Blog do Eliomar

Categorias para Brasil

Empresários do setor industrial estão mais confiantes, diz CNI

O Índice de Confiança do Empresário Industrial aumentou 0,9 ponto em relação ao mês passado e alcançou 53,7 pontos em outubro. Com isso, o indicador acumula uma alta de 4,1 pontos nos últimos quatro meses. Os resultados da pesquisa divulgada hoje (19) pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) mostram que o empresário voltou a mostrar mais confiança na recuperação da economia.

Os indicadores variam de zero a 100 pontos. Quando estão acima de 50 mostram que os industriais estão otimistas. A média histórica do índice é de 54,1 pontos. “Mesmo com a sequência de bons resultados, o índice encontra-se 1,8 ponto abaixo do registrado em maio de 2018, antes da paralisação dos serviços de transporte de carga. O Índice de Confiança do Empresário Industrial de outubro ainda é 0,4 ponto inferior à sua média histórica e 2,3 pontos inferior ao registrado em outubro de 2017”, diz o estudo.

De acordo com a CNI, embora haja uma percepção de piora nas condições atuais das empresas e da economia, as expectativas para os próximos seis meses estão mais otimistas e estimulam a retomada da produção e dos investimentos.

Entretanto, a melhora do índice em outubro deve-se, exclusivamente, às expectativas do empresário. Neste mês, o índice de condições atuais caiu para 45,8 pontos e está 0,9 ponto abaixo do registrado em setembro. É a segunda queda consecutiva do indicador e, segundo a CNI, mostra que o empresário percebe a piora crescente de suas condições correntes de negócios, tanto na economia brasileira quanto nas condições da empresa.

No entanto, o índice de expectativas para os próximos seis meses subiu para 57,8 pontos e ficou acima da linha divisória dos 50 pontos, que separa o pessimismo do otimismo.

A confiança é maior nas grandes empresas, segmento em que o índice alcançou 54,9 pontos. Nas pequenas, o indicador alcançou 52,1 pontos e, nas médias, 53 pontos. A pesquisa mostra ainda que os empresários de todo o país estão otimistas. O Índice de Confiança do Empresário Industrial está acima de 50 pontos em todas as regiões. Neste mês, o indicador aumentou no Nordeste, no Sul e no Sudeste e recuou no Norte e no Centro-Oeste.

A pesquisa ouviu 2.759 empresas entre 1º e 15 de outubro. Dessas, 1.094 são pequenas, 1.034 são médias e 631 são de grande porte. O estudo completo está disponível na página da CNI .

(Agência Brasil)

Preço da gasolina cai 2% nas refinarias a partir deste sábado

A Petrobras anunciou hoje (19), em sua página na internet, que o preço do litro da gasolina ficará 2% mais barato em média nas refinarias de todo o país a partir de amanhã (20). Com a decisão, valor cairá de R$ 2,1490 – preço que vigorava desde o último dia 12 – para os R$ 2,1060 anunciado pela estatal para vigorar neste sábado.

O preço do litro do combustível atingiu maior valor nas refinarias no dia 14 de setembro último, quando a estatal passou a cobrar pelo litro da gasolina R$ 2,2514, preço que se manteve por 12 dias, até o dia 22 do mesmo mês, portanto por doze dias consecutivos.

A partir de então, o preço do litro da gasolina passou a registrar quedas consecutivas. No dia 25 de setembro, a estatal reduziu o preço do litro do procuto para R$ 2,2381, mantendo desde então uma tendência de queda no preço do litro da gasolina.

A última movimentação no preço do produto se deu no último dia 12 de outubro, quando o preço médio do litro nas refinarias passou a custar R$ 2,1490, preço que ficou estável por quatro dias consecutivos até o aumento anunciado hoje e que passará a vigorar a partir de amanhã.

O óleo diesel cobrado nas refinarias está em R$ 2,3606, o litro, desde o dia 30 de stembro, quando foi reajustado. Antes custava R$ 2,2964.

