Blog do Eliomar

Categorias para Brasil

Cerveja cearense ganha prêmio nacional

562 1

A microcervejaria cearense 5Elementos acaba de ganhar o primeiro lugar na I Copa da Cerveja de POA, realizada em Porto Alegre (RS), neste mês. A Reserve 2017, edição comemorativa do primeiro ano da cervejaria artesanal, foi eleita a melhor cerveja na categoria Herb & Spice Beer.

O concurso reuniu 718 rótulos de 154 cervejarias, entre nacionais e internacionais (Chile e Uruguai). As informações são da assessoria de imprensa dessa cervejaria.

(Foto – Sérgio Gottrad)

Contas públicas apresentam saldo positivo de R$ 4,758 bilhões em outubro

O setor público consolidado, formado por União, estados e municípios, registrou saldo positivo nas contas públicas em outubro, de acordo com dados do Banco Central (BC), divulgados hoje (29), em Brasília. O superávit primário, receitas menos despesas, sem considerar os gastos com juros, ficou em R$ 4,758 bilhões. Esse foi primeiro resultado positivo, em cinco meses. Em igual mês de 2016, o resultado positivo foi bem maior: R$ 39,589 bilhões.

O chefe do Departamento de Estatísticas do BC, Fernando Rocha, explicou que o resultado maior de outubro de 2016 foi impactado pelo programa de regularização cambial e tributária, conhecido como Lei da Repatriação. “Se excluíssemos essas receitas do ano passado, esse resultado teria sido deficitário em R$ 5,5 bilhões, aproximadamente”. Por outro lado, em outubro deste ano, o resultado foi impactado com cerca de R$ 5 bilhões de receitas com o programa de regularização tributária, chamado de Refis. Segundo Rocha, ao se excluir esse efeito, as contas públicas ficaram perto do “equilíbrio”, em outubro deste ano.

Rocha explicou que é importante registrar resultados positivos nas contas públicas para conseguir reduzir a dívida pública. “O objetivo é recuperar gradualmente os superávits primários para que seja possível primeiro reduzir a tendência de crescimento do endividamento e depois fazer com que se reduza”.

Em outubro deste ano, o Governo Central (Previdência, Banco Central e Tesouro Nacional) apresentou superávit primário de R$ 4,967 bilhões. Os governos estaduais apresentaram superávit primário de R$ 484 milhões, e os municipais, déficit de R$ 132 milhões. As empresas estatais federais, estaduais e municipais, excluídas empresas dos grupos Petrobras e Eletrobras, tiveram déficit primário de R$ 562 milhões no mês passado.

No resultado acumulado do ano, as contas públicas estão com saldo negativo. De janeiro a outubro, houve déficit primário de R$ 77,352 bilhões, contra R$ 45,912 bilhões em igual período de 2016. Em 12 meses encerrados em outubro, o déficit primário ficou em R$ 187,23 bilhões, o que corresponde a 2,88% do Produto Interno Bruto (PIB), a soma de todos os bens e serviços produzidos no país.

Os gastos com juros nominais ficaram em R$ 35,251 bilhões em outubro, contra R$ 36,205 bilhões em igual mês de 2016. No acumulado do ano até outubro, essas despesas chegaram a R$ 338,378 bilhões. Em 12 meses encerrados em outubro, os gastos com juros somaram R$ 414,164 bilhões, o que corresponde a 6,37% do PIB.

O déficit nominal, formado pelo resultado primário e os resultados de juros, atingiu R$ 30,494 bilhões no mês passado ante o superávit de R$ 3,384 bilhões de outubro de 2016. Nos dez meses deste ano, o déficit chegou a R$ 415,73 bilhões. Em 12 meses encerrados em outubro, o déficit nominal ficou em R$ 601,394 bilhões, o que corresponde a 9,25% do PIB.

Dívida pública

A dívida líquida do setor público (balanço entre o total de créditos e débitos dos governos federal, estaduais e municipais) chegou a R$ 3,298 trilhões em outubro, o que corresponde a 50,7% do PIB, com redução de 0,1 ponto percentual em relação a setembro.

