Blog do Eliomar

Categorias para Brasil

Governo promete PEC para agradar bancada nordestina

“Para acalmar os ânimos dos deputados do Nordeste, o governo Temer vai prometer editar uma PEC aumentando o percentual do Fundo de Participação dos Estados.

A ampliação do FPE era justamente o que os governadores da região queriam em troca de liberar seus deputados para que votassem o projeto de renegociação das dívidas dos estados.”

(Veja Online)

Peritos tem 15 dias para aderir ao Programa de Revisão de Benefícios

Os peritos médicos interessados em participar da força-tarefa de revisão dos benefícios auxílio-doença e aposentadoria por invalidez têm 15 dias para assinar termo de adesão ao programa.

A informação está em resolução do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) que institui o ´Programa de Revisão dos Benefícios por Incapacidade´ e estabelece regras para os peritos. Na semana passada, o governo divulgou os critérios de convocação dos beneficiários que passarão pela reavaliação.

MIchel Temer agenda audiência com lideranças do setor industrial nordestino

beto-studart (1)

Da Coluna Vertical, do O POVO desta quinta-feira:

O presidente em exercício Michel Temer, que ontem recebeu lideranças da Firjan e da Fiesp, repetirá a agenda no próximo dia 16. Dessa vez, conversará com dirigentes das federações da indústria dos Estados nordestinos.

Segundo o presidente da Fiec, Beto Studart, que já recebeu o convite do Palácio do Planalto, o objetivo é ouvir as queixas da região e, em especial, o que a União poderá fazer para amenizar problemas de crédito na área da construção, exportação e, principalmente, a seca, que gera prejuízos também para a indústria.

Beto levará uma caravana de empresários de vários segmentos. Nela, por exemplo, Fernando Cirino, ex-presidente da federação, e Carlos Prado, que representa um setor que sofre com a estiagem: a fruticultura. Essas entidades deverão ratificar também apoio ao governo federal.

 

São Francisco – Governo federal investe em sistemas de esgotamento sanitário

O Ministério da Integração Nacional está investindo na implantação de sistemas de esgotamento sanitário. As ações fazem parte de um programa de revitalização do rio São Francisco. Desde 2007, foram concluídas 83 obras de sistemas de esgotamento sanitário que beneficiam 847 mil pessoas de cinco estados – Alagoas, Bahia, Minas Gerais, Pernambuco e Sergipe. Por meio da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e Parnaíba (Codevasf), o Governo Federal já investiu R$ 1,3 bilhão. Outras 24 estão em execução.

O sistema de esgotamento sanitário é um conjunto de obras e instalações que realizam coleta, transporte e tratamento do esgoto doméstico e a disposição final do efluente tratado. Além de garantir a preservação do rio com o tratamento adequado dos resíduos, o sistema também contribui com os serviços de saúde, com prevenção e redução de doenças causadas pela falta de saneamento básico.

Uma das principais obras de esgotamento realizadas pelo Ministério da Integração Nacional é a estação de Lagoa da Prata, localizada no Alto São Francisco, em Minas Gerais. Com recursos federais de R$ 32,9 milhões, a estação está em funcionamento desde 2015 e tem beneficiado cerca de 50 mil pessoas.

São tratados 240 litros por segundo do esgoto da cidade que hoje chega à bacia do rio Jacaré, afluente do São Francisco. O empreendimento também possibilitou a descontaminação dos córregos Chico Félix, Chico Silveira e Chico Messias, na Lagoa Verde, que antes recebiam o esgoto in natura. A ação resultou de uma parceria entre a Codevasf e o Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Lagoa da Prata (SAAE), que ficou a cargo da elaboração do projeto.”

(Site do MIN)

Rodrigo Janot pede ao STF que ação a favor de Lula não seja aceita

O procurador-Geral da República (PGR), Rodrigo Janot, entregou um documento ao Supremo Tribunal Federal (STF) no qual pede que uma ação levada à Corte pela defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva não seja aceita. O procurador pede ainda que uma decisão liminar (provisória) concedida pelo presidente da Corte, ministro Ricardo Lewandowski, na mesma ação, seja anulada.

