Blog do Eliomar

Categorias para Brasil

Comissão aprova MP que permite acordos de leniência com bancos

Parlamentares da comissão mista para análise da Medida Provisória (MP) 784/2017 – que possibilita acordos de leniência do Banco Central (BC) com instituições financeiras que cometeram ilícitos – aprovaram parecer favorável da relatora, a senadora Lídice da Mata (PSB-BA).

A MP 784 amplia os poderes punitivos do banco e da Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Em acordo de leniência, a colaboração pode diminuir as penalidades aplicáveis em até dois terços e até mesmo extinguir processos em curso. Além disso, a MP aumenta de R$ 250 mil para R$ 2 bilhões o valor das multas que poderão ser aplicadas às instituições financeiras.

O texto agora precisa ser aprovado pelo plenário da Câmara dos Deputados e do Senado.

Alterações

Defendida pelo BC, a MP foi alvo de polêmica. O argumento contra a matéria é que a celebração de acordos de leniência pelo BC invadiria competências que são do Ministério Público.

A senadora Lídice da Mata modificou o texto original, acatando integralmente cinco emendas apresentadas pelos parlamentares e, parcialmente, 28. Uma das mudanças feitas foi deixar mais claro que o marco punitivo para os bancos trata de infrações administrativas, não penais.

Lídice da Mata disse que a matéria é importante porque reforça a fiscalização sobre o sistema financeiro. “O que está passando no Brasil nos põe a refletir sobre os instrumentos de controle financeiro que o país tem. Como tanto dinheiro tem entrado e saído do país sem que ninguém explique?”, questionou.

A comissão também aprovou três destaques. Entre eles, proposta do deputado Pauderney Avelino (DEM-AM) de recriação de dois fundos de arrecadação de multas para BC e CVM. A relatora havia retirado essa possibilidade, prevista no texto original.

(Agência Brasil)

Heitor Férrer: Copa 2014 e Olimpíadas foram uma inversão de prioridade no País

Em pronunciamento, nesta terça-feira (05), na Assembleia Legislativa, o deputado estadual Heitor Férrer voltou a bater duro na “inversão de prioridades feita nos investimentos do Brasil”. Ele lamentou tantos gastos bilionários feitos em infraestrutura para a realização da Copa do Mundo de 2014 e das Olimpíadas de 2016, hoje eventos sob investigação da Polícia Federal na Operação Lava-Jato.

Para Heitor, um absurdo que deixou no abandono “obras importantíssimas para a população” como a transposição das águas do Rio São Francisco e a construção da Linha Leste do Metrô de Fortaleza, com custos bem inferiores aos dos dois eventos. “Essas obras seguem sem previsão de conclusão, o que é absurdo”, completou.

O parlamentar concluiu que esses grandes eventos que o Brasil sediou “tiveram motivação clara de desviar dinheiro público sob o pretexto de deixar um legado ao povo brasileiro, sendo que foram gastos bilhões para estas duas competições e nenhum resultado social positivo foi obtido.”

Coordenador do Núcleo do AVC do HGF em clima de papo cabeça

Na rota de Vancouver (Canadá) seguiu o coordenador do Núcleo de Combate e Prevenção ao AVC, do Hospital Geral de Fortaleza (HGF), João José Carvalho. Ali, ele participará do Congresso Mundial de Dor de Cabeça, onde vai se engajar à reunião da Internacional Headache Society (IHS).

No ano passado, João José  foi eleito o representante do Brasil na IHS que, entre desafios, luta para universalizar a assistência a pacientes com dor de cabeça, especialmente em países do terceiro mundo.

Segundo a Organização Mundial da Saúde, a dor de cabeça é o segundo agravo de saúde mais comum na humanidade. Os seres humanos só tem mais do que dor de cabeça, cárie.

(Foto – Arquivo)

Cabo Sabino quer tornar crime conduta de importunação ofensiva ao pudor

O deputado federal Cabo Sabino (PR) apresentou projeto de lei (PL 8464/2017) que tem por finalidade tornar crime “a conduta de Importunação ofensiva ao pudor”. Se aprovada a proposta, importunar alguém, em lugar público ou acessível ao público, de modo ofensivo ao pudor, a pena será de dois a seis anos de reclusão, além de multa.

Na última semana, em São Paulo, o Tribunal de Justiça (TJ-SP) relaxou a prisão em flagrante do ajudante geral Diego Ferreira de Novais (27), que havia sido preso, após ejacular em uma passageira dentro de um ônibus na Avenida Paulista, no Centro de São Paulo.

