Blog do Eliomar

Categorias para Brasil

Prévia da inflação oficial fica em 0,72% em abril

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15), que mede a prévia da inflação oficial, ficou em 0,72% em abril deste ano. A taxa é superior às registradas em março deste ano (0,54%) e em abril do ano passado (0,21%). É também a maior taxa para o mês desde 2015 (1,07%).

Segundo dados divulgados hoje (25) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o IPCA-15 acumula taxas de inflação de 1,91% no ano e de 4,71% em 12 meses.

Os principais responsáveis pela inflação da prévia de abril foram os transportes, que tiveram alta de preços de 1,31%, puxada pelos combustíveis (com alta de 3%), em especial, a gasolina (3,22%).

Os alimentos e bebidas também tiveram um impacto importante no IPCA-15, com uma inflação de 0,92% na prévia do mês. Outro grupo que influenciou a prévia da inflação foi saúde e cuidados pessoais (1,13%).

Apenas o grupo de despesas comunicação teve deflação, ou seja, queda de preços (-0,05%). As demais classes de despesas tiveram as seguintes taxas de inflação: educação (0,06%), despesas pessoais (0,12%), habitação (0,36%), artigos de residência (0,41%) e vestuário (0,57%).

(Agência Brasil)

CCJ do Senado vota emenda contra o aborto no dia 8 de maio

A senadora Juíza Selma (PSL-MT) apresentou relatório favorável a uma proposta de emenda à Constituição (PEC 29/2015) que assegura o direito à vida “desde a concepção”. O objetivo é deixar expressa na Carta Magna a proibição ao aborto. A votação na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) está prevista para o dia 8 de maio.

A PEC 29/2015, do ex-senador Magno Malta (ES), foi desarquivada no início deste ano. No relatório, Juíza Selma argumenta que “o direito à vida desde a concepção é o [direito] principal de todos os direitos humanos”.

“Os fatos comprovam os danos causados pelo aborto provocado à saúde das mulheres: aumento de suicídio, aumento de depressão, transtornos mentais, ansiedade e tantas outras sequelas com impacto físico, emocional e mental”, disse.

A PEC garante “a inviolabilidade do direito à vida desde a concepção”, mas prevê duas exceções, em que o aborto pode ser autorizado sem punição: se não houver outro meio de salvar a vida da gestante; e se a gestação resultar de estupro, e a interrupção da gravidez tenha o consentimento da gestante ou de seu representante legal.

(Com Agências)

Neymar será garoto-propaganda da Diesel Fragrances

O craque Neymar acaba de engordar mais ainda sua carteira como garoto-propaganda.

Segundo informa o jornalista Lauro Jardim, colunista do O Globo, o moço fechou contrato com a Diesel Fragrances, da L’Oréal, e será o novo rosto global da marca de perfumes, a partir de maio.

Além disso, o jogador também participou da criação de uma nova fragrância, que será lançada sob a marca Diesel.

(Foto – Divulgação)

Jair Bolsonaro extingue o Horário de Verão

O Brasil não adotará mais o horário de verão a partir deste ano. O presidente Jair Bolsonaro assinou hoje (25) decreto que extingue a medida, em cerimônia no Palácio do Planalto. A decisão foi baseada em recomendação do Ministério de Minas e Energia, que apontou pouca efetividade na economia energética, e estudos da área da saúde, sobre o quanto o horário de verão afeta o relógio biológico das pessoas.

“As conclusões foram coincidentes. O horário de pico hoje é às 15 horas e [o horário de verão] não economizava mais energia. Na saúde, mesmo sendo só uma hora, mexia com o relógio biológico das pessoas”, disse, ressaltando que não deve haver queda na produtividade dos trabalhadores nesse período.

A medida já havia sido anunciada pelo presidente no dia 5 de maio.

De acordo com o secretário de Energia Elétrica do MME, Ricardo Cyrino, a economia de energia com o horário de verão diminuiu nos últimos anos e, neste ano, estaria perto da neutralidade. “Na ótica do setor elétrico, deixamos de ter o benefício”, disse.

Cyrino afirmou que o horário de verão foi criado com o objetivo de aliviar o pico de consumo, que era em torno das 18 horas, e trazer economia de energia na medida em que a iluminação solar era aproveitada por mais tempo. “Com a evolução da tecnologia, iluminação mais eficiente, entrada de ar-condicionado – que deslocou o pico de consumo para as 15 horas – e também a substituição de chuveiros elétricos [por aquecimento solar, por exemplo], que coincidia com a iluminação pública às 18 horas, deixamos de ter a economia de energia que havia no passado e o benefício do alívio no horário de ponta, às 18 horas”, explicou.

O horário de verão foi criado em 1931 e aplicado no país em anos irregulares até 1968, quando foi revogado. A partir de 1985, foi novamente instituído e vinha sendo aplicado todos os anos, sem interrupção. Normalmente, o horário de verão começava entre os meses de outubro e novembro e ia até fevereiro do ano subsequente, quando os relógios deveriam ser adiantados em uma hora em parte do território nacional.

O secretário afirmou ainda que nos últimos 87 anos de instituição do horário de verão, por 43 anos o país ficou sem adotar a medida e que ela pode ser instituída novamente no futuro. “Tivemos muitas alternâncias. Vamos continuar fazendo avaliações anuais e nada impede que, no futuro, caso venha a ser conveniente na ótica do setor elétrico, vamos sugerir novamente a introdução do horário de verão. Por hora, ele não faz mais sentido.”

Novos decretos
Participaram da cerimônia, no Palácio do Planalto, parlamentares que apresentaram projetos no Congresso para extinguir o horário de verão. Bolsonaro se colocou à disposição para avaliar outras proposições que possam ser colocadas em prática via decreto presidencial.

“Sabemos da dificuldade do parlamentar para aprovar uma lei ao longo de uma legislatura. Muito difícil. Agora, um decreto tem um poder enorme, como esse assinado agora. A todos os senhores, o governo está aberto a quem tiver qualquer contribuição. Em havendo o devido amparo jurídico, apresentaremos um novo decreto”, afirmou.

(Agência Brasil)

Petrobras aprova novo Programa de Desligamento Voluntário

O Conselho de Administração da Petrobras aprovou um novo Programa de Desligamento Voluntário – PDV. Serão elegíveis os empregados da Petrobras Controladora que estejam aposentados pelo INSS até junho de 2020, quando se encerram as inscrições, informa a assessoria de comunicação da estatal.

