Blog do Eliomar

Categorias para Brasil

Conviver, sofrer e aprender com o Alzheimer

Com o título “Conviver, sofrer e aprender com o Alzheimer”, eis artigo da jornalista e radialista Ian Gomes, que conviveu esse tipo de doença em casa. Ela passa lições da sua experiência. Confira:

Ela parou diante do espelho e disse: “quem é aquela mulher?” Levei na brincadeira e respondi: “está ficando cega, mamãe? É a senhora”. Esse, talvez, tenha sido o primeiro sinal de que algo não estava bem com dona Ambrozina, 67 anos de idade. Com o passar dos dias, outras atitudes complicadas: deixava a comida queimar (era excelente cozinheira; era estranho), tinha alucinações (via animais ferozes), além da teimosia, que se acentuava. A vaidade começou a ficar comprometida (não queria mais tomar banho). Para quem vivia de batom, era algo inaceitável.

O diagnóstico de familiares e pessoas próximas era rápido: é depressão, está ficando louca, quer chamar atenção, é culpa de Fulano… Após alguns exames, a confirmação: sua mãe está com início de Alzheimer. Era o ano de 2000. Pouco se falava no assunto. E agora? Tudo é muito estranho, a pessoa está, mas não está. É difícil conviver, aceitar. Os remédios não trazem de volta a mãe que você sempre teve. Tudo só piorava. Os esquecimentos, a agressividade, a dependência cada vez mais acentuados.

A doença de Alzheimer, como qualquer outra enfermidade, afasta familiares principalmente. É outra guerra a vencer. Afinal, não é fácil ver a desconstrução de alguém que sempre foi sua referência. Qual filho se prepara para ser mãe da mãe? Trocar fraldas, por exemplo? Nesta etapa entra o papel do cuidador. Muitas vezes, outro problema.

Mas Deus coloca anjos em forma de pessoas no caminho. E minha mãe foi premiada. Ela conviveu com a doença durante 17 anos. Os médicos chegaram a admitir que o fato de ter vivido tanto (a média de vida, após o diagnóstico, é de 10 a 12 anos) foi devido a um remédio chamado amor! E esse amor foi alimentado por dona Ieda, a cuidadora que se dedicou durante 13 anos e oito meses, sem arredar o pé. No último ano de sua vida (minha mãe faleceu em março deste ano, aos 84 anos de idade), minha irmã Iraides largou tudo para cuidar da mãe que se tornou sua filha. Um mérito.

O Alzheimer desconstrói a memória do paciente. Mas quem precisa conviver com alguém que tem a doença pode se reconstruir como pessoa. A gente aprende a ser mais tolerante e perceber a fragilidade do existir. Se visto como missão, embora doloroso, é fonte de aprendizado. Pense nisso!

*Ian Gomes

ian.gomes2008@gmail.com

Radialista e jornalista; apresentadora do programa Viver Mais (TVC)

VAMOS NÓS – Convivemos por 10 anos com o Alzheimer, que chegou sem serventia e abateu meu pai, Seu Helio. Ele foi embora, mas ficou aquela saudade que a gente sempre vai gostar de ter.

30 tribunais terão expediente normal na sexta-feira

Além das instâncias superiores, quatro dos cinco tribunais regionais federais, nove TJs e 14 TRTs também funcionarão. Apesar disso, mesmo com expediente normal, o TJ-SC suspenderá os prazos na sexta-feira, informa o site Consultor Jurídico.

Ainda em relação aos TJs, os tribunais do Amapá, de Pernambuco, do Piauí e de Roraima ainda não definiram se suspenderão os prazos processuais no dia 8 de setembro. Já as cortes do Amazonas, de Mato Grosso do Sul, de Mato Grosso, do Pará, da Paraíba, do Rio de Janeiro, de Roraima e de São Paulo, além do TRT-24, definiram a sexta-feira como ponto facultativo.

O Tribunal de Justiça do Amazonas também não funciona nesta terça-feira (5/9) por conta de um feriado estadual. Na quarta-feira (6/9), a corte definiu ponto facultativo. Ainda no dia 6, o TRT-11 também suspendeu o expediente.

