Blog do Eliomar

Categorias para Brasil

Dólar volta a superar a barreira dos R$ 4,10

A cotação da moeda norte-americana voltou a superar a barreira dos R$ 4,10 no meio da manhã de hoje (28), com alta de 0,61%. O dólar estava cotado a R$ 4,105 para venda às 10h30min, depois de abrir o pregão em leve baixa de 0,13%, valendo R$ 4,0760 para venda às 9h.

O Ibovespa, índice da B3, da bolsa de valores de São Paulo, começou o dia em pequena queda, invertendo os últimos dois fechamentos em alta. O Ibovespa registrava queda de 0,28%, com 77.714 pontos às 10h45.

(Agência Brasil)

Uece abre seleção para mudança e transferência de curso

A Universidade Estadual do Ceará inscreve, até 10 de setembro, para processo seletivo de mudança de curso, transferência facultativa interna, transferência facultativa externa e ingresso como graduado. A informação é da assessoria de imprensa da Instituição.

Os interessados deverão preencher a ficha-requerimento disponível no site www.uece.br/cev e entregá-la na sede da Comissão Executiva do Vestibular (CEV) ou nas unidades de ensino da Uece no Interior do Estado, junto à documentação solicitada em edital, até 11 de setembro. O candidato deverá ainda gerar e pagar o boleto da taxa de inscrição.

SERVIÇO

*Visite a página da seleção para ler o Manual e acompanhar o processo: http://www.uece.br/cev/index.php/2018-08-03-23-23-52

*Mais informações – (85) 3101-9710 ou 3101-9711.

(Foto – Divulgação)

Pesquisa aponta que mais da metade dos adolescentes passam muito tempo no celular

O crescimento do uso de tecnologias digitais gera preocupações dos próprios usuários com os excessos do tempo gasto com esses dispositivos. Pesquisa realizada nos Estados Unidos apontou que mais da metade dos adolescentes entrevistados (54%) consideram passar muito tempo com o celular. O levantamento foi uma iniciativa do centro de pesquisas Pew Research Center. Foram entrevistados 743 meninos e meninas de 13 a 17 anos e 1.058 pais de diversas regiões do país.

Quase metade dos jovens ouvidos (44%) disse checar o telefone assim que acorda para verificar o recebimento de novas mensagens. Segundo os dados, 28% relataram que agem assim de vez em quando. O tempo navegando em redes sociais foi objeto de preocupação de 41% dos adolescentes consultados. No caso de videogames, o percentual caiu para 26%. Do total, 58% comentaram sentir que devem responder a uma mensagem enviada, sendo 18% frequentemente e 40% em alguns momentos.

“Meninos e meninas tiveram percepções diferentes da quantidade de tempo que passaram usando várias tecnologias. Meninas são de alguma forma mais prováveis do que meninos de dizer que passam muito tempo em redes sociais (47% a 35%). Em contraste, garotos são quatro vezes mais prováveis de passar muito tempo jogando videogames (41% a 11%)”, analisaram os autores.

Mais da metade (56%) dos entrevistados relacionaram a falta de um telefone móvel a sentimentos negativos, como solidão, ansiedade ou raiva. Os índices são maiores no caso de meninas.

Embora a avaliação sobre os hábitos varie por dispositivo, parte importante dos entrevistados informou adotar medidas para reduzir a presença dessas tecnologias em suas vidas. Iniciativas de redução da intensidade do uso foram relatadas por 58% no caso de videogames, 57% para as mídias sociais e 52% para celulares.

Pais

Os autores da pesquisa também ouviram pais e mães para saber sobre seus hábitos e como veem o comportamento dos filhos em relação a tecnologias digitais. O índice de avaliação dos entrevistados sobre seus próprios hábitos foi menor tanto no uso excessivo de celulares (36%) quanto de redes sociais (23%). O percentual também foi menor quando perguntados se acessam o celular assim que acordam (20%). “Os pais estão de alguma forma menos preocupados com seu próprio uso da tecnologia do que os filhos estão em relação ao deles”, apontam os autores.

Já ao falar sobre seus filhos, 65% manifestaram preocupação com o tempo gasto pelos adolescentes com dispositivos digitais. Dos homens e mulheres ouvidos, 72% relataram que estes se distraem em uma conversa presencial por estarem de olho no celular, sendo 30% o tempo inteiro e 42% de vez em quando. Em razão dessa preocupação, mais da metade (57%) limitam o tempo que seus filhos podem passar utilizando esses dispositivos.

(Agência Brasil)

Confiança da Indústria recua e registra menor índice desde janeiro

O Índice de Confiança da Indústria (ICI) recuou 0,4 ponto de julho para agosto deste ano, fechando em o mês em 99,7 pontos – o menor desde os 99,4 pontos relativos a janeiro deste ano. Pela métrica de médias móveis trimestrais, o indicador registrou a terceira queda consecutiva e recuou 0,4 ponto, para 100 pontos.

