Blog do Eliomar

Categorias para Brasil

Grupo de jazz cearense ganha música inédita de Paquito D’Rivera

O saxofonista cubano Paquito D’Rivera, jazzista ganhador de vários Grammy, mandou um presente para o Grupo Jazzera, de Guaramiranga (Maciço de Baturité): musica inédita sua.

A peça será executada por esse grupo durante show neste sábado, às 19 horas, no Centro Cultural Banco do Nordeste (CCBNB).

Essa música, segundo Paquito, opositor ao regime do seu país, é uma homenagem ao povo venezuelano e uma dura crítica a Nicolás Maduro.

(Foto – Divulgação)

Juros do rotativo do cartão de crédito caem para quem paga a fatura em dia

A taxa de juros do rotativo do cartão de crédito para quem paga pelo menos o valor mínimo da fatura em dia voltou a cair em julho. Ela chegou a 223,8% ao ano no mês passado, com redução de 6,4 pontos percentuais em relação a junho, de acordo com dados divulgados hoje (24), em Brasília, pelo Banco Central (BC).

Já a taxa cobrada dos consumidores que não pagaram ou atrasaram o pagamento mínimo da fatura subiu 39,3 pontos indo para 504% ao ano, em julho. Com isso, a taxa média da modalidade de crédito ficou em 399,1% ao ano, com alta de 18,3 ponto percentual em relação a junho.

O rotativo é o crédito tomado pelo consumidor quando paga menos que o valor integral da fatura do cartão. Desde abril, os consumidores que não conseguem pagar integralmente a fatura do cartão de crédito só podem ficar no crédito rotativo por 30 dias. A nova regra, fixada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) em janeiro, obrigou as instituições financeiras a transferirem a dívida para o crédito parcelado, que tem taxas menores.

A taxa do crédito parcelado subiu 1,6 ponto percentual para 159,5% ao ano, em julho.

Cheque especial

A taxa de juros do cheque especial ficou em 321,3% ao ano, em julho, com redução de 1,3 ponto percentual em relação a junho.

A taxa média de juros para as famílias subiu 0,4 ponto percentual para 63,8% ao ano, no mês passado. No caso das empresas, a taxa subiu 0,5 ponto percentual para 25,3% ao ano.

A inadimplência do crédito, considerados atrasos acima de 90 dias, para pessoas físicas, ficou em 5,7%, com redução de 0,1 ponto percentual em relação a maio. No caso das pessoas jurídicas, a taxa chegou a 5,5%, com aumento de 0,2 ponto percentual. Esses dados são do crédito livre em que os bancos têm autonomia para aplicar dinheiro captado no mercado.

No caso do crédito direcionado (empréstimos com regras definidas pelo governo, destinados, basicamente, aos setores habitacional, rural e de infraestrutura) os juros para as pessoas físicas caiu 0,2 ponto percentual indo para 9% ao ano. A taxa cobrada das empresas subiu 0,1 ponto percentual para 11,8% ao ano. A inadimplência das famílias subiu 0,2 ponto percentual para 2,1% e das empresas, ficou foi reduzida em 0,1 ponto percentual, chegando a 1,9%, em julho.

O saldo de todas as operações de crédito concedido pelos bancos ficou em R$ 3,062 trilhões, com redução 0,6%, no mês. Em 12 meses, houve retração de 1,7%. Em relação a tudo o que o país produz – Produto Interno Bruto (PIB) – o volume correspondeu a 47,8%, com redução de 0,4 ponto percentual em relação a maio.

(Agência Brasil)

Comércio empregou 10,3 milhões em 2015 e registrou queda de 3,9% em relação a 2014

O setor do comércio ocupou 10,3 milhões de pessoas em 2015, mas registrou queda de 3,9% no número de postos de trabalho, em comparação ao ano anterior. O resultado sofreu influência da redução do comércio varejista (-4,2%). Ainda assim, o varejo foi o segmento que mais empregou no período, representando 73,5% da força de trabalho. Os dados estão na Pesquisa Anual do Comércio (PAC), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgada hoje (24), que avalia os dados dos segmentos empresariais do comércio brasileiro nas categorias comércio de veículos automotores , peças e motocicletas, comércio por atacado e comércio varejista.