MEC libera R$ 1 bilhão para universidades e institutos federais

O ministro da Educação, Mendonça Filho, autorizou, nesta quarta-feira, 6, a liberação de R$ 1 bilhão para universidades e institutos federais em todo o País. O valor corresponde ao repasse financeiro para as instituições e ao aumento de cinco pontos percentuais no limite para empenho do orçamento para custeio e para investimento. A informação é divulgada pela assessoria de imprensa do MEC.

“Estamos cumprindo rigorosamente com o compromisso assumido com as universidades e institutos federais, que têm tido por parte do MEC toda a atenção no sentido de garantir custeio, investimento e retomar obras paralisadas”, afirmou o ministro Mendonça Filho, destacando que o MEC já liberou este ano R$ 5.138,4 milhões para as universidades federais em limite para empenho do orçamento, sendo R$ 4.551,6 bilhões para atendimento de despesas de custeio e R$ 586,8 milhões para as despesas de investimento, incluindo fonte própria (R$ 488,1 milhões).

Do R$ 1 bilhão liberado hoje, R$ 558,69 milhões são referentes a recursos financeiros discricionários e R$ 449,6 milhões a uma liberação de limite para empenho do orçamento equivalente a um acréscimo, em relação aos valores já liberados, de 5 pontos percentuais em custeio e 5 pontos percentuais em investimento para cada uma das instituições federais.

Ao todo, as universidades federais receberão R$ 718 milhões, dos quais R$ 406 milhões em recursos financeiros discricionários, o que corresponde a 100% do valor liquidado até o momento, e o restante corresponde a R$ 312 milhões de limite para empenho do orçamento, sendo R$ 255 milhões para custeio e R$ 57 milhões para investimento.

A liberação de limite para empenho do orçamento de cinco pontos percentuais para custeio e para investimento aumenta de 75% para 80% o limite de liberado para as universidades e institutos.

Já os institutos federais, do R$ 1 bilhão liberado hoje, serão contemplados com R$ 290,3 milhões. Desse total, R$ 152,2 milhões de recursos financeiros discricionários e R$ 137,6 milhões a mais de limite para empenho do orçamento. Este último corresponde a R$ 110,6 milhões para custeio e R$ 27 milhões para investimento. O orçamento liberado para os institutos apenas este ano corresponderá, portanto, a R$ 1.951,4 milhões, sendo R$ 1.810,6 milhões de custeio, R$ 140,8 milhões de investimento, incluindo fonte própria (R$ 42,5 milhões).

“Shaolin do Sertão” é eleito melhor longametragem-comédia

232 1

O filme “Shaolin do Sertão”, do cineasta cearense Halder Gomes, ganhou como melhor longa-metragem comédia no Grande Prêmio do Cinema Brasileiro, que ocorreu ontem no Rio de Janeiro.

Parabéns ao Halder e o cast. Sem sombra de dúvidas, um filme de bom roteiro, animado e, claro, sem deixar de lado a molecagem cearense.

*Veja a lista dos premiados aqui.

(Foto – Divulgação)

Palocci vai depor em processo da Lava Jato que envolve Lula e Dilma

O ex-ministro Antônio Palocci presta depoimento hoje (6) à tarde na 13ª Vara Federal de Curitiba na condição de réu da ação penal da Lava Jato que envolve a compra de um terreno para construção do Instituto Lula e de um apartamento em São Bernardo do Campo. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva também é réu deste processo.

Palocci está detido na carceragem da Polícia Federal (PF) de Curitiba. Ele foi condenado em outra ação penal da Lava Jato a 12 anos de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Neste processo, o Ministério Público Federal (MPF) afirma que o Grupo Odebrecht comprou um terreno no valor de R$ 12,4 milhões para a construção do Instituto Lula — obra que não chegou a ser executada. Ainda segundo a denúncia, o ex-presidente também recebeu como vantagem indevida da empreiteira uma cobertura vizinha ao apartamento onde mora, em São Bernardo do Campo.

Além de Antônio Palocci, serão ouvidos hoje outros três réus deste processo: o dono da empresa DAG Construtora, Demerval de Souza Gusmão Filho; o primo do pecuarista José Carlos Bumlai, Glauco da Costa Marques; e o advogado Roberto Teixeira.

(Agência Brasil)

Copom se reúne para definir taxa básica de juros. Mercado espera 8,25%

O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central vai se reunir, nesta quarta-feira (6), para definir a taxa básica de juros da economia. A expectativa dos analistas é que a Selic será reduzida dos atuais 9,25% para 8,25% ao ano. A informação é do Portal G1.

