Blog do Eliomar

Categorias para Brasil

Nany People é atração no Shopping RioMar

DSC0524-550x300

A humorista Nany People fará show, a partir das 19h30min desta quarta-feira, na Praça de Eventos do Shopping RioMar.

O público vai conferier solo intitulado “TsuNANY”. No palco, ela – conhecida nacionalmente por suas participações na TV, ensinará como encarar a vida com bom humor.

SERVIÇO

*Shopping RioMar  – Rua Desembargador Lauro Nogueira, 1500 /piso L1 – Papicu).

*Acesso gratuito.

*Mais Informações – 3066 2000.

Como vai a aferição dos semáforos?

119 1

Do leitor Sérgio José Ribeiro, de Joinville (SC), recebemos a seguinte nota, em tom de queixa contra o Detran do seu Estado. Ele nos manda a reclamação que, sem sombra de dúvidas, nos remete a indagar também como está a aferição dos semáforos cearenses. Confira:

Caro Eliomar de Lima,

Em 06/05/2016, fui multado por “avançar sinal vermelho do semáforo – fiscalização eletrônica”. Ao visualizar a multa no site do Detran/SC, observei que a data de aferição do equipamento (código inmetro. 0000021085 )
estava datada em 20/03/2015.

Pergunta :

1- Estes equipamentos não devem ser aferidos pelo Inmetro de 12 em 12 meses ?
2- A Multa é inválida ?
3- Qual o artigo / resolução/ parágrafo do CTB ou Contran que exige aferição deste equipamento de 12 em 12 meses?

Solicito sua ajuda na resposta destas perguntas e, principalmente, o número do artigo/resolução/parágrafo, enfim, a lei que exige a aferição deste equipamento de 12 em 12 meses.

Grato

Sérgio José Ribeiro,

Joinville (SC.

Tite vai comandar a Seleção Brasileira

tite

Tite não é mais técnico do Corinthians e vai assumir o comando da Seleção Brasileira. A informação foi dada, nesta tarde de quara-feira, pela direção do clube paulista onde o treinador trabalhava.

Bom destacar que Tite ganhou título da Libertadores, um Mundial, uma Recopa, dois Campeonatos Brasileiros e um Campeonato Paulista pelo Corinthians.

(Fonte – TV Bandeirantes)

Grupo Betânia deve instalar fábrica na Bahia

jorgeparente

A Companhia Brasileira de Lacticínios (CBL), detentora da marca “Betânia”, negocia com o governo baiano a implantação de uma fábrica sua nesse Estado. A informação é de Jorge Parente, um dos controladores, que se encontra em Salvador em acertos com o governo.

Segundo Jorge, as negociações estão bem adiantadas e a expectativa é de iniciar a implantação da unidade a partir de 2017.

O Grupo CBL tem fábrica no Ceará, Pernambuco e Sergipe.

Temer teria recebido propina para campanha, diz Sérgio Machado em delação

75 1

temeri

Em sua delação premiada na Lava Jato, o ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado listou os nomes de 20 políticos que teriam recebido propinas no esquema de corrupção na subsidiária da Petrobras e também o presidente em exercício Michel Temer (PMDB) que, segundo o delator, teria pedido a ele recursos ilícitos para a campanha de Gabriel Chalita (PMDB) à Prefeitura de São Paulo em 2012.

Segundo o delator, todos os políticos citados por ele “sabiam” do funcionamento do esquema de corrupção capitaneado por ele na estatal e “embora a palavra propina não fosse dita, esses políticos sabiam, ao procurarem o depoente, não obteriam dele doação com recursos do próprio, enquanto pessoa física, nem da Transpetro, e sim de empresas que tinham relacionamento contratual com a Transpetro”. Ainda segundo Machado, nenhuma das doações solicitada por ele às empresas era lícita.

Repasses de propina

De acordo com Machado, empreiteiras que mantinham contrato com a estatal realizavam pagamentos mensais de propinas para políticos, parte por meio de entrega de dinheiro vivo e parte por meio de doações oficiais como forma de garantir os contratos com a estatal que era área de influência do PMDB. O delator assumiu a presidência da estatal em 2003, por indicação do presidente do Senado Renan Calheiros, dos senadores Jader Barbalho, Romero Jucá e Edison Lobão e do ex-presidente José Sarney, todos da cúpula do PMDB e que foram beneficiados com propinas do esquema.