Em julho, a defesa do ex-presidente levou um recurso ao STF, onde os advogados pediram liminarmente que toda a investigação sobre Lula volte a tramitar no Supremo. Os advogados alegam que os parlamentares citados em diálogos com o ex-presidente têm foro privilegiado e, por isso, só podem ser julgados pela Corte.

Durante o recesso do judiciário no mês passado, o presidente do Supremo decidiu que a parte em que Lula aparece em conversas grampeadas com políticos deveria ser separada para que o relator do processo, ministro Teori Zavascki, analisasse a legalidade da investigação. Durante o recesso, o presidente da Corte julga as ações consideradas urgentes.

No mês de junho, uma decisão do ministro Teori Zavascki remeteu as investigações sobre o ex-presidente para o juiz Sérgio Moro. Teori anulou uma gravação feita durante a Operação Lava Jato em que Lula aparece conversando com a então presidenta Dilma Rousseff.

Na manifestação entregue ontem (9), Janot alega que, na liminar concedida por  Lewandowsk, durante o recesso, não foi tratado de maneira suficiente se caberia ou não o tipo de ação usado pela defesa para apresentar os fatos ao Supremo. Janot disse que Moro não está descumprindo a decisão de Teori, que remeteu o processo à primeira instância e que o juiz, segundo as informações que foram prestadas no processo, “está adotando as cautelas necessárias para dar efetividade à referida decisão”. Antes de conceder a liminar, Lewandowski pediu que Moro envie informações à Corte.

No documento, Janot lembra ainda que, apesar do ministro Teori Zavascki ter anulado a gravação da conversa entre Dilma e Lula, as demais foram preservadas. “ (…) houve reconhecimento da nulidade do conteúdo de conversas colhidas após a determinação judicial de interrupção das interceptações telefônicas, não daquelas outras colhidas antes da decisão de interrupção, que permanecem válidas e podem ser utilizadas se tiverem relevância probatória em futura ação penal”, diz o texto.

“Posto isso, não há desrespeito à decisão dessa Corte Suprema, tampouco usurpação de sua competência, devendo ser cassada a liminar concedida, julgando improcedente a reclamação”, pede Janot na manifestação. O pedido será analisado pelo ministro Teori Zavascki, que é o relator do caso.

(Agência Brasil)

Dia dos Pais – Filho de Chico Anísio é atração no Shopping Benfica

andrelucAASS

Nesta quinta-feira, em homenagem ao Dia dos Pais, o Shopping Benfica apresentará o espetáculo “Tal pai, Tal filho” com o humorista André Lucas, filho de Chico Anysio. A apresentação será gratuita, a partir das 19 horas, na Praça de Alimentação.

O show foi a primeira parceria nos palcos entre pai e filho e viajou o país inteiro. Em cena, nada de maquiagem e peruca. As criações aparecem nas expressões faciais, variedades vocais, sotaques e, principalmente, nos textos de causos, piadas e esquetes escritas por Chico Anysio.

(Foto – Divulgação)

Impeachment – Alegações finais contra Dilma são entregues pela acusação

Apesar das 48 horas de prazo para entregar as alegações finais do processo de impeachment –o chamado libelo acusatório – da presidenta afastada Dilma Rousseff, o representante dos advogados responsáveis pela acusação já protocolou, no início da tarde desta quarta-feira (10), o documento na Secretaria-Geral da Mesa do Senado. “As provas são contundentes, são cabais, contra fatos não há argumentos. Para que procrastinar a solução de uma controvérsia que a todos incomoda e causa um desconforto político, econômico doloroso? Não só para os parlamentares que se tornam juízes do feito, mas sobretudo para a sociedade que sofre as consequências dos atos nefastos praticados pela presidente”, destacou o advogado João Berchmans Serra sobre o documento de nove páginas.

Testemunhas

Apesar de não ter ido pessoalmente ao Senado, o jurista Miguel Reale Júnior, que, junto com os advogados Hélio Bicudo e Janaína Paschoal, é responsável pelo documento, confirmou, por telefone, que a acusação irá abrir mão de três das seis testemunhas a que tem direito no processo e sinalizou que no dia do julgamento final poderá até dispensar outras.

