Blog do Eliomar

Categorias para Brasil

Os Impactos da 4ª Revolução Industrial

Com o título “Os impactos da 4ª Revolução Industrial”, eis artigo de Pablo Padilha, gerente-executivo de Tecnologia e Inovação da Federação das Indústrias do Ceará (Fiec). “A 4ª revolução industrial se caracteriza fundamentalmente pelos Sistemas Ciber Físicos, que torna possível a integração da máquina com o meio ambiente (…)”, diz ele no texto. Confira:

De forma “orgânica” nossas vidas estão sendo impactadas profundamente pelo efeito integrativo de inovações tecnológicas, fazendo com que novos hábitos surjam, se alterem ou sejam eliminados inconscientemente. Neste contexto, estamos todos sendo impactados pela transformação digital. Novas tecnologias como a alta mobilidade, cloud computing e inteligência artificial (IA), dão ritmo a atual transformação. Isso se configura como a 4ª revolução industrial.

Esta revolução acontece após três processos de transformação históricos, sendo que a primeiro se caracterizou em 1760 pela introdução da máquina a vapor na mecanização da agricultura e produção têxtil; o segundo, por volta de 1850, foi marcado pela energia elétrica, permitindo a manufatura em massa; já em 1950, ocorre o surgimento da microeletrônica (semicondutores), dando surgimento a automação e aos robôs mecânicos.

A introdução de novas tecnologias desde a primeira revolução industrial gerou impactos profundos, pois a evolução tecnológica pede adaptação e com isso o ciclo se repete – adaptação e revolução – e o que está diferente nesta quarta revolução é a alta velocidade dos acontecimentos, a convergência das tecnologias digitais com os avanços da neurociência, e a interconexão dos sistemas (o diálogo entre as máquinas, onde tudo se conecta e o fluxo de dados é intenso).

Klaus Schwab, autor de “A Quarta Revolução Industrial” e diretor executivo do Fórum Econômico Mundial, menciona que “estamos a bordo de uma revolução tecnológica que transformará fundamentalmente a forma como vivemos. Em sua escala, alcance e complexidade, a transformação será diferente de qualquer coisa que o ser humano já tenha experimentado”. Os dados são o “novo ouro”, tornando o conhecimento a mercadoria de maior valor agregado, reforçando nossa era de integração intensa entre homem-máquina-ambiente.

A 4ª revolução industrial se caracteriza fundamentalmente pelos Sistemas Ciber Físicos, que torna possível a integração da máquina com o meio ambiente e, atrelado à inteligência artificial, aprende consigo mesma e toma suas melhores decisões. O mais relevante neste cenário é que o homem não deve buscar competir com a máquina, e sim, utilizar de suas funcionalidades para que tarefas sejam executadas em prol de potencializar a capacidade de gerar resultados.

*Pablo Padilha,

Gerente Executivo de Tecnologia e Inovação da Federação das Indústrias do Ceará (Fiec). 

Oportunidade e necessidade

Com o título “Oportunidade e necessidade”, eis artigo de Joaquim Cartaxo, superintendente estadual do Sebrae e arquiteto. Ele aborda empreendedorismo e pesquisa Global Enrepreneurship Monitor – 2018. Confira:

Empreender faz parte da vocação de boa parte da população de nosso País. É no empreendedorismo que milhões de brasileiros buscam melhores condições de vida, oportunidade de geração de renda e sustento de suas famílias. Os sinais dessa vocação se encontram na última pesquisa realizada pela Global Entrepreneurship Monitor – 2018 (GEM), a qual aponta que aproximadamente 52 milhões de brasileiros com idade entre 18 e 64 anos estavam envolvidos com alguma atividade empreendedora no ano passado. Ou seja, dois em cada cinco brasileiros, entre 18 e 64 anos, estavam à frente de uma atividade empresarial ou tinham planos de ter um negócio em 2018.

A pesquisa, que é realizada em 49 países, verificou ainda no Brasil um crescimento na taxa de empreendedorismo por oportunidade que alcançou a cifra de 62% nos negócios iniciais (aqueles com menos de 3,5 anos de existência) em 2018. Ao contrário do empreendedorismo por necessidade, que é quando a criação do negócio foi efetivada pela falta de outras possibilidades para geração de renda e de ocupação; o empreendedorismo por oportunidade é aquele onde a empresa é criada a partir da identificação de uma oportunidade de mercado.