Ele admitiu ainda que administrava a estatal visando “extrair o máximo possível de eficiência das empresas contratadas pela estatal, tanto em qualidade quanto em preço” e que outros políticos, além dos responsáveis por sua indicação ao cargo, também se beneficiaram do esquema criminoso.

“O depoente também repassou propina, via doação oficial, para os seguintes: Cândido Vaccarezza (PT), Jandira Feghali (PCdoB), Luis Sérgio (PT), Edson Santos (PT), Francisco Dornelles (PP), Henrique Eduardo Alves (PMDB), Ideli Salvatti (PT); Jorge Bittar (PT), Garibaldi Alves (PMDB), Valter Alves, José Agripino Maia (DEM), Felipe Maia (DEM), Sergio Guerra (PSDB, morto em 2014), Heráclito Fortes (PMDB), Valdir Raupp (PMDB); que Michel Temer pediu ao depoente que obtivesse doações oficiais para Gabriel Chalita, então candidato a prefeito de São Paulo”.

(O POVO Online)

Revista Entrevista – Alunos do Jornalismo da UFC lançam a 35ª edição

zetestinha

Será lançada nesta quarta-feira, às 18 horas, a 35ª Revista Entrevista, uma produção dos alunos do curso de Jornalismo da UFC, sob orientação do professor Ronaldo Salgado. O lançamento ocorrerá no auditório da Área 2 do Centro de Humanidades (Benfica).

Nesta edição, os entrevistados da vez são a cantineira Tia Cleide, a líder comunitária Nereide do Pirambu, o marcador de quadrilha junina Reginaldo Rogério (Zé Testinha), o empresário Jurandir Filho e a professora Raquel Rigotto.

MPF quer regras duras para proteção de dados pessoais

“O Ministério Público Federal enviou nota técnica à Câmara para pedir que os deputados aprovem regras para a proteção de dados pessoais semelhantes ou até mesmo mais avançadas que as da União Europeia.

Atualmente não há regras claras para a proteção de dados pessoais no Brasil, por isso, órgãos públicos ou empresas que coletam informações podem, pode exemplo, repassá-los a terceiros sem sequer obter o consentimento do cidadão.

Além disso, a inexistência de um regime de proteção de dados também inviabiliza investigações com cooperação internacional.

Para que a Europa, por exemplo, repasse dados de seus cidadãos ao Brasil, é preciso um regime que garanta a proteção das informações. O projeto de lei que trata do assunto tramita na Câmara sob a relatoria de Alessandro Molon (Rede-RJ).

(Veja Online)

Protagonista do documentário “Lixo Extraordinário” dará palestra em Fortaleza

sebastião-santos-palestrant

Protagonista do documentário indicado ao Oscar “Lixo Extraordinário” e trabalhador de um aterro sanitário no Rio de Janeiro, Sebastião Carlos dos Santos, o “Tião”, dará palestra em Fortaleza nesta quinta-feira. Ele falará sobre “Reciclagem e Sustentabilidade” para os alunos da Escola de Ensino Fundamental e Médio General Eudoro Corrêa (Bairro Parangaba).

A palestra faz parte da programação deste ano do Projeto CDL Móvel, promovido pela CDL de Fortaleza, e ocorrerá a partir das 9 horas, no auditório da escola.

O ex-catador e líder do Movimento Nacional dos Catadores de Materiais Recicláveis (MNCR), Tião Santos, falará sobre os 11 anos em que viveu no Jardim Gramacho, o maior aterro sanitário da América Latina, além de abordar aspectos sociais, econômicos e ambientais da questão do lixo e os avanços da Lei dos Resíduos Sólidos, que ajudou a elaborar.

SERVIÇO

*Escola E.F.M. General Eudoro Corrêa  – Rua Júlio Braga, 101, próximo ao Hospital Distrital Maria José Barroso de Oliveira, no bairro Parangaba.

*Mais Informações – (85) 3464.5512.

Jair Bolsonaro pode ser cassado pelo Conselho de Ética

199 1

bolsim

Aprovado parecer sobre a cassação de Eduardo Cunha (PMDB-RJ), entrou na pauta do Conselho de Ética da Câmara nesta quarta-feira, 15, representação do Partido Verde que pede cassação do deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ) por apologia ao crime de tortura. Reunião está marcada para as 14h30min.