O relaxamento ocorreu porque a Justiça entendeu que não houve estupro (artigo 213, no Código Penal), como a Polícia Civil havia registrado, mas, sim, importunação ofensiva ao pudor – classificado como contravenção penal, e não crime. A decisão foi assinada pelo juiz José Eugenio do Amaral Souza Neto.

“O ato hoje não é considerado crime pelo Código Penal brasileiro e está previsto apenas no artigo 61 da Lei de Contravenções Penais (LCP). Quem for pego em flagrante cometendo uma contravenção penal, considerada um delito mais leve, não pode ficar preso preventivamente. O artigo define “importunar alguém, em lugar público ou acessível ao público, de modo ofensivo ao pudor” e prescreve apenas multa para quem pratica tal ato”, adianta Cabo Sabino.

Camilo assina carta dos governadores do NE que protesta contra privatização da Eletrobras

Os governadores dos nove estados do Nordeste enviaram hoje (5) uma carta ao presidente Michel Temer (PMDB) em que criticam a privatização da Eletrobras e outras mudanças anunciadas pelo governo federal no setor de energia. Os chefes dos Executivos estaduais questionam o uso de um setor, que dizem ser estratégico, para a União poder minimizar o déficit do Orçamento federal. Eles fazem propostas que vão desde a desvinculação da Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf) do grupo Eletrobras até a união da companhia com outras três instituições que promovem o desenvolvimento no Nordeste.

A carta foi protocolada na Presidência no fim da manhã pelo governador de Pernambuco, Paulo Câmara. Assinaram o documento, além de Câmara, os gestores do Maranhão (Flávio Dino), Piauí (Wellington Araújo), Rio Grande do Norte (Robinson Faria), Ceará (Camilo Santana), Paraíba (Ricardo Coutinho), Alagoas (Renan Calheiros Filho), Sergipe (Jackson Barreto) e Bahia (Rui Costa).

O documento trata de três mudanças no setor elétrico: revisão do marco legal do setor, descotização do mercado enérgetico e privatização da Eletrobras. São apresentados questionamentos para cada um dos tópicos. Um dos argumentos em comum é o aumento da conta de energia elétrica, com base em manifestação oficial da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Esse elemento é citado ao abordarem a descotização das hidrelétricas. Essa política, implantada por meio da Medida Provisória nº 579/2012, fazia com que as hidrelétricas vendessem energia às distribuidoras por um preço fixo, determinado pela Aneel, ao contrário de firmarem preços conforme o mercado e as realidades das instituições.

(Agência Brasil)

Gilmar Mendes: Reviravolta na delação de Joesley Batista expõe a “irresponsabilidade” de Janot

O ministro Gilmar Mendes (STF) disse à Coluna Radar que a reviravolta na delação de Joesley Batista revela “a irresponsabilidade” do procurador-geral da República, Rodrigo Janot. Mendes afirmou ainda que a PGR está sob a tutela de “irresponsáveis”.

“O novo caso revela que a Procuradoria foi entregue a uma equipe de pessoas absolutamente desqualificadas. Que não têm respeito às instituições”, disse.

E prossegue:

“Tudo isso é fruto das mãos irresponsáveis de Rodrigo Janot. A tarefa de Raquel Dodge vai ser muito difícil. Ela terá de reconstruir as bases de uma instituição que hoje não mostra respeito aos aspectos mais básicos do direito”, diz Gilmar, sobre a próxima procuradora-geral da República.

O ministro Gilmar Mendes é um dos alvos no novo áudio divulgado nesta terça (5). A ideia era comprometê-lo através de uma gravação com José Eduardo Cardozo.

(Foto – Congresso em Foco)

Ex-procurador da República citado nas gravações da JBS diz que não praticou crime

O ex-procurador Marcello Miller disse hoje (5), por meio de nota à imprensa, que “tem convicção de que não cometeu qualquer crime ou ato de improbidade administrativa”. Na segunda-feira (4), o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, informou que Miller foi citado nas gravações entregues por executivos da JBS.

Segundo Janot, no diálogo, Joesley Batista, dono da JBS, e Ricardo Saud, diretor do grupo, falam sobre uma suposta atuação de Miller, “dando a entender que ele estaria auxiliando na confecção de propostas de colaboração para serem fechadas com a Procuradoria-Geral da República”.

Miller disse que está à disposição das autoridades para prestar todos os esclarecimentos.