A decisão do BC será anunciada por volta das 18 horas desta quarta, após o fechamento do mercado financeiro. A expectativa da maior parte dos analistas dos bancos consta de pesquisa realizada na semana passada pelo BC com mais de 100 instituições financeiras.

Se confirmada essa previsão, será o oitavo corte consecutivo na Selic, o que levará a taxa ao menor patamar desde julho de 2013.

A estimativa dos analistas é que o juro continue a recuar nos próximos meses, chegando a 7,25% ao final deste ano, mas avançando para 7,5% em 2018.

Inflação cai em agosto e acumulado do ano é o menor desde 1994, diz IBGE

O Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) ficou em 0,19% no mês de agosto em relação a julho. Os dados foram divulgados nesta quarta-feira (6) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Para os meses de agosto, foi a menor variação desde 2010 (0,04%). Em agosto de 2016, o índice havia registrado variação de 0,44%, informa o Portal G1.

No ano, o acumulado foi de 1,62%, bem abaixo dos 5,42% registrados em agosto de 2016. Este foi o menor acumulado no ano para um mês de agosto desde a implantação do Plano Real (1994).

O acumulado dos últimos 12 meses, o IPCA desacelerou para 2,46%, resultado inferior aos 2,71% registrados nos 12 meses imediatamente anteriores. Esta foi a menor variação acumulada em 12 meses desde fevereiro de 1999 (2,24%). O índice está abaixo do piso da meta de inflação estipulada pelo governo, que é de 3% ao ano (1,5 ponto percentual abaixo do centro da meta, que é de 4,5% ao ano).

Variações

Pelo quarto mês consecutivo, o grupo dos alimentos teve queda (-1,07%). O IBGE avalia que o início da colheita recorde da safra agrícola deste ano provocou a queda nos preços dos principais alimentos consumidos pelas famílias brasileiras.

A inflação para o grupo de alimentação e bebidas tem o menor resultado (-1,07%) desde agosto de 1998, quando foi de -1,20, considerando apenas os meses de agosto.
Os alimentos para consumo em casa recuaram 1,84%, após a queda de 0,81% de julho. Os destaques foram: feijão-carioca (-14,86%), tomate (-13,85%), açúcar cristal (-5,90%), leite longa vida (-4,26%), frutas (-2,57%) e carnes (-1,75%). Todas as regiões pesquisadas tiveram queda em agosto: de -2,75% em Goiânia até -1,16% em Fortaleza.

Já a alimentação fora, que havia ficado 0,15% mais cara em julho, subiu 0,35% em agosto. Com exceção das regiões metropolitanas de Belém (-0,79%) e de Curitiba (-0,54%), as demais tiveram variações positivas entre 0,03% (Belo Horizonte) e 2,49% (Salvador).
No grupo comunicação (-0,56%), o destaque ficou com as contas de telefone celular que ficaram, em média, 1,57% mais baratas.
Já as passagens aéreas, do grupo transportes (1,53%), ficaram 15,16% mais baratas.

Combustíveis

Por outro lado, os combustíveis, com variação de 6,67%, foram o maior impacto no índice do mês. Segundo o IBGE, O litro do etanol ficou, em média, 5,71% mais caro. Já a gasolina subiu 7,19% em razão do aumento na alíquota do PIS/Cofins em vigor desde julho e da política de reajustes de preços dos combustíveis da Petrobras.

Senado vai discutir desconto de 30% para professores na compra de carro

A Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH), do Senado, vai analisar a Sugestão legislativa 40/2017, que pede a criação de lei que estabeleça desconto de 30% no preço de automóveis adquiridos por professores. A sugestão foi apresentada por meio do portal e-Cidadania e tem como relator o senador Cidinho Santos (PR-MT).

A autora da sugestão, a cidadã Valdira Vieira, de Sergipe, afirma que a medida favorecerá os professores, que, em geral, têm baixos salários e costumam residir longe do local de trabalho. Ela ainda argumenta que o desconto pode ajudar a aquecer a economia.

Atualmente, a Lei 8.98/1995 isenta da cobrança do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) algumas categorias de automóveis quando adquiridos por pessoas com deficiência e por taxistas. Montadoras também têm suas próprias políticas de concessão de descontos.

