Blog do Eliomar

Categorias para Brasil

CNI cobra corte mais ousado dos juros até o fim do ano

Apesar de avaliar como positivo o corte de 0,75 ponto percentual dos juros básicos da economia, a Confederação Nacional da Indústria (CNI) cobrou reduções mais ousadas. Em nota, a entidade diz que a queda no preço dos alimentos e a aprovação de medidas de ajuste fiscal abrem espaço para cortes maiores.

A CNI considera positiva para a economia e as empresas brasileiras a redução de 0,75 ponto percentual da taxa básica de juros (Selic). O Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom) reduziu a taxa para 12,25% ao ano nesta quarta-feira (22).

“A indústria acredita que o cenário atual permite um corte mais acentuado nos juros em função da quebra da inércia inflacionária, em que a inflação do passado realimentava os preços futuros. A inflação está caindo e deve ficar dentro das metas fixadas para 2017 e 2018”, destaca comunicado da CNI.

De acordo com a nota, a CNI espera que a taxa Selic caia para um dígito em poucos meses, caso a reforma da Previdência avance no Congresso. “A aprovação do limite para o crescimento dos gastos públicos e o envio da reforma da Previdência ao Congresso Nacional são importantes avanços para o equilíbrio das contas do governo e fundamentais para a redução dos juros”, diz ainda a nota.

Para a CNI, a manutenção de juros altos por mais tempo traz prejuízos para toda a sociedade porque eleva os custos dos empréstimos, desestimula os investimentos e o consumo, dificultando a recuperação da economia e a geração de empregos.

(Agência Brasil)

Oi informa que conquistou 29,406 mil clientes no Ceará

A Oi acaba de alcançar a marca de 1 milhão de clientes do Oi Total, que integra móvel, banda larga com velocidades de até 35 Mega, TV por assinatura e fixo. No Ceará, a companhia conquistou 29,406 mil clientes. O plano reúne o melhor conteúdo do cinema e da TV, podendo ser acessado a qualquer hora e em qualquer lugar. Lançado em abril de 2016, o Oi Total apresentou o novo posicionamento da companhia no mercado, junto à evolução de sua marca.

“Esse resultado do Oi Total mostra que a empresa vem sendo bem-sucedida em sua estratégia de focar na convergência, que beneficia o cliente por trazer mais comodidade com produtos que atendem a todas as suas necessidades. Também é positivo para a companhia, pois aumenta a rentabilidade e ajuda a fidelizar sua base de clientes. Dependendo do perfil do consumidor, ele pode conseguir economizar até 30% ao optar por um combo”, afirma Bernardo Winik, diretor de Varejo da Oi.

A estratégia de convergência da companhia vem trazendo resultados relevantes na conquista de consumidores, na fidelização de clientes e aumento no volume de URGs (Unidades Geradoras de Receitas), informa o site da empresa. Desde o lançamento, 30% das ativações de Oi Total são de clientes que nunca tiveram um produto Oi. “Ao alcançar 1 milhão de clientes Oi Total, estamos falando em cerca de 3 milhões de produtos ativados. Além disso, percebemos uma diminuição de até 50% do churn quando o cliente opta em ter três ou mais serviços Oi no pacote. Quando se consegue alinhar uma boa oferta, maior opção de canais Oi TV, novas velocidades de banda larga e possibilidade de mobilidade de conteúdo, você mantém o seu cliente fidelizado”, explica Bernardo.

 

Alexandre de Moraes tomará posse no STF no próximo dia 22 de março

O Supremo Tribunal Federal (STF) marcou para 22 de março a posse do ministro Alexandre de Moraes. A data foi acertada no início da noite após Moraes ir à Corte para conversar informalmente com alguns integrantes da Corte. No período em que esteve no salão branco do STF, o novo ministro recebeu as boas vindas dos ministros Edson Fachin, Luiz Fux e Luís Roberto Barroso.

Moraes deverá receber cerca de 7,5 mil processos ao tomar posse na Corte. O novo ministro, que ocupará a cadeira do ministro Teori Zavascki, morto em um acidente de avião no mês passado, vai relatar os processos que faziam parte do gabinete de Teori. Além disso, ele será o revisor das investigações da Operação Lava Jato que forem julgadas pelo plenário.

Moraes foi indicado ao Supremo pelo presidente Michel Temer e teve o nome aprovado na manhã de hoje (22) pelo plenário do Senado.

(Agência Brasil)

Prefeitura de Granja assina TAC prometendo reduzir gastos com realização de festas

O show do Luan Santana continua na programação do Carnaval.