A dívida bruta – que contabiliza apenas os passivos dos governos federal, estaduais e municipais – chegou a R$ 4,837 trilhões ou 74,4% do PIB, com aumento de 0,5 ponto percentual em relação ao mês anterior.

(Agência Brasil)

UFC – A melhor instituição de ensino superior do Norte e Nordeste

Com o título “A Universidade Federal do Ceará dá lições de excelência”, eis artigo de Henry Campos, reitor da UFC. Confira;

Em constante crescimento qualitativo, a Universidade Federal do Ceará atinge hoje a condição de melhor instituição de Ensino Superior do Norte e Nordeste do País, de acordo com o Índice Geral de Cursos (IGC), divulgado esta semana pelo Ministério da Educação. Em todo o País, a UFC já se classifica como a 11ª melhor Universidade Federal, com vários de seus cursos ocupando posições de destaque no ranking oficial, que mensura a qualidade do ensino oferecido por 750 instituições educacionais brasileiras.

Essa grata notícia vem somar-se a outros indicadores que, recentemente, ratificaram o nível de excelência de nossa Universidade, enchendo de orgulho não apenas a comunidade interna, mas toda a sociedade cearense. Embora não seja surpresa, para os que fazem a UFC, vê-la alcançar o merecido destaque, nos envaidece observar o êxito de um projeto consistente, que aposta no compromisso institucional do quadro técnico-administrativo e no alto nível dos nossos professores.

O empenho de todos é no sentido de oferecer ensino público de qualidade, mesmo nos períodos de dificuldades, como o que hoje atravessam as universidades federais.

O talento e o compromisso institucional dos nossos quadros é o que explica esse avanço continuado. Aqui, externo meu reconhecimento a todos os que fazem a UFC e a cada uma de suas instâncias, em especial, as Pró-Reitorias de Graduação e de Pesquisa e Pós-Graduação, os coordenadores de cursos e de programas acadêmicos, os diretores de centros, faculdades e institutos, eles que formam a linha de frente no esforço para sermos cada vez melhores.

A certeza maior que alimento, diante do trabalho que hoje se desenvolve em nossos campi – na Capital e no Interior do Estado – é a de que, nas próximas avaliações, continuaremos escalando posições cada vez melhores.

*Henry de Holanda Campos

Reitor da Universidade Federal do Ceará.

Ex-procurador diz que fez “uma lambança” no Caso J&F

O ex-procurador da República, Marcello Miller, disse que não cometeu crimes, mas fez “uma lambança” ao orientar o acordo de leniência do grupo J&F antes de deixar o cargo de procurador federal. “Eu cometi um erro brutal de avaliação. Não cometi crimes, mas fiz uma lambança. E é por isso que eu estou aqui. Ao refletir sobre a situação, avaliei que não haveria crime nem ilícito, mas não me atentei para as interpretações que isso poderia suscitar”, disse ele, ao prestar depoimento hoje (29), no Congresso, à Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) da JBS.

O ex-procurador acrescentou que estava disponível aos executivos da J&F “às vezes” e afirmou que nunca advogou, recebeu remuneração ou prestou consultoria jurídica para o grupo.

Marcello Miller, que trabalhava com o ex-procurador geral da República, Rodrigo Janot, até março deste ano, pouco antes do fechamento de acordo de colaboração premiada firmada pela procuradoria com a JBS, admitiu antes de deixar o seu cargo no Ministério Público “estava ajudando a empresa a se limpar”.

“De fato, comecei o contato com a J&F antes da exoneração, respondi a perguntas [dos executivos da empresa], não vou negar”, falou. Perguntado sobre se orientou os irmãos Joesley e Wesley Batista a gravar conversas com o presidente Michel Temer, Marcello Miller foi enfático: “tenho um filho de cinco anos, pela vida do meu filho, não mandei gravar o presidente”.

Ganância e mistificação

Sobre trabalhar no escritório de advogacia Trench, Rossi e Watanabe, responsável pelo acordo de leniência do grupo J&F, três meses após deixar o Ministério Público Federal, Miller afirmou que não agiu por ganância. “Se fosse por ganância, teria ido advogar na esfera penal, onde os honorários são mais altos. É óbvio que eu queria ganhar melhor, mas eu não queria ser milionário. Era uma proposta confortável, mas não era pra ficar milionário. Não teve ganância não”, respondeu.