O Programa tem por objetivo promover a renovação nos quadros da companhia quando for identificada essa necessidade. Seu regramento prevê também ações para retenção em processos chave, de modo a garantir a continuidade das operações e a máxima segurança na execução das atividades da companhia.

Em conjunto com outras ações, o programa é uma das alavancas para geração de valor do Plano de Resiliência, anunciado em 08/03/2019.

Plano de Desligamento

O PDV foi elaborado considerando o custo de reposição dos quadros da companhia, a preservação do efetivo necessário à continuidade operacional e a aderência ao Plano de Negócios e Gestão vigente. Para uma estimativa de participação de aproximadamente 4.300 empregados, o custo previsto para a implantação do Programa é de R$ 1,1 bilhão e o retorno esperado é de R$ 4,1 bilhões no período 2019-2023.

Os valores de custo e retorno podem se alterar de acordo com a efetiva adesão, assim como por outras variáveis, sendo estas estimativas baseadas em premissas e critérios aplicáveis no presente momento.

O efeito nas demonstrações financeiras ocorrerá à medida em que as adesões se efetivarem.

Eleições para Reitor – Cândido Albuquerque apregoa uma Nova UFC

Com o título “Uma Nova UFC”, eis artigo do professor Cândido Albuquerque, candidato a reitor da Universidade Federal do Ceará, Ele expõe o que quer para a Instituição. Confira:

Minha vida está umbilicalmente ligada à UFC. Para cursá-la deixei minha terra natal. Aqui me graduei e tornei-me especialista, mestre e doutor. Professor desde 1991, chefe do Departamento de Direito Público por longos anos, coordenador do Núcleo de Prática Jurídica e diretor da Faculdade de Direito desde 2011, período em que nossa avaliação no MEC saiu da nota três para a nota máxima, dói na alma ver a nossa Universidade passando por tantas dificuldades.

Já não estamos, no quesito mérito acadêmico, entre as melhores universidades do mundo, pelo ranking do THE. Sem um planejamento estratégico e sem transparência, os colegas que estão se revezando no comando da nossa Universidade há anos transformaram o programa de “Reestruturação e Expansão das Universidades Federais – Reuni” em uma tragédia. Temos, hoje, dezenas de obras pela metade e, o que é mais grave, sem qualquer perspectiva de conclusão. O caso de Itapajé, onde um campus semiconcluído aguarda um futuro incerto, e o de Sobral, onde uma obra fundamental não tem data para ser retomada e concluída, bem demonstram a inaptidão administrativa, que já não é de agora. A falta de um planejamento, com a indicação das obras prioritárias, permitiu que alguns ocupantes de cargos relevantes, usando o prestígio pessoal, edificassem obras não prioritárias, com o que se têm colocado em risco as nossas atividades de ensino, pesquisa e extensão.

Não temos uma secretaria ou coordenadoria de inovação ou empreendedorismo! Os prédios dos cursos de Engenharia, em Fortaleza e em Sobral, não captam energia renovável. Os atuais titulares do poder, agora divididos por desavenças internas em busca do continuísmo, mas avessos a preocupações com sustentabilidade, não institucionalizaram um sistema de coleta seletiva de lixo e não cuidam corretamente da armazenagem, revelando descaso com o meio ambiente. Chega!

Vamos implantar modernas ferramentas pedagógicas e desenvolver novas habilidades com os nossos alunos, preparando-os para o século XXI. Precisamos planejar de forma profissional a nossa Universidade, criar uma controladoria-geral, onde serão instaladas a auditoria interna e a secretaria de governança. Planejando com transparência as ações de ensino, pesquisa e extensão, teremos, em breve, uma nova UFC.

*Cândido Albuquerque,

Candidato a Reitor da UFC.

Deputados do PSDB serão presidente e relator da Comissão Especial da Nova Previdência

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), anunciou na manhã desta quinta-feira, 25, que o deputado Marcelo Ramos (PR-AM) será o presidente da comissão especial que vai analisar a reforma da Previdência. O relator do texto que será votado pelo colegiado também foi escolhido: o deputado Samuel Moreira (PSDB-SP).

Composto por 49 deputados titulares, o colegiado vai analisar o mérito do texto elaborado pela equipe do ministro da Economia, Paulo Guedes, e será instalado nesta quinta. Na última terça-feira, 23, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara aprovou a admissibilidade constitucional da proposta da reforma da Previdência.

“Espero que o relator consiga construir um sistema que tenha subrelatores, porque a demanda para ajudar é muito grande. E uma votação dessas é uma construção coletiva”, declarou Maia.

Tramitação

A comissão, que deve ser instalada ainda nesta quinta-feira, tem de onze a quarenta sessões para apresentar e votar um relatório. Esse texto aprovado pela comissão especial é que vai a plenário para ser votado pelos deputados. Nas dez primeiras sessões, os deputados podem apresentar emendas para modificação da proposta. Essas emendas serão analisadas pelo relator.

Após o texto ser aprovado pela comissão especial, vai para o plenário, onde precisa do voto favorável de 3/5 dos parlamentares em segundo turno. Depois disso, o texto passa para o Senado, onde passa pela CCJ da casa e depois para o plenário. Se houver alguma alteração no texto, a reforma volta para a Câmara e precisa passar por todo o processo novamente.
A expectativa é de uma batalha dura e que pode resultar em retirada de muitos pontos da reforma, já que o governo fez concessões na CCJ, o que não é comum acontecer.

Entre os mais criticados por parlamentares, estão as alterações no Benefício de Prestação Continuada (BPC) – pagamentos assistenciais a idosos e deficientes de baixa renda – e a aposentadoria rural, pontos que mexem com a parcela da população mais pobre. A possibilidade de criação de um sistema de capitalização também causa ruídos na Câmara, por propor que o trabalhador financie a sua própria aposentadoria. Hoje quem está na ativa paga o benefício de quem está aposentado.

A reforma da Previdência prevê a fixação de idade mínima de 62 anos para mulheres e 65 anos para os homens, além de aumentar de 15 para 20 anos o tempo mínimo de contribuição.

(Veja/Foto – Agência Brsail)

Confiança do Consumidor recua 1,5 ponto de março para abril

O Índice de Confiança do Consumidor (ICC), medido pela Fundação Getulio Vargas (FGV), caiu 1,5 ponto de março para abril. Com o resultado, o indicador recuou para 89,5 pontos, em uma escala de zero a 200, o menor patamar desde outubro do ano passado (85,4 pontos). É a terceira queda mensal consecutiva do indicador, que acumula perda de 7,1 pontos no período.