A Prefeitura de Granja assinou, na terça-feira (21/02), um Termo de Responsabilidade e Compromisso de Ajustamento de Conduta (TAC) que busca resguardar o patrimônio público e evitar gastos excessivos na realização de eventos em detrimento de investimentos em outros serviços públicos básicos. O Município realizará a festa de Carnaval, porém, está seguindo todas as orientações do MPCE sobre o uso responsável dos recursos públicos, evitando, assim, a necessidade de ajuizamento de ação principal ou cautelar contra a administração municipal, informa o site do Ministério Público.

Pelo TAC, o Município de Granja compromete-se a reduzir, em um percentual de 40%, o gasto público que envolva a realização de festas, a que título for, do montante total licitado para a organização de eventos constantes no Pregão Presencial que a Prefeitura realizou este ano. O Termo, contudo, ressalva a possibilidade de utilização do percentual reduzido nos festejos desde que os valores não advenham de recursos municipais, sendo possível a complementação feita por convênios, subvenções ou qualquer outro aporte de verbas estaduais ou federais.

Além disso, a administração municipal também se comprometeu a não realizar, patrocinar, subvencionar, subsidiar e/ou custear qualquer tipo de gasto público que envolva a realização de festas, a que título for, inclusive Carnaval, enquanto houver despesa com pessoal em atraso, por menor que seja, incluindo servidores públicos, profissionais em cargo comissionado ou funcionários terceirizados. O TAC também cita outras festividades como o aniversário de emancipação do Município, o Natal e o Réveillon.

O titular da 2ª Promotoria de Justiça da Comarca de Granja, promotor de Justiça Rodrigo Coelho Rodrigues de Oliveira, destaca que o Município também se comprometeu a promover o imediato fornecimento de carros pipas com recursos próprios, caso falte água na região. Ele explica que, em caso de descumprimento total ou parcial das definições estabelecidas pelo TAC, o município deverá pagar multa no valor de R$ 1.000,00 por cada dia de desobediência.

(Site do MPCE)

BC reduz juros básicos da economia para 12,5% ao ano

Pela quarta vez seguida, o Banco Central (BC) baixou os juros básicos da economia. Por unanimidade, o Comitê de Política Monetária (Copom) reduziu hoje (22) a taxa Selic em 0,75 ponto percentual, de 13% ao ano para 12,25% ao ano. A decisão era esperada pelos analistas financeiros.

Com a redução de hoje, a Selic retorna ao nível de março de 2015, quando também estava em 12,25% ao ano. De outubro de 2012 a abril de 2013, a taxa foi mantida em 7,25% ao ano, no menor nível da história, e passou a ser reajustada gradualmente até alcançar 14,25% ao ano em julho de 2015. Somente em outubro do ano passado, o Copom voltou a reduzir os juros básicos da economia.

Em comunicado, o Copom informou que a inflação está perdendo força em todos os setores da economia, com ajuda dos alimentos. “O comportamento da inflação permanece favorável. O processo de desinflação é mais difundido e indica desinflação nos componentes mais sensíveis ao ciclo econômico e à política monetária. Houve ainda uma retomada na desinflação dos preços de alimentos, que constitui choque de oferta favorável”, destacou.

De acordo com a nota, o Banco Central admitiu que algumas projeções internas baseadas nas estimativas das instituições financeiras podem abrir espaço para os juros básicos caírem quase três pontos percentuais até o fim do ano. “No cenário de mercado, as projeções do Copom recuaram para em torno de 4,2% em 2017 e mantiveram-se ao redor de 4,5% para 2018. Esse cenário embute hipótese de trajetória de juros que alcança 9,5% e 9% [ao ano] ao final de 2017 e 2018, respectivamente”, acrescentou o texto.

A Selic é o principal instrumento do Banco Central para manter sob controle a inflação oficial, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o IPCA ficou em 0,38% em janeiro, o menor nível registrado para o mês desde o início da série, em 1979.

Nos 12 meses terminados em janeiro, o IPCA acumula 5,35%. Até o ano passado, o Conselho Monetário Nacional (CMN) estabelecia meta de inflação de 4,5%, com margem de tolerância de 2 pontos, podendo chegar a 6,5%. Para 2017, o CMN reduziu a margem de tolerância para 1,5 ponto percentual. A inflação, portanto, não poderá superar 6% neste ano.

Inflação

No Relatório de Inflação, divulgado no fim de dezembro pelo Banco Central, a autoridade monetária estimava que o IPCA encerre 2017 em 4,4%. De acordo com o boletim Focus, pesquisa semanal com instituições financeiras divulgada pelo BC, a inflação oficial deverá fechar o ano em 4,43%.