(Agência Brasil)

Datafolha – 73% dos entrevistados querem Bolsonaro nos debates

Pesquisa do Instituto Datafolha aponta que 67% dos eleitores brasileiros consideram que o debate entre os dois candidatos à Presidência da República, Fernando Haddad (PT) e Jair Bolsonaro (PSL), é muito importante. Para 73% dos entrevistados, Bolsonaro deveria comparecer aos debates. Dos 9.137 eleitores ouvidos em 341 cidades, 23% disseram que o capitão reformado não deve participar de debates e 4% não souberam responder à pergunta.

Enquanto sete em cada dez entrevistados consideram o confronto de ideias e propostas frente a frente muito importante, 19% dizem que o debate com os dois candidatos não é nada importante. Além disso, 13% disseram que o encontro seria pouco importante e 2% não souberam responder.

Questionados se o debate poderia levá-los a escolher outro candidato e mudar a intenção de voto, 76% dos entrevistados responderam que não; 8% que a chance disso acontecer é pequena; 8% que é média e 6% que haveria grande chance de isso ocorrer.

Entre os que manifestam intenção de votar em Bolsonaro, 84% afirmam que o debate não os levaria a alterar seu voto. Já entre os que pretendem votar em Haddad, 76% afirmaram que não mudariam de opinião. Registrada na Justiça Eleitoral, a pesquisa tem margem de erro de dois pontos percentuais.

Poucas horas após a divulgação da pesquisa Datafolha, o candidato do PSL afirmou, durante uma transmissão ao vivo nas redes sociais, que não tem participado de debates e tem limitado os atos públicos de campanha por temer por sua segurança pessoal após ter sido esfaqueado durante um evento em Juiz de Fora (MG), no dia 6 de setembro.

Submetido a duas cirurgias, Bolsonaro foi desaconselhado pela equipe médica a participar de debates durante todo o primeiro turno. Ontem, no entanto, médicos do Hospital Israelita Albert Einstein que o examinaram afirmaram que o candidato apresenta boa evolução clínica e que pode participar dos próximos debates, desde que sejam rápidos.

“Eu posso ter um problema com a bolsa de colostomia. Posso ter que voltar ao hospital”, declarou Bolsonaro, horas depois, na transmissão pelas redes sociais.

Já o candidato do PT, Fernando Haddad, tem repetido que gostaria de participar de debates com Bolsonaro e, pelas redes sociais, colocou-se à disposição para se reunir com o adversário em qualquer local. “Faço o que ele [Bolsonaro] quiser para ele falar o que pensa e debater o país. Com assistência médica, enfermaria, em qualquer ambiente.”

(Agência Brasil)

Cedca do Ceará divulga nota de alerta

117 1

O Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente do Ceará (CEDCA) divulgou nota, em tom de alerta. Confira:

NOTA PÚBLICA SOBRE DECLARAÇÕES DE CANDIDATOS ÀS ELEIÇÕES CONTRÁRIAS AOS DIREITOS DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES

O Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente do Ceará – CEDCA – CE, instância máxima de formulação, deliberação e controle das políticas públicas para a infância e a adolescência na esfera estadual, criado pela Lei nº 11.889 de 1991, é o órgão responsável por tornar efetivos os direitos, princípios e diretrizes contidos no Estatuto da Criança e do Adolescente, Lei nº 8.069 de 1990.

Tendo em vista a norma da absoluta prioridade da criança e do adolescente, assegurada no artigo 227 da Constituição Federal e disciplinada pela Lei 8.069 de 1990, o Estatuto da Criança e do Adolescente, que reconhecem crianças e adolescentes como pessoas em especial condição de desenvolvimento e como sujeitos de direito, dignas de receber proteção integral e de ter garantido seu melhor interesse, e por isso estabelece que seus direitos devem ser promovidos e protegidos de forma absolutamente prioritária.

O CEDCA-CE vem manifestar-se publicamente sobre declarações contrárias ao Estatuto da Criança e do Adolescente e aos direitos assegurados à infância e adolescência brasileiras. Assim, vem a público:

REPUDIAR toda e qualquer manifestação odiosa a crianças e adolescentes ou contrária às normas que asseguram os direitos da infância e adolescência, inclusive o uso da imagem de crianças ou adolescentes visando fomentar atos de violência;

REAFIRMAR a defesa da proteção integral de crianças e adolescentes, e, portanto, repugnar, denunciar e combater qualquer medida contrária a esses preceitos legais e constitucionais relativos a crianças e adolescentes, visando, assim, apontar que somente com o respeito a tais garantias será possível efetivar, por meio do cumprimento dos direitos fundamentais de crianças e adolescentes, o Estado Democrático de Direito.

