Blog do Eliomar

Categorias para Brasil

Ciro divulga jingle de campanha apregoando que é a mudança

O candidato a presidente da República pelo PDT, Ciro Gomes, disponibilizou em suas redes sociais o seu jingle de campanha. Na peça, a imagem de um nome experiente na política e na administração e que apregoa mudança e esperança para o povo brasileiro.

Ciro, aliás, estará abrindo sua campanha em Fortaleza, mais precisamente a partir das 19 horas deste sábado. No ato, a inauguração do comitê de campanha do deputado federal André Figueiredo, que é o presidente do PDT do Ceará.

O presidente nacional Carlos Lupi e o prefeito Roberto Cláudio também estarão presentes ao ato. O governador Camilo Santana (PT) foi convidado.

Mesmo após revezes, PSDB avalia que Aécio Neves pode ser o deputado mais votado em Minas

332 1

Mesmo com todos os revezes desde a delação da JBS, integrantes da bancada tucana na Câmara apostam que Aécio Neves (PSDB-MG) deverá ser o deputado mais votado no partido no Estado.

Nas contas dos aliados, segundo informa a Coluna Painel, da Folha de S.Paulo desta quinta-feira, Aécio poderia ter até 300 mil votos, colhidos especialmente em Belo Horizonte.

(Foto – Pedro Ladeira, da Folhapress)

Marina Silva vem fazer campanha em Fortaleza sem ter nome para o Governo do Ceará

A candidata a presidente da República pela Rede, Marina Silva, vem ao Ceará, em clima de campanha, no início de setembro. A agenda dela, bom destacar, é feita por um cearense: Pedro Ivo, que já foi militante ferrenho do PT, tendo passado pelo PV.

Por aqui, a Rede não tem candidato ao Governo e aposta apenas num nome para o Senado: o ambientalista João Saraiva, que disputa vaga de senador.

A Rede ainda não se manifestou acerca de apoio a um nome para a segunda vaga de senador.

(Foto – Agência Brasil)

Eletrobras vai reabrir plano de demissão de funcionários

A Eletrobras vai reabrir o Plano de Demissão Consensual (PDC) neste segundo semestre. O presidente da companhia, Wilson Ferreira Júnior, disse hoje (15) que na primeira etapa houve a adesão de 736 empregados, avaliada por ele como baixa diante da expectativa de alcançar entre 2500 a 3000 profissionais do quadro da empresa.

Segundo o presidente, esse efetivo é para fazer frente a uma saída de pessoas da área administrativa, resultado de programas desenvolvidos para organização interna, incluindo a redução de cargos que tinham funções semelhantes.

“Isso explica um pouco porque foi menos. Um motivador das pessoas sair é não ter o que fazer, hoje elas têm o que fazer, na medida em que se for implantando [os programas] vai ficando mais claro para as pessoas e se faz a opção. Por isso, estamos esperando uma segunda janela neste segundo semestre”, disse.

Segundo o presidente, a data de início da nova etapa será anunciada nos próximos dias e não haverá mudança na lista de benefícios, que ele identifica como um bom incentivo. “É o mesmo plano que será reaberto com as mesmas condições e mesmos benefícios. Não vai melhorar nenhum benefício”, disse.

A empresa propôs no PDC o pagamento da multa do FGTS, somado ao aviso prévio correspondente a três salários do empregado, mais 50% relativos à soma dos valores da multa e do aviso prévio, além de cinco de plano de saúde.

Na visão do presidente, entre as razões da baixa adesão está a avaliação de que o momento da economia e do mercado de trabalho não é propício. Segundo ele, para os que pretendem continuar com uma vaga de emprego fora da empresa, com o panorama atual, seria difícil uma realocação. Apesar disso, Ferreira Júnior acredita que a situação pode alterar com a retomada da economia e se houver uma perspectiva mais efetiva de Reforma da Previdência.

“Estamos esperando ter uns fatos que mobilizam as pessoas, entre elas, a entrada dos sistemas, ativar o Centro, as pessoas que estão em idade de aposentadoria e as reformas ficarem mais evidente que vão acontecer, os debates [da campanha eleitoral] vão levar a isso”, observou.

Pelos cálculos da empresa, a adesão dos 736 empregados representa economia anual para a Eletrobras de R$ 231 milhões. O presidente inseriu a questão de pessoal em uma das evoluções do Plano de Desafios para o período 2021/22.

Leilão de distribuidoras

Sobre a venda das distribuidoras da Eletrobras, Wilson Ferreira Júnior disse que o leilão está mantido para o dia 30 de agosto, ainda que a votação do projeto de lei que trata do assunto não seja concluída no Senado até esta data. O presidente está confiante na aprovação do projeto no Senado, como ocorreu na Câmara. “Estou positivo com relação ao leilão”, pontuou.