“No segmento varejista, as empresas são de menor porte, então, elas acabam tendo que empregar a maior parte do pessoal ocupado, porque existem muitas: 78% das empresas da PAC são do segmento varejista. Como há uma quantidade maior de empresas nesse segmento de comércio, ele acaba empregando mais”, disse à Agência Brasil a gerente da pesquisa, Danielle Chaves de Oliveira.

A PAC 2015 mostra também que houve queda na massa salarial real (-1,7%). Nesse caso, o declínio do comércio por atacado (-2,4%) contribuiu para o desempenho. O setor fechou o ano com o pagamento de R$ 206,3 bilhões em salários, retiradas e outras remunerações. Apesar de registrar o menor salário médio (1,7 salário mínimo), o varejo foi responsável por 63,3% dos salários, retiradas e outras remunerações. No atacado, o salário médio ficou em 2,9 e no segmento veículos automotores, peças e motocicletas, em 2,4 salários mínimos.

No universo de 1,6 milhão de empresas e 1,7 milhão de unidades locais, o comércio alcançou em 2015 a receita operacional líquida de R$ 3,1 trilhões, sendo que o atacado registrou a maior parte (45,4%), com R$1,4 trilhão. No comércio varejista, os hiper e supermercados atingiram a maior receita líquida de revenda (R$ 340,2 bilhões ou 24,7% do segmento). Também foram responsáveis pelos maiores salários, retiradas e outras remunerações (R$ 22,7 bilhões ou 17,3%). Se destacaram ainda no número de pessoas ocupadas, liderando com a média de 99 por empresa.

A gerente da pesquisa disse que em 2015 a receita líquida do comércio teve queda real de 0,5%, mas isso significa que se manteve estável na comparação com o ano anterior. Entre as maiores quedas de receita estão as áreas de veículos automotores (13,6%), eletrodomésticos (10,8%) e material de construção (9,6%), todas em relação ao ano anterior.

“São os setores que sentem mais a crise, os mais atingidos pela diminuição da renda, do emprego. Pelo pessoal ocupado e a variação em 2015 em relação a 2014, a gente pode perceber o mesmo movimento. O setor de veículos automotores, com queda de 10% em relação a 2014, material de construção, com recuo de 9,4%. Esses setores, de bens duráveis, são os que percebem mais o impacto da crise, porque são os primeiros em que as pessoas começam a sacrificar o consumo”, explicou.

Segundo Danielle, não é possível saber ainda se o impacto da crise econômica sobre o comércio se esgotou em 2015 e se a partir daquele ano vai ocorrer recuperação. De acordo com a gerente, somente quando forem anunciados os dados de 2016 haverá condição de fazer esse tipo de análise. Para ela, é interessante lembrar que em 2014, em relação a 2013, houve aumento real de 6,2% no total do comércio em geral e não tinha reflexo da crise. Por isso, ela avaliou que a queda de 0,5% em 2015 deve ser considerada estabilidade.

Regiões

Naquele ano, o Sudeste se destacou nas principais variáveis. A receita bruta de revenda ficou em 51,5% do total, a massa salarial em 56,3%, as pessoas  ocupadas atingiram 51,6% e unidades locais chegaram a 50,4%. O Sudeste também ficou acima da média do país (2,0) em salário médio mensal e pagou o maior valor: 2,1 salários mínimos. Mas a região teve redução em sua participação na receita global. “O Sudeste tinha participação na receita de 63,3% e agora tem 51,1% “, disse.

Conforme a pesquisadora, o comportamento no Nordeste é diferente das outras regiões, que têm no atacado as receitas maiores do do que no varejo. “No Nordeste isso se inverte, a receita bruta de revenda no varejo é de 49,7% e é maior do que no atacado”.

(Agência Brasil)

Chico Lopes vai ganhar a Medalha Boticário Ferreira

155 1

O deputado federal Chico Lopes (PCdoB) receberá, nesta sexta-feira, às 19 horas, durante sessão solene na Câmara Municipal, a Medalha Boticário Ferreira. Trata-se da mais alta comenda do legislativo de Fortaleza.

A comenda, iniciativa da vereadora Eliana Gomes (PCdoB), chega no momento em que Lopes comemora seus 78 aninhos. Apenas.