Os nomes escalados pela defesa, também entregues hoje, não são novidade. Todos já foram ouvidos pela Comissão Especial do Impeachment ainda na fase de admissibilidade do processo. Além do representante do Ministério Público Federal (MPF) junto ao Tribunal de Contas da União (TCU), Júlio Marcelo de Oliveira, na lista entregue ao Senado estão o auditor federal de contas de controle externo do TCU Antônio Carlos Costa D’Ávila Carvalho e o auditor federal de controle externo da Secretaria de Macroavaliação Governamental do tribunal Leonardo Rodrigues Albernaz.

Defesa

Para defesa, o prazo para apresentação das alegações finais contraditando os argumentos da acusação termina na segunda-feira (15), mas a expectativa é que o advogado José Eduardo Cardozo se antecipe e entregue amanhã (11) no fim da tarde. Diferentemente da acusação, Cardozo pretende indicar as seis testemunhas a que também têm direito. Na última fase, o advogado não descarta a possibilidade de Dilma ir pessoalmente se defender no Senado.

Pronúncia

Em uma sessão que começou na manhã de ontem (9) e terminou na madrugada desta quarta-feira (10), a presidenta afastada Dilma Rousseff se tornou ré no processo de impeachment. O Senado decidiu, por 59 votos a favor e 21 contra, pela aceitação do parecer que leva a petista ao julgamento por crime de responsabilidade, que pode cassar o seu mandato, previsto para começar no fim de agosto. A votação foi dividida em quatro partes, uma para cada crime imputado a Dilma — três decretos de suplementação orçamentária sem autorização do Congresso e a suposta operação de crédito com o Banco do Brasil no Plano Safra.

Julgamento Final

Com a antecipação da entrega do libelo acusatório, repeitando o intervalo mínimo de dez dias, a data do julgamento final que vai decidir se a petista será afastada definitivamente do cargo poderá ser marcada pelo presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, já a partir do dia 23. Nessa votação final, serão necessários 54 votos contrários a petista que, se for derrotada, também ficará inelegível por oito anos. Aliados do presidente interino Michel Temer pressionam para o julgamento começar no dia 25, em uma quinta-feira. Mesmo com a expectativa de a fase final durar até cinco dias, Lewandowski já adiantou que não marcará sessões no fim de semana.

Os advogados de acusação deverão acompanhar no plenário o julgamento final. A exceção será o jurista Hélio Bicudo, de 94 anos, que enfrenta graves problemas de saúde, mas mesmo assim fez questão de assinar todas as peças apresentadas pela acusação.

(Agência Brasil)

Hub BNB de Inovação promoverá seminário sobre Israel

3103CD0201

O presidente do Banco do Nordeste, Marcos Holanda, para quem a inovação é palavra-chave em sua gestão, abrirá, nesta quinta, 11, no Hub Inovação Nordeste, no Passaré, em Fortaleza, o Seminário Conexão Israel – Brasil: o modelo do segundo polo de inovação do mundo e sua replicação no Nordeste”.

Israel é o primeiro polo de inovação do mundo fora dos Estados Unidos. O evento terá participação de oito estudantes de Mestrado, do Centro Bengis para o Empreendedorismo e Inovação da Ben Gurion University, de Israel, e de sete startups do Nordeste que apresentarão seus projetos.

Marcos Holanda considera que a região precisa não só de financiamento, mas principalmente de pessoas criativas e talentosas que contribuam com novas ideias para o desenvolvimento do Nordeste.

Operação Lava Jato não solucionará o problema da corrupção no Brasil, afirma Sérgio Moro

O juiz responsável pela Operação Lava Jato, Sérgio Moro, e o procurador da República que coordena a operação, Deltan Dalagnol, afirmaram hoje que o trabalho que realizam junto com a Polícia Federal, em Curitiba, de desarticular o esquema de desvios na Petrobras, não pode ser visto como o caminho para solucionar a corrupção no Brasil. Eles participaram hoje (10) da palestra Democracia, Corrupção e Justiça: diálogos para um país melhor, promovida pelo Centro Universirtário de Brasília (Uniceub), em Brasília.

Desde a semana passada, Moro e Dalagnol assumiram uma defesa mais vocal de uma reforma estrutural das instituições. Nos últimos dias, eles também foram à Câmara dos Deputados para defender uma legislação mais dura contra a corrupção.

