Blog do Eliomar

Categorias para Brasil

Inflação para famílias de renda baixa sobe para 0,53%

O Índice de Preços ao Consumidor-Classe 1 (IPC-C1), que mede a variação da cesta de compras para famílias com renda até 2,5 salários mínimos, registrou inflação de 0,53% em outubro. A taxa é superior ao 0,2% de setembro, de acordo com dados divulgados hoje (6),no Rio de Janeiro, pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Com o resultado, o indicador acumula inflação de 4,09% no ano e de 4,28% nos últimos 12 meses.

O IPC-C1 de outubro também foi superior ao Índice de Preços ao Consumidor-Brasil (IPC-BR), que mede a inflação para todas as faixas de renda e que ficou em 0,48% no mês. O acumulado pelo IPC-BR nos últimos 12 meses ficou acima do IPC-C1 (4,8%).

De setembro para outubro, seis das oito classes de despesa componentes do índice apresentaram acréscimo em suas taxas de variação: alimentação ( passou de 0,1% para 1,17%), transportes (de 0,35% para 0,71%), saúde e cuidados pessoais (de 0,17% para 0,38%), vestuário (de 0,62% para 0,73%), educação, leitura e recreação (de 0,23% para 0,37%) e comunicação (de 0,08% para 0,12%).

Por outro lado, tiveram queda os grupos habitação (de 0,22% para -0,11%) e despesas diversas (de 0,04% para -0,03%).

(Agência Brasil)

O Futuro da Aposentadoria

Com o título “O Futuro da Aposentadoria”, eis artigo de Beatriz Cavalcante, jornalista do O POVO. Ela aborda assunto prioridade para os cidadãos e recomenda: “para quem vai entrar no mercado de trabalho, e tiver condições, uma das opções para garantir uma renda de qualidade no futuro seria partir para os investimentos e se livrar da dependência do Governo.” Confira:

O futuro do sistema previdenciário do País parece não ter mais volta. O modelo de capitalização, em que o trabalhador paga a própria aposentadoria está no debate, com força. Hoje, quem trabalha paga o benefício de quem já se aposentou. Mas esse modelo de repartição está ficando insustentável e tem causado déficits altíssimos.

O rombo da Previdência já atingiu R$ 155,1 bilhões apenas entre janeiro e setembro deste ano, o que representou um crescimento real, sem considerar a inflação, de 5,9% ante igual período do ano passado. O principal motivo é exatamente o custo das aposentadorias, que deve aumentar, pois a população brasileira está envelhecendo e vivendo mais. Isso afeta as contas públicas, que chegam a registrar déficit primário de R$ 22,9 bilhões em apenas um mês.

Diante dessas perspectivas, o cenário demanda mudanças. Mas o contribuinte deve estar preparado para o que vem com a reforma previdenciária do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL). Pelo menos do pouco que já se sabe, pois ainda não houve detalhes, por exemplo, de como será realizada a transição do sistema atual para o novo em termos de tempo de contribuição e idade mínima.

Na capitalização, a lógica é que o déficit previdenciário seja zerado, ao mesmo tempo em que o valor pago pelo próprio trabalhador resulte em uma aposentadoria mais baixa. Uma solução seria a criação de um fundo do Governo para melhorar o benefício. Isso aconteceu no Chile, na década de 1980, que implantou o modelo, mas o dinheiro para o aposentado ficava abaixo do salário mínimo e o fundo teve de ser criado.

E para quem não tem condições de contribuir muito para sua própria aposentadoria? Aos mais pobres, é essencial a presença do Estado, que financiaria um valor mínimo, a ser estudado, para que essa parte da população não seja prejudicada. É o que acontece, geralmente, com quem tem emprego no âmbito rural, ou quem trabalha na informalidade. Assim, os dois sistemas seriam adotados, sendo aplicado um ou outro de acordo com a faixa salarial.

Por isso, para quem vai entrar no mercado de trabalho, e tiver condições, uma das opções para garantir uma renda de qualidade no futuro seria partir para os investimentos e se livrar da dependência do Governo.