A queda de abril foi provocada pelas estimativas em relação aos próximos meses, medidas pelo Índice de Expectativas, que recuou 2,7 pontos, para 98,7 pontos, a terceira queda consecutiva. O otimismo com relação à evolução da economia caiu 2,9 pontos.

Já a confiança no presente, medida pelo Índice de Situação Atual (ISA), subiu 0,5 ponto, para 77,1 pontos. O grau de satisfação com as finanças familiares subiu 2,3 pontos.

De acordo com a pesquisadora da FGV Viviane Seda Bittencourt, a queda da confiança dos consumidores está relacionada “à decepção com a lenta recuperação econômica e a manutenção de níveis elevados de incerteza”.

(Agência Brasil)

Eleições na UFC – Custódio Almeida ganha adesões na corrida sucessória

586 3

Uma carta de apoio à candidatura de Custódio Almeida para reitor da UFC chegou a este Blog. Assinada por vários pesquisadores, diz o porquê da chapa Custódio-Davi ser a melhor par a Instituição. Confira:

CARTA ABERTA

A Universidade Federal do Ceará (UFC) realizará consulta à comunidade universitária no dia 8 de maio de 2019 para a escolha do próximo reitor, que dirigirá nossa universidade no período de agosto de 2019 a agosto de 2023. A próxima administração superior da universidade terá a tarefa de consolidar importantes conquistas alcançadas pela universidade nos últimos anos. Avaliamos que o Professor Custódio Almeida é o melhor nome para liderar a administração superior e a UFC neste próximo ciclo.

O Professor Custódio ingressou na UFC há 26 anos, sendo atualmente Professor Titular de Filosofia, do Instituto de Cultura e Arte (ICA), lecionando nos programas de Pós-Graduação em Filosofia (ICA) e Ecologia e Recursos Naturais (CC), além de em diversos cursos de graduação.

A Universidade é um espaço de construção do conhecimento que possibilita o entendimento da natureza e da sociedade, assim como de instrumentos que promovam a melhoria da qualidade de vida das populações e o desenvolvimento regional e nacional. Neste contexto, a integração e complementariedade das pesquisas nas ciências exatas, tecnológicas, humanas e da vida é requisito essencial para se alcançar o desejado desenvolvimento sustentável por meio do reconhecimento da relevância de cada um dos elos que vinculam a pesquisa básica, a pesquisa aplicada e a inovação tecnológica.

O processo de internacionalização da universidade deve servir ao propósito de possibilitar que UFC seja reconhecida pela excelência científica e técnica e que seja dado acesso deste conhecimento à sociedade cearense e brasileira de forma a se alcançar o almejado desenvolvimento econômico e social.

O compromisso com a universidade pública, gratuita e de qualidade é uma marca na trajetória do Prof. Custódio na UFC. A Universidade Pública brasileira é a grande produtora de conhecimento científico, essencial para o desenvolvimento nacional, devendo preservar a excelência no fazer e socializar seus frutos com largas parcelas da população em um movimento de inclusão social.

Vive-se em um mundo em mudanças. A quarta revolução industrial é uma componente relevante destas mudanças e os desafios ético-sociais trazidos para o conhecimento científico e tecnológico neste contexto são significativos. A UFC e as instituições de pesquisa devem estar preparadas para enfrentar estes novos desafios. O Professor Custódio tem a formação intelectual e a competência para liderar a universidade nestes temas. Sua atuação como professor e pesquisador em História da Ciência e Ética proporcionam-lhe uma perspectiva singular para o reconhecimento da relevância deste tema e para a identificação das estratégias institucionais que possibilitem à UFC ampliar e consolidar seu protagonismo nestes novos tempos.

Observa-se na trajetória do Prof. Custódio compromisso inabalável com a indissociabilidade entre o ensino, a pesquisa e a extensão. Esta declaração é testemunhadapor suas atividades na Pró-Reitoria de Graduação entre os anos de 2007 e 2015. A articulação entre a Pró-Reitoria de Graduação e a de Pós-Graduação, neste período, foi intensa e profícua. Exemplo desta articulação foi o Programa de Pós-Graduação Articulada à Graduação(PROPAG), implantado durante sua gestão como Pró-Reitor de Graduação, em que 750 bolsas de Pós-Graduação foram criadas pela PROGRAD e,posteriormente, incorporadas pela Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação, tendo como objetivo fomentar a articulação entre a graduação e a pós-graduação. Tal iniciativa foi pioneira entre as IES que aderiram ao Programa REUNI.

O debate de ideias tem na universidade seu lugar primeiro. A construção da universidade requer diálogo permanente e a elaboração de consensos sobrepostos às diferentes visões de mundo, abrigadas na comunidade universitária. O Prof. Custódio cultiva o diálogo nas suas práticas cotidianas. Testemunha disso são sua formação hermenêutica e sua grande capacidade de ouvir o outro e compartilhar. Custódio Almeida é um gestor com visão estratégica e comprometido com o planejamento participativo.

A experiência e a criatividade na administração universitária são marcas importantes do Prof. Custódio. Atuou como tutor do PET, Coordenador de Curso, Chefe de Departamento, Diretor de Unidade Acadêmica, Assessor da Pró-Reitoria de Graduação, Pró-Reitor e Vice-Reitor. Aprendeu nesta caminhada o desafio de cada uma destas funções. O tempo e a dedicação em cada uma delas foram sedimentando um conhecimento específico de cada nível gerencial da UFC, assim como os mecanismos que possibilitam um ajuste mais fino desta máquina gerencial. Em todo este percurso, sempre foi atento aos três segmentos da comunidade universitária: servidores docentes e técnico-administrativos e estudantes.

Seu candidato a vice-reitor, Prof. Davi Romero, é o atual Diretor do Campusda UFC em Quixadá. À frente daquela unidade acadêmica, por dois mandatos, o Prof. Davi levou o Campus de Quixadá a se tornar um centro tecnológico de referência, com seis cursos de graduação e um mestrado acadêmico, obtendo excelentes avaliações do Ministério da Educação. Tem exercido uma gestão aberta ao diálogo e organizou o campus de maneira inovadora e eficiente.

