Blog do Eliomar

Categorias para Brasil

Deputados que respondem a ações no Supremo deram 42% dos votos pró-Temer

Quem dá a informação é o Portal Uol: mais de 40% dos 263 deputados federais que votaram para livrar o presidente Michel Temer (PMDB) de um eventual julgamento no Supremo Tribunal Federal respondem a inquéritos ou são réus em ações penais em andamento na Corte.

O levantamento realizado pelo UOL, com base na pesquisa sobre a situação criminal dos parlamentares no Supremo, divulgada na semana passada pelo site “Congresso em Foco”, identificou que 111 parlamentares com alguma pendência na Justiça votaram “sim” ao parecer do deputado Paulo Abi-Ackel (PSDB-MG) na sessão desta quarta-feira (2).

O relatório, aprovado na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara no mês passado, recomendou a rejeição da denúncia apresentada pela PGR (Procuradoria-Geral da Republica) contra Temer, pelo crime de corrupção passiva.

*Veja a lista dos parlamentares investigados no Portal Uol aqui.

(Foto – Agência Câmara)

Lava Jato – Ex-secretário de Eduardo Paes é preso na Operação Rio, 40 Graus

Autorizada pelo juiz Marcelo Bretas, a Polícia Federal deflagrou, nesta quinta-feira, a “Operação Rio, 40 Graus”. Os agentes federais cumprem 10 mandados de prisão, entre preventivas e temporárias, em Pernambuco e São Paulo e, depois do governo Cabral, na Prefeitura do Rio, mirando, pela primeira vez, a gestão de Eduardo Paes (PMDB) . A ação tem como base as delações de Luciana Salles Parente e Rodolfo Mantuano, ambos ex-executivos da Carioca Christiani-Nielsen Engenharia. Um dos alvos, o ex-secretário de obras de Paes Alexandre Pinto, foi preso em casa, em Jacarepaguá.

Os suspeitos são acusados de receber um total de R$ 35,51 milhões em propina decorrente das obras de um dos trechos do BRT Transcarioca, que liga o Aeroporto Galeão à Penha. Além da Carioca, fizeram parte do consórcio responsável pelas obras as empreiteiras OAS e Contern, informa o Jornal Extra.

A operação de hoje tem como desdobramentos investigações da Calicute que levantam suspeitas de que o esquema faz parte da mesma organização criminosa liderada por políticos do PMDB no estado do Rio, ligados a Cabral. Outra obra suspeita de desvios é a da despoluição de córregos na Bacia de Jacarepaguá. Os investigados serão levados para a Superintendência da Polícia Federal, no centro do Rio.

Fazem parte da lista de presos o ex-secretário municipal de Obras Alexandre Pinto, que ocupou o cargo de março de 2012 a dezembro de 2016; a advogada Vanuza Vidal Sampaio, o lobista Laudo Aparecido Ziani, e os fiscais de obras municipais Eduardo Fagundes, Ricardo Falcão e Azalmir Araújo. Até o momento não há nenhuma prova que implique diretamente Eduardo Paes.

Alexandre Pinto é acusado de ter cobrado uma “taxa de oxigênio”, termo também utilizado pelo ex-secretário de Obras de Cabral para definir o pagamento de propina ao esquema do ex-governador, no valor de 1% do contrato das obras. Segundo os delatores, os fiscais cobraram 3%, enquanto a advogada foi denunciada por ter assinado um contrato fictício, no valor de R$ 5 milhões, intermediado pelo lobista Laudo Aparecido, para justificar a movimentação da propina.

O nome de Pinto aparece na delação premiada de Luciana Salles Parente, ex-integrante do conselho do consórcio formado pela OAS, Carioca Engenharia e Contern, homologada pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ). De acordo com a ex-executiva, o ex-secretário era beneficiário de 1% do contrato de R$ 500 milhões. O mesmo percentual era pago, segundo Luciana, a conselheiros do TCM, e outros 3% seriam pagos a fiscais do Ministério das Cidades. No total, diz Luciana, foram pagos, R$ 2 milhões em dinheiro vivo.

Luciana afirmou que recursos superfaturados do consórcio na obra da Transcarioca geraram Caixa 2, a partir do segundo semestre de 2013, de maneira que as empresas faziam suas contribuições individualmente, e não mais pelos contratos superfaturados do consórcio, conforme divulgado pelo jornal “O Dia” e “RJTV, no último mês de abril.

