que Fortaleza tem testemunhado, nos últimos dias, contra órgãos públicos, transporte coletivo e, inclusive, ameaças diretas às autoridades, têm criado um clima de insegurança, medo e terror na população. Como os cidadãos podem contribuir para travar o objetivo dos criminosos? Checando as notícias que lhes chegam pelo WhatsApp, não as repassando adiante, sem antes verificar se são verdadeiras, ou não. Pois, os delinquentes querem, antes de tudo, criar pânico na população com notícias falsas, para melhor coagi-la.

Evidentemente, quem quer que esteja por trás desses acontecimentos – indícios apontam para o crime organizado – busca intimidar a sociedade e o Estado e assim tornar ambos reféns desse propósito. Render-se, antecipadamente, a essa ameaça seria o pior dos caminhos. A experiência da humanidade demonstra que enfrentar esse tipo de problema exige a identificação das causas que promovem o fenômeno, bem como a mobilização dos recursos do poder público para enfrentá-lo, e o convencimento da sociedade de que é imprescindível a cooperação de cada cidadão.

Esse tipo de desafio não surge aleatoriamente, mas, num contexto de desajuste econômico, social, institucional e político. Por isso, não se consegue resolvê-lo apenas com a repressão, embora esta seja, desde o início, imperativa como dissuasão, até que o conjunto das providências (econômicas, sociais, institucionais, políticas e culturais), interajam simultaneamente. Do ponto de vista técnico, esse combate deve ser enfrentado, antes de tudo, pelos serviços de inteligência – cuja atuação deve ser monitorada, democraticamente, pela Academia (universidades) e outras instâncias civis, em vista dos interesses do Estado Democrático de Direito. Por fim, a participação dos cidadãos, não só cooperando com informações e sugestões, mas, utilizando os instrumentais que a Internet lhes oferece.

Uma das formas mais recomendadas de engajamento da sociedade nesse processo é reagir ao plano criminoso de paralisá-la pela propagação de um clima de medo e insegurança. Ao receber uma notícia pelo WhatsApp o cidadão não deve passá-la à frente sem antes checar a sua veracidade com outras fontes. Difundir notícias falsas e alarmantes, sem verificar se são verdadeiras, ou não, pode fazer o jogo dos criminosos e atrapalhar as investigações.

Em meio à crise política e ao descrédito das instituições nunca se sabe o que é verdade, ou manipulação com fins inconfessáveis. Mais do que nunca é necessária a vigilância democrática dos cidadãos.

Sergio Moro – Rever prisão após segunda instância seria um “passo atrás”

219 1

Uma eventual mudança no entendimento no Supremo Tribunal Federal (STF) sobre a prisão após condenação em segunda instância seria um retrocesso porque favoreceria a impunidade. Foi o que disse, durante entrevista ao vivo ao programa Roda Viva, da TV Cultura, nessa noite de segunda-feira, o juiz federal Sergio Moro.

Caso o STF mude de posição e permita que réus recorram em liberdade até julgados todos os recursos, o juiz sugeriu que a população cobre durante as eleições que candidatos defendam uma mudança constitucional para garantir o posicionamento atual da Corte.

— Uma revisão desse precedente, que foi um marco do processo de enfrentamento da corrupção, teria um efeito muito ruim e passaria uma mensagem errada. Passaria uma mensagem de que não cabe mais avançar, de que vamos dar um passo atrás — disse em entrevista.

Segundo Moro, caso o Supremo Tribunal Federal mude de posição, há outras alternativas para que o cumprimento da pena comece a ser cumprido após duas instâncias. Segundo ele, a Constituição poderia ser emendada para permitir a execução da sentença após a primeira apelação.

— Vamos ter uma campanha eleitoral presidencial, pode-se cobrar qual é a posição dos candidatos em relação a essa impunidade e quais propostas eles terão. Pode-se, por exemplo, se restabelecer (a execução provisória da pena) por meio de uma emenda constitucional — afirmou o juiz.

(O Globo)

 

Petrobras reajusta GLP empresarial em 4,8% em média nesta terça-feira

A Petrobras reajustou o preço do GLP empresarial para embalagens acima de 13 quilos, em 4,7% em média nas unidades da petroleira. O aumento vale a partir desta terça-feira (27). Segundo o Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Gás Liquefeito de Petróleo (Sindigás), a nova correção de preços foi comunicada às suas empresas associadas, na tarde dessa segunda-feira (26), pela companhia.