(Agência Brasil/Foto – Último Segundo)

Preço da cesta básica diminui em 21 Capitais, revela o Dieese

O custo dos alimentos que compõem a cesta básica caiu, no mês de agosto, em 21 das 24 capitais brasileiras pesquisadas pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). O relatório divulgado hoje (5) mostra queda em Campo Grande (-7,09%), Salvador (-7,05%), Natal (-6,15%) e no Recife (-5,84%). As altas foram registradas em Goiânia (0,04%), Maceió (0,91%) e Boa Vista (1,40%).

Tiveram as cestas mais caras as cidades de Porto Alegre (R$ 445,76), São Paulo (R$ 431,66) e Florianópolis (R$ 426,30). Os menores valores foram observados em Salvador (R$ 332,10), Natal (R$ 336,12) e no Recife (R$ 340,54). A maioria das capitais registrou queda de preços, principalmente do óleo de soja, açúcar, tomate, feijão, leite e carne bovina de primeira.

Nos últimos 12 meses, o valor da cesta caiu em todas as cidades pesquisadas. A principal queda ocorreu em Campo Grande (-19,46%) e a menor foi em Aracaju (-4,55%). Entre janeiro e agosto, o custo da cesta teve queda em 23 capitais, com destaque para Campo Grande (-12,98%), Cuiabá (-1,79%), Manaus (-9,39%) e Belém (-8,50%). A única alta foi registrada em Aracaju (1,19%).

Salário Mínimo

Com base no custo da cesta brasileira mais cara, a de Porto Alegre, o salário mínimo necessário para uma família de quatro pessoas deveria ser de R$ 3.744,83. O valor estimado corresponde a quatro vezes o mínimo vigente, que é R$ 937,00. No mês anterior, o piso mínimo necessário foi calculado em R$ 3.810,36. Em agosto do ano passado, o mínimo ficou em R$ 3.991,40.

(Agência Brasil)

Câmara dos Deputados inicia debate sobre a PEC que põe fim às coligações

O plenário da Câmara dos Deputados começou a discutir hoje (5) a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 282/17, que estabelece o fim das coligações partidárias para eleições proporcionais a partir do ano que vem. O texto também prevê a adoção de uma cláusula de desempenho para que os partidos tenham acesso aos recursos do Fundo Partidário e ao tempo de propaganda eleitoral gratuita no rádio e na televisão.

De acordo com o substitutivo aprovado na comissão especial que analisou a PEC, a partir de 2030 somente os partidos que obtiverem, no mínimo, 3% dos votos válidos, distribuídos em pelo menos um terço dos estados, terão direito aos recursos do Fundo Partidário. Para terem acesso ao benefício, os partidos também deverão ter elegido pelo menos 15 deputados distribuídos em pelo menos um terço dos estados.

O mesmo critério será adotado para definir o acesso dos partidos à propaganda eleitoral gratuita no rádio e na televisão. A mudança, no entanto, será gradual, começando pelo piso de 1,5% dos votos válidos e nove deputados federais eleitos nas eleições de 2018, chegando a 2% e 11 deputados eleitos, em 2022; a 2,5% e 13 eleitos em 2026, até alcançar o índice permanente de 3% e 15 eleitos em 2030.

A proposta foi relatada pela deputada Sheridan (PSDB-RR), que em seu substitutivo também propõe a formação da chamada federação de partidos entre as legendas que tenham o mesmo programa ideológico no lugar das coligações partidárias, que vigoram atualmente nas eleições proporcionais.

A sessão foi aberta pelo presidente interino da Câmara, deputado André Fufuca, por volta de meio dia, mas a discussão da PEC 282 só começou depois das 13h30. A liderança do PSol apresentou requerimento para retirar a proposta de pauta, mas a solicitação foi rejeitada pela maioria dos deputados.

Por se tratar de uma mudança no texto constitucional, para ser aprovada a proposta precisa de pelo menos 308 votos favoráveis entre os 513 deputados. Sheridan disse que foi acordado que o texto só será colocada em votação com quórum bem alto. Até às 15h30, 416 deputados estavam registrados na sessão do plenário.

A expectativa é que os deputados consigam votar hoje pelo menos o texto base. “O texto está posto, há um consenso para o relatório, mas tem destaques e a decisão dos destaques é no voto, o que vai definir é o voto do plenário, que são os pontos de coligação e aquele aumento que o PR tá aplicando na cláusula de desempenho. Mas não tem como aferir ainda, tá bem dividido”, disse a relatora Sheridan.

