Blog do Eliomar

Categorias para Brasil

Por tentativa de criar terceira via, campanha de Ciro pede a ele autocontrole

148 1

O candidato a presidente da República pelo PDT, Ciro Gomes, teve longa conversa com a cúpula de sua campanha. Foi dito a ele que, agora, não dá mais para errar. Em miúdos: chega de piti.

O diagnóstico, segundo a Folha de S.Paulo desta sexta-feira, é o de que há pouco tempo para viabilizar uma terceira via, ou o pedetista será esvaziado.

Em evento de campanha no último final de semana, em Roraima, Ciro xingou e agrediu um jornalista que lhe fez uma pergunta.

(Foto – Facebook)

Ninguém acerta a Mega-Sena e prêmio acumula

Nenhuma aposta acertou o prêmio principal da Mega-Sena especial da Mega Semana do Apostador, cujo sorteio foi realizado nessa quinta-feira (29), no Caminhão da Sorte estacionado na cidade de Oliveira, em Minas Gerais.

As dezenas sorteadas foram: 10 – 22 – 40 – 46 – 55 – 58.

Com isso, o prêmio previsto de R$ 17 milhões acumulou. De acordo com a Caixa, a estimativa para o concurso 2.081, que será realizado neste sábado (22), é de pagar R$ 22 milhões para quem acertar as seis dezenas.

Mega-Sena, loterias, lotéricas
Mega-Sena acumula e Caixa estima prêmio de R$ 22 milhões para o concurso deste sábado – Marcello Casal Jr./Agência Brasil
A Quina teve 38 vencedoras e cada apostador vai receber R$ 43.325,46. A quadra vai pagar R$ 813,26 a cada um dos 2.892 acertadores.

O bilhete simples, com seis dezenas, custa R$ 3,50. As apostas podem ser feitas até as 19h (horário de Brasília) deste sábado em qualquer uma das mais de 13 mil casas lotéricas credenciadas pela Caixa em todo o país.

(Agência Brasil)

Evangélicos reagem a apoio a Bolsonaro e lançam carta por Estado laico

779 19

O movimento dos neopentecostais da Confederação dos Conselhos de Pastores do Brasil na direção de Jair Bolsonaro provocou reação de líderes evangélicos de outras agremiações.

A informação é da Painel, da Folha de Paulo, adiantando que, nessa quinta (20), um grupo que reúne 88 teólogos e reverendos presbiterianos, batistas e de outros troncos da religião lançou manifesto em defesa do Estado laico e contra o uso de Deus em campanhas.

“Nossa indignação contra a pretensão de haver um governo exercido em nome de Deus, bem como contra toda aspiração autoritária e antidemocrática”, diz a Carta Pastoral à Nação. “O nome de Deus não pode ser usado em vão, ainda mais para fins políticos”, conclui.

“Brasil acima de tudo, Deus acima de todos” é o nome da coligação de Bolsonaro.

(Foto – Reprodução de TV)

Guilherme Boulos cumpre agenda de campanha em Fortaleza

O candidato a presidente da República pelo PSOL, Guilherme Boulos, cumprirá agenda de campanha em Fortaleza. Aqui, vem reforçar o trabalho eleitoral de Aílton Lopes, postulante da legenda ao Governo do Ceará.

Neste sábado, 22, Boulos realizará uma série de atividades de mobilização dos apoiadores a partir das 8 horas, iniciando com passeio de bicicleta pelo Centro da cidade. Ainda haverá, no fim do dia, comício na Praça da Gentilândia, no Benfica, às 18 horas.

Confira programação completa:

8h – DIA MUNDIAL SEM CARRO | Bicicleata do Sol (concentração no estacionamento do Parque Rio Branco, acesso pela Av. Pontes Vieira, bairro Joaquim Távora; percurso a partir das 9h em direção ao Centro da cidade).
*Participação de Ailton, Carina e Sônia Guajajara.

11h – Encontro com apoiadores no Centro de Fortaleza (Praça dos Leões).
*Participação de Ailton, Carina, Sônia e Boulos.

12h – Almoço com apoiadores (Sede do PSOL, Av. Imperador, 1397 – Centro)
*Participação de Ailton, Carina, Sônia e Boulos.