*Beatriz Cavalcante

beatrizcavalcante@opovo.com.br

Jornalista do O POVO

Ministério do Trabalho divulga nota pelos seus 80 anos de existência

O Ministério do Trabalho comemora 88 anos de existência neste mês. O órgão já se antecipou à festa e divulgou a seguinte nota:

Nota Pública

O Ministério do Trabalho, criado com o espírito revolucionário de harmonizar as relações entre capital e trabalho em favor do progresso do Brasil, completa 88 anos de existência no próximo dia 26 de novembro e se mantém desde sempre como a casa materna dos maiores anseios da classe trabalhadora e do empresariado moderno, que, unidos, buscam o melhor para todos os brasileiros.

O futuro do trabalho e suas múltiplas e complexas relações precisam de um ambiente institucional adequado para a sua compatibilização produtiva, e o Ministério do Trabalho, que recebeu profundas melhorias nos últimos meses, é seguramente capaz de coordenar as forças produtivas no melhor caminho a ser trilhado pela Nação Brasileira, na efetivação do comando constitucional de buscar o pleno emprego e a melhoria da qualidade de vida dos brasileiros.

*Ministério do Trabalho.

Banco Central avisa: diminuíram as incertezas para a economia

Após as eleições, o Banco Central destacou que diminuíram as incertezas para a economia brasileira, com redução de preços de ativos, como o dólar. A afirmação consta na ata da última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC), divulgada hoje (6), em Brasília. Na última semana, o comitê decidiu manter a taxa básica de juros, a Selic, em 6,5% ao ano.

“Essa diminuição de incertezas contribuiu para redução do grau de assimetria no balanço de riscos para a inflação. Não obstante essa melhora, os membros do Copom concluíram que os riscos altistas para a inflação seguem com maior peso em seu balanço de riscos”, diz a ata.

No “balanço de riscos”, o Copom considera que o nível de ociosidade elevado da economia pode reduzir a inflação. Por outro lado, “uma frustração das expectativas sobre a continuidade das reformas e ajustes necessários na economia brasileira” pode elevar a inflação. “Esse risco se intensifica no caso de deterioração do cenário externo para economias emergentes [como o Brasil]”, acrescentou.

Conjuntura

Na ata, o Copom avaliou ainda que a conjuntura recomenda flexibilidade para a condução da política monetária (definição da taxa Selic). Por isso, optou por não sinalizar qual será seu próximo passo em relação à Selic.

“Os membros do Copom reforçaram a importância de enfatizar seu compromisso de conduzir a política monetária visando manter a trajetória da inflação em linha com as metas. Isso requer a flexibilidade para ajustar gradualmente a condução da política monetária quando e se houver necessidade”, destaca.

Segundo a ata, a inflação acumulada em 12 meses deve subir e atingir seu pico por volta do segundo trimestre de 2019. “A partir de então, a inflação acumulada em 12 meses deverá recuar ao longo do resto de 2019, em direção à meta”, acrescenta. A meta de inflação, que deve ser perseguida pelo BC, é 4,5% este ano. Essa meta tem limite inferior de 3% e superior de 6%. Para 2019, a meta é 4,25% com intervalo de tolerância entre 2,75% e 5,75%.

Cotação do dólar

O Copom também avaliou o repasse da variação da cotação do dólar para os preços da economia. De acordo com a ata, “com exceção de alguns preços administrados, o nível de repasse tem se mostrado contido”.

“[Os membros do Copom] ponderaram, entretanto, que a intensidade do repasse de movimentos no câmbio para a inflação depende de vários fatores, como, por exemplo, o nível de ociosidade da economia e da ancoragem das expectativas de inflação”, diz a ata.

O Copom é formado pelos diretores e presidente do BC, Ilan Goldfajn. Eles são os responsáveis por definir a taxa Selic. Essa taxa é o principal instrumento do BC para alcançar a meta de inflação. Quando o Copom aumenta a Selic, o objetivo é conter a demanda aquecida, e isso causa reflexos nos preços porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança.

Quando o Copom reduz a Selic, a tendência é que o crédito fique mais barato, com incentivo à produção e ao consumo, reduzindo o controle da inflação. A manutenção da taxa básica de juros indica que o Copom considera as alterações anteriores suficientes para chegar à meta de inflação.

(Agência Brasil)

Ceará é o maior exportador de água de coco do País

O Ceará é o maior exportador de água de coco, suco de acerola e de maracujá do Brasil. A informação consta no Estudo Setorial de Bebidas, elaborado pelo Centro Internacional de Negócios da Federação das Indústrias do Estado (Fiec), referente aos meses de janeiro a setembro de 2018.