Os dados do ICI de agosto foram divulgados hoje (28) pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (Ibre FGV) e indicam que em agosto o Índice da Situação Atual (ISA) caiu 1,1 ponto, para 97,9 pontos. A queda reflete retração em 12 dos 19 segmentos do indicador da Situação Atual.

Mantendo-se acima do nível neutro (de 100 pontos), o Índice de Expectativas (IE) subiu 0,3 ponto, para 101,4 pontos. Ainda assim, a melhora das expectativas atingiu apenas 9 dos 19 segmentos – menos da metade.

Para a coordenadora da Sondagem da Indústria da FGV, Tabi Thuler Santos, “a fragilidade da recuperação industrial, retratada pela sondagem ao longo do ano, culmina em agosto com o ICI registrando nível inferior aos 100 pontos (baixa confiança) pela primeira vez desde janeiro”.

De acordo com Tabi, “a escassez de boas notícias e bons resultados, e o elevado nível de incerteza mantido por questões internas e externas, tornam a recuperação da confiança mais distante no horizonte temporal”.

Nível dos estoques

Os números de agosto do Índice de Confiança da Indústria indicam que o nível dos estoques foi o único componente a piorar dentre as percepções sobre a situação atual e, portanto, foi determinante para a queda do ISA em agosto.

O percentual de empresas com estoques excessivos subiu de 7,6% para 9,3%, de julho para agosto, enquanto a parcela de empresas com estoques insuficientes, que também subiu, o fez em menor proporção, ao passar de 4,3% para 4,8% do total.

Já a melhora constatada no Indicador de Expectativa, em agosto, se deu em razão da evolução das expectativas com a melhora do nível do pessoal ocupado nos três meses seguintes.

Após forte queda no mês anterior, o indicador subiu 2,1 pontos, para 97,7 pontos. Houve diminuição da proporção de empresas prevendo aumento do quadro de pessoal, de 17,4% para 17,1%. A parcela daquelas que esperam redução caiu em maior proporção, de 15,0% para 12,6% do total.

Apesar do aumento no número de empresas com estoques excessivos, o Nível de Utilização da Capacidade Instalada (NUCI) avançou 0,3 ponto percentual em agosto, para 76,0%. Esse resultado é, no entanto, segundo a FGV, “insuficiente para compensar as quedas registradas nos dois meses anteriores”. A edição de agosto de 2018 coletou informações de 1.084 empresas entre os dias 01 e 24 deste mês.

(Agência Brasil)

STF analisa na primeira quinzena de setembro recurso de Lula por liberdade

209 1

O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), liberou nessa segunda-feira, 27, para a pauta do plenário virtual, no colegiado com os 11 ministros, o recurso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) contra decisão que negou seu pedido de liberdade preventiva em abril.

O caso será julgado entre os dias 7 a 13 de setembro, informa a Veja Online.

Na madrugada do dia 5 de abril, por seis votos a cinco, os ministros rejeitaram um pedido preventivo do petista, que foi preso naquela mesma semana, em 7 de abril.

Lula cumpre pena por corrupção passiva e lavagem de dinheiro desde então, na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba (PR).

(Foto – Lula Marques, da Agência PT)

Candidatos do MDB pedem dinheiro a Meirelles, que já paga sua própria campanha

A cúpula do MDB foi avisada de que candidatos a governador e senador foram pedir doações a Henrique Meirelles, o presidenciável da sigla. É o que informa a Coluna Painel, da Folha de S.Paulo desta terça-feira.

O partido lançou o ex-ministro da Fazenda após promessa de que ele pagaria do próprio bolso toda a campanha pelo Planalto, sem tocar no fundo eleitoral da legenda destinado prioritariamente aos que disputam uma vaga no Congresso. O problema é que, agora, quem reclama da distribuição dos recursos bate na porta de Meirelles para reforçar o caixa.

Procurada, a assessoria de Meirelles negou o relato. “Deve ser desejo. Ninguém falou com ele.” Apesar disso, duas pessoas próximas ao candidato e ao partido confirmaram a informação.

(Foto – Agência Brasil)

 

Ensino Superior – Falta crédito

Com o título “Ensino Superior: Falta crédito”, eis o editorial do O POVO desta terça-feira:

O Sindicato das Mantenedoras de Ensino Superior (Semesp) acaba de publicar dados extremamente preocupantes: uma queda de 80 mil matrículas nas instituições privadas do ensino superior, só no primeiro trimestre deste ano, em todo o Brasil (uma diminuição de 5% em relação ao mesmo período de 2017). No Ceará, a redução foi ainda mais alarmante: do segundo semestre de 2015 até o primeiro semestre de 2018, as matrículas reduziram em 15,48%, de acordo com o Sindicato dos Estabelecimentos Particulares de Ensino do Ceará (Sinepe-CE). A crise econômica, a contenção dos gastos públicos pela emenda constitucional 95 e a redução de investimentos no Programa de Financiamento Estudantil (Fies) do Governo Federal estão na raiz do problema. Sem crédito para financiar um curso no ensino superior, e com o aumento do desemprego, o sonho de ingressar numa universidade foi abortado para milhares de brasileiros.