A exigência de pagamento, diz ela em sua delação, foi citada pelo líder da consttrutora OAS, Antonio Cid Campelo, que mencionou o nome de uma pessoa do TCM, porém, não se recordava do nome.

A colaboração de Luciana, que também trouxe informações sobre pagamento de propina aos conselheiros do Tribunal de Contas do Estado do Rio (TCE-RJ), norteou os investigadores no êxito das operações “Ponto final” e “Quinto do Ouro”, que levou à prisão neste ano a cúpula dos transportes no Rio e cinco conselheiros do TCE-RJ, respectivamente.

Doações ao PMDB do Rio

A empresa Nielsen Engenharia foi uma das principais doadoras da campanha eleitoral do prefeito Eduardo Paes (PMDB) em 2008. Ela doou R$ 300 mil para a campanha do candidato peemedebista. A doação da empresa correspondeu à época a 12,5% do total de 2,4 milhões que o prefeito recebeu de empresas. Além da Nielsen, também contribuíram a Construtora OAS (R$ 350 mil) e a Multiplan Empreendimentos Imobiliários (R$ 300 mil).

A Nielsen Engenharia não fez doações em 2008 apenas para a campanha eleitoral de Paes. A empresa também colaborou com a campanha do vereador Luiz Antônio Guaraná (PMDB) com R$ 15 mil. Guaraná foi chefe de gabinete de Eduardo Paes e também comandou a secretaria de Obras durante a maior parte da gestão do peemedebista. O levantamento é do vereador Paulo Pinheiro (Psol), que desconfiou do apoio na época por entender que a empresa havia sido beneficiada em contratos com a prefeitura com a dispensa de licitação.

Pinto assumiu a secretaria de obras no lugar de Guaraná, quem o indicou para o cargo, em 2012, para substituir Pedro Paulo na chefia da Casa Civil. Pinto deixou o posto no final da gestão de Paes, em 28 de dezembro de 2016. Ele não é filiado a nenhum partido.

CNPq atinge teto orçamentário e ameaça suspender pagamento de bolsas

O Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) está financeiramente esgotado e não terá dinheiro para pagar bolsas e projetos a partir do próximo mês, se seu orçamento não for desbloqueado pelo governo federal. Cerca de 90 mil bolsistas e 20 mil pesquisadores poderão ser prejudicados pela interrupção dos pagamentos.

“O caso é de urgência urgentíssima”, disse à reportagem o presidente do CNPq, Mario Neto Borges. “Acabou o dinheiro.” O CNPq é a principal agência de fomento à pesquisa do País. Vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), ela vinha sendo poupada do congelamento de 44% do orçamento do pasta, anunciado em março pelo governo federal. Mas essa proteção chegou ao limite.

“Até agosto conseguimos honrar nossas dívidas. De agora para frente, se não houver uma ampliação dos limites de empenho, vamos ficar impedidos de cumprir os compromissos assumidos, incluindo o pagamento de bolsas”, afirma Borges. Ele deve encontrar-se ainda hoje com o ministro Gilberto Kassab para discutir a situação.

O orçamento do CNPq aprovado para este ano é de R$ 1,3 bilhão, mas, por causa do contingenciamento, o órgão está autorizado a gastar apenas 56% disso (cerca de R$ 730 milhões). Até agora, já gastou R$ 672 milhões. Segundo Borges, a estratégia foi atrasar a aplicação do corte para o fim do ano – em vez de parcelá-lo mês a mês – na expectativa de que o ministério consiga “convencer o governo” a reverter a situação.

Outro lado

Procurado pela reportagem, o MCTIC afirmou que “trabalha pela recomposição orçamentária” em conversas com os Ministérios da Fazenda e do Planejamento, reconhece o papel “imprescindível” da pesquisa científica para o desenvolvimento do País e “acredita que o CNPq não terá descontinuidade no pagamento dos projetos e bolsas”.

Tasso Jereissati comanda dissidência no PSDB

Um grupo de senadores, de prefeitos e da ala jovem dos deputados do PSDB articula a formação do “Movimento Mário Covas”, na defesa da reconstrução do partido. Com direito a mea culpa pelos erros cometidos e apontando para renovação da legenda em todo o País.