Até agosto do ano passado, o impacto de preços administrados, como a elevação de tarifas públicas, e o de alimentos, como feijão e leite, contribuiu para a manutenção dos índices de preços em níveis altos. De lá para cá, no entanto, a inflação começou a desacelerar por causa da recessão econômica e da queda do dólar.

A redução da taxa Selic estimula a economia porque juros menores impulsionam a produção e o consumo num cenário de baixa atividade econômica. Segundo o boletim Focus, os analistas econômicos projetam crescimento de apenas 0,48% do Produto Interno Bruto (PIB, soma dos bens e serviços produzidos pelo país) em 2016. No último Relatório de Inflação, o BC reduziu a estimativa de expansão da economia para 0,8% este ano.

A taxa é usada nas negociações de títulos públicos no Sistema Especial de Liquidação e Custódia (Selic) e serve de referência para as demais taxas de juros da economia. Ao reajustá-la para cima, o Banco Central segura o excesso de demanda que pressiona os preços, porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança. Quando reduz os juros básicos, o Copom barateia o crédito e incentiva a produç

(Agência Brasil)

Funcionários do Sine/IDT fazem protesto e reunião do conselho administrativo do órgão é adiada

A Federação dos Trabalhadores no Comércio e Serviços do Estado do Ceará (FETRACE) realizou, na manhã desta quarta-feira (22), juntamente com as Centrais Sindicais, um ato de protesto contra o desmonte do SINE/IDT. Foi em frente a Unidade Central dessa rede de atendimento (Rua Assunção, 699).

O ato teve como uma de suas motivações centrais a interrupção da divulgação mensal dos indicadores da situação do mercado de trabalho local, aferidas pela Pesquisa de Emprego e Desemprego na Região Metropolitana de Fortaleza (PED/RMF), realizada pelo IDT, em parceria com a Secretaria do Trabalho e Desenvolvimento Social (STDS) e o DIEESE, que foi suspensa pelo governo do estado, no início de janeiro.

Os últimos dados divulgados foram os de dezembro de 2016, mostrando que 13,4% da força de trabalho metropolitana estava desempregada, o equivalente a 250 mil pessoas. A STDS informou que a pesquisa iria sair dos seus planos porque o governo federal cortou a verba para a açao – R$ 1 milhão e ainda devia R$ 500 mil da última pesquisa. Já o deputado estadual Roberto Mesquita informou, na Assembleia, que não houve corte, mas inadimplência da parte da secretaria.

A reunião que o Conselho Administrativo do Sine/IDT iria realizar para tratar sobre cortes de despesas e fim da pesquisa acabou adiada. A informação é de que o secretário Josbertini Celestino (STDS) continuava em Brasília em reunião do Fórum Nacional dos Secretários do Trabalho e Desenvolvimento Social. Nova data ainda será marcada.

(Foto – Fetrace)

Justiça do Trabalho do Ceará bate recorde de novas ações pelo segundo ano consecutivo

A Justiça do Trabalho do Ceará registrou nos últimos dois anos um aumento recorde de ações trabalhistas. Só em 2016, trabalhadores e empregadores ingressaram com 66.850 novos processos. O número é 16% superior ao que foi registrado em 2015, que já havia apresentado um aumento de 20% em relação a 2014. Os anos anteriores registram média de 5% de crescimento anual de processos novos.

Para a presidente do Tribunal Regional do Trabalho do Ceará, desembargadora Maria José Girão, o desemprego é uma das principais causas para o grande volume de processos. “Essa crise econômica, que lamentavelmente estamos vivenciando, provoca também desemprego. O próprio empregador tem dificuldades em manter seu quadro de empregados e, quando a relação de trabalho é desfeita, eles procuram a Justiça do Trabalho para receber seus direitos”, afirma.

Ao todo, são mais de 158 mil processos trabalhistas em tramitação nas 37 varas do trabalho do Ceará, sendo que 101 mil tramitam exclusivamente por meio digital, pelo sistema de Processo Judicial Eletrônico. Para atender a essa demanda, a Justiça do Trabalho do Ceará conta atualmente com 69 juízes. Número considerado baixo pela presidente do TRT/CE.

“Quanto mais aumenta o número de ações trabalhistas, mais se necessita de gente para trabalhar com os processos. Nós temos hoje uma carência muito grande de servidores e de juízes na Justiça do Trabalho. Os tribunais estão assoberbados e isso nos traz muita preocupação”, ressalta a desembargadora Maria José Girão.

