Blog do Eliomar

Categorias para Brasil

Ministério da Agricultura proíbe a venda de seis marcas de azeite

O Ministério da Agricultura proibiu a comercialização de seis marcas de azeite. A decisão foi tomada após equipes de fiscalização encontrarem produtos fraudados ou impróprios para o consumo. As marcas vetadas foram: Oliveiras do Conde, Quinta Lusitana, Quinta D’Oro, Évora, Costanera e Olivais do Porto.

A fiscalização descobriu azeites com problema em Alagoas, Goiás, Mato Grosso, Paraíba, Pernambuco, Paraná, Santa Catarina e São Paulo. Os itens estavam em redes de supermercados e pequenos estabelecimentos de comercialização de alimentos.

A identificação resultou de uma operação da Polícia Civil de São Paulo, que encontrou uma fábrica clandestina que adulterava azeites, misturando óleos para colocar no mercado garrafas sem azeite de oliva. Essa prática é fraude ao consumidor e crime à saúde pública. Após essa operação, foram testadas 54 marcas do produto.

Os comerciantes do produto, como redes de supermercado, onde foram encontrados os itens irregulares, terão de informar os estoques restantes. Caso se recusem a fornecer informações sobre a presença desses produtos, podem ser autuados.

A empresa pega vendendo produtos das marcas objeto da proibição poderão ser denunciadas ao Ministério Público Federal e responsabilizadas criminalmente, bem como punidas com multas de R$ 5 mil por ocorrência.

O Ministério da Agricultura alerta os consumidores a desconfiar de azeites muito baratos, pois há boas chances de adulteração. Segundo o órgão, em geral o item custa em torno de R$ 17, enquanto exemplares falsificados são comercializados por entre R$ 7 e R$ 10.

(Agência Brasil)

PSB fecha questão contra a proposta da reforma da Previdência

Odorico Monteiro e o presidente nacional  da sigla, Carlos Siqueira.

O PSB fez reunião nesta segunda-feira, em Brasília, e fechou questão contra a proposta de reforma da Previdência do governo Jair Bolsonaro. A decisão foi tomada pelo diretório nacional da legenda.

É o que informa para o Blog o presidente regional do PSB, ex-deputado federal Odorico Monteiro, que participou do encontro no qual também estiveram os 32 parlamentares federais do partido. Houve apenas um voto contra e uma abstenção na hora em que o tema foi exposto.

“Fechamos questão porque essa proposta de reforma só atinge a classe trabalhadora, os menos favorecidos e mantém privilégios”, adiantou Odorico.

Na prática, quem votar a favor dessa proposta, poderá ser expulso”, complementou o dirigente partidário. O PSB contava com um senador, no caso Kajuru, de Goiás, mas ele acabou deixando a sigla depois de não ter seguido orientação contra o decreto das armas do presidente Bolsonaro.

(Foto – Divulgação)

A licença de Sergio Moro

196 4

Com o título “Licença de Moro é para fugir do escândalo”, eis artigo de Fernando Brito, que saiu publicado no Blog Tijolaço, nesta segunda, 8. O ministro da Justiça e Segurança Pública pediu licença, a partir da próxima semana, para tratar de assuntos particulares. Confira o que diz o articulista:

Nem a minha ingênua avozinha acreditaria que a licença de Sérgio Moro do Ministério da Justiça – oficialmente de 15 a 19 de julho, na prática do dia 12 ao 22 – é mesmo para tratar de “assuntos particulares”.

Porque coincide, claro, com o período “chapa quente” em que Moro se encontra, que vai se aquecer mais com a provável divulgação, a partir desta semana, com a parte mais comprometedora dos arquivos em poder do The Intercept, possivelmente com a divulgação dos áudios que possuem, segundo adiantou o colunista de Veja Ricardo Noblat.

Moro mandou dizer, pelos seus porta-vozes de O Bolsonarista, que “não tem medo do que eles têm”, referindo-se à equipe de Glenn Greenwald e de seus parceiros Veja e Folha.

Algo estranho, para quem só tem como defesa a história do hacker e a alegação de que as mensagens não são verdadeiras, o que já não convence ninguém.

Alguém precisa avisar ao Dr. Moro que a leitura é que ele está se escafedendo do que vem por aí.