Os números apresentados pelo Semesp no Seminário de Ações Digitais na Educação Brasileira, promovido pelo Semesp, acentuam o quanto o Ceará foi atingido pela crise nesse setor. Os ingressantes em cursos presenciais nas instituições de ensino superior no Estado, por exemplo, passaram de 58 mil em 2015 para 53 mil em 2016. Na Região Metropolitana de Fortaleza a redução foi de 8%. No cenário brasileiro houve recuo de 4,9% no período.

Quando se pegam os contratos firmados com o Fies pelos alunos cearenses esse quadro fica dramático: enquanto em 2014 foram assinados 32.548 documentos de financiamento, em 2017 o número foi reduzido a 11.630, pouco mais de um terço do total anterior. Em percentuais, a baixa é de 64,26% nos contratos. Os anos de 2018 e 2019 não apontam perspectiva de aumento neste número. Não é à toa que exista uma taxa de 25% de evasão nas instituições privadas de ensino superior no Ceará.

Na falta do Fies, alunos tentam estabelecimentos com financiamento próprio, mas aí a exigência de um fiador que possua salário três vezes maior que o valor da mensalidade é uma barreira quase intransponível. Por isso, os registros do ano passado atestam que, no Brasil inteiro chegou-se ao menor número de vagas ofertadas através do Fies em seis anos. Foram 225.000 contratos nos dois semestres. Para este ano o Governo ofertou apenas 155 mil vagas, número quase cinco vezes menor que as 730 mil ofertadas em 2014.

E, mesmo assim, só 50 mil são com zero de juros (que antes predominava para todas as vagas). Neste ano, as 105 mil vagas restantes têm sobre si juros de até 3,4%.

Com esse quadro, não há dúvida que o desenvolvimento do País continuará mancando. É um horizonte sombrio que tem de ser afastado.

General Mourão, candidato a vice de Bolsonaro, cumpre agenda em Fortaleza

A Associação Nacional dos Conservadores traz a Fortaleza, nesta terça-feira, 28, o general Hamilton Mourão, candidato a vice de Jair Bolsonaro (PSL).

Ele vem dar palestra no painel “Brasil em Foco” sobre o tema “Desafios de uma Nação”. A partir das 19 horas, no Hotel Praia Centro.

O candidato a governador pelo PSL, advogado Hélio Gois, será o cicerone do general.

DETALHE – É aquele que qualificou índios de indolentes e africanos de malandros. Mas, depois disse ter sido mal interpretado.

(Foto – Arquivo)

Juazeiro do Norte e Sobral terão sinal analógico de TV desligado nesta terça-feira

O desligamento do sinal analógico de TV aberta nas cidades de Juazeiro do Norte (Região do Cariri) e Sobral (Zona Norte) começa nesta terça-feira (28) e vai até 31 de outubro. A decisão foi tomada pelo Gired, grupo responsável pela implantação da TV digital, durante reunião nesta segunda-feira (27), em São Paulo. Além das duas cidades, o desligamento também vai ocorrer em outros sete municípios do entorno: Barbalha, Caririaçu, Crato, Missão Velha, Forquilha, Massapê e Santana do Acaraú. Os dois agrupamentos reúnem mais de 800 mil habitantes.

Uma pesquisa realizada em agosto mostrou que o percentual de residências prontas para receber o sinal digital de TV em Juazeiro é de 87% e em Sobral, 84%. uma portaria do MCTIC determina que 90%, no mínimo, dos domicílios devem estar digitalizados até a data prevista para o desligamento. Por essa razão, as transmissões analógicas nas duas regiões serão encerradas de forma escalonada.

Inicialmente, o desligamento do sinal analógico em Juazeiro e Sobral estava previsto para setembro de 2017, mas foi adiado porque as duas cidades também não haviam alcançado o número mínimo de residências prontas para receber o sinal digital.

Kits de conversores

Até agora, no agrupamento de Juazeiro do Norte, já foram entregues mais de 93 mil kits de conversores digitais gratuitamente – 75% do total previsto –, para as famílias cadastradas em programas sociais do governo federal. No grupo de Sobral, mais de 47 mil beneficiários (74%) já receberam os equipamentos. A distribuição dos kits continua sendo feita.

SERVIÇO

*Agrupamento: Juazeiro do Norte (CE)
Municípios: Barbalha, Caririaçu, Crato, Juazeiro do Norte e Missão Velha.

*Agrupamento: Sobral (CE)
Municípios: Forquilha, Massapê, Santana do Acaraú e Sobral.

Documentos de veículos vão ganhar versão eletrônica

489 3

 

A exemplo do que já ocorre com o título de eleitor e com a carteira nacional de habilitação (CNH), o registro e o licenciamento de veículos automotores terão também uma versão digital. O documento poderá ser baixado a partir de hoje (27), por meio do aplicativo Carteira Digital de Trânsito (CNH Digital), já disponível tanto para o sistema Android como para o IOS.

A primeira unidade federativa a fazer uso deste documento é o Distrito Federal. “Não há ainda um prazo definido para que os demais estados aderirem porque a adesão é voluntária e depende dos órgãos de trânsito”, disse o ministro das Cidades, Alexandre Baldy, durante a cerimônia de lançamento do aplicativo para a capital federal.