No tocante à pesquisa e à pós-graduação, a chapa Custódio-Davi defende que a excelência a ser buscada na UFC não deve ser para poucos, mas, sim, para muitos. Em seu programa, comprometem-se com ações que se baseiam nos seguintes princípios norteadores:

a) superação da dicotomia entre graduação e pós-graduação no conceito e na gestão da UFC, promovendo a formação integrada e fluida em todos os níveis;

b) consolidação do processo de internacionalização e inovação da UFC, em parceria com instituições e redes de pesquisa de excelência mundial e expansão da cultura de internacionalização e inovação para áreas de pesquisa menos consolidadas;

c) estabelecimento de um planejamento estratégico institucional visando ao fortalecimento do conjunto de cursos de pós-graduação e grupos de pesquisa de excelência e à expansão dos programas de pós-graduação nos campi do interior, prioritariamente em temas estratégicos da região;

d) estímulo a mecanismos de autoavaliação dos programas de pós-graduação, considerando olhares externos à instituição;

e) valorização de parcerias estratégicas e arranjos institucionais que levem à organização de PPGs mais robustos e com atuação conectada, simultaneamente, com as políticas institucionais e as políticas desenvolvimento das regiões onde atuam.

Os professores Custódio e Davi têm uma longa ficha de serviços prestados à UFC. A bem-sucedida trajetória de ambos a serviço da UFC e o reiterado compromisso com a universidade pública, gratuita e de qualidade, que inclua e que promova desenvolvimento para o Ceará e para o Brasil capacitam-nos amplamente para serem os dirigentes da UFC.

Pelas razões expostas acima, nós – pesquisadores abaixo-assinados – apoiamos com entusiasmo os Professores Custódio e Davi para Reitor e Vice-Reitor da UFC.