Prefeituras vão receber nesta terça-feira um repasse extra do FPM

Nesta terça-feira, as Prefeitura receberão um repasse extra de 1% do Fundo de Participação dos Municípios (FPM). O benefício é decorrente de uma conquista da Confederação Nacional de Municípios (CNM), informa a entidade. Será creditado um total de R$ 4,33 bilhões a ser dividido entre os 5.568 Municípios.

Constante no texto da Emenda Constitucional 84/2014, o repasse extra de 1% do FPM representa 6,96%, comparado ao mesmo período do ano anterior. Já quando comparado ao valor estimado pela CNM, que era de R$ 4,47 bilhões, o montante foi 3,09% menor.

A CNM destaca que, de acordo com a redação da Emenda Constitucional, ao 1% adicional do FPM não incide retenção do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb).

O repasse é uma transferência constitucional e por isso deve ser aplicado em Manutenção e Desenvolvimento de Ensino (MDE), aleta a Confederação.

Fafá de Belém traz novo show para Fortaleza

A cantora Fafá de Belém vai se apresentar em Fortaleza no dia 21 de julho, a partir das 20 horas, no Teatro RioMar. Hora de divulgar novo disco e novo show baseado no álbum “Humana”, lançado em abril deste ano.

O repertório é formado por todas as músicas do novo álbum como “Revelação”, single já lançado que ficou muito conhecido na voz de Fagner, “O Outro Lado do Sorriso”, entre outras. Farão parte do set list também algumas canções do seu repertório que tenham o perfil do novo trabalho, como “Dentro de Mim Mora um Anjo” e “Bilhete”. “É um show de grande força interpretativa”, conta Fafá.

Pela primeira vez, a cantora gravou grandes autoras femininas que nunca tinha gravado, como Letrux, Fátima Guedes, Adriana Calcanhoto e Ava Rocha. Além disso, pela primeira vez interpreta composições de Jads Macalé e Wally Salomão. O disco tem também uma faixa composta por Lulu Santos.

SERVIÇO

*Teatro RioMar  – Rua Lauro Nogueira, 1.500 – piso L3 do Shopping RioMar Papicu.

*Classificação: Livre

*Canais de venda de ingressos – Site: www.uhuu.com

(Foto – Divulgação)

Deltan manda ofício para o Congresso dizendo que não irá falar sobre conversas vazadas

358 7

Deltan Dallagnol, procurador da Lava-Jato, informou, nesta segunda-feira, que não vai comparecer ao Congresso Nacional para dar explicações sobre conversas vazadas entre ele e o ex-juiz Sergio Moro, hoje ministro da Justiça e Segurança Pública.

O vazamento foi divulgado pelo site The Intercept Brasil. Deltan mandou ofício com o seguinte teor, segundo informa a Radar, da Veja Online:

“O Congresso Nacional é uma das Instituições mais relevantes em nossa democracia e corresponsável pela definição dos rumos do país, como um dos poderes da República. Como membro do Ministério Público, Instituição essencial à Justiça, tenho por função constitucional desempenhar trabalho de natureza técnica perante o Judiciário, outro poder, situação distinta daquela de agentes públicos vinculados ao Poder Executivo. Esse trabalho técnico consiste em investigar fatos e buscar a aplicação da lei penal de modo eficiente e justo, de acordo com a Constituição e com as leis, atividade funcional sujeita à apreciação do Poder Judiciário.

Diante disso, muito embora tenha sincero respeito e profundo apreço pelo papel do Congresso Nacional nos debates de natureza política que realiza e agradeça o convite para neles participar, acredito ser importante concentrar na esfera técnica minhas manifestações sobre mensagens de origem criminosa, cuja veracidade e autenticidade não reconhecemos, e que vêm sendo usadas para atacar a Operação Lava Jato.”

(Foto – Agência Brasil)

Embaixador do Japão diz que reformas atrairão empresas do seu país para o Brasil

O Embaixador do Japão no Brasil, Akira Yamada, disse hoje (8), em Brasília, que a aprovação pelo Congresso Nacional de reformas, como a da Previdência, pode estimular que mais empresas japonesas invistam no Brasil.

“Estou convicto de que, se as reformas avançarem, muitas empresas japonesas voltarão a olhar para o Brasil novamente para se instalar e aumentar os investimentos”, afirmou, destacando a cooperação econômica entre os dois países.