O Sindigás informou ainda que, de acordo com as informações que as distribuidoras receberam da Petrobras, o aumento de preço será entre 4,6% e 4,9%, dependendo do polo de suprimento.

A entidade acrescentou que, com o reajuste, o ágio praticado pela Petrobras subiu para 50,3% em relação ao preço praticado no mercado internacional. Para o Sindigás, “esse ágio vem pressionando ainda mais os custos de negócios que têm o GLP entre seus principais insumos, impactando de forma crucial empresas que operam com uso intensivo de GLP”.

De acordo com o Sindigás, para o segmento empresarial de GLP a prática de preços da Petrobras é incompreensível, por não acompanhar as flutuações do mercado internacional, que apresentou queda de 7,9% em janeiro e 8,2% em fevereiro, e em março já acumula queda de 6,6%.

“Já o preço da Petrobras para o segmento empresarial registrou queda menor do que a do mercado internacional em janeiro e fevereiro, de 6,3% e 4,6%, respectivamente”, concluiu a nota da entidade. A Agência Brasil entrou em contato com a Petrobras, mas não obteve resposta até a publicação da matéria.

(Agência Brasil)

Prefeitura de Fortaleza inscreve para seleção pública destinada ao preenchimento de 123 vagas

O Instituto Municipal de Desenvolvimento de Recursos Humanos,da Prefeitura de Fortaleza, abriu seleção pública para 123 vagas imediatas e 970 de cadastro de reserva para as áreas de Serviço Social, Psicologia, Pedagogia, Direito e Terapia Ocupacional. O objetivo é atender as necessidades da Secretaria Municipal dos Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SDHDS).

As inscrições devem ser realizadas pelo site até o dia 8 de abril de 2018. A taxa de inscrição é no valor de R$ 105. A carga horária das vagas para Serviço Social, Terapia Ocupacional, Pedagogia e Psicologia será de 40 horas, com remuneração de R$ 2056,60. Os profissionais de Direito terão a carga horária de 20 horas, com salário de R$ 1767, 13.

O processo seletivo é dividido em uma prova objetiva de 40 questões, de caráter eliminatório e classificatório, e a análise de títulos e experiência profissional, de caráter classificatório. A primeira fase está prevista para o dia 22 de abril e a segunda, entre os dias 14 e 16 de maio. Todas as etapas acontecerão em Fortaleza.

SERVIÇO

*Confira o edital aqui.

 

Chacina do Benfica – Armas usadas nos ataques simultâneos foram as mesmas, diz perícia

As armas utilizadas para matar sete pessoas na Chacina do Benfica, num massacre que se estendeu e chegou à Vila Demétrios – durante intervalo de dois minutos – foram as mesmas.  a conclusão é da Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce), que divulgou laudo na tarde desta segunda-feira, 26. A chacina ocorreu no último dia 9 de março, na Praça da Gentilândia e no entorno da sede da Torcida Uniformizada do Fortaleza (TUF).

A partir do resultado, a Polícia confirma a tese de que os suspeitos participaram de ambas as ações. Outros dois envolvidos foram identificados. Os nomes, no entanto, não foram divulgados por conta do sigilo da investigação. Foram realizados exames no local do crime, no veículo utilizado e na arma apreendida com um dos suspeitos.

Os exames feitos no local da chacina identificaram estojos de calibre nove milímetros e confirmaram o uso de uma pistola de calibre .40. Foram examinados 24 projéteis, 18 deles retirados de corpos de duas vítimas. O laudo foi produzido pelo Núcleo de Balística Forense (Nubaf) da Coordenadora de Pericia Criminal (Copec) e do Laboratório de Identificação Papiloscópica (LIP), da Coordenadora de Identificação Humana.

(O POVO – Repórter Jéssika Sisnando)

Ciro elogia STF por ter dado a Lula habeas corpus preventivo

O pré-candidato à presidência pelo PDT, Ciro Gomes, elogiou nessa segunda-feira, 26, a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de impedir que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva receba uma ordem de prisão antes de encerrado o julgamento sobre o habeas corpus preventivo solicitado por sua defesa.
Para o ex-governador e ex-ministro, Lula se vale de sua presunção de inocência. Ciro Gomes criticou ainda a prisão a partir de segunda instância, que a seu ver é uma aberração do Direito no Brasil.