A primeira bebida, derivada do coco, é responsável por mais da metade (57,7%) do total vendido ao exterior pelo Estado, contabilizando, de janeiro a outubro deste ano, US$ 25,7 milhões. Já o suco de acerola vem em seguida com US$ 8,2 milhões exportados, enquanto na quinta posição está a bebida extraída do maracujá, com US$ 608,8 milhões.

No geral, o Ceará exportou US$ 44,6 milhões de janeiro a setembro de 2018. Esse valor, mesmo expressivo, é ainda menor do que o registrado no ano passado, quando fora vendido US$ 58,4 milhões. As importações chegaram a marca de US$ 6,6 milhões.

A Holanda mais do que dobrou as compras das bebidas cearenses, passando de US$ 2,9 milhões para US$ 5,9 milhões entre 2017 e 2018. O Ceará exporta para o país europeu mais da metade do seu suco de acerola. Os Estados Unidos, assim como em 2017, são o principal destino das bebidas produzidas no estado, totalizando US$ 28,1 milhões.

Rogério Ceni, um “presentaço” para o Fortaleza

Com o título “Um clube que nasceu para ser campeão”, eis artigo do ex-presidente do Fortaleza, o senador eleito Luís Eduardo Girão (Pros). Ele destaca o elenco, a diretoria e, principalmente, Rogério Ceni, o técnico que chegou como um “presentaço” para o time. Confira:

Durante as finais do cearense de 2018, contei algo a um repórter que gostaria de repetir aqui. Neste centenário, acredito que Deus deu três presentes ao Fortaleza Esporte Clube, meu “grande amigo de infância”, que tive a honra de servir em 2017. O primeiro, o tão esperado acesso para a Série B do Campeonato Brasileiro – e que já se transforma em bênção maior com o acesso para a Série A, que nunca sonhei que aconteceria tão cedo. O segundo, o presidente Marcelo Paz, e o terceiro, o obstinado Rogério Ceni.

Marcelo Paz por ser um homem de caráter, educador do bem, exímio gestor, que tive a oportunidade de conhecer há 14 anos como voluntário da Marcha pela Vida e pela Paz. Sempre tive convicção, quando o escolhi para ser meu vice, de que ele iria regar com eficiência ainda maior a semente de valores humanos e princípios éticos que plantamos em minha breve passagem.

Considero o Ceni um presentaço porque, assim como o clube que treina, nasceu para ser campeão por méritos. Poucas pessoas sabem disso, mas a vinda dele foi uma grande coincidência (ou Jesuscidência, como prefiro chamar). Ocorreu de vir à capital cearense para dar uma palestra durante meus últimos dias à frente do Fortaleza. Encontrei-me com ele praticamente na madrugada, na recepção do hotel em que estava. O momento era de apreensão da torcida que, apesar da alegria do acesso, preocupava-se com desligamento do então técnico Zago e pela minha saída anunciada, já para a semana seguinte. Conversamos longamente sobre o projeto, que o agradou e o levou a conhecer o clube no outro dia. Daí começou a afinidade de filosofia do futebol com o novo presidente que fechou a negociação.

Estamos em um momento muito feliz. Fruto também do trabalho de um grupo dedicado, humilde e sem vaidade: elenco, comissão técnica, funcionários, diretoria e ex- dirigentes, e a gigante torcida que sempre carregou “o time nas costas” com amor incondicional. A união de todos os tricolores têm feito a diferença. Creio que mais alegrias virão, e estamos próximos de alcançar um marco (como diz o hino!) inédito na vida do Leão: o título de campeão brasileiro da Série B. Se não hoje, temos ainda três jogos. Salve o tricolor de aço!

*Luís Eduardo Girão

Senador eleito pelo Pros

eduardogiraooficial@gmail.com

Médico cearense integra a Sociedade Francesa de Nanomedicina

Fernando Guanabara, médico cearense apontado como referência em medicina preventiva, agora é membro da Sociedade Francesa de Nanomedicina. Ele tomou posse durante o último feriadão.

Além da posse, que se registrou em clima de EuroScience, evento realizado na Universidade Sorbonne, em Paris, Guanabara deu palestra nesse encontro sobre o tema “Jejum intermitente como moderador da epidemia global da obesidade e suas comorbidades”.

O evento foi ocasião para imersão e troca de conhecimento e contou também com a presença de palestrantes internacionais e referências brasileiras como os médicos Victor Sorrentino e Paulo Muzy.