A declaração foi feita durante sessão solene no Senado em homenagem aos 111 anos da imigração japonesa no país.

“Terceira maior economia do mundo, o Japão apresenta muitas oportunidades e oferece enorme potencial para as exportações brasileiras. Parceiro mais tradicional do Brasil na Ásia e com quem temos cooperação técnica há 60 anos, o governo brasileiro tem envidado esforços para o início das negociações comerciais Mercosul e Japão, um melhor acesso de produtos de nosso agronegócio, a diversificação de nossas exportações e atração de novos investimentos japoneses” ressaltou a diretora do departamento de Japão e Pacífico do Ministério de Relações Exteriores, Cecília Ishitani.

A sessão – proposta pela senadora Leila Barros (PSB – DF) – lembrou a chegada , em junho de 1908, do navio Kasato Maru, no Porto de Santos (SP), trazendo 781 japoneses para trabalhar nas fazendas do interior paulista.

Hoje, o Brasil abriga a maior comunidade de descendentes nipônicos do mundo, com cerca de 2 milhões de pessoas.

A solenidade teve ainda dança típica japonesa e apresentação de judô.

(Agência Brasil)

Iphan abre consulta sobre Paisagem Cultural Brasleira

Uma nova possibilidade de reconhecimento de bens culturais vai incrementar o mapa do Patrimônio Cultural do país: a Chancela como Paisagem Cultural Brasileira, voltada para lugares cuja especificidade é resultado das relações entre grupos sociais e a natureza. Esse é o tema da consulta pública aberta pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e que se estemderá até o dia 17 de agosto. Os interessados podem contribuir na elaboração da normativa que possibilitará a preservação de porções singulares do território, onde a interação entre a cultura e o ambiente natural confere à paisagem uma identidade específica.

A edição de uma nova Portaria se deu em função da necessidade de criar um mecanismo para que – em cada processo de chancela – estejam articulados diferentes atores, entre governo e sociedade, agindo conjuntamente pela preservação do patrimônio, pela melhoria da gestão do território, buscando a sustentabilidade econômica e social, valorizando a natureza e considerando direitos como os de as comunidades tradicionais permanecerem nas paisagens e vivenciarem sua cultura. Essa é a estratégia para que a preservação desse Patrimônio Cultural aconteça aliada ao desenvolvimento sustentável. Considerando que a competência do Iphan é limitada, o envolvimento de outros setores (públicos ou privados) e esferas de governo é necessário para ampliar as possibilidades de uma gestão bem sucedida desses bens culturais. Assim, o instrumento da chancela valoriza a relação harmônica entre processos sociais e processos da natureza, estimulando a dimensão afetiva com o território e tendo como premissa a qualidade de vida da população.

Novidades

Entre as novidades apresentadas estão a proposta de um conceito para Paisagem Cultural Brasileira, que dialoga mas também se diferencia do anterior (Portaria nº 127/2009), a manifestação expressa das comunidades envolvidas sobre o interesse na chancela (anuência), a ideia de que a narrativa sobre o bem cultural é construída de maneira participativa com a sociedade e novas definições sobre o Dossiê, o Pacto e o Plano de Gestão. O material propõe, além disso, critérios e diretrizes para concessão da chancela, o conteúdo mínimo para instrução de um processo de identificação para a categoria e os procedimentos operacionais conforme as etapas do fluxo do reconhecimento.

SERVIÇO

*Contribuições pelo e-mail: paisagem.cultural@iphan.gov.br

(Sie do Iphan)

Grupo do PSL ameaça boicotar votação da reforma das Previdência

461 1

Um grupo de sete a 10 deputados federais do PSL ameaça votar contra a proposta de reforma da Previdência. Isso, depois do tratamento dado por setores do governo às categorias de policiais. A informação é da Coluna Radar, da Veja Online.

Nessa grupo, há delegados, cabos, agentes – hoje parlamentares, que são interlocutores dos sindicatos da área da segurança no Congresso Nacional.

O PSL do presidente Jair Bolsonaro conta com 54 deputados na Câmara.