Os comentários de Ciro Gomes foram feitos à reportagem em Montpellier, no sul da França, onde participou de uma série de encontros, entre os quais uma conferência na Universidade de Montpellier.

“Acho que o STF andou em bom direito”, disse o pré-candidato, referindo-se à sessão de quinta-feira, 22. Falando como “professor de Direito”, como frisou, Ciro Gomes disse que a execução da pena ainda sub judice é uma coisa estranha do ponto de vista do Direito. “O que não é o caso da Lei da Ficha Limpa, que é uma aberração, mas não tem transgressão nenhuma.”

Para o pré-candidato, tornar automática a prisão em segunda instância foi um erro do STF, que agora causa a confusão político-jurídica. “O que está errado é a existência de quatro graus de jurisdição para um assunto trivial”, afirmou.

Ainda que tenha defendido o direito de Lula de requisitar o habeas corpus preventivo, Ciro Gomes disse que não defenderá o ex-presidente no caso de impugnação de sua candidatura em razão da Lei da Ficha Limpa. “Faria o que estivesse ao meu alcance. Mas não posso fazer nada”, afirmou.

Embora seja contrário ao mecanismo – mais uma vez alegando que a decisão final da Justiça no Brasil se dá ao final do processo nas quatro instâncias, e não apenas em duas -, Ciro Gomes alegou que a legislação foi aprovada pelo Congresso Nacional durante os governos do PT, e que tem servido de parâmetro para toda a classe política. “Quem relatou do projeto da Lei da Ficha Limpa foi o José Eduardo Cardozo (ex-ministro da Justiça)”, lembrou, referindo-se ao seu interlocutor em um seminário realizado em Barcelona no sábado.

(Agência Estado)

Justiça Federal nega recurso a Eduardo Cunha

A Oitava Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) negou hoje (26) embargo de declaração protocolado pela defesa do ex-deputado Eduardo Cunha, condenado por corrupção, lavagem de dinheiro e evasão de divisas. Cunha, que está preso preventivamente desde outubro de 2016 em Curitiba, ainda tem outro recurso pendente de julgamento na segunda instância, um embargo infringente.

Diferentemente do embargo de declaração, o infringente tem possibilidade de resultar na alteração do resultado de um julgamento, inclusive no sentido de absolvição do réu. Ainda não há data marcada para o julgamento do outro recurso de Cunha no TRF4.

Ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha foi condenado em março do ano passado pelo juiz Sergio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba, a 15 anos e quatro meses de prisão, por participação em um esquema de corrupção na compra de um campo de petróleo, em Benin, na África, pela Petrobras. Cunha teria recebido US$ 1,5 milhão em propina.

Em novembro do ano passado, a condenação foi confirmada pelo TRF4, que, no entanto, reduziu a pena de Cunha para 14 anos e seis meses de prisão.

(Agência Brasil/Foto – Estadão)

Assassinato de Marielle Franco é considerado alarmante por especialistas da ONU

Especialistas da Organização das Nações Unidas (ONU) ligados a questões de direitos humanos e de gênero divulgaram hoje (26) comunicado no qual consideram “profundamente alarmante” o assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL-RJ), no dia 14 de março, e do motorista Anderson Gomes. A vereadora foi atingida por quatro tiros na cabeça e o motorista por três tiros nas costas. Uma assessora que estava no carro sofreu ferimentos leves.

Os especialistas integram os Procedimentos Especiais do Conselho dos Direitos Humanos, o maior órgão de especialistas independentes no Sistema de Direitos Humanos da ONU, como são conhecidos os mecanismos independentes de monitoramento de direitos humanos do Conselho.

“O assassinato de Marielle é alarmante, já que ele tem o objetivo de intimidar todos aqueles que lutam por direitos humanos e pelo Estado de direito no Brasil”, apontaram no comunicado conjunto.

Os especialistas da ONU pedem investigação rápida e imparcial dos assassinatos, alertando que a execução de Marielle é um sintoma assustador dos atuais níveis de violência no país. “Marielle foi uma extraordinária defensora de direitos humanos. Ela defendeu os direitos dos negros, das populações LGBTI, das mulheres e dos jovens das favelas mais pobres do Rio. Marielle será lembrada como um símbolo de resistência para comunidades marginalizadas historicamente no Brasil”, diz o comunicado.

