Blog do Eliomar

Categorias para Brasil

Roberto Jefferson lança CD romântico

“Em seu perfil no Twitter, ele se define como “advogado, presidente do PTB, cantor amador e motociclista”. Aos 57 anos, Roberto Jefferson lança seu primeiro CD com músicas românticas, intitulado “On the Road” (“Na Estrada”, em português). No repertório, estão músicas como “Fly me to the Moon” e “Let me Try Again”, sucessos na voz do já falecido Frank Sinatra.

Jefferson já foi um dos apresentadores do extinto programa O Povo na TV, do SBT. Deputado federal por seis mandatos (1983-2005), ficou famoso em 1990, quando integrava a ‘tropa de choque’ de Fernando Collor, durante o processo de impeachment. Voltou aos holofotes em 2005, quando a revista Veja divulgou seu suposto envolvimento em um escândalo de corrupção nos Correios. Avistando uma possível instauração de CPI, Jefferson denunciou o esquema do mensalão, que se baseava na compra de deputados federais da base aliada ao governo federal. No mesmo ano, teve seu mandato cassado.

Abaixo, um vídeo de Jefferson cantando no programa de Jô Soares, em 2005, quando o ex-deputado colhia destaque na mídia nacional por suas denúncias do mensalão. A canção escolhida, foi segundo o próprio Jefferson, uma analogia a situação vivida na época: “Nervos de Aço”, de Lupicínio Rodrigues.

(Com Blog da Folha)

Aécio protege Itamar para chegar mais forte ao Senado

118 1

“Com Antonio Anastasia à frente na disputa pelo governo de Minas, o ex-governador Aécio Neves (PSDB) tenta agora evitar que Itamar Franco (PPS) perca o segundo lugar na disputa ao Senado para o PT. O espaço de TV do ex-presidente foi ampliado.

Tanto Anastasia quanto Itamar são parte da estratégia de fazer com que Aécio chegue mais fortalecido ao Senado. Ele é o principal cabo eleitoral dos dois candidatos e por isso a vitória deles estará incorporada à de Aécio.

Itamar é ainda parte do projeto aecista de trabalhar por um Senado mais independente do Executivo, seja quem for o presidente eleito. Se for Dilma Rousseff (PT), Aécio também se destacará na oposição ao governo.”

(Folha Online)

PT entra com ação para derrubar exigência de dois documentos na hora de votar

159 2

“O PT entrou com ação nesta sexta-feira no Supremo Tribunal Federa (STF) questionando a validade do dispositivo legal que obriga a apresentação do título de eleitor e de um documento de identidade com foto na hora de votar. A exigência foi aprovada pelo Congresso Nacional no ano passado.

Os advogados do PT pedem, em caráter de urgência, que o STF derrube a necessidade de apresentação de dois documentos na hora de votar. O objetivo é permitir que o eleitor identificado por documento oficial com foto fique desobrigado de apresentar o título.

“Sem sombra de dúvida, a norma que buscava conferir a segurança no momento da identificação do eleitor, mediante a consulta a um documento oficial com foto, transmudou-se em burocracia desnecessária no momento de votação”, diz a ação.

Citando brechas jurídicas que poderiam suscitar a inconstitucionalidade da lei, a ação argumenta que não se deve impor ao cidadão a responsabilidade de fazer dupla prova da sua condição civil e eleitoral. “Seria um exagero de consequências negativas, sobretudo para a expressão da soberania das pessoas mais simples de nosso país”.

(Site Última Instância)

VAMOS NÓS – Por que o PT quer barrar exigência comemorada pela cidadania, até porque reforça a segurança e a identificação do eleitor? Será que ainda há muito brasileiro sem a documentação? Ora, se o Bolsa Família exige tanta documentação, por que a preocupação? Sinceramente, não entendi.