(Foto – Agência Brasil)

Acordo Mercosul-União Europeia pode alavancar economia do Ceará

Com lo título “Acordo pode alavancar economia do Ceará”, eis artigo de Antônio Martins Neto, do Observatório da Indústria da Federação das Indústrias do Ceara´(Fiec). Ele analisa as perspectivas para o Estado com o acordo entre o Mercosul e a União Europeia. Confira:

O Brasil ainda é caracterizado por baixa inserção nas cadeias globais de valor e elevadas barreiras comerciais para a importação, resultando em dificuldades no acesso a insumos e equipamentos de alta qualidade a preços competitivos.

Nesse sentido, a assinatura do acordo entre o Mercosul e a União Europeia representa importante guinada em direção a uma maior integração com o mercado mundial, possibilitando o crescimento das exportações brasileiras e, mais ainda, a redução dos custos de importação para as indústrias locais.

PUBLICIDADE

O acordo, que cobre 90% do comércio entre os blocos, prevê que as tarifas de importação sejam zeradas para diversos produtos. Além das questões tarifárias, o acordo abrange questões regulatórias, barreiras técnicas, medidas sanitárias e fitossanitárias, as quais também contribuirão para a facilitação do comércio entre os blocos.

Assim, os ganhos esperados advêm não somente do incremento das exportações. Se por um lado espera-se crescimento significativo das exportações brasileiras, com destaque para os produtos agrícolas, por outro a expectativa é que o acirramento da competição com o mercado europeu dê maior urgência às reformas estruturantes e possibilite o crescimento da produtividade nacional.

Uma vez que a redução das tarifas do Mercosul será gradual, é importante que as empresas locais e o governo se adaptem a uma realidade de maior competição externa, aproveitando o período para incrementar a qualidade dos produtos, reduzir o “custo Brasil” e elevar a produtividade da indústria.

No Ceará, as expectativas não são diferentes. Alguns dos principais produtos da pauta exportadora cearense serão largamente beneficiados pelo acordo, como é o caso das indústrias de calçados, couros, confecções e têxtil. A título de exemplo, as exportações de calçados cearenses, que hoje sofrem taxa de importação em torno de 17%, passarão a ser isentas dessa taxa, possibilitando a expansão das exportações cearenses para o mercado europeu.

O estado do Ceará, que sempre se beneficiou da proximidade geográfica com o continente europeu, poderá mais que nunca fazer uso da infraestrutura logística diferenciada, bem como de sua Zona de Processamento de Exportações (ZPE), para se reposicionar competitivamente e impulsionar o desenvolvimento socioeconômico do Estado.

*Antônio Martins Neto,

Economista do Observatório da Indústria da Federação das Indústrias do Ceará (Fiec).

(Foto – Arquivo)

Tudo pronto para o Forricó 2019

732 1

Tudo pronto para o Forricó 2019

É o festão junino da cidade de Icó (375 km de Fortaleza), que acontecerá de 11 a 14 deste mês, numa promoção da Prefeitura local e apoio do governo do Estado. É o maior evento festivo do município.

Neste ano, serão 20 atrações, tendo na lista Xand Avião,  Mastruz com Leite, Zé Cantor, Wallas Arrais e a dupla Bruno e Marrone.

Rappi – entre o prejuízo e a capitalização

724 9

O Rappi, a startup de entrega por aplicativo presente em sete países da América Latina, mas que tem no Brasil o seu maior mercado, registra um prejuízo de US$ 25 milhões por mês, segundo dados do mercado financeiro.

A informação é divulgada nesta segunda-feira pelo jornalista Lauro Jardim, colunista do O Globo

Mas ele adianta que a Rappi ainda tem muito combustível para queimar, pois já teria captado US$ 1,4 bilhão de investidores internacionais.

Grupo Reijers investe em tecnologia para ganhar mercado europeu

O Grupo Reijers, maior produtor de flores do País e com operações em São Benedito (Serra da Ibiapana), resolveu apostar em tecnologia para adequar suas flores às normas de exportação e padrão de qualidade internacionais. Nesse sentido, recebeu a visita técnica do consultor israelense Niv Nir, gerente regional de Vendas da Danziger para a União Europeia, Brasil e Austrália.

“Trouxemos para São Benedito um técnico internacional para acompanhar o nosso processo de produção. Vamos nos reconfigurar às exigências internacionais. Temos condições de entregar flores nos padrões solicitados pelo mercado europeu”, informa o empresário Roberto Reijers. A ideia é enviar a primeira remessa para a Europa ainda neste semestre. Segundo ele, a empresa quer atingir 1,5 milhão de hastes enviadas para o Velho Continente.