Os deputados foram obrigados a instalar uma comissão especial para discutir o tema, após o Ministério Público Federal (MPF) colher duas milhões de assinaturas em apoio a dez pontos de combate à corrupção defendidos pelo órgão. Enquanto Moro e Dalagnol participavam da palestra em Brasília, a Polícia Federal do Rio de Janeiro deflagrou mais uma fase da Lava Jato, denominada Operação Irmandade.

“O que é importante é que esse caso [Lava Jato] não fique apenas nos culpados, nos punidos, mas que isso propicie uma agenda de reformas”, disse Moro, em palestra no Uniceub. “Não é uma questao de um indivíduo, de um super juiz, super procurador, super polícia, isso é um trabalho institucional”, acrescentou.

Participante da mesma mesa, Dalagnol disse, para uma plateia formada por professores e estudantes de direito, que a Lava Jato não é a solução para o Brasil. “A Lava Jato, na verdade, trabalha na cura de um câncer, mas é o sistema que é cancerígeno”.

O procurador voltou a afirmar o que havia dito durante audiência pública ontem (9), na Câmara, que o Brasil é o país da impunidade. Ele citou um estudo da Fundação Getúlio Vargas (FGV), segundo o qual apenas 3% dos investigados por corrupção no país são condenados. Destes, a sentença média é de quatro anos, usualmente convertidos no pagamento de cestas básicas e serviços comunitários. “A pena por corrupção é uma piada de mau gosto no Brasil.”

Após manifestações entusiasmadas da plateia, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso, que mediou o evento, interpretou o apoio que a população tem manifestado ao juiz Sérgio Moro como um sinal da necessidade de fortalecer as instituições. “São heróis, porque são exceção. Você precisa de heróis quando as instituições não funcionam.”

(Agência Brasil)

Dilma, o impeachment e as coincidências

uoll

Nesta terça-feira, no Congresso, alguns falavam sobre as coincidências do impeachment.

Uma delas era o fato de Dilma Rousseff ter escolhido justamente a bicicleta como esporte, mal sabendo que acabaria tomando uma queda da presidência devido a pedaladas.

Outra era a seguinte: o último presidente a fazer aparições públicas em atividades físicas foi justamente Fernando Collor, que acabou amargando o mesmo destino da petista.”

(Veja Online/Foto – Portal Uol)

Líderes da construção civil do Ceará terão encontro com Temer

FORTALEZA, CE, BRASIL, 08-06-2015: André Montenegro, engenheiro e presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado do Ceará (SINDUSCON-CE). Entrevista com André Montenegro para o caderno Imóveis. (Foto: Camila de Almeida/O POVO)

Empresários e dirigentes da construção civil avaliam ter sido estancado o processo de deterioração da economia brasileira e defendem um avanço mais rápido na adoção de medidas que recuperem a confiança do empreendedor e melhorem o ambiente de negócios no país. “O Brasil hoje é um doente terminal que estabilizou na UTI. Agora, precisa sair de lá”, diz José Carlos Martins, presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC). “Esse é o momento de construirmos uma arrancada e reanimar a economia. A construção civil tem grande contribuição a dar, pois é um setor que responde rápido na geração de emprego e renda”.

É com essa expectativa que será realizado o Encontro com a Construção Civil – Unindo forças para construir o futuro do Brasil. O evento vai reunir em Brasília, nesta quinta-feira, no Palácio do Planalto, dirigentes de 98 entidades, empresários e representantes de todos os segmentos da construção civil (construtoras, mercado imobiliário, fabricantes de material de construção, lojistas, projetistas, arquitetos, engenheiro e outros) para demonstrar ao presidente interino, Michel Temer, a importância do setor para o desenvolvimento nacional.

Estão confirmadas as presenças de cerca de 800 pessoas, entre elas, uma comitiva do Sinduscon-CE, liderada pelo presidente André Montenegro, acompanhado por seus vice-presidentes e diretores. “Queremos ouvir as propostas do setor para a retomada do crescimento”, acentua Montenegro.