(Foto – Agência Câmara)

 

CUT alerta: nessa onda de privatizações, a soberania está ameaçada

Com o título “Eletrobras e a soberania nacional ameaçadas”, eis artigo do presidente da CUT do Ceará, Will Pereira. “Áreas essenciais para o progresso nacional e o avanço econômico – como o setor elétrico – nem deveriam ser cogitadas para processos de desestatização”, diz o texto. Confira:

Nos anos 1990, um projeto neoliberal privatizou um conjunto de empresas estatais integrantes do antigo Sistema Telebras. Hoje, vemos o filme se repetir, mas num cenário piorado. Já temos provas suficientes que o discurso da busca por excelência, eficácia e redução de preços para o consumidor final são pura falácia. De volta ao presente, a bola da vez é o recente anúncio da privatização do setor elétrico.

A lógica do governo ilegítimo é a mesma desde que o golpe se consolidou: retirar direitos. O caso é grave, porque não é só mais uma entrega do patrimônio brasileiro, como também uma ameaça à soberania nacional.

A empresa de telefonia Oi é apenas um dos exemplos, catastróficos, do que ocorreu no passado. Às voltas com uma recuperação judicial, já soma R$ 65 bilhões em dívidas – sendo mais de R$ 20 bilhões deles ao próprio erário federal. Nem os cofres públicos ganharam com isso, muito menos existiram ganhos sociais relevantes com aquela privatização.

Áreas essenciais para o progresso nacional e o avanço econômico – como o setor elétrico – nem deveriam ser cogitadas para processos de desestatização. Reduzir o rombo das contas públicas por meio da privatização da Eletrobras não é uma medida positiva para o País, como anuncia o Governo Federal e alardeiam euforicamente o mercado financeiro e os grandes grupos hegemônicos de comunicação. Pelo contrário: vender a maior empresa estatal de energia da América Latina impactará, de forma negativa, no planejamento energético, no desenvolvimento e até nas contas de luz.

O desmonte da Eletrobras é mais um retrocesso promovido por esse governo e que vai privar milhares de brasileiros do acesso à energia. Nós, que integramos o movimento sindical brasileiro e as organizações populares, somos veementemente contra essa medida. A Frente Parlamentar em Defesa do Setor Elétrico já manifestou preocupação com os rumos do setor. Só nos últimos 15 anos, de acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU), houve pelo menos 180 casos de reestatização em 35 países, ente eles: Alemanha, França e Argentina. Dando seguimento ao anunciado pelo Ministério de Minas e Energia, o Brasil caminhará na contramão do progresso.

*Wil Pereira

presidencia@cutceara.org.br

Presidente da Central Única dos Trabalhadores no Ceará (CUT-Ceará).

MST promove em Fortaleza debate com filho de Carlos Marighella

Neste sábado (26), às 10 horas, o Centro de Formação Capacitação e Pesquisa (CFFH) será palco da mesa de debates “Memória, Utopia, e Resistência: O legado de Marighella”, com a participação do advogado Carlos Augusto Marighella, filho de Carlos Marighella. A realização é do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), Comitê Pela Memória, Verdade e Justiça-CE e Levante Popular da Juventude.

Durante o evento, o MST promoverá também uma edição especial da Feira da Reforma Agrária, colocando à venda produtos orgânicos vindos de assentamento e acampamentos.

Programação

09:00 – Feira Cultural da Reforma Agrária (edição Especial);
10:00 – Mesa: Memória Utopia e Resistência: O Legado de Marighella;
12:00- Almoço ( Galinha, Carneiro, Peixada, Pirão e Salada), e música ao vivo;

SERVIÇO

*Centro de Formação Capacitação e Pesquisa Frei Humberto – Rua Paulo Firmeza, 445, bairro São João do Tauape.

(Foto – Agência Brasil)

Saiba quais são os bairros mais valorizados de Fortaleza para venda e aluguel de imóveis

Bairro Meireles.

O preço nominal médio do m² para venda em Fortaleza atingiu R$ 4.646 em julho de 2017, valorização nominal de 3,60% em comparação ao mesmo período de 2016 (R$ 4.485/m²). Meireles (R$ 7.097/m²) foi o bairro mais caro para compra de imóveis e está 52,75% acima da média da cidade. O levantamento foi realizado pelo VivaReal, plataforma digital que atua no setor imobiliário nacional, demonstra que em relação a junho deste ano (R$ 4.675/m²), houve desvalorização de 0,61%.