14h – Ato de apoio de povos indígenas cearenses com Sônia Guajajara (Comunidade de Japoara – Caucaia).
*Participação de Ailton, Carina e Sônia Guajajara.

15h – Agitação e ocupação do Benfica (Praça da Gentilândia).

18h – Dia B – Comício do PSOL (Praça da Gentilândia).
*Participação de Ailton, Carina, Sônia e Boulos.

(Foto – Reprodução de TV)

Caixa libera consultas sobre PIS por assistente de voz em smartphone

Os trabalhadores com saldo no Programa de Integração Social (PIS) podem usar o assistente de voz de telefone celular para consultar o calendário de pagamento e tirar dúvidas sobre o benefício. A Caixa Econômica Federal liberou o recurso para smartphones do sistema Android.

Para fazer a consulta, basta o correntista abrir o assistente de voz do Google no smartphone e falar “OK, Google”. Em seguida, o usuário pode entrar em contato com o banco ao pronunciar a frase “falar com a Caixa”. A partir daí, basta fazer perguntas para ser atendido pela plataforma de inteligência artificial do banco e tirar as dúvidas.

Atualmente, qualquer usuário pode consultar resultados de loteria e taxas de câmbio por meio do assistente de voz da Caixa. O banco pretende ampliar o serviço de inteligência artificial até o fim do ano.

(Agência Brasil)

Exponutrition 2018 – Fortaleza é sede da maior feira de nutrição esportiva do Brasil

Fortaleza receberá, pela primeira vez, a Exponutrition.

Trata-se da maior feira de nutrição esportiva do Brasil, que acontecerá a partir desta sexta-feira, no Centro de Eventos do Ceará. São esperadas mais de 15 mil pessoas e 50 marcas participantes.

O encontro, que se estenderá até domingo, vai contar ainda, em sua programação, com um congresso de nutrição e competição esportiva de crossfit, strongman (força) e fisiculturismo.

(Foto – Divulgação)

PF quer prorrogação do inquérito sobre atentado contra Bolsonaro

A Polícia Federal solicitou nesta quinta-feira (20) a prorrogação do inquérito que apura o ataque contra o candidato do PSL à Presidência da República Jair Bolsonaro. O pedido de postergar as investigações por mais 15 dias foi enviado à 3ª Vara Federal de Juiz de Fora, em Minas Gerais, onde ocorreu o crime no início do mês.

Segundo a corporação, o objetivo é ir atrás de elementos probatórios que confirmem a autoria do crime por parte de Adélio Bispo de Oliveira, acusado de dar a facada no presidenciável. Além disso, a PF pretende descobrir as motivações do agressor e saber se houve co-participações no atentado. Até o momento, a Justiça Federal de Minas Gerais não respondeu se a solicitação da PF foi aceita ou não.

Durante as investigações, foram ouvidas 15 testemunhas, houve três interrogatórios formais do acusado e 38 entrevistas foram feitas. Em computadores e celulares apreendidos, já foram analisados dois Terabytes de imagens. As diligências ocorreram em outras cidades mineiras, na capital Belo Horizonte e em Florianópolis.

“A PF concluiu cinco laudos periciais, outros quatro exames seguem em andamento. Além disso, foram pleiteadas e obtidas junto ao Poder Judiciário várias medidas cautelares, como quebra de sigilo bancário, telefônico e telemático”, informou a Polícia Federal.

Bolsonaro foi atingido por uma facada no dia 6 de setembro quando fazia campanha em Juiz de Fora. Ele está em recuperação no Hospital Albert Einstein, em São Paulo. O quadro do político é estável. Adélio Bispo, que assumiu o crime, está preso em um presídio federal em Campo Grande.

(Agência Brasil)

Fortaleza é sede de evento sobre ameaças à indústria 4.0

O Brasil ficou no 64º lugar de acordo com o índice global de inovação de 2018, embora seja um dos mais sujeitos a ameaças cibernéticas do planeta. A classificação é publicada anualmente pela Universidade Cornell, pelo Instituto Europeu de Administração de Empresas e pela Organização Mundial da Propriedade Intelectual (OMPI).Esse mesmo índice de inovação coloca a Suíça em primeiro lugar, quando se trata de inovação no mundo.