RELEMBRAR que é responsabilidade compartilhada por todos – Poder Público, comunidades, famílias, e sociedade – garantir a efetivação dos direitos de crianças e adolescentes por meio da proposição, articulação e monitoramento das políticas públicas e da mobilização social para construção de uma sociedade livre, justa e solidária.

RECOMENDAR que, conforme a norma constitucional da prioridade absoluta, todas as comunicações, declarações e manifestações públicas no âmbito das eleições sejam pautadas pelo respeito aos direitos de crianças e adolescentes, bem como que planos de governo e propostas políticas considerem a prioridade absoluta da infância e adolescência e, com isso, privilegiem a infância e adolescência no âmbito de políticas, orçamento e serviços públicos.

CONCLAMAR o Sistema de Garantia de Direitos da Criança e do Adolescente, no uso de suas atribuições, bem como a sociedade civil, no âmbito do controle social, para que tomem as medidas cabíveis para coibir eventuais ataques no debate público aos direitos de crianças e adolescentes.

*Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente do Ceará.

Cid Gomes mostra como enterrar uma campanha

Com o título Cid Gomes mostra como enterrar uma campanha”, eis artigo do jornalista Ítalo Coriolano. “Sem nenhum esforço, ele conseguiu a peça mais eficaz para desconstruir a imagem do candidato petista”, diz o articulista no texto. Confira:

Foi no momento mais delicado do PT nesta disputa pela Presidência da República, com o candidato Fernando Haddad (PT) 18 pontos percentuais atrás de Jair Bolsonaro (PSL), que o senador eleito Cid Gomes (PDT) resolveu soltar umas verdades para a sigla que ficou por 13 anos no poder. Críticas válidas em seu conteúdo, mas totalmente desastradas em seu formato, levando em conta a estratégia eleitoral. O ex-governador do Ceará entregou de “mão beijada” para o adversário um conteúdo de efeito devastador, com frases que viralizaram em todas as redes sociais: ” Vão perder feio porque fizeram muita besteira. Porque aparelharam as repartições públicas. Porque acharam que eram donos de um País, e o Brasil não aceita ter dono!”; “O Lula está preso, babaca!”.

O pedetista mal tinha acabado de externar seu colérico desabafo e o vídeo da confusão já circulava por grupos de WhatsApp e outras redes sociais em todo o País, ambientes onde, de fato, a corrida pelo Palácio do Planalto está sendo travada. Para muitos, a sensação que ficou era que os Ferreira Gomes já haviam se tornado apoiadores de Bolsonaro, apesar de declararem voto em Haddad. O conteúdo foi parar na propaganda eleitoral do candidato do PSL.

Sem nenhum esforço, ele conseguiu a peça mais eficaz para desconstruir a imagem do candidato petista.

Diante do desgaste provocado, fica difícil dissociar o episódio de 2022. PT e Ferreira Gomes devem disputar a hegemonia da oposição contra Bolsonaro, caso seja eleito e na hipótese de enfrentar fortes dificuldades para governar. A viagem de Ciro Gomes para a Europa em pleno segundo turno reforça a estratégia de tentar descolar a imagem do pedetista do PT, tendo em vista que ele já foi ministro de Lula e apoia um nome da legenda no Ceará.

Ao contrário do irmão mais velho, Cid Gomes quase sempre consegue manter o controle emocional em momentos de tensão. Sabe como poucos escapar de provocações. Entretanto, logo no início de sua fala no evento que seria de apoio a Haddad, demonstrou que estava preparado para o embate. O pedido de mea culpa para o PT acabou se transformando em duros ataques proferidos por quem era a esperança de dar novo fôlego à campanha petista.

Mas o efeito foi exatamente o oposto. Cid veio com várias pás de cal para jogar sobre a já enfraquecida candidatura de Haddad. Ainda tentou “consertar” o problema gravando um vídeo de 20 segundos que não transmite muita credibilidade. Mas já era tarde demais. O estrago estava feito e pode ser o ponto de partida para o rompimento entre o PT e os Ferreira Gomes, nos tempos difíceis que a política, a partir de 2019, nos reserva.