O preço nominal médio do m² para aluguel em Fortaleza atingiu R$ 13,16 em julho de 2017, desvalorização nominal de 4,27% em comparação com o mesmo período de 2016 (R$ 13,75/m²). Praia de Iracema (R$ 27,78/m²) foi o bairro mais caro para locação de imóveis e está acima 111,09% acima da média da cidade. Em relação a junho deste ano (R$ 13,33/m²), ocorreu desvalorização de 1,28%.

O DMI-VivaReal (Dados do Mercado Imobiliário) contempla uma amostra de 30 cidades em diferentes regiões do País e considera mais de 2 milhões de imóveis usados disponíveis para compra ou aluguel. Clique aqui para acessar a íntegra da pesquisa sobre Fortaleza relativa a julho de 2017.

Ranking dos bairros fortalezenses mais caros para venda em julho de 2017

Meireles – R$ 7.097/m²

Guararapes – R$ 6.909/m²

Mucuripe – R$ 6.823/m²

Praia de Iracema – R$ 6.785/m²

Cocó – R$ 6.450/m²

Aldeota – R$ 6.193/m²

Manoel Dias Branco – R$ 6.154/m²

Engenheiro Luciano Cavalcante – R$ 6.000/m²

Fátima – R$ 5.986/m²

Centro – R$ 5.977/m²

Ranking dos bairros fortalezenses mais caros para aluguel em julho de 2017

Praia de Iracema – R$ 27,78

Mucuripe – R$ 24,68

Meireles – R$ 22,14

Cocó – R$ 16,64

Aldeota – R$ 15,11

Joaquim Távora – R$ 14,23

Messejana – R$ 12,93

Centro – R$ 12,90

Cidade dos Funcionários – R$ 12,22

Maraponga – R$ 12,14

*Sobre o DMI

O DMI-VivaReal (Dados do Mercado Imobiliário) é um relatório setorial do mercado imobiliário, realizado pelo VivaReal desde 2013. O objetivo do levantamento é oferecer informações sobre preço, oferta e demanda de imóveis para consumidores e profissionais do setor, tornando mais transparente o processo de aquisição e locação de imóveis.

*Sobre o VivaReal

VivaReal é uma plataforma digital que conecta imobiliárias, incorporadoras e corretores com consumidores que buscam um imóvel. São mais de 5 milhões de anúncios para compra e locação em mais de mil cidades brasileiras reunidos em um só lugar.

Com mais de 18 milhões de visitas por mês em seu site e aplicativos móveis, o VivaReal é líder em seu segmento de atuação e está presente com escritórios locais em 14 cidades brasileiras.

Eunício Oliveira comemora fim das coligações, cláusula de barreira e criação de federações

O presidente do Senado, Eunício Oliveira, comemorou, nesta quinta-feira (24), o avanço, na Câmara dos Deputados, da Proposta de Emenda à Constituição que estabelece o fim das coligações partidárias para a eleição proporcional – deputados federais e estaduais – de 2018, a cláusula de barreira e a criação de federações e subfederações de partidos. O texto-base da deputada Shéridan (PSDB-RR) foi aprovado simbolicamente na quarta-feira (23). A proposta agora tem que ser votada em dois turnos no plenário da Câmara. Em seguida, o texto retorna ao Senado, de onde veio, já que sofreu alterações.

“Não podemos viver com essa farra de partidos, não podemos viver com 50 partidos políticos sem nenhuma identificação com a população”, disse. Sobre a cláusula de barreira, o senador disse que as coligações são “esdrúxulas” e que a maioria se extinguem no dia seguinte a eleição. “É oportunismo eleitoral”, disse Eunício Oliveira.

Para valer para as eleições do ano que vem, a reforma política precisa ser votada na Câmara, onde ainda está em discussão, e depois no Senado, até o fim de setembro. Mesmo com o prazo apertado, o presidente do Senado acredita ser possível. “Eu vou dar a celeridade necessária para que a gente não chegue ao prazo final sem nenhuma definição”, disse.