Os destaques ou sugestões de mudanças no texto principal que devem ser apresentados tratam de adiamento da data de início para o fim das coligações partidárias e de alterações nos critérios da cláusula de desempenho.

(Agência Brasil)

 

UFC de Russas em clima de ampliação

“Mais investimento em educação”, eis o que defendeu o deputado federal Danilo Forte (PSB), ao visitar o campus da Universidade Federal do Ceará (UFC) na cidade de Russas (Vale do Jaguaribe).

O parlamentar esteve no local acompanhado do secretário estadual das Cidades e do professor Lindberg Gonçalves, responsável pela unidade, quando discutiram apoio financeiro.

O campus está em obras e ganhará dois novos blocos e refeitório. Os recursos são do Ministério da Educação, através de emenda de bancada puxada por Danilo.

(Foto – Divulgação)

José Pimentel diz que povo tem saudade dos programas de inclusão social da Era Lula

O senador José Pimentel (PT) fez um balanço, em Brasília, da visita que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva realizou, na última semana, na Região Nordeste. Em pronunciamento, o petista descreveu as cenas “emocionantes” que presenciou ao participar da caravana Lula pelo Brasil, em 14 municípios do Ceará, além das cidades de Salvador (BA) e Mossoró (RN).

Segundo o senador, homens e mulheres, idosos e crianças saíram de suas casas e ocuparam as ruas “para acolher o ex-presidente e discutir a construção de uma agenda da esperança”, que seja capaz de devolver ao povo brasileiro os diversos programas de inclusão social criados pelo PT e desmontados pelo atual governo Temer.

“É exatamente isso que leva essas multidões às ruas para receber Lula e dizer: Nós precisamos que esse projeto, que foi abortado com os golpistas em 2016, seja devolvido ao Brasil, aos brasileiros, para que possamos voltar a ter esperança, a ter confiança em um projeto de Nação”, disse Pimentel.

O senador citou alguns dos programas desenvolvidos ao longo dos governos do PT que beneficiaram o povo mais pobre do Brasil e estão sendo desarticulados pelo governo Temer. Segundo Pimentel, enquanto o PT garantiu a construção de 5 milhões de moradias com o programa Minha Casa, Minha Vida e a entrega de 2,9 milhões dessas casas, de 2008 ao início de 2016, o atual governo só contratou 35 mil unidades habitacionais. “Mataram o programa Minha Casa, Minha Vida que de todos os setores da infraestrutura é um dos mais importantes, porque gera moradia e absorve muita mão de obra”, afirmou.

Outro programa do PT que está sendo desarticulado, segundo Pimentel, é o Luz para Todos. “O Luz para Todos, que é resultado de uma decisão política do presidente Lula, está parando porque faltam recursos. Um programa que foi tão importante para aquele que até então só tinha a lamparina para poder estudar à noite”, relembrou.

(Foto – Agência Senado)

 

Sudene e Fiec apresentam oportunidades de negócios no Nordeste

Até o fim da tarde desta terça-feira, a Federação das Indústrias do Ceará (Fiec) e a Sudene promove o Roadshow Investimento e Desenvolvimento do Nordeste. O evento acontece no auditório do quinto andar da Casa da Indústria e conta com apoio da Associação Nordeste Forte, da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (ApexBrasil) e da Confederação Nacional da Indústria (CNI).

O objetivo é discutir projetos, recursos e desafios, visando promover o desenvolvimento e incrementar a economia do setor industrial do Nordeste na área de atuação da Sudene. Uma série de palestras sobre oportunidade de negócios na região integra a programação.

(Foto – Divulgação)

Velório de Rogéria acontece no Teatro João Caetano

O corpo da atriz Rogéria está sendo velado no Teatro João Caetano, no Centro do Rio de Janeiro. O enterro está marcado para amanhã (6), no município de Cantagalo, no norte Fluminense, cidade onde Rogéria nasceu. A atriz morreu ontem, aos 74 anos, devido a complicações provocadas por uma infecção urinária.

Ela estava internada desde o dia 8 de agosto em um hospital na Barra da Tijuca. Nascida Astolfo Barroso Pinto, Rogéria era a mais antiga transformista em atividade no Brasil. Ainda na adolescência, homossexual assumido, Astolfo virou transformista e começou a trabalhar como maquiadora, ainda com o nome masculino, na extinta TV Rio.

O nome Rogéria surgiu em 1964, quando venceu um concurso de fantasias no carnaval. Ela estreou nos palcos no mesmo ano, em um show de travestis na Galeria Alaska, então reduto gay de Copacabana.