O aplicativo reunirá, na mesma plataforma, CNH, seguro obrigatório e Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLV). Segundo o ministro, a ideia do aplicativo é facilitar a vida do cidadão e diminuir as filas dos departamentos de trânsito.

“Mais de 97 milhões de brasileiros possuem CRLV; mais de 60 milhões possuem carteira de habilitação; e mais de 23 milhões de pessoas possuem a habilitação com o QR Code [espécie de código de barras que pode ser verificada pelos agentes de trânsito durante as abordagens]. Esse aplicativo tornará a ida ao Detran desnecessária [para boa parte dessas pessoas]”, explicou Baldy.

O diretor do Denatran, Maurício Alves, a diretora-presidente do Serpro, Glória Guimarães, e o ministro das Cidades, Alexandre Baldy, durante cerimônia para lançamento da versão digital do Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLVe

Prazos

Apesar de não haver, até o momento, um prazo definido para que os departamentos de trânsito das demais unidades federativas passem a adotar a versão eletrônica do documento, a expectativa do diretor do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), Maurício Alves, é de que até o final do ano todos estados já estejam operando com o aplicativo.

No DF, há 1,75 milhão de pessoas habilitadas para dirigir. Segundo o diretor-geral do Detran-DF, Silvain Barbosa, esse grande número de motoristas habilitados faz com que as áreas de atendimento ao público tenham de atender diariamente entre 5 e 10 mil pessoas. “Com esse aplicativo, nós retiraremos as pessoas de dentro do órgão”, disse Barbosa.

Download

Para ter o documento em seu celular, é necessário que o proprietário do veículo esteja em dia com o licenciamento. Quem já tem a CNH Digital não precisa fazer o download da Carteira Digital de Trânsito, basta apenas atualizar o aplicativo da CNH Digital. Em seguida, basta adicionar o CRLV Digital e informar o número do Renavam e o código de segurança impresso no Certificado de Registro de Veículo (CRV), que é o antigo DUT.

A fim de esclarecer eventuais dúvidas sobre o uso desse aplicativo, o Denatran disponibilizou um tutorial em seu site.

(Agência Brasil)

Gastos dos brasileiros no Exterior caem 7,9% em julho

Com a alta do dólar, o recuo nos gastos de brasileiros em viagem ao exterior foi maior em julho. De acordo com dados divulgados hoje (27), em Brasília, pelo Banco Central (BC), essas despesas chegaram a US$ 1,731 bilhão no mês passado, com redução de 7,9%, em relação a julho de 2017 (US$ 1,879 bilhão). Em junho, as despesas também registraram recuo, comparadas com igual período de 2017. A queda foi de 1,5%.

“O orçamento [das viagens] tende a ser feito em moeda nacional. Naturalmente, o comportamento do câmbio vai afetar o gasto no exterior”, disse o chefe adjunto do Departamento de Estatísticas do BC, Fernando Lemos. Nos sete meses do ano, entretanto, as despesas em 2018 (US$ 11,304 bilhões) ainda são maiores do que as de 2017 (US$ 10,684 bilhões).

Gastos de estrangeiros

As receitas de estrangeiros no Brasil chegaram a US$ 417 milhões em julho, e a US$ 3,657 bilhões, nos sete meses do ano. Com o resultado das despesas de brasileiras e as receitas de estrangeiros, a conta de viagens internacionais ficou negativa em US$ 1,314 bilhão no mês passado, e em US$ 7,647 bilhões nos sete meses do ano.

De acordo com dados preliminares do BC para agosto deste ano, as despesas de brasileiros no exterior estão em US$ 1,1 bilhão, e as receitas de estrangeiros em US$ 359 milhões, até o dia 23. Com isso, o déficit na conta de viagens está em US$ 713 milhões em agosto, até a última quinta-feira.

(Agência Brasil)

PGR denuncia Roberto Jefferson e Cristiane Brasil ao Supremo

A procuradora-geral da República (PGR), Raquel Dodge, denunciou hoje (27) ao Supremo Tribunal Federal (STF) 26 investigados por suspeita de fraudes no Ministério do Trabalho envolvendo a concessão de falsos registros sindicais. Entre os denunciados pelo crime de organização criminosa estão o ex-ministro do Trabalho Helton Yomura, o ex-deputado Roberto Jefferson e a filha dele, deputada Cristiane Brasil (PTB-RJ).

Os fatos foram investigados na Operação Registro Espúrio, da Polícia Federal, deflagrada há um ano, a partir de denúncia sobre concessão de falsos registros sindicais. Ao pedir que os acusados se tornem réus, Raquel Dodge afirmou que eles participaram do esquema de corrupção que consistia na cobrança de vantagens indevidas em troca da concessão do registro de entidades sindicais.

