Blog do Eliomar

Categorias para Brasil

Por que Cid Gomes faltou à convenção que homologou seu nome para o Senado?

720 1

A ausência do ex-governador Cid Gomes (PDT) na convenção que homologou a própria candidatura ao Senado pode ser o primeiro indício de que a grande aliança em torno da reeleição de Camilo Santana (PT) começa a apresentar fissuras.

Candidato na chapa governista e um dos coordenadores da campanha de Ciro Gomes nas eleições presidenciais, era mais que natural que Cid não apenas comparecesse ao evento que oficializou o seu nome na disputa a uma das vagas ao Senado, como também pedisse votos para o irmão.

O candidato, entretanto, faltou. De acordo com Camilo, que tentou explicar o sumiço de Cid durante a convenção realizada ontem, o ex-governador foi abatido por uma prosaica “enxaqueca”, já que passara a noite anterior envolvido nas articulações para a formação das alianças locais. Mas talvez haja outros motivos para a indisposição do pedetista.

Apenas um dia antes, Camilo havia estado no palanque do senador Eunício Oliveira (MDB), candidato à reeleição e desafeto de Ciro – pouco menos de um mês atrás, o presidenciável se referiu a Eunício como “picareta”. Lá, o governador fez questão de dissipar qualquer dúvida de que vai apoiar, sim, o emedebista, a despeito de todos os xingamentos disparados pelos Ferreira Gomes contra o presidente do Congresso.

A um ginásio lotado de militância e apoiadores, Camilo admitiu que Eunício é o seu “candidato a senador da República pelo Ceará”. Uma declaração suficientemente cristalina.

Da família Ferreira Gomes, apenas dois membros estiveram ao lado de Camilo na convenção nesse domingo: Lia Gomes, irmã de Ciro e Cid e candidata a uma vaga na Assembleia Legislativa. E Aníbal Gomes, primo, deputado federal e alvo da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF).

O recado parece igualmente claro: o clã está amuado. Seja porque Camilo declarou-se eleitor de Lula no encontro de tática do PT há uma semana, seja porque se mostrou surpreendentemente íntimo de Eunício no último sábado, fato é que há algo de estranho na grande aliança camilista a ponto de fazer Cid, candidato ao Senado, boicotar a própria homologação. É como o aniversariante que faltasse à festa de aniverário.

Resta saber se essa contrariedade expressa pelos FG é apenas ruído entre aliados ou o começo de um movimento de afastamento. Convém aguardar os próximos lances.

*Henrique Araújo

Jornalista do O POVO

henriquearaujo@opovo.com.br

(Foto – Agência Brasil)

Mercado financeiro mantém projeção da inflação em 4,11%

A estimativa de instituições financeiras para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), a inflação oficial do país, este ano permanece em 4,11%. A informação consta do boletim Focus, publicado semanalmente pelo Banco Central (BC), com projeções de instituições para os principais indicadores econômicos. Para as instituições financeiras, o IPCA em 2019 será 4,10%, mesma estimativa há sete semanas; 4% em 2020; e 3,93 em 2021.

Essas estimativas estão abaixo da meta que deve ser perseguida pelo BC. Neste ano, o centro da meta é 4,5%, com limite inferior de 3% e superior de 6%, neste ano. Para 2019, a previsão é 4,25%, com intervalo de tolerância entre 2,75% e 5,75%. Para 2020, a meta é 4% e 2021, 3,75%, com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para os dois anos (2,5% a 5,5% e 2,25% a 5,25%, respectivamente).

Para alcançar a meta de inflação, o BC usa como instrumento a taxa básica de juros, a Selic, atualmente em 6,5% ao ano. De acordo com as instituições financeiras, a Selic deve permanecer em 6,5% ao ano até o fim de 2018. Para 2019, a expectativa é de aumento da taxa básica, terminando o período em 8% ao ano, e permanecendo nesse patamar em 2020 e 2021.

Quando o Comitê de Política Monetária (Copom) aumenta a Selic, o objetivo é conter a demanda aquecida, e isso causa reflexos nos preços porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança. Quando o Copom diminui os juros básicos, a tendência é que o crédito fique mais barato, com incentivo à produção e ao consumo, reduzindo o controle da inflação.

A manutenção da Selic, como prevê o mercado financeiro neste ano, indica que o Copom considera as alterações anteriores suficientes para chegar à meta de inflação.

Atividade econômica

A projeção para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB) – a soma de todos os bens e serviços produzidos no país – permaneceu em 1,5%. A previsão de crescimento do PIB para 2019 se mantém há cinco semanas em 2,5%. As instituições financeiras também projetam crescimento de 2,5% do PIB em 2020 e 2021.

A previsão do mercado financeiro para a cotação do dólar também permanece em 3,7 no fim deste ano e no fim de 2019. Para 2020, a estimativa cai para R$ 3,69. No final de 2021, a previsão sobe para R$ 3,75.