De acordo com o PV, ao anunciar seu voto pela admissibilidade do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT), em 17 de abril, Bolsonaro quebrou o decoro ao homenagear a memória do coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra. “À memória do coronel Brilhante Ustra, o pavor da Dilma”, disse Bolsonaro, logo após homenagear Eduardo Cunha.

Primeiro integrante da ditadura reconhecido como torturador pela Justiça, o coronel Brilhante Ustra foi chefe do Destacamento de Operações Internas (DOI-Codi) de São Paulo entre 1970 a 1974, mesmo período em que a presidente afastada foi presa e torturada. Pelo menos 45 mortes são atribuídas ao militar, muitas delas sem qualquer relação à luta armada contra a ditadura.

Confira momento do voto de Jair Bolsonaro no Impeachment:

 

Conforme o argumento do partido, a forma como Bolsonaro se referiu ao coronel constitui-se “em verdadeira apologia ao crime de tortura”, atentado contra os direitos humanos e desrespeito com aqueles que foram torturados durante a ditadura militar. Ação da Ordem dos Advogados do Brasil do Rio de Janeiro (OAB-RJ) também faz o mesmo questionamento.

Liberdade de expressão

“O deputado Jair Bolsonaro tem o direito de expressar suas preferências e simpatias. No entanto, não pode fazê-lo de modo a enaltecer crimes ou criminosos. Essa citação, por tudo o que o coronel Brilhante Ustra representou contra a democracia brasileira, os direitos humanos e o estado de direito, constitui-se em uma grave ofensa aos cidadãos do”, diz a representação.

Bolsonaro, por sua vez, divulgou vídeo em que diz que Ustra não era torturador. “Jamais defenderia um torturador, quem quer que seja. A memória que trouxe, por ocasião da votação no último domingo é de um homem que esteve ao lado da democracia e ao lado da nossa liberdade, lutando contra aqueles que queriam impor o comunismo”, diz o deputado, contrariando dezenas de depoimentos de vítimas e decisão do Tribunal de Justiça de São Paulo contra Ustra.

(O POVO Online)

Até Satanás temeria perder seu trono para nossos políticos

66 2

Com o título “Mas que tristeza, pá!”, eis artigo do cineasta Rosemberg Cariry, que pode ser conferido no O POVO desta quarta-feira. Ele aborda uma procissão de “mortos-vivos” em que se transformou o cenário político brasileiro do momento.Confira:

A partir do que dizia a TV Globo, a formar coro triunfante com alguns jornalões conservadores, o mundo saudaria o “novo governo” como suposto porta-voz da honestidade e justiça. Viajei pesaroso, pois entendia que o tal impeachment outra coisa não era que uma farsa, ensaiada em arranjos ocultos, onde se dera a armação de um golpe contra alguns ícones democráticos: liberdade, razão e constituição republicana.

O primeiro espanto eu tive na Ilha Terceira, nos Açores, onde fui filmar a Festa do Divino. Sabendo-me brasileiro, várias pessoas se aproximavam para conversar e diziam: – “Que golpe mais atrasado, pá!”. Em várias cidades de Portugal recebi os mesmos gestos solidários.

No Alentejo, em Évora, uma senhora de 80 anos, cabelos brancos, porte digno e elegante, em seu traje preto e sóbrio, quis saber sobre o Brasil. Ela não me disse não entender como corruptos conseguiram dar um golpe numa presidente sobre quem não pesava processo algum de corrupção. Queria ela saber com que direito tal grupo estava a entregar as riquezas da nação, rasgando leis de proteção aos aposentados e às crianças, à educação e à saúde pública. Ela me indagava, enfim, por que destruir a nação brasileira. Generosa e meiga, no começo da nossa conversa, tomada de indignação repentina, exclamou, num acesso de comoção sincera: – “Vão todos para o inferno!”

Chegou-me a viva imagem de uma procissão de mortos-vivos, feita de políticos corruptos e alguns pastores evangélicos, dos reis da soja e do agrotóxico, dos defensores da bala e da tortura, a chegar no inferno, com suas peles enrugadas, suas pontes de safenas, suas carecas ou cabelos pintados de acaju; ladeados de suas mulheres repuxadas por plásticas e silicones (ditas belas, recatadas e do lar); suas empresas e latifúndios, suas carruagens de caveiras e ossos, recitando suas litanias intermináveis, feitas de crimes cometidos contra a maioria do povo brasileiro.