Ainda assim, os juízes trabalhistas conseguiram solucionar 66.588 mil processos em 2016, que resultaram no pagamento de mais de R$ 318 milhões aos trabalhadores e empregadores cearenses. Também foram arrecadados mais de R$ 52 milhões para os cofres públicos, entre custas, taxas, recolhimentos previdenciários, imposto de renda e receitas decorrentes de execução das penalidades impostas pelos órgãos de fiscalização.

(Site do TRT-7)

Arrecadação federal cresceu em janeiro pela primeira vez em três anos

A arrecadação federal em janeiro cresceu pela primeira vez em três anos na comparação com o mesmo mês do ano anterior. Segundo números divulgados há pouco pela Receita Federal, o governo federal arrecadou R$ 137,392 bilhões no mês passado, alta de 0,79% acima da inflação oficial pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) em relação a janeiro de 2016.

Essa foi a primeira vez desde 2014 que a arrecadação federal apresentou crescimento real (acima da inflação) em janeiro. De acordo com a Receita, o início da recuperação da economia, o aumento do pagamento de royalties de petróleo e uma arrecadação atípica de R$ 487 milhões de Imposto de Renda sobre ganhos de capital na alienação (venda) de bens influenciaram no resultado.

No ano passado, a arrecadação federal tinha apresentado crescimentos reais na comparação com o mesmo mês do ano anterior em outubro e em novembro. No período, no entanto, a entrada de recursos tinha sido elevada por causa do programa de regularização de ativos no exterior, conhecido como repatriação, que reforçou os cofres federais em R$ 46,8 bilhões em 2016.

O aumento das receitas com os royalties foi o principal fator que reforçou a arrecadação federal. Em janeiro, as receitas não administradas pela Receita Federal subiram R$ 2,252 bilhões acima da inflação em relação ao mesmo mês de 2016, alta real de 60,86%. A Receita não quis informar se a alta se deve ao aumento do preço internacional do petróleo ou ao aumento da produção interna.

Outro fator que impulsionou a arrecadação federal em janeiro foi o crescimento real (acima da inflação) de 21% da estimativa do Imposto de Renda Pessoa Jurídica (IRPF) e da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) das instituições financeiras. No início do ano, as grandes empresas, que declaram pelo lucro real, pagam Imposto de Renda com base na estimativa de ganhos, abatendo os tributos nos balancetes seguintes caso os lucros não se confirmem.

O IRPF e a CSLL foram os principais tributos que puxaram a alta da arrecadação em janeiro, com crescimento real (acima da inflação) de R$ 1,287 bilhão em relação ao mesmo mês do ano passado. Em seguida, vem o Imposto de Renda Retido na Fonte sobre rendimentos do trabalho, com alta real de R$ 707 milhões.

As maiores quedas reais (descontada a inflação) em relação a 2016 ocorreram com a arrecadação do Programa de Integração Social (PIS) e da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins), que caiu R$ 1,472 bilhão em termos reais. Ligados ao faturamento, esses tributos refletem a queda de 6,75% nas vendas entre janeiro de 2016 e janeiro de 2017.

A segunda maior queda foi observada na arrecadação da Previdência Social, que caiu R$ 767 milhões na mesma comparação. A diferença decorre da queda do emprego formal, que fez a massa salarial (soma dos salários pagos na economia) crescer 1,95% no período, abaixo da inflação pelo IPCA acumulada de 5,35% nos 12 meses terminados em janeiro.

(Agência Brasil)

Parlamentar cearense vai conferir encontro mundial de telefonia móvel na Espanha

O deputado federal Odorico Monteiro (Pros) vai passar o Carnaval discutindo telecomunicações, informa a Coluna O POVO Economia, do O POVO desta quarta-feira.

O parlamentar viaja na próxima segunda-feira para Barcelona, na Espanha, onde participará do Programa Ministerial da GSMA.

O evento reunirá líderes mundiais do setor que avaliarão as oportunidades de negócios na telefonia móvel.

Zé Maria de Tomé – Desembargador vota pela absolvição de réus, colega pede vista e caso é adiado

O desembargador cearense Francisco Martônio Vasconcelos votou pela absolvição dos acusados pelo assassinato do líder rural José Maria de Tomé. O magistrado, que é relator de um recurso da defesa dos réus, justificou o voto em 60 páginas e aceitou a tese de que a “prova intelectual merece reparo”.