IFCE ganhará uma nova Reitoria

reitoria

O reitor do Instituto Federal do Ceará (IFCE), Virgílio Araripe, vai inaugurar, às 16 horas desta sexta-feira, a sua nova unidade administrativa, com 3,5 mil m2 de área construída, no bairro Jardim América, em Fortaleza. Todo o complexo, incluindo o prédio principal de três pavimentos, onde funcionarão a reitoria, pró-reitorias, departamentos, diretorias e assessorias, é resultado de um investimento de aproximadamente R$ 17 milhões.

A estrutura, cujas obras tiveram início em dezembro de 2014, conta com um bloco administrativo principal com elevadores, bloco de serviços, estacionamento para 174 vagas, praça e bicicletário. Um amplo espaço verde foi mantido, dando mais bem-estar ao ambiente externo dos prédios.

A nova sede também abrigará um memorial, com inauguração prevista para setembro, que será instalado em uma antiga e histórica edificação, ao lado do prédio da reitoria. O casarão está em processo de recuperação para acolher a história de 107 anos da instituição.

A área total do terreno é de cerca de 19 mil m2, espaço cedido pela União ao IFCE e anteriormente utilizado pela Superintendência Federal de Agricultura.

(Foto – IFCE)

 

Fecta 2016 – Começa segunda etapa do festival

fcta

Neste mês, a Companhia Teatral Acontece (CTA) presenteia mais uma vez os fortalezenses e apresenta a segunda etapa do Fecta 2016: a “Mostra Estudantil'”  Voltada aos alunos de escolas públicas e particulares, o evento é feito de esquetes que possuem caráter pedagógico-teatral.

Sempre à tarde, pontualmente às 14 horas, e com entrada gratuita, o evento terá a duração de seis dias (8 e 13 de agosto) em três teatros da Capital: Os teatros Sesc Iracema, Emiliano Queiroz e no Teatro Acontece – Escola Livre de Teatro. O acesso é gratuito.

O Fecta 2016 é uma realização da Companhia de Teatro Acontece (CTA), em parceria com a Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult) – por meio do Edital de Demanda Espontânea, Serviço Social do Comércio (Sesc) e o Centro Cultural Banco do Nordeste de Fortaleza (CCBNB-Fortaleza).

Confira a programação, a partir desta quarta-feira, 10

10 de agosto (Teatro Sesc Emiliano Queiroz)
FECTA Convida – Maldita Geni | Centro de Artes livre | Fortaleza –CE
Ela – Núcleo Teatro Duque de Caxias | Colégio Duque de Caxias | Fortaleza – CE
A Linha do Tempo – Grupo de Teatro Máscara na Face e Escolinha Faz de Conta | Colégio Nossa Senhora das Graças | Fortaleza – CE
Toda Palavra é Reciclada – GATEQ – Grupo de Artes e Teatro Edson Queiroz | EEEP Edson Queiroz | Cascavel- CE

11 de agosto (Teatro Sesc Emiliano Queiroz)
FECTA Convida – O Reino Mágico da Alegria Escola Dom Hélder Pessoa Câmara | Fortaleza – CE
No Quarto de Luiza – Entrando em Cena | Varjota – CE
Aquele que diz – Teatro Eleuthéria | E.E.P. Júlia Giffoni | Fortaleza – CE
Um Certo Antônio Conselheiro do Brasil – Eu In Cena | Grupo Arte de Viver | Fortaleza- CE

12 de agosto (Teatro Sesc Iracema)
Alice – Núcleo Teatro Duque de Caxias | Colégio Duque de Caxias | Fortaleza – CE
No Caminho do Sol – Plift Ploft Pluft Pronto Acabô | Escola Cesar Cals | Fortaleza – CE
Hermanoteu na Terra de Godah – PELC – Ipu | Escola Maria Valdimira | Ipu – CE

13 de agosto (Teatro Acontece/Escola Livre de Teatro) – rua João Tomé, 640, bairro Monte Castelo
Apresentação de dança do Grupo CAL
Espetáculo Lótus- A mácula
Premiação e encerramento da segunda etapa do Fecta 2016

SERVIÇO

*Teatro Sesc Iracema, Teatro Sesc Emiliano Queiroz e Teatro Acontece/Escola Livre de Teatro
*Horário: 14 horas
*A entrada é gratuita

Rodrigo Maia recebe lideranças do comércio

honorioefreitascordeiro

Honório Pinheiro e Freitas Cordeiro.