Fortaleza, 24 de abril de 2019

1. Ada Beatriz Gallicchio Kroef (PPG Artes)
2. Adriana Eufrásio Braga (PPG Educação)
3. Adriana Lima Verde (PPG Educação)
4. Adson Bezerra Moreira (PPG em Engenharia Elétrica e de Computação – Sobral)
5. Albenísio Silveira (PPG Bioquímica)
6. Alexandra Maria Oliveira (PPG Geografia)
7. Alexandre Fleming Câmara Vale (PPG Antropologia UFC-UNILAB)
8. Alexandre Queiroz Pereira (PPG Geografia)
9. Aluísio Ferreira de Lima (PPG Psicologia)
10. Ana Célia Clementino Moura (PPG Linguística)
11. Ana Fátima Carvalho Fernandes (PPG em Enfermagem)
12. Ana Karina Bezerra Pinheiro (PPG em Enfermagem)
13. Ana Karina Macedo Teixeira (PPG Odontologia)
14. Ana Kelve de Castro Damasceno (PPG em Enfermagem)
15. Ana Teresa de Castro Martins (PPG Ciência da Computação)
16. Andréia Libório Sampaio (PPG Computação – Quixadá)
17. Antônio Luiz Macedo e Silva Filho (PPG História)
18. Antônio Wellington de Oliveira Júnior (PPG Artes)
19. Arlete Soares (PPG Ecologia e Recursos Naturais)
20. Arthur de Castro Callado (PPG Computação – Quixadá)
21. Augusto Cézar de Aquino Cabral (PPAC – Feaac)
22. Áurea Zavam (PPG Linguística)
23. Benildo Cavada (PPG Bioquímica)
24. Bernadete de Souza Porto (PPG Educação)
25. Bruno Vieira Bertoncini (PPG em Eng dos Transportes)
26. Carla Ilane Moreira Bezerra (PPG Computação – Quixadá)
27. Carlos Adriano Santos Gomes (PPAC – Feaac)
28. Carlos Alexandre Rolim Fernandes (PPG em Engenharia Elétrica e de Computação – Campus Sobral)
29. Carolina Lindenberg Lemos (PPG Linguística)
30. Celina Amália Lima (PPG Profissional em Sociologia)
31. Célio Loureiro Cavalcante Jr (PPG em Química e Eng Química)
32. Christian Dennys Monteiro de Oliveiras (PPG Geografia)
33. Cláudio Bezerra Leopoldino (PPAC – Feaac)
34. Criston Pereira de Souza (PPG Computação – Quixadá)
35. Cynara Monteiro Mariano (PPG Direito)
36. Cynthia Romariz Duarte (PPG Geologia)
37. Deisimer Gorczevski (PPG Artes)
38. Diana Cristina Silva de Azevedo (PPG em Eng Química)
39. Diego Queiroz Machado (PPAC – Feaac)
40. Eduardo Ferreira Chagas (PPG Filosofia e PPG Educação)
41. Eduardo Junqueira (PPG Educação)
42. Elisangela Nogueira Teixeira (PPG Linguística)
43. Elvis Miguel Galeas Stancanelli (PPG Computação – Quixadá)
44. Emanuel Ferreira Coutinho (PPG Computação – Quixadá)
45. Ercília Braga de Olinda (PPG Educação)
46. Eunice Maia de Andrade (PPG em Engenharia Agrícola – CCA e Ecologia e Recursos Naturais – CC)
47. Eustogio Wanderley Correia Dantas (PPG Geografia)
48. Evanildo Costeski (PPG Filosofia)
49. Fábio Montenegro (PPG Matemática)
50. Fátima Vasconcelos (PPG Educação)
51. Felipe Braga Albuquerque (PPG Direito)
52. Fernando Barros (PPG Filosofia)
53. Fernando Luis Marcelo Antunes (PPG em Eng Elétrica)
54. Francisca Soares de Araujo (PPG Ecologia e Recursos Naturais)
55. Francisco de Assis de Souza Filho (PPG em Eng Hidráulica e Ambiental)
56. Francisco Murilo Tavares de Luna (PPG em Eng Química)
57. Francisco Nivaldo de Aguiar Freire (PPG em Eng Mecânica)
58. Francisco Osny Eneas da Silva (PPG Eng Hidraulica e Ambiental)
59. Francisco Regis Lopes Ramos (PPG História)
60. Gabriel Antoine Louis Paillard (PPG Computação – Quixadá)
61. Gabriela Frota Reinaldo (PPG Comunicação)
62. Galiléia Silva (PPG Filosofia)
63. Geny Lustosa (PPG Educação)
64. George Satander (PPG Geologia)
65. Gerardo Silveira Viana Júnior (PPG Educação)
66. Ghandis Rádis Baptista ( PPG em Ciências Farmacêuticas – FFOE, e PPG Rede Nordeste de Biotecnologia – LABOMAR)
67. Gil de Aquino Farias (PPG Física)
68. Gilvandete Maria Pinheiro Santiago (PPG em Ciências Farmacêuticas e PPG em Química)
69. Glória Diógenes (PPG Sociologia)
70. Hebe Macedo (PPG Linguística)
71. Hector Andrés Briones Vasques (Teatro PPG Artes)
72. Hermógenes David de Oliveira (PPG Bioquímica)
73. Hosiberto Batista de Sant’Ana (PPG Engenharia Química)
74. Hugo Filgueiras (PPG Filosofia)
75. Iara Gomes (PPG Geografia)
76. Ingrid Teixeira Monteiro (PPG Computação – Quixadá)
77. Isabel Ciasca (PPG Educação)
78. Ivanildo José da Silva Jr (PPG em Eng Química e RENORBIO)
79. Jader dos Santos Oliveira (PPG Geografia)
80. Janaina Fonseca Victor Coutinho (PPG em Enfermagem)
81. Jawdat Abu-el-Haj (PPG Sociologia)
82. João Figueiredo (PPG Educação)
83. Joelma Marques de Carvalho (PPG Filosofia)
84. John Kenedy de Araujo (PPG em Eng Hidráulica e Ambiental)
85. Jorge Brandão (PPG Educação)
86. José Aires de Castro Filho (PPG Educação)
87. José Américo Saraiva (PPG Linguística)
88. Jose Antonio Macedo (PPG Ciência da Computação)
89. José Arimatea Bezerra (PPG em Educação)
90. José Carlos Lázaro Silva Filho (PPAC – Feaac)
91. José de Paula Barros Neto (PPG Eng Civil: Estruturas e Construção Civil)
92. José Olinda Braga (PPG Filosofia)
93. Joselany Áfio Caetano (PPG em Enfermagem)
94. Judith Pessoa de Andrade Feitosa (PPG Química)
95. Júlia Miranda (PPG em Sociologia)
96. Júlio César Araújo (PPG Linguística)
97. Kenia Sousa Rios (PPG História)
98. Kleber Amora (PPG Filosofia)
99. Kleiton de Sousa Rios (PPG História)
100. Kyria Santiago (PPG Biotecnologia)
101. Lidiany Karla Azevedo Rodrigues Gerage (PPG Odontologia e Microbiologia Médica)
102. Lidriana de Souza Pinheiro (PPGCMT – LABOMAR)
103. Lindberg Lima Gonçalves (PPG Eng e Ciencia dos Materiais)
104. Lorena Pinheiro Barbosa (PPG em Enfermagem)
105. Luciana Lôbo (PPG Psicologia)
106. Luciana Rocha Barros Gonçalves (PPG Engenharia Química)
107. Luís Estevinha (PPG Filosofia)
108. Luiz Botelho (PPG Educação)
109. Luiz Felipe Sahd (PPG Filosofia)
110. Luiz Gonzaga de França Lopes (PPG Química)
111. Manfredo Araújo de Oliveira (PPG Filosofia)
112. Marcelo Dídimo Souza Vieira (PPG Comunicação)
113. Márcia Teixeira Nogueira (PPG Linguística)
114. Marcio Espíndola Freire Maia (PPG Computação – Quixadá)
115. Márcio Ramos (PPG Bioquímica)
116. Marcos Antônio de Oliveria (PPG Computação – Quixadá)
117. Marcos Antônio Martins Lima (Pós Educação Faced e PPAC – Feaac)
118. Maria Alexsandra de Sousa Rios (PPG em Eng Mecânica)
119. Maria Aparecida de Paiva Montenegro (PPG Filosofia)
120. Maria Claudete Lima (PPG Linguística)
121. Maria Das Dores Nogueira Mendes (PPG Linguística)
122. Maria de Fátima Oliveira Costa (PPG Ciência da Informação)
123. Maria do Socorro Silva de Aragão (PPG Linguística)
124. Maria Eleni Henrique (PPG Educação)
125. Maria Elias Soares (PPG Linguística)
126. Maria Elisa Zanella (PPG Geografia)
127. Maria Margarete Sousa (PPG Linguística)
128. Maria Ozilea Bezerra Menezes (PPGCMT – LABOMAR)
129. Maria Silvana Militão(PPG Linguística)
130. Maria Valderez Ponte Rocha (PPG Eng Química)
131. Maria Viviane de Menezes (PPG Computação – Quixadá)
132. Mariana Cavalcante Martins (PPG em Enfermagem)
133. Mariano Castelo Branco (PPG Geologia)
134. Marilia Braga Marques (PPG em Enfermagem)
135. Mário Martins Viana (PPG História)
136. Márluce Coan (PPG Linguística)
137. Mary Anne Lima (PPG Química)
138. Meize Lucas (PPG História)
139. Messias Holanda Dieb (PPG Educação)
140. Miguel Franklin de Castro (PPG Ciência da Computação)
141. Mirian Parente Monteiro (PPG em desenvolvimento e inovação tecnológica em medicamentos)
142. Mônica Magalhães Cavalcante (PPG Linguística)
143. Mônica Oliveira Batista Oriá (PPG em Enfermagem)
144. Neiva Francenely Cunha Vieira (PPG em Enfermagem)
145. Odilio Alves Aguiar(PPG Filosofia)
146. Orlando Luiz de Araújo (PPG Letras)
147. Osmar Gonçalves dos Reis Filho – Cinema (PPG Comunicação)
148. Pablo Assunção (PPG Artes)
149. Pablo Severiano Benevides (PPG Psicologia)
150. Pablyana Rodrigues (PPG Encima/Química)
151. Patrícia Neyva da Costa Pinheiro (PPG em Enfermagem)
152. Paulo Henrique Sousa Machado (PPG Ciencias e Tecnologia de Alimentos)
153. Paulo Matos (PPG Economia – CAEN)
154. Paulyne Matthews Jucá (PPG Computação – Quixadá)
155. Pedro Olavo de Paula Lima (PPG Fisioterapia e Funcionalidade)
156. Pollyanne Bicalho (PPG Linguística)
157. Priscila de Souza Aquino (PPG em Enfermagem)
158. Raimunda Sâmia Nogueira Brilhante (PPG em Microbiologia Médica)
159. Raimundo Nogueira da Costa Filho (PPG Física)
160. Régia Christina Moura Barbosa Castro (PPG em Enfermagem)
161. Regina Celia Monteiro de Paula (PPG Química)
162. Ricardo Emilio Quevedo Nogueira (PPG Eng e Ciencia dos Materiais)
163. Ricardo Leite (PPG Linguística)
164. Rivelino Martins Cavalcante ( PPGCMT – PPG em Ciências Marinhas Tropicais- Labomar)
165. Rodrigo Silveira Vieira (PPG em Eng Química)
166. Romulo Rocha Regis (PPG Odontologia)
167. Rosemeire Monteiro-Plantin (PPG Linguística)
168. Rossana Andrade (PPG Ciência da Computação)
169. Rozimar Machado (PPG Educação)
170. Sandra Maia de Vasconcelos (PPG Linguística)
171. Sandra Maria dos Santos (PPAC – Feaac)
172. Selma Mazzetto (PPG Química)
173. Sílvia Helena Vieira Cruz (PPG em Educação)
174. Silvia Maria de freitas (PPG Modelagem e Métodos Quantitativos)
175. Suzete Suzana Rocha Pitombeira (PPAC – Feaac)
176. Sylvia Beatriz Bezerra Furtado (PPG Comunicação)
177. Sylvio Gadelha (PPG Educação)
178. Tereza Cristina Batista de Lima (PPAC – Feaac)
179. Ticiana Linhares Coelho da Silva (PPG Computação – Quixadá)
180. Valdecy de Oliveira Pontes (PPG Linguística)
181. Vicente de Paulo Aragão Saboia (PPG Odontologia)
182. Vladia Pinto Vidal (PPG Geografia)
183. Walney Gomes da Silva (PPPG em Eng e Ciencia dos Materiais)
184. William Magalhães Barcellos (PPG em Eng Mecânica)
185. Zulmira Bonfim (PPG Psicologia).