(Agência Brasil)

Angélica grava para nova temporada do programa “Estrelas” em Caucaia

A apresentadora Angélica, da Globo, está gravando, nesta quinta-feira, na cidade de Caucaia (Região Metropolitana de Fortaleza). É para a nova temporada do programa “Estrelas”. As gravações acontecem na praia do Cumbuco.

Com ela, o ator Rainer Cadete, a jornalista Cristiane Dias e o campeão mundial de kitesurfe Carlos Mário Bebê, que é natural de Caucaia.

A programação prevê passeio de buggy nas dunas, tirolesa, esquibunda e kitesurfe na Lagoa do Cauípe.

DETALHE – A gravação deve ir ao ar no fim de setembro, logo após um especial sobre Belém começar ser exibido neste sábado (26/8).

(Foto – Divulgação)

Reforma Política – Para piorar o que já é ruim

Com o título “Para piorar o que já é ruim”, eis artigo do jornalista Plínio Bortolottti, onde ele faz uma análise do que o Congresso vem discutindo sobre Reforma Política. Ele alerta: o eleitor não fique na doce de ilusão de que virá coisa boa de lá. Confira:

Não existe sistema eleitoral perfeito em nenhum lugar do mundo – porém o que vige no Brasil é um dos mais sofríveis, como se pode observar, por exemplo, no amontoado de partidos que pululam em Brasília. Portanto, a votação para mudar o sistema deveria contar como ponto positivo para o Congresso Nacional, que anda com a imagem bastante embaciada. Só que não.

O problema é que os nobres políticos querem piorar o que já é ruim. Um debate dessa importância – que deveria ser bem realizado, com ampla participação popular – normalmente é feito no afogadilho, em véspera de eleições, de modo que as reformas pretendidas acabam por se tornar meros remendos para salvar mandatos e preservar velhos costumes.

Esse é o caso do tal “distritão”, formulado de modo a beneficiar os políticos tradicionais (mas pode chamar de caciques ou coronéis), que têm o domínio das máquinas partidárias. Também está na pauta a criação do Fundo Especial de Financiamento da Democracia; o nome é bonito, mas, na prática, significa distribuir mais R$ 3,6 bilhões para os partidos utilizarem na campanha eleitoral.

É claro que nas democracias recursos públicos têm de ser usados para manter a vida partidária, mas, no Brasil, o excesso chega às raias do escárnio. O já existente fundo partidário, que este ano vai distribuir R$ 819 milhões aos partidos, mais a cessão do horário gratuito de rádio e TV, já parece suficiente para financiar campanhas em tempos de crise. Para fazer mais caixa, os partidos deveriam correr atrás dos eleitores, convencendo-os de que vão trabalhar para o bem público e, para isso, precisam de doações para bancar suas campanhas (as empresas devem ficar fora disso).

Mesmo com “distritão” e querendo botar a mão em bilhões para fazer campanha, ainda há políticos com medo de ficar sem as benesses do poder. Por isso, surge novamente a conversa do parlamentarismo ou “semipresidencialismo”, seja lá o que isso queira dizer. Essa ideia luminosa só aparece quando grupos mal acostumados não estão assentados na cadeira presidencial ou prestes a serem enxotados dela.

*Plínio Bortolotti

plinio@opovo.com.br

Jornalista do O POVO

Saiu edital de concurso público para servidor da Justiça do Trabalho do Ceará

Divulgado, nesta quinta-feira, o edital do concurso público para provimento de vagas e formação de cadastro de reserva para servidores da Justiça do Trabalho do Ceará. A prova do certame será elaborada pelo Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cespe/Unb) e ocorrerá no dia 22 de outubro, em Fortaleza. Dez cargos são ofertados, sendo oito para nível superior e dois para nível médio.

As inscrições, que custam entre R$ 65 e R$ 80, devem ser feitas de 28 de agosto a 13 de setembro, no site do Cespe.

Cargos

Os cargos ofertados são: analista judiciário – área administrativa; analista judiciário – especialidade contabilidade; analista judiciário – especialidade medicina do trabalho; analista judiciário – especialidade medicina psiquiatria; analista judiciário – especialidade odontologia; analista judiciário – especialidade tecnologia da informação; analista judiciário – área judiciária; analista judiciário – especialidade oficial de justiça avaliador federal; técnico judiciário – área administrativa; e técnico judiciário – área tecnologia da informação.

