Blog do Eliomar

Categorias para Brasil

Índice de Confiança Empresarial recua 0,1 ponto em agosto

O Índice de Confiança Empresarial (ICE), medido pela Fundação Getulio Vargas (FGV), caiu 0,1 ponto na passagem de julho para agosto de 2019, para 93,9 pontos, em uma escala de zero a 200. O indicador consolida os índices de confiança dos quatro setores da economia: indústria, serviços, comércio e construção.

O Índice de Situação Atual, que mede a confiança dos empresários no momento atual, subiu 1,1 ponto em agosto e chegou a 91,3 pontos, o maior patamar desde fevereiro de 2019 (91,4 pontos).

O Índice de Expectativas, que mede a confiança dos empresários nos próximos meses, recuou 0,8 ponto e chegou a 99,8 pontos, depois de avançar nos quatro meses anteriores.

A confiança dos empresários de serviços recuou em agosto (-1,1 ponto). As demais tiveram alta: indústria (0,8 ponto), comércio (3,2 pontos) e construção (2,2 pontos).

Ainda em agosto, a confiança avançou em 55% dos 49 segmentos que integram o indicador. No mês anterior, o aumento da confiança havia atingido 67% deles.

(Agência Brasil)

Transposição – Ministro visita estruturas do Eixo Norte do projeto ao lado de Camilo Santana

O ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, vai fazer uma vistoria, nesta sexta-feira, nas estruturas do Eixo Norte do Projeto de Integração do Rio São Francisco e acompanhar a retomada dos testes de bombeamento de água na terceira estação elevatório do trecho (EBI-3), em Salgueiro (PE).

Atualmente, o Eixo Norte está com 97% de execução física. A informação é da assessoria de imprensa da pasta. O governador Camilo Santana participará dessa vistoria.

Acionado o bombeamento da EBI-3, as águas do rio São Francisco seguirão pelas próximas estruturas, que contemplam 60 quilômetros de extensão – incluindo dois açudes – até chegar ao Reservatório de Jati, ponto de captação para o Cinturão das Águas do Ceará (CAC), empreendimento que ajudará no abastecimento da Região Metropolitana de Fortaleza.

No trecho em Salgueiro, foi constatada, em 2018, a necessidade de realização de reparos no Dique Negreiros. A estrutura precisou ser esvaziada para a execução dos serviços. O bombeamento, que chegou a ser interrompido na região, já foi retomado nas estações localizadas antes da EBI-3.

PSB vai decidir se expulsa 10 parlamentares que votaram a favor da reforma da Previdência

O Diretório Nacional do PSB vai se reunir nesta sexta e no sábado, em Brasília, para tratar do processo de autorreforma do partido e apreciar os pareceres do Conselho de Ética sobre os 10 deputados federais que votaram a favor da reforma da Previdência.

Nesta sexta-feira, a reunião terá início com a votação de resoluções e prossegue com o tema da conferência nacional sobre a autorreforma do PSB, marcada para novembro, e que pretende atualizar o seu Manifesto de 1947 e o programa partidário.

Em um vídeo que será exibido durante a reunião, o presidente nacional, Carlos Siqueira, falará sobre a crise do sistema político-partidário e os propósitos do processo de autorreforma.

Por fim, serão apreciados os dez processos abertos na Comissão de Ética sobre os votos de parlamentares favoráveis à reforma da previdência. Cada deputado terá oportunidade de defesa oral.

DETALHE – Pela primeira vez, o partido transmitirá a reunião do colegiado ao vivo pela TV40, pelo Facebook e Youtube.

(Foto – Reprodução)

FPM – Parcela cai na conta das Prefeituras nesta sexta-feira

Entra na conta das prefeituras brasileiras nesta sexta-feira a parcela referente ao 3º decêndio do Fundo de Participação dos Municípios (FPM). No total, as 5.568 prefeituras vão receber o valor de R$ 1.939.230.690,90, já descontada a retenção do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). Em valores brutos, incluindo o Fundeb, o montante chega a R$ 2.424.038.363,63.