O presidente da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas (FCDL), Freitas Cordeiro, participa de almoço, em Brasília, com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM/RJ).

Nesse almoço, lideranças nacionais do comércio como o presidente da CNDL, Honório Pinheiro, e dirigentes de vários segmentos da área.

No meu, a Agenda do Comércio no plano do legislativo.

Cassação de Cunha – Data da votação do processo sairá nesta quarta-feira

Brasil, Brasília, DF, 02/03/2015. O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ)convoca reunião com a Mesa Diretora para rever a cota de passagens aéreas para cônjuges de parlamentares. "Reconheço que a repercussão foi muito negativa", afirmou o peemedebista. O benefício foi aprovado na reunião da Mesa Diretora no dia 25 de fevereiro. - Crédito:DIDA SAMPAIO/ESTADÃO CONTEÚDO/AE/Código imagem:180989

“O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), confirmou que, na tarde de hoje (10), anunciará o dia da votação do processo de cassação do deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Maia evitou antecipar tendências e afirmou que todas as posições são legítimas.

O parlamentar ainda está ouvindo líderes partidários, um a um. Enquanto a oposição defende a votação imediata, a base governista do presidente interino, Michel Temer, quer que a decisão sobre o futuro de Cunha, ex-presidente da Câmara, ocorra depois da conclusão do processo de impeachment da presidenta afastada Dilma Rousseff, previsto para o dia 26.

“Não haverá decisão que saia da curva histórica dos processos de cassação desta Casa”, afirmou Maia, ao se referir a um prazo entre quatro e cinco semanas para votação, contado a partir do momento em que o processo foi encaminhado para Mesa Diretora da Câmara.”

(Agência Brasil)

A Lava Jato chegou ao PSDB

Com o título ” A Lava Jato chegou ao PSDB”, eis artigo do jornalista Elio Gaspari, que pode ser conferido no O POVO desta quarta-feira. Depois da Olimpíada, diz o jornalista, começará a maratona da memória e da contabilidade da OAS e da Odebrecht. Confira:

A revelação de que em 2010 a Odebrecht botou R$ 23 milhões (sem nota fiscal) na caixa da campanha presidencial de José Serra levou a Lava-Jato para a porta do PSDB. Há pelo menos dois meses sabia-se que isso aconteceria, assim como se sabe que a OAS repetirá a dose. Nos dois casos, as denúncias só ficarão de pé se vierem acompanhadas de demonstrativos das movimentações financeiras. Vinte e três milhões não eram um trocado. Equivaliam a dez vezes o que a empreiteira declarou oficialmente e a 20% do custo total da campanha estimado pela tesouraria do PSDB semanas antes do pleito.

A colaboração dos empreiteiros poderá trazer de volta ao cenário um personagem que assombrou o tucanato durante a campanha de 2010. É Paulo Vieira de Souza, um ex-diretor da Dersa, a estatal paulista de rodovias. Engenheiro respeitado, era um destacado negociador de contratos com empreiteiras.

Ele também era conhecido como “Paulo Preto” e foi “cripticamente” mencionado por Dilma Roussef durante um debate da campanha. No serpentário tucano, acusavam-no de ter sumido com R$ 4 milhões do partido. Em três ocasiões, a bancada do PSDB evitou que ele depusesse a uma comissão da Assembleia sobre os custos de obras rodoviárias. Vieira de Souza chegou a se queixar dos tucanos “ingratos” e “incompetentes”, pois não se deixa “um líder ferido na estrada a troco de nada”. A chaga cicatrizou, mas será reaberta se algum executivo de empreiteira mencionar o seu nome na colaboração.

O PSDB governa São Paulo desde 1995 e Geraldo Alckmin é o cidadão que esteve por mais tempo na cadeira de Prudente de Moraes, Campos Salles e Rodrigues Alves. Essa longevidade, mesmo derivando de eleições competitivas, dá ao tucanato uma aura de República Velha, com o inevitável cansaço dos materiais.

Desde 2008, quando a Siemens alemã demitiu o presidente de sua filial brasileira “por grave contravenção das diretrizes” da empresa, as administrações tucanas são perseguidas por denúncias de irregularidades na contratação de serviços e equipamentos em obras de transporte público.