(Foto – Divulgação)

Presidente do STF mostra Constituição para Bolsonaro e lembra que eleito prometeu cumprir as leis

O presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Dias Toffoli, mostrou a Constituição ao presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL). Foi nesta terça-feira (6), durante sessão realizada no Congresso em homenagem aos 30 anos da Carta Magna. Toffoli lembrou que Bolsonaro se comprometeu, durante a campanha eleitoral, a cumpri-la.

“Também cumprimento [Bolsonaro] que, no último ato de campanha, Vossa Excelência estava exatamente com esta Constituição à mão e celebrando que uma vez eleito iria cumprir, como vai cumprir, a Constituição e as leis do Brasil”, acentuou o ministro, mostrando um exemplar do livro ao presidente eleito, que estava sentado a seu lado na mesa dos trabalhos.

Em seu primeiro discurso após a eleição, Bolsonaro disse em transmissão ao vivo nas redes sociais que iria governar o Brasil com a Bíblia e a Constituição.

(Com Portal Uol/Foto – Agência Brasil)

Luizianne ironiza críticas de filho de Bolsonaro à oposição

389 1

A deputada federal Luizianne Lins (PT-CE) optou pela ironia ao responder críticas do deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) de “tratorar” a oposição no Congresso durante o governo do seu pai, Jair Bolsonaro.

Segundo ela, “os Bolsonarinhos primeiro precisam articular seus neurônios pra entender que não são os donos do país, que não podem fechar o STF com ‘um cabo e um soldado’ e nem fechar o Congresso Nacional com o trator dos ruralistas que, inclusive, já se dividiram em relação às primeiros ações do ‘papai'”, disse.

Luizianne aconselhou: “Têm que cuidar pra quando chegar em casa não levar um cascudo do papai Bolsonaro. Não vamos deixar que eles destruam as instituições democráticas”.

Ex-prefeita de Fortaleza, Luizianne disse ainda que “se o governo do papai Bolsonaro cair, certamente não será derrubado pela oposição”, mas pelo povo quando este compreender o papel criminoso das fake news disparadas em massa durante a campanha e o caráter antipopular de seu governo.

(Com Folha de S.Paulo)

Fachin manda para 2ª turma pedido de soltura de Lula depois que Moro aceitou convite de Bolsonaro

786 1

O ministro do Supremo Tribunal Federal, Edson Fachin, encaminhou para análise da 2ª Turma da Corte a análise do recurso da defesa do
ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) pedindo a anulação do processo do tríplex, além da libertação do político. “Indico desde já inclusão na pauta da 2ª Turma para julgamento colegiado”, escreveu Fachin no despacho publicado nesta terça-feira (6). A informação é do Portal Uol.

Fachin ainda pediu que, no prazo de cinco dias, o Superior Tribunal de Justiça), o Tribunal Regional Federal da 4ª Região e a 13ª Vara da Justiça Federal no Paraná prestem esclarecimentos a respeito da tese da defesa de Lula de que o juiz federal Sergio Moro foi parcial ao julgar o processo do tríplex. A suspeição de Moro já foi analisada pelas três instâncias.

Os advogados de Lula apresentaram, na segunda-feira (5), um recurso ao STF com referência a decisão do STJ, tomada no ano passado, que negou habeas corpus pedindo “a suspeição e a incompetência” de Moro. O novo recurso foi baseado no fato de Moro ter aceitado o convite do presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), para assumir o Ministério da Justiça.

Para a defesa, houve uma atuação do juiz em desfavor de Lula “e com repercussão no processo eleitoral de 2018 enquanto, ulterior ou
contemporaneamente”.

FB participa da Olimpíada Latino-Americana de Robótica

A Rede Farias Brito de Ensino participa, a partir desta terça-feira, em João Pessoal (PB), da Olimpíada Latino-Americana de Robótica. O evento vai se estender até sábado.

No grupo do FB, tendo à frente Aline Castro, coordenadora de Olimpíadas, os alunos Lucas Patrocínio (18), Alexandre Costa (18), Matheus Cunha (18) e Gisele Vieira (17) e a expectativa de conquistar novas medalhas.

O objetivo é a classificação para a Olimpíada de Robótica de Sidney (Austrália) em 2019.

(Foto – Paulo MOska)

Petrobras registra lucro líquido de R$ 6,6 bi no terceiro trimestre

A Petrobras fechou o terceiro trimestre do ano com um lucro líquido de R$ 6,6 bilhões, resultado 371% superior aos R$ 266 milhões obtidos no mesmo período no ano passado.