Logo depois, veio-me a certeza de que eles não irão para o inferno, pois Satanás e o seu séquito não correriam o risco de perder o seu trono para um bando de “conspiradores”, capazes de trair a própria pátria e ultrapassar o tinhoso em maldade e sordidez. Satanás, diante da ameaça, lhes diria: “Já que não têm almas para arder eternidade afora, que vaguem pelas trevas do mundo, livrando o inferno desse mal maior! ” Pensei cá comigo, se possível em Miami, bem longe do Brasil, senhores!

*Rosemberg Cariry

cariri.filmes@uol.com.br

Cineasta e escritor

Lula será denunciado criminalmente na Lava Jato

lula em todo lugar

Luiz Inácio Lula da Silva começa a ser denunciado criminalmente, nas próximas semanas, ao juiz federal Sérgio Moro por suposto envolvimento no esquema de cartel e corrupção na Petrobras alvo da Operação Lava Jato. Novas perícias criminais e análises de documentos apreendidos pela Polícia Federal, na 24ª fase (Operação Aletheia) deflagrada em 4 de março, que teve como alvo o ex-presidente, vão ampliar as frentes de investigações, que voltarão a ser conduzidas pela força-tarefa da Procuradoria, em Curitiba.

O ministro Teori Zavascki, relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal, decidiu nesta segunda-feira, 13, remeter para Curitiba os três inquéritos que têm Lula como alvo. São apurações que investigam corrupção e lavagem na compra e reforma de um sítio em Atibaia (SP) e de um tríplex no Guarujá (SP) e em recebimentos via Instituto Lula e empresa de palestra LILS Palestras e Eventos. São essas frentes de apuração iniciadas em Curitiba que resultaram na Operação Aletheia, em 4 de março, quando o ex-presidente foi conduzido coercitivamente para depor. Os autos foram enviados para Brasília, após divulgação por Moro, em 16 de março, de escuta em que o petista conversava com a presidente afastada Dilma Rousseff. Teori rejeitou o uso do material como prova.

Com o retorno das investigações da Lava Jato contra Lula para Curitiba, o maior risco que o ex-presidente enfrenta não é uma prisão cautelar (temporária ou preventiva), avaliam investigadores e defesas ouvidos em reservado. O problema é jurisprudência criada pelo Supremo, em março, que permitiu a prisão imediata de condenados em segundo grau – sem a necessidade, vigente até março, de se aguardar o transitado em julgado do processo. A avaliação dos envolvidos nos processos é que com a nova regra, se condenado por Moro até o início de 2017, Lula fica passível de ter um pedido de execução de pena de prisão ainda em 2018, numa eventual manutenção de sentença da Lava Jato no Tribunal Regional Federal da 4ª Região.

Denúncias

A força-tarefa da Lava Jato, em Curitiba, considera ter as provas para levar o petista ao banco dos réus por envolvimento no esquema de corrupção e lavagem de dinheiro na Petrobras, conforme revelou a reportagem, em 23 de abril. Os casos da compra e reforma do Sítio Santa Bárbara, em Atibaia (SP), e do tríplex no Edifício Solaris, no Guarujá, integram o primeiro pacote. Os procuradores, no entanto, não fecharam questão da forma que as denúncias serão apresentadas.

No caso do sítio, por exemplo, existem três acusações que podem ser unificadas ou apresentadas separadamente. Uma principal, sobre a compra e reforma da propriedade, pelas empreiteiras Odebrecht e OAS e pelo pecuarista e usineiro José Carlos Bumlai. E outras que tratam da mudança e do armazenamento de bens e outra sobre a instalação de uma antena da OI, próxima do imóvel.

São esperadas ainda outras acusações, como as decorrentes da delação premiada do ex-senador Delcídio Amaral (sem partido-MS), que envolveu Lula na trama para comprar o silêncio do ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró. Esse inquérito permanece ainda no Supremo.

A denúncia principal, no caso do primeiro pacote, apontará a família do ex-prefeito de Campinas (SP) e amigo de Lula Jacó Bittar (PT) como “laranja” na ocultação da propriedade, adquirida em 2010 pelo valor declarado de R$ 1,5 milhão. Os registros de escritura em nome dos donos oficiais, um “contrato de gaveta” em nome do ex-presidente e da mulher, Marisa Letícia, encontrado nas buscas e depoimentos dos investigados farão parte da acusação.