(Com Agência Brasil)

Alexandre Moraes cassa decisão que proibia blogueiro de Quixeramobim de criticar o prefeito

Blogueiro Aécio Holanda.

Juízes praticam censura prévia e agem de forma antidemocrática quando restringem a livre manifestação de pensamento, pois eventuais injúrias e difamações só podem ser analisadas posteriormente. Assim entendeu o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, ao cassar definitivamente decisão que proibia um blogueiro de criticar o prefeito de Quixeramobim (Sertão Central). A informação é da assessoria de imprensa do STF.

O chefe do Executivo disse que vinha sendo chamado diariamente de “velhaco”, “pinóquio” e “fanfarrão” em redes sociais do blogueiro Aécio Vieira de Holanda, desde as eleições de 2016. Em março, o juiz Adriano Ribeiro Barbosa, da comarca local, mandou que todas as publicações fossem apagadas e proibiu novas manifestações “injuriosas e difamatórias”, sob pena de multa diária de R$ 200.

Para Moraes, a medida afrontou decisão do STF no julgamento da Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) 130, quando o Plenário declarou como não recepcionada, pela Constituição Federal de 1988, a Lei 5.250/1967 (Lei de Imprensa). A Procuradoria-Geral da República não via relação entre o episódio e o julgamento da Lei de Imprensa.

O ministro, porém, já havia suspendido a medida em decisão liminar assinada em maio. Na época, ele definiu censura prévia como “caráter preventivo e abstrato” de restrição à livre manifestação de pensamento, o que segundo o ministro é prática repelida frontalmente pelo texto constitucional.

Moraes manteve parte da decisão de primeiro grau que determinou a retirada das publicações ofensivas ao prefeito publicadas na página do blogueiro, uma vez que, nesse ponto, não viu desrespeito ao que foi decidido na ADPF 130.

De acordo com o relator, eventuais abusos ocorridos no exercício indevido da manifestação do pensamento são passíveis de exame e apreciação pelo Judiciário, com a cessação das ofensas, direito de resposta e a fixação de consequentes responsabilidades civil e penal de seus autores.

O ministro julgou parcialmente procedente o pedido para tornar definitiva a liminar parcialmente concedida. Conforme o artigo 161 do Regimento Interno do STF, o relator pode julgar reclamações individualmente quando o tema for objeto de jurisprudência pacífica do Supremo. Com informações da Assessoria de Imprensa do STF.

Luizianne Lins bate duro na onda de privatizações da Era Temer

Com o título “Não Verás País Nenhum!”, eis artigo da deputada federal Luizianne Lins (PT) abordando a onda de privatizações aberta pelo governo “golpista” de Michel Temer. Ela bater duro, por exemplo, na bola da vez chamada Eletrobras. Confira:

Peço emprestado o título da obra de Ignácio de Loyola Brandão porque é o sentimento que me ocorre ao ver as últimas medidas do governo golpista.

Por decreto, Temer extinguiu a Reserva Nacional de Cobre e Associados, a Renca. Não é uma área pequena nem qualquer. Na Amazônia, fica entre o Amapá e o Pará. É do tamanho de uma Dinamarca. Rica em cobre e ouro.

Desde 1984, a área teve bloqueadas as atividades de mineração. Lá existem 7 unidades de conservação e duas indígenas. Mas com a decisão de Temer, vão perder não somente os índios, a fauna e a flora do lugar. Mas o planeta como um todo que verá serem favorecidos ruralistas, grileiros e mineradoras nacionais ou estrangeiras. Uma festa pras motosserras.

Insistindo na destruição e entrega de nossas riquezas, o governo anunciou a venda da Eletrobras. Quem comprar, provavelmente chineses ou americanos, vai por no bolso a maior empresa de geração de energia elétrica da América Latina: dona da Chesf, de Furnas e de metade do capital de Itaipu. É mais um crime que trará também aumento nas contas de energia.

A existência de empresas públicas se justifica pelo interesse público. O programa “Luz para todos”, que a Eletrobras foi executora, só existiu por esta ser uma empresa pública. Com o programa, mais de 3 milhões de famílias pobres aposentaram suas lamparinas e passaram a usar geladeiras. O acesso à eletricidade significou melhor qualidade de vida e geração de renda. Significou redução das desigualdades.