(Agência Brasil)

STF pode decidir nesta semana o futuro da candidatura Lula

925 1

O Supremo Tribunal Federal (STF) pode julgar nos próximos dias o pedido da defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva para que ele aguarde em liberdade o julgamento de recursos contra sua condenação na Operação Lava Jato. Em função da condenação a 12 anos e um mês de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro, Lula está preso na Superintendência da Polícia Federal (PF) em Curitiba desde 7 de abril.

O julgamento pode ocorrer na próxima quinta-feira (9), antes de o PT registrar a candidatura de Lula na Justiça Eleitoral para concorrer à Presidência da República, fato que deve ocorrer no dia 15 de agosto, último dia previsto pela legislação eleitoral.

Na semana passada, após o relator do caso, o ministro Edson Fachin, defender celeridade para definir a situação jurídica de Lula antes das eleições, a presidente da Corte, ministra Cármen Lúcia, responsável pela pauta do plenário, indicou nos bastidores que pode pautar a questão nesta semana.

No entanto, diante da possibilidade de o caso ser julgado pelo plenário, e não pela Segunda Turma, como deseja a defesa do ex-presidente, os advogados podem desistir do recurso e o julgamento poderá ser adiado. De acordo com dois ministros do STF ouvidos reservadamente pela Agência Brasil, o tribunal deverá aceitar o recuo, caso a defesa confirme a desistência.

Eleições

O pedido de liberdade do ex-presidente também tem implicações na esfera eleitoral. Caso a defesa consiga suspender temporariamente a condenação e a soltura de Lula, o ex-presidente poderá concorrer livremente às eleições sem precisar de uma decisão que avalie sua inelegibilidade.

Com a confirmação da condenação na Lava Jato na segunda instância da Justiça Federal, o ex-presidente pode ser enquadrado na Lei da Ficha Limpa, que impede a candidatura de condenados pelos órgãos colegiados da Justiça.

Se a decisão do Supremo for contrária à pretensão de Lula, o STF pode confirmar a inelegibilidade e levar o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) a negar o registro de candidatura.

Desde junho, quando entrou com recurso na Segunda Turma da Corte, a defesa de Lula pretende que a Corte julgue somente a concessão de liberdade e tenta evitar que o plenário analise a questão da inelegibilidade para as eleições de outubro deste ano porque o ex-presidente ainda pode ser beneficiado por uma liminar e disputar as eleições caso tenha a candidatura barrada.

No entanto, a inelegibilidade não é automática e a questão somente será analisada pelo TSE a partir do dia 15 de agosto, quando o PT pretende protocolar o pedido de registro da candidatura da Lula à Presidência da República nas eleições de outubro.

Recurso

No dia 22 de junho, Fachin enviou pedido de liberdade do ex-presidente para julgamento pelo plenário, e não na turma, como queria a defesa. Ao justificar o envio, Fachin disse que a questão deve ser tratada pela Corte por passar pela análise do trecho da Lei da Ficha Limpa, que prevê a suspensão da inelegibilidade “sempre que existir plausibilidade da pretensão recursal”.

No entanto, a defesa de Lula recorreu e afirmou que a análise da questão não foi solicitada. “O embargante requereu exclusivamente a suspensão dos efeitos dos acórdãos proferidos pelo Tribunal de Apelação para restabelecer sua liberdade plena. A petição inicial, nesse sentido, é de hialina [límpida] clareza ao requerer o efeito suspensivo para impedir a ‘execução provisória da pena até o julgamento final do caso pelo Supremo Tribunal Federal’”, sustentou a defesa.

Condenação

Lula foi condenado a 12 anos e um mês de prisão pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro no caso do triplex em Guarujá (SP) e teve a pena executada pelo juiz federal Sergio Moro após o fim dos recursos na segunda instância da Justiça, conforme definiu o STF.

(Agência Brasil/Foto – Dida Sampaio, Estadão)

Divididos, ministros do STF avaliam condições para aumentar salário de juiz

Os ministros do Supremo Tribunal Federal estão profundamente divididos diante da proposta de reajuste de 12% dos seus salários, aumento que teria efeito cascata e impacto estimado em R$ 3 bilhões. A informação é da Coluna Painel, da Folha de S.Paulo desta segunda-feira.

De acordo com a Painel, uma ala é a favor da aprovação do novo subsídio sem contrapartidas. Outra sugere que o STF condicione o reajuste, que melhoraria os salários de juízes em todo o país, ao fim do auxílio-moradia e outros benefícios pagos pelos tribunais estaduais, e a uma reforma da magistratura.

A presidente do Supremo, Cármen Lúcia, é contra o aumento, mas delegou a decisão ao colegiado, que deverá decidir em reunião administrativa na quarta-feira (8). Em encontro anterior, os ministros rejeitaram o reajuste por ampla maioria. A discussão, dizem, será apertada desta vez.

(Foto – CNJ)

Eunício evita constrangimento para Camilo

O senador Eunício Oliveira, candidato à reeleição pelo MDB, fez bem não ter comparecido, nesse domingo, à convenção do PT/PDT, no Ginásio da Faculdade Ari de Sá.

Os petistas ensaiavam, desde cedo, reações ao “golpista”. Seria um verdadeiro constrangimento para seu maior apoiador, o governador Camilo Santana (PT), que teve sua candidatura à reeleição homologada sem as presenças de Cid e Ciro Gomes.