Por conta desse cenário, a Morphus realizará, a partir da próxima terça-feira, 25, um ciclo de palestras em várias cidades do Brasil, a começar por Fortaleza. Durante o encontro que, na Capital cearense ocorrerá a partir das 8h30min, no Cabana Del Primo, vão se apresentar a startup suíça Nozomi Networks, a norte-americana Gartner e a cearense Morphus Labs.

Será uma manhã de debates com integrantes de TI e de automação cearense, na qual entram aspectos fundamentais e ameaças cibernéticas para a implementação da indústria 4.0.

(Foto – Divulgação)

Grupo Marquise é líder do País nos setores da construção civil e engenharia

José Carlos Pontes, controlador Marquise. Agora é receber o troféu…

O Grupo Marquise aparece como a empresa brasileira, do segmento da construção civil e engenharia, com melhores índices financeiros. Isso dentro da 18ª edição do Anuário Valor 1000, publicação do jornal Valor Econômico. O grupo possui ainda a maior liquidez corrente (ativo circulante sobre passivo circulante). O ranking foi apresentado em pontos, onde a Marquise atingiu 6,48, enquanto que a segunda colocada, no mesmo ramo de atividade, ficou com 3,53.

Apesar da crise econômica que abalou alguns setores produtivos do país após 2016, o Grupo Marquise conseguiu manter a sua saúde financeira em patamares elevados. Os critérios de pontuação para o ranking foram homologados pela Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas, com indicadores exclusivos de avaliação e rankings das 1000 maiores companhias do país e das 50 maiores por região, entre outros.

Quando a pontuação inclui os outros 28 setores analisados, como Petróleo e Gás; Têxtil, Couro e Vestuário; e Papel e Celulose, a Marquise se encaixa em 13º lugar, demonstrando a solidez do grupo entre os maiores do País. Em 2017, a receita líquida do Grupo Marquise (Incorporação e Marquise Ambiental), de acordo com as demonstrações contábeis, foi de R$ 804,1 milhões.

Na análise das campeãs setoriais, as empresas foram avaliadas pelo conjunto de indicadores: Receita Líquida, Margem EBITDA, Crescimento Sustentável, Rentabilidade do Patrimônio Líquido, Margem da Atividade, Liquidez Corrente, Giro do Ativo e Cobertura de juros. Para figurar entre as dez primeiras colocadas, era necessário a empresa obter pontos em um ou mais critérios de classificação e, ao final, chegar a uma soma maior que a das concorrentes.

(Foto – Balada In)

Tolerância e punição

Com o  título “Tolerância e punição”, eis artigo de Pedro Henrique Antero Chaves, cientista político. Ele bate na tecla da necessidade de punição no caso do atentato a Jair Bolsonaro. Para ele ” um ato explícito de violência, contratado por uma organização criminosa, e que fez desaparecer dos noticiários o conceito de intolerância propalado pelas esquerdas.” Ainda aborda Lula. Confira:

Os criminosos políticos no Brasil e seus partidários reclamam com veemência do comportamento dos brasileiros que defendem a punição severa contra os que saquearam o País e o destruíram econômica e moralmente. Esses recebem o apelido de intolerantes e retrógrados, por uma esquerda radical e por um grupo de filiados a partidos que já não têm programa nem filosofia.

Em decorrência da cultura nacional de sempre ter pena dos que são rigorosamente punidos, os bandidos brasileiros são sempre agraciados pela piedade popular no sentido de livrá-los do castigo. Lula, assim, é um desses ” pobrezinhos injustiçados” por uma justiça cruel e extremamente severa.

As inúmeras demonstrações públicas, há dois ou três anos, contra Dilma Roussef, nunca levaram a marca da violência, pois foram organizadas pela população ordeira que não suportava mais o nível de degradação moral do governo petista.

O que se procurava, na verdade, era a punição dos destruidores da pátria.

Ao contrário, o atentado ao candidato Jair Bolsonaro foi um ato explícito de violência, contratado por uma organização criminosa, e que fez desaparecer dos noticiários o conceito de intolerância propalado pelas esquerdas. Fala-se, agora, tão somente, de democracia e de respeito aos adversários.