(Foto – Arquivo)

PT vai dizer que denúncia de Janot é gesto político para rebater versão de que ele persegue Temer

Da Coluna Painel, da Folha de S. Paulo desta quarta-feira:

Embora a ação já estivesse no cronograma da PGR, o PT dirá que a denúncia da cúpula do partido por organização criminosa foi um gesto político, para contraditar a versão de que Janot persegue Michel Temer.

*Leia a íntegra da coluna aqui.

Dinheiro encontrado em suposto “bunker” de Geddel Vieira soma R$ 51 milhões

A Polícia Federal demorou quase até a meia-noite desta terça-feira para contar as milhares de e notas de reais e dólares encontradas em um suposto bunker onde o ex-ministro Geddel Vieira Lima (PMDB) armazenaria recursos ilícitos, em Salvador, na Bahia. E a contagem final somou a espantosa quantidade de 51.030.866,40 reais, segundo o balanço definitivo da PF, que precisou de sete máquinas para contar os milhares de notas. Além de reais, nessa quantidade também se contabilizaram dólares, 2,688 milhões (8,387 milhões de reais).

O dinheiro foi encontrado durante uma operação da PF deflagrada na manhã desta terça-feira que apreendeu milhares de reais em espécie. As imagens divulgadas pela assessoria da PF são impressionantes: foram recolhidas ao menos nove malas e sete caixas de papelão lotadas de notas de 100 e 50 reais. A montanha de dinheiro encheu ao menos dois porta-malas de camionetes usadas no cumprimento do mandado judicial.

Os policiais chegaram ao local onde o dinheiro estava armazenado após uma denúncia de que o ex-ministro da Secretaria de Governo de Michel Temer estaria escondendo documentos relacionados a uma das investigações da qual é alvo. Na prática, os policiais conseguiram muito mais do que esperavam. O imóvel onde estava a montanha de dinheiro não era do peemedebista, mas estava cedido a ele. Oficialmente, ele informava ao proprietário do local que guardaria documentos de seu finado pai, Afrísio Vieira Lima, no apartamento.

Batizada de Tesouro Perdido, a operação desta terça-feira é uma continuação da Operação Cui Bono, que havia resultado na prisão de Geddel em julho. O cumprimento do mandado ocorre um dia depois que o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, admitiu que a delação da JBS pode ser anulada porque três dos delatores teriam omitido informações aos investigadores. A PF não detalhou como chegou ao local e nem qual a origem do dinheiro.

(El Pais)

Fernando Haddad, o “Plano B” de Lula, cumprirá agenda em Fortaleza

Da Coluna Vertical, do O POVO desta quarta-feira:

O ex-prefeito de São Paulo e ex-ministro da Educação, Fernando Haddad (PT), agendou Fortaleza. Aqui, fará palestra no seminário “Cidade, Memória e os Desafios do Modo de Viver”, de 18 a 20 deste mês, no Theatro José de Alencar. O evento terá na abertura conferências do governador Camilo Santana (PT) e de Jaime Lerner, ex-governador do Paraná e ex-prefeito de Curitiba.

Haddad abordará sua experiência à frente da Prefeitura de São Paulo e suas políticas urbanas premiadas pela ONU. Será sem dúvida um contraponto interessante no momento em que o prefeito João Doria (PSDB) é festejado até por aqui como exemplo de gestor moderno e inovador.

Ainda sobre Haddad, um detalhe: ele é visto por Lula como a bola da vez, no caso de o ex-presidente não conseguir se candidatar em 2018. Aliás, Camilo chegou a defender o nome de Haddad para vice de Ciro Gomes.

SERVIÇO

*O seminário “Cidade, Memória e os Desafios do Modo de Viver” é uma iniciativa do arquiteto Jefferson John e de Izabela Lima, graduanda em Arquitetura. Inscrições pelo site http://seminariocidade.blogspot.com.br.

(Foto – Divulgação)

Congresso rejeita destaques e aprova revisão da meta fiscal para 2017 e 2018

Ao rejeitar, nessa noite de terça-feira, os dois destaques apresentados pela oposição para modificar o texto-base do Projeto de Lei (PLN) 17/17 do Executivo, que propõe a revisão da meta fiscal para este ano e para o ano que vem, o Congresso Nacional concluiu a votação da proposta. Com isso, o projeto será agora encaminhado à sanção presidencial.