Até o momento, a única distribuidora leiloada foi a Companhia Energética do Piauí (Cepisa), cuja venda ocorreu no dia 26 de julho. No próximo dia 30, está previsto o leilão das distribuidoras: Companhia de Eletricidade do Acre (Eletroacre), Centrais Elétricas de Rondônia (Ceron), Boa Vista Energia, e Amazonas Distribuidora de Energia (Amazonas Energia).

Segundo o presidente, a dívida das distribuidoras assumida pela Eletrobras é de R$ 11,2 bilhões. Ele ressaltou que o importante é a empresa não continuar aplicando recursos nas distribuidoras, que não têm bom rendimento, pela falta de capacidade de investimentos da companhia. Já com relação ao PL de privatização da Eletrobras, o executivo acha que a tarefa ficará para o próximo governo.

Custos

Ainda na área de redução de gastos, o executivo anunciou que a empresa vai inciar no dia 7 de setembro a mudança da sede, que atualmente funciona na Avenida Presidente Vargas, no centro da cidade para um outro na esquina das ruas da Quitanda com Conselheiro Saraiva, na mesma região. Com isso, a companhia que, incluindo a sede, há dois anos, usava seis endereços diferentes no Rio, passará a se instalar em apenas dois. “Nós gastávamos R$ 3 milhões por mês com aluguel e vamos gastar R$ 1 milhão. Serão R$ 24 milhões por ano de economia”, disse.

Angra 3

Bolsonaro usará munição contra Ciro e Camilo

Da Coluna do Eliomar de Lima, no O POVO desta quinta-feira:

O candidato a presidente da República pelo PSL, Jair Bolsonaro, gravou vídeos para a propaganda eleitoral gratuita do postulante ao Governo do Ceará, advogado Hélio Gois (PSL). Bolsonaro priorizou, no entanto, as inserções de 30 segundos que a legenda terá direito, já que, no horário gratuito, Gois não deve ter nem 10 segundos de tempo. Ficou acertado também que Gois não usará o dinheiro do fundo partidário e apostará em doações espontâneas. Tanto Gois como o presidente estadual do PSL, Heitor Freire, recebidos por Bolsonaro nesta semana, em Brasília, aproveitaram para, como informaram a este colunista, “municiar” o capitão da reserva de dados sobre a realidade da gestão Camilo Santana. Bolsonaro acertou uma estratégia: quer ganhar votos no Ceará batendo em Ciro Gomes, mas sem poupar o PT do governador.

(Foto – Agência Brasil)

E.K. Peterson, o autor cearense que faz sucesso no site Amazon

Um autor cearense está fazendo sucesso no site da Livraria Amazon.

E.K Peterson é o pseudônimo que ele usa para assinar “A Fruta dos Olhos – Um conto fantástico”, um conto do gênero terror que está fazendo sucesso entre os internautas. Na última terça-feira, o título chegou a ser o segundo mais vendido na Amazon, perdendo apenas para o “Drácula”, de Bram Stoker.

O cearense E. K Peterson, que não quer revelar seu nome verdadeiro, também assina “O Abraço”, “Martin e Bhai no Castelo Romeveli” e “A feitora de cestas”

Eleições 2018 – Uma nova polarização entre PT e PSDB

Com o título “Uma nova polarização entre PT e PSDB”, eis artigo de Cleyton Monte, cientista político, pesquisador do Laboratório de Estudos sobre Política, Eleições e Mídia (Lepem) e membro do Conselho de Leitores do O POVO. Para ele, qualquer “análise que exclua PT e PSDB do cálculo eleitoral está fadada ao fracasso.” Confira:

PT e PSDB se revezam na presidência da República há duas décadas. Os dois partidos possuem grande representatividade nos espaços institucionais e voz na opinião pública. O PT defende uma maior participação do Estado na economia e na redução das desigualdades. O PSDB adota a tese de uma menor presença do Estado na vida econômica, centralizando o papel da iniciativa privada nos planos de desenvolvimento e redução das desigualdades. O cientista político Alberto Carlos Almeida demonstrou em sua última obra (O voto do brasileiro) como a classe média foi progressivamente se identificando com o PSDB e os mais pobres se aproximaram do PT. A tentativa de construir uma terceira via naufragou com Ciro Gomes (2002) e Marina Silva (2010 e 2014). A continuidade da polarização PT-PSDB é um dos dilemas das eleições de 2018.