Eunício prestigiou, nessa hora, a convenção do Solidariedade. Foi no auditório do Incra, que tem como titular o ex-deputado estadual Marcos Cals, filiado a esta sigla.

(Foto – Divulgação))

Lula dispara no Instagram, mas Bolsonaro tem a liderança

O ex-presidente Lula é o presidenciável que mais cresceu no Instagram. Em um ano, o petista teve um crescimento de 449% no número de seguidores, com cerca de 266 mil. A informação é da Veja Online.

A página de Lula, entretanto, não é a maior. Em primeiro, Jair Bolsonaro (PSL), com cerca de 1 200 milhões de seguidores. Geraldo Alckmin (PSDB) é o terceiro, com 108 mil.

Álvaro Dias (Podemos) foi quem mais postou neste ano, com 228 posts, uma média de seis publicações por dia.

O levantamento é da Zeeng.

STF retoma nesta segunda-feira debates sobre descriminalização do aborto

O Supremo Tribunal Federal (STF) retoma hoje (6) as discussões sobre a descriminalização do aborto até a 12a semana de gestação. Especialistas em diversas áreas foram convidados pelo STF para defender suas posições e apresentar argumentos que pautem a decisão final da Corte. Na última sexta (3), foram ouvidos cientistas e profissionais de saúde. A audiência pública desta segunda-feira (6) será aberta com a participação de representantes religiosos.

Dom Ricardo Hoerpers, bispo de Rio Grande (RS), será o primeiro a falar, representando a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), que tem um posicionamento claro contra a descriminalização da prática. Mestre e doutor em Bioética e Teologia Moral na Academia Alfonsiana, em Roma, Hoepers defende que o assunto transcende a esfera religiosa e acredita no papel social da CNBB para tentar convencer os magistrados a manter a lei como está.

Atualmente, no país, a interrupção da gravidez é considerada legal somente em casos de estupro, de gestação de fetos anencéfalos ou caso a gestante esteja correndo risco de vida. Assim como outras instituições religiosas, a CNBB defende que o embrião é um ser vivo a partir da concepção.

Mas nem todos os convidados ligados a instituições religiosas têm a mesma opinião. Entre as instituições que participam dos debates, estão representantes de entidades como Católicas pelo Direito de Decidir e o Instituto de Estudos da Religião, que se posiciona em defesa da descriminalização, conforme Lusmarina Campos Garcia.

Pastora da Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil (IECLB), teóloga e mestre em direito, Lusmarina explica que sua comunidade orienta o respeito à decisão das mulheres, considerando que nunca é uma escolha leviana e geralmente está pautada em sofrimento. Assim como alguns dos cientistas que apresentaram números no primeiro dia de audiência, Lusmarina se pauta nos dados relacionados à mortalidade materna em decorrência de procedimentos clandestinos.

Na reabertura dos trabalhos à tarde, entidades de direitos humanos vão se revezar nas exposições e cada uma terá 20 minutos para apresentar seu posicionamento. Ao todo, a ministra Rosa Weber, que é a relatora da ação que pede a descriminalização do aborto, convidou 53 expositores, entre pessoas físicas e organizações. Desse total, 33 apresentarão argumentos favoráveis ao pedido apresentado pelo PSOL em março do ano passado. Depois da audiência, a expectativa é de que a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, se manifeste sobre o tema em dez dias. Com o parecer, Rosa Weber deve concluir seu voto, que será submetido ao plenário do STF.

(Agência Brasil)

Ciro Gomes terá chapa pura na corrida presidencial e André Figueiredo lamenta “pressão indevida” do PT

O candidato a presidente da República pelo PDT, Ciro Gomes, embarcou, na madrugada desta segunda-feira, na rota de Brasília. Ali, vai participar do encontro da Executiva Nacional do partido que homologará o nome da senadora Kátia Abreu (PDT/TO) como candidata a vice. Ciro chegou em cima da hora do voo e não houve tempo para entrevista. O ato da homologação ocorrerá às 11 horas desta manhã.

Já o presidente regional pedetista, o deputado federal André Figueiredo, que viajou momentos antes, confirmou a “chapa pura”, ms lamentou “a pressão feita, de forma não muito devida, por parte do PT ao PSB”. O PSB negociava com o PDT, mas acabou adotando a neutralidade no processo sucessório. O Avante fechou com Ciro Gomes, sem exigir posição  na chapa, segundo o deputado.

Sobre a decisão do PT de lançar Lula, tendo Fernando Haddad na vice com a então presidenciável Manuela Dávila (PCdoB), André Figueiredo também lamentou. “Infelizmente o PCdoB optou por estar nessa candidatura. Manuela D’Ávila poderia ser alternativa, mas infelizmente, o PCdoB optou por estar numa candidatura com Lula que, provavelmente, não será candidato”.