Com o resultado, a estatal encerra os primeiros nove meses do ano com um lucro líquido de R$ 23,6 bilhões, crescimento de 371% em relação a igual período de 2017.

O resultado reflete maiores margens na comercialização de derivados no mercado interno e o aumento das exportações, além da alta do preço do barril do óleo no mercado externo e da depreciação do real frente ao dólar.

(Agência Brasil)

Difamar alguém em grupo de WhatsApp causa dano moral

Difamar alguém em um grupo de WhatsApp causa dano moral por gerar repercussão na esfera íntima do ofendido em um meio com grande visibilidade entre amigos, familiares e clientes dos participantes.

Com esse entendimento, a 8ª Câmara de Direito Privado de São Paulo manteve decisão que condenou em R$ 15 mil dois moradores que ofenderam a honra de administradores de condomínio ao enviarem mensagens acusatórias em grupo no aplicativo.

Os réus acusaram os integrantes da diretoria da associação que administra um loteamento de superfaturamento em obras. Entre as expressões enviadas ao grupo, formado por aproximadamente 100 vizinhos, consta “estão levando por fora, e muito”.

Segundo o relator da apelação, desembargador Pedro de Alcântara da Silva Leme Filho, é “incontroversa a ofensa difamatória inserida pelos requeridos através de comentários em grupo de WhatsApp por eles criado, causando repercussão na esfera íntima dos apelados, ademais por se tratar de veículo de grande visibilidade entre amigos, familiares e clientes do autor”.

Para o magistrado, “certo que agredir alguém, sobretudo em grupo de Whatsapp com vizinhos, é tido como conduta reprovável pela sociedade, sendo razoável conceder uma satisfação de ordem pecuniária ao ofendido”.

“Os réus, ao extrapolarem o seu direito à livre manifestação, desbordando os limites legais e passando à ilicitude, causaram danos à honra dos autores que, por conseguinte, devem ser reparados”, finalizou o relator, seguido de forma unânime por todos os membros da turma.

(Com informações da Assessoria de Imprensa do TJ-SP)

Pacote apoiado por Moro contraria Bolsonaro ao propor CGU autônoma

Sergio Moro e Paulo Guedes.

O pacote anticorrupção apresentado pelo juiz Sergio Moro como guia de sua futura gestão à frente do Ministério da Justiça defende o reforço da independência da Controladoria-Geral da União, apontando em direção contrária à indicada pelo presidente eleito Jair Bolsonaro. É o que informa a Coluna Painel desta terça-feira no jornal Folha de S.Paulo.

Ao convidar Moro para o ministério na semana passada, Bolsonaro sugeriu que ele poderia incorporar a CGU, principal órgão de controle interno do governo, ampliando seus poderes como ministro.

A subordinação da CGU ao futuro ministro da Justiça é tratada como incerta pela equipe de Bolsonaro. Moro, que promete detalhar seus planos em entrevista coletiva nesta terça-feira (6), em Curitiba, tem dito que a ideia ainda está em estudos.

Organizado pela Transparência Internacional em parceria com a Fundação Getúlio Vargas, o pacote que o juiz analisa inclui projeto de lei para definir melhor as atribuições da CGU e mantê-la subordinada à Presidência da República, com autonomia para vigiar outros ministérios.

Em 2015, a então presidente Dilma Rousseff (PT) cogitou transferir a CGU para a Justiça e recuou após protestos dos funcionários do órgão. Na semana passada, o sindicato da categoria se manifestou contra a fusão sugerida por Bolsonaro.

(Foto – Ian Cheibub, da Folhapress)

Confira a equipe de transição de Bolsonaro

Onyx Lorenzoni, futuro ministro da Casa Civil.

Parte da equipe de transição do governo já está nomeada. A lista com os escolhidos pelo presidente eleito Jair Bolsonaro foi publicada em edição extra do Diário Oficial da União (DOU). Inicialmente, foram definidos 22 assessores, depois incluídos mais cinco que vão atuar sem remuneração. Até o fim desta semana, outros nomes deverão ser agregados.

Bolsonaro pode indicar até 50 pessoas para sua equipe de transição. Na lista, estão alguns nomes já confirmados como futuros ministros, como o economista Paulo Guedes, que vai comandar o superministério da Economia – que une Fazenda, Planejamento e Indústria, Desenvolvimento e Comércio Exterior. Nenhuma mulher foi nomeada para a equipe, até o momento.