No que se refere ao gênero, os homens ainda são a maioria tanto nos negócios iniciais, quanto nos negócios estabelecidos (aqueles com mais de 3,5 anos de existência). Apesar disso, vale destacar que mesmo com taxas de empreendedorismo um pouco menores que as dos homens, as empreendedoras representam, em números absolutos, cerca de 23,8 milhões de brasileiras.

Já com relação à idade, a pesquisa GEM apontou um crescimento do público jovem (18 a 24 anos) entre os novos empreendedores. De 2017 para 2018, a participação dessa faixa etária subiu de 18,9% para 22,2% do total de empreendedores que iniciavam uma atividade empresarial. Isso mostra um número cada vez maior de jovens buscando empreender, seja motivado pelo surgimento de alguma oportunidade de mercado ou mesmo pela necessidade.

*Joaquim Cartaxo,

Superintendente estadual do Sebrae e arquiteto.

(Foto – Sebrae)

UFC – Reabertura de matrícula para o semestre 2019.2 vai até sexta-feira

Vai até sexta-feira (12) o período para solicitação de reabertura de matrícula – semestre letivo 2019.2, na Universidade Federal do Ceará. Segundo a assessoria de imprensa da Instituição, os estudantes dessa universidade que se encontram em situação de abandono ou que estão com a matrícula cancelada, seguindo os parâmetros do Capítulo V do Regimento Interno (https://bit.ly/2KjZ7mg), e desejam reativar a matrícula, deverão solicitar a abertura do processo por meio de requerimento. Isso, independentemente do semestre em que foi feito o cancelamento da matrícula.

O documento deverá ser entregue pessoalmente no setor de Protocolo da Pró-Reitoria de Graduação (PROGRAD), no Campus do Pici Prof. Prisco Bezerra, em Fortaleza, ou nas diretorias dos campi do Interior. O procedimento poderá ser realizado pelo aluno ou seu procurador legal. Após a solicitação, cada processo será submetido a uma avaliação de dados pela PROGRAD. O resultado final, apresentando nominalmente os alunos que tiverem a solicitação de reabertura deferida ou indeferida, será divulgado no dia 5 de julho.

Os alunos com solicitação deferida serão contactados pelas respectivas coordenações de seus cursos para que sejam orientados com relação aos demais procedimentos de retorno à graduação.

Confira

Alunos em situação de abandono de curso: https://bit.ly/2OZCG4v
Faça download do requerimento: https://bit.ly/2U3GAdt

SERVIÇO

*Pró-Reitoria de Graduação – (85) 3366 9036.

(Foto – Evilázio Bezerra)

Aloizio Mercadante vem cumprir agenda em Fortaleza

O ex-ministro da Educação, Aloízio Mercadante, visitará Fortaleza no próximo dia 21. Aqui, ele participará de um painel sobre Educação, no auditório da Adufc Sindicato

Ele e convidado do presidente dessa entidade representativa dos docentes da UFC, Ênio Pontes, que disputa reeleição.

Mercadante, ex-senador e que foi um dos fundadores do PT, deve também, nesse compromisso na Capital cearense, bater duro na educação que a Era Bolsonaro promete instalar no País.

(Foto – Agência Brasil)

Contribuinte que caiu na malha fina e regularizou situação já pode consultar lote de restituição do IR

A Receita Federal abre hoje (8) consulta ao lote residual de restituição do Imposto de Renda (IR) Pessoa Física de abril. Ao todo, serão desembolsados R$ 210 milhões para 91,3 mil contribuintes que estavam na malha fina das declarações de 2008 a 2018, mas regularizaram as pendências com o Fisco.

A lista com os nomes estará disponível a partir das 9h no site da Receita na internet. A consulta também pode ser feita pelo Receitafone, no número 146. A Receita oferece ainda aplicativo para tablets e smartphones, que permite o acompanhamento das restituições.