No comunicado eles lembram que Marielle criticou o uso da força militar no Rio de Janeiro e a intervenção federal na segurança pública do estado. Pedem ainda às autoridades brasileiras mais proteção de defensores de direitos humanos do país. “Pedimos às autoridades brasileiras que usem este momento trágico para revisar suas escolhas em promoção de segurança pública e, em particular, para intensificar substancialmente a proteção de defensores de direitos humanos no país”.

Os especialistas da ONU lembram que como vereadora, Marielle integrava a comissão que acompanha a intervenção no Rio de Janeiro e que poucos dias antes de sua morte denunciou o uso da força pela Polícia Militar na Favela de Acari, na zona norte da cidade.

Eles destacaram ainda que, neste fim de semana, oito pessoas morreram durante uma operação policial na Rocinha, na zona sul do Rio, e ressaltaram que a segurança pública nunca deve ser feita às custas de direitos humanos. “Respostas repressivas que miram e marginalizam pessoas pobres e negras são inaceitáveis e contraprodutivas”.

O comunicado é assinado pelas relatoras especial sobre Violência Contra Mulher, Suas Causas e Consequências, Dubravka Šimonovi ; especial sobre Execuções Extrajudiciais, Sumárias ou Arbitrárias, Agnes Callamard; especial sobre Formas Contemporâneas de Racismo, Discriminação Racial, Xenofobia e Intolerância, E. Tendayi Achiume; pelo presidente do Grupo de Trabalho dos Especialistas em Pessoas de Origem Africana, Michal Balcerzak; pelo especialista independente em Proteção contra Violência e Discriminação Baseada em Orientação Sexual e Identidade de Gênero, Victor Madrigal-Borloz; pela presidente do Grupo de Trabalho sobre Temas Relacionados à Discriminação, Legal ou Prática, Contra a Mulher, Alda Facio.

Segundo a ONU, os titulares de mandato dos Procedimentos Especiais “são especialistas independentes em direitos humanos nomeados pelo Conselho para abordar situações específicas de países ou questões temáticas em todas as partes do mundo. Os especialistas não são funcionários da ONU e são independentes de qualquer governo ou organização. Eles servem em sua capacidade individual e não recebem um salário por seu trabalho”.

(Agência Brasil)

Aumenta otimismo do empresário da construção civil, diz CNI

A construção civil espera o aumento da atividade, do emprego e das compras de insumos nos próximos seis meses, revelou a Sondagem da Indústria da Construção, divulgada hoje (26) pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). Em março, o Índice de Confiança dos Empresários da Construção subiu para 57 pontos, 4,1 pontos acima da média histórica de 52,9 pontos.

O indicador varia de 0 a 100 pontos, com índices acima de 50 pontos demonstrando otimismo. Em relação às condições atuais, a pesquisa ficou em 50,3 pontos em março, o que mostra otimismo pela primeira vez desde fevereiro de 2013. De acordo com a CNI, o número mostra que os negócios pararam de piorar na avaliação dos empresários.

O indicador de expectativa, que retrata o desempenho para os próximos seis meses, aumentou 0,7 ponto em relação a fevereiro e ficou em 60,5 pontos. Segundo a CNI, a retomada da economia e a queda dos juros estão melhorando as perspectivas dos empresários.

Além do aumento da confiança geral, os indicadores ficaram acima dos 50 pontos em mais quesitos: aumento no nível de atividade, contratação de novos empreendimentos e serviços, crescimento das compras de matérias-primas e insumo e número de empregados nos próximos seis meses. O índice de nível de atividade aumentou para 56,5 pontos; e o de intenção de contratar empregados, para 54 pontos.

O único indicador de confiança que apresentou queda, no entanto, foi o de intenção de investimentos, que caiu 1 ponto em relação a fevereiro e ficou em 31,1 pontos. Segundo a CNI, apesar da melhoria da economia, os empresários da construção continuam pouco dispostos a investir. A pesquisa ouviu 599 empresas entre 1° e 13 de março. Desse total, 203 são pequenas, 265 são médias e 131 são de grande porte.

Edição: Denise Griesinger

Humorista Bolachinha é uma das atrações do Cine Holliúdy 2

O humorista Bolachinha está todo prosa. Feliz com o sucesso obtido quando atuou no filme Cine Holliúdy, de Halder Gomes, já conta os dias para a estréia de mais uma aventura nessa película.

O Cine Holliúdy 2 deverá estrear em maio próximo, nos telões nacionais, no qual o artista virá de novo na pele de um vereador interiorano.