Deputado quer criminalizar posse de celulares em prisões

493 1

O deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ) vai dar entrada, na próxima semana, num projeto de lei que prevê a criminalização da posse de telefone celular em prisões de todo o País.

Deputado eleito pela chamada tropa de choque de Jair Bolsonaro, o parlamentar tem atuação na chamada “Bancada da bala” da Câmara.

Ele diz que só no Rio de Janeiro, a Secretaria de Administração Penitenciária apreendeu 3.000 aparelhos nos últimos 100 dias.

DETALHE – Durante operação da Secretaria de Administração Penitenciária do Ceará contra facções e seus líderes em presídios, a pasta conseguiu apreender mais de 2.000 celulares.

(Foto – Diário de Petrópolis)

Cantor Fagner lançará álbum inédito neste ano

O cantor Raimundo Fagner vai lançar, ainda neste ano, um álbum inédito.

Foi o que ele informou para este repórter do Blog, adiantando que sua meta é apresentar o novo trabalho antes do mês de outubro, mês em que completará 70 anos.

“Devo isso aos meus meus fãs e espero lançar antes do meu aniversário, que é pra todo mundo já curtir até lá”, disse. Ele adianta que o repertório está quase pronto e que, nesse projeto, conta com o apoio de compositores como Renato Teixeira, Moacir Luz, Zeca Baleiro e o Fausto Nilo que “entrou de plantão para nos ajudar”.

Enquanto o novo CD não vem, Fagner circula o Brasil não só com show, mas lançando seu livro biográfico “Quem me levará sou eu”, escrito pela jornalista Regina Echeverria, autora, entre outras, das biografias de Elis Regina e Cazuza.

Ele lança a publicação nesta quinta-feira, em brasília. Depois, deve ir a São Paulo com essa mesma missão.

Aliás, Fagner diz estar em êxtase no momento: o livro entre os mais vendidos e seu Fortaleza agora campeão cearense.

(Foto – Divulgação)

Atenção nas bagagens e nos direitos

Com o título “Atenção nas bagagens e nos direitos”, eis artigo de Thiago Fujita, presidente da Comissão de Defesa do Consumidor da OAB do Estado. Ele fala da luta da entidade contra a cobrança pelo despacho das bagagens acima de 10 quilos. Confira:

Desde a edição da Resolução nº 400 da Anac que trouxe em seu conteúdo a permissão para a cobrança pelo despacho das bagagens acima de 10 quilos, observa-se um cenário de prejuízo aos passageiros brasileiros.

Sob a alegativa de que tal medida geraria uma suposta diminuição dos preços das passagens, fato não verificado até hoje, a agência reguladora, na verdade, deu margem a mais uma retirada de direitos do consumidor.

Diante de tal abuso e ilegalidade da resolução mencionada, a OAB e o Ministério Público ingressaram com ações, ainda pendentes de julgamento, perante o Judiciário, com o objetivo de tornar nula essa cobrança, o que pode reverter o quadro atual. Além disso, ainda há a tramitação de um projeto de lei no Congresso Nacional que tem o mesmo objetivo.

Nos últimos dias, a Associação das Empresas Aéreas divulgou uma campanha para verificar a adequação das bagagens de mão ao peso e tamanho com uma medida de parâmetro definido pelas companhias. A fiscalização ocorrerá com a colocação dos pertences numa caixa padrão. Caso seja maior o volume, será obrigado o consumidor a despachá-lo com a cobrança de valor adicional.

O cuidado com essa medida deve ser enorme para evitar mais uma medida meramente arrecadatória do setor que já penalizou o passageiro, com o pagamento do despacho das bagagens de maior peso no check-in (sem falar na recente cobrança por marcação de assentos). A possibilidade de abusos nessa ação será observada de perto pela defesa do consumidor. Supostos constrangimentos cometidos por funcionários, possíveis danificações ao conteúdo dentro da bagagem e até perda de voo pela demora na fiscalização deverão ser evitadas pelas empresas aéreas, sob pena de responder por prejuízos causados, de natureza material ou moral.

O exercício e a atenção com os direitos dos consumidores do setor aéreo estão na pauta do dia. A luta nessa defesa é um ideal que afeta a sociedade como um todo, pois em sua expressiva maioria, depende do transporte aéreo. Se não houver a devida atenção, não se sabe qual o limite de diminuição de direitos do consumidor em que o Brasil pode chegar.

*Thiago Fujita,

Presidente da Comissão de Defesa do Consumidor da OAB do Ceará.

(Foto – Arquivo)

Desemprego sobe por causa do “movimento da sazonalidade”, diz ministro

O aumento do desemprego formal em março é, segundo técnicos do governo, uma postergação das demissões que costumam ocorrer no mês de fevereiro. De acordo com o secretário de Trabalho da Secretaria Especial da Previdência e Trabalho, do Ministério da Economia, Bruno Dalcolmo, trata-se de um “movimento natural da sazonalidade”, em função das contratações de fim de ano.

“Ao que parece, os empresários seguraram mais os trabalhadores, até pelo carnaval, que foi no mês de março”, disse.

Números do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados hoje (24) apontam que o mercado formal de trabalho apresentou um saldo negativo de 43.196 empregos com carteira assinada em março de 2019. O saldo é resultante de um total de 1.216.177 admissões e de 1.304.373 demissões no período.