“Os elementos probatórios reunidos no inquérito indicaram que representantes das entidades sindicais ingressam no esquema criminoso em razão da burocracia existente na Secretaria de Relações do Trabalho, que dificulta – e muitas vezes impede – a obtenção de registro àqueles que se recusam a ofertar a contrapartida ilícita que lhes era exigidas”, argumentou Raquel Dodge.

Na denúncia, a procuradora também pediu ao STF que os acusados percam os cargos públicos e sejam condenados ao pagamento de R$ 8 milhões em danos morais e materiais pelos delitos. Os deputados Nelson Marquezelli (PTB-SP), Jovair Arantes (PTB-PB), Paulinho da Força (SD-SP) e Wilson Filho (PTB-PB) também foram denunciados.

A denúncia será analisada pelo ministro Edson Fachin, relator da investigação, e será julgada pela Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal. A data do julgamento ainda não foi marcada.

Defesa de Cristiane

Em nota, a defesa de Cristiane Brasil afirmou que as acusações à deputada foram feitas sem provas e com objetivo de “criar um fato contra políticos”.

“A Polícia Federal e o Ministério Público insistem em tratar pedidos políticos comuns a todos os parlamentares, de todos os partidos, em todos os ministérios como crime. Crime é acusar sem provas, como fazem a PF e o Ministério Público, com objetivos puramente político-partidários. A deputada provará sua inocência mais uma vez, como já o fez em outras ocasiões, com a consciência tranquila de que nada fez de errado.”, diz a defesa de Cristine.

A Agência Brasil busca contato com os demais denunciados.

(Agência Brasil)

Crise em Roraima – Romero Jucá entrega a liderança do Governo no Senado

O senador Romero Jucá (MDB-RR) anunciou que está deixando a liderança do governo após desentendimentos com o Palácio do Planalto sobre as respostas que têm sido dadas à crise de Roraima, após a imigração de venezuelanos que chegam ao Brasil pelo estado. Por meio do Twitter, ele disse que já comunicou a decisão ao presidente Michel Temer.

“Acabo de comunicar ao presidente Michel Temer que deixo a Liderança do Governo por discordar da forma como o governo federal está tratando a questão dos venezuelanos em Roraima”, escreveu na rede social.

Na semana passada, Jucá esteve no Planalto onde participou de uma reunião sobre o assunto e sugeriu que o governo fechasse temporariamente a fronteira do estado. O objetivo, segundo ele, era evitar que Roraima entrasse em um “colapso”. Desde antes, o Planalto já emitia sinais de que não limitaria a entrada de estrangeiros no país por questões humanitárias e de acordos com outros países.

Senador e candidato à reeleição pelo estado, Romero Jucá ocupava a liderança do governo no Senado desde 2016. Até o momento, o Palácio do Planalto ainda não se manifestou sobre o assunto nem confirmou o teor da conversa entre Temer e o senador.

(Agência Brasil)

Índice de Confiança da Construção registra queda em agosto

O Índice de Confiança da Construção (ICST) caiu 1,6 ponto em agosto, atingindo 79,4 pontos. O resultado reverteu a alta de 1,7 de julho e atingiu o mesmo patamar de agosto de 2017. Os dados relativos ao indicador foram divulgados hoje (27), no Rio de Janeiro, pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre FGV). Eles indicam que, quando se leva em consideração as médias móveis trimestrais, o índice variou em agosto menos 1 ponto.

Para a economista Ana Maria Castelo, coordenadora de projetos da FGV, a queda reverte uma tendência de melhora do indicador, que chegou a ser vislumbrada pelas empresas do setor. “Em apenas três meses, o Índice de Expectativas retrocedeu ao patamar de agosto do ano passado. O resultado sugere uma piora mais definitiva no cenário de retomada vislumbrado anteriormente pelas empresas da construção”, disse.

Para ela, a se manter, essa reversão de tendência deixaria a atividade em nível historicamente muito baixo. “Embora a percepção em relação aos negócios no momento corrente tenha melhorado nos últimos 12 meses, uma reversão desse movimento [se concretizada] ainda deixaria a atividade em níveis historicamente muito baixos”, observou.

Expectativas

A queda do Índice de Confiança da Construção em agosto foi, segundo a FGV, “exclusivamente influenciada pela piora das expectativas referentes aos negócios no curto prazo”, com o Índice de Expectativas (IE-CST) recuando 3,5 pontos e atingindo 87,5 pontos – o menor nível desde julho do ano passado, quando fechou em 85,0 pontos.

A queda do Índice de Expectativa foi influenciada por dois quesitos: o indicador demanda prevista, que caiu 3,2 pontos, e o indicador tendência dos negócios, com retração de 3,7 pontos.

Os dados da FGV indicam ainda que o Índice de Situação Atual (ISA-CST) variou 0,3 ponto em agosto, para 71,7 pontos, registrando a terceira alta seguida.

“A alta foi influenciada pela ligeira melhora da percepção atual dos negócios, que subiu 0,6 ponto, uma vez que o quesito que mede a percepção atual sobre a carteira de contratos se manteve estável em agosto”, afirmou Ana Maria. O Nível de Utilização da Capacidade do setor (Nuci) caiu 0,5% ponto percentual indo para 65,0%.