Cirurgiões cardiovasculares querem reajuste da tabela de procedimentos do SUS

137 1

“A Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular espera estabelecer logo um acordo com o Ministério da Saúde sobre o reajuste do percentual dos procedimentos feitos pela categoria por intermédio do Sistema Único de Saúde (SUS). Segundo o presidente da entidade, Gilberto Venossi, pela primeira vez, as negociações “foram conduzidas de maneira profissional”. Enquanto esperam pela conclusão das tratativas, cirurgiões de alguns estados estão mobilizados para pressionar as autoridades a aumentar o valor da tabela do SUS pelos seus serviços. No Rio de Janeiro, por exemplo, eles querem que o governo estadual atenda à reivindicação.

O presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular, está otimista em relação ao desfecho da negociação. “Não vamos nos desgastar. Está faltando pouco. Ambas as partes [ministério e cirurgiões] fizeram muitos esforços. Queremos atender o povo com melhor qualidade. Não queremos mais listas de espera”, disse Venossi. Durante esta semana, três pessoas com cardiopatia morreram em Goiânia enquanto aguardavam cirurgias. A entidade lamentou as mortes ocorridas na capital de Goiás,

No Rio de Janeiro, os cirurgiões cardiovasculares intensificaram o movimento para pressionar o governo a atender a reivindicação. Eles anunciaram que vão suspender as operações a partir de 28 de outubro, caso a tabela do SUS não seja revisada. A categoria quer, por exemplo, que o valor do implante de uma ponte de safena passe de R$ 940 para R$ 6,5 mil. Hoje, informam, os planos de saúde pagam entre R$ 13,6 mil e R$ 18 mil pelo procedimento.

Durante inauguração de uma Clínica da Família, na zona oeste do Rio, o secretário estadual de Saúde, Sérgio Côrtes, enfatizou que a negociação está sendo conduzida pelo Ministério da Saúde, onde um grupo de trabalho está estudando a revisão da tabela.

Côrtes afirmou que, no momento, não há possibilidade de a secretaria complementar a quantia, como prevê o SUS. “Temos que pensar em todo o investimento na área de saúde. Não podemos pensar especificamente em uma especialidade. Temos que ver investimentos na área de neurocirurgia, de ortopedia e, principalmente, na prevenção dessas doenças.”

No entanto, o presidente da Cooperativa Fluminense, Ronald Peixoto, quer retomar a negociação com o estado. Segundo ele, sem a retomada das tratativas, a categoria “não vai continuar pagando para trabalhar”. “Não somos empregados do estado e nem de lugar nenhum. Somos profissionais liberais e não vamos atender mais. Demos 90 dias para alguém vir conversar conosco e a situação ainda não foi resolvida.”

A situação no Rio é semelhante à de outros estados. Em São Paulo, os médicos começam a se organizar em uma cooperativa para pressionar o governo e os planos a pagar melhor pelos procedimentos cirúrgicos cardiovasculares. Na Bahia, o Ministério Público Federal está intermediando as negociações.

Na avaliação da Cooperativa Fluminense, a situação pode ser resolvida com um acordo nos moldes do que foi fechado no Espírito Santo. Lá, os cirurgiões cardiovasculares conseguiram fazer com que o valor do procedimento passasse para R$ 6,5 mil. Além disso, houve aumento de repasses para as equipes médicas e para os hospitais que fazem as cirurgias. “Queremos alguma coisa parecida”, disse Peixoto.”

(Agência Brasil)

Poeta cearense dá consultoria sobre cordel para Rede Brasil

268 1

Temg ente desse trio dando consultoria à Rede Brasil no que diz respeito  literatura de cordel. É o jornalista e poeta Arievaldo Viana que, nessa foto, está entre o irmão e poeta Klévysson Viana e o também poeta Rouxinol.

Arievaldo vem colaborando para programas especiais que serão veiculados no programa Salto para o Futuro, com veiculação nacional.