Indagado se seria essa estratégia uma forma de enganar o eleitorado, o parlamentar reagiu: “É apenas apostar em mais insegurança no processo eleitoral, até porque vamos ficar com essa situação até 27 de setembro, ou seja, 20 dias antes das eleições, o que não faz bem para o Brasil. Mas foi decisão do PT e vamos trabalhar para continuar nessa luta e sermos a real alternativa do campo democrático num segundo turno”.

André destacou que a chapa pura do PDT virá com a mesma garra para brigar nas eleições. Ele destacou que a senadora Kátia Abreu torna essa mesma chapa competitiva. “Foi uma das ministras mais leais ao governo Dilma”, destacou o deputado, antes de seguir para Brasília.

(Foto – PDT)

A Eleição que a Democracia pede

Com o título “A Eleição que a Democracia pede”, eis o Editorial do O POVO desta segunda-feira:

O fim do período das convenções, neste domingo, encerrou uma fase importante do processo eleitoral de 2018 no Brasil. As candidaturas estão oficialmente homologadas e, apesar da expectativa de alguns acontecimentos novos que podem surgir até a data-limite para os registros, que é o próximo dia 15, está pronto o quadro de protagonistas na disputa pelas escolhas a serem feitas pelos mais de 147 milhões de brasileiros aptos ao voto no dia 7 de outubro.

O que se espera é que haja responsabilidade com o momento do País. As eleições acontecem sob um ambiente de graves dificuldades, no campo político, na esfera econômica e no quadro social, ou seja, o cidadão acompanhará o debate eleitoral na perspectiva de encontrar nomes e projetos que apontem saídas efetivas para os problemas que afligem a todos, sem distinguir ideologia ou simpatia partidária.

Esta deve ser a prioridade real de todos os envolvidos.

Há uma parte do processo que é naturalmente tenso, tornando explicável um momento eventual de prevalência da troca de acusações, da denúncia, do ataque, da defesa etc. No entanto, o espaço da campanha precisará estar prioritariamente ocupado por uma preocupação com os problemas que perturbam o dia-a-dia dos brasileiros (e os cearenses) e as soluções que apresenta cada candidato, partido ou coligação, para que eles sejam resolvidos. Se possível, no prazo mais curto.

A descrença geral do brasileiro com a política, resultado de escândalos que se sucedem, aumenta muito a responsabilidade dos que se envolverem com a campanha eleitoral neste 2018. A eles cabe muito mais do que apenas viabilizarem seus projetos, mas, acima disso, o quadro de agora também lhes impõe resgatar uma credibilidade muito afetada em tempos recentes por uma sucessão de fatos negativos que, nascidos na atividade política, acabam por minar a própria democracia.

O conturbado processo observado nas fases cumpridas até agora, infelizmente, gera expectativas pessimistas em relação à possibilidade de uma reversão do quadro político ruim a partir do que as urnas apresentarem como resultado. No entanto, ainda é tempo de chamar os envolvidos à responsabilidade quanto à importância do que está em jogo e reforçar o apelo por uma campanha de nível, que efetivamente priorize as propostas e dê possibilidade para se pensar em futuro melhor para todos. Não apenas para quem vencer a briga pelo poder.

Chegou a hora de vacinar nossas crianças

A partir de hoje (6), crianças com idade entre 1 ano e menores de 5 devem ser levadas aos postos de saúde para receber a dose contra a pólio e também contra o sarampo. O Dia D de mobilização nacional foi agendado para 18 deste mês, um sábado, mas a campanha segue até 31 de agosto. A meta do governo federal é imunizar 11,2 milhões de crianças e atingir o marco de 95% de cobertura vacinal nessa faixa etária, conforme recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Este ano, a vacinação será feita de forma indiscriminada, ou seja, pretende imunizar todas as crianças na faixa etária estabelecida. Isso significa que mesmo as que já estão com esquema vacinal completo devem ser levadas aos postos de saúde para receber mais um reforço. No caso da pólio, crianças que não tomaram nenhuma dose ao longo da vida devem receber a VIP. As que já tomaram uma ou mais doses devem receber a VOP. E, para o sarampo, todas devem receber uma dose da Tríplice Viral – desde que não tenham sido vacinadas nos últimos 30 dias.

Sarampo

A doença infecciosa aguda, de natureza viral, grave, é transmitida pela fala, tosse e o espirro, e extremamente contagiosa, mas pode ser prevenida pela vacina. Pode ser contraída por pessoas de qualquer idade. As complicações infecciosas contribuem para a gravidade do quadro, particularmente em crianças desnutridas e menores de 1 ano. Em algumas partes do mundo, a doença é uma das principais causas de morbimortalidade entre crianças menores de 5 anos.

Em 2016, o Brasil recebeu da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) o certificado de eliminação da circulação do vírus. Atualmente, entretanto, o país enfrenta surtos de sarampo em Roraima e no Amazonas, além de casos já identificados em São Paulo, no Rio Grande do Sul, em Rondônia e no Rio de Janeiro.

Pólio

Causada por um vírus que vive no intestino, o poliovírus, a poliomielite geralmente atinge crianças com menos de 4 anos de idade, mas também pode contaminar adultos. A maior parte das infecções apresenta poucos sintomas, e há semelhanças com infecções respiratórias – como febre e dor de garganta – e gastrointestinais – como náusea, vômito e prisão de ventre.