A Siemens colaborou com o Ministério Público quando a expressão “delação premiada” ainda era pouco conhecida e fez isso a partir de uma reviravolta na política de sua matriz. Nada a ver com as implicâncias locais, inclusive porque a denúncia veio da uma reportagem do “The Wall Street Journal”. Procuradores suíços remeteram ao Brasil documentos que comprovavam o pagamento de propinas, e um dos fornecedores de equipamentos, a francesa Alstom, tornou-se sinônimo da própria encrenca.

Ela compartilhava os consórcios de obras de linhas do metrô de São Paulo com as empreiteiras Odebrecht, OAS, Camargo Corrêa, Andrade Gueierrez e Queiroz Galvão. Segundo o Ministério Público da Suíça, entre 1998 e 2001, a Alstom aspergiu US$ 34 milhões na burocracia paulista sob a forma de contratos fictícios de consultoria.

À primeira vista, esses malfeitos seriam semelhantes, em ponto menor, às petrorroubalheiras petistas. O que diferencia as duas investigações é o resultado. Em menos dois anos, a Operação Lava-Jato já condenou 57 réus a 680 anos de prisão. A investigação paulista completou oito anos, sem maiores resultados.

*Elio Gaspari,

Jornalista.

 

PEC do gasto público passa na CCJ e vai a plenário

daniloforte

Recebida das próprias mãos do presidente em exercício Michel Temer, os cuidados da principal pauta do governo – a PEC do teto do gasto público – ficaram a cargo do deputado cearense Danilo Forte (PSB).

Na semana passada, Forte apresentou parecer favorável à PEC na Comissão de Constituição e Justiça e da Cidadania da Câmara. Ontem, depois de sete horas e intenso debate, a PEC foi aprovada na CCJ por 33 a 18. A aprovação agradou Temer. Agora seguirá ao plenário.

Segundo Danilo, este é o primeiro passo para reorganizar a economia e retomar o crescimento com responsabilidade.

(Foto – Divulgação)

Dilma vai divulgar carta à Nação denunciando golpe

dilma

“Agora ré no processo de impeachment, a presidente afastada Dilma Rousseff decidiu radicalizar os termos da carta que pretende divulgar à Nação antes da votação definitiva sobre o seu afastamento, marcada para o final deste mês no Senado. Vai usar o termo “golpe” e denunciar o boicote que sofreu dos deputados e senadores, principalmente do PMDB, e do presidente interino Michel Temer quando ainda era chefe do poder Executivo.

Na versão inicial da carta, apresentada a alguns aliados no último domingo (7), Dilma tinha retirado o termo “golpe” e tentar conquistar os seis votos de que precisa para tentar formar um grupo com 28 aliados e, consequentemente, barrar o impeachment. Mas, após a manifestação de alguns senadores em discursos durante a penúltima votação do processo, concluída na madrugada desta quarta-feira (10), Dilma decidiu recolocar o termo que tem utilizado em entrevistas a jornais estrangeiros e durante as manifestações de que participou em apoio ao seu governo.

O discurso que fez Dilma radicalizar nos termos da carta foi o do senador Cristovam Buarque (PPS-DF), seu ex-aliado e ex-ministro da Educação no primeiro governo do ex-presidente Lula. Segundo aliados da presidente afastada, Dilma ficou irritada principalmente com os termos utilizados por Cristovam, que acusou o governo petista de trair a própria inteligência.

O texto final da manifestação da petista vai ser submetido a uma comissão formada por cinco senadores de vários partidos, todos eles contrários ao impeachment. Dilma convocou para a empreitada os senadores José Pimentel (CE), Acir Gurgaz (PDT-RO), Roberto Requião (PMDB- PR), Armando Monteiro (PTB-PE) e Kátia Abreu (PMDB-TO) – estes dois últimos nomes, respectivamente, seus ex-ministros do Desenvolvimento e da Agricultura. Esse grupo votou contra o impeachment e vai se encontrar com a presidente afastada, na tarde desta quarta-feira (10), no Palácio do Alvorada, residência oficial da Presidência da República ainda ocupada pela petista.”

*Do Site Congresso em Foco aqui.