O presidente do STF, Dias Toffoli, recentemente eleito, disse em seu discurso que, “independentemente de ideologia política, estejamos juntos na construção de um Brasil mais tolerante, mais solidário e mais aberto ao diálogo”. Essa declaração, proferida por um ex-advogado do PT, ex-consultor da CUT e ex- funcionário de José Dirceu, quer significar apenas que os bandidos, já condenados, serão libertados pelos companheiros que se encontram no poder.

O Brasil corre o risco de ter uma democracia fracassada, diante da ameaça de uma ditadura do Judiciário. Libertar Lula será um ato ditatorial, perpetrado por um grupo de amigos do ex-presidente, que não respeitam a própria Justiça de que fazem parte. Se um dos poderes acha que tudo pode, os outros se sentirão à vontade para fazê-lo.

Tolerância, portanto, não é libertar os gatunos, mas saber ouvir e respeitar os adversários.

*Pedro Henrique Chaves Antero

phantero@gmail.com

Professor de Ciências Políticas.

Haddad alcança o dobro de intenções de votos de Bolsonaro no segundo turno em Pernambuco

A força do lulismo no Nordeste fica clara nas simulações de segundo turno entre Haddad e Bolsonaro em Pernambuco, por exemplo. O petista alcança o dobro das intenções de votos do adversário no estado: 53% a 26%. A informação é da Folha de S.Paulo.

Fernando Haddad, que perdeu a reeleição para prefeito de São Paulo em 2016, venceria Bolsonaro na capital, indica o Datafolha. Os dois marcam empate técnico no primeiro turno, mas o petista abre 45% a 34% sobre o rival na fase seguinte.

(Foto – Folhapress)

Papa Francisco condena ações de intolerância contra imigrantes

O papa Francisco apelou hoje (20) para que as pessoas evitem sentimentos negativos, como desconfiança, medo e desprezo em relação aos imigrantes. O pedido foi feito durante audiência com integrantes da Conferência Mundial sobre Xenofobia, Racismo e Nacionalismo Populista no Contexto da Migração Global. Segundo ele, os que exploram os estrangeiros “devem fazer um profundo exame de consciência” porque terão de prestar contas a Deus.

Na audiência, o papa mencionou os ensinamentos do Novo Testamento, que destaca que todos os homens são iguais independentemente de sua etnia e credo religioso. “[Aquele que mantém] sentimentos de desconfiança, medo, desprezo e até ódio contra indivíduos ou grupos considerados diferentes por causa de sua etnia, origem e religião, como tal, não é digno o suficiente para participar plenamente na sociedade.”

O papa ressaltou que esses sentimentos são inspirados pela intolerância, afetando a dignidade das pessoas envolvidas e seus direitos fundamentais. “Infelizmente acontece também na política quando cede à tentação de explorar os medos e as dificuldades de alguns grupos e usar as promessas ilusórias a interesses eleitorais míopes.”

Francisco lembrou que todos estão vinculados ao Criador e que Deus criou o homem à “imagem e semelhança” Dele. Citando as Cartas de São Paulo, o papa defendeu o respeito à dignidade como “unidade fundamental” entre os seres humanos.

“Não há judeu ou grego; não há escravo ou livre; não há homem nem mulher, porque todos [somos] um em Cristo Jesus”, disse o pontífice, citando o Novo Testamento.

(Agência Brasil)

Mega-Sena especial sorteará nesta quinta-feira R$ 17 milhões

O apostador que acertar sozinho o prêmio principal do concurso 2.080 da Mega-Sena poderá colocar em sua conta bancária o prêmio de R$ 17 milhões. O sorteio, que será feito nesta quinta-feira, faz parte da Mega Semana do Apostador, que já teve uma extração especial na última terça-feira (18), mas sem ganhador, com o prêmio acumulando para hoje.

O sorteio acontece no Caminhão da Sorte, que está estacionado na cidade de Oliveira, em Minas Gerais. Segundo a Caixa, caso aplicado na poupança o prêmio renderia cerca de R$ 63 mil por mês.

A aposta simples, com seis dezenas, custa R$ 3,50 e pode ser feita até as 19h (horário de Brasília) em qualquer uma das mais de 13 mil casas lotéricas credenciadas pela Caixa em todo o país.