A sessão da 2ª Câmara Criminal foi suspensa quando o desembargador Haroldo Máximo, presidente da Câmara, pediu vistas do voto de Francisco Martônio. Agora, o desfecho sobre recurso só será conhecido na primeira semana depois da Quarta-Feira de Cinzas. Além de Máximo também votará a desembargadora Francisca Adelineide Viana.

(O POVO Online – Repórter Demitri Túlio)

Eunício Oliveira – Bom desempenho de Moraes reflete-se na aprovação; oposição contesta

O presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), considerou hoje (22) que a expressiva votação a favor da indicação do ministro licenciado da Justiça e Segurança Pública,  Alexandre de Moraes para o Supremo Tribunal Federal foi “proporcional” ao desempenho dele na sabatina da Comissão de Constituição e Justiça ontem (21). Moraes passou cerca de 12 horas respondendo às perguntas dos senadores e  saiu bem, na opinião do presidente.

“Foi proporcional à demostração que ele deu na sabatina de ontem. Ele demonstrou paciência, moderação e conhecimento técnico abundante. Então, o plenário devolveu ao ministro pela sabatina que ele fez, pela qualidade técnica que ele apresentou aqui, o resultado do plenário foi extremamente favorável a ele”, observou Eunício.

O relator da indicação, senador Eduardo Braga (PMDB-AM), também considerou que o ministro licenciado da Justiça e Segurança Pública  teve bom desempenho na sabatina, o que contou a seu favor. Para ele, a relação de Alexandre de Moraes com os parlamentares será de respeito depois de empossado no STF.

“Até porque Alexandre de Moraes vem do Executivo, vem da vida pública, onde há o exercício da política e creio que ele entende e disse isso ontem publicamente na audiência pública, que ele tratará todos aqueles que representam a população como uma autoridade e os dará o tratamento de autoridade”, disse.

Falta de isenção

A oposição considera que Moraes não terá isenção para analisar determinados processos na Corte. “Eu acho que ele tinha que ter se declarado impedido aqui, porque foi indicado por Michel Temer. Têm cinco ministros que são investigados na Lava Jato”, disse Lindbargh Farias (PT-RJ) após o resultado da votação.

Para ele, o novo ministro teria “tranquilizado o país” ao se declarar impedido de julgar casos relacionados à operação. “Ele próprio escreveu na tese de doutorado que poderia haver uma dívida de gratidão, a independência poderia ficar comprometida se o indicado fosse um ministro do governo daquele presidente. No caso mais grave. Volto a dizer, o presidente Temer aparece em várias delações, cinco ministros do governo também, então, ele não vai conseguir mostrar para país que vai ter imparcialidade nestes casos”, avaliou.

Randolfe Rodrigues (Rede-AP) também considerou difícil que Moraes mantenha imparcialidade, mas avalia que agora ele não terá mais vínculos com seu antigo grupo político. “É um estágio diferente. O ministro a partir de agora não tem laço com ninguém, não tem vinculação com ninguém, ele agora tem autonomia necessária para se comportar como ministro. Então, vou lhe dizer que, sinceramente,  espero dele esta postura, assim como outros ministros do Supremo que foram indicados pelo governo e depois lá votaram de forma diferente àqueles que indicaram. Então, é um outro momento como ministro do supremo.”

Ele também defendeu mudanças na forma de escolha de ministros do STF que incluam a previsão de um mandato, estabelecendo um tempo máximo de até 12 anos para o exercício do cargo, nos moldes do que prevê a constituição americana.

“Não é possível a indicação de um ministro que tenha relações com o governo, seja ele qual for para um mandato que pode vir a ser de 26, 27, 28, 30 anos,  ou até os 75 anos de idade. Então, tem um conjunto de propostas de emenda constitucional aqui no Senado para serem apreciadas. Elas precisam ser analisadas o quanto antes,” disse o senador Randolfe Rodrigues.

(Agência Brasil)

Meirelles nega que governo vá recriar a CPMF

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, negou hoje (22) que o governo tenha a intenção de recriar a Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF) como uma das medidas da reforma tributária. Ontem (21), o ministro-chefe da Secretaria de Governo, Antonio Imbassahy, disse que a CPMF poderia ser recriada para substituir o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF), sem aumento da carga.

Segundo Meirelles, o governo pretende chegar a um acordo com o Congresso para aprovação da reforma tributária até o fim do ano. “No momento certo, vamos trazer um projeto conjunto do Executivo e do Legislativo, que possa ser aprovado no Congresso Nacional e que possa, de fato, melhorar a tributação no Brasil”, disse, após mencionar que o tema está sendo discutido em uma comissão especial na Câmara dos Deputados.