*Ítalo Coriolano

italocoriolano@opovo.com.br

jornalista do O POVO.

Vox Populi/CUT – Bolsonaro, 53%; Haddad, 47%

3548 70

Saiu, nesta sexta-feira, a pesquisa Vox Populi/CUT sobre a corrida presidencial.

Mostra um crescimento da candidatura de Fernando Haddad (PT) na reta final do segundo turno das eleições presidenciais. O petista aparece com 46% dos votos válidos, enquanto o oponente, Jair Bolsonaro (PSL) tem 54%, na pesquisa espontânea. Na pesquisa estimulada, quando são mostrados os nomes dos candidatos, o petista tem 47% dos votos válidos, contra 53% do militar.

No total, contando votos brancos, nulos e indecisos, Haddad tem 37% contra 43% do capitão da reserva. Segundo a pesquisa, 12% declararam que votarão em branco ou nulo e 8% ainda estão indecisos.

A pesquisa ouviu 2 mil eleitores entre os dias 16 e17 de outubro em 120 municípios de todos os estados e o Distrito Federal. A margem de erro é de 2,2 pontos porcentuais para mais ou para menos e o nível de confiança é de 95%.

Rejeição

Em relação à rejeição, os dois candidatos estão empatados tecnicamente. De acordo com a pesquisa, Haddad é rejeito por 41% dos eleitores ouvidos, enquanto Bolsonaro tem índice de rejeição de 38%.

A pesquisa ouviu 2 mil eleitores entre os dias 16 e 17 de outubro em 120 municípios de todos os estados e o Distrito Federal. A margem de erro é de 2,2 pontos porcentuais para mais ou para menos e o nível de confiança é de 95%.

(Com Agências)

Índice que reajusta aluguel acumula inflação de 10,88% em 12 meses

O Índice Geral de Preços-Mercado (IGP-M), usado no reajuste de contratos de aluguel, subiu 0,97% na segunda prévia de outubro. A taxa é inferior ao 1,34% da segunda prévia de setembro. O dado foi divulgado hoje (19), no Rio de Janeiro, pela Fundação Getulio Vargas (FGV).

Com a segunda prévia de outubro, a inflação acumulada em 12 meses chega a 10,88%.

A queda da taxa de setembro para outubro foi puxada pelos preços no atacado, já que o Índice de Preços ao Produtor Amplo caiu de 1,95% para 1,24% no período.

O Índice de Preços ao Consumidor, que mede o varejo, subiu de 0,16% na prévia de setembro para 0,48% em outubro e o Índice Nacional de Custo da Construção subiu de 0,19% para 0,36%.

(Agência Brasil)

Autoridades devem anunciar medidas para este segundo turno da disputa presidencial

 

A nove dias do segundo turno das eleições, as autoridades preparam para hoje (19)  anúncios sobre as prioridades para as votações no dia 28. O alerta ocorre no momento em que os candidatos à Presidência da República Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT) trocam acusações sobre a existência de empresários que financiaram um esquema de disseminação de notícias falsas anti-PT.

À tarde haverá uma entrevista coletiva da qual participarão a presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Rosa Weber; os ministros Raul Jungmann (Segurança Pública) e Sérgio Etchegoyen (Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República), a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, a advogada-geral da União, Grace Mendonça, e o diretor-geral da Polícia Federal, Rogério Galloro.

A expectativa é de que sejam anunciadas as medidas institucionais adotadas em decorrência de questionamentos levantados no primeiro turno. Nas últimas horas, PT, PSL, PSOL e PDT se manifestaram sobre a divulgação e os impactos de fake news. Recorreram à Justiça eleitoral o PT e PSOL, enquanto os outros dois partidos também anunciaram que vão ingressar com ações.

Advertência

Ontem (18) Raquel Dodge advertiu sobre os riscos da disseminação de conteúdo falso. “O eleitor é o ator principal. Ele tudo pode, mas nem tudo convém. As fake news não convêm ao eleitor nem à democracia”, afirmou. “É preciso também que não haja abuso, não haja ilícito no modo como as pessoas se expressam, no modo como elas convencem os vizinhos e eleitores.”