(Foto – Divulgação)

Rodrigo Maia diz que semana será decisiva para a reforma da Previdência

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse hoje (8) que a Casa vai viver uma semana decisiva com o início da votação da reforma da Previdência. Aprovada na semana passada, na comissão especial, a proposta de emenda à Constituição (PEC 6/19) vai a plenário nesta terça-feira (9).

“Vamos viver uma semana decisiva. O grande desafio nosso é a votação no plenário. Temos que mobilizar um número enorme de parlamentares, deputados, deputadas, para um tema que é fundamental e decisivo, mas a gente sabe que foi uma construção”, disse Maia, em um podcast publicado em suas redes sociais.

Segundo o presidente da Câmara, a elaboração do texto que vai a plenário se deve “à capacidade de diálogo” e ao “equilíbrio” do Congresso.

“A construção da vitória, se acontecer, será uma construção do Parlamento, não será uma construção do governo. O governo ajuda. O governo, em alguns momentos, atrapalhou, mas tem ajudado nas últimas semanas. Mas precisa ficar claro, nesse processo – exatamente para que os deputados tenham conforto para votar –, que o resultado desta semana será o resultado do esforço, do trabalho e da dedicação de cada deputado e de cada deputada”, afirmou Maia.

Negociações

As negociações para votação da reforma da Previdência continuam entre Maia e líderes partidários, nesta segunda-feira, após um fim de semana de conversas na residência oficial da Presidência da Câmara.

No sábado (6), Maia se reuniu com líderes e articuladores do governo. Ele disse estar confiante na aprovação da reforma da Previdência “com uma boa margem de votos”. Maia trabalha para que o quórum de deputados seja alto e, terminado o debate, seja possível entrar no processo de votação do texto entre terça-feira (9) e quarta-feira (10).

No domingo (7), foi a vez do ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, se reunir com Maia. Na saída da reunião, ele demonstrou otimismo com a possibilidade de votação do primeiro turno da reforma da Previdência nesta semana no plenário da Câmara.

O relatório do deputado Samuel Moreira (PSDB-RJ) foi aprovado na madrugada de sexta-feira (5) na comissão especial destinada a apreciar a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) encaminhada pelo governo. Maia marcou sessões no plenário a partir desta segunda-feira (8) à tarde para garantir que a matéria comece a ser apreciada no dia seguinte, já que é preciso um interstício de duas sessões do plenário.

(Agência Brasil)

IGP-DI registra inflação de 0,63% em junho, diz FGV

O Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI) registrou inflação de 0,63% em junho deste ano, taxa superior ao 0,40% observada em maio. Segundo a Fundação Getulio Vargas (FGV), o IGP-DI acumula taxas de 4,40% no ano e de 6,04% em 12 meses.

A taxa foi puxada pelos preços no atacado e na construção civil. O Índice de Preços ao Produtor Amplo, que mede o atacado, cresceu de 0,52% em maio para 0,83% em junho. O Índice Nacional de Custo da Construção avançou de 0,03% para 0,88% no período.

Por outro lado, o Índice de Preços ao Consumidor, que mede o varejo, teve deflação (queda de preços) de 0,02% em junho, depois de registrar inflação de 0,22% no mês anterior.

(Agência Brasil)

Moro tira licença do cargo por motivos particulares

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, vai se afastar do cargo na próxima semana “para tratar de assuntos particulares”. O período de afastamento dele se dará de 15 a 19 de julho.

O despacho presidencial que autoriza a licença de Moro está publicado no Diário Oficial da União (DOU) desta segunda-feira, dia 8, sem mais informações sobre os motivos da decisão.

O Ministério da Justiça e Segurança Pública explicou, por meio de sua assessoria, que o afastamento de Moro se trata de uma licença não remunerada prevista em lei. “Por ter começado a trabalhar em janeiro, o ministro não tem ainda direito a gozar férias. Então está tirando uma licença não remunerada, com base na Lei nº 8.112, de 11 de dezembro de 1990”, informou a assessoria do ministério.

Segundo um auxiliar da pasta, a licença já estava sendo planejado desde que o ministro assumiu, e não tem a ver com o cenário atual de pressão sobre Moro relacionada a uma suposta troca de mensagens com procuradores.