Depois de participar de um almoço promovido pelo banco BTG Pactual, Meirelles também comentou o projeto de recuperação fiscal dos estados. “[É] o justo e o correto para resolver a situação fiscal do Rio Janeiro, em um primeiro momento; do Rio Grande do Sul, em um segundo momento; ou de outros estados que venham se encontrar nessa situação. Acreditamos que os parlamentares vão olhar isso com muita seriedade.”

Para o ministro da Fazenda, a não aprovação da proposta feita pelo governo no ano passado atrasou o processo de recuperação do Rio de Janeiro. “O efeito de não ter sido aprovado no ano passado mostrou que o resultado disso foi que a situação no Rio de Janeiro não pode ser resolvida”, acrescentou.

A proposta enviada pelo governo ao Congresso no ano passado, previa que os estados em situação mais calamitosa que aderissem ao regime de recuperação fiscal teriam uma moratória de 36 meses no pagamento da dívida. Em troca, a União queria que os estados promovessem o aumento da contribuição previdenciária dos servidores, suspendessem aumentos salariais e a realização de concursos públicos, privatizassem empresas e reduzissem incentivos tributários. Todas essas contrapartidas foram derrubadas pelos deputados. Tramita, agora, na Câmara, uma nova proposta que mantém as exigências aos estados que serão beneficiados.

(Agência Brasil)

Escritora cearense é finalista no The Los Angeles Times Book Prizes

A escritora cearense Socorro Acioli foi indicada ao The Los Angeles Times Book Prizes, uma das premiações literárias mais nobres dos Estados Unidos. Ela concorre na categoria Young Adult Literature com o livro The Head of the Saint, versão em inglês de A Cabeça do Santo. A tradução é de Daniel Hahn. Os finalistas da premiação foram anunciados nesta quarta-feira e os vencedores serão conhecidos no dia 21 de abril.

O The Los Angeles Times Book Prizes concede prêmios em onze categorias desde 1980. Concorrem com Socorro os autores Julie Berry com The Passion of Dolssa; Frances Hardinge com The Lie Tree; John Lewis, Andrew Aydin e Nate Powell com March: Book Three; e Meg Medina com Burn, Baby, Burn.

A Cabeça do Santo é um dos livros mais importantes da carreira de Socorro e foi publicado no Brasil em 2014 pela Cia. das Letras. Além de ser finalista do LA Times Book Prizes, a tradução do livro foi escolhida como um dos 50 melhores livros de 2016 pela Biblioteca Pública de Nova York, e um dos 40 melhores pelo United States Board on Books for Young People (USBBY), além de constar na lista dos melhores livros de 2016 do Center for the Study of Multicultural Children’s Literature.

“É uma felicidade estar como finalista de um prêmio que é um dos mais importantes dos Estados Unidos, um prêmio que tanta gente que eu admiro já ganhou – como a J.K Rowling e o John Green”, afirma Socorro. Ela lembra da importância de ter um livro “genuinamente brasileiro, com um texto brasileiro e com uma temática brasileira” concorrendo de igual para igual com as publicações do mercado americano.

Leia mais
Veja a lista completa de finalistas

“Não é uma vitória só minha. É uma vitória dos meus editores do Brasil, da minha agente literária, do tradutor, da editora inglesa (Hot Key) que foi a primeira a acreditar do potencial do livro para o público estrangeiro”, explica. A editora americana Dellacorte Press comprou os direitos de publicação da Hot Key. Em março, durante o Salão do Livro de Paris, Socorro Acioli vai lançar Sainte Caboche, a versão francesa do A Cabeça do Santo.

A narrativa de A Cabeça do Santo é inspirada em uma situação real. No município de Caridade, a 96 quilômetros de Fortaleza, há uma estátua de Santo Antônio, padroeiro da cidade, que foi construída no alto de um morro, mas a cabeça, por erro de cálculo, permanece no chão até hoje. Socorro folheava as páginas do O POVO quando a notícia chamou atenção e inspirou a escrita do romance.

Leia mais
Veja mais informações sobre o prêmio

Serviço
A cabeça do santo
Companhia das Letras
Autora: Socorro Acioli
Quanto: R$ 37,90

 

  • Do Blog Leituras da Bel aqui.

BNB levará empreendedores da região para intercâmbio em Israel

O Banco do Nordeste levará três empreendedores de startups da Região para intercâmbio de uma semana em Israel, país considerado polo mundial de inovação. Serão selecionados projetos que foquem uso eficiente e reuso de água, smart cities (cidades inteligentes) e uma terceira iniciativa de tema livre, definidos por chamada pública, com inscrições abertas.