Batizado com o nome do ex-governador paulista falecido, o Movimento tem como líder natural o senador Tasso Jereissati e promete a defesa da estabilidade econômica no País e de uma reforma política que, inclusive, retome a discussão sobre a adoção do Parlamentarismo. Essa proposta, inclusive, é defendida pelo senador cearense, que sempre se posicionou favorável à saída do PSDB do Governo Temer.

Noutro grupo, o senador Aécio Neves e os ministros Aloysio Nunes e Antônio Imbassahy querem ficar no governo e adiar esse debate. Tasso, pelo visto, quer deixar claro quem está no ninho podre.

(Foto – Agência Senado)

Cid Marconi manda suspender liminar que barrava aumento das alíquotas dos combustíveis

O presidente em exercício do Tribunal Regional Federal da 5ª Região (TRF5), o desembargador federal cearense Cid Marconi, suspendeu, nessa quarta-feira, a decisão liminar que impedia o aumento das alíquotas do PIS/Cofins sobre os combustíveis na Paraíba.

Na decisão, o desembargador ressaltou que a liminar poderia gerar um efeito multiplicador, provocando riscos à ordem e economia públicas.

Ceará e Fortaleza embarcam no mesmo voo

 

Rivalidade entre atletas, só dentro do campo.

As equipes do Ceará e do Fortaleza embarcaram, nesta madrugada de quinta-feira, no mesmo voo da Gol – 1707, na rota de Brasília. De lá, os times fazem conexão e seguem para seus jogos, válidos pela Série B e Série C do Campeonato Brasileiro.

O alvinegro seguirá para Natal (RN) onde, no próximo sábado à tarde, enfrentará o ABC. O Ceará está em quarto lugar na tabela da Série B. Já o Fortaleza, segundo colocado em sua chave, tomará a rota de Maceió (AL) e, de lá, rumará para Arapiraca, onde terá pela frente a equipe do Asa.

Se os dois clubes são adversários dentro de campo, fora das quatro linhas a história é outra: jogadores alvinegros  e tricolores se cumprimentaram e todos demonstraram confiança num bom resultado nas partidas deste sábado.

(Foto – Paulo MOska)

Caixa arrecadou R$ 7,641 bi nos sete primeiros meses deste ano

As loterias da Caixa Econômica Federal arrecadaram, nos primeiros sete meses de 2017, R$ 7,641 bilhões. O valor corresponde a um crescimento nominal de 9,6% em relação ao mesmo período do ano anterior.

Do valor arrecadado, R$ 3,6 bilhões foram repassados a programas sociais nas áreas de saúde, educação, esportes, segurança, cultura e seguridade, conforme definição legal, incluídos R$ 698 milhões de imposto de renda sobre os prêmios. No mês de julho, o volume de vendas foi R$ 1,3 bilhão, resultado 33% superior ao contabilizado no mesmo mês em 2016.

No período, foram ofertados mais de R$ 2,5 bilhões em prêmios, consideradas todas as modalidades lotéricas. Segundo a Caixa, a Mega-Sena foi o item mais procurado nas loterias e arrecadou R$ 2,9 bilhões, quase 40% de todas as vendas.

O sorteio do último sábado (29) da Mega-Sena ofertou um prêmio de R$ 107 milhões, pago a um ganhador do Rio de Janeiro.

(Agência Brasil)

Câmara dos Deputado rejeita denúncia contra Temer

Pelo placar de 263 a 227, além de 21 ausências/abstenções, a Câmara dos Deputados rejeitou, nesta quarta-feira (2), o parecer da Comissão de Constituição e Justiça contrário à admissibilidade da denúncia contra o presidente Michel Temer pelo suposto crime de corrupção passiva. Com base nas delações de executivos do grupo J&F, que controla a JBS, Temer foi denunciado em junho ao Supremo Tribunal Federal pela Procuradoria-Geral da República por corrupção passiva. Com isso, a denúncia será arquivada.

Ao longo do dia, parlamentares contra e a favor da denúncia se revezaram em pronunciamentos. Nos bastidores, foram várias as articulações, tudo acompanhado de longe pelo presidente Michel Temer.

Há expectativas agora é de que o presidente faça um pronunciamento à Nação.