A advertência ocorreu durante a reunião em que o combate à divulgação de notícias falsas nas redes sociais foi o tema principal. Participaram procuradores eleitorais e os advogados das campanhas de Bolsonaro e Haddad, além do ministro Edson Fachin, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), e do ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann.

(Com Agência Brasil)

Acordo Pecém-Roterdã – Alexandre Pereira representará a Federação das Indústrias do Ceará

O empresário Alexandre Pereira, que responde pela presidência da Federação das Indústrias do Ceará (Fiec) em razão da viagem do titular, Beto Srtudart, aos EUA, vai representar a entidade, nesta sexta-feira (19), às 14 horas, em ato no Palácio da Abolição: a solenidade de assinatura do acordo comercial entre o Governo do Ceará e o Porto de Roterdã, da Holanda.

O acordo, entre o porto holandês e o Complexo Industrial e Portuário do Pecém (Cipp S.A), situado em São Gonçalo do Amarante (RMF), prevê um investimento do Porto de Roterdã de aproximadamente 75 milhões de euros – cerca de R$ 364 milhões, o que garante aos holandeses a participação acionária de 30% do Complexo e o controle conjunto de decisões estratégicas e posições na diretoria executiva, conselho fiscal e nível gerencial.

*“O setor portuário brasileiro ainda tem um enorme potencial a ser explorado, e este acordo com o Porto de Roterdã representa um marco que irá impactar significativamente o setor produtivo do País, tendo o Ceará e suas indústrias como protagonistas neste novo cenário, que não poderia ser mais oportuno, já que o país necessita fortalecer o comércio, com o objetivo de superar a crise econômica. O nosso porto já é uma grande realidade para o Norte e Nordeste e também para todo o Brasil. Com essa potencialização de Roterdã e sua posição geográfica, destacando a proximidade com o Canal do Panamá, certamente teremos um HUB internacional, um grande potencial de crescimento para o nosso Estado, com geração de emprego e renda e impulsionamento da cadeia produtiva”, destacou o presidente Alexandre Pereira.*

O Porto de Pecém movimenta principalmente combustíveis, minerais, produtos siderúrgicos, contêineres e granéis sólidos. Em 2017, o porto movimentou 15,8 milhões de toneladas e a projeção é de que chegue a 45 milhões de toneladas até 2030.

(Foto – Paulo MOska)

FPM – Último repasse para as prefeituras vem menos do que se espera

*

O Fundo de Participação dos Municípios (FPM) referente ao 2º decêndio deste mês de outubro será creditado nesta sexta-feira, 19. A informação é da Confederação Nacional dos Municípios, observando, no entanto, que a verba chegará acompanhada de um cenário que exige cautela das administrações.

O repasse é 15,38% menor que o previsto pela Secretaria do Tesouro Nacional (STN) e, por isso, a CMN alerta que os gestores atuem de forma prudente no planejamento e uso dos recursos para não serem pegos de surpresa com resultados e projeções inesperados.

As contas das prefeituras brasileiras receberão R$ 544.079.326,90, já descontada a retenção do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). Em valores brutos, incluindo o Fundeb, o montante é de R$ 680.099.158,63.

Haddad e Bolsonaro fazem campanha no Rio

Candidatos à Presidência Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT).

O candidato do PT à Presidência da República, Fernando Haddad, passa parte do dia hoje (19) no Rio de Janeiro onde mora o adversário Jair Bolsonaro (PSL). O petista tem um encontro com pesquisadores, professores e estudantes às áreas de ciência e engenharia.

Haddad participa de uma reunião no Clube de Engenharia para o debate “Democracia e soberania: Universidade, Ciência e Engenharia para o desenvolvimento brasileiro”.

Bolsonaro ontem (18) – em uma transmissão ao vivo nas redes sociais indicou que não pretende participar de debates nem tem a intenção de fazer campanhas de rua, o chamado corpo a corpo. Segundo ele, teme pela própria segurança.

A nove dias das eleições, a campanha está mais acirrada e o foco é a disseminação de notícias falsas nas redes sociais e aplicativos.

Os candidatos trocam acusações, enquanto os partidos políticos recorrem à Justiça Eleitoral em busca de providências.