O presidente do BNB, Marcos Holanda, o economista–chefe, Luiz Esteves, e o inovador-chefe da instituição, Eduardo Gaspar, acompanharão os empreendedores selecionados na viagem, a partir de 21 de abril. Após o período de intercâmbio, os selecionados ficarão residentes no Hubine, em Fortaleza, com acesso a escritório compartilhado e repassarão a metodologia utilizada no programa a outras startups.

SERVIÇO

*Os interessados podem se inscrever até o dia 3 de março pela internet na página do Hub Inovação Nordeste (Hubine), iniciativa do BNB para fomento à inovação: hubine.bnb.gov.br.

UFC promoverá Encontros Universitários em março

Os Encontros Universitários de 2016 ocorrerão, em Fortaleza, no período de 29 a 31 de março próximo. As atividades serão realizadas no Centro de Convivência do Campus do Pici e no prédio do Instituto de Cultura e Arte (ICA), no mesmo Campus. No total, serão apresentados 4.870 resumos de projetos desenvolvidos por estudantes e professores da Universidade Federal do Ceará, número superior aos 4.060 trabalhos inscritos na última edição dos Encontros, em 2015.

As apresentações ocorrerão em blocos de até duas horas de duração: das 8 às 9h50min, das 10 às 11h50min, das 14 às 15h50min, das 16 às 17h50min e das 18 às 20 horas. O aluno deverá estar presente durante o bloco no qual foi agendada sua apresentação, podendo aproveitar os demais horários para acompanhar as diversas atividades do evento. O horário individual das apresentações dos trabalhos aceitos pode ser conferido no site dos Encontros Universitários (https://goo.gl/nhwqlw), assim como a programação completa de apresentações orais e pôsteres (https://goo.gl/gZz83a).

Festa

Quem estiver no Campus do Pici nos dias dos Encontros Universitários também poderá participar da programação do Festival UFC de Cultura, que neste ano também ocorre de 29 a 31 de março, e da III Mostra ICA, que expõe o resultado dos trabalhos artísticos desenvolvidos por alunos e docentes da unidade acadêmica. A programação dos dois eventos será divulgada nos próximos dias.

Esta edição dos Encontros Universitários será composta pelos: XXXV Encontro de Iniciação Científica e IX Encontro de Pesquisa de Pós-Graduação, organizados pela Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação (PRPPG); XXV Encontro de Extensão, organizado pela Pró-Reitoria de Extensão (Prex); IX Encontro de Experiências Estudantis, organizado pela Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis (PRAE); III Encontro de Cultura Artística, pela Secretaria de Cultura Artística (Secult-Arte); XXV Encontro de Iniciação à Docência, VI Encontro de Monitoria de Projetos de Graduação, III Encontro de Programas de Educação Tutorial e II Encontro de Tecnodocência (UFC Virtual), pela Pró-Reitoria de Graduação (Prograd); VIII Encontro de Docência no Ensino Superior e VIII Encontro de Aprendizagem Cooperativa, organizados pela Escola de Desenvolvimento e Inovação Acadêmica (Eideia), bem como I Encontro de Iniciação Acadêmica, evento também organizado pela PRAE que estreia este ano.

O objetivo é difundir atividades de ensino, pesquisa, extensão, arte e cultura e de experiências acadêmicas desenvolvidas e vivenciadas por estudantes na UFC. Nesta edição, o evento é coordenado pela Pró-Reitoria de Extensão (Prex).

(Site da UFC)

Confiança do consumidor atinge maior nível desde dezembro de 2014

O Índice de Confiança do Consumidor (ICC) subiu 2,5 pontos em fevereiro, alcançando 81,8 pontos, o maior nível do indicador desde dezembro de 2014. Esta é a segunda alta consecutiva do índice, que iniciou o ano com uma elevação de 6,2%.

Os dados relativos à Sondagem do Consumidor foram divulgados hoje pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV). A alta de fevereiro reflete expansões em todos os quesitos que compõem o ICC.

O Índice da Situação Atual (ISA) avançou 2,2 pontos, para 70,3 pontos, o maior nível desde agosto de 2015. O Índice de Expectativas (IE) subiu para 90,6 pontos, alcançando o maior patamar desde outubro de 2014.