Segundo a Secretaria do Tesouro Nacional (STN), o 3º decêndio de agosto deste ano, comparado com mesmo decêndio do ano anterior, apresentou um crescimento de 3,10% em termos nominais, que não consideram os efeitos da inflação. O acumulado do mês, em relação ao mesmo período do ano anterior, teve crescimento de 8,09%.

SERVIÇO

*Confira quanto seu Município vai receber de repasse do 3º decêndio do FPM aqui.

Projeto quer isentar pagamento do IPVA durante vigência de contrato de leasing de automóveis

Em tramitação na Câmara um projeto de lei que trata da isenção de pagamento do IPVA do veículo objeto do contrato de arrendamento (leasing), passando este a ser obrigação daquele que detém a propriedade do veículo durante a vigência do contrato, ou seja, da sociedade de arrendamento mercantil. O autor é o deputado federal cearense AJ Albuquerque (PP). Ele quer alterar a Lei 11.649, de 4 de abril de 2008.

Na legislação atual, a transferência da propriedade do veículo para o nome do arrendatário só se dará ao final do contrato de arrendamento mercantil, mediante manifestação formal pela opção de compra do bem e, mesmo assim, os encargos do IPVA são a cargo do arrendatário. Sendo assim, explica AJ Albuquerque, “a cobrança do IPVA não deve recair sobre o arrendatário, uma vez que este não está investido do papel de proprietário do veículo objeto do contrato de arrendamento mercantil durante a vigência do mesmo”.

Para o Deputado, o mais justo seria o pagamento do tributo permanecer como obrigação daquele que detém a propriedade do veículo durante a vigência do contrato de arrendamento mercantil. “Se o IPVA é o imposto sobre propriedade de veículos automotores, por que o consumidor tem que pagar esse imposto durante o leasing? Se durante este o carro é de propriedade do banco”, afirma o parlamentar.

O parlamentar ressalta ainda que o projeto de lei visa corrigir um erro que vem se prolongando ao longo do tempo na legislação que trata do arrendamento mercantil de veículos no Brasil e que, segundo ele, colocou a cargo do arrendatário, de forma injusta, os encargos referentes à propriedade do veículo. “Esse projeto de lei vem para respeitar a lei e os direitos do consumidor”, assegura o Deputado AJ Albuquerque.

(Foto – Facebook)

Governo federal quer contratar via concurso celetistas e temporários

252 2

O governo do presidente Jair Bolsonaro avalia flexibilizar as regras de contratação de novos servidores públicos. A informação é do secretário especial de Desburocratização do Ministério da Economia, Paulo Uebel, em entrevista ao Portal G1. Segundo ele, está em estudo, por exemplo, a contratação de celetistas e de funcionários temporários via concurso.

A flexibilização deve constar da proposta reforma administrativa a ser enviada ao Congresso Nacional. De acordo com o secretário, o governo não quer abrir mão de concursos públicos, mas, sim, dar maior agilidade na demissão de funcionários quando houver necessidade de cortar gastos.

“Para algumas funções de Estado, com características fundamentais, continua [contratando] estatutário. Algumas funções que têm características de sazonalidade, de demanda decrescente, [o governo] vai optar por um regime de contrato temporário. Projetos específicos, pode fazer por projeto, por mandato. Pode ter modelo de terceirização, pode ter celetista”, declarou o secretário.
“O que o poder público precisa ter é alavancas para poder servir melhor sem ficar engessado. No modelo engessado de hoje, infelizmente, os resultados não satisfazem a sociedade”, acrescentou Uebel.

Segundo o secretário, não haverá estabilidade para os funcionários públicos celetistas que forem contratados, de modo que eles poderão ser demitidos mais facilmente.

“O país teve uma recessão, um problema financeiro, comprimiu investimentos, que são fundamentais para o cidadão, mas não comprimiu gastos com a folha [de salários]. Porque não tem flexibilidade. A ideia é ter um ‘core’ [núcleo] que seja o principal, estático, obrigatório, e ter uma parte mais flexível, para ajustar em momentos de crise”, disse Uebel.