Lula ameniza críticas à imprensa durante comício no Rio Grande do Sul

“O presidente Luiz Inácio Lula da Silva amenizou as críticas à imprensa durante discurso realizado na noite desta sexta-feira, em Porto Alegre (RS). Lula afirmou que “a democracia é isso: cada um fala o que quer, escreve o que quer e publica o que quer. A imprensa é muito importante para nós”.

Entretanto, o presidente voltou a alfinetar a oposição: “Não adianta os adversários quererem mostrar o passado da Dilma, o meu, o do Tarso. Nós não temos medo de mostrar o nosso passado”.

Para uma plateia de cerca de 35 mil pessoas, Lula disse que “tinha a necessidade de recuperar a cidadania deste País. Nós tínhamos a cabeça muito colonizada, só prestava o que saía no New York Times, no Le Monde – jornais americano e francês, respectivamente. “É importante avaliar o meu governo por décadas e não por números, mas por quebras de paradigmas”, acrescentou.

A candidata petista à Presidência, Dilma Rousseff, alertou que “ao ódio, nós, vamos responder com esperança. Somos democratas porque acreditamos no povo e na liberdade de expressão”.

A ex-ministra declarou que “nunca um governo fez tanto pelo Rio Grande do Sul como o governo Lula”.

(Estadão.com)

Ibope – Dilma tem 50%; Serra, 28% e Marina, 12%

167 1

Dilma, ao lado de Cid e Eunício em passagem por Fortaleza.

“Pesquisa Ibope divulgada nesta sexta-feira mostra que a candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, lidera com 50% das intenções de voto, enquanto José Serra (PSDB) está com 28% e Marina Silva (PV), 12%. No levantamento anterior, feito entre os dias 14 e 16 de setembro, a petista estava com 51% das intenções, o tucano com 25% e a verde com 11%. A pesquisa, feita do dia 21 a 23, Dilma teria 55% dos votos válidos, Serra, 31%, e Marina, 13%. Os outros candidatos –José Maria Eymael (PSDC), Ivan Pinheiro (PCB), Levy Fidelix (PRTB), Plínio de Arruda Sampaio (PSOL) e Rui Costa Pimenta (PCO) — não pontuaram.

Em um eventual segundo turno, Dilma alcançaria 54% dos votos contra 32% de Serra. Nesse cenário, 7% se declararam indecisos e 7% afirmaram que pretendem votar em branco ou nulo. Para 80% dos entrevistados, o governo Lula está sendo bom ou ótimo, enquanto 15% avaliam seu governo como regular e 4% como ruim ou péssimo. Foram ouvidos 3010 leitores em 202 municípios. A margem de erro é de 2 pontos porcentuais para mais ou para menos. A pesquisa encomendada pela TV Globo e jornal “O Estado de S. Paulo” está registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) com o número 31.689/2010.”

(Folha.com)

Teólogo Leonardo Boff, Lula e a grande imprensa

301 7

Eis artigo do téologo Leonardo Boff sobre a polêmica envolvendo Lula e a grande imprensa nestes tempos de campanha eleitoral. Confira:

Sou profundamente pela liberdade de expressão em nome da qual fui punido com o “silêncio obsequioso” pelas autoridades do Vaticano. Sob risco de ser preso e torturado, ajudei a editora Vozes a publicar corajosamente o “Brasil Nunca Mais” onde se denunciavam as torturas, usando exclusivamente fontes militares, o que acelerou a queda do regime autoritário.

Esta história de vida, me avaliza fazer as críticas que ora faço ao atual enfrentamento entre o Presidente Lula e a midia comercial que reclama ser tolhida em sua liberdade. O que está ocorrendo já não é um enfrentamento de idéias e de interpretações e o uso legítimo da liberdade da imprensa.

Está havendo um abuso da liberdade de imprensa que, na previsão de uma derrota eleitoral, decidiu mover uma guerra acirrada contra o Presidente Lula e a candidata Dilma Rousseff. Nessa guerra vale tudo: o factóide, a ocultação de fatos, a distorção e a mentira direta.