Também compõem a equipe de transição o general da reserva Augusto Heleno Ribeiro Pereira, que assumirá a Defesa; além do astronauta Marcos Pontes, que irá para Ciência e Tecnologia. O advogado Gustavo Bebianno, que estava interinamente como presidente do PSL e um dos principais coordenadores de campanha de Bolsonaro, é outro nome que aparece na lista de nomeados.

Confira os outros integrantes da equipe de transição:

Marcos Aurélio Carvalho, Paulo Roberto, Luciano Irineu Carvalho, Paulo Antônio Spencer Uebel, Arthur Bragança de Vasconcellos Weintraub, Gulliem Charles Bezerra Lemos, Eduardo Chaves Vieira, Roberto da Cunha Castello Branco, Luiz Tadeu Vilela Blumm e Carlos Von Doellinger.

Também foram nomeados hoje Bruno Eustáquio Ferreira Castro de Carvalho, Sérgio Augusto de Queiroz, Antônio Flavio Testa, Carlos Alexandre Jorge da Costa, Paulo Roberto Nunes Guedes, Waldemar Gonçalves Ortunho Júnior, Abraham Bragança de Vasconcellos Weitraub, Jonathas Assunção Salvador Nery de Castro e Ismael Nobre.

De acordo com o Diário Oficial da União, os seguintes assessores não terão remuneração Alexandre Xavier Ywata de Carvalho, Pablo Antônio Fernando Tatim dos Santos, Waldery Rodrigues Júnior, Adolfo Sachsida e Marcos Cintra Cavalcanti de Albuquerque.

Transição

A equipe de transição será coordenada pelo ministro extraordinário Onyx Lorenzoni, já confirmado para a Casa Civil no governo eleito. Segundo ele, além dos 22 nomeados e cinco assessores, até o final desta semana, a equipe deverá sem ampliada com a indicação de novos integrantes, além da cessão de técnicos e servidores de outras áreas, bem como a designação de mais pessoas para compor a transição de forma voluntária.

Todos os nomeados serão automaticamente exonerados dez dias após a posse de Bolsonaro. Os integrantes da equipe de transição poderão dispor de um telefone celular com acesso ao sistema que servirá como base para o governo eleito.

A plataforma, chamada Governa, já é utilizada para troca de informações entre os ministérios. A equipe de transição terá acesso irrestrito às informações das pastas, como dados sobre o governo atual e o que se planeja para 2019 com base no Orçamento previsto para o ano que vem.

(AgênciaBrasil)

Bolsonaro embarca para Brasília de olho na transição

.

O presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) viajou, na manhã desta terça-feira (6), para Brasília. Ali, vai cuidar da transição de governo, informa o Portal G1, adiantando que esta é a primeira vez que ele viaja à capital federal depois das eleições.

A expectativa é que ele participe, nesta terça-feira, da sessão solene no Congresso Nacional em homenagem aos 30 anos da Constituição. Na quarta, ele deve se reunir com o atual ocupante do cargo, Michel Temer, e com o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli.

O comboio deixou a casa de Bolsonaro, no Rio de Janeiro, às 5h27 e chegou à base aérea do Galeão às 6h. No trajeto, um dos batedores se acidentou. O avião da Força Aérea Brasileira decolou do Rio de Janeiro por volta das 7 horas.

(Foto – Agência Brasil)

Pesquisa – O que o brasileiro achou de Sergio Moro na equipe de Bolsonaro?

341 1

Um pesquisa exclusiva realizada pelo Instituto Paraná mostra: a ida do juiz federal Sergio Moro para o Ministério da Justiça foi aprovada por 82% dos brasileiros. A informação é da Veja Online.

De acordo ainda com a pesquisa, só 14% dos entrevistados rejeitaram a mudança, enquanto 2,8% não quiseram opinar.

Ou seja, um tento para o governo de Jair Bolsonaro.

(Foto -Reprodução de TV)

Bolsonaro chama de “vexame” prova do Enem

294 1

O presidente eleito Jair Bolsonaro criticou o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e considerou a prova realizada domingo (4) como um “vexame” e uma “doutrinação exacerbada”. Em entrevista ao jornalista José Luiz Datena, na TV Band, Bolsonaro afirmou que a questão ideológica é grave no país que precisa ser enfrentada.