Nesse item, a força-tarefa em Curitiba deve acrescentar novos dados que foram descobertos logo após a deflagração da Operação Aletheia e antes da remessa dos autos para o STF. Uma delas é o uso de uma empresa – PDI Processamento Digital de Imagem – que pertence a Kalil Bittar, sócio de Fabio Luis Lula da Silva, o Lulinha. Ele é irmão de Fernando Bittar, um dos donos, na escritura, do Sítio Santa Bárbara, em Atibaia (SP), que segundo os investigadores é do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A empresa tem sede na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, e não tinha entrado ainda para o radar da Lava Jato, que apura os negócios de familiares e amigos de Lula – por suspeita de ocultação patrimonial e lavagem de dinheiro.

Os procuradores apontarão que “o ex-presidente da República tinha ciência do estratagema criminoso e dele se beneficiou”. Segundo sustentará a denúncia, as etapas de aquisição, reforma e decoração do sítio em Atibaia “revelam operações sucessivas de lavagem de dinheiro no interesse de Luiz Inácio Lula da Silva”. A origem ilícita dos recursos empregados na compra, reforma e decoração do imóvel, advindos de crimes antecedentes praticados pela Odebrecht, OAS e Usina São Fernando (de Bumlai) integram os elementos que apontarão os estratagemas para dissimulação e ocultação do negócio.

Tríplex

A denúncia do tríplex no Guarujá, que teria sido reservado e reformado pela construtora OAS para Lula, também pode integrar o primeiro bloco de acusações contra o ex-presidente. O dono da empreiteira, José Aldemário Pinheiro, o Léo Pinheiro, negocia delação com a Procuradoria desde o início do ano, sem sucesso. Ele pode esclarecer o caso.

Lula será denunciado nesse negócio por lavagem de dinheiro, sendo beneficiado pela OAS, uma das líderes do cartel que atuava Petrobras, com a promessa de entrega e a decoração do imóvel com dinheiro oriundo de corrupção.

No caso do tríplex, a denúncia é discutida porque ela tem dois outros processos relacionados. Um deles, é o da Operação Triplo X, que apurou a lavagem de dinheiro em outras unidades habitacionais da OAS, adquiridas da falida Bancoop (cooperativa habitacional do Sindicato dos Bancários de São Paulo). Outra é a denúncia, com pedido de prisão de Lula, encaminhado pela Justiça Estadual paulista para o juiz Sérgio Moro.

O inquérito considerado o mais incipiente é o que trata das palestras, pós-Presidência, via empresa LILS, Palestras, Eventos e das doações ao Instituto Lula. Nessa frente, um delator que confirme que os repasses e pagamentos por palestras podem ter ocultado propina é essencial para investigadores.

Os documentos recolhidos na Operação Aletheia, nesses endereços, e na casa de Lula, dos filhos e do amigo Paulo Okamoto, presidente do Instituto Lula, determinarão o ritmo de andamento do inquérito.

Quebra-cabeça

Até março, procuradores da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba consideravam estar a um delator de completar o quebra cabeça acusatório contra Lula – como se tivessem o cenário da imagem já definido, restando apenas uma peça para completar o desenho. As delações do ex-líder do governo no Senado Delcídio Amaral e do ex-deputado Pedro Corrêa (PP-PE) ajudaram a definir esse cenário, em que Lula é pintado pela força-tarefa como alguém com participação ativa no esquema de sistematização da corrupção no governo. Além do fatiamento político entre partidos da base – PT, PMDB, PP e PTB -, teriam sido criadas regras para a propina. Com o esquema teria sido montada a base de sustentação para a governabilidade, uma versão ampliada do mensalão, e pagos valores também para a oposição.

Defesa

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva divulgou nota, por meio de sua assessoria de imprensa:

“Reafirmamos que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva sempre agiu dentro da lei. Não é dono nem do sítio de Atibaia, nem do apartamento do Guarujá, como está registrado em escrituras. Todos os bens do ex-presidente estão devidamente declarados.

O MPF tem conhecimento, em virtude de provas documentais, de que o sítio foi comprado com recursos provenientes de Jacó Bittar e de seu sócio Jonas Suassuna; que Fernando Bittar e Jonas Suassuna custearam, com seu próprio patrimônio, reformas e melhorias no imóvel; que Fernando Bittar e sua família frequentaram o sítio com a mesma intensidade dos membros da família do ex-presidente Lula, estes últimos na condição de convidados.

O ex-Presidente Lula e seus familiares foram submetidos a uma ilegal devassa por decisões do juiz Sérgio Moro, a pedido do MPF. A despeito disso, não conseguiram localizar qualquer elemento concreto que pudesse embasar uma acusação – seja em relação à propriedade do imóvel, seja em relação às reformas feitas no imóvel.