Existe uma vaga disponível para o cargo de analista judiciário – área judiciária, que também terá formação de cadastro de reserva. Para os demais cargos não há vagas disponíveis de imediato, mas também haverá formação de cadastro de reserva. Das vagas que vierem a ser criadas durante o prazo de validade do concurso, 5% serão destinadas a candidatos com deficiência e 20% a candidatos negros.

Salários

A remuneração dos cargos de nível superior é de R$ 10,4 mil. Já os de nível médio têm remuneração de R$ 6,3 mil. A jornada de trabalho é de 40 horas semanais, com exceção dos cargos de medicina, cuja jornada é de 20 horas.

As provas serão do tipo objetiva, com caráter eliminatório e classificatório. Elas terão 30 questões de conhecimentos básicos e 60 de conhecimentos específicos. Para os cargos de analista, elas serão aplicadas no turno da manhã, enquanto os cargos de técnico terão as provas aplicadas no turno da tarde. Ambas terão 4 horas e 30 minutos de duração.

SERVIÇO

*Inscrições: 28 de agosto a 13 de setembro de 2017

*Site para inscrição: http://www.cespe.unb.br/concursos/trt7_17_analista_tecnico/

*Taxa de inscrição: R$ 65,00 (técnico) e R$ 80,00 (analista)

*Leia a íntegra do edital aqui.

Diário Oficial da União traz MP que libera saques do PIS/Pasep para idosos

A Medida Provisória (MP) nº 797, que libera o saque de contas do PIS/Pasep para homens a partir de 65 anos e mulheres a partir dos 62 anos, foi publicada no Diário Oficial da União desta quinta-feira (24). A MP foi assinada ontem (23) pelo presidente Michel Temer em cerimônia no Palácio do Planalto.

Pelos cálculos do governo, a liberação deve injetar cerca de R$ 16 bilhões na economia, o que representa 0,25% do Produto Interno Bruto do País (PIB) do país. A medida vai atingir 8 milhões de pessoas, sendo que a maioria tem saldo na conta do PIS/Pasep em torno de R$ 750.

O pagamento será iniciado em outubro. De acordo com o Ministério do Planejamento, o calendário de saques ainda será divulgado pelo governo. “Estamos, antecipadamente, injetando novos valores na economia brasileira”, disse Temer, em discurso durante a cerimônia. “Isso tudo será uma injeção na economia, além do que se cumpre mais uma função social”, completou.

O ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, explicou que o crédito será feito de forma automática para quem tem conta no Banco do Brasil e na Caixa Econômica Federal. Atualmente, os trabalhadores têm direito ao abono salarial e rendimentos do PIS/Pasep desde que cadastrados como participantes dos fundos até 4 de outubro de 1988 e não tenham sacado o saldo. A Caixa, responsável pelo PIS, e o Banco do Brasil, administrador do Pasep, fazem esse pagamento de acordo com um calendário anual.

O saque do saldo principal é permitido atualmente nas seguintes situações: aposentadoria; 70 anos completos; invalidez; reforma militar ou transferência para a reserva remunerada; câncer de titular ou de dependentes; portador de HIV; amparo social ao idoso, concedido pela Previdência; amparo assistencial a pessoas com deficiência da Previdência; morte e em casos de doenças graves.

(Agência Brasil)

Airbnb manda nota para Blog apelando contra projeto que barra uso do aplicativo em Fortaleza

A Central do Aplicativo Airbnb Brasil – hospedagem compartilhada, que fica em São Paulo, manda nota para o Blog. Faz apelo aos vereadores de Fortaleza e ao prefeito Roberto Cláudio contra projeto, em tramitação na Câmara Municipal, que quer restringir esse tipo de serviço. Confira:

O Airbnb Brasil faz um apelo aos vereadores de Fortaleza e ao prefeito Roberto Claudio (PDT) para examinar a tramitação da indicação 0304/2017, que propõe uma lei que busca restringir a atividade do Airbnb na capital.

Essa iniciativa patrocinada pelo lobby hoteleiro é inconstitucional, prejudica o consumidor e o turismo local e sinaliza que a capital cearense arrisca caminhar contra a inovação e a livre concorrência.