Precisamos dar o nome a esta mídia comercial. São famílias que, quando vêem seus interesses comerciais e ideológicos contrariados, se comportam como “famiglia” mafiosa. São donos privados que pretendem falar para todo Brasil e manter sob tutela a assim chamada opinião pública.

São os donos do Estado de São Paulo, da Folha de São Paulo, de O Globo, da revista Veja, em que se instalou a razão cínica e o que há de mais falso e chulo da imprensa brasileira. Estes estão a serviço de um bloco histórico, assentado sobre o capital que sempre explorou o povo e que não aceita um Presidente que vem deste povo. Mais que informar e fornecer material para a discussão pública, pois essa é a missão da imprensa, esta mídia empresarial se comporta como um feroz partido de oposição.

Na sua fúria, quais desesperados e inapelavelmente derrotados, seus donos, editorialistas e analistas não têm o mínimo respeito devido à mais alta autoridade do país, ao Presidente Lula. Nele vêem apenas um peão a ser tratado com o chicote da palavra que humilha.

Mas há um fato que eles não conseguem digerir em seu estômago elitista. Custa-lhes aceitar que um operário, nordestino, sobrevivente da grande tribulação dos filhos da pobreza, chegasse a ser Presidente. Este lugar, a Presidência, assim pensam, cabe a eles, os ilustrados, os articulados com o mundo, embora não consigam se livrar do complexo de vira-latas, pois se sentem meramente menores e associados ao grande jogo mundial. Para eles, o lugar do peão é na fábrica produzindo.

Como o mostrou o grande historiador José Honório Rodrigues (Conciliação e Reforma) “a maioria dominante, conservadora ou liberal, foi sempre alienada, antiprogresssita, antinacional e não contemporânea. A liderança nunca se reconciliou com o povo. Nunca viu nele uma criatura de Deus, nunca o reconheceu, pois gostaria que ele fosse o que não é. Nunca viu suas virtudes nem admirou seus serviços ao país, chamou-o de tudo, Jeca Tatu, negou seus direitos, arrasou sua vida e logo que o viu crescer ela lhe negou, pouco a pouco, sua aprovação, conspirou para colocá-lo de novo na periferia, no lugar que contiua achando que lhe pertence (p.16)”.

Pois esse é o sentido da guerra que movem contra Lula. É uma guerra contra os pobres que estão se libertando. Eles não temem o pobre submisso. Eles têm pavor do pobre que pensa, que fala, que progride e que faz uma trajetória ascendente como Lula.

Trata-se, como se depreende, de uma questão de classe. Os de baixo devem ficar em baixo. Ocorre que alguém de baixo chegou lá em cima. Tornou-se o Presidene de todos os brasileiros. Isso para eles é simplesmente intolerável.

Os donos e seus aliados ideológicos perderam o pulso da história. Não se deram conta de que o Brasil mudou. Surgiram redes de movimentos sociais organizados de onde vem Lula e tantas outras lideranças. Não há mais lugar para coroneis e de “fazedores de cabeça” do povo.

Quando Lula afirmou que “a opinião pública somos nós”, frase tão distorcida por essa midia raivosa, quis enfatizar que o povo organizado e consciente arrebatou a pretensão da midia comercial de ser a formadora e a porta-voz exclusiva da opinião pública. Ela tem que renunciar à ditadura da palavra escrita, falada e televisionada e disputar com outras fontes de informação e de opinião.

O povo cansado de ser governado pelas classes dominantes resolveu votar em si mesmo. Votou em Lula como o seu representante. Uma vez no Governo, operou uma revolução conceitual, inaceitável para elas. O Estado não se fez inimigo do povo, mas o indutor de mudanças profundas que beneficiaram mais de 30 milhões de brasileiros.

De miseráveis se fizeram pobres laboriosos, de pobres laboriosos se fizeram classe média baixa e de classe média baixa se fizeram classe média. Começaram a comer, a ter luz em casa, a poder mandar seus filhos para a escola, a ganhar mais salário, a melhorar de vida, enfim.