(Foto – AFP)

Regionalização da saúde começa a partir de 2020, avisa ministro

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, participa da 7ª Reunião Ordinária da Comissão Intergestores Tripartite, na sede da Organização Pan-americana de Saúde (Opas), em Brasília.

O ministro da Saúde, Luis Henrique Mandetta, anunciou hoje (29), que em 2020 a pasta atuará firmemente para tirar do papel o projeto de reorganizar as cidades brasileiras em distritos sanitários, que passarão a compartilhar alguns serviços de saúde pública.

“A equipe [ministerial] já está trabalhando e, agora, começa a regionalização. Ano que vem, a regionalização vai sair do papel”, disse Mandetta durante a 7ª Reunião Ordinária da Comissão Intergestores Tripartite, em Brasília.

O foro de debates, responsável por pactuar a organização e o funcionamento das ações e serviços de saúde integrados em redes de atenção à saúde, tem a participação de representantes do Ministério da Saúde, do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) e do Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems), e discutiu aspectos como a reestruturação da Atenção Primária à Saúde, o aprimoramento do programa Mais Médicos e a situação do sarampo no Brasil.

Discutida há anos, a regionalização é uma pauta encampada por Mandetta desde que assumiu o ministério. Já durante a cerimônia de posse no cargo, o ministro manifestou a intenção de, a exemplo de seu antecessor, Gilberto Occhi, seguir discutindo o projeto de regionalização da saúde com representantes do Conass e do Conasems.

Outra linha de ação defendida por Mandetta durante a posse, e retomada hoje (29), é a necessidade de tornar os gastos mais eficientes em um cenário de crise financeira. “Este é um ano difícil. Estamos fazendo um orçamento real para o ano que vem, sem maiores projeções, já que, se [a melhora da atividade econômica acontecer] podemos dizer que arrecadamos mais que a expectativa. Então, há que se fazer mais com o que temos. Essa tem sido a tônica do ministério. Por isso, a gente fica segurando e segurando despesas, para ver se conseguimos melhorar um pouco a performance, essa busca por métricas. Os investimentos vão ser basicamente para melhorar nossas condições de gestão”, disse Mandetta.

O ministro fez críticas às emendas impositivas de parlamentares. “Tenho conversado muito com os parlamentares sobre a questão das emendas impositivas, que criaram uma massa de recursos muito grande a ser ordenada pelos parlamentares, às vezes sem qualquer conexão com o gestor. E a ordenação [de despesas] pela ótica política normalmente não dá certo. São mais de R$ 10 bilhões”, disse o ministro, acrescentando não ter “um formato” alternativo.

“Ou acreditamos que a presença do Estado tem que ser menor em áreas em que ele não tem que estar, que a performance tem que ser melhor e que temos que parar de gastar dinheiro desnecessariamente e estimular a economia, ou, disse o ministro, sem concluir o pensamento. Ele disse, no entanto, estar conversando com o ministro da Economia, Paulo Guedes, sobre as urgências financeiras do setor.

“Estamos vendo como trazer todo mundo para mesa para discutirmos”.

(Agência raBsil)

Encceja 2019 -Prazo para recursos termina nesta sexta-feira

Termina nesta sexta-feira (30) o prazo para recursos de quem participou do Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja). A prova foi aplicada no último domingo (25), com 1,1 milhão de participantes dentro de um universo de 3 milhões de inscritos.

Os recursos são um instrumento para quem fez o teste poder questionar determinado item ou requerer a revisão do desempenho em alguma parte das perguntas, caso se sinta prejudicado de alguma maneira pelo conteúdo das tarefas. Quem desejar fazer a contestação deve apresentá-la por meio do site do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep).

Os mais de 1,1 milhão de participantes representaram um aumento de 45% em relação à última edição do Encceja, um recorde histórico segundo o ministro da Educação, Abraham Weintraub. No total, inscreveram-se pessoas de 613 municípios de todas as regiões do país.

Divulgação/ MEC

Os gabaritos devem ser divulgados no dia 6 de setembro. Já os resultados estão previstos para dezembro, em dia ainda não divulgado pelo Ministério da Educação.

O Encceja é voltado para pessoas que não terminaram os estudos na idade adequada e desejam obter a certificação de conclusão do ensino fundamental ou médio. Para o certificado de ensino fundamental a idade mínima é de 15 anos. Já para o de ensino médio, o exigido é pelo menos 18 anos.

Encceja Exterior

Já quem vai fazer o Encceja Exterior, para brasileiros residentes em outros países, já pode conferir os locais de prova. Eles podem ser conhecidos por meio do cartão de confirmação de inscrição, que pode ser acessado pela página do candidato.

O exame será aplicado em 18 cidades em 12 países: Bruxelas (Bélgica); Barcelona e Madri (Espanha); Boston, Houston, Nova Iorque e Miami (Estados Unidos); Paris (França); Caiena (Guiana Francesa); Amsterdã (Holanda); Roma (Itália); Nagoia, Hamamatsu e Tóquio (Japão); Lisboa (Portugal); Londres (Reino Unido), Genebra (Suíça) e Paramaribo (Suriname) .

(Agência Brasil)

Contas públicas têm déficit de R$ 5,9 bilhões, o menor em cinco anos

215 2

As contas públicas fecharam julho com o melhor resultado para o mês desde 2014. O déficit primário, que são as receitas menos as despesas, sem considerar os gastos com juros, ficou em R$ 5,995 bilhões, informou hoje (29) a Secretaria do Tesouro Nacional.

Em julho de 2018, o déficit primário do Governo Central foi maior: R$ 7,488 bilhões. “Essa melhora é explicada, pela elevação real da receita líquida em R$ 4,3 bilhões (3,9%) acima da elevação real da despesa total de R$ 2,6 bilhões (2,2%)”, diz o Tesouro.

Nos sete meses do ano, o Governo Central registrou déficit primário de R$ 35,249 bilhões. Em 2018, o déficit acumulado nos sete primeiros meses atingiu R$ 39,081 bilhões.

Segundo o Tesouro, a redução do déficit primário no acumulado até julho decorreu da “diminuição das despesas discricionárias (não obrigatórias) que, até julho de 2019, foram R$ 12 bilhões inferiores às do mesmo período de 2018”. Além disso, no acumulado, a receita líquida apresentou elevação real de R$ 2,6 bilhões.

Meta

Para este ano, a meta de déficit primário está estipulada em R$ 139 bilhões. Para atingir essa meta, o governo já contingenciou (bloqueou) R$ 31,22 bilhões do orçamento deste ano.

(Agência Brasil)

Eleições 2020 – Eunício discute estratégias do MDB

Eunício, Ana Paula e Leonardo Araújo.

O presidente regional do MDB, ex-senador Eunicio Oliveira, recebeu na manhã desta quinta-feira, em Fortaleza, o deputado estadual licenciado Leonardo Araújo e a representante do MDB Mulher, Ana Paula Araújo.

O encontro discutiu sobre a renovação dos diretórios municipais do partido e ações de olho nas eleições de 2020.

Eunício se diz empolgado com a possibilidade de seu partido eleger grande número de vereadores no Estado. O MDB ainda contabiliza suas projeções acerca de cargo majoritário.

(Foto – MDB)

Deputados cearenses formam a Frente Parlamentar Contra Privatizações

Um grupo de deputados estaduais cearenses, dentre eles Acrísio Sena (PT), participou de encontro, na Sala de Reuniões da presidência da Assembleia Legislativa. Na pauta, a criação de uma Frente Parlamentar contra as Privatizações de Empresas Públicas.

Além dos parlamentares, estiveram presentes representantes de sindicatos ligados a diversas categorias, tais como eletricitários, bancários (BNB) e trabalhadores dos Correios, Serpro e Petrobras.

“O objetivo do grupo é discutir o momento político do país, no qual o governo Bolsonaro ameaça entregar o patrimônio do povo sem qualquer critério”, explicou Acrísio Sena na ocasião.

(Foto – ALCE)

Mansueto Almeida diz que crescimento do PIB traz “um certo alívio”

128 2

O crescimento do Produto Interno Bruto (PIB, a soma de todos os bens e serviços produzidos no país), de 0,4% no segundo trimestre deste ano traz “um certo alívio”, disse hoje (29) o secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida. “Não dá pra soltar fogos com o resultado de um trimestre. Mas é maior do que todo o mercado estava esperando, é um certo alívio”, disse. Ele acrescentou que o Brasil está em um processo de recuperação muito lento da recessão, após dois anos seguidos de queda do PIB.

Ele avalia que a sociedade está aprovando as medidas de ajuste fiscal. “Se sinaliza que está fazendo ajuste fiscal, se o país é solvente, melhora o ambiente de negócios, a qualidade da sua educação, o sistema tributário fica menos complexo, a consequência natural é ter um país que vai crescer mais”, disse, acrescentando que “fazer essa agenda não é fácil”.

Desbloqueio de despesas

Mansueto adiantou que pode haver descontingenciamento de recursos para alguns ministérios nos próximos meses, com a melhora da arrecadação e receitas extras, como antecipação de dividendos pelos bancos públicos. Há também a previsão de entrada de recursos da Lava Jato, de cerca de R$ 2,5 bilhões, mas ainda em discussão no Supremo Tribunal Federal (STF).

Ainda de acordo com Mansueto, há também a possibilidade de serem liberados R$ 10 bilhões que seriam usados na capitalização de bancos públicos. Mas para que esses recursos sejam liberados, será preciso aprovação de projetos de lei, com mudança na destinação dos gastos, disse.

Déficit

Para atingir a meta de déficit primário de R$ 139 bilhões neste ano, o governo já contingenciou (bloqueou) R$ 31,22 bilhões do Orçamento. Segundo o secretário, a previsão é que o déficit primário fique entre R$ 15 bilhões a R$ 20 bilhões abaixo da meta fiscal. Ele explicou que o engessamento do Orçamento com as despesas obrigatórias impede a retirada de recursos de áreas em que há sobras para onde há falta. Mansueto lembrou que não pode, por exemplo, retirar recursos do Fundo Penitenciários (Funpen) ou de despesas obrigatórias do Ministério da Saúde.

Servidor público

Mansueto disse que não há espaço fiscal para aumento de salários de servidores, nem para concursos. “Não vejo espaço fiscal para reajuste nem para concurso publico nos próximos 2 anos”, disse, acrescentando que o governo “consegue segurar concurso por um período” e assim poderá fazer uma reforma administrativa. Ele acha que os servidores em início de carreira ganham salários muito altos e chegam ao topo muito cedo.

(Agência Brasil)

Filho de Henfil participa em Fortaleza de debate sobre os 40 Anos da Lei da Anistia

A Associação 64/68, a Fundação Maurício Grabois, o Cebrapaz, o Sindicato dos Jornalistas do Ceará e a Comissão Especial de Anistia Wanda Sidou promoverão, a partir das 18 horas desta quinta-feira, na Livraria Lamarca (Benfica), o bate-papo “Esperança Equilibrista: 40 anos da Lei da Anistia”. O convidado é Ivan Cosenza, filho de um dos principais personagens da cena cultural nacional da segunda metade do século XX: o jornalista, desenhista e cartunista Henrique de Souza Filho, o Henfil.

Aos 48 anos, Ivan é produtor cultural, curador da obra de Henfil, presidente do Instituto Henfil e cronista. Atualmente, está produzindo uma série de crônicas chamadas de Cartas do Pai. Como um dos líderes do jornal alternativo O Pasquim e irmão do sociólogo Betinho, exilado durante a Ditadura Militar (1964 – 1985), Henfil passou toda a vida defendendo o fim do regime ditatorial no Brasil.

Juntam-se a Ivan Cosenza no debate Mario Albuquerque, ex-preso político e presidente da Comissão Especial da Anistia Wanda Sidou; Helena Serra Azul, ex-presa política e diretora da Associação 64/68; e Benedito Bizerril, ex-preso político e vice-presidente estadual do PCdoB. A mediação será do jornalista Rafael Mesquita, presidente do Sindicato dos Jornalistas do Ceará.

DETALHE – Completa a programação, a apresentação dos músicos Jord Guedes e Rogério Lima e a exposição de livros e quadrinhos de Henfil.

SERVIÇO

*Livraria Lamarca (Avenida da Universidade, 2475 – Fortaleza.

(Foto – Portal Vermelho)

Presidente da Acert trata sobre migração de rádios AM para FM com Anatel

Vicente Aquino (Anatel) e Paulo César Norões (Acert).

O presidente da Associação Cearense de Emissoras de Rádio e Televisão (Acert), jornalista Paulo César Norões, foi recebido, em Brasília,  pelo conselheiro da Anatel, o cearense Vicente Aquino.

A conversa girou, entre outros assuntos, sobre a regulamentação da Faixa Estendida, que vai permitir a migração das emissoras de rádio AM para FM nas grandes cidades, sobretudo nas capitais.

Na ocasião, o presidente da Acert convidou o conselheiro para o Fala Norte Nordeste 2019, congresso da radiofonia, que acontecerá nos dias 28 e 29 de novembro, em Fortaleza.

(Foto – Divulgação)

Artigo – “Saúde Pública: Dinheiro tem, o que falta é gestão adequada”

Com o título “Saúde Pública: Dinheiro tem, o que falta é gestão adequada”, eis artigo de José Bezerra Lima, servidor público e administrador de empresas. Para ele, problemas da saúde precisam ser resolvidos fortalecendo o Sistema Único de Saúde (SUS). Confira:

O Sistema Único de Saúde (SUS), é uma das políticas de saúde pública, mais avançada e invejada pelo Mundo, desenhada em três pilares: (1) rede (integração dos serviços interfederativos), (2) regionalização (região de saúde) e (3) hierarquização (níveis de complexidade dos serviços). Estes são as colunas que sustentam o modelo de atenção à saúde, na forma de que dispõe o artigo 198 da Constituição Federal de 1998. A Carta Magna ao estatuir que o SUS seria firmado nesse tripé (integração, regionalização e hierarquização), trouxe grandes avanços significativos, no que diz respeito ao modelo de gerenciamento desse novo sistema público de atenção e cuidado à saúde da população brasileira.

O problema mais perceptível no SUS tem sido a forma de gerenciamento dos recursos públicos repassados pela União aos Municípios brasileiros, seja para a Saúde Básica ou Bucal. A Constituição Federal estabelece o mínimo de 15%, do total dos impostos e transferências, para serem investidos em Saúde Pública, mas no levantamento que fizemos, por amostragem, usando os dados disponíveis do Relatório de Acompanhamento Gerencial, no site do TCE (tce.ce.gov.br), avaliamos três municípios pequenos aqui na Região Centro Sul, e concluímos que: do total de 100% dos recursos financeiros que eram para serem investidos na atenção de base, em média 30% desses valores, foram para custear folhas de pagamento de “servidores comissionados”, as popularmente conhecidas “portarias” que contemplam apadrinhados e apoiadores de políticos, que, muitas das vezes, esses que são nomeados, para essas portarias, não contam com nenhuma formação técnica na área da saúde pública.

Portanto, o que se precisa, é de um planejamento gerencial e financeiro criterioso (pessoal e material), com a utilização de pessoas técnicas; esse deve ser o foco para dá mais eficiência a gestão dos recursos existentes, principalmente, agora em tempos de crise. Ou seja, uma gestão técnica e planejada, com indicadores a serem perseguidos e avaliados, certamente trará mais eficiência e resultados satisfatórios a população usuária do SUS.

*José Lima Bezerra,

Servidor público estadual há 13 anos, formado em Administração de Empresas e e membro do Comitê Cedrense do Controle Social.

(Foto – Facebook)

Número de assaltos em agências bancárias caiu 28% no primeiro semestre deste ano

Um levantamento feito pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban) revela: nos seis primeiros meses deste ano no País ocorreram 57 assaltos e tentativas de assaltos a agências. Em igual período do ano passado, foram 79 ocorrências. Houve, portanto, uma redução de 28% ante o mesmo período do ano passado.

A queda, segundo a Febraban, deve-se a “maciços investimentos” em ações de prevenção e combate aos assaltos em agências bancárias. A entidade congrega 17 instituições financeiras, que respondem por mais de 90% do mercado bancário.

Reação

Ao longo de 2018 foram realizados 171 assaltos e tentativas de assaltos a agências, total 21% menor do que 2017 (217), 49,5% menor do que em 2016 (339) e muito inferior ao ano 2000, quando houve 1.903 casos. A redução expressiva se deve ao aprimoramento do processo de combate a esse tipo de crime, que inclui desde o melhor uso dos recursos de segurança, melhorias de procedimentos, gerenciamento de risco, e, principalmente, devido às ações da polícia contra quadrilhas de criminosos.

“Para viabilizar essas ações, têm sido determinantes os investimentos dos bancos em segurança, que somam R$ 9 bilhões ao ano, e as ações de inteligência da polícia, que contam com a colaboração das instituições financeiras, possibilitando a prisão dos criminosos”, afirma Pedro Oscar Viotto, diretor setorial de Segurança Bancária da Febraban.

Outro fator para redução: o cliente também está pagando cada vez mais suas contas e fazendo suas transferências pelos canais digitais. No ano passado, os aplicativos dos bancos tornaram-se o canal preferido dos brasileiros para estas operações e 2,5 bilhões de pagamentos de contas e transferências, incluindo DOC e TED, foram realizadas por este canal, inclusive para a transferência financeira. “A tecnologia permite que os bancos desenvolvam produtos e serviços que reduzem a necessidade de saques e manuseio de dinheiro nas agências, uma ferramenta importante no combate a crimes contra as instituições financeiras”, afirma Viotto.

Caixas eletrônicos

Desde quando foram implantados nos anos 1980, os caixas eletrônicos são alvos de criminosos que desenvolvem técnicas para acesso ao equipamento e retirada do dinheiro, levando a indústria a aperfeiçoá-los constantemente.

Com o tempo, os terminais tornaram-se bastante robustos. Também foram adotadas medidas preventivas para contribuir com a redução dos assaltos, tais como instalação de cofres com dispositivo de tempo, ampliação dos sensores de alarmes e das centrais de monitoramento de alarmes, com a instalação de novos softwares de acompanhamento em tempo real das movimentações nas salas de autoatendimento e a instalação de novos circuitos de imagens digitais.

Os bancos também registraram redução de 43% no número de ataques a caixas eletrônicos no país entre janeiro e maio deste ano, em comparação com o mesmo período do ano passado. Para Walter Faria, diretor-adjunto de Operações da FEBRABAN, parte desta redução é decorrente de ações empreendidas pelos órgãos de segurança Estaduais e Federais e Exército, e parte se deu em função da instalação dos dispositivos de entintamento das notas pela rede bancária.

Índice do aluguel registra queda em agosto

O Índice Geral de Preços–Mercado (IGP-M), usado no reajuste dos contratos de aluguel, registrou deflação (queda de preços) de 0,67% em agosto.

Em julho, ele havia acusado inflação de 0,40%, segundo informou hoje, no Rio de Janeiro, a Fundação Getulio Vargas (FGV).

O IGP-M acumula inflação de 4,09% no ano e de 4,95% em 12 meses. A queda da taxa de julho para agosto foi puxada pelos preços no atacado e pelo custo da construção.

O Índice de Preços ao Produtor Amplo, que mede o atacado, anotou deflação de 1,14% em agosto, depois de uma inflação de 0,40% em julho.

Já o Índice Nacional de Custo da Construção continuou registrando inflação em agosto (0,34%), mas num ritmo inferior a julho (0,91%).

(Agência Brasil)

BNDES cria linha de crédito para novos portos e setor de cruzeiros

Com o objetivo de ampliar a infraestrutura portuária para turistas, o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, anunciou durante III Fórum CLIA Brasil 2019, que o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) estuda disponibilizar uma linha de crédito para construção de 15 portos no Brasil. Os cruzeiros marítimos movimentaram 28,5 milhões de turistas em todo o mundo em 2018. Em 10 anos, a procura por viagens a bordo de um navio aumentou cerca de 60%. Porém, apesar de uma população de quase 210 milhões de habitantes, o Brasil responde por apenas 0,25% do número de cruzeiristas no mundo.

Os dados, divulgados pela CLIA Brasil (Associação Brasileira de Cruzeiros Marítimos), demonstram que, ao longo dos anos, o setor de cruzeiros continua crescendo no mundo, impulsionado principalmente pelo aumento da quantidade e diversificação de roteiros. Em 2019, o setor ganhará 24 novos navios e capacidade adicional total de 42.466 pessoas e, em 2020, mais 25 novos navios já estão previstos, com capacidade adicional total de 43.080 pessoa, de acordo com dados da Cruise Industry News.

No Brasil, a temporada 2019/2020 receberá oito navios, um a mais do que a temporada passada, trazendo 531.121 leitos que serão divididos por 144 roteiros e 575 escalas. A temporada 2018/2019 de cruzeiros marítimos foi responsável por um impacto econômico de R$ 2,083 bilhões na economia do país, gerando 31.992 postos de trabalho na economia brasileira. Ao todo, 462 mil cruzeiristas embarcaram.

O ministro Marcelo Álvaro Antônio ressaltou a relevância da atividade de cruzeiros para o turismo brasileiro e para a economia do país. “Quando cheguei no Ministério, me perguntava como uma costa tão bela, tão maravilhosa podia ter apenas sete navios operando. E o Marco (Ferraz, presidente da CLIA Brasil), melhor do que ninguém, nos explicou que os cruzeiros marítimos ainda engatinham em nosso país, principalmente pela falta de infraestrutura portuária”, afirmou.

Para promover melhorias no setor, o ministro se reuniu com o presidente do BNDES, Gustavo Montezano, para tratar da criação de uma linha de crédito no valor cerca de R$ 5 bilhões para financiar a construção de, pelo menos, 15 portos na costa brasileira. “Serão portos modernos, com shoppings, hotéis, para que a gente possa ter muito mais condições de receber o turista com conforto e comodidade”, afirmou. “E temos outras ações com o objetivo de desenvolver o setor de cruzeiros para, quem sabe, termos 50, 100 cruzeiros margeando e fazendo turismo na costa brasileira todos os anos”, destacou.

De acordo com o presidente da CLIA Brasil, Marco Ferraz, o setor de navios de cruzeiro voltou a registrar crescimento no país, após baixa nos últimos anos.

A presidente da CLIA Global, Kelly Craighead, afirmou que o Brasil tem uma incrível oportunidade de se tornar uma referência como destino de navios de cruzeiro, mas alguns obstáculos precisam ser vencidos. “É realmente preciso cuidar de como os negócios são feitos em relação a regulações, taxas – que são coisas óbvias – mas também infraestrutura. É preciso trabalhar em parceria com o governo para que o Brasil se firme como destino mundial de cruzeiros”, pontou Kelly.

(Foto – Arquivo)

Câmara Municipal de Fortaleza homenageará ex-presos políticos

368 1

A Câmara Municipal de Fortaleza vai entregar, às 9 horas desta sexta-feira, a Medalha Wanda Sidou a personalidades que atuaram na promoção da democracia brasileira durante a ditadura militar. A iniciativa é do vereador Ronivaldo Maia (PT).

Os agraciados são o advogado Mário Albuquerque, que comanda a Comissão de Anistia Wanda Sidou; o advogado Fernando Augusto de Santa Cruz Oliveira (in memoriam) (pai do presidente nacional da Ordem,Fernando Santa Cruz); o juiz aposentado Inocêncio Uchôa; o editor sênior do O POVO, Valdemar Menezes; e Maria Ruth Barreto Cavalcante, a primeira presa política do Ceará.

“Estes brasileiros presos ou desaparecidos políticos tiveram suas vidas e ações na defesa da democracia, também lutando pela anistia no Brasil”, destaca Ronivaldo Maia.

(Foto – O POVO)