(Agência Brasil)

Dólar abre em baixa nesta quinta-feira: cotado a R$ 4,1010

A cotação da moeda norte-americana abriu o pregão de hoje (20) registrando baixa de 0,56%, cotada a R$ 4,1010 para venda, mantendo a tendência do fechamento de ontem (29) quando fechou em R$ 4,12.

O Ibovespa, índice da B3, começou o dia operando em alta de 0,14%, com 78.280 pontos às 10h50min.

As ações da Petrobras iniciaram valorizadas em 0,45%.

(Agência Brasil)

A batalha dos rejeitados e o País que vai sair das eleições

Com o título “A batalha dos rejeitados e o País que vai sair das eleições”, eis artigo de Henrique Araújo, jornalista do O POVO. “Novamente, a eleição parece se desenhar numa polarização ideológica e regional, com um Nordeste pró-PT e um Sul/Sudeste anti-PT”, diz o articulista. Confira:

A se preservar o quadro eleitoral mostrado pelas últimas pesquisas de intenção de voto, teremos uma batalha de rejeitados na reta final da campanha presidencial. Pelo menos um terço do eleitorado não pretende votar seja em Jair Bolsonaro (PSL), líder nas sondagens de intenção, seja em Fernando Haddad (PT), que aparece em segundo lugar.

Essa é a primeira dicotomia da disputa política atual. A segunda é de extração socioeconômica. Novamente, a eleição parece se desenhar numa polarização ideológica e regional, com um Nordeste pró-PT e um Sul/Sudeste anti-PT.

Há, no entanto, uma terceira clivagem nessa polarização: a do “velho”, representado por um candidato de esquerda que, bem ou mal, representa a classe política. E o novo, que, a muito custo, é simbolicamente levado a campo por um deputado federal que está no sétimo mandato.

Na prática, tampouco Haddad é velho – como prefeito, apresentou uma agenda inovadora em São Paulo -, nem Bolsonaro é novo – exerce mandato há mais de duas décadas.

Mas, como num jogo de falsos contrários no qual cada candidato precisa incorporar um papel, os dois candidatos foram à caça do voto travestidos a gosto do freguês.

E aí mora precisamente o risco de que as diferenças explicitadas nas eleições deste ano se aprofundem, de modo a produzir uma fratura que não vai se remediar ao cabo da escolha do mandatário.

Que País emergirá de outubro? Ninguém sabe.

De partida, é possível antever dificuldades que, sendo Haddad ou Bolsonaro o ungido pelas urnas, cada candidato terá de recompor o tecido social.

Bolsonaro por priorizar uma plataforma inflamada no centro da qual figura o ódio como afeto mobilizador e elemento que potencializa instabilidades – impedido de fazer campanha, o candidato vê seus auxiliares imediatos meterem os pés pelas mãos, num sinal extra de fragilidade do militar.

E Haddad por representar 14 anos de governos petistas no curso dos quais se combinaram distribuição de renda e casos rumorosos de corrupção, expostos pelos mecanismos de investigação ironicamente aperfeiçoados pela própria gestão do partido com Lula e depois Dilma.

A falência das candidaturas mais ao centro, como Ciro Gomes (PDT) e Marina Silva (Rede), é sintoma de uma passionalidade exacerbada que dificilmente vai se limitar ao processo eleitoral.

Os problemas do futuro governo, quem quer que seja o presidente, começam desde já, com a sugestão de sabotagem e acusações de fraude eleitoral, sobretudo da campanha de Bolsonaro. E os compromissos que Haddad eventualmente assuma dentro do próprio partido.

Disso resulta a encalacrada que esse dualismo político implica para todos nós. A queda de braço entre Bolsonaro e Haddad aprofunda um processo cujo início remonta a 2013, passando pelo impeachment e se agravando com o governo de Michel Temer.

Numa jovem democracia como a brasileira, com apenas três décadas de história mais recente, trata-se de um grande teste de fogo. Não é o Brasil de agora que preocupa, mas o que vai despertar depois das eleições.

*Henrique Araújo

henriquearaujo@opovo.com.br

Jornalista do O POVO.