Cerca de 1% dos infectados pelo vírus desenvolve a forma paralítica da doença, que pode causar sequelas permanentes, insuficiência respiratória e, em alguns casos, levar à morte.

Dúvidas

Veja a seguir algumas das principais perguntas e respostas relacionadas à campanha, com base em informações divulgadas pelo Ministério da Saúde:

Quando e onde ocorre a campanha?

Entre 6 e 31 de agosto, com o Dia D agendado para 18 de agosto, em postos de saúde de todo o país.

Qual o foco da campanha?

Crianças com idade entre 1 ano e 5 anos incompletos (4 anos e 11 meses).

Crianças que já foram vacinadas anteriormente devem ser levadas aos postos?

Sim. Todas as crianças com idade entre 1 ano e menores de 5 anos devem comparecer aos postos. Quem estiver com o esquema vacinal incompleto receberá as doses necessárias para atualização e quem estiver com o esquema vacinal completo receberá outro reforço.

Qual a vacina usada contra a pólio?

Crianças que nunca foram imunizadas contra a pólio vão receber a Vacina Inativada Poliomielite (VIP), na forma injetável. Crianças que já receberam uma ou mais doses contra a pólio vão receber a Vacina Oral Poliomielite (VOP), na forma de gotinha.

Qual a vacina usada contra o sarampo?

A vacina contra o sarampo usada na campanha é a Tríplice Viral, que protege também contra a rubéola e a caxumba. Todas as crianças na faixa etária estabelecida vão receber uma dose da Tríplice Viral, independentemente de sua situação vacinal, desde que não tenham sido vacinadas nos últimos 30 dias.

Adultos participam da campanha?

Não. A campanha tem como foco crianças com idade entre 1 ano e menores de 5 anos.

Mesmo não sendo foco da campanha, adultos precisam de alguma das duas doses?

Sim. Conforme previsto no Calendário Nacional de Vacinação, adultos com até 29 anos que não tiverem completado o esquema na infância devem receber duas doses da Tríplice Viral e adultos com idade entre 30 e 49 anos devem receber uma dose da Tríplice Viral. O adulto que não souber sua situação vacinal deve procurar o posto de saúde mais próximo para tomar as doses previstas para sua faixa etária.

(Agencia Brasil)

PT confirma Haddad como vice de Lula e Manuela desiste de candidatura

Após carta do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o PT anunciou o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad como vice na chapa presidencial nas eleições de outubro. A executiva nacional do partido se reuniu na noite desse domingo (5/8) para tomar a decisão. Além disso, a deputada estadual gaúcha Manuela D’Ávila (PCdoB-RS) anunciou que vai desistir da candidatura à Presidência da República e que irá se aliar ao PT.

O líder do PT na Câmara, Paulo Pimenta (RS), confirmou. “Fechamos aliança entre os dois partidos no primeiro turno. Demoramos a anunciar porque a direção do PCdoB estava reunida e esperamos a resposta deles”, citou. A decisão foi tomada depois das 23h50. O anúncio precisava ser feito até às 23h59 deste domingo.

Com Lula preso, a tendência é de que Haddad siga como o cabeça de chapa após provável impedimento da candidatura, que será decidida pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Manuela deve ser posta como vice se o fato se concretizar. “Podemos discutir a possibilidade de compor uma nova chapa (depois). Mas isso não está fechado”, comentou Pimenta sobre uma possível impedimento de Lula.

Se reuniram com o PCdoB na noite deste domingo a presidente nacional do PT, senadora Gleisi Hoffmann, o deputado Paulo Teixeira (SP), o ex-deputado Marcio Macedo (SE), o tesoureiro do partido, Emidio de Souza, e o advogado Luiz Eduardo Greenhalgh.

(Correio Braziliense/Foto – Agência Globo)

Kátia Abreu será vice de Ciro Gomes

592 5

Ciro Gomes, candidato a presidente da República pelo PDT, terá a senadora Kátia Abreu (PDT-TO) como candidata a vice-presidente em sua chapa. A informação foi confirmada neste domingo (5) pelo presidente nacional do PDT, Carlos Lupi. A assessoria de imprensa da senadora confirmou que ela foi convidada para o posto e aceitou o convite.

O anúncio oficial da chapa do PDT será feito às 11h desta segunda-feira, na sede do partido em Brasília. A informação é do Portal G1.

O convite foi feito à senadora na quinta-feira (2), mas a escolha do nome dela só veio à tona após o PSB desistir de apoiar a campanha de Ciro Gomes.

O ex-ministro tentava negociar uma aliança com o PSB. No entanto, em convenção nacional realizada neste domingo, o PSB aprovou o acordo costurado com o PT para não fazer nenhuma aliança formal na corrida ao Planalto.

Em troca, o PT apoiará candidatos do PSB aos governos de Amazonas, Amapá, Paraíba e Pernambuco.