O projeto autoriza a União a aumentar o déficit primário de 2017 de R$ 139 bilhões para R$ 159 bilhões e o de 2018, de R$ 129 bilhões também para R$ 159 bilhões. O texto principal foi aprovado na semana passada, antes do envio da proposta orçamentária ao Congresso. No entanto, por falta de quórum, a votação de dois destaques foi adiada para esta semana.

O primeiro destaque pretendia determinar a aplicação, no Orçamento de 2018, de recursos mínimos em saúde em total equivalente ao apurado segundo a Emenda do Teto de Gastos (EC 95), acrescidos da taxa de crescimento populacional estimada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) para o próximo ano. Foram 223 votos pela rejeição e 39 pela aprovação na votação na Câmara. Com foi rejeitado pelos deputados, não foi encaminhado à apreciação do Senado.

O outro destaque, também rejeitado, visava garantir que, no Orçamento de 2018, os recursos destinados à educação em 2017 fossem corrigidos pela inflação acumulada no ano mais a taxa de crescimento do IBGE.

(Agência Brasil)

Joesley Batista pede desculpas a Janot e a ministros do STF

Em nota divulgada nessa terça-feira (5), Joesley Batista e Ricardo Saud, delatores da empresa JBS, pediram “sinceras desculpas” aos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e ao procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pelas citações indevidas em conversas gravadas por eles e entregues à PGR.

A existência das gravações foi revelada segunda-feira (4) por Janot, que abriu investigação para apurar a omissão de informações nas negociações das delações de executivos da JBS. Após a repercussão do caso, os colaboradores afirmaram que as referências feitas aos ministros e a Janot “não guardam nenhuma conexão com a verdade”.

“Não temos conhecimento de nenhum ato ilícito cometido por nenhuma dessas autoridades. O que nós falamos não é verdade, pedimos as mais sinceras desculpas por este ato desrespeitoso e vergonhoso e reiteramos o nosso mais profundo respeito aos ministros e ministras do Supremo Tribunal Federal, ao procurador-geral da República e a todos os membros do Ministério Público”, dizem os delatores.

As gravações motivaram a abertura do processo de revisão do acordo de colaboração de Joesley Batista, Ricardo Saud e Francisco e Assis e Silva. No início da noite, o sigilo dos áudios foi retirado pelo ministro Edson Fachin, relator das delações da JBS, mas o conteúdo deve ser disponibilizado somente amanhã pelo STF.

Ao comunicar a abertura do processo de revisão das delações, Janot disse que mesmo se os benefícios dos delatores forem cancelados, as provas contra as pessoas citadas devem ser mantidas. No entanto, a decisão final cabe ao Supremo.

Mais cedo, a presidente da Corte, ministra Cármen Lúcia, informou que pediu à Polícia Federal (PF) que investigue as citações de ministros da Corte nas gravações entregues pela JBS à PGR.

Segundo a ministra, a investigação é necessária para que não fique dúvidas sobre a dignidade dos integrantes do Supremo. “Agride-se, de maneira inédita na história do país, a dignidade institucional deste Supremo Tribunal e a honorabilidade de seus integrantes”, disse.

(Agência Brasil)

Rodrigo Janot denuncia Lula, Dilma e os ex-ministros Mantega e Palocci

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, acaba de denunciar ao Supremo Tribunal Federal (STF) a ex-presidenta Dilma Rousseff, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e os ex-ministros da Fazenda Guido Mantega e Antonio Palocci pelo crime de organização criminosa. Também foram denunciados a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), o ex-ministro Paulo Bernardo, marido da parlamentar, e os ex-tesoureiros do PT João Vaccari e Edinho Silva.

Na denúncia, Janot sustenta que os acusados formaram uma organização criminosa no Partido dos Trabalhadores para receber propina desviada da Petrobras durante as investigações da Operação Lava Jato.

“Pelo menos desde meados de 2002 até 12 de maio de 2016 , os denunciados, integraram e estruturaram uma organização criminosa com atuação durante o período em que Lula e Dilma Rousseff sucessivamente titularizaram a Presidência da República para cometimento de uma miríade [grande número] de delitos, em especial contra a administração pública em geral”, sustenta Janot.