Demanda Prevista

A avaliação da FGV é que a queda expressiva do indicador de demanda prevista em agosto “afetou a confiança empresarial”. Segundo a fundação, o movimento foi determinado pelas empresas de edificações, que vinham registrando percepção mais favorável em relação ao quesito.

Essa percepção se alterou: o indicador que avalia demanda prevista para os próximos três meses recuou 4,1 pontos para as empresas de edificações, resultado superior ao observado para o setor da construção (-3,2 pontos).

“É possível que a mudança esteja relacionada ao aumento das incertezas dos últimos meses, mas não permite ainda apontar uma reversão da melhora do mercado registrada desde o ano passado”, disse Ana Maria. A edição de agosto de 2018 coletou informações de 639 empresas entre os dias 1 e 22 deste mês.

(Agência Brasil)

Torcidas do Ceará e do Fortaleza são destaque no Brasileirão

Com o título “A força perene das torcidas cearenses”, eis artigo do jornalista Fernando Graziani, do O POVO. Ele destaca a paixão dos torcedores do Ceará e do Fortaleza que, neste campeonato brasileiro, destacam-se pela boa presença nos jogos. Confira:

Os torcedores de Ceará e Fortaleza têm marcado presença relevante nas partidas do Campeonato Brasileiro edição 2018. No ranking de público da Série A, o Alvinegro aparece na sétima colocação, atrás apenas de Flamengo, São Paulo, Corinthians, Palmeiras, Internacional e Grêmio, clubes de estados com poder econômico superior. Já o Tricolor lidera a Série B com bastante folga, ambos com médias superiores a 20 mil pagantes.

Com 10 jogos realizados como mandante na primeira divisão, o Ceará registrou 212.147 pagantes em suas partidas, realizadas no Presidente Vargas e no Castelão. É a sétima melhor média da primeira divisão, com 21.214 pagantes por partida. A renda bruta gerada até agora foi de R$ 4.098.048,00, com R$ 19,32 de ticket médio.

Já o Fortaleza mandou 11 partidas na Segundona (sem contar a partida de sábado passado, diante do Londrina), todas no Castelão, contabilizando média de 22.426 pagantes por encontro. Foram 246.687 pessoas que pagaram ingressos, gerando uma renda bruta de R$ 2.695.972,00, com valor de ticket médio de R$ 10,93.

Juntos, apenas levando em conta bilheteria, sem contar as verbas de sócios-torcedores que pagam antecipadamente e têm gerado receitas mensais que chegam a R$ 500 mil mensais para cada um dos clubes, Ceará e Fortaleza arrecadaram R$ 6.794.020,00 para um público pagante de 458.834 nos 21 jogos. É um faturamento digno de empresas de bom porte.

Na comparação com o ano passado, quando estavam em divisões diferentes, o Ceará, nos 19 jogos que fez na Série B, somou 390.551 pagantes e arrecadou R$ 6.761.557,00. Já o Fortaleza, em 12 partidas na Série C, reuniu 218.099 pagantes para rendas que somaram R$ 4.215.691,00.

E um dado que impressiona: levando em conta os 21 jogos realizados pelo Campeonato Brasileiro em 2018 e mais os 31 de 2017, o público total de pagantes é de mais de um milhão de pessoas. Para ser mais exato, 1.067.484. Imagine se fatores como violência e falta de transporte público ideal fossem minimizados. Teríamos, então, um aumento considerável de público nos estádios, com ainda mais receita, ambiente favorável e clubes mais fortes.

Fernando Graziani

fernandograziani@opovo.com.br

Jornalista do O POVO

Recomendadas para você

Caixa antecipa crédito do FGTS a 90 milhões de trabalhadores

Os trabalhadores já podem visualizar o valor da distribuição dos rendimentos do FGTS em sua conta vinculada. A Caixa Econômica antecipou esse crédito para o dia 26 de agosto. A finalização da ação estava prevista inicialmente para o próximo dia 31 de agosto. Com isso, todos os 90,72 milhões de trabalhadores beneficiados já tiveram creditados esses valores em mais de 258 milhões de contas vinculadas. A informação é da assessoria de imprensa da Instituição.

Conforme a Lei 13.446/2017, o percentual de distribuição de resultados do FGTS é de 50% do lucro líquido do exercício anterior. Como o lucro líquido do FGTS em 2017 foi de R$ 12,46 bilhões, foram distribuídos R$ 6,23 bilhões. A Lei estabelece que os valores creditados nas contas dos trabalhadores sejam proporcionais ao saldo da conta vinculada apurada no dia 31 de dezembro do ano anterior. O resultado distribuído não integra o saldo da base de cálculo do depósito da multa rescisória, medida que preserva também o empregador.

“Com a distribuição desses resultados, o FGTS atinge índices superiores à inflação e permite um melhor rendimento da conta vinculada, sem afetar a sua capacidade de investimento, que é fundamental para o desenvolvimento do Brasil, principalmente os financiamentos dos mutuários da casa própria”, comenta o vice-presidente de Fundos de Governo e Loterias da CAIXA, Valter Nunes. A distribuição de resultados do FGTS elevou a rentabilidade das contas do Fundo, nesse ano, que passou de 3,8% a.a. (3% a.a. + TR) para 5,59% a.a.