 

Germano Rigotto será vice de Henrique Meirelles

Germano Rigotto foi confirmado como candidato a vice de Henrique Meirelles nas eleições para a Presidência da República em 2018, durante convenção do MDB no Rio Grande do Sul, neste domingo (5). A inclusão do ex-governador gaúcho na chapa havia sido anunciada no sábado (4). Pela primeira vez desde 1994, o MDB terá candidatura própria ao Planalto. A informação é do Portal G1.

“O MDB terá seu projeto nacional, sua cara própria”, afirmou Rigotto, durante a convenção. Ele declarou que é uma “honra enorme” estar ao lado de Meirelles na corrida presidencial. “Vamos mostrar que é possível sim sair de 2%, 3% [de intenções de votos] nas pesquisas e ganhar uma eleição nacional”, acrescentou o candidato.

Já Meirelles ressaltou que Rigotto fará “uma grande diferença” na disputa. “Em uma época de polarização e extremismos, é fundamental contar com um bom exército, com aqueles que só acreditam na democracia como sistema político, nas instituições e na força individual de cada brasileiro”, pontuou o candidato.

A convenção estadual do partido acontece no Teatro Dante Barone, na Assemblela Legislativa do Rio Grande do Sul, para lançar os candidatos ao governo do estado, Senado, Câmara e Assembleia. A candidatura de Meirelles foi confirmada em convenção nacional do MDB, em Brasília, na quinta-feira.

(Foto – Fundação Piratini)

Ciro diz em artigo que não é inimigo do PT

Com o título “Muita calma nessa hora”, eis artigo que o candidato a presidente da República pelo PDT, Ciro Gomes, disponibilizou, nesta sexta-feira, em sua página no Facebook. Ele diz não ter sido informado de acordo do PT com o PSB, afastando socialistas de um possível apoio à sua postulação e deixa claro não ser inimigo dos petistas. Confira: 

A política pode ser um jogo muito cruel e, por isso, desperta muitas paixões e ódios. É ela quem revela os extremos da alma humana: a extrema nobreza e, nestes tempos estranhos que vivemos no Brasil, mais ainda, a extrema indignidade.

Escrevo no início da tarde desta sexta-feira, dia 03 de agosto do corrente e crítico ano de 2018. Os fatos estão correndo de forma tão frenética e surpreendente que preciso datar e dizer a hora. Até o presente momento ninguém do PSB me informou que decisão tomaram ou tomarão acerca de sua posição na sucessão presidencial.

Diz a grande imprensa, com certa euforia, que o PSB teria acertado um acordo com a cúpula do PT. Não, como seria natural, para apoiar o candidato do PT, mas para me isolar na luta, tirando-me segundos de tempo de TV. Em troca, a burocracia do PT cortaria o pescoço de sua jovem candidata a governadora de Pernambuco, Marília Arraes, e o PSB faria o mesmo com o seu candidato a governador em Minas Gerais, Marcio Lacerda.

Minha palavra agora é para a militância da minha candidatura e para os brasileiros e brasileiras, todos e todas que tem simpatia pela questão nacional, se preocupam com a injustiça de nossa sociedade profundamente desigual e todas as expressões de preconceito e violência que humilham amplas maiorias de nosso povo, mas especialmente as mulheres, os negros e os pobres.

Minha palavra se dirige aos progressistas, todos e todas. Aos que trabalham, por primeiro, e a quem produz.

Muita calma nesta hora!

A violência e o grosseiro equívoco desta atitude da cúpula do PT não devem nos retirar a atenção do que realmente interessa: estas eleições são a última chance, como País, de salvarmos o Brasil da legitimação, pelo voto, desta agenda antipobre, antinacional e antidecência que nos governa desde que o golpe usurpou o poder através de Michel Temer e sua gangue.

Me comprometi, já em meus primeiros movimentos nesta caminhada, a montar um Projeto Nacional de Desenvolvimento. Já há duras consequências de minha posição e, é claro, os grandes interesses da cobiça internacional, mancomunada com o baronato escravista que nos domina, estão atuando. Não sejamos ingênuos nem muito menos paranoicos. É coisa prática. Alguns exemplos:

1. Desapropriarei, com as devidas indenizações, os campos de petróleo entregues a preço de banana a multinacionais e a estatais (!) estrangeiras a partir da revogação da Lei de Partilha pelos golpistas;

2. Desfarei, se consumada, a criminosa entrega da EMBRAER aos norte-americanos, conforme consequência de carta que enviei à BOEING e à EMBRAER pedindo que aguardassem a decisão popular que se aproxima;

3. Revogarei as aberrações impostas pela selvagem Reforma Trabalhista (fui vaiado por isso na Confederação Nacional da Indústria, cujo presidente fez muitos elogios a Jair Bolsonaro);

4. Revogarei a Emenda Constitucional 95, a chamada PEC da morte, que congela os investimentos em saúde, educação, segurança, ciência e tecnologia, cultura e infraestrutura POR 20 ANOS!

5. Desfarei o cartel dos bancos que, nos últimos 15 anos, concentraram, em apenas 5 deles, 85% de todas as operações financeiras do País, impondo ao nosso povo e à nossa economia a maior taxa de juros do mundo!