As restituições terão correção de 6,64%, para o lote de 2018, a 108,76% para o lote de 2008. Em todos os casos, os índices têm como base a taxa Selic (juros básicos da economia) acumulada entre a entrega da declaração até este mês.

O dinheiro será depositado nas contas informadas na declaração no próximo dia 15. O contribuinte que não receber a restituição deverá ir a qualquer agência do Banco do Brasil ou ligar para os telefones 4004-0001 (capitais), 0800-729-0001 (demais localidades) e 0800-729-0088 (telefone especial exclusivo para deficientes auditivos) para ter acesso ao pagamento.

(Agência Brasil)

Novo ministro da Educação era o segundinho da Casa Civil

157 1

O novo ministro da Educação, Abraham Weintraub, “é doutor, professor universitário e possui ampla experiência em gestão e o conhecimento necessário para a pasta”, descreveu, em suas redes sociais, nesta segunda-feira, o presidente Jair Bolsonaro, ao anunciar, nesta segunda-feira, o substituto de Ricardo Vélez, na pasta.

Weintraub já trabalhava no governo Bolsonaro, na função de secretário-executivo da Casa Civil. Era o o número 2 da pasta. Entra no lugar de Ricardo Vélez.

(Foto – Reprodução do Youtube)

Editorial do O POVO – “A avaliação do governo Bolsonaro”

Com o titulo “A avaliação do governo Bolsonaro”, eis o Editorial do O POVO desta segunda-feira:

Às vésperas de completar 100 dias no cargo do presidente da República, o que acontece na próxima quarta-feira, dia 10, Jair Bolsonaro se depara com pesquisa de avaliação popular, realizada pelo Instituto DataFolha, que lhe impõe uma profunda reflexão sobre o que fez até agora e, especialmente, quanto àquilo que ainda precisa realizar nos três anos e 9 meses, aproximadamente, que ainda tem de mandato. Números preocupantes, que determinam uma leitura cuidadosa do seu significado, considerando a realidade de um governante que chegou ao cargo sob grandes expectativas, com discurso forte de renovação no quadro de práticas públicas no País e que conquistou o mais alto posto da Nação livre de amarras partidárias e de acordos políticos.

A era Jair Bolsonaro tem sido intensa na sua fase inicial, pela decisão adotada de acelerar alguns processos como meio de afirmar esse novo momento. Um quadro muito determinado por escolhas controversas em algumas áreas, exatamente aquelas nas quais o ritmo de instalação do modelo proposto apresenta maiores velocidades, podendo-se citar o setor educacional e o sensível mundo das relações exteriores. Claro que se pode ponderar, de outra parte, a opção por oferecer estabilidade e segurança nas escolhas para áreas igualmente delicadas, como a economia e a justiça, entregando-as a dois nomes que têm sido fiadores, do ponto de vista da sociedade, da adoção de políticas na linha de buscar o anseio de quem o elegeu presidente da República. No caso, a nomeação de Paulo Guedes e Sérgio Moro para o comando das pastas responsáveis por dar o tom nas políticas respectivas.

De volta à pesquisa DataFolha, ela dá números àquilo que se percebe nas ruas, ou seja, que há um clima de frustração com os primeiros dias do governo Bolsonaro. O registro de 32% de consultados que o consideram bom ou ótimo, contra 30% de ruim ou péssimo, além de 33% de regular, aponta o mais baixo índice de aprovação de um governante na avaliação do mesmo período já registrado nos levantamentos do instituto. Outro dado muito ruim, já olhando para frente, é quanto à expectativa em relação ao futuro, que só consegue superar em otimismo aquela que se criara em relação ao primeiro governo de Fernando Henrique Cardoso.

É um quadro que já estava apontado por outras pesquisas, de outros institutos, e que exige humildade e sabedoria do presidente e de sua equipe. Há mudanças que se demonstram necessárias, algumas urgentes, e elas precisam ser feitas como forma de realinhar o sentimento e a expectativa da população. As primeiras reações do presidente Jair Bolsonaro, com desdém e menosprezo aos números coletados, ajudam pouco, mas, temos certeza, haverá vozes sensatas em seu entorno nos próximos dias aconselhando-o acerca da maneira correta de fazer uso das informações preciosas que o DataFolha oferece acerca de como o brasileiro avalia sua gestão, e o seu estilo de comandar o País, e, especialmente, o que espera dos dias que estão por vir.