Questionado por parlamentares, Miller disse que “nunca foi próximo, muito menos íntimo” do ex-procurador Rodrigo Janot. “Há um bocado de mistificação e de desinformação em torno da minha relação com o procurador Rodrigo Janot. Eu achei graça quando vi no jornal que eu era braço direito dele. Nunca fui.”, afirmou, ao esclarecer que integrava um grupo de trabalho da Operação Lava Jato no Ministério Público.

Miller classificou o pedido de prisão contra si, feito por Rodrigo Janot e negado pelo Supremo Tribunal Federal, como “um disparate”. “Ele [Janot] me imputou tipos penais que são completamente fora da marca. Organização criminosa? Eu estava incentivando uma empresa a se limpar. Se ele quisesse abrir um processo administrativo, tudo bem”, opinou.

(Agência Brasil)

Eunício quer regra de transição para a Previdência

O presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB), está defendendo a necessidade de se criar uma regra de transição para que a reforma da previdência também leve em conta o contribuinte além da redução do déficit do setor. “A gente tem condições de dar um basta nisso com regra de transição, sem tirar direitos adquiridos, com respeito àquele que contribuiu, àquele que criou sua expectativa de aposentadoria. Mas nós não podemos perpetuar isso para o futuro, uma previdência com 130, com 120 bilhões de déficit todo ano, que quem termina pagando isso é o contribuinte mais pobre”, expôs.

Eunício defende ainda que a votação da reforma ocorra “com parcimônia, com equilíbrio, sem açodamento” e adianta que vai aguardar a decisão da Câmara dos Deputados sem fazer “nenhum prognóstico”.

“Em respeito ao sistema bicameral, nós vamos aguardar com tranquilidade. Todos nós sabemos que há um problema com a previdência brasileira. Nós sabemos que nós temos que mudar a idade mínima, nós sabemos que temos que acabar com os privilégios. Não é tirar direitos adquiridos dos pequenos e dos pobres”, afirma.

(Agência Senado)

índice de Confiança de Serviços cai 0,1 ponto após quatro meses de alta

A estabilidade da economia, que vem sendo constatada nos principais indicadores dos últimos meses, não está conseguindo alterar significativamente os números do Índice de Confiança de Serviços (ICS), cujos dados foram divulgados hoje (29), no Rio de Janeiro, pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV).

Segundo a FGV, o indicador, embora tenha ficado praticamente estável, recuou 0,1 ponto este mês, comparativamente a outubro, após quatro meses consecutivos de alta. Em médias móveis trimestrais, porém, o índice segue em elevação pelo terceiro mês consecutivo. Os dados indicam que a relativa estabilidade em novembro na comparação com outubro reflete queda da confiança em 7 das 13 atividades pesquisadas.

A principal influência negativa no resultado de novembro veio do Índice da Situação Atual (ISA-S), que chegou a recuar 0,8 ponto em contraponto ao Índice de Expectativas (IE-S), que avançou 0,7 ponto na mesma base de comparação.

Para o consultor da Ibre/FGV, Silvio Sales, os números – desde o início de segundo semestre – revelam um processo mais equilibrado entre percepção e situação corrente. “A virtual estabilidade da confiança no mês não altera o quadro positivo dos indicadores nos últimos meses. A evolução desde o início do segundo semestre revela um processo mais equilibrado entre a percepção empresarial sobre as condições correntes e suas expectativas para os próximos meses, padrão que não era observado anteriormente”, disse.

Para Sales, “a melhora do ambiente de negócios é também mais espalhada entre os segmentos. E a maior convergência nas avaliações empresariais reforça os sinais de ampliação do ritmo de atividade do setor para os próximos meses.”

Ainda no que diz respeito ao Índice de Situação Atual, a queda de 0,8 ponto foi determinada pelo indicador que mede o grau de satisfação com a situação atual dos negócios, que, ao cair 1,2 pontos, exerceu a maior contribuição para a retração de ISA-S em novembro. Já a alta de 0,7 ponto do Índice de Expectativa foi determinada pelo avanço do indicador de demanda prevista, que subiu 2,5 pontos indo para 90,4 pontos.