Enquanto a estreia não chega, Bolachinha gravará, nesta semana, participação no programa MultiTom, de Tom Cavalcante, na Multishow.

Em julho, avisou o humorista, é a vez de entrar na grade de programação da Rede Globo a minissérie Cine Holliúdy onde Bolachinha diz que fará o papel de ET.

(Foto – Paulo MOska)

Confiança da Construção avança 0,7 ponto de fevereiro para março

O Índice de Confiança da Construção (ICST), medido pela Fundação Getulio Vargas (FGV), avançou 0,7 ponto de fevereiro para março e chegou a 82,1 pontos . O primeiro trimestre deste ano fechou com altas de 2,9 pontos sobre o trimestre anterior e de 7,2 pontos sobre o primeiro trimestre de 2017.

A alta do indicador deveu-se tanto à melhora da situação corrente das empresas quanto às perspectivas de curto prazo do empresariado. O Índice da Situação Atual cresceu 0,9 ponto entre fevereiro e março deste ano, atingindo 71,4 pontos, o maior nível desde julho de 2015 (71,7 pontos).

O principal destaque do Índice da Situação Atual foi a melhora da percepção corrente sobre a carteira de contratos, que avançou 1,4 ponto, passando a 68,9 pontos.

Já o Índice de Expectativas subiu 0,5 ponto de fevereiro para março e atingiu 93,2 pontos. O componente que mais influenciou a alta do Índice de Expectativas foi a demanda para os três meses seguintes, que cresceu 1,4 ponto, para 92,1 pontos.

De acordo com a FGV, o resultado de março mostra que “a confiança empresarial retomou a trilha de recuperação observada desde junho do ano passado, fechando o trimestre com alta relevante, o que reforça as projeções de crescimento setorial. Por outro lado, os sinais positivos ainda estão restritos a poucas atividades, destacando-se principalmente o segmento de edificações”.

A alta da confiança registrada pelo segmento de edificações reflete exclusivamente a percepção mais favorável dos empresários do ramo residencial: nos primeiros três meses do ano, o ICST de edificações residencial foi o que mais contribuiu o aumento da confiança do setor.

(Agência Brasil)

Casablanca Turismo comemora 31 anos de mercado

A Casablanca Turismo, hoje a primeira agência no Norte e Nordeste no setor de venda de passagens para corporações, comemora 31 anos.

Nesta segunda-feira, tendo à frente o gerente Felipe Batista, a loja que opera no Aeroporto Internacional Pinto Martins festejou a data. Toda a equipe, por sinal eficiente, dividiu bolo, salgados e refrigerantes com clientes e amigos da imprensa.

Essa agência, sob comando de Henrique Sérgio Abreu e Cláudio Henrique, conta com filiais em São Paulo e Recife e abre boa perspectiva de crescer mais ainda neste 2018.

Parabéns ao pessoal legal da Casablanca no Aeroporto.

(Foto – Paulo MOska)

Caso Tríplex – TRF-4 nega recurso da defesa de Lula sobre condenação em segunda instância

O recurso apresentado pela defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva contra a decisão do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) no processo do triplex em Guarujá (SP) foi negado por unanimidade em julgamento realizado nesta segunda-feira (26) (veja no vídeo acima íntegra do julgamento). A informação é do Portal G1.

Em nota divulgada após o julgamento, a defesa do ex-presidente afirmou que “não houve o exaurimento da jurisdição do TRF-4” e que pretende apresentar novo recurso ao tribunal (veja íntegra da nota no final da reportagem).

A decisão foi tomada pelos mesmos desembargadores da 8ª turma, que julgaram a apelação de Lula em 24 de janeiro: João Pedro Gebran Neto, Leandro Paulsen e Victor Luiz dos Santos Laus. Na ocasião, eles mantiveram a condenação imposta pelo juiz da operação Lava Jato na primeira instância, Sérgio Moro, e ainda aumentaram a pena aplicada por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Por decisão do próprio TRF-4, Lula pode ser preso para começar a cumprir a pena quando acabarem os recursos no tribunal.

Porém, uma decisão provisória do Supremo Tribunal Federal (STF) impede a prisão do ex-presidente até que o plenário da Corte julgue um pedido de habeas corpus preventivo apresentado pela defesa de Lula. O julgamento está marcado para o dia 4 de abril.