“Tão mais grave que a corrupção é a questão ideológica no Brasil, que está muito arraigada por parte de alguns aqui em nossa pátria e você tem que lutar contra isso. Até a própria prova do Enem, é um vexame você ver o que é uma prova do Enem, o que mede conhecimento, por exemplo, essa primeira parte realizada no domingo passado, ou seja, uma doutrinação exacerbada”, declarou Bolsonaro.

O presidente disse ainda que o Enem deveria cobrar “conhecimentos úteis” para a sociedade em vez de tratar de assuntos que possam influenciar os jovens futuramente. “Uma questão de prova que entra na dialética, na linguagem secreta de gays e travestis não tem nada a ver, não mede conhecimento nenhum. A não ser obrigar para que no futuro a garotada se interesse por esse assunto”, afirmou.

Filho de Bolsonaro

Mais cedo, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL), também criticou o Exame. Em sua conta no Twitter, o filho do presidente eleito compartilhou um comentário pejorativo sobre uma das questões em que havia um texto sobre “o dialeto secreto” usado por gays e travestis. “Aviso que não é requisito para ser ministro da educação saber sobre dicionário dos travestis ou feminismo”, escreveu Eduardo Bolsonaro.

A pergunta, no entanto, não cobrava dos estudantes o conhecimento sobre o vocabulário dos gays e travestis, mas trazia um texto de apoio sobre o tema e questionava quais as características técnicas para que uma linguagem seja considerada um dialeto.

O deputado ainda recomendou aos estudantes que eles estudem o que os deixarão aptos para a vida. “Prezados estudantes, quando vocês forem ser entrevistados para um emprego ou estiverem abrindo um empreendimento aviso: sexualidade, feminismo, linguagem travesti, machismo e etc terão pouca ou nenhuma importância. Portanto, estude também o que lhe deixará apto para a vida”, escreveu Eduardo Bolsonaro.

O deputado também compartilhou um post que chama o Enem de “bizarro” e defende a aprovação do projeto que quer instituir a chamada Escola sem Partido.

(Agência Brasil)

Torcida do Fortaleza prepara mosaico duplo para o jogo contra o CSA

Pela quarta vez nesta Série B do Brasileiro, a torcida do Fortaleza prepara um mosaico para levantar na arquibancada. Depois de homenagear a seleção brasileira, o centenário do clube e trazer um show pirotécnico para dentro do Castelão, a ideia agora é utilizar o desenho para fazer um pedido especial.

Diferente dos demais mosaicos, que sempre recorriam ao escudo do Fortaleza ou ao mascote, desta vez o tema será o desenho japonês Dragon Ball. O grupo Leões do Mosaico garante, no entanto, que tudo fará sentido na hora da execução.

João Paulo Lima, o Paulinho, um dos coordenadores do grupo, faz mistério sobre o que será visto na arquibancada, mas dá pistas. “Vamos fazer uma solicitação, não será diretamente aos jogadores, mas eles poderão realizar nosso desejo”, disse. Além dos papéis, que não faltam nos mosaicos, serão utilizadas bandeiras, fumaças, fogos, cordas e roldanas. “Além de efeitos especiais, teremos uma parte em 3D”, avisa Paulinho.

Os dois lados dos papéis do mosaico serão utilizados. Quando virados, eles formam um desenho diferente. Foto: João Paulo/Leões do Mosaico/Divulgação
Uma novidade será que o desenho terá dois cenários. O primeiro será visto quando todos erguerem os papéis do mosaico e o outro será formado quando todos virarem os papéis, ao sinal dos organizadores. Tudo vai acontecer no setor sul da arquibancada do Castelão, onde costuma ficar a torcida organizada.

Patrocínio oficial

Todos os custos da festa na arquibancada serão bancados pelo Fortaleza. O mosaico deve custar em torno de R$ 13 mil. A preparação será feita durante toda a manhã e tarde desta terça-feira, 6. Os materiais já estão confeccionados.

As festas feitas pela torcida na arquibancada têm agradado Rogério Ceni. Em coletiva, após a vitória do Tricolor por 2 a 1 sobre o Atlético-GO, o técnico disse que não esquece de nenhum dos mosaicos e afirmou que em poucos lugares do mundo se encontra uma atmosfera semelhante a do Castelão lotado.

(O POVO Online/Foto – Brenno Rebouças)