6. Suspenderei ou reverterei, se necessário, a privatização da Eletrobras, que transferiria para o capital estrangeiro o controle do REGIME DE ÁGUAS em nosso país;

São apenas um dos poucos exemplos do que está de verdade em jogo nesta hora terrivelmente ameaçadora de nosso próprio futuro como Nação. É ao redor deste conjunto de valores que devemos exercitar a nossa militância.

Compreendamos com humildade e paciência o péssimo momento que a burocracia do PT está vivendo. Já não é mais política, é religião, culto à personalidade, pragmatismo da cúpula de uma organização que parece não querer aprender mais nada. Calma! Falemos com o povo, acreditemos nele, compreendamos a justa gratidão que imensos contingentes de nossa população têm com Lula. Ele foi um presidente bom para muita gente.

Não aceitemos a armadilha de nos empurrarem para o conservadorismo ou para a violação de nossos valores, muito menos por alguns – ainda que preciosos – segundos de propaganda na TV. Em nenhuma hipótese é o PT o nosso inimigo.

A cúpula do PT terá de se haver perante a história com as consequências de seus atos de agora. Lamentemos, mas nossas baterias devem permanecer apontadas contra a reação nazi-fascista ou o neoliberalismo entreguista da turma TEMER, PSDB, PMDB. Estes são os inimigos da Pátria, estes os traidores da Nação, estes os comandantes da roubalheira de alto coturno que parte deslumbrada da cúpula petista quis imitar para dar no que deu. É contra estes que devemos manter nossa luta, nossas energias e nossos entusiasmo. É a favor de uma corrente encantadora de mudanças, que devolva a esperança perdida por nosso povo, que devemos nos emocionar.

A viagem lisérgica da burocracia do PT tem data para acabar: pretendem enganar a boa gente que adora o Lula, com muitas razões, volto a repetir, de que ele será candidato. Se fosse, muito provavelmente como fiz ao longo dos últimos 16 anos, sem faltar nenhum dia, estaríamos juntos. Aliás, uma pitadinha de ironia do destino: fui convidado a sair do PSB, onde mantenho grande carinho, respeito e camaradagem, porque discordei de meu saudoso amigo Eduardo Campos para ser correto com o PT…

Não deixarão Lula ser candidato. Até as pedras do caminho sabem disso. Pior, a burocracia do PT também sabe muito bem disso. Ou seja, é para bailar à beira do abismo que os burocratas do PT convidam a Nação Brasileira.

Então fiquemos assim. Se for verdade que Lula será candidato, conversemos; se não for, por favor, Brasil: muita calma nessa hora! Nosso país não aguentará outra aposta no escuro.

*Ciro Gomes,

Candidato a Presidente do Brasil pelo PDT.

Marcos Lessa canta Belchior em show no Teatro RioMar

A relação de Marcos Lessa com a obra de Belchior mudou. Até meados do ano passado, o cantor ainda não havia imergido nas entranhas dos discos do rapaz latino-americano, conhecendo apenas a superfície de algo tão denso. Mas, em 12 de novembro de 2017, o artista inaugurou show que cantava a obra do sobralense, desmembrando o “lado b” do compositor. Para realizar o espetáculo, Lessa contou com a curadoria musical do jornalista Marcos Sampaio (editor-adjunto do Vida&Arte). “Muita coisa do que ele me apresentou eu não conhecia”, revela o cantor.

Depois de ter viajado com o show por cidades, como Brasília, Curitiba e Porto Alegre, Marcos Lessa volta a Fortaleza com Coração Selvagem, para revisitar a obra de Belchior, desta vez, com novo repertório. O espetáculo terá apresentação única nesta sexta-feira, 3, no palco do Teatro RioMar. Com o tempo, as viagens, o show foi amadurecendo, conta o artista. “Eu conhecia pouquíssimo da obra do Belchior, conhecia mais os sucessos. Não tinha uma intimidade tão grande com as músicas”, explica. “A obra do Belchior é uma aula de literatura, de história, de direitos humanos”, avalia, mostrando uma maior proximidade com o repertório selecionado.

A princípio, quando o show Coração Selvagem, de Lessa, estreou, ele fazia um percurso mais voltado pelo “lado b” de Belchior, indo na contra-mão do que a maioria dos tributos ao compositor passou a fazer logo depois daquele fatídico 30 de abril de 2017, quando o artista saiu de cena. Agora, quase um ano depois da estreia, Lessa mexe no repertório do espetáculo, contemplando mais o “lado A”, que não era a proposta inicial.

O show abre com o tema de Here Comes the Sun, dos Beatles, passa por Galos, Noites e Quintais, De Primeira Grandeza, Sensual, além das mais conhecidas Apenas um Rapaz Latino-Americano, Coração Selvagem, Alucinação, Tudo Outra Vez e outras. “A gente termina com Doce Mistério da Vida, que não é um sucesso. Ele gravou em um disco mais recente (Vício elegante, 1996) e foi a última música em que ele aparece cantando em vídeo (durante um show de Tom Zé)”.