Um furacão de grandes proporções vem assolando o sistema político brasileiro desde o fim das eleições de 2014. Os escândalos de corrupção, o impeachment de Dilma, o avanço da operação Lava Jato, a politização do Judiciário e o crescimento da ultradireita são os sinais mais expressivos desse turbilhão. Os principais partidos da disputa presidencial não saíram ilesos da destruição. O PT encolheu nas eleições de 2016, tornou-se alvo de uma série de denúncias de corrupção e acompanhou a dramática prisão de Lula. O PSDB, apesar do crescimento na última eleição local, deu sustentação política ao desastroso governo Temer e assistiu Aécio, Serra e Alckmin protagonizarem (com menos destaque midiático) investigações de desvio de recursos públicos.

O cenário permanece indefinido. Segundo as pesquisas de intenção de voto, Lula continua liderando isoladamente, seguido de longe por Bolsonaro, Marina e Ciro. Os opositores do petista garantem que o confronto PT-PSDB ficou no passado. Contudo, Alckmin, apesar do desempenho pífio nas pesquisas, ostenta a maior coligação e Haddad, se confirmado candidato, inicia a campanha com 13% de intenções de voto. Assim, qualquer análise que exclua PT e PSDB do cálculo eleitoral está fadada ao fracasso. Mesmo com todos os abalos, tucanos e petistas resistem. A questão agora é saber se o brasileiro deseja ver novamente esse embate.

*Cleyton Monte

cleytonufc@hotmail.com

cientista político, pesquisador do Laboratório de Estudos sobre Política, Eleições e Mídia (Lepem) e Membro do Conselho de Leitores do O POVO.

Eleitor que for doar para partido ou candidato deve ficar atento com o Imposto de Renda

Com a campanha eleitoral tendo início nesta quinta-feira pelas ruas de todo o País, vale o alerta: eleitor que quiser fazer alguma doação a partidos ou candidatos – sobretudo neste ano, com a facilidade das vaquinhas virtuais -, deverá prestar contas aà Receita Federal e ficar atento para não cair em fraudes ou na malha fina do Imposto de Renda (IR) a ser declarado no ano que vem.

De acordo com a Recieta, o eleitor pode doar até 10% dos rendimentos brutos que obteve no ano passado, mas há ainda um teto de R$ 1.064,10 por dia no financiamento coletivo.

Outra. Os dados devem ser informados na ficha de “Doações a Partidos Políticos, Comitês Financeiros e Candidatos a cargos efetivos” no programa de declaração do IR 2019.

Cabo Daciolo já ultrapassa em pesquisa Meirelles, Boulos e Amoêdo

Mais conhecido por denunciar delirantes planos de dominação comunista, Cabo Daciolo (Patriota) pode se gabar da posição invejável entre os nanicos.

Segundo informa a Veja Online, com 1,2% de intenção de votos revelados na última pesquisa do Instituto Paraná no cenário sem Lula, Daciolo ficou à frente de João Amoêdo (Novo), que tem 1,1%, Henrique Meirelles (MDB), com 0,9%, e Guilherme Boulos (PSol), com 0,7%.

Registrada sob o número BR -02891/2018, a pesquisa utilizou uma amostra de 2.002 eleitores através de entrevistas pessoais em 26 estados e no Distrito Federal e em 168 municípios entre os dias 9 e 13 de agosto. A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.

(Foto – Reprodução de TV)

Inflação pelo IGP-10 fecha em 0,51% em agosto

A inflação – medida pelo Índice Geral de Preços-10 (IGP-10) – desacelerou em agosto, fechando em 0,51%, resultado 0,42 ponto percentual menor que a alta de 0,93% de julho. Com o resultado, o índice acumula alta de 6,61% nos primeiros oito meses do ano, enquanto a taxa acumulada nos últimos doze meses é de 8,78%.

Os dados foram divulgados hoje (15), no Rio de Janeiro, pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre FGV).

Em agosto do ano passado, o IGP-10 havia fechado com deflação (inflação negativa) de 0,17%. Segundo a FGV, a queda do indicador reflete desaceleração de preços nos três componentes que formam o IGP-10.

(Agência Brasil)

64% do eleitorado acha que a candidatura de Lula será impugnada

Em sua nova pesquisa, o Instituto Paraná quis saber como o eleitor vê a situação da candidatura de Lula.

Para 64%, o ex-presidente será impedido pelo Tribunal Superior Eleitoral de tentar a Presidência da República novamente. Outros 30,4% disseram que ele conseguirá ser candidato, enquanto 5% não sabe ou não quis opinar. A informação é da Coluna Radar, da Veja Online.