Pouco antes da análise dos embargos, foi inserido no sistema do TRF-4, no processo contra Lula, um ofício do STF avisando do salvo-conduto para o ex-presidente. A defesa de Lula prometeu recorrer. Terá 12 dias, a partir da publicação do acórdão, para apresentar esse recurso, que seria julgado pela própria 8ª Turma do TRF-4.

Presidente da Abracom participa de fórum em Fortaleza

Vem aí o Future of Business, um fórum organizado pelo Grupo WS|MK, detentor das marcas WS Gestão e Inspira! Comunicação. Ocupará espaços no Gran Marquise Hotel, das 8 às 18 horas do próximo dia 7.

Para participar da discussão, o evento contará com a presença do presidente-executivo da Associação Brasileira das Agências de Comunicação (Abracom), Carlos Henrique Carvalho. Especialista em gestão de empresas de comunicação, ele abordará uma temática comumente esquecida: a proteção da marca de um empreendimento.

Carlos Carvalho dividirá sua fala com a gerente de marketing e comercial do Colégio Master, Roberta Facó, e uma das organizadoras do evento, Mônika Vieira, do Grupo WS|MK.

SERVIÇO

*As inscrições são limitadas e podem ser feitas através do site grupowsmk.com.br.

 

Qual será a crise do dia seguinte?

Com o título “Crise moral e ética”, eis artigo do advogado Irapuan Diniz de Aguiar. Ele aborda o cenário atual de crises e escândalos em todos os sentidos. Confira:

A exacerbação da violência e do crime e do medo deles resultante tem infernizado a vida de uma população indefesa e insegura. Quando não são os assaltos, os sequestros, os estupros, os latrocínios, os delitos no trânsito e outras manifestações criminosas, são os desfalques, os rombos, os estelionatos, as fraudes, os desvios de recursos públicos e outras formas de corrupção. Estamos mergulhados numa sucessão de crises e escândalos, todos chocantes e surpreendentes, diante de um governo que há se mostrado incompetente para fazer frente a esta catástrofe moral e ética infelizmente disseminada em todas as áreas. Como consequência da impunidade reinante, o questionamento que se ouve é sobre qual será a crise do dia seguinte ou o escândalo mais novo.

Nesse emaranhado de delitos de toda espécie, há um fato novo que merece registro. São os personagens neles envolvidos. Não são mais, apenas, os rudes e os miseráveis os seus autores. Têm-se, agora, a presença dos “engravatados”, intelectuais do crime, homens que envergam a bata e a batina, a toga e a farda, o diploma e o mandato. Aparecem nos noticiários como se nada tivessem feito. Queixam-se do incômodo da imprensa e ditam suas eventuais penas ou a maneira como desejam enfrentar a Justiça, depois de se verem flagrados com todas as provas dos cometimentos delituosos. São arrogantes e presunçosos porque estão ciosos da impunidade.

De par com essa violência mais visível, porquanto amplamente divulgada nas mídias outra também vem sendo praticada como decorrência da impunidade, que é o contorcionismo político na produção ou interpretação das leis por parte dos legisladores e governantes. Neste aspecto, tais posturas assumem conotações graves pela pedagogia danosa oferecida aos governados. Isto não pode continuar. Está na hora de se organizar um mutirão nacional pela legalidade, pela moralidade e pela ética; de um saneamento geral, que somente a união de todos será capaz de empreender com a eficiência que o mal está a exigir no seu combate. A dor extrema é sinal de que a cirurgia é inadiável para promover a cura desta enfermidade que aflige a sociedade.

*Irapuan Diniz Aguiar,

Advogado.

Semana Santa – Apesar da onda de violência, há otimismo no setor turístico

A Associação Brasileira da Indústria de Hotéis, regional do Ceará, estima para esta Semana Santa uma taxa de  ocupação em Fortaleza na casa dos 56%. O percentual vai superar assim a taxa de igual período de 2017, que foi de 55%. A entidade estima ainda que cerca de 60 mil turistas deverão desembarcar no Ceará e proporcionar um ganho econômico da ordem de R$ 150 milhões.

O secretário do Turismo de Fortaleza, Alexandre Pereira, segue essa mesma linha otimista, não acreditando em mudança por conta da onda de violência registrada nos últimos dias principalmente na Capital. As reservas foram asseguradas ao longo deste começo de ano

“Nós estimamos que desse total de 60 mil turistas que vêm para o Estado, mais da metade permanecerá em Fortaleza”, acentua Pereira.