(Agência Estado)

Cadastro Positivo entra em vigor nesta terça-feira

123 1

Entra em vigor amanhã (9) o cadastro positivo compulsório. O sistema, instituído na Lei Complementar 166, de abril deste ano, prevê a adesão automática no repasse, sem consentimento, de informações de histórico de pagamento de cidadãos a bureaus (escritórios) de crédito (como Serasa e SPC – Centralização de Serviços dos Bancos e Serviço de Proteção ao Crédito).

Eles servirão de base para atribuição de notas de crédito a cada cidadão, que serão utilizadas como referência na tomada de empréstimos e realização de crediários, entre outras operações. O cadastro positivo já existe no país. Contudo, dependia da autorização do indivíduo para que fosse incluído na lista.

A diferença da nova modalidade consiste na adesão automática, sem que a pessoa tenha de dar qualquer permissão para que informações de histórico de pagamento possam ser avaliadas pelos bureaus de crédito para formar as notas. Serão avaliados os “dados financeiros e de pagamentos, relativos a operações de crédito e obrigações de pagamento adimplidas ou em andamento”, conforme descrito na lei.

Entram aí, por exemplo, o quanto uma pessoa atrasou pagamentos de contas ou de cartão de crédito, que dívidas ela tem, com que empresas e sua capacidade financeira de arcar com compromissos adquiridos. Podem, inclusive, ser consideradas informações de desempenho também dos familiares de primeiro grau.

A lei vetou o uso de algumas informações pessoais dos cidadãos para a formação da nota, como as que “não estiverem vinculadas à análise de risco de crédito e aquelas relacionadas à origem social e étnica, à saúde, à informação genética, ao sexo e às convicções políticas, religiosas e filosóficas”.

Essas notas (ou score, no termo em inglês utilizado entre as empresas) podem ser empregadas por empresas e instituições financeiras para determinados tipos de transação. Cada empresa vai definir a forma de adotar as notas e que tipo de restrição determinados índices podem trazer, como na diferenciação de condições, taxas de juros ou de acesso a serviços.

Recusa

Os consumidores que não quiserem ter seus dados incluídos no cadastro positivo podem solicitar a retirada. Essa requisição deve ser feita juntamente aos bureaus de crédito, como Serasa, SPC e Boa Vista Serviços. Caso a pessoa desista da saída do sistema, pode pedir o retorno ao cadastro. Esses procedimentos podem ser realizados presencialmente ou por meio dos sites dessas empresas.

A diretora de Operação de Dados da Serasa Experian, Leila Martins, disse que o consumidor também pode requisitar aos bureaus a disponibilização das informações sobre ele e cobrar a correção em caso de dados errados. “Se ele entende que tem algum dado que não considera correto, pode contestar. A fonte que deu origem tem que responder”, explicou.

Benefícios

Para o presidente da Associação Nacional dos Bureaus de Crédito (ANBC), Elias Sfeir, o novo sistema pode gerar benefícios aos consumidores.

“Com o cadastro positivo você tem uma pontuação mais próxima realmente do seu comportamento. Tendo essa pontuação mais próxima, os agentes de crédito podem fazer melhor avaliação e dar uma taxa melhor de juros, considerando o seu perfil”. A promessa do novo cadastro positivo é que com tais informações, bancos, fintechs e outras instituições reduzam taxas e juros.

Segundo Sfeir, em países que adotaram esse modelo houve queda de 45% da inadimplência, o que causou impacto na redução de spreads bancários. Com isso, haverá espaço para incluir pessoas no sistema de crédito, beneficiar micro e pequenas empresas e aumentar a arrecadação.

Riscos

Na avaliação do coordenador de direito digital do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), Diogo Moyses, além do cadastro positivo violar a privacidade dos consumidores, há problemas a serem resolvidos na sua implementação.

O primeiro é o fato de a legislação apontar a possibilidade de uso de alguns dados não expressos, o que abriria espaço para abusos. Por isso, acrescenta, é importante que o Banco Central e a Autoridade Nacional de Proteção de Dados (aprovada em lei neste ano, mas ainda não criada pelo governo) regulamentem de forma detalhada os registros dos consumidores que podem ser utilizados para a formação da nota.

A segunda preocupação envolve em que tipo de transação a nota de crédito será admitida. Ele cita como exemplo as operadoras de telefonia, que já estão restringindo o acesso a planos pós-pagos a pessoas com notas baixas.