Marcos é mais conhecido por usar a voz como intérprete, tendo feito percursos pelas obras de Gonzaguinha, Clara Nunes, Emílio Santiago, Frank Sinatra e outros grandes nomes. Ele, contudo, tem buscado abrir possibilidades para sua obra autoral e adianta que, no show em homenagem a Belchior, levará ainda canções de sua autoria. “Quando eu fazia um tributo, eu só cantava as músicas do artista homenageado. Agora, pego o violão e apresento um bloco de composições só minhas”, contextualiza.

O artista tem, inclusive, dois discos engatilhados para serem lançados, um no fim de 2019, intitulado Mergulhador (produzido por Gabriel Selvagem) e outro que está sendo gravado em parceria com Roberto Menescal. “É um disco que vem bem brasileiro, na linha tradicional da música brasileira, com composições de Tom Jobim, Marcos Valle, Menescal e minhas. É autenticamente brasileiro, na escola dos anos 1960 de fazer música. Este disco fecha uma etapa da minha vida, que dura 10 anos. Depois disto, vou focar mais no contemporâneo”, avança.

SERVIÇO

*Teatro RioMar – Rua Lauro Nogueira, 1500 – Papicu.

*Quanto: R$ 60 (plateia alta); R$ 80 (plateia baixa B); R$ 100 (plateia baixa A). Preços de inteira

*Mais Informações – 3244 2688

(Blog Discografia/ Repórter Camila Holanda/Foto – Guto Costa).

Marta Suplicy descarta ser vice de Meirelles e avisa que vai deixar o MDB

A senadora Marta Suplicy informou nesta sexta-feira, 3, à direção nacional do MDB que não será vice na chapa do ex-ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, candidato do partido ao Planalto, nem se candidatará à reeleição ao Senado. Ela disse, ainda, que deixará o partido.

O MDB havia dado um prazo para a senadora informar a sua decisão até este sábado, 4.

Na ”Carta aos Paulistas”, Marta justifica que tomou esta decisão para seguir ”encarando a realidade de frente, para poder seguir com coerência, ousadia e coragem”. Em outro trecho, diz que os partidos políticos ”encontram-se fragilizados, acuados e sem norte político” e ”não mais conseguem dar respostas à crise de credibilidade que se abateu sobre eles e nem tampouco estão empenhados na mudança de posturas que os levaram à mais grave crise de suas histórias”.

Marta também agradece aos 8,3 milhões de paulistas que, segundo a senadora, a deram a oportunidade de ”nos últimos 8 anos, trabalhar como senadora defendendo as bandeiras que me levaram à vida pública: o combate às desigualdades e às injustiças sociais, a militância pelos direitos de cidadania das mulheres e da população LGBTI e pela igualdade de oportunidades para todos”.

(Veja/Foto – Paulo MOska)

Ministro da Justiça cumprirá agenda em Fortaleza

O ministro da Justiça, Torquato Jardim, cumprirá agenda em Fortaleza na próxima segunda-feira, Ele vem dar palestra na sétima reunião da seccional do Centro de Estudos das Sociedades de Advogados (CESA). O encontro vai reunir a categoria no Hotel Gran Marquise, a partir das 12 horas.

O presidente nacional do CESA, Carlos José Santos da Silva, prestigiará o ato, ao lado do presidente da OAB Ceará, Marcelo Mota, e do presidente da seccional Ceará do CESA, Tiago Asfor.

(Foto – Site Hoje.com)

III Fórum sobre Segurança Viária traz arquiteta neozelandesa que abordará a “Cidade para as Pessoas”

A Prefeitura de Fortaleza e a Universidade de Fortaleza promoverão, na próxima segunda-feira (6),  o III Fórum do Observatório de Segurança Viária, com o tema “Cidades para Pessoas”. O encontro ocorrerá no Auditório A1 do Campus da Unifor, das 14 às
16h30min. O objetivo é ampliar discussões sobre a quebra do paradigma da mobilidade urbana focada no automóvel individual.

O fórum terá como convidada Skye Duncan, urbanista neozelandesa e diretora da Iniciativa Global de Desenho para Cidades’ da National Association of City Transportation Officials (Nacto, EUA). Ela lidera um programa financiado pela Iniciativa Bloomberg de Segurança Viária Global.

Com mais de 15 anos de experiência em Arquitetura, desenho urbano e planejamento, Skye atuou no Departamento de Planejamento Urbano da cidade de Nova York, nos EUA, onde desenvolveu projetos em todos os cinco distritos da cidade envolvendo ruas, espaços públicos, residências e edifícios institucionais, além de colaborar com agências e organizações nas políticas da cidade para tornar Nova York uma cidade mais sustentável e habitável.

(Foto – Otago Dayle Times – Gerard O’Brien)

Lava Jato é mote de estudo em Sorbonne

A Operação Lava-Jato virou caso de estudo no Instituto Europeu de Administração de Empresas (Insaead), escola de gestão de negócios pertencente à renomada universidade francesa Sorbonne. A informação é da Veja Online.

Escrito pelo professor Felipe Monteiro, o estudo intitulado “Fazendo negócios no Brasil após a Lava-Jato” destrincha os impactos das ações anticorrupção em empresas e no sistema político do país.