(Editorial do O POVO)

Ministro da Educação é demitido

O presidente Jair Bolsonaro demitiu, nesta segunda-feira (8), o ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodríguez. Ele informou em suas redes sociais e aidantou ainda que o novo ministro será Abraham Weintraub. Bolsonaro e Vélez se reuniram no Palácio do Planalto, nesta manhã de segunda, pouco antes do anúncio da demissão do agora ex-ministro.

Colombiano naturalizado brasileiro, Vélez Rodríguez tomou posse no cargo em 1º de janeiro e enfrentava uma “guerra interna” no MEC provocada por desentendimentos entre militares e seguidores do escritor Olavo de Carvalho.

Na sexta-feira (5), em um café da manhã com jornalistas, o presidente Jair Bolsonaro disse que o ministro poderia deixar o cargo nesta segunda-feira (8). “Segunda-feira vai ser o dia do ‘fico ou não fico'”, disse o presidente na ocasião.

(Com Portal G1/Foto – Agência Brasil))

Guilherme Boulos cumpre em Fortaleza agenda contra a reforma da Previdência

Guilherme Boulos (Psol), coordenador nacional do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), que disputou a Presidência da República, cumprirá agenda em Fortaleza nesta segunda e terça-feira.

Na segunda-feira, às 19 horas, ele participará de uma assembleia popular no bairro Jangurussu, onde fará pregações contra a proposta de reforma da Previdência do governo Bolsonaro.

Na terça-feira, pela manhã, Boulos vai à sede do Sindicato dos Trabalhadores e Empregados Públicos de Fortaleza (Sindifort), onde fará palestra sobre o cenário nacional e baterá de novo na reforma da Previdência Esse encontro tem apoio da Intersindical.

Ainda na terça-feira, Guilherme Boulos encerrará, às 19 horas, sua agenda na Capital cearense, participando de ato contra a reforma da Previdência na Praça da Gentilândia, no Benfica.

(Foto – Mateus Dantas)

 

Camilo fala nesta segunda-feira para investidores dos EUA

O governador Camilo Santana fala, nesta segunda-feira, em Nova York (EUA), dentro do Brasil Summit 2019.

Nesse evento, ele vai expor oportunidades de negócios no Ceará para grupos empresariais, respaldado pelo fato de o Estado ter feito seu ajuste fiscal num cenário onde a maioria dos estados brasileiros vive dificuldades econômicas.

Camilo só estará de volta ao Brasil nesta terça-feira.

(Foto – Divulgação)

Mercado financeiro reduz projeção do crescimento da economia pela sexta vez

Instituições financeiras voltaram a reduzir a projeção para o crescimento da economia neste ano e em 2020.

A estimativa para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB) – a soma de todos os bens e serviços produzidos no país – caiu de 1,98% para 1,97% este ano. Foi a sexta redução consecutiva.

Para 2020, o cálculo para o crescimento do PIB recuou de 2,75% para 2,70% na terceira redução consecutiva. As projeções de crescimento do PIB para 2021 e 2022 permanecem em 2,50%.

Os números constam do boletim Focus, publicação semanal elaborada com base em estimativas de instituições financeiras sobre os principais indicadores econômicos. O boletim é divulgado às segundas-feiras, pelo Banco Central (BC), em Brasília.

Inflação

A estimativa da inflação, calculada pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), foi ajustada de 3,89% para 3,90% este ano. Para 2020, a previsão para o IPCA segue em 4%. Para 2021 e 2022, também não houve alteração: 3,75%.

A meta de inflação deste ano, definida pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), é 4,25%, com intervalo de tolerância entre 2,75% e 5,75%. A estimativa para 2020 está no centro da meta: 4%. Essa meta tem intervalo de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo.

Para 2021, o centro da meta é 3,75%, também com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual. O CMN ainda não definiu a meta de inflação para 2022.