É muito grave, especialmente diante do histórico acima, a informação de que alguns membros do MPF, teriam antecipado a jornalistas de “O Estado de S. Paulo” e outros meios de imprensa que pretendem apresentar denúncias em série contra o ex-Presidente Lula, seus familiares e amigos.

Tal conduta, se confirmada, representará mais um verdadeiro atentado à Constituição Federal, pois alguns membros do MPF estarão utilizando de um amplo poder que lhes foi conferido para ferir a dignidade de pessoas e para tentar subverter o princípio da presunção de inocência, não só mediante a formulação de denúncias contra pessoas que sabem serem inocentes, mas ao darem publicidade antecipada a esse ato.

Configurará, ainda, um atentado a Tratados Internacionais dos quais o Brasil é signatário, que asseguram, dentre outras coisas, o direito à integridade pessoal – física, psíquica e moral – e a presunção de inocência, inclusive como regra de tratamento, impedindo que seja feito qualquer juízo moral antecipado, fundado em situações juridicamente ainda não definidas.

Por isso, caso a informação publicada pelos jornalistas de “O Estado de S. Paulo” seja confirmada, serão tomadas todas as providências para restabelecer as garantias constitucionais e aquelas estabelecidas nos Tratados Internacionais e, ainda, para que sejam punidos todos os agentes que, independentemente do cargo de ocupam, insistem em desrespeitar o segredo de justiça e as medidas estabelecidas pela mais Alta Corte do País.

ESTADÃO conteúdo

Setor de serviços registra queda de 4,5%, diz IBGE

O volume do setor de serviços caiu 4,5%, em todo o País, em abril último em relação a abril de 2015. Houve variações negativas em todos os segmentos. No entanto, na mesma base de comparação, a receita nominal cresceu 0,4%, após de ter fechado em queda de 0,4% em março.

Os dados foram divulgados hoje (15) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). As informações indicam que tinham sido negativos os resultados do setor de serviços, que, em volume, fechou com quedas de 5,9% em março e de 3,9% em fevereiro deste ano.

Com os números negativos de abril, os serviços fecham os quatro meses do ano (de janeiro e abril) com redução acumulada de 4,9% no volume, mas com expansão de 0,5% no acumulado do mesmo período para a receita nominal.

Os dados indicam, ainda, que, na taxa anualizada (últimos doze meses), houve queda acumulada de 4,6% para o volume do setor serviços e crescimento de 0,6% para as receitas nominais, comparativamente a igual período imediatamente anterior.

(Agência Brasil)

Porto do Pecém recebe dois super guindastes

135 1

daniloserpa

O Porto do Pecém, situado no município de São Gonçalo do Amarante (Região Metropolitana de Fortaleza), acaba de ganhar dois novos guindastes (tipo STS  – Ship to Shore). Instalados no Terminal de Múltiplas Utilidades (TMUT), os equipamentos, que pesam 1.600 toneladas e medem 87 metros de altura, serão utilizados para a movimentação de contêineres.

Segundo o presidente da Cearáportos, Danilo Serpa, as novas máquinas vão incrementar as atividades do porto cearense, junto com as melhorias de infraestrutura que estão sendo realizadas pelo Governo do Estado.

“Os STSs estão entre os maiores guindastes do país e vão contribuir para o aumento da movimentação através do Pecém. Em breve, quando começarem a operar, o fluxo de saída e entrada de mercadorias será bem mais eficiente”, destaca Serpa.

Temer com medo da reação explosiva de Cunha

size_810_16_9_o-vice-presidente-michel-temer-em-brasilia-em-05-05

Depois da aprovação do pedido de cassação de Eduardo Cunha (PMDB/RJ) pelo Conselho de Ética na Câmara, interlocutores do presidente em exercício Michel Temer tentam reforçar o discurso de que o tema pertence ao Legislativo e não ao Executivo, mas admitem que haja receio do “poder explosivo” do presidente afastado da Câmara.

Apesar da tentativa de deixar esse assunto “do outro lado da rua”, um aliado de Temer que esteve no Planalto após o resultado demonstrava claramente a sua preocupação com Cunha.

“Essa conta vai ser alta. Ele não vai cair sozinho”, disse.

(Com Agências)

Cunha balança, mas não cai?