Tanto em 2016 como em 2017, a distribuição de resultados do FGTS levou o índice de atualização do Fundo a patamares superiores ao Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) e ao Índice Nacional de Preço ao Consumidor (INPC).

A iniciativa de melhoria da rentabilidade das contas do FGTS, por meio da distribuição de resultados, atende a uma reivindicação antiga dos trabalhadores brasileiros, sem comprometer a sustentabilidade do FGTS.

SERVIÇO

*Para facilitar o atendimento ao trabalhador que tem direito ao benefício, a CAIXA criou um serviço exclusivo no site www.resultadosfgts.caixa.gov.br. Outra opção de atendimento aos trabalhadores é o próprio site da caixa (www.caixa.gov.br), o APP FGTS ou ainda através de cadastro e recebimento dos valores por meio do SMS FGTS.

*Saques das contas do FGTS
Os trabalhadores poderão sacar os valores de crédito da distribuição de resultados de acordo com as regras estabelecidas pela Lei 8.036/90, como nos casos de demissão sem justa causa, aposentadoria, e término de contrato por prazo determinado, dentre outros.

Dívida pública cai 0,14% e chega a R$ 3,748 trilhões em julho

A Dívida Pública Federal (DPF) – que inclui o endividamento interno e externo do Brasil – teve redução de 0,14% e passou de R$ 3,754 trilhões em junho para R$ 3,748 trilhões em julho, segundo dados divulgados hoje (27) pela Secretaria do Tesouro Nacional, do Ministério da Fazenda.

A queda da dívida, de acordo com o Tesouro, ocorreu devido ao resgate líquido de títulos, no valor de R$ 32,51 bilhões, descontado parcialmente pela apropriação positiva de juros, no valor de R$ 27,50 bilhões. Segundo o coordenador-geral de Operações da Dívida Pública do Tesouro, Luis Felipe Vital, um resgate líquido no primeiro mês do trimestre é algo esperado. Em julho de 2017, por exemplo, a dívida teve um resgate líquido de R$ 33,9 bilhões.

A Dívida Pública Mobiliária Federal interna (DPMFi) – em circulação no mercado nacional, que é a parte da dívida pública que pode ser paga em reais – teve o estoque ampliado em 0,01%, ao passar de R$ 3,607,31 trilhões para R$ 3,607,56 trilhões, devido a apropriação positiva de juros, no valor de R$ 30,26 bilhões, compensada, em parte, pelo resgate líquido, no valor de R$ 29,76 bilhões.

A apropriação de juros representa o reconhecimento gradual das taxas que corrigem os juros da dívida pública. As taxas são incorporadas mês a mês ao estoque da dívida, conforme o indexador de cada papel. O estoque da Dívida Pública Federal externa (DPFe), captada do mercado internacional, teve redução de 3,75% sobre o estoque apurado em junho, encerrando o mês de julho em R$ 141,28 bilhões (US$ 37,63 bilhões), sendo R$ 128,19 bilhões (US$ 34,14 bilhões) referentes à dívida mobiliária e R$ 13,09 bilhões (US$ 3,49 bilhões), à dívida contratual.

A DPF continua abaixo das previsões do Tesouro. De acordo com o Plano Anual de Financiamento, divulgado no fim de janeiro, a tendência é que o estoque da DPF encerre o ano entre R$ 3,78 trilhões e R$ 3,98 trilhões. Por meio da dívida pública, o governo pega recursos emprestados dos investidores para honrar compromissos. Em troca, compromete-se a devolver o dinheiro com alguma correção, que pode ser definida com antecedência, no caso dos títulos prefixados, ou seguir a variação da taxa Selic, da inflação ou do câmbio.

Detentores da dívida

A variação do endividamento do Tesouro pode ocorrer por meio da oferta de títulos públicos em leilões pela internet (Tesouro Direto) ou pela emissão direta. Além disso, pode ocorrer assinatura de contratos de empréstimo para o Tesouro, tomado de uma instituição ou de um banco de fomento, destinado a financiar o desenvolvimento de uma determinada região. Já a redução do endividamento se dá, por exemplo, pelo resgate de títulos.

Em julho, os maiores detentores da dívida pública eram os Fundos de Investimento, com 26,30% da dívida. Os Fundos de Previdência ficaram em segundo lugar, com uma participação relativa de 24,58%. O grupo Previdência apresentou variação negativa em seu estoque, passando de R$ 900,59 bilhões para R$ 886,60 bilhões, entre junho e julho.

Em seguida, estão as instituições financeiras com 22,48%, grupo que também reduziu o estoque em R$ 3,67 bilhões, chegando a R$ 811,01 bilhões. Os investidores estrangeiros concentraram 12,57% da dívida; o governo, 4,38%; as seguradoras, 3,90%; e outros, 5,79%.

