Blog do Eliomar

Categorias para Brasil

Declaração do ITR deve ser apresentada até setembro

“A Declaração do Imposto sobre a Propriedade Territorial Rural (DITR) referente ao exercício de 2016 deve ser apresentada no período de 22 de agosto a 30 de setembro de 2016. Os dados serão recebidos pela internet, após o preenchimento do programa gerador que será disponibilizado no site da Receita na internet. A instrução normativa foi publicada hoje (13) no Diário Oficial da União.

Entre os que estão obrigados a declarar estão as pessoas físicas ou jurídicas, exceto a imune ou isenta, proprietárias, titular do domínio útil ou possuidora de qualquer título, inclusive a usufrutuária.

De acordo com a Instrução Normativa, a comprovação da apresentação da DITR é feita por meio de recibo gravado após sua transmissão em disco rígido de computador ou em mídia removível que contenha a declaração transmitida, cuja impressão deve ser realizada pelo contribuinte pelo programa ITR2016.

Caso o contribuinte apresente a DITR fora do prazo, ele fica sujeito à aplicação de multa de 1% ao mês-calendário ou fração de atraso, calculada sobre o total do imposto devido, não podendo seu valor ser inferior a R$ 50.”

(Agência Brasil)

Encontro debaterá o Mercado de Eventos

kifmfn

Fortaleza será sede, nesta terça-feira, às 18h30min, no Espaço La Brasilerie, de um encontro que debaterá o tema “Mercado de Eventos”. O objetivo é avaliar o cenário dos eventos e a atuação das empresas do ramo no Estado.

Entre conferencistas, Flavio Liffeman, vice-presidente do Sindicato dos Cerimonialistas e Mestres de Cerimônias do Brasil (SINCMC).

Foi-se o tempo em que eventos sociais se restringia a grupinhos e vaidades. Hoje é um negócio organizado, rentável e profissional.

SERVIÇO

Espaço La Brasilerie – Rua Tibúrcio Cavalcante, 736 – Aldeota.

A bronca do padre

Com o título “A bronca do padre”, eis artigo da jornalista Fátima Sudário, que pode ser conferido no O POVO desta segunda-feira. Uma abordagem sobre o jeito do cristão ir à missa ou, quem sabe, reflexão sobre a roupa que faz o monge. Confira:

Por esses dias, vi uma imagem encantadora. Mostra um cachorro invadindo uma igreja em Sorocaba (SP), bem na hora da missa. Li que o padre interrompeu a celebração e abençoou o animal. Teve milhares de compartilhamentos. Uma bela acolhida. Em domingo recente, estava no Centro da Cidade e entrei na Catedral. Estava lotada na missa das 12. Acomodada em um dos bancos, passei a apreciar a narrativa daqueles vitrais maravilhosos. Minha vista passava por eles enquanto corria a liturgia. Homilia, ofertório, comunhão. Já pertinho do fim da celebração, eis que fui surpreendida por um carão do padre.

Ele ralhou contra quem entrava na igreja de short, alertou para os cartazes avisando que a prática não é bem-vinda. Usou argumentos da casa de Deus, da adequação de bem trajar para respeitar o templo. Não foi um pito mal humorado. Ao descrever as roupas que condenava, o padre se saiu bem atual. “E não é qualquer short, não! Tem que ser jeans rasgado, porque é assim que está na moda e as pessoas fazem questão de pagar por eles”, ironizou.

Complacente, deu-se como exemplo. Disse que gostava da praia. Não era por ser padre que perdia o lazer. “Mas jamais usaria uma batina para ir à praia. Imaginem, eu na praia de batina”. Não consegui, até porque àquela altura me senti alvo da queixa, que recebeu calorosos aplausos.

Olhei em volta e vi que não era a única de short. Havia adolescentes e alguns turistas. Em segundos, passei do constrangimento à reflexão. O padre tem lá as razões dele. Mas a experiência de fé é de cada um. A minha, definitivamente, não está condicionada à roupa. Tive vontade de ir ter com ele. Não pra tomar satisfação. Quem sou eu pra mexer nas crenças de quem quