Blog do Eliomar

Categorias para Brasil

STF decide nesta terça-feira se Bolsonaro vai virar réu em acusação de racismo

A Primeira Turma do Supremo vai retomar o julgamento da acusação de racismo contra Jair Bolsonaro (PSL) nesta terça-feira (11). A informação é da Coluna Painel, da Folha de S.Paulo.

O ministro Alexandre de Moraes, que interrompeu a discussão do caso no dia 28 de agosto com um pedido de vista, incluiu o processo na pauta do colegiado, presidido por ele. Será de Moraes o voto decisivo. Quando suspendeu o debate, havia um empate. O episódio que levou Bolsonaro ao STF é rumoroso e, não raro, mencionado por adversários da corrida eleitoral.

O voto de Moraes decidirá se Bolsonaro deve se tornar réu sob acusação de racismo. O presidenciável foi denunciado pela Procuradoria-Geral da República por ter, em uma palestra no Rio, se referido de maneira pejorativa a quilombolas. Na ocasião, ele disse que foi a uma aldeia e que o “afrodescendente mais leve lá pesava sete arrobas”.

O caso começou a ser discutido na Turma antes do atentado ao presidenciável, em Juiz de Fora, na quinta (6). Qualquer que seja a decisão do Supremo, ela terá implicação no debate eleitoral.

(Foto  Reprodução de TV)

Rosa Weber nega pedido do PT para adiar substituição de Lula em chapa

461 1

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministra Rosa Weber, negou, nesse domingo, 9, a prorrogação do prazo para o PT substituir o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na chapa presidencial. A informação é do Estadão.

Com a decisão, o partido tem até esta terça-feira, 11, para fazer a troca de nomes – a defesa do petista havia requerido que a data-limite fosse estendida para o dia 17 de setembro. Se não definir as candidaturas no prazo determinado, o PT pode ficar sem coligação na disputa ao Planalto.

Até agora, o nome mais forte para ocupar o lugar de Lula é o do ex-prefeito Fernando Haddad, que ainda figura como candidato a vice-presidente.

Os advogados eleitorais do ex-presidente haviam pedido ao TSE a prorrogação por mais seis dias do prazo. A defesa alegou que essa data deveria considerar a análise de recurso ao Supremo Tribunal Federal contra a decisão da própria Corte Eleitoral de negar o registro da candidatura de Lula. Para a defesa, uma decisão definitiva sem essa análise do Supremo seria uma “injustiça”.

A estratégia dos advogados do petista, agora, é fazer, entre esta segunda e terça, um “corpo a corpo” no Supremo em busca de uma “decisão relâmpago” para que não haja a substituição definitiva na chapa sem que o tribunal se pronuncie.

O TSE negou o registro da candidatura de Lula, condenado em segunda instância e preso na Lava Jato, por entender que o ex-presidente está enquadrado na Lei da Ficha Limpa. Lula está preso desde abril, cumprindo pena de 12 anos e 1 mês, após condenação por corrupção e lavagem de dinheiro no caso do triplex.

Presidente do BNB vai apresentar o FNE 2019 para o setor produtivo

O presidente do Banco do Nordeste, Romildo Rolim, vai apresentar, a partir das 9 horas desta segunda-feira, a pauta do FNE 2019, que é o fundo constitucional do Nordeste. A apresentação ocorre na sede da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado (Faec), no Centro de Fortaleza.

A informação é do presidente da Faec, Flávio Saboya, adiantando que a apresentação será dirigida não só ao setor agropecuária, mas às demais entidades produtivas.

Segundo a Faec, esse encontro integra o conjunto de ações do BNB para a elaboração da Programação Anual do FNE, em consonância com as diretrizes e orientações gerais do Ministério da Integração Nacional e do Conselho Deliberativo da Sudene, bem como as prioridades dos governos estaduais e setores produtivos”.

(Foto – Divulgação)

Receita abre consulta ao 4º lote do IR nesta segunda-feira

A Receita Federal vai liberar, a partir das 9 horas desta segunda-feira (10), a consulta ao quarto lote de restituição do Imposto de Renda 2018. O lote também inclui restituições residuais de 2008 a 2017. Nessa etapa, 2.646.626 contribuintes recebem o pagamento, totalizando o valor de 3,3 bilhões de reais. Por lei, pessoas com idade acima de 60 anos ou com alguma deficiência física, deficiência mental ou moléstia grave estão incluídas nesse lote.

O dinheiro da restituição fica disponível no banco durante um ano. Quem não fizer o resgate nesse prazo terá que solicitá-lo novamente no site da Receita, por meio do Formulário Eletrônico – Pedido de Pagamento de Restituição, ou diretamente no portal e-CAC, no serviço Extrato do Processamento da DIRPF.

Se o contribuinte foi contemplado no quarto lote, mas não recebeu o pagamento nesta quarta, deve contatar pessoalmente qualquer agência do Banco do Brasil ou ligar para a Central de Atendimento, por meio dos telefones 4004-0001 (nas capitais), 0800-729-0001 (nas demais localidades) e 0800-729-0088 (exclusivo para deficientes auditivos). Nesse caso, o contribuinte poderá agendar o crédito em conta-corrente ou poupança, em seu nome, em qualquer banco.

Lições que se podem extrair das tragédias

Com o título “Lições que se podem extrair das tragédias”, eis o Editorial do O POVO desta segunda-feira:

Na semana em que o assassinato da vereadora Marielle Franco (Psol) completa seis meses, ainda sem qualquer solução, o País procura extrair lições de dois episódios mais recentes, ambos também violentos, mas sob perspectivas diferentes.

O primeiro, o incêndio do Museu Nacional, impôs um tópico obrigatório nas discussões entre os presidenciáveis a menos de um mês das eleições: a guarda da memória coletiva e as políticas públicas para a preservação do patrimônio nacional.

O segundo, o atentado contra o deputado federal e candidato ao Palácio do Planalto Jair Bolsonaro (PSL), na última quinta-feira, fez chegar a extremo o clima de intolerância que se observa no ambiente político-partidário.

Dos três eventos, todos potencialmente traumáticos para o País, é preciso extrair algum ensinamento para que não se repitam. Nem agora, às vésperas de uma eleição tão acirrada, nem depois, quando uma fração das promessas dos candidatos tende a cair no esquecimento.

Alvo de emboscada, a parlamentar carioca do Psol foi morta a tiros no Rio de Janeiro em 14 de março deste ano. Passado um semestre, cujo marco é a próxima sexta-feira, o crime permanece envolto em mistério, sem autoria definida e punição aos autores.

Marielle foi executada em razão da atividade que exercia: era representante eleita pelos cidadãos cariocas. Não se trata de crime comum, portanto, mas de ofensiva à democracia, com recado expresso aos demais integrantes da Câmara do Rio e ao Legislativo brasileiro.

Sem a tragicidade do homicídio, o ataque a Bolsonaro equivale a golpe contra o sistema democrático. Até que se apurem as motivações e o estado de saúde do responsável, preso poucas horas depois na cidade de Juiz de Fora (MG), palco do atentado, resta o temor de que incidentes desse tipo se espalhem na esteira dos discursos de radicalização.

Estas são eleições atípicas, atravessadas pelo imponderável, principalmente no que diz respeito ao desenrolar do processo decisório. Em muitos estados, foi solicitado o reforço das tropas federais para garantir uma votação tranquila.

Nesse cenário, é fundamental que o País examine com rigor cada um desses episódios, não somente a fim de cobrar presteza no cumprimento da lei – no caso do Museu Nacional, caberia inclusive responsabilização criminal das autoridades direta e indiretamente responsáveis pelo equipamento.

Mas para que não venhamos a sofrer agressões físicas, coletivas e individuais, tampouco o apagamento da história do País.

Morre o cantor de funk Mr. Catra

Vítima de câncer no estômago, morreu, neste domingo, o cantor de funk Wagner Domingues Costa, o Mr. Catra, de 49 anos. Ele estava internado no Hospital do Coração (HCor), na capital paulista. Catra deixou três esposas e 32 filhos.

A assessoria de imprensa do cantor disse que “com enorme pesar”, comunica o falecimento de Catra, “em decorrência de um câncer gástrico”. O funkeiro emagreceu mais de 30 kg nos últimos meses.

O corpo do cantor chega ao Rio de Janeiro nesta segunda-feira (10). Ele havia declarado ser doador de órgãos, mas como faleceu por falência múltipla de órgãos, não será possível. Os médicos ainda avaliam a possibilidade da doação apenas das córneas.

(Com Portal G1/Foto – Reprodução de Facebook)

Defesa de Adélio diz que discurso de ódio motivou ataque a Bolsonaro

432 1

Os advogados que representam o agressor Adélio Bispo de Oliveira sustentam que a agressão de seu cliente ao candidato Jair Bolsonaro foi um ato solitário, movido pelo que classificaram de “discurso de ódio” do próprio candidato. Quatro advogados acompanharam Adélio na audiência de instrução com a juíza Patrícia Alencar, na Justiça Federal, na tarde desta sexta-feira (7), que determinou a transferência do criminoso para um presídio federal.

“Esse discurso de ódio do candidato é que desencadeou essa atitude extremada do nosso cliente”, disse o advogado Zanone Manoel de Oliveira Júnior. Um dos motivos, segundo a defesa, foi a referência pejorativa aos negros quilombolas, já que seu cliente se identifica como negro.

O advogado informou que a defesa concordou com a transferência de Adélio para um presídio federal, para garantir sua integridade. O advogado também disse concordar com o indiciamento de seu cliente pelo Artigo 20 da Lei de Segurança Nacional, que fala em “praticar atentado pessoal ou atos de terrorismo, por inconformismo político”. Ele disse ainda que vai requerer exame de sanidade mental em seu cliente.

Ataque

Ontem (6), ao ser carregado por apoiadores durante um ato de campanha em Juiz de Fora (MG), Bolsonaro levou uma facada no abdôme. Ele foi levado para a Santa Casa de Juiz de Fora, onde foi submetido a uma cirurgia. Hoje pela manhã, o presidenciável foi transferido para o Hospital Albert Einstein, em São Paulo.

(Agência Brasil/Foto – PM)

Correligionário de Bolsonaro diz que a campanha não muda de rumo

O deputado federal e candidato ao Senado pelo PSL, Major Olímpio, disse que o ataque a Jair Bolsonaro “não altera em nada o rumo da candidatura”. Ele destacou não ver dificuldade para retomada da campanha do presidenciável, mesmo que o candidato não possa participar de eventos públicos.

“Ele vai descansar o período que os médicos disserem que seja necessário. Não é o calendário eleitoral que vai definir isso”, disse o major na entrada do Hospital Albert Einstein.

Segundo ele, o PSL e o PRTB, partido coligado, suspenderam as campanhas no país e, neste momento, não há discussão sobre qualquer tipo de agendamento.

Sem visitas

Major Olímpio disse que Bolsonaro está consciente, mas bastante debilitado em função da gravidade do ocorrido. Segundo ele, o candidato não receberá visitas. Apenas esposa e filhos terão acesso à Unidade de Terapia Intensiva (UTI) onde ele está internado.

O major elogiou o atendimento recebido por Bolsonaro na Santa Casa de Juiz de Fora, onde ele recebeu assistência logo após o ataque na tarde de ontem (6). “Todo o procedimento [médico realizado até agora] foi absolutamente de primeiro mundo, exemplar”, disse.

Segundo ele, no hospital em São Paulo, já foram feitas avaliações como exames radiológicos, ressonância, tomografia e que “o estado dele é bom”.

“Logicamente diante da gravidade do quadro há necessidade de uma expectativa de pelo menos 48 horas de avaliações”, destacou.

(Agência Brasil/Foto – Reprodução TV Estadão)

Ódio e nojo

Com o título “Ódio e nojo”, eis artigo de Filomeno Moraes, cientista político e professor da Unifor e da Uece. Confira o cenário que ele nos apresenta do processo eleitoral dos últimos anos no Brasil. 

O jornalista cearense Edmar Morel, no seu libelo “O golpe começou em Washington” (Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1965), conta, em tom de blague, que o cronista social Ibrahim Sued foi um dos primeiros a denunciar os desmandos do golpe civil-militar de 1964. Quando, nos primeiros dias do governo do general Castello Branco, suprimiram-se os vinhos no Alvorada, Ibrahim bradou: “Não foi para isto que fizemos a revolução. O vinho é uma necessidade nos palácios”.

Transcorrido o calvário que foi a ditadura (calvário tal existente não pela supressão dos vinhos!), advinda a transição “lenta, gradual e segura”, realizada a Constituinte de 1987-1988, o Brasil pareceu encontrar os trilhos civilizatórios, justificando-se a esperança de que, enfim, a democracia política se consolidaria por aqui. Por oportuno, saliente-se que, apesar dos pesares, dos muitos déficits de qualidade democrática, constrói-se um experimento democrático com índices de razoabilidade. No momento, dá-se mais um processo eleitoral presidencial da rotina iniciada em 1989 e, vai senão quando, a campanha eleitoral revoca fantasmas, espectros e assombrações que se consideravam esconjurados ou subsistentes apenas no discurso de viúvas, sem esperança, do autoritarismo.

De fato, a atual campanha eleitoral faz pensar que o sangue, suor, lágrimas e trabalho de muitos foi em vão. Para ficar apenas com alguns exemplos de resistência no plano da resistência político-institucional, de que valeram os sacrifícios de Mário Covas e José Martins Rodrigues, vítimas da morte política pelo Ato Institucional nº 5, de 1968? E a prisão de Chico Pinto, condenado em desacordo com a imunidade da opinião e palavras própria dos parlamentares? E o sacrifício de Alencar Furtado, por defender a inviolabilidade dos direitos da pessoa para que não houvesse “lares em prantos; filhos órfãos de pais vivos — quem sabe — mortos, talvez. Órfãos do talvez ou do quem sabe”; para que não houvesse “esposas que enviúvem com maridos vivos, talvez; ou mortos, quem sabe? Viúvas do quem sabe ou do talvez”. Para que serviu a oratória candente de Paulo Brossard a verberar a desordem jurídica promovida pela ditadura, as andanças de Teotônio Vilella e as lutas de Cristina Tavares? E a luta de Raymundo Faoro, à frente da Ordem dos Advogados do Brasil, para a restauração do “habeas corpus”? O que dizer da autoimolação de Tancredo Neves, para evitar ruídos na transferência do governo militar para o governo civil?

Agora, o que poderia ser mais uma manifestação folclórica de busca de apoio eleitoral vira desafio real à democracia e ao Estado de Direito, promovendo-se a apologia da tortura e da violência policial, a exaltação da ditadura, o ataque aos direitos humanos, enfim, a entronização da nostalgia da barbárie e a negação da escolha civilizatória. Tudo com o respaldo consciente, inconsciente ou oportunista de setores das elites econômicas, de estratos das classes médias “soi-disant” ilustradas, de camadas das classes subalternas, brutalizadas por diversas manifestações de violência quotidiana.

No momento, a evolução do processo político-eleitoral é preocupante, com a emergência de perspectivas medonhas sobre o futuro do país, com as expectativas de recrudescimento das tendências a uma “democracia boçal. Não é meramente retórico o risco de o país atolar-se em uma situação frágil e incerta, em que democracia representativa não seja capaz de processar as demandas políticas e sociais de uma sociedade complexa, carente e dinâmica. Tudo, culminando-se com a emergência de pregoeiros de soluções fáceis e rápidas, porém, erradas.

Num diálogo às avessas com a observação em torno do cronista social, que não foi para isso que se fez a democratização pode bradar-se agora, num gesto de resistência cívica, democrática e republicana. Como proclamou o velho timoneiro Ulysses Guimaraes, por ocasião da promulgação da Constituição Federal, no dia 5 de outubro de 1988: “Temos ódio à ditadura. Ódio e nojo”. Ódio e nojo também à ressurreição da ditadura pode proclamar o eleitorado na encruzilhada institucional em que o Brasil se encontra.

*Filomeno Moraes

Cientista Político. Professor da Unifor e da Uece. Doutor em Direito na USP, mestre IUPERJ e livre-docente em Ciência Política Uece.

Festa da cultura gaúcha em Fortaleza terá Lisca entre convidados

Lisca, técnico do Ceará Sporting Club Julio Caesar

O técnico Lisca, do Ceará Sporting Club, está entre convidados do X Encontro da Cultura Gaúcha.

A festa será aberta às 19 horas do próximo dia 15, com baile, e prosseguirá dia 18, com um torneio de futebol, tudo no Clube Gesse,na avenida Borges de Melo.

Já no dia 22, haverá um festão no Clube dos Diários (Bairro Dunas). E haja churrasco!

(Foto – Julio Caesar)

Diretor da PF vai se reunir neste sábado com equipes dos presidenciáveis

O diretor-geral da Polícia Federal, Rogério Galloro, virá a Brasília amanhã (8) para se reunir com as equipes de campanhas dos presidenciáveis. Ainda não há horário e local para o encontro. Assessores de Galloro estão tentando fechar agenda com os grupos políticos.

A expectativa é definir um reforço na segurança dos candidatos à Presidência. A iniciativa responde a uma determinação do presidente Michel Temer que pediu ao ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, maior atuação da Polícia Federal depois do ataque sofrido pelo candidato do PSL, Jair Bolsonaro.

De acordo com a assessoria da PF, desde o início da campanha, todos os presidenciáveis têm à disposição dois ou mais agentes integrados às equipes de campanha. A proposta agora é oferecer um contingente maior de policiais para o trabalho.

Temer também pediu empenho nas investigações sobre o ataque a Bolsonaro. Um envolvido – Adelio Bispo de Oliveira, de 40 anos – foi detido logo após o ataque e encaminhado à Delegacia da Polícia Federal em Juiz de Fora (MG).

Hoje (7), Adelio foi transferido para um centro de detenção provisória e deve ser ouvido por um juíz federal até o final do dia. A PF prendeu outro suspeito que prestou depoimento, mas já foi liberado. De acordo com a PF, as investigações continuam. Não há confirmações sobre a participação de outras pessoas, mas o trabalho dos agentes é feito sob sigilo.

(Agência Brasil)

Bolsonaro usará bolsa de colostomia por até três meses, diz médica

O candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, usará uma bolsa de colostomia de dois a três meses. A informação, dada hoje (7), é da médica Eunice Caldas Figueiredo Dantas, que o atendeu no Hospital da Santa Casa de Misericórdia, em Juiz de Fora, para onde foi levado após ter sido atacado a facada, ontem, durante campanha na cidade mineira.

A médica informou ainda que Bolsonaro chegou ao hospital em estado de choque por causa do forte quadro hemorrágico e que poderia ter morrido se não fosse o pronto atendimento. Segundo ela, a prioridade imediata foi reverter o quadro de perda de sangue, estancando a hemorragia e fazendo uma transfusão, com o uso de quatro bolsas de sangue.

Eunice Caldas relatou ainda que, após a estabilização da pressão sanguínea, foi feita a intervenção na região do intestino, pois a perfuração por faca atingiu severamente o intestino grosso, que foi seccionado, com a necessidade de retirar 10 centímetros da área atingida. A médica destacou que a intervenção cirúrgica foi de “grande porte”, mas que o paciente está com o quadro de saúde estável.

Sobre a transferência de Bolsonaro para o Hospital Albert, em São Paulo,ela disse que a decisão foi amplamente discutida com a família e a equipe médica que, diante do quadro de estabilidade clínica, concluiu que não havia risco. A médica disse que o paciente está com sonda gástrica e oxigenado.

(Agência Brasil)

 

Bolsonaro, quase um mártir?

629 1

Com o título “Bolsonaro, quase um  mártir?”, eis artigo de Ricardo Alcântara sobre o atentado praticado contra Jair Bolsonaro, candidato a presidente da República pelo PSL, e suas implicações no processo sucessório. Confira:

A campanha eleitoral de 2018 já se dava numa conjuntura muito singular: o governo tem rejeição unânime da sociedade, o favorito nas pesquisas se encontra preso, um só candidato monopoliza metade do tempo de propaganda e a extrema-direita tem um candidato que ousa dizer seu nome. Não é pouco.

Agora, torna-se ainda mais incerto com o atentado sofrido pelo candidato Jair Bolsonaro numa passeata em Juiz de Fora. Pelo que se pode apurar até o momento, tratou-se de um ato isolado, de iniciativa individual do agressor, sem nenhuma conexão com grupos organizados de nenhuma ordem e, sendo assim, o incidente não atinge o processo institucional. O suspeito, inclusive, já está preso.

Portanto, a campanha em nada terá seu curso alterado, mas é evidente que haverá repercussão no processo de definição dos votos. O mais óbvio que se pode supor é a unção do candidato à condição de quase mártir da luta contra a criminalidade e, num primeiro momento, um estancamento no aumento de sua rejeição, mais célere nas duas últimas semanas.

Tanto é forte a crença de que a candidatura de Bolsonaro se beneficia do episódio, por mais condenável seja, que, no pulso das redes sociais, muitos colocaram em circulação a suspeita de um incidente montado, armado pelos próprios simpatizantes do candidato – versão que já se dispersa, uma vez que, sabe-se agora, o ferimento não foi tão superficial quanto se supunha.

Por, pelo menos, os próximos dias, o incidente será o fato dominante da campanha. Virou a pauta principal do noticiário dos veículos de massa e seu desdobramento será acompanhado, como um seriado dramático, com grande interesse do público capítulo a capítulo: o atentado, a recuperação cirúrgica, a saída do hospital, o período de repouso e, no capítulo final, o apoteótico retorno à cena com demonstração pessoal de determinação do candidato em levar adiante, a qualquer risco, sua refrega messiânica contra os perturbadores da ordem em geral.

Sim, os que o rejeitam usarão o episódio para demonstrar que a “pregação de ódio” do capitão voltou-se contra ele mesmo e que ele teve uma amarga resposta para sua equivocada proposta de armar indistintamente os cidadãos. Mas, penso eu, o saldo de tudo isso será favorável às pretensões do candidato, embora fosse pretensioso de qualquer modo medir desde já seu alcance.

O mais é desejar o pronto restabelecimento da saúde de Jair Bolsonaro, abruptamente ameaçada por um ato covarde e condenável sob todos os aspectos.

*Ricardo Alcântara

Escritor e publicitário.

IJF convoca mais 248 aprovados em concurso público

A Secretaria do Planejamento, Orçamento e Gestão (Sepog) e o Instituto Municipal de Pesquisa Administração e Recursos Humanos (Imparh publicaram novos editais de convocação de concursados para o quadro de pessoal do Instituto Dr. José Frota (IJF), em cargos de nível médio e técnico. Os anúncios estão disponíveis no Canal – Concursos e Seleções, no Portal do Executivo municipal.

Ao todo, estão sendo chamados 248 profissionais aprovados nos últimos certames realizados para as seguintes funções: Técnico de Enfermagem, Técnico de Laboratório em Análises Clínicas, Técnico em Radiologia, Assistente Social, Enfermeiro, Farmacêutico Hospitalar, Bioquímico, Fisioterapeuta, Nutricionista, Terapeuta Ocupacional e Médico.

Os convocados devem ficar atentos aos cronogramas de entrega dos documentos exigidos nos editais. O candidato que não comparecer aos locais indicados nas datas e nos horários estabelecidos será considerado desistente.

SERVIÇO

*Canal de Concursos aqui.

Oi inicia ofeta de internet por fibra em Fortaleza

A Oi anuncia a expansão do serviço de fibra óptica e lança oferta de internet de altíssima velocidade em Fortaleza e em mais 20 cidades. A companhia, segundo sua assessoria de imprensa, utilizou o diferencial competitivo de robustez da sua rede de mais de 350 km de fibra já existente para acelerar a entrega do produto até a casa do cliente (FTTH).

Até o fim do ano, o Oi Fibra estará presente em 25 cidades, com ofertas de internet de até 200 Mega, e poderá ser agregado ao Oi Total, produto convergente da companhia, que contempla ainda os serviços de TV por internet (IPTV), Voz por internet em alta definição (VoIP) e telefonia móvel.

Essas cidades estão distribuídas nos seguintes estados, além do Distrito Federal: Ceará, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Pernambuco, Bahia, Amazonas, Goiás, Rio Grande do Sul e Paraná.

“O cliente quer cada vez mais velocidade e conveniência e a companhia desenvolve seu portfólio para atender a todos os perfis de consumidores, principalmente nesta era do entretenimento digital, em que a demanda por internet de altíssima velocidade e capacidade é cada vez maior. As novas ofertas do Oi Fibra não só garantem altíssima performance, mas também quando contratada dentro do combo Oi Total possibilita o acesso aos serviços de TV por internet (IPTV) e de voz por internet (VoIP), com conta e atendimento integrados, a preços competitivos. Temos acompanhado de perto os resultados do produto e os índices de satisfação estão na casa dos 95%. Além disso, em algumas localidades onde o Oi Fibra está presente há mais tempo, 70% das novas adições vieram dos nossos concorrentes, resultado que evidencia a aceitação do mercado ao produto”, afirma Bernardo Winik, diretor Comercial da Oi.

Cidades atendidas até o final de setembro

RJ – Rio de Janeiro, Duque de Caxias, São João de Meriti, Niterói, São Gonçalo, Petrópolis, Cabo Frio, Nilópolis, Teresópolis

MG – Belo Horizonte, Pouso Alegre, Divinópolis e Poços de Caldas

PE – Recife

BA – Salvador

AM – Manaus

CE – Fortaleza

DF – Brasília

GO – Goiânia

RS – Porto Alegre

PR – Curitiba

Até o final do ano o Oi Fibra chegará a mais quatro cidades.

Temer assiste em Brasília ao Desfile da Independência

Começou às 9h o desfile cívico-militar na Esplanada dos Ministérios, em Brasília. O presidente Michel Temer, entre outras autoridades, acompanha o desfile, ao lado da primeira-dama Marcela Temer e do filho Michelzinho. Temer foi recebido pelo governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg, e pelo ministro da Defesa, general Joaquim Silva e Luna. Em seguida, Temer recebeu as honras militares da Guarda Presidencial. O início do desfile foi autorizado pelo presidente, após solicitação do Comandante Militar do Planalto, o general Sergio da Costa Negraes, que conduz a apresentação.

Também estão na tribuna presidencial para acompanhar o desfile os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil), Raul Jungmann (Segurança Pública), Eduardo Guardia (Fazenda), Sérgio Sá Leitão (Cultura) e Torquato Jardim (Justiça).

Neste ano, o desfile conta com a participação de cerca de 4,2 mil pessoas e terá como tema a mensagem: “Celebre a história da nossa independência”, que inclui homenagem a nomes importantes da história do país, como Dom Pedro I, José Bonifácio, Maria Quitéria, Tiradentes, Santos Dumont, entre outros. De acordo com o cerimonial da Presidência da República, o evento ainda marca o início da contagem regressiva para o bicentenário da Independência do Brasil, a ser celebrado em 2022.

Na primeira etapa do desfile desta sexta-feira (7), ocorreu a execução do Hino Nacional e do Hino da Independência, interpretados pela fanfarra do 1º Regimento da Cavalaria de Guardas Dragões da Independência, com a participação do coral dos alunos do Colégio Militar de Brasília.

Em seguida, houve a apresentação da tocha do Fogo Simbólico da Pátria, que inclui ainda a apresentação de grupamento em homenagem aos ex-combatentes da Força Expedicionária Brasileira, que lutaram na Segunda Guerra Mundial, do grupamento de veteranos do Corpo de Fuzileiros Navais e ex-integrantes de Forças de Paz, acompanhados pela banda do da Polícia do Exercito.

Na sequência, desfilam estudantes de escolas públicas do Distrito Federal, seguidos do início do desfile cívico-militar, com apresentação de Exército, Força Aérea Brasileira, Marinha do Brasil, Força Nacional de Segurança, Corpo de Bombeiros Militar e Policia Militar, além de tropas motorizadas, com seus veículos de combate blindados. A expectativa é que o desfile dure cerca de uma hora e quarenta minutos.

Tradicionalmente, o ponto alto é a passagem da Pirâmide Humana do Batalhão de Polícia do Exército de Brasília com 47 militares se equilibrando em uma única moto. O evento vai terminar com a apresentação da Esquadrilha da Fumaça que, durante 25 minutos, fará acrobacias aéreas.

(Agência Brasil)