(Agência Brasil)

MP do Ceará promove seminário sobre os 30 anos da Carta Magna

A Escola Superior do Ministério Público do Ceará, organismo do MPC, promoverá nesta manhã de sexta-feira, o seminário “Os 30 Anos da Constituição: nos Bastidores da Constituinte”. O evento é voltado para procuradores e promotores de Justiça, servidores e colaboradores do MPCE, magistrados, defensores públicos, advogados, comunidade acadêmica e sociedade em geral.

Na abertura do seminário, será lançada a Revista Acadêmica da ESMP, que reúne uma seleção de artigos da área jurídica. A manhã contará com palestras sobre os antecedentes históricos da Constituição de 1988, a Constituinte e o Supremo Tribunal Federal e as garantias processuais nos 30 anos de Constituição.

Foram convidados para o evento Paulo Bonavides, professor honoris causa da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa; Paulo Lopo, doutor em Direito Constitucional pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e constituinte da Constituição de 1988; Sérgio Carvalho, pós-doutor pela USP; e Juvêncio Viana, professor da UFC, doutor pela USP e procurador-geral do Estado do Ceará.

(Foto – OAB)

Ação de Ciro e Cid contra o PT foi um tiro no pé, dizem membros da esquerda

Aliados de Fernando Haddad que militam fora do PT afirmam que, se a intenção dos irmãos Ciro e Cid Gomes, do PDT, era a de se preservar para a eleição de 2022 com o tal “apoio crítico” ao presidenciável, eles deram um tiro no pé.

Segundo a Coluna Painel, da Folha de S.Paulo desta sexta-feira, mesmo já projetando a derrota de Haddad, parte da esquerda avalia que o PT se manterá como o principal partido desse campo e que, agora, a legenda ainda vai despontar como a beneficiária do eventual fiasco de um governo Jair Bolsonaro.

(Foto – Jarbas Oliveira)

Lula já admite a derrota de Haddad

2823 19

A um interlocutor que foi visitá-lo na cadeia, em Curitiba (PR), o ex-presidente Lula admitiu abertamente a derrota do candidato Fernando Hadad na eleição. É o que informa a Veja Online.

Na visão dele, e da cúpula do PT, só um grande escândalo poderia mudar o resultado final.

Pela pesquisa Datafolha, a mais recente, divulgada no Jornal Nacional, a rejeição ao candidato Fernando Haddad (PT) superou a de Jair Bolsonaro (PSL) no último levantamento realizado pelo instituto para o segundo turno das eleições deste ano.

Segundo a pesquisa, 54% dos entrevistados não votaria de jeito nenhum no petista, contra 41% para o capitão do Exército.

Considerando os votos por região, Bolsonaro continua vencendo em todas, exceção feita ao Nordeste, onde Haddad tem 53% das intenções de voto, contra 31% do capitão reformado do Exército. No Sudeste, região mais populosa do País, o presidenciável do PSL bate o petista por 55% a 29%. No sul, a diferença chega a 61% contra 27%.

A pesquisa Datafolha foi realizada a pedido da TV Globo e do jornal Folha de São Paulo. Ela tem margem de erro de 2 pontos percentuais para mais ou para menos. Foram entrevistados 9.137 eleitores em 341 municípios entre ontem e hoje. O levantamento foi registrado no TSE com o código BR-07528/2018.

(Também com Agência Estado/Foto – Agência Brasil))

Cid Gomes virou mesmo o garoto-propaganda de Bolsonaro?

Da Coluna do Eliomar de Lima, no O POVO desta sexta-feira:

Mesmo com o senador eleito Cid Gomes (PDT) tendo gravado vídeo garantindo votar em Fernando Haddad, depois de cobrar mea culpa ao PT por ter feito “muita besteria”, a fogueira entre aliados, principalmente no campo petista, ainda queima. O ex-presidente estadual do partido, deputado federal José Airton, que esteve no ato em que Cid desabafou, afirma: “Fiquei indignado. Não era o momento adequado para pedir autocrítica do PT nem para fazer aquelas colocações com os militantes e simpatizantes do Haddad.