O resultado negativo não frustrou as expectativas do secretário. “Não frustra porque é um movimento natural da sazonalidade. Mês passado tivemos um volume de contratações muito acima das expectativas, inclusive do mercado. Com isso, na média entre os dois meses, o crescimento do número de postos gerados está em linha com o que se esperava”, disse Dalcolmo durante a coletiva na qual foram apresentados os números.

Em fevereiro, o saldo do número de vagas formais havia ficado positivo, com 173.139 admissões (1.453.284 admissões e 1.280.145 demissões). Com isso, no acumulado do bimestre (fevereiro/março), o saldo está em 129.943.

A expectativa do secretário é que, com o crescimento da economia, “que ainda não é forte mas tende a se acelerar ao longo do ano” – e com a aprovação reforma da Previdência, a situação melhore nos próximos meses.

Segundo o secretário, abril costuma ser um mês “bastante positivo” devido às contratações para o Dia das Mães.

Perguntado sobre o peso que a reforma trabalhista já em vigor teve para o cenário atual, Dalcomo disse que “o emprego não se cria de maneira espontânea” e que é preciso que a economia esteja ajustada e volte a crescer para que o mercado de trabalho consiga reagir.

“A modernização trabalhista tem apresentado números muito positivos em termos de segurança jurídica, de redução do volume de ações judiciais da indústria. Houve uma queda de 35% da utilização de maneira muito pouco correta da Justiça do Trabalho”, argumentou.

Dalcomo teceu elogios às regras da nova legislação trabalhista que possibilitam contratações para trabalhos intermitentes. Segundo ele, no comparativo entre os meses de março de 2019 e março de 2018 houve aumento de 50% na utilização dos contratos intermitentes.

(Agência Brasil)

Rosa da Fonseca comemora 70 anos

Rosa da Fonseca, militante estudantil, ex-vereadora de Fortaleza e fundadora do grupo Crítica Radical, ao lado de Jorge Paiva, da ex-prefeita de Fortaleza Maria Luiza Fontenele, e de Célia Zanetti (1949-2018), comemora seu 70º aniversário nesta quarta-feira. A data marca o relançamento do perfil biográfico da personagem, publicado pela Editora Dummar, na sede da Associação Atlética Banco do Brasil (AABB), às 18h30min.

Parafraseando Fernando Pessoa, Rosa diz que “tudo valeu a pena porque a alma não foi pequena”. Interpreta que todos os seus passos foram e são dados na busca “incansável” de uma alternativa ao capitalismo, que diz ser patriarcal e destrutivo. Para ela, o aniversário é apenas pano de fundo para reunir pessoas com energia emancipatória, o que acontece graças a apoiadores que, mesmo sem entender a fundo a proposta do Critica Radical, diz, viabilizam os projetos do grupo.

Autor do perfil, o editor-executivo do O POVO Online e colunista, Érico Firmo, ressalta que o percurso traçado pela mulher se mistura à história política e da esquerda no Ceará e no Brasil na segunda metade do século XX.

“A história política da Rosa começa na época do AI-5. Ela é presa no governo Médici e, em liberdade, participa da luta pela anistia, da reorganização dos partidos e sindicatos. Teve protagonismo na primeira administração do PT (Partido dos Trabalhadores) numa capital e organizou o primeiro ato que pediu ‘fora Collor'”, remonta o jornalista.

O caminho de Rosa também é marcado por conflitos e rupturas, avalia Firmo. Ela iniciou a trajetória associada a grupos ligados a Igreja Católica, mas hoje não é espiritualista; acreditava numa concepção revolucionária socialista, mas rompeu com as bases do marxismo clássico. Além disso, acrescenta o autor, pensou em tornar a Prefeitura de Fortaleza um meio para “mudar o mundo” e acabou por se convencer que as estruturas governamentais não comportariam esta pretensão.

A militante política, aliás, teve saídas turbulentas de PCdoB, PT, PSTU. Tentou ainda fundar o próprio partido, até desistir de vez da política partidária institucional. “Não falaria propriamente de contradições, pois há um fundamento que percorre toda a trajetória dela. Mas, há mudanças profundas e guinadas de compreensão desse período”, raciocina o autor.

Editora-executiva da Editora Dummar, Regina Ribeiro comenta que, antes de tudo, o livro é um trabalho jornalístico primoroso, porque traz à luz episódios da vida de Rosa até então turvos. A escolha pela personagem, diz Regina, nasceu da ausência que sentiu de ver mulheres protagonizando as publicações da coleção Terra Bárbara – da qual o livro faz parte.

Regina revela ainda ter acertado com Firmo que ele escreveria por volta de 30 laudas, o que não aconteceu. “O Érico (Firmo) entregou, na verdade, uma história da política recente de Fortaleza”, pontua. O livro tem 139 páginas.

(O POVO – Repórter Carlos Holanda/Foto – O POVO))

Medicamento para tratar AME estará disponível pelo SUS em 180 dias

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, assinou hoje (24) portaria de incorporação do fármaco Nusinersen (Spinraza) na Relação Nacional de Medicamentos Essenciais (Rename). A previsão da pasta é que o tratamento, destinado a pacientes com atrofia muscular espinhal (AME) tipo 1, esteja disponível em centros especializados do Sistema Único de Saúde (SUS) em até 180 dias.

A assinatura da portaria foi feita durante audiência pública da Comissão de Assuntos Sociais (CAS) do Senado Federal. No evento, a primeira-dama Michelle Bolsonaro avaliou que a incorporação representa mais um passo em direção à melhoria de vida de pessoas com doenças raras. Segundo ela, trata-se de um problema social que requer um olhar atento do governo.

“Contem sempre com o meu apoio. Juntos somos mais fortes”, disse, ao destacar que o medicamento é capaz de trazer o mínimo de conforto e bem estar para pacientes e seus familiares.

Tratamento

O tratamento com Spinraza, único insumo no mundo recomendado para pacientes com AME, consiste na administração de seis frascos com 5ml no primeiro ano. A partir do segundo ano, passam a ser três frascos. De acordo com o ministério, estudos apontam a eficácia do medicamento na interrupção da evolução da doença para quadros mais graves e que são prevalentes na maioria dos pacientes.

Ampliação

A pasta informou que estuda a incorporação do Spinraza na modalidade de compartilhamento de risco, o que incluiria também pacientes com AME tipo 2 (início dos sintomas entre 7 e 18 meses de vida) e tipo 3 (início dos sintomas antes dos 3 anos de vida e 12 anos incompletos). Nesse formato, o governo só paga pelo medicamento se houver melhora do paciente.