(Foto – Marlene Bergamo, da Folhapress)

Prévia do PIB do Banco Central apresenta retração de 0,99% no segundo trimestre do ano

O Banco Central divulgou, nesta quarta-feira, que a  economia brasileira registrou contração no segundo trimestre deste ano. De acordo com a instituição, o chamado Índice de Atividade Econômica (IBC-Br) registrou uma queda de 0,99% na comparação com os três primeiros meses deste ano. Esse número foi calculado com “ajuste sazonal”, uma “compensação” para comparar períodos diferentes de um ano. A informação é do Portal G1.

Segundo o BC, essa foi a maior queda do IBC-Br desde o primeiro trimestre de 2016 – quando o indicador registrou um tombo de 1,51% na comparação com os três meses anteriores. Esse recuo, no segundo trimestre deste ano, aconteceu após uma expansão de 0,20% nos três primeiros meses de 2018 (número revisado) e uma alta de 0,76% no último trimestre de 2017.

O IBC-Br, do Banco Central, é um indicador criado para tentar antecipar o resultado do PIB, que é calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Os números oficiais do PIB do segundo trimestre deste ano serão divulgados no dia 31 de agosto.

“Nunca antes na história deste País…”, nos decepcionamos tanto

Com o título “”Nunca antes na história deste País…”, nos decepcionamos tanto”, eis artigo de Leandro Vasques, advogado criminalista, mestre em Direito pela UFPE e filiado ao PSDB. Ele aborda este período eleitoral onde até amizades podem sucumbir diante das paixões políticas. Confira:

O período eleitoral se descortina, as candidaturas estão se desenhando e as posturas políticas vão sendo despertadas em boa parte dos eleitores. Um terreno fértil para o debate de ideias, mas também para hostilidades, principalmente nas redes sociais, um manancial inesgotável de informações – sejam elas verdadeiras ou falsas.

O ano de 2018 traz um ambiente eleitoral complexo, pelo contexto pós-impeachment e pelas denúncias contra o governo interino, o que produz no cidadão brasileiro um quase compulsório sentimento de mudança. Ao mesmo tempo, parte dos eleitores ainda se apega à velha política, defendendo-a como forma de recuperar o Brasil da crise instalada. Temos inclusive a peculiar situação de um condenado da Justiça, preso, anunciar sua candidatura à Presidência da República. “Nunca antes na história deste País” nos decepcionamos tanto.

Nesse cenário em ebulição, até as amizades são ameaçadas. Como poetizou Mário Quintana, a amizade é uma espécie de amor que nunca morre, e não deve ser vitimada por esgrimas partidárias, as quais se renovam intermitentemente a cada biênio, ora em nível local, ora em nível nacional. E também como versejou Vinícius de Moraes, acerca das vicissitudes da amizade: “Enfim, depois de tanto erro passado/ Tantas retaliações, tanto perigo/ Eis que ressurge noutro o velho amigo/Nunca perdido, sempre reencontrado.” Assim, é incompreensível que pessoas se digladiem visceralmente por política, assim como por futebol. Os campos futebolísticos são mais propensos a embates apaixonados, afinal a opção por um determinado time, no mais das vezes, desafia a razão e resiste a toda e qualquer demonstração lógica. No entanto, o coliseu político tem oportunizado o mesmo tipo de escaramuça, transbordante de furor e carente de bom senso. A autovigilância é boa conselheira nesses momentos.

Lembre que muitos dos postulantes que antes se destilavam veneno agora se abraçam. Você tem todo democrático direito de apoiar o candidato que lhe transmite maior confiança – assim como seus amigos também têm. Não permita que esse efêmero período imploda amizades com décadas de existência, afinal, ainda conforme Quintana, “eles passarão, eu passarinho”.

*Leandro Vasques

leandrovasques@leandrovasques.com.br

Advogado, mestre em Direito pela UFPE e conselheiro da Escola Nacional da Advocacia (ENA).

Cármen Lúcia está na presidência do País outra vez

Antes de embarcar para o Paraguai, na manhã de hoje (14), o presidente Michel Temer transmitiu o cargo a presidente do Supremo Tribunal Federal, Cármen Lúcia, na Base Aérea de Brasília. Essa é a quinta vez neste ano que Cármen Lúcia assume interinamente o comando do país. Temer vai ao Paraguai para acompanhar a cerimônia de posse do presidente Mario Abdo Benítez.

Ao contrário do que foi divulgado na semana passada, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e o presidente do Senado, Eunício Oliveira, não acompanham Temer na viagem ao Paraguai. Eles optaram por viajar para a Argentina para compromissos particulares, de acordo com as assessorias dos parlamentares.