Uma bela homenagem aos nossos pais

Com o título “O que querem os pais? Presentes ou presenças?”, eis artigo do empresário e escritor João Soares Neto. Um artigo que casa muito bem com este mês de agosto. Confira:

As mães não devem se preocupar. Quando digo pais, estou incluindo pai e mãe. Embora domingo seja o Dia dos Pais, creio que não se deve  tratar os pais de forma isolada; pai de um lado e mãe do outro, como se fossem duas forças disputando a condução da família. Pai e mãe nada mais são, que pessoas lutando pelo bem-estar dos filhos, frutos do amor ou de acidentes de percurso.

E, nesta época, pretensamente, correta, há um mundo de obrigações e bem pouca recompensa. A ordem natural vigente é questionar, e, com medo de causar traumas, os pais aceitam, meio sem graça, situações que, no fundo, desejariam repelir ou até impedir que acontecessem.

A vida e o tempo vão produzindo sequelas no sistema imunológico e causando doenças a todas as pessoas,  nos pais, inclusive. Eles se queixam de cansaço, dores, úlceras, stress e veem se aproximando, os problemas de diabetes e cardiopatias, para não falar de males maiores. Pais envelhecem.

O que fazer, então? Cuidar da saúde da mente e do corpo é um bom começo. Isso não passa obrigatoriamente por “checkups” ou visita a analistas. É ato de respeito a você próprio, descobrir o que lhe gratifica, o que lhe alegra, o torna vivo e capaz de enfrentar, com bom humor e coragem, as lutas do dia a dia, mesmo aposentado.

Imagine-se doente e com problemas e, certamente, você daria quase tudo para ficar sadio e sem dificuldades. Imagine-se, então, sem problemas, com saúde e estabeleça um plano pessoal, um presente para você mesmo.

Cada pessoa sabe o que lhe interessa. Há, todavia, uma linha comum que as une. Começa pelo respeito ao seu corpo, com a adoção de exercícios diários. Não esqueça de que os humanos, como os peixes, também podem morrer pela boca. Refaça a sua alimentação, a partir de um café da manhã saudável. Elimine o açúcar, o excesso de sal e a gordura. Corte o cigarro. Se não puder, maneire.

Veja se não está bebendo demais. O álcool depois da euforia dá a sensação de desamparo e até de depressão. Reexamine os seus relacionamentos, corte os chatos de sua vida. Não se preocupe em ser bonzinho com gente que só quer usar você.

Leia, leia sempre, para manter a sua mente funcionando e aumentando conhecimento ou entretenimento. Estabeleça propostas realistas para a sua vida. Sonhar é bom, mas é preciso cair na real em tempos de crise institucional no país. Procure amar o que faz ou, como já disse, mudar de vida. Talvez, ganhando menos, seja mais feliz. Descubra gente interessante para conversar e conserve os poucos amigos verdadeiros, aqueles que não lhe pedem mais que a sua companhia.

Se isto for receita de bolo, paciência. Tente outra receita, faça a sua própria, respeitando os seus interesses e os seus limites. Dê um tempo para você, goste mais de você, cuide mais de você.

Quanto aos filhos: não cobre presente. Queira presença, mas também não a cobre. Tornar-se presente talvez seja o remédio. Cobranças e reclamações são os meios mais eficientes de não se conseguir presentes, menos ainda presenças. Feliz Dia dos Pais.

*João Soares Neto,

Empresário e escritor.

Tribunal de Justiça Ceará fará concurso para preencher cartórios declarados vagos no Ceará

219 1

O Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE) deu início aos atos preparatórios para a realização de concurso público destinado ao preenchimento de vagas nos cartórios declarados vagos no Estado. A banca examinadora do certame, instituída pelo presidente do TJCE, desembargador Gladyson Pontes, está definindo a instituição que ficará responsável pela seleção. A previsão é que o edital seja divulgado até o final deste mês, informa a assesoria de imprensa do tribunal.

Segundo o desembargador Paulo Airton Albuquerque Filho, presidente da banca examinadora, ainda será definido o número de vagas para cargos de tabelião e registradores. Poderão participar do certame bacharéis em Direito ou aqueles que comprovem pelo menos dez anos no exercício de funções em serventias extrajudiciais. Ele, no entanto, em conversa com o Blog, estimou cerca de 400 vagas.