“Há um receio que o score seja utilizado para cercear o acesso dos consumidores além das relações de crédito. Milhões de consumidores podem ser excluídos economicamente. Em vez de gerar inclusão, o cadastro pode se tornar instrumento de exclusão. Ainda mais com cenário de pessoas desempregadas e aumento da inadimplência”, afirmou.

(Agência Brasil)

Datafolha – 33% dos brasileiros aprovam governo Bolsonaro e 33% desaprovam

O governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL) é considerado ótimo ou bom por 33% dos eleitores do País. O percentual é o mesmo para quem considera a gestão ruim ou péssima. A pesquisa, do Datafolhoa, foi divulgada nesta manhã de segunda-feira, 8, pelo jornal Folha de S.Paulo.

Jair Bolsonaro obteve na classificação regular 31%. Sobre o futuro da gestão, 51% disseram esperar um governo bom ou ótimo depois do primeiro semestre. Outros 21% esperam uma gestão regular, enquanto 24% disseram que a expectativa é péssima.

Antes da posse, os brasileiros tinham a expectativa de um governo bom ou ótimo na ordem de 65% contra 17% de regular e 12% projetando um mandato ruim ou péssimo.

DETALHE – A pesquisa foi realizada nos dias 4 e 5 de julho e foram entrevistados 2.086 pessoas com mais de 16 anos, em 130 cidades. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou menos.

(Foto – Agência Brasil)

GOL já está vendendo bilhetes do trecho Fortaleza-Juazeiro do Norte

A GOL Linhas Aéreas já está vendendo bilhetes para a rota direta entre Fortaleza e Juazeiro do Norte (Região do Cariri). Os clientes terão à disposição voos diretos todos os dias, entre as duas cidades, a partir de 2 de setembro.

Os bilhetes, segundo a empresa, estão disponíveis a partir de R$ 99,99 o trecho (sem taxas) em todos os canais da companhia – aplicativo e site (www.voegol.com.br), nas lojas VoeGOL e nas agências de viagem. Cumprindo com o compromisso da companhia em oferecer preços acessíveis.

Atualmente a GOL disponibiliza cerca de 430 frequências semanais no estado do Ceará (pousos e decolagens). Opera em três aeroportos do estado: Fortaleza, Jericoacoara e Juazeiro do Norte e lidera em decolagens no Ceará com 36% da oferta de assentos.

(Foto – Divulgação)

Mercado financeiro reduz estimativa de crescimento da economia pela 19ª vez consecutiva

136 1

A estimativa do mercado financeiro para o crescimento da economia este ano continua em queda. Segundo o boletim Focus, pesquisa semanal do Banco Central feita junto a instituições financeiras, a projeção para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB) – a soma de todos os bens e serviços produzidos no país – desta vez foi reduzida de 0,85% para 0,82%. Foi a 19ª redução consecutiva.

Para 2020, a expectativa é que a economia tenha crescimento maior – de 2,20% -, a mesma da semana passada. A previsão para 2021 e 2022 permanece em 2,50%.

A estimativa de inflação, calculada pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), se manteve em 3,80% este ano. A meta de inflação de 2019, definida pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), é de 4,25%, com intervalo de tolerância entre 2,75% e 5,75%.

A projeção do mercado financeiro para a inflação em 2020 é de 3,91%. A meta para o próximo ano é de 4%, com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo.

Para 2021, o centro da meta de inflação é 3,75% e para 2022, 3,5%, também com intervalos de tolerância de 1,5 ponto percentual. A previsão do mercado financeiro para a inflação em 2021 e 2022 permanece em 3,75%.

Taxa básica de juros

Para alcançar a meta de inflação, o Banco Central usa como principal instrumento a taxa básica de juros, a Selic, mantida em 6,5% ao ano pelo Comitê de Política Monetária (Copom).

Ao final de 2019, as instituições financeiras esperam que a Selic esteja em 5,50% ao ano, mesma projeção da semana passada.

Para o fim de 2020, a expectativa é que a taxa básica seja de 6% ao ano e, no fim de 2021 e 2022, chegue a 7,5% ao ano.

Quando o Copom reduz a Selic, a tendência é que o crédito fique mais barato, com incentivo à produção e ao consumo, reduzindo o controle da inflação e estimulando a atividade econômica.

(Agência Brasil)