Contrariando a Constituição Brasileira, interferindo sobre o direito de propriedade e ferindo a Lei do Inquilinato, essa proposta foi aprovada pela Comissão de Constituição e Justiça da Câmara de Vereadores de Fortaleza na semana passada. Agora segue para análise do Plenário e, se aprovada, para a mesa do prefeito.

A ação coordenada do lobby hoteleiro na tentativa de adotar medidas potencialmente anticompetitivas, por meio da aprovação de leis quase idênticas em Fortaleza, Salvador e Vitória* já foi revelado pelo BuzzFeed News Brasil. Além da ilegalidade, as restrições sugeridas causam danos à imagem da cidade e a centenas de anfitriões fortalezenses que buscam uma renda extra com o aluguel de temporada.

*Em Vitória, a tentativa já foi barrada, por inconstitucionalidade.

Airbnb Brasil

Consumidores acreditam em inflação de 6,3% para os próximos 12 meses

Os consumidores brasileiros acreditam que a inflação acumulada nos próximos 12 meses ficará em 6,3%. A pesquisa de agosto mostrou que a taxa recuou 0,6 ponto percentual em relação a julho (6,9%). Essa é a menor taxa da Expectativa de Inflação do Consumidor, da Fundação Getulio Vargas (FGV), desde julho de 2012 (6,2%).

A FGV promove o levantamento a cada mês para saber a expectativa de inflação na visão de quem vai às compras. De acordo com a FGV, a expectativa dos consumidores em agosto é 3,5 pontos percentuais a menos que o resultado de agosto de 2016 (9,8%).

Para a economista da FGV Viviane Seda Bittencourt, a queda nos preços dos alimentos parece ter impactado a percepção dos consumidores, principalmente para aqueles de menor poder aquisitivo, apesar dos aumentos recentes nos preços dos combustíveis e da energia.

Os últimos dados da inflação oficial, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), do Instituto Brasileiro de Geografia (IBGE), referentes a julho, mostram que a taxa acumulada de inflação em 12 meses é de 2,71%.

(Agência Brasil)

Crea/CE reforça luta pró-campus do IME em Fortaleza

Na articulação que setores empresariais e entidades como a Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra (Adesg), regional Ceará, e o Sindicato dos Estabelecimentos Particulares de Ensino do Estado (Sinepe) fazem pró-instalação de um campus avançado do Instituto Militar do Exército (IME) para Fortaleza, há uma outra entidade engajada.

Mês passado, o presidente do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (Crea), Victor Frota, mandou ofício, reforçando a importância desse pleito, para o Comando de Logística do Exército, em Brasília.

À frente desse organismo, o general-de-exército Guilherme Theófilo, que é cearense.

Confira o oficio do Crea/Ceará:

Filho do ex-vice-presidente José Alencar pode ser vice de Lula

214 2

Pré-candidato declarado ao Palácio do Planalto em 2018, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva já está à procura de um vice para a chapa. No momento, o nome mais cotado, segundo aliados do petista, é o do empresário mineiro Josué Gomes da Silva, de 53 anos. Presidente da Coteminas, Josué é filho do ex-vice-presidente José Alencar, eleito numa dobradinha com Lula em 2002 e 2006 e que morreu em março de 2011. A informação é da Veja Online.

“O Josué vai ser o vice do Lula em 2018. Estive com os dois recentemente”, afirmou o deputado federal Reginaldo Lopes (PT-MG), ex-presidente do PT mineiro. Segundo o parlamentar, o ex-presidente e o empresário têm conversado sobre o assunto. Josué – que adotou o sobrenome Alencar na eleição de 2014, quando concorreu ao Senado por Minas Gerais – é filiado ao PMDB desde 2013. Para viabilizar uma eventual candidatura a vice de Lula em 2018, ele teria de deixar o partido. O destino seria o PR, antigo PL, sigla à qual seu pai foi filiado quando se candidatou a vice-presidente e na qual se manteve durante todo o governo do petista.

O PR hoje integra a base aliada do presidente Michel Temer, mas seus principais dirigentes, como o ex-deputado Valdemar Costa Neto (SP) e o atual presidente da sigla, o ex-senador Antonio Carlos Rodrigues (SP), têm boa relação com Lula. “Sou o maior defensor dessa aliança. Mas é uma discussão partidária. Temos de aguardar os acontecimentos”, afirmou Rodrigues.