Outro conceito inovador foi o desenvolvimento com inclusão social e distribuição de renda. Antes havia apenas desenvolvimento/crescimento que beneficiava aos já beneficiados à custa das massas destituidas e com salários de fome.

Agora ocorreu visível mobilização de classes, gerando satisfação das grandes maiorias e a esperança que tudo ainda pode ficar melhor. Concedemos que no Governo atual há um déficit de consciência e de práticas ecológicas. Mas importa reconhecer que Lula foi fiel à sua promessa de fazer amplas políticas públicas na direção dos mais marginalizados.

O que a grande maioria almeja é manter a continuidade deste processo de melhora e de mudança. Ora, esta continuidade é perigosa para a mídia comercial que assiste, assustada, o fortalecimento da soberania popular que se torna crítica, não mais manipulável e com vontade de ser ator dessa nova história democrática do Brasil.

Vai ser uma democracia cada vez mais participativa e não apenas delegatícia. Esta abria amplo espaço à corrupção das elites e dava preponderância aos interesses das classes opulentas e ao seu braço ideológico que é a mídia comercial. A democracia participativa escuta os movimentos sociais, faz do Movimento dos Sem Terra (MST), odiado especialmente pela Veja faz questão de não ver, protagonista de mudanças sociais, não somente com referência à terra, mas também ao modelo econômico e às formas cooperativas de produção.

O que está em jogo neste enfrentamento entre a midia comercial e Lula/Dilma é a questão: que Brasil queremos? Aquele injusto, neocoloncial, neoglobalizado e no fundo, retrógrado e velhista? Ou o Brasil novo com sujeitos históricos novos, antes sempre mantidos à margem e agora despontando com energias novas para construir um Brasil que ainda nunca tínhamos visto antes?

Esse Brasil é combatido na pessoa do Presidente Lula e da candidata Dilma. Mas estes representam o que deve ser. E o que deve ser tem força. Irão triunfar a despeito das má vontade deste setor endurecido da midia comercial e empresarial. A vitória de Dilma dará solidez a este caminho novo ansiado e construido com suor e sangue por tantas gerações de brasileiros.

* Teólogo, filósofo, escritor e representante da Iniciativa Internacional da Carta da Terra.

CNI – Produção industrial cresce em quase todos os setores

“O aumento da produção industrial, em agosto, foi mais disseminado que nos meses anteriores e atingiu quase todos os setores da indústria de transformação, de acordo com a pesquisa Sondagem Industrial, divulgada hoje (24) pela Confederação Nacional da Indústria (CNI).

O levantamento, realizado com 1.603 empresas e concluído no último dia 21, mostra que dos 26 segmentos pesquisados, só a indústria de borracha registrou queda em relação a julho, mês em que nove setores apresentaram declínio (na comparação com junho).

Segundo a Sondagem Industrial, a produção cresceu de 53,4 pontos, em julho, para 55,1 pontos no mês passado, e isso elevou a utilização da capacidade instalada (UCI) para 51 pontos, ligeiramente acima da UCI média para o mês analisado. Esse indicador é medido de zero a 100 e os valores acima de 50 indicam expectativa positiva.

De acordo com a pesquisa, o nível de estoque ficou em 51,4 pontos, acima do planejamento das empresas, com destaque para os estoques maiores nas médias e grandes empresas, no total de 52,3 pontos. As reservas de produção nas pequenas empresas ficaram em 49 pontos.

O economista Renato Fonseca, da CNI, disse que a expectativa do empresariado para os próximos seis meses continua otimista, na marca de 61,5 pontos, um pouco acima da média histórica de 59,9 pontos. Ele explicou ainda que as perspectivas de elevação nas vendas puxaram as expectativas de compra de matéria-prima, cujo indicador marcou 59,1 pontos.