A FGV ressalta que o Nível de Utilização da Capacidade da Indústria do setor de serviços fechou novembro com queda de 0,6 ponto percentual frente a outubro, indo a 82,4%. Essa queda devolveu em parte o crescimento de 1,5 ponto percentual registrado em outubro.

(Agência Brasil)

Índice de aluguel sobe 0,52% em novembro

Usado no reajuste de aluguéis, o Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) subiu para 0,52% em novembro, depois de uma alta de 0,20% em outubro. No acumulado desde janeiro, a taxa permaneceu em queda (-1,40%). Também foi mantido o recuo em relação aos últimos 12 meses (-0,86%).

O levantamento foi feito pelo Instituto Brasileiro de Economia, da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV), usando dados coletados entre os dias 21 de outubro e 20 de novembro. O resultado o avanço de preços no setor atacadista.

O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) passou de uma variação de 0,16% para 0,66% com destaque para o subgrupo combustíveis para o consumo, com elevação de 1,70% para 9,17%.

Já o subcomponente matérias-primas brutas, em que estão incluídas as commodities (produtos primários com cotação no mercado internacional), teve retração de 0,68%, porém menos expressiva do que a queda na pesquisa anterior (-1,05%).

(Agência Brasil)

 

Presidente da FCF confirma: Campeonato Estadual começa no dia 10 de janeiro

O presidente da Federação Cearense de Futebol (FCF), Mauro Carmélio, confirma: o Campeonato Estadual terá início no próximo dia 10 de janeiro, devendo ser encerrado no dia 8 de abril. Regulamento, tabela de jogos e questões relacionadas a estádios já foram resolvidas, assegura.

Sobre a data do certame estadual, Mauro Carmélio explicou: “Vai ser mais curto, porque teremos um ano atípico, pois 2018 será ano de Copa do Mundo e tem que ser encerrado em abril, até porque o Ceará vai estar na Série A, do Brasileirão, que também virá mais cedo”, explicou.

O dirigente da FCF se diz “bastante feliz”, porque, além do alvinegro ter conquistado sua classificação, o Fortaleza também obteve vaga para a Série B, do Brasileirão. Mauro promete acompanhar o desempenho dessas equipes e colocar a federação a disposição para o que for necessário.

(Foto – Paulo MOska)

Justiça mantém internado jovem que atirou contra colegas em colégio de Goiás

A juíza ítala Colnaghi, do Juizado da Infância e Juventude de Goiânia, manteve sob regime de internação o menor de 14 anos que, no dia 20 de outubro, atirou contra colegas no Colégio Goyases, localizado no bairro Conjunto Riviera, em Goânia. Por envolver um menor de idade, o caso corre sob sigilo. A decisão foi tomada ontem (28) durante audiência de instrução e julgamento do caso que resultou na morte de dois jovens, além de ferir outros quatro. Filho de policiais militares, o jovem terá de cumprir medidas socioeducativas, além de receber acompanhamento psiquiátrico e de ser avaliado periodicamente.

No depoimento que prestou após ter cometido o crime, o autor dos disparos disse que foi motivado por bullying e que se inspirou nos casos da escola de Columbine (ocorrido em 1999, nos Estados Unidos), e de Realengo (em 2011, no Rio de Janeiro). Todas as vítimas tinham 13 anos de idade. Segundo o autor dos disparos, um dos dois jovens mortos era quem praticava o bullying contra ele. O outro era um amigo. Bullying é uma situação que se caracteriza por agressões intencionais, verbais ou físicas, feitas de maneira repetitiva, por um ou mais estudantes contra um ou mais colegas.

O ataque ocorreu por volta das 11h30min. A arma usada foi uma pistola que pertencia à mãe do adolescente, que é policial militar. O jovem disse que achou a pistola escondida em um móvel da casa. Nem a mãe e nem o pai, que também é policial militar, ensinaram o adolescente a atirar.