Leilões

De acordo com Vital, o mês de julho marca a volta dos leilões tradicionais. Durante o período de volatilidade (fortes oscilações) no mercado financeiro, nos meses de maio e junho, o Tesouro Nacional realizou leilões extraordinários de títulos públicos.

Do total das emissões de títulos da DPMFi em julho, foram emitidos R$ 56,86 bilhões nos leilões tradicionais, R$ 1,19 bilhão relativo às vendas de títulos do Tesouro Direto e R$ 763,17 milhões relativo a emissões diretas.

Na primeira semana de julho, entretanto, ainda houve uma última atuação extraordinária, com resultado líquido de R$ 2,9 bilhões. Nos leilões de compra e venda simultâneos, foram recomprados R$ 3,57 bilhões e vendidos R$ 640 milhões.

“Durante maio e junho retiramos uma quantidade considerável de risco do mercado, o risco pré-fixado”, disse Vital, explicando que, antes de atuar, o Tesouro considera a capacidade do mercado absorver os riscos das flutuações dos preços dos títulos, ou seja, dos investidores assumirem as perdas.

Segundo o coordenador-geral, sempre que necessário, o Tesouro vai voltar a atuar. “O Tesouro tem a preocupação com o funcionamento do mercado. Sempre que se verifica liquidez, formação de preços, excesso de risco, o Tesouro faz a atuação”, disse. “Em julho, o mercado está menos exposto a risco e o tesouro tá conseguindo nos leilões tradicional alcançar o previsto para o mês”.

(Agência Brasil)

José Eduardo Cardozo falará em Fortaleza sobre a crise no estado de direito

218 1

O ex-ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, dará palestra em Fortaleza na próxima sexta-feira, 31, às 9 horas, na sede da Defensoria Pública do Estado (Bairro Luciano Cavalcante).

Ele abordará o tema “A Crise do Estado de Direito”. Ou seja, vai bater duro na prisão de Lula e defender sua candidatura a presidente.

José Eduardo chega no dia em que também aqui estará cumprindo agenda o postulante a vice de Lula, o ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad. Aliás, o Plano B do PT, no caso de Lula ter o registro barrado.

(Foto – Divulgação)

Marina Silva lidera transferência de votos de Lula

259 2

Engana-se quem pensa que Fernando Haddad é a opção principal de quem votaria em Lula, confirmada a impugnação de sua candidatura na Justiça. Em um cenário sem o ex-presidente, Marina Silva lidera a transferência de votos do petista. Pelo menos, é o que mostra um levantamento do BTG Pactual divulgado nesta segunda-feira pela Veja Online.

17% do eleitorado de Lula admite que votaria na candidata da Rede, contra 12% que iria para Fernando Haddad. Surpreendentemente, 27% dos que votariam no petista, sem ele, acabariam indo às urnas por Jair Bolsonaro (9%), Geraldo Alckmin (9%) e Ciro Gomes (9%).

Com o apoio declarado do ex-presidente ao pupilo, 18% admite que, neste caso, votaria com certeza em Haddad. 13% poderia votar e 64% não votaria de jeito algum.

A pesquisa foi realizada pelo BTG Pactual em parceria com a FSB e está registrada no TSE sob número BR-06062/2018.

(Foto – Reprodução de TV)

Senado adia esforço concentrado para a próxima semana

O Senado adiou para a semana de 4 a 6 de setembro o esforço concentrado que faria esta semana. Segundo a Secretaria-Geral da Mesa, o presidente da Casa, Eunício Oliveira (MDB-CE), quer votar matérias importantes, mas ainda pedentes de votações na Câmara dos Deputados. Entre as pendências estão três medidas provisórias.

A MP 838/18 mantém até o final do ano o subsídio ao óleo diesel negociado pelo governo com os caminhoneiros autônomos em maio, durante a greve que provocou uma crise de abastecimento. A MP, no entanto, restringe o subsídio ao diesel rodoviário, que é usado por caminhões, ônibus, caminhonetes e máquinas agrícolas.

O valor do subsídio é de R$ 0,30 por litro, e destinado aos comercializadores (produtor e importador) do combustível. O objetivo final do governo é reduzir em R$ 0,46 o preço do diesel na bomba, conforme negociado com os caminhoneiros.

Há ainda a MP 830/18, que extinguiu o Fundo Soberano do Brasil (FSB), que perde a validade em 2 de outubro. Criado em 2008 como uma reserva financeira para o país enfrentar crises econômicas, o fundo tinha, até o fim de 2017, um patrimônio de R$ 26 bilhões. O FSB também tem por finalidade promover investimentos em ativos no Brasil e no exterior e formar poupança pública. Mas o governo alega que o contexto macrofiscal do país sofreu várias alterações, tornando menos óbvios os benefícios do FSB.

Já a Medida Provisória 840/2018, que perde a vigência no dia 17 de outubro, criou 164 cargos destinados ao Ministério da Segurança Pública. A MP criou cargos em comissão do Grupo Direção e Assessoramento Superiores (DAS) para atender a necessidades da área de segurança pública do governo.

(Agência Brasil/Foto – Pedro Ladeira, da Folhapress)