Já as perspectivas sobre as exportações são positivas por parte das grandes empresas, que registraram 54,1 pontos. O indicador foi menor entre as médias (49 pontos) e as pequenas (49,7).

“(Agência Brasil)

Onda Verde – Simon apoia Marina

“O senador Pedro Simon (PMDB-RS), cujo partido apoia a presidenciável Dilma Rousseff (PT), declara, nesta sexta-feira, apoio à candidata do PV ao Planalto, senadora Marina Silva. Os dois farão pronunciamento conjunto nesta tarde, em Porto Alegre, informou o comitê de Marina.

No último dia 7, Simon disse ao jornal “Zero Hora” que a eleição de Dilma era “o melhor para todos”. Durante a campanha, Marina citou Simon diversas vezes ao falar da ideia de uma constituinte para a reforma política.”

(Com Agências)

HapVida ganha mercado em Pernambuco

135 1

Uma empresa cearense se fortalece no cenário regional. Trata-se do Hapvida Saúde, que acaba de comprar a terceira operadora de saúde em Pernambuco. Com a Santa Clara, MMS e, agora, Santa Helena, contabiliza 170 mil usuários e se torna a maior operadora daquele estado.

Em Pernambuco, a cearense Hapvida disputa o mercado com as gigantes do setor como a carioca Amil, a maior do país. Para tanto, montou uma estrutura de atendimento com seis hospitais, 16 clínicas, quatro unidades de Pronto Atendimento e um laboratório com 10 postos de coleta.

Debate da TV Globo pode ser decisivo, avaliam petistas e tucanos

“Petistas e tucanos avaliam que o debate da TV Globo, agendado para a próxima quinta-feira, terá papel decisivo para determinar se a eleição presidencial terá ou não segundo turno. Depois de quase dar como perdida a eleição, o PSDB avalia que basta Dilma Rousseff (PT) perder mais dois pontos nas pesquisas para que o debate ganhe caráter de definição da eleição. Entre tucanos, a maior preocupação não está no conteúdo, mas na forma. Serra treinará para ser mais objetivo, concluindo suas respostas dentro do tempo fixado pela emissora.

O comando da campanha de Dilma, do seu lado, vai lançar uma ofensiva na próxima semana para tentar recuperar os pontos perdidos nos últimos dias e chegar ao debate numa situação confortável, evitando pressões sobre a candidata. Dilma recuou dois pontos na última pesquisa Datafolha, enquanto Marina avançou dois e Serra, um. Com isso, a diferença dela para os adversários caiu de 12 para 7 pontos. Nesse cenário, ela venceria no primeiro turno.

A campanha da petista espera evitar esse cenário com os últimos programas eleitorais, buscando passar a mensagem de que Dilma é a candidata que une o Brasil, com depoimentos de pessoas de todas as classes sociais. Além disso, será reforçada a comparação entre os governos Lula e FHC, indagando ao eleitor se ele prefere a volta ao “passado” ou a continuidade da gestão petista. Novas gravações também foram feitas com Lula, para reforçar a ligação entre eles.

O marqueteiro João Santana quer transmitir otimismo na reta final da TV, evitando cair em provocações. As inserções curtas podem ser usadas, no entanto, para rebater eventuais ataques. Outro cuidado será nas declarações da candidata. A campanha decidiu adotar a tática “paz e amor” usada na campanha de Lula em 2002. Além de diminuir as críticas da candidata à imprensa e à oposição, o desejo é que o próprio Lula modere o tom. Desde sábado, quando o presidente abriu fogo ao dizer que órgãos da imprensa “se comportam como partidos políticos”, houve uma escalada nas críticas à mídia.”

(Folha.com)

O garoto-propaganda do "Velhinho Maluquinho"

Esse aí é o padre Haroldo Coelho que, no passado, disputou o Governo do Ceará pelo PT. Hoje ele é revoltado com esse partido, alegando ter traído sua história e enveredado pelos mesmos caminhos dos partidos tradicionais. Ele vota em Plínio de Arruda Sampaio para presidente.