Ao retirar a arma da mochila para começar o ataque, ele chegou a efetuar um disparo acidental, mas não se feriu. O disparou assustou a todos e, então o adolescente se dirigiu ao colega que ele identificava como seu desafeto e atirou. O estudante morreu no local. No depoimento, o autor dos disparos narrou que tinha intenção de matar apenas o colega que o “amolava”, mas no momento do ataque, diante do desespero das pessoas e também abalado, continuou atirando.

(Agência Brasil)

Inácio reforça lobby em Brasília contra corte de 44% no dinheiro da pesquisa

O secretário da Ciência, tecnologia e Ensino Superior do Ceará, Inácio Arruda, encontra-se em Brasília nesta quarta-feira.

Ele engrossa o lobby de secretários estaduais da área, reitores de universidades federais e de institutos federais e órgãos do setor de pesquisa contra corte de 44% determinado pelo governo federal no custeio desse segmento estratégico para o País.

Inácio está confiante de que o governo reveja essa situação, observando que o Brasil não pode perder espaços na pesquisa e na ciência, hoje fundamentais para quem pensa em desenvolvimento.

Lépido e fagueiro, Aécio incomoda aliados de Tasso

Aécio Neves caiu em desgraça ao ser gravado pedindo dinheiro a Joesley Batista, mas, depois de dois períodos de reclusão forçada, voltou como se nada houvesse acontecido, segundo informa a Coluna Radar, da Veja Online.

O senador tem acesso livre a Michel Temer, dá palpites sobre entrada e saída de ministros e declarações à imprensa como suposto homem forte do PSDB.

Mais do que seus desvios éticos explícitos, o comportamento de Aécio pós-escândalo incomoda muito os aliados do senador Tasso Jereissati. Eles têm convicção de que a sem cerimônia do amigo de Joesley macula agudamente a já derretida imagem do partido.

Presidente da Fiec: Entre Geraldo Alckmin e Ciro Gomes

Da Coluna Vertical, do O POVO desta quarta-feira:

O presidenciável Ciro Gomes (PDT) vai estar, dia 4 próximo, na sede da Federação das Indústrias do Ceará (Fiec). A confirmação é do presidente da entidade, Beto Studart, que considera Ciro “uma boa opção” para a presidência da República ao lado do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB). Ciro ali estará difundindo os projetos que planeja para o País.

Beto aproveita para elogiar Ciro e Alckmin como “homens comprometidos com o País” e diz que o eleitor estará votando bem se escolher um desses políticos.

Beto, que é tucano, até avalia ser possível boa convivência entre os palanques dos dois no Estado, pois estariam formados por pessoas respeitáveis como Camilo Santana e Tasso Jereissati.

(Foto – Paulo MOska)

 

Rede de lojas Torra Torra aposta em Fortaleza

Em São Paulo, o grupo é um sucesso de vendas.

A Torra Torra, maior rede de confecções populares de São Paulo e patrocinadora de vários programas do SBT, está se instalando em Fortaleza. Mais precisamente no prédio do extinto Cine Diogo.

O presidente do Sindilojas de Fortaleza, Cid Alves, comemora a chegada de mais esse grupo, observando que, além de gerar mais empregos, ajudará a aquecer o setor, pois aposta em muitas promoções.

DETALHE – A cantora Solange Almeida é a garota-propaganda do Torra Torra Fortaleza.

Câmara aprova projeto que cria a Política Nacional de Biocombustíveis

A Câmara aprovou, nessa noite de terça-feira (28), o projeto de lei que cria a Política Nacional de Biocombustíveis, chamada de RenovaBio. Aprovada de forma simbólica pelos deputados, após a rejeição de emendas que previam a alteração do texto, a matéria deve agora ser apreciado no Senado para que se torne lei.

O objetivo do RenovaBio é aumentar a produção de biocombustíveis no Brasil, a fim de que o país cumpra os compromissos assumidos no Acordo de Paris de redução das emissões de gases de efeito estufa. O projeto cria metas compulsórias anuais dos distribuidores de combustíveis, com a definição de percentuais obrigatórios de biodiesel que deverão ser adicionados gradativamente ao óleo diesel, e de etanol anidro que será acrescentado na produção de gasolina entre 2022 e 2030.