Taxa Selic

Para controlar a inflação, o BC usa como principal instrumento a taxa básica de juros, a Selic. Para o mercado financeiro, a Selic deve permanecer no seu mínimo histórico de 6,5% ao ano, até o fim de 2019.

Para o fim de 2020, a projeção segue em 7,50% ao ano. Para o fim de 2020 e 2021, a expectativa permanece em 8% ao ano.

A Selic, que serve de referência para os demais juros da economia, é a taxa média cobrada nas negociações com títulos emitidos pelo Tesouro Nacional, registradas diariamente no Sistema Especial de Liquidação e de Custódia (Selic).

A manutenção da Selic, como prevê o mercado financeiro, indica que o Copom considera as alterações anteriores nos juros básicos suficientes para chegar à meta de inflação.

Ao reduzir os juros básicos, a tendência é diminuir os custos do crédito e incentivar a produção e o consumo.

Para cortar a Selic, a autoridade monetária precisa estar segura de que os preços estão sob controle e não correm risco de ficar acima da meta de inflação.

Quando o Copom aumenta a Selic, o objetivo é conter a demanda aquecida, e isso causa reflexos nos preços porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança.

Dólar

A previsão do mercado financeiro para a cotação do dólar permanece em R$ 3,70 no fim do ano e em R$ 3,75 no fim de 2020.

(Agência Brasil)

Singer fecha fábrica de Juazeiro do Norte

Após 22 anos de funcionamento, a fábrica da Singer Brasil, de Juazeiro do Norte, encerrou suas atividades. A assessoria da empresa informou, por meio de nota, que se trata de uma “decisão estratégica de negócios, alinhada aos objetivos da companhia de fortalecer e manter a sustentabilidade de suas operações no Brasil”.

A Singer é uma empresa do setor têxtil que trabalha com a venda de máquinas de costura e assessórios. Seu primeiro ponto de vendas no país foi instalado em 1858, no Rio de Janeiro. A construção da fábrica em Juazeiro do Norte ocorreu em 1997, época em que inúmeras confecções foram transferidas para a região.

Em 2005, toda a fábrica de máquinas de costuras estava na cidade cearense e a antiga sede no interior de São Paulo continuou apenas com a produção de agulhas.

(Foto – Arquivo)

Empresários do Simples têm até amanhã para inscrever empregado no eSocial

Micro e pequenos empresários do Simples Nacional, que faturam até R$ 4,8 milhões por ano, têm até amanhã (9) para cadastrar dados dos trabalhadores no sistema do eSocial e enviar as tabelas.

A exigência também vale para empregadores pessoa física (exceto domésticos), produtores rurais pessoas físicas e entidades sem fins lucrativos.

Segundo o Ministério da Economia, atualmente existem mais de 23 milhões de trabalhadores cadastrados na base do eSocial.

Criado em 2013, o eSocial unifica a prestação, por parte do empregador, de informações relativas aos empregados.

Dados como o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), a Relação Anual de Informações Sociais (Rais), a Guia de Recolhimento do Fundo de Garantia e de Informações à Previdência Social (GFIP) e informações pedidas pela Receita Federal são enviados em um único ambiente ao governo federal.

Por meio do eSocial, os vínculos empregatícios, as contribuições previdenciárias, a folha de pagamento, eventuais acidentes de trabalho, os avisos prévios, as escriturações fiscais e os depósitos no Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) são comunicados pela internet ao governo federal. A ferramenta reduz a burocracia e facilita a fiscalização das obrigações trabalhistas.

A migração para o sistema do eSocial foi dividida em quatro grupos de empresas. Cada grupo tem quatro fases para a transmissão eletrônica de dados. A primeira fase é destinada à comunicação dos eventos de tabela e dos cadastros do empregador.

Dados de trabalhadores

A segunda etapa engloba os eventos não periódicos: envio de dados dos trabalhadores e seus vínculos com a empresa.

A terceira fase compreende os eventos periódicos: informações sobre a folha de pagamento. Na última fase, são exigidas informações relativas à segurança e à saúde dos trabalhadores.

Primeiramente, o sistema tornou-se obrigatório para os empregadores domésticos, em outubro de 2015. Num módulo simplificado na página do eSocial, os patrões geram uma guia única de pagamento do Simples Doméstico, regime que unifica as contribuições e os encargos da categoria profissional.