É por conta do interesse público que o parque hidroelétrico dos EUA é estatal e nunca foi privatizado. Lá, o interesse público diz que esses recursos são estratégicos, de interesse nacional e devem ficar nas mãos do governo. Porque, então, vamos vender pra eles?

Na venda o governo espera arrecadar R$ 20 bilhões. Pois o IPEA, órgão do governo, estima em mais de R$ 43 bilhões por ano o que seria arrecadado com uma cobrança de 15% sobre a renda dos lucros e dividendos dos donos e acionistas de empresas. Por essa renda hoje eles não pagam nada, enquanto um trabalhador que ganha R$ 6 mil/mês paga 27,5% de imposto de renda.

O momento nos cobra uma reação. É o futuro do país que está sendo vendido por um governo absolutamente ilegítimo e que está construindo uma nação de excluídos, sem garantias de direitos sociais mínimos. Uma nação de luz para poucos.

*Luizianne Lins

Deputada Federal – PT/Ceará.

PF encontra malas de dinheiro em apartamento “supostamente” usado por Geddel Vieira

400 3

A Polícia Federal encontrou, nesta terça-feira (5), dinheiro em apartamento supostamente utilizado por Geddel Vieira Lima. A informação é do Portal G1.

As malas foram encontradas durante a Operação Tesouro Perdido, deflagrada nesta terça, com objetivo de cumprir mandado de busca e apreensão emitido pela 10ª Vara Federal de Brasília.

Após investigações decorrentes de dados coletados nas últimas fases da Operação Cui Bono, a PF chegou a um endereço em Salvador, que seria, supostamente, utilizado por Geddel como “bunker” para armazenagem de dinheiro em espécie. Durante as buscas, foi encontrada grande quantia de dinheiro em espécie.

Os valores apreendidos serão transportados a um banco onde será contabilizado e depositado em conta judicial, informa a PF.

Copom inicia reunião e mercado espera que juros caiam para 8,25% ao ano

Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) inicia hoje (5), em Brasília, a sua sexta reunião do ano com a expectativa de nova redução na taxa básica de juros, a Selic

Instituições financeiras consultadas pelo BC esperam por mais um corte de 1 ponto percentual nos atuais 9,25% ao ano para 8,25%. Neste ano, o Copom tem mais duas reuniões em outubro e dezembro. Para o mercado financeiro, a Selic continuará a ser reduzida e encerrará 2017 em 7,25% ao ano.

Hoje, excepcionalmente, a dinâmica da reunião será diferente, por questões de agenda da diretoria do BC, informou a assessoria de imprensa da instituição. A primeira parte da reunião, com análise de mercado, teve inicio às 9h03min e será encerrada por volta das 13 horas.

A segunda parte, com análise de conjuntura, que seria realizada hoje à tarde, foi adiada para esta quarta-feira (6), pela manhã. Já o encontro da tarde de amanhã não sofreu alteração e se encerrará às 18h, para, em seguida, ser anunciada a decisão sobre taxa Selic.

(Agência Brasil)

Produção industrial do País cresceu 0,8% entre junho e julho

A produção industrial brasileira cresceu 0,8% na passagem de junho para julho deste ano. Esta é a quarta alta consecutiva do indicador nesse tipo de comparação. Na passagem de maio para junho, o aumento havia sido de 0,2%. Os dados, da Pesquisa Mensal Industrial – Produção Física (PIM-PF), foram divulgados hoje (5) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Na comparação com julho de 2016, a indústria cresceu 2,5% e, no acumulado do ano, avançou 0,8%. No entanto, no acumulado de 12 meses, a produção da indústria acumula queda de 1,1%.

Na passagem de junho para julho, as quatro grandes categorias econômicas tiveram alta: bens de consumo duráveis (2,7%), bens de consumo semi e não duráveis (2%), bens de capital, isto é, máquinas e equipamentos (1,9%), e bens intermediários, isto é, insumos industrializados para o setor produtivo (0,9%).

Nesse mesmo tipo de comparação, foram observadas altas em 14 das 24 atividades industriais pesquisadas. O destaque ficou com os produtos alimentícios, que, com um crescimento de 2,2% na produção, tiveram o maior impacto na indústria nacional no período.

Em seguida, aparecem as atividades de produtos derivados de petróleo e biocombustíveis (1,9%) e equipamentos de informática e produtos eletrônicos (5,9%).

Entre as dez atividades em queda, os destaques ficaram com as indústrias extrativas (-1,5%), perfumaria e produtos de limpeza (-1,8%) e metalurgia (-2,1%).

(Agência Brasil)