Desde o mês de abril, os presidentes das duas Casas têm deixado o Brasil todas as vezes que Temer tem compromissos no exterior, para não assumirem interinamente a presidência o que os deixariam impedidos de disputar cargo eletivo no pleito de outubro, de acordo com o previsto na lei eleitoral.

Como o Brasil não tem vice-presidente desde o impeachment de Dilma Rousseff, os primeiros na linha sucessória para assumir o comando do país na ausência de Temer são o presidente da Câmara, seguido pelo presidente do Senado e então o presidente do Supremo Tribunal Federal.

A previsão é que o presidente Michel Temer retorne a Brasília no meio da tarde de hoje.

(Agência Brasil/Foto – CNJ))

Carta de Lula será lida para a militância antes do pedido de registro de sua candidatura

Uma carta de Lula será lida no ato de seu registro na corrida eleitoral, nesta quarta (15), para a militância que promete lotar o entorno do Tribunal Superior Eleitoral. Nela, segundo informa a Coluna Painel, da Folha de S.Paulo, Lula diz que não quer favores da Justiça Eleitoral.

“Quero apenas os direitos que vêm sendo reconhecidos pelos tribunais há anos em favor de centenas de outros candidatos.” O ex-presidente diz que é vítima de uma caçada judicial e que só a morte, a renúncia ou um ato do TSE pode rifá-lo. “Não pretendo morrer nem cogito renunciar. Vou brigar até o final.”

Caberá a Fernando Haddad (PT), candidato a vice de Lula, ler a carta para a militância. Na versão prévia do texto, ele não era mencionado nominalmente pelo ex-presidente.

(Foto – Lula Marques, Agência PT)

Meirelles culpa gestão Dilma pelo desarranjo da economia

566 5

O candidato a presidente da República pelo MDB, Henrique Meirelles, afirmou, nesta quarta-feira, que o desarranjo da economia brasileira não é de sua responsabilidade e que começou no governo de Dilma Rousseff (PT), do qual não fez parte. A declaração foi dada ao jornalista Luiz Viana, dentro do programa O POVO no Rádio, da Rádio O POVO/CBN.

Meirelles, que integrou como presidente do Banco Centra a Era Lula, garantiu que colaborou para criar mais empregos, reduzir a inflação e aumentar as reservas brasileiras de R$ 38 bi para R$ 280 bilhões.

Ele, no entanto, se esquivou ao ser indagado sobre sua passagem como ministro da Fazenda do Governo Temer, que cortou quatro milhões de beneficiários do Bolsa Família e criou o teto do gasto do orçamento público. Meirelles culpou todo o cenário à crise internacional.

DETALHE – Luiz Viana vem entrevistando os candidatos a presidente. Já ouviu Fernando Haddad, do PT, que está como vice de Lula.

(Foito – Agência Brasil)

Casal tenta usar cartão do Bolsa Família para pagar conta em motel

Um casal apresentou o cartão do Bolsa Família na saída de um motel de Maringá, no norte do Paraná, e disse que não tinha dinheiro para pagar as despesas, na noite de segunda-feira (13). Segundo a gerente do estabelecimento, Luzia Nogueira Batista, o casal queria pagar R$ 45,80 de produtos que foram consumidos com o cartão do benefício. Porém, a empresa não aceitou. A informação é do Portal G1.

“Como eles informaram que só poderiam pagar o valor com o cartão do Bolsa Família e, pelas regras não podemos aceitar, chamamos a polícia”, diz.

A Polícia Militar (PM) foi chamada e fez um registro de comunicação de ocorrência. Segundo a gerente, agora o motel tem cinco dias para fazer o Boletim de Ocorrência na delegacia.

“Vamos fazer o boletim para tentarmos receber esse dinheiro de volta”, explicou a gerente.

A PM informou que ninguém foi preso nesse caso. Só há o registro de solicitação de atendimento para registrar Boletim de Ocorrência porque um cliente não tinha dinheiro para pagar a conta.

Após quatro eleições, patrimônio de Bolsonaro cresce 427%

Em 12 anos, Jair Bolsonaro aumentou o seu patrimônio em R$ 1,85 milhão. Ou seja, 42%, segundo informa a Veja Online. O candidato à Presidência pelo PSL teve sua lista de bens liberada agora há pouco pelo TSE. O total do seu patrimônio é de R$ 2.286.779,48.

Em 2014, quando concorreu a deputado federal, Bolsonaro declarou R$ 2.074.692,43.

Quatro anos antes, em 2010, quando concorreu ao mesmo cargo, o total de bens do capitão era de R$ 826.670,46.

Em 2006, era de R$ 433.934,48.

(Foto – Agência Brasil)