Com o título “Balançou, mas ainda não caiu”, eis ponto de vista do jornalista Gualter George, editor de Conjuntura do O POVO, sobre a aprovação do parecer pró-cassação de Eduardo Cunha. Confira:

O emblemático dia de ontem na Câmara Federal, com o poderoso deputado peemedebista Eduardo Cunha enfim dando sinais de fraqueza política, exige uma análise cautelosa em relação ao que pode significar em termos de futuro. O primeiro cuidado necessário é de entender que a derrota no Conselho de Ética, com aprovação de relatório que pede a cassação do seu mandato, significa que Cunha balança, mas ainda não representa sua queda definitiva.

Há, ainda, um longo caminho a percorrer até que se dê por configurada a derrocada de um parlamentar que mantém sob controle um bom número de colegas aos quais prestou favores diversos nos últimos anos, para boa parte viabilizando recursos que viabilizaram suas campanhas eleitorais.

Eduardo Cunha sempre teve a frieza como companheira mais útil à administração dos momentos de crise, acreditando-se que mais uma vez se valerá dela para manter sob suspense aliados que, aparentemente, agora começam a ameaçar abandoná-lo. Qualquer resposta que venha dele chegará lenta ao cenário político e, por enquanto, a tendência é que o deputado se mantenha na linha de desmentir cada especulação de que esteja, nos bastidores, como estratégia de defesa, ameaçando abrir a caixa-preta que acumulou em anos de vida pública.

Há pouca dúvida de que material para deixar muita gente sem dormir, nos próximos e tensos dias, Cunha tem de sobra. Resta saber qual o limite que ele se impôs até que decida, caso venha a fazê-lo, dividir o que tem e o que sabe com a sociedade.

*Guálter George,

Editor-executivo de Conjuntura.

Receita Federal libera pagamento do primeiro lote do IR 2016

“A Receita Federal libera hoje (15) o dinheiro das restituições do primeiro lote do Imposto de Renda Pessoa Física 2016. Estão no lote também restituições residuais dos exercícios de 2008 a 2015. Tiveram prioridade idosos, pessoas com alguma deficiência física ou mental ou doença grave.

Para saber se teve a declaração liberada no lote multiexercício, o contribuinte deve acessar a página da Receita na internet ou ligar para o Receitafone (telefone 146). O órgão disponibiliza ainda aplicativo para tablets e smartphones que facilita a consulta às declarações e à situação cadastral no CPF.

Se o contribuinte tiver dúvida sobre a situação da declaração poderá consultar o Serviço Virtual de Atendimento (e-CAC) na página da Receita, onde é possível acessar o extrato da declaração e ver se há inconsistências de dados identificadas pelo processamento. No caso de identificação de algum problema, a Receita recomenda a entrega de uma declaração retificadora.

A restituição ficará disponível no banco durante um ano. Se o contribuinte não fizer o resgate nesse prazo, deverá requerê-la por meio da Internet, mediante o Formulário Eletrônico – Pedido de Pagamento de Restituição, ou diretamente no e-CAC, no serviço Extrato do Processamento da DIRPF.

Caso o valor não seja creditado, o contribuinte poderá ir a qualquer agência do BB ou ligar para a Central de Atendimento por meio do telefone 4004-0001 (capitais), 0800-729-0001 (demais localidades) e 0800-729-0088 (telefone exclusivo para pessoas com deficiência auditiva) para agendar o crédito em conta-corrente ou poupança, em seu nome, em qualquer banco.”

(Agência Brasil)

Nelson Piquet quer montar fabrica de componentes automotivos no Ceará

307 1

nelsonpie

Nelson Piquet ao lado de Antonio Balhmann.

A Zona de Processamento de Exportações ganhará uma fábrica de componentes automotivos. As negociações foram fechadas com o ex-piloto de Fórmula 1 e tricampeão mundial, Nelson Piquet, que reservou uma área de três hectares.

O ex-piloto esteve semana passada no Pecém, fechando os detalhes do projeto com o assessor para Assuntos Internacionais, Antônio Balhmann, e com o presidente da ZPE Ceará, Mário Lima Júnior. Na próxima sexta-feira, Piquet terá um novo encontro com Balhmann, em Brasília, para finalizar procedimentos burocráticos.

A fábrica, segundo o secretário, trabalhará com tecnologia italiana para a produção de componentes automotivos destinados ao mercado exportador. O investimento será da ordem de US$ 7 milhões.