Ou seja, não se intimida de virar “Garoto-propaganda” do “Velhinho maluquinho”, como alguns maldosos chamam o candidato do PSOL.

IAB lança em Fortaleza

O Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB), regional do Ceará, vai lançar neste sábado, a partir das 9 horas, no salão de eventos do Restaurante Spettus, o Manual para a Implantação da Assistência Técnica Pública e Gratuita a Famílias de Baixa Renda para Projeto e Construção de Habitação de Interesse Social. A publicação é baseada na Lei Federal nº 11.888, de 2008, que assegura a famílias de baixa renda o acesso a serviços de arquitetura e de engenharia para a construção, reforma e ampliação de suas moradias.

O lançamento da publicação conta com a presença do presidente nacional do IAB, Gilson Paranhos, porque faz parte da programação do “Presença IAB”, projeto da direção nacional da entidade que consiste em visitar os Estados brasileiros e realizar debates com os arquitetos e com a sociedade sobre temáticas de interesse comum.

MANUAL

O Manual propõe uma forma de implantação da Assistência Técnica a partir da iniciativa e da atuação dos departamentos estaduais do IAB e de outras entidades representativas dos profissionais. O acesso das famílias à assistência técnica ocorrerá por meio de cadastro realizado pelos municípios, sendo os projetos elaborados por arquitetos cadastrados junto ao IAB e remunerados por meio de convênio com a Caixa Econômica Federal.

Ficha Limpa – Marina e Plínio lamentam que STF tenham ficado no muro

“Os candidatos à Presidência da República Marina Silva (PV) e Plínio de Arruda Sampaio (P-SOL) não pouparam críticas aos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) por manterem indefinida a validade das sanções da Lei da Ficha Limpa. Após onze horas de debates e a votação sobre a validade da lei já nas eleições deste ano, a sessão do STF foi suspensa por prazo indefinido na madrugada desta sexta-feira, 24, com o empate de cinco votos a favor dessa tese e cinco contra.

“Eu lamento que esse esforço da sociedade civil agora esteja sofrendo esse revés porque acompanhei toda a mobilização feita pela sociedade no sentido de dar um passo na direção da reforma política”, disse Marina. Ela acrescentou que a atitude dos ministros “não favorece a democracia e o aperfeiçoamento do sistema político que já está tão desgastado”.

A candidata acrescentou que a indefinição causa um prejuízo para a democracia e o aperfeiçoamento das instituições, no caso o Executivo e o Congresso, uma vez que permitirá a eleição de candidatos condenados pela Justiça em primeira instância. Plínio de Arruda Sampaio, por sua vez, afirmou que a intenção do STF foi protelar a decisão. “É isso que tenho protestado. Não é possível, temos que fazer um protesto. A população tem que partir para determinar a sua vontade”, disse o candidato do P-SOL.

Para o socialista, o sexto voto deve ser cobrado pela sociedade já a partir de amanhã. Plínio de Arruda Sampaio considerou que o STF é uma estrutura viciada, uma vez que os ministros são indicados pelo presidente da República. “Eu fiz um esforço enorme [na Assembléia Nacional Constituinte de 1988] para que não fosse isso, porque fui relator do Poder Judiciário. Fiz um esforço para que esse tribunal fosse exclusivamente para tratar de assunto constitucional”.

Já o candidato do PSDB, José Serra, evitou tratar do assunto. Ao ser perguntado sobre a decisão dos ministros, Serra justificou que não estava ainda inteirado da decisão e, por isso, não comentaria. “Eu não estou nem sabendo o que aconteceu, a minha mulher [Verônica, que acompanhou o debate] estava me dizendo que a contagem era outra”. disse o tucano.

Dilma Rousseff, candidata pela coligação encabeçada pelo PT, deixou o campus da Universidade Católica de Brasília logo após o debate sem dar entrevista.”

 
(Agência Brasil)