Durante a votação, os deputados acolheram emendas apresentadas pelos relatores, como a que reduz a multa cobrada aos distribuidores de combustíveis: enquanto a cobrança poderia variar, no projeto original, entre R$ 100 mil e R$ 500 milhões, o descumprimento da meta individual terá R$ 50 milhões como limite máximo da multa.

O projeto também cria instrumentos de estímulo à prática de combate às emissões, como a Certificação da Produção Eficiente de Biocombustíveis e o Crédito de Descarbonização, que poderá ser emitido pelos distribuidores de combustíveis para comprovarem o cumprimento da meta individual.

São considerados biocombustíveis florestais, os combustíveis sólidos, líquidos e gasosos produzidos a partir da biomassa florestal, tais como lenha e carvão. Buscando o incremento da medida, o texto prevê incentivos financeiros e fiscais, além de apoio ao cooperativismo.

Algumas emendas apresentadas pelos parlamentares em plenário também foram acolhidas, como a que assegura participação prioritária de agricultores familiares e produtores de biodiesel de pequeno porte na comercialização do produto por meio de leilões públicos. Ao relatar o projeto, o deputado Evandro Gussi (PV-SP) argumentou que a proposta induz os agentes privados na direção do aproveitamento “cada vez mais intensivo” da “bioenergia nas suas diferentes formas”.

Destaques propostos por deputados da oposição foram rejeitados pelos parlamentares. É o caso do pedido do PSOL de votação em separado, que visava a impedir a conversão de áreas ocupadas por vegetação nativa para a produção de biocombustíveis, utilizando somente áreas degradadas ou do aproveitamento de resíduos vegetais.

Na tarde de hoje, a Petrobras se posicionou favoravelmente à aprovação do projeto. De acordo com a empresa, a iniciativa contribui para o desenvolvimento da produção de biocombustíveis no Brasil, contribuindo para a sustentabilidade e preservação ambiental.

(Agência Brasil)

Ministério da Saúde abre vagas para brasileiros no Mais Médicos

O Ministério da Saúde lançou novo edital com vagas do Programa Mais Médicos para profissionais brasileiros formados no Brasil ou com diploma do exterior revalidado no país. Os médicos selecionados irão atuar em unidades de saúde de 557 municípios de todos os estados, a partir de janeiro de 2018. Os interessados podem se e cadastrar até as 18 horas desta sexta-feira (1) no site do programa.

Além da inscrição online, os médicos devem submeter a documentação exigida no edital, como cópia do diploma e do registro profissional, entre outros. Após ter o cadastro validado, os candidatos poderão escolher quatro cidades de preferência. Os profissionais serão alocados de acordo com critérios de classificação, como detenção de título de especialista e experiência na área de Saúde da Família.

Após terem a lotação definida, os médicos precisarão confirmar o interesse na vaga e iniciar as atividades a partir da segunda semana de janeiro de 2018.

Municípios

Os gestores municipais também têm até esta sexta-feira para confirmar as vagas que serão autorizadas para preenchimento pelos médicos. O quantitativo total nas cidades será publicado no dia 8 de dezembro e os profissionais com inscrições validadas poderão selecionar as localidades entre os dias 11 e 12 de dezembro.

O Programa Mais Médicos foi criado em 2013 para ampliar a assistência na Atenção Básica ao levar médicos para regiões com carência de profissionais. O programa tem mais 18.240 vagas em mais de 4 mil municípios e 34 Distritos Sanitários Especiais Indígenas, atendendo a cerca de 63 milhões de brasileiros.

Dos médicos que atuam no programa, 47,1% são profissionais da cooperação com a Organização Pan-Americana de Saúde (Opas), 45,6% brasileiros formados no Brasil ou no exterior e 4,16% são intercambistas estrangeiros. Periodicamente, o Ministério da Saúde lança editais periódicos para médicos brasileiros para substituir os profissionais estrangeiros.

(Agência Brasil)

TCU e BNB promoverão em Fortaleza debate sobre o Nordeste 2030

O Tribunal de Contas da União realizará, no próximo dia 5, em parceira com o Banco do Nordeste, o evento Diálogo Público – Nordeste 2030 – Desafios e Caminhos para o Desenvolvimento Sustentável – 2ª edição.