Banca

A banca examinadora do concurso foi definida no dia 26 de junho, durante sessão do Pleno do TJCE. Também compõem o grupo os juízes Francisco Eduardo Torquato Scorsafava, Flávio Vinícius Bastos Sousa e Fernando Teles de Paula Lima, além do procurador de Justiça José Maurício Carneiro, representando o Ministério Público do Ceará (MPCE) e do advogado Fábio Hiluy Moreira, representante da Ordem dos Advogados do Brasil – Secção Ceará (OAB-CE). Samuel Vilar de Alencar Araripe será o representante dos notários e tabeliães, e Expedito Willian de Araújo, dos registradores.

BNB investirá R$ 2,5 bi na agricultura familiar

 

O Banco do Nordeste investirá R$ 2,5 bilhões na agricultura familiar no âmbito do Plano Safra 2017/2018, que compreende o período de julho deste ano até junho de 2018. De acordo com o banco, o valor representa acréscimo de 8% em comparação ao Plano Safra 2016/2017. Os recursos serão destinados a produtores de todo o Nordeste e norte dos estados de Espírito Santo e de Minas Gerais, área de atuação do Banco.

O financiamento para os agricultores familiares é concedido por meio Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf). Os juros variam entre 0,5%, 2,5% e 5,5% ao ano, dependendo da destinação do crédito.

Para o custeio da produção de itens que compõem a cesta de alimentos, o Pronaf traz taxas de juros de 2,5% ao ano. Estão incluídos nessa lista produtos como arroz, feijão, mandioca, tomate e laranja. Cultivos de olerícolas e custeio para apicultura, bovinocultura de leite, piscicultura, ovinos e caprinos têm a mesma taxa.

Alimentos em sistemas de produção de base agroecológica e orgânica e investimentos em produção de energia renovável, irrigação, armazenagem e práticas sustentáveis de manejo do solo e da água, também têm juros de 2,5% ao ano.

Assentados do Programa Nacional de Reforma Agrária e beneficiários do Programa Nacional de Crédito Fundiário podem contratar financiamento com juros de 0,5% ao ano. As demais atividades permanecem com a taxa de juros de 5,5% ao ano.

(Agência Brasil)

PSDB vai orientar pela aceitação da denúncia contra Temer

Após reunir a bancada, o líder do PSDB, deputado Ricardo Tripoli (SP), decidiu que irá orientar o voto pela aceitação da denúncia por corrupção contra Michel Temer, que deve ser votada hoje em plenário. Segundo o líder tucano, a bancada será liberada para votar como quiser, mas a orientação seguirá o desejo da maioria: contra o governo.

— Vamos orientar a favor da denúncia. É o que a bancada quer— disse Tripoli ao GLOBO.

Pelas contas internas, dos 46 deputados tucanos, cerca de 26 devem votar contra o governo e, portanto, pela aceitação da denúncia. O partido é um dos principais aliados de Temer e conta com quatro ministérios, inclusive o da articulação política, a Secretaria de Governo, nas mãos de Antonio Imbassahy. Ele e o ministro das Cidades, o deputado tucano Bruno Araújo, foram licenciados para votar a favor do governo.

Temer diz que ainda tem longa tarefa pela frente

No dia em que a Câmara dos Deputados realiza sessão para discutir e votar o parecer que pede o arquivamento da denúncia contra o presidente Michel Temer pelo suposto crime de corrupção passiva, ele destacou em artigo as realizações do seu governo. Disse que sua gestão chega agora à terceira fase em que será dada continuidade às reformas estruturantes. O artigo está publicado na edição de hoje (2) do jornal Folha de S. Paulo.

Segundo Temer, as reformas da Previdência, tributária e política e mais medidas desburocratizantes serão as forças motrizes desta terceira fase. “Vamos continuar com as reformas estruturantes: são fundamentais para que o próximo governante possa seguir numa direção segura”.

No texto, ele registra ainda que “não importam os obstáculos; o importante é que os diversos setores tenham maturidade e disposição para discutir o mérito das questões nacionais”.

Michel Temer descreve que a primeira fase de seu governo se deu quando ele assumiu a Presidência “em momento de grande recessão, com o país inteiramente fora dos trilhos”.

Teto para os gastos públicos

Em seguida, cita que alcançou a aprovação do teto para os gastos públicos, a reforma do ensino médio e renegociou as dívidas dos Estados. No artigo, o presidente cita ainda o reajuste para o Bolsa Família e a liberação das contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).