(Foto – Jefferson Coppolla – Folhapress)

Ciro Gomes diz que Tasso é “sério demais” para o PSDB indicá-lo para a disputa presidencial

Em algum lugar no passado.

De Ciro Gomes (PDT), sobre a possibilidade de ver o senador Tasso Jereissati numa disputa presidencial 2018: “Seria extraordinário, mas, por ser sério demais, o PSDB jamais o aceitou.”

Ciro acha que a coisa no ninho tucano está mais para o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, que é um “cara da direita respeitável”.

Por sinal, em seu Twitter, em conversa com internautas, Alckimin admitiu, pela primeira vez, que quer mesmo disputar a presidência da República.

(Foto – Arquivo)

 

Privatizações : proposta audaciosa

Temer quer vender estatais como a Eletrobras.

Com o título “Privatizações: proposta audaciosa”, eis o Editorial do O POVO desta quinta-feira:

O rombo nas contas públicas impõe a obrigação de buscar o reequilíbrio. Com contas públicas organizadas, o setor público pode voltar a fazer investimentos nas áreas que importam e são atividades fins dos governos. No entanto, só uma economia dinâmica é capaz de trazer efetivas melhoras na arrecadação e, principalmente, na geração de empregos que, numa forma simples de traduzir, é a melhor política social que um país pode ter.

Foi esse o conjunto geral de argumentos que o Governo Federal lançou mão ao anunciar um amplo pacote de concessões e privatizações: 57 novos ativos foram disponibilizados para concessões ou desestatização nesta segunda fase. Na primeira fase, anunciada em setembro do ano passado, foi apresentada uma lista de 34 projetos. Portanto, 91 ativos vão buscar o interesse da iniciativa privada.

O audacioso plano compõe o Programa de Parcerias de Investimento (PPI) do Governo Federal. É o mesmo que levou adiante a concessão do aeroporto Pinto Martins, cujo direito de administrar e promover investimentos foi ganho em leilão por uma empresa alemã especializada em gestão de aeroportos.

A nova lista é vasta. Mas a maioria dos projetos engloba concessões de aeroportos, terminais portuários e rodovias. Um dos aeroportos da lista é o de Juazeiro do Norte, controlado pela estatal Infraero. E 11 lotes de linhas de transmissão de energia também compõem a lista. O Ceará é um dos dez estados que possuem ativo nesse setor para ir a leilão.

Porém o ativo público mais importante e mais polêmico é a Telebras, maior companhia desse setor em toda a América Latina. Na outra ponta, negócios de azar como a “raspadinha”, mantida pela CEF, também vão a leilão.

O governo fez o anúncio ontem. É cedo para adotar posições definitivas a respeito. Contudo, a expectativa é que os procedimentos sejam transparentes, sem pressa, com contratos sólidos e que os leilões ocorram sem que os ativos públicos não acabem nas mãos da iniciativa privada a preço de banana.

É fato que, quando o Governo vende um ativo, deixa de, eventualmente, investir nele. Isso gera uma economia importante. Ao mesmo tempo, permite que a iniciativa privada promova os investimentos que são fundamentais para a retomada do crescimento.

Fortaleza pode ganhar unidade do Instituto Militar de Engenharia (IME)

748 2

O general-de-exército Guilherme Theófilo é cearense e articula o projeto.

Da Coluna Vertical, do O POVO desta quinta-feira:

As negociações em torno da instalação de uma unidade do Instituto Militar de Engenharia (IME) em Fortaleza foram iniciadas.

Nessa articulação, estão o presidente do Sindicato dos Estabelecimentos Particulares de Ensino do Estado, Airton Oliveira, o representante da Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra (Adesg), regional Ceará, coronel Duarte Frota, e as entidades empresariais, bem como a Energy Telecom, empresa cearense com unidade no Parque Tecnológico de São José dos Campos (SP).

Do lado do Exército, o apoio vem do general-de-exército Guilherme Theófilo, sediado em Brasília e atualmente comandante de Logística do Exército Brasileiro. Segundo o coronel Duarte Frota, há boas perspectivas de sucesso nessa empreitada.

(Foto – Arquivo)