Ajustes no orçamento familiar

“Esta segunda alta consecutiva neste ano parece estar relacionada à aceleração do ajuste orçamentário das famílias propiciado pela desaceleração da inflação e aceleração no ritmo de queda dos juros básicos da economia”, afirmou a coordenadora da Sondagem do Consumidor, Viviane Seda Bittencourt, em publicação divulgada pela FGV.

Segundo a Viviane, “os consumidores com maior poder aquisitivo são os que se mostram efetivamente mais satisfeitos com a situação financeira no momento e otimistas em relação aos próximos meses”. Para a economista, “uma recuperação mais espalhada e sustentável continuará dependendo de notícias favoráveis sobre o mercado de trabalho, mas que ainda não vieram.”

A publicação da FGV indica, ainda, que o indicador de satisfação do consumidor em relação à situação financeira familiar atual subiu 4 pontos em relação a janeiro, atingindo 65,6 pontos. A intenção de compra de bens duráveis nos próximos meses foi o fator que mais contribuiu para o aumento da confiança no mês. A edição de fevereiro de 2017 coletou informações de 2.047 domicílios entre os dias 1 e 20 de fevereiro.

(Agência Brasil)

Indicação de ruralista para a Funai gera desconforto

A indicação de Ubiratan de Souza Maia para a coordenação-geral de Licenciamento Ambiental da Funai tem gerado desconforto entre os funcionários da autarquia.

Isso porque ele é acusado pelo Ministério Público de arrendar terras indígenas ilegalmente. Na denúncia, o MPF pede o ressarcimento de R$ 240 mil à comunidade Terra de Xapecó.

Além disso, Ubiratan é afilhado político do deputado federal Luís Carlos Heinze (PP-RS). Em 2013, Heinze disse que índios, gays e quilombolas “não prestam”.

(Veja Online)

Alexandre de Moraes agora é todo Supremo

O plenário do Senado aprovou, 55 votos a favor e 13 contra, a indicação do jurista Alexandre de Moraes ao cargo de ministro do Supremo Tribunal Federal (STF). A votação começou às 11 horas (horário de Brasília).

Antes da votação, Moraes foi submetido, na terça-feira (21), a uma sabatina na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Casa. Na comissão, a indicação de Moraes foi aprovada com 19 votos favoráveis e 7 contrários.

Moraes vai ocupar a vaga deixada por Teori Zavascki, morto em um acidente aéreo em Paraty (RJ), em janeiro deste ano, e será o 27º ministro do STF no período democrático.

(Agência Brasil)

Juizado do Torcedor atuará nesta quarta-feira na Copa da 1ª Liga

O Juizado do Torcedor estará presente na Copa da 1ª Liga, nesta quarta-feira (22), durante o jogo entre Ceará e Flamengo, informa a assessoria de imprensa do Tribunal de Justiça do Estado. A partida, que está marcada para as 19h30min, acontecerá na Arena Castelão, em Fortaleza.

Devido ao grande número de torcedores, dois juízes deverão atuar no plantão. Os responsáveis serão os juízes José Maria dos Santos Sales, titular da 30ª Vara Cível de Fortaleza, e Maria José Bentes Pinto, titular do 4º Juizado Especial Cível e Criminal da Capital, e do Juizado do Torcedor e de Grandes Eventos.

O atendimento durante o plantão é voltado para casos de menor potencial ofensivo e menos complexos, previstos no Estatuto do Torcedor e na Lei dos Juizados Especiais. O Juizado do Torcedor foi instituído pela Diretoria do Fórum Clóvis Beviláqua (Portaria nº 01/2012), que levou em consideração os vários conflitos entre torcidas e clubes, antes, durante e depois das atividades esportivas.

Aprovada MP que altera regras dos processos de renovação de concessão de rádio e televisão

O plenário da Câmara dos Deputados aprovou a Medida Provisória (MP) 747/16, que altera as regras dos processos de renovação de outorga dos serviços de rádio e televisão. Entre as alterações, a medida permite a regularização das concessões vencidas. Na prática, a medida estabelece uma espécie de anistia para as concessões vencidas.
Pela MP, as emissoras que se encontram em situação irregular, por não terem pedido a renovação da concessão no prazo legal, poderão regularizar a situação junto ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações no prazo de 90 dias, contados a partir da data da publicação da lei.

Os deputados aprovaram o relatório do deputado Nilson Leitão (PSDB-MT) que alterou o texto original encaminhado pelo governo para incluir as emissoras de rádio comunitária na medida. Nesses casos, o prazo para a regularização será de 60 dias. O texto segue agora para o Senado, e caso não seja votado até o dia 12 de março, os efeitos da medida perdem validade e ela será arquivada.

(Agência Brasil)