O evento, que ocupará espaços no auditório do Centro de Treinamento do BNB, no Passaré, em Fortaleza, reunirá gestores da administração pública federal, estadual e municipal, auditores, setor produtivo, sociedade civil organizada, acadêmicos, governadores de todos os Estados da área de atuação do banco, e ministros de Estado.

SERVIÇO

*Mais detalhes do evento aqui.

Mais da metade dos brasileiros pode ter HPV

Mais da metade da população brasileira pode ter HPV. É o que indica pesquisa feita pelo Ministério da Saúde, em parceria com o Hospital Moinhos de Vento, de Porto Alegre. Participaram do estudo 7.586 pessoas de todas as capitais e do Distrito Federal, das quais 2.669 foram analisadas para tipagem de HPV. Das testadas, a prevalência de HPV foi de 54,6%, sendo que 38,4% dos participantes apresentaram HPV de alto risco para o desenvolvimento de câncer.

Os dados são preliminares, e a análise será feita em 2018. Nesta semana, o ministério disponibilizou informações relativas às capitais. Salvador é a que tem maior prevalência de HPV, que atinge 71,9% dos entrevistados. Macapá, Cuiabá e Palmas ultrapassam 60% de prevalência. Recife, Florianópolis, Maceió, João Pessoa e Curitiba têm entre 41% e 48% de ocorrências registradas. Já Manaus, Belém, Boa Vista, São Paulo, Natal, Porto Velho, Fortaleza, Goiânia, Teresina, Rio de Janeiro, Aracaju, Vitória, Rio Branco, Porto Alegre e São Luís estão na faixa de 50%. Brasília, Campo Grande e Belo Horizonte ainda não têm dados suficientes para análise.

Foram pesquisadas pessoas com idade entre 16 e 25 anos que usam o Sistema Único de Saúde (SUS), sendo 5.812 mulheres e 1.774 homens. A média de idade é de 20,6 anos. O estudo indica que 16,1% dos jovens têm uma infecção sexualmente transmissível (IST) prévia ou apresentaram resultado positivo no teste rápido para HIV ou sífilis. A maior parte está em uma relação estável – mais de 40% estavam namorando e cerca de 33% eram casados ou moravam com o parceiro. Apenas 24,2% declararam-se solteiros e menos de 1%, divorciados.

O comportamento sexual de risco, segundo o ministério, foi observado em 83,4% dos entrevistados. Isto porque a média de parceiros sexuais no último ano foi de 2,2 e a média de parceiros nos últimos cinco foi de 7,5. A prevalência do HPV deve estar associada ao não uso da camisinha. Conforme a pesquisa, 51,5% dos entrevistados disseram usar preservativo rotineiramente – 41,1% haviam feito uso do contraceptivo na última relação sexual.

A versão final do estudo deverá abarcar informações sobre fatores demográficos, socioeconômicos, comportamentais e regionais associados à ocorrência do HPV. A expectativa do Ministério da Saúde é que o estudo seja divulgado em abril do ano que vem.

(Agência Brasil)

Senado aprova PEC que proíbe membros de partidos políticos de ocupar cargos na Justiça Eleitoral

O  Senado aprovou nesta terça-feira (28) a proposta de emenda à Constituição (PEC) que impede membros de partidos políticos de assumir cargos na Justiça Eleitoral, caso tenham sido filiados até dois anos antes da posse. Aprovada em segundo turno, a PEC segue agora para análise da Câmara dos Deputados.

De acordo com o projeto, os integrantes do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), dos tribunais regionais eleitorais e de juntas eleitorais não poderão ter tido filiação partidária nos dois anos anteriores à posse no cargo ou início do exercício da função.

Ao justificar a proposta, o senador Flexa Ribeiro (PSDB-PA) disse que o objetivo é que os juízes eleitorais possam trabalhar com “objetividade e segurança,” sem “afinidades políticas e ideológicas ainda recentes”. “Cabe ponderar que, por vezes, são designados para exercer a função de juiz eleitoral, na cota da advocacia, profissionais que atuam como mandatários e representantes de partidos políticos e que só se afastam dessa atividade a partir da respectiva indicação”, argumentou o parlamentar.

(Agência Brasil)