As empresas do Simples Nacional fazem parte do terceiro grupo de empresas a migrar para o eSocial.

O primeiro grupo, que reúne as 13.115 maiores empresas do país, começou a inserir dados no sistema em janeiro do ano passado e, desde março de 2018, informa os dados dos trabalhadores.

O segundo grupo, com empresas de médio porte (que faturam até R$ 78 milhões por ano), iniciou o processo em julho do ano passado e insere dados dos empregados desde outubro. Para o terceiro grupo, a inserção dos dados dos empregadores começou em janeiro.

(Agência Brasil)

ZPE do Ceará – Mário Lima deve permanecer na presidência

Da Coluna O POVO Economia, da jornalista Neila Fontenele, no O POVO desta segunda-feira:

A ZPE do Ceará passa por mudanças na sua estrutura. Das quatro diretorias, devem ficar apenas a técnica e a comercial e serão extintas as diretorias financeira e de tecnologia e informação.

Mário Lima Júnior, presidente da empresa, deve permanecer no cargo.

Os investidores holandeses conseguiram colocar três representantes no CIPP e várias sugestões estão em análise. A próxima reunião do conselho da ZPE, marcada para o dia 11, deve homologar as mudanças.

(Foto – Divulgação)

Senado instala na quarta-feira comissão que acompanhará Nova Previdência; Tasso Jereissati é o relator

264 1

A Comissão Especial do Senado destinada a acompanhar a tramitação, na Câmara dos Deputados, da proposta de reforma da Previdência (PEC 6/2019) começará a funcionar na próxima quarta-feira (10).

Inicialmente, o colegiado, que não tem poder deliberativo, foi criado com apoio do presidente da Casa, Davi Alcolumbre (DEM-AP), com a expectativa de que o texto da proposta vá da Câmara para o Senado já contemplando questões consideradas importantes pelos senadores, que fariam sugestões aos deputados. Dessa maneira, alguns senadores acreditam que o mesmo texto aprovado na Câmara poderia ser confirmado pelo Senado, sem necessidade de alterações, que levariam a proposta para nova análise dos deputados.

Essa ideia chegou a ser defendida tanto por Alcolumbre quanto pelo relator da comissão, senador Tasso Jereissati (PSDB-CE), mas a poucos dias da instalação o presidente do colegiado, senador Otto Alencar (PSD-BA), negou à Agência Brasil que os senadores tenham a intenção de fazer sugestões aos deputados.

“Não haverá nenhuma interferência nas decisões da Câmara, que tem toda a autonomia”, disse Alencar. O senador afirmou ainda que nada será sugerido aos deputados. A intenção, acrescentou, é acompanhar os debates em torno da proposta de modo a facilitar o entendimento quando o texto chegar ao Senado.

Trabalhos

Segundo Otto Alencar, o colegiado, que tem nove titulares e o mesmo número de suplentes, não foi instalado na semana passada porque os senadores querem ouvir o secretário de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho. Ele acompanhou o ministro da Economia, Paulo Guedes, na audiência da Comissão de Constituição e Justiça.

Na quarta-feira, ainda não há confirmação da presença de Marinho ou do secretário de Previdência do Ministério da Economia, Leornado Rolim, que também foi convidado pelo Senado. Otto Alencar acredita que pelo menos um deles estará na comissão.

“Queremos um detalhamento de pontos da PEC e da proposta que reforma a Previdência dos militares”, adiantou o senador. Alencar lembrou o jantar que líderes de partidos e o presidente do Senado tiveram no fim de março com o comandante do Exército, General Edson Leal Pujol. Na ocasião, os militares apresentaram a proposta, mas “não foram claros”, disse ele.

Os senadores também querem ouvir representantes da indústria e de sindicatos sobre o projeto.

(Agência Brasil)

ONGs querem plano contra alto índice de mortes de adolescentes em Fortaleza

Um plano para enfrentar os altos índices de mortes violentas de adolescentes em Fortaleza será elaborado e apresentado durante o I Seminário Municipal sobre Letalidade na Adolescência. O evento ocorrerá das 8 às 17 horas desta quarta-feira, no Hotel Uirapuru (Condomínio Espiritual Uirapuru, no bairro Dias Macedo, numa promoção da Visão Mundial, Espaço Geração Cidadã em parceria com outras organizações da sociedade civil e do Poder Público.