A proposta é que os pacientes sejam acompanhados, via registro prospectivo, para medir resultados e desempenhos, como uma evolução da função motora e um menor tempo de uso de ventilação mecânica. Atualmente, segundo Mandetta, há negociações de acesso e reembolso do Spinraza em 42 países, incluindo França, Itália e Reino Unido.

Demandas judiciais

Dados do ministério mostram que, em 2018, 90 pacientes foram atendidos com o Spinraza, a partir de demandas judiciais que solicitavam a oferta do medicamento, ao custo de R$ 115,9 milhões. Cada paciente representou, em média, custo de R$ 1,3 milhão. Atualmente, 106 pacientes são atendidos pela pasta.

Mandetta lembrou que o fármaco chegou a custar até R$ 420 mil a ampola, mas que, com a incorporação, que garante uma compra centralizada pelo governo federal, o custo pode cair para algo em torno de R$ 140 mil.

Doença

A AME é uma doença genética que interfere na capacidade do corpo de produzir uma proteína considerada essencial para a sobrevivência dos neurônios motores. Sem ela, os neurônios morrem e os pacientes vão perdendo controle e força musculares, ficando incapacitados de se moverem, engolirem ou mesmo respirarem. O quadro é degenerativo e não há cura.

(Agência Brasil)

Projeto quer Código de Defesa do Consumidor com exemplares em braille

O deputado federal Capitão Wagner (PROS) deu entrada, na Câmara, no projeto de lei nº 2309/19 que quer exemplares do Código Brasileiro de Defesa do Consumidor (CDC) em braille nos estabelecimentos comerciais do País. O objetivo é facilitar aos consumidores deficientes a consulta por direitos durante a compra ou contratação de serviços, informa o parlamentar.

Capitão Wagner afirma que não são poucos os fornecedores que se aproveitam da posição de vulnerabilidade do consumidor deficiente para se beneficiar de alguma forma na relação de consumo.

De acordo com o Ministério da Saúde, cerca de 6,2% da população brasileira tem algum tipo de deficiência visual, física e/ou intelectual. Dentre os tipos de deficiência pesquisados, a visual é a mais representativa e atinge 3,6% dos brasileiros.

“Os consumidores deficientes sequer imaginam que podem não ter seus direitos respeitados ao fazerem suas compras ou contratarem serviços. O exemplar em braille do Código de Defesa do Consumidor permitirá a consulta em caso de dúvidas e terá um efeito educador para ambos os lados”, reforça Wagner.

(Foto – Agência Câmara)

Que País você quer pro futuro?

Com o título “Que País você quer pro futuro”, eis artigo de Francisco Wildys Oliveira, mestre em Economia. Ele expõe um cenário perverso social e economicamente do Brasil. Confira:

Vivenciamos tempos dantescos. As igrejas e templos, hoje, têm grades ou alambrados. Fecham-se livrarias (29% a menos em 10 anos) e abrem-se farmácias (ocupando até três esquinas de um cruzamento). Promove-se o consumo do cigarro pela redução da tributação (Portaria 263/2019 do Ministério da Justiça). Facilita-se a posse de armas de fogo (Decreto Federal nº 9.685/2019). Comemora-se, por ordem do Chefe Maior das Forças Armadas, a ditadura iniciada em 31.03.1964. Ainda que a História diga o contrário, nazismo e fascismo, para o governo federal, foram fenômenos de esquerda.

A cada ano, 63 mil pessoas são vítimas de mortes violentas. Possuímos uma população carcerária de 725 mil, a 3ª do mundo (Pastoral Carcerária). Quinze milhões e meio de pessoas vivem na extrema pobreza (síntese dos indicadores sociais do IBGE). Os desempregados brasileiros já são 13,1 milhões, o que fez a taxa de desemprego subir para 12,4% da População Economicamente Ativa (PEA) em dezembro de 2018 (IBGE). A cada 2 segundos uma mulher é vítima de violência (Instituto Maria da Penha). 25 mil crianças e adolescentes são vítimas de violência física, sexual e psicológica (Instituto de Segurança Pública). A nação tem 11,8 milhões de analfabetos (IBGE) – 7,2% da população de 15 anos ou mais.

Somos o campeão mundial de uso de pesticidas na agricultura: a cada ano, utiliza-se 1 bilhão de litros deles para produzir comida, e os incentiva por meio da desoneração de R$ 2 bilhões de tributação. Um terço dos domicílios não tem esgotamento sanitário (IBGE). Quase 30% da renda do Brasil está nas mãos de apenas 1% dos habitantes, a maior concentração do tipo no mundo (Pesquisa Desigualdade Mundial 2018, coordenada pelo economista francês Thomas Piketty).

Aqui, a tributação concentra renda. O Instituto de Estudos Socioeconômicos (Inesc) aponta que a parcela assalariada do País é responsável, hoje, por 71,38% do total dos tributos arrecadadas. O Inesc também aponta que os impostos consomem 32% da renda dos 10% mais pobres, enquanto eles incidem sobre 21% dos rendimentos dos 10% mais ricos e sobre apenas 6,7% da renda dos chamados super-ricos, que representam 0,05% da população. Que país?

*Francisco Wildys Oliveira

Mestre em Economia.

Nelson Bessa, o abre portas pró-Ceará no Ministério da Economia

O cearense Nelson Bessa, ex-assessor de Assuntos Internacionais do Governo Lúcio Alcântara, responde pela Área Internacional no Ministério da Economia.

Aqui, ele esteve nos últimos dias acertando a ida de missões internacionais com o empresariado.

Nelson, inclusive, se disse impressionado com a direção do Centro Industrial do Ceará (CIC), que vem fechando um programa de desburocratização e também investindo em prospecções no Exterior como a recente ida a Macau, na China.

(Foto – Arquivo)

 

Brasileiro espera inflação em alta nos próximos 12 meses

A expectativa mediana dos consumidores brasileiros para a inflação nos próximos 12 meses é de 5,3%, segundo pesquisa da Fundação Getulio Vargas (FGV), realizada em abril e divulgada hoje, no Rio de Janeiro.

A taxa é 0,2 ponto percentual maior que a expectativa apurada na pesquisa de março (5,1%).

De acordo com a FGV, nos últimos dois meses, a expectativa de inflação acumula alta de 0,4 ponto percentual. A taxa de abril é também maior que a prevista pelos consumidores em abril de 2018 (5%).

Segundo a pesquisadora da FGV Viviane Seda Bittencourt, apesar da desaceleração dos preços de alimentos em abril, há uma pressão dos preços de energia elétrica e medicamentos influenciando a percepção atual e as perspectivas futuras do consumidor sobre a inflação.

(Agência Brasil)