Lamento o que Cid fez e, na minha avaliação, ele foi inconsequente e deselegante com os convidados, alguns de Salitre (Cariri), que vieram de muito longe, e com o anfitrião do evento, Camilo Santana.” José Aiton acentua que, assim “como Cid alegou que apoiou Camilo e que o PDT abriu mão da cabeça de chapa, da mesma forma, em 2006, o PT decidiu não me apoiar para governador, mesmo tendo a Luizianne Lins prefeita de Fortaleza e Lula presidente, para apoiá-lo ao Governo.”

José Airton ainda disparou: “Cid prestou um tremendo desserviço à democracia, tornando-se o garoto-propaganda da campanha de Bolsonaro. Mesmo sem querer.”

Haddad cumprirá agenda de campanha entre Fortaleza e Crato

O candidato a presidente da República pelo PT, Fernando Haddad, cumprirá agenda de campanha neste sábado no Ceará. O Diretório Estadual do partido, divulgou a programação intitulado como o “Dia Nacional da Virada”.

A partir das 8 horas, apoiadores do candidato farão uma caminhada, que terá concentração na Praça da bandeira, em Fortaleza. O ato terá encerramento na Praça do Ferreira. Em seguida, Fernando Haddad irá para a Região do Cariri, onde, mais precisamente na cidade do Crato, ocorrerá um ato público, a partir das 15 horas.

Com Fernando Haddad, vão estar a candidata a vice-presidente, Manuela Dávila (PCdoB), Guilherme Boulos (Psol), que disputou a presidência e virou apoiador do candidato petista neste segundo turno, e o governador reeleito, Camilo Santana (PT).

(Foto – Divulgação)

Eleições afogadas por fake news

Com o título “Eleições afogadas por fake news”, eis o Editorial do O POVO:

Causou grande impacto na opinião pública nacional a matéria da Folha de S. Paulo, publicada ontem, dando conta de que empresas estão comprando pacotes de disparos em massa de mensagens contra um dos candidatos à corrida eleitoral (o do PT) através do WhatsApp, difundindo inverdades (fake news) sobre suas propostas e atingindo sua honra pessoal e a de seus familiares. Cada contrato encampado por empresários chegaria a R$ 12 milhões, em flagrante violação da legislação eleitoral (caixa 2). Isso possibilita o financiamento de disparos de centenas de milhões de mensagens aos eleitores, fazendo-lhes uma verdadeira “lavagem cerebral” em favor do candidato Jair Bolsonaro (PSL), segundo a constatação da investigação jornalística.

Esta se deparou com a articulação de uma grande operação para ocasionar uma onda gigantesca de fake news na semana anterior ao segundo turno. Como isso ocorre? As empresas compram um serviço chamado “disparo em massa”, usando a base de usuários do próprio candidato ou bases vendidas por agências de estratégia digital – o que também seria ilegal, pois a legislação eleitoral proíbe compra de base de terceiros, só permitindo o uso das listas de apoiadores do próprio candidato (números cedidos voluntariamente). Ao utilizarem bases de terceiros, essas agências oferecem segmentação por região geográfica e, às vezes, por renda. Isso permite fornecer ao cliente relatórios de entrega contendo data, hora e conteúdo disparado. Às vezes, as bases de usuários são fornecidas ilegalmente por empresas de cobrança ou por funcionários de empresas telefônicas.

Outro recurso é a geração de números estrangeiros automaticamente por certos sites que seriam repassados para administradores e participantes de grupos. Com códigos de área de outros países, sobretudo EUA, esses administradores escapam dos filtros de spam e das limitações impostas pelo WhatsApp, fazendo chegar a mesma mensagem automaticamente para até 20 pessoas ou grupos de até 256 integrantes. A isso se adicionam algoritmos que segmentam os membros dos grupos entre apoiadores, detratores e neutros, e, desta maneira, conseguem customizar de forma mais eficiente o tipo de conteúdo que enviam.

Ou seja, esses procedimentos poderão resultar em distorção e comprometimento do processo eleitoral, o que seria grave para o destino da democracia brasileira. O sistema de Justiça é chamado a dar uma palavra sobre essa grave denúncia. A Nação precisa estar tranquila quanto à lisura de uma decisão que terá consequências incontornáveis sobre a vida de cada um de seus cidadãos. A democracia deve estar acima de tudo.