Patrícia Pillar vota Ciro Gomes

Eu sempre gostei de política. Política como possibilidade de diálogo, como uma troca de ideias, uma coisa positiva pra vida das pessoas. E o que eu defendo é um caminho novo, um caminho diferente do que está aí. O meu candidato é o Ciro Gomes, porque eu acredito no projeto que ele tem para o Brasil. Eu conheço o Ciro e voto no Ciro Gomes. Boas eleições para todos nós e não deixe de votar. O seu voto é muito importante.

Publicado por Patricia Pillar em Quarta-feira, 19 de setembro de 2018

A atriz Patrícia Pillar abriu seu voto, em sua página no Facebook. Ela diz que vota em Ciro Gomes para presidente, no que afasta de vez o fake news difundindo nas redes sociais de que apanhava do ex-marido.

Ipea confirma tendência ao desalento no mercado de trabalho

As mulheres, parte da população da Região Nordeste, pessoas com baixa escolaridade, jovens adultos (de 18 a 24 anos) e pessoas que não são chefes de família são os grupos sociais que mais desistem de ingressar no mercado de trabalho ou retornar alguma ocupação para ter renda.

O fenômeno, chamado de desalento pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), é confirmado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada. O Ipea publica nesta quinta-feira (20) estudo que avaliou os microdados extraídos da Pesquisa Nacional de Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), feita pelo IBGE, relativos ao 2º trimestre de 2018.

No período, 4,833 milhões de pessoas desocupadas deixaram de procurar trabalho, 203 mil mais do que no trimestre anterior. O Ipea observa que dessas, 59% moram no Nordeste, 54,3% são mulheres, 50% não concluíram o ensino fundamental e quase 70% não são chefes de família.

A taxa de desalento considera as pessoas que não procuraram emprego nos 30 dias antes de responder à Pnad. Apesar de menos afetados pelo desalento, a proporção de homens nessa condição aumentou em um ano, entre o 2º trimestre de 2017 (44,1%) e 2º trimestre de 2018 (45,3%).

Entre os dois períodos também cresceu a proporção de pessoas qualificadas que, apesar do desemprego, desistiram de buscar uma ocupação. Esse é o caso de quem tem nível superior (aumento da taxa de desalento de 4,8% para 5,3%) e de quem tem o ensino médio (de 21% para 22,8%).

Além da observação entre os períodos, o Ipea comparou o perfil das pessoas desalentadas com o perfil da população em idade ativa (PIA). “Pelo perfil etário, observa-se que, enquanto os jovens entre 18 e 24 anos representam 15% da PIA, eles correspondem a aproximadamente 25% dos desalentados”, descreve o estudo.

Conjuntural e estrutural

Em entrevista à Agência Brasil, o presidente do Ipea, Ernesto Lozardo, assinalou que a redução das taxas de desalento e de desocupação dependem da retomada do crescimento do Produto Interno Bruto e também da melhor formação da força de trabalho.

Segundo Lozardo, a retomada do crescimento segue em aberto à espera da aprovação de reformas econômicas, como da Previdência Social e tributária. Ele lembra que as reformas equacionam um “problema conjuntural”, o endividamento do Estado, incentivam investimentos empresariais que geram emprego e podem dar garantias para o financiamento público para áreas estratégicas, como a educação.

A educação é um “aspecto estrutural”, lembra Lozardo ao descrever que a qualificação da mão de obra no Brasil tem em média quatro a cinco anos a menos de escolaridade em comparação a de outros países.

Conforme o presidente do Ipea, a qualidade do ensino público no país, acessado pela maioria da população, também afeta a empregabilidade. “A formação que receberam não se adequa às exigências do mercado de trabalho, quer na área de serviço, quer na área industrial. Isso é estrutural”, explicou.

(Agência Brasil)

Ciro, Alckmin e a mercadoria

Da Coluna Política, do jornalista Érico Firmo, no O POVO desta quinta-feira, o típico “Comércio da alma” Confira:

Ciro Gomes (PDT) disse, na sabatina da Rádio O POVO/CBN, que Alckmin (PSB) vendeu a alma por tempo no horário eleitoral. Fazia referência à aliança com o centrão.