Em 2017, Fortaleza ocupou o ranking das capitais brasileiras com maiores números de homicídios de meninos e meninas entre 10 e 19 anos (Mapa da Violência). O Comitê Cearense Pela Prevenção de Homicídios na Adolescência apontou que quase 50% desses homicídios ocorreram nas regiões Barra do Ceará, Bom Jardim e Jangurussu.

No Nordeste, estão os maiores índices de homicídios de jovens. Em 2008 foram 10.041, ultrapassando os 12.000 em 2012.

No Brasil, mais de 50% das mortes de jovens são causadas por homicídios. O perfil social dos adolescentes vítimas de homicídios é formado, sobretudo, por negros, pobres e moradores de periferias urbanas. Os dados refletem um fenômeno social sem precedentes.

A programação será composta por mesas temáticas, painéis e trabalhos em grupos com a participação de especialistas, pesquisadores da área, parlamentares e trabalhadores sociais que construirão as diretrizes para uma política pública municipal exequível e efetiva de prevenção aos homicídios de adolescentes.

(Foto – Arquivo)

Após avaliação negativa, políticos e mercado temem que Bolsonaro radicalize o discurso

Presidentes de partidos e analistas do mercado financeiro compartilharam nesse domingo a mesma dúvida sobre a reação que Jair Bolsonaro deve ter diante do desgaste que os primeiros 100 dias de governo causaram ao seu capital político. A informação é da Coluna Painel, da Folha de S.Paulo, adiantando que esses grupos dizem que, dado o cenário apontado pelo Datafolha, restam dois caminhos: ou o Planalto se convence da necessidade de composição e tenta alavancar a agenda no Congresso por essa via, ou dobra a aposta e radicaliza o discurso.

O aparente desprezo do presidente e de seus aliados pelos dados levou parte do mercado e da política a colocar suas fichas no segundo e mais conturbado caminho: o da radicalização do discurso.

Um conselheiro de bancos e investidores avalia que Bolsonaro pode ter perdido o timing de maior influência sobre o Congresso e corre o risco de ser visto agora como um “leão sem dentes” —o que seria ruim para a reforma da Previdência.

Esse analista diz que, escorado só em 30% da sociedade —32% classificam o governo como ótimo ou bom—, o presidente terá pouca chance de êxito. Historicamente, PT tem apoio de um percentual semelhante e “hoje ninguém mais tem medo dele”.

(Foto – Agência Brasil)

Depen inspeciona presídios cearenses; Estado quer Força Nacional por mais 90 dias no sistema

536 1

Uma comissão do Departamento Penitenciário Nacional (Depen), organismo do Ministério da Justiça e Segurança Pública, inicia, nesta segunda-feira, inspeções no sistema penitenciário do Ceará. As visitas devem se estender até quarta-feira. Nesse grupo, corregedoria, pessoal da saúde e técnicos de políticas penitenciárias do departamento.

Segundo o secretário da Administração Penitenciária, Mauro Albuquerque, o objetivo é ver de perto as mudanças já realizadas pela pasta nas 17 unidades do sistema. Ele, no entanto, vai apelar ao Depen para que mantenha a Força Nacional de Intervenção Penitenciária no Estado por mais 90 dias.

O secretário Mauro Albuquerque diz que só permanecem no sistema 40 agentes da Força Nacional de Intervenção, pós-onda de ataques de facções criminosas. Ele quer a permanência desse grupo para reforçar o treinamento dos agentes penitenciários, mostrar noções de doutrina e buscar revolucionar o sistema penitenciário no Estado.

“Queremos, no mínimo, 150 agentes por mais 90 dias”, adianta o secretário, dentro do objetivo de ter condições de continuar tocando mudanças na área. Essa visita da comissão do Depen ao Ceará atende a um pedido feito, na semana passada, pelo governador Camillo Santana ao ministro Sergio Moro.