A segunda fase, de acordo com Temer, foi iniciada com a crise política que levou o governo a afirmar que o Brasil não iria parar. Ele então registra que, de maio a julho, foi possível aprovar no Congresso Nacional mais de dez medidas provisórias essenciais para mudar a dinâmica social e econômica do país. Relata que nesta fase ocorreu também a aprovação da reforma trabalhista, o apoio das Forças Armadas para combater a violência no Rio de Janeiro e a concessão de aeroportos à iniciativa privada.

O presidente da República finaliza o texto dizendo que tem longa tarefa pela frente como a de pacificar o país que foi um dos motes de seu discurso de posse.

“Continuaremos a trabalhar duro, com a responsabilidade geradora de confiança. Foi neste ambiente que conseguimos reduzir a inflação e os juros. E é isso também que faz ressurgir o emprego. Lutamos para resgatar a tranquilidade social”, disse.

(Agência Brasil)

PDV – Um remédio temporário para crises

Com o título “O PDV é viável para o ajuste fiscal das contas públicas”, eis artigo do economista Henrique Marinho. No texto, ele procura responder essa indagação. Confira:

Claro que essa não é uma solução viável para o ajuste das contas públicas do Brasil. Parte da atual crise fiscal por que passa o Estado brasileiro tem sua origem conjuntural, em boa parte advinda mais da redução de arrecadação por causa da brutal recessão do que pelo excesso de gastos públicos e tem levado o governo à tomada de decisões de curto prazo que envolve a elevação da arrecadação, por intermédio de elevação de impostos, como a recente elevação dos preços dos combustíveis e na minoria das vezes por meio do corte de gastos públicos.

No entanto, a maior parte da crise é estrutural, considerando que a Constituição brasileira estabeleceu obrigações do Estado com a sociedade de forma tal que não dá ao mesmo a capacidade de fazer gestão orçamentária, tendo em vista as vinculações obrigatórias para as despesas com educação, saúde, previdência, transferências aos estados e municípios e a programas sociais e outros. A eficácia da gestão desses recursos apresenta baixíssima produtividade.

Mesmo sem alterar as obrigações constitucionais, porque foi uma opção da sociedade, o governo precisaria implementar um programa estratégico de gestão eficaz dos recursos públicos e da máquina administrativa para reduzir desperdícios e melhorar a gestão pública, profissionalizando sua estrutura administrativas. Mas, em vez de tentar resolver o problema da gestão, o Governo renasce com a velha ideia de um Programa de Desligamento Voluntário (PDV) como solução simplista para os problemas fiscais do País. Pode até ter um impacto midiático ao mostrar que o governo está reduzindo sua folha de pagamento com pessoal.

Esses programas de PDV utilizados no Brasil têm como objetivo resolver problemas temporários de caixa dessas empresas, reduzindo o custo com mão de obra. Em sua maioria, não se pensa na capacidade de gestão das empresas porque esses trabalhadores que se desligam são, em sua maioria, os mais capacitados, os que têm maior empregabilidade. Bom para os que aceitam aderir ao PDV, mas terrível para as empresas que perdem seus melhores talentos; aqueles que conhecem a cultura da empresa, aqueles que carregam a empresa.

*Henrique Marinho

hjmmarinho@gmail.com

Economista, membro do Instituto Brasileiro de Executivos de Finanças (Ibef) e conselheiro do Conselho Federal de Economia (Cofecon).

José Guimarães apregoa eleições diretas como única saída para a crise

O deputado federal José Nobre Guimarães (PT), líder das minorias na Casa, ocupou a tribuna e apelou aos parlamentares para que reflitam e votem pela admissibilidade da denúncia contra o presidente Michel Temer.

Guimarães afirmou que a única saída para a crise institucional do País é a convocação das eleições diretas.

Segundo o deputado, só o povo pode resolver essa situação e o povo não pode ser excluído. Confira trecho:

Férias no Ceará – Hotéis registraram 82,20% de taxa de ocupação

O presidente do Sindicato dos Hotéis do Ceará, Manuel Cardoso Linhares, atualizou os números da alta estação e informa que os resultados superaram os calculados até sexta-feira.

O mês de julho encerrou com taxa de ocupação de 82,20%, superando a marca de 75,37% verificada até a semana passada.

Manuel Cardoso, que também é vice da Associação Brasileira de Hotéis (Abih), creditou principalmente a eventos como o Fortal, micareta fora de época, e o Halleluya, evento religioso católico.