Ciro tentou o quanto pôde atrair o centrão. Inclusive, como tinha muita gente no DEM a quem ele já ofendeu, o pedetista pediu: “Falei ao (presidente nacional do DEM) ACM Neto: faça uma lista de quem você acha que eu preciso ligar, que eu ligo, sem problemas”, afirmou.

Ciro não vendeu a mesma mercadoria de Alckmin, porque o comprador não quis levar.

(Foto – Reprodução de TV)

Eleições 2018 – Mais de 10,6 mil brasileiros votarão em cédula de papel no Exterior

A votação em cédulas de papel ainda é uma realidade para eleitores brasileiros que moram no exterior, mas nem todos. A Justiça Eleitoral informou que 10.698 brasileiros votarão em cédulas em 171 cidades fora do país. O uso das urnas de lona foi opção diante das dificuldades de acesso à energia elétrica e dos embaraços alfandegários para a entrada de equipamentos eletrônicos.

As 64 urnas de lona (quatro delas de reserva) serão enviadas para países da África, do Caribe, da América Central, da América do Sul, bem como para países europeus com poucos brasileiros. O transporte de todas as urnas ficará a cargo do Ministério das Relações Exteriores (MRE).
Com um total de 2.353 eleitores brasileiros aptos a participar do pleito eleitoral, a cidade boliviana de Santa Cruz de La Sierra é a que tem o maior colégio eleitoral entre as que farão votação manual. Nos locais em que serão utilizadas as urnas de lona, a apuração ficará a cargo das equipes das embaixadas, cabendo ao embaixador o papel de juiz eleitoral. Às equipes de servidores das embaixadas serão oferecidos treinamentos a distância para uso do equipamento.

Dados

No total, segundo a Justiça Eleitoral, 500.727 brasileiros estão aptos para votar em 171 cidades no exterior. O maior colégio eleitoral é Boston, nos Estados Unidos, para onde serão enviadas 46 urnas eletrônicas. Depois, Miami (EUA), com 45 urnas. Os Estados Unidos, Japão e Portugal são os países com maior número de eleitores brasileiros.

O Tribunal Regional Eleitoral do Distrito Federal (TRE-DF) iniciou o processo de preparação de 680 urnas que serão usadas no exterior durante as eleições presidenciais.

Perfil

De acordo com a Justiça Eleitoral, 58,4% dos eleitores brasileiros no exterior são mulheres, e 41,6% homens. A faixa etária mais predominante é a compreendida entre 35 e 39 anos.

Em relação ao nível de escolaridade, 34,26% dos brasileiros aptos a votar têm nível superior completo; 28,51% têm ensino médio completo; e 13,46% superior incompleto.

(Agência Brasil)

Bolsonaro ganha apoio da Confederação de Pastores do Brasil

820 6

A centralização do embate entre Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT) já no primeiro turno da eleição fez igrejas evangélicas anteciparem uma tomada de lado na disputa. Segundo a Painel, da Folha de S.Paulo desta quinta-feira, a Confederação dos Conselhos de Pastores do Brasil, que congrega as principais agremiações neopentecostais, decidiu declarar apoio ao capitão reformado. À frente da entidade e da Sara Nossa Terra, o bispo Robson Rodovalho diz que, com “a divisão entre direita e esquerda, não dá mais para ficar em cima do muro”.

Rodovalho, que apoiou Haddad em 2012 para prefeito de SP, diz agora que só Bolsonaro é capaz de “colocar um freio de arrumação no Brasil”. Ele comanda cerca de 1,5 milhão de fiéis.

O novo Datafolha reforça a tendência de polarização entre o candidato do PSL e o do PT. A pesquisa mostra que, entre os evangélicos, o deputado abre larga vantagem sobre o petista nas sondagens sobre um eventual segundo turno: 51% a 34%.

Os conselhos regionais de pastores ligados a Rodovalho vão mapear agremiações evangélicas para identificar simpatizantes de Haddad. A ideia é que, com os dados, os líderes religiosos atuem para virar esses votos.

Haddad, que perdeu a reeleição para prefeito de São Paulo em 2016, venceria Bolsonaro na capital, indica o Datafolha. Os dois marcam empate técnico no primeiro turno, mas o petista abre 45% a 34% sobre o rival na fase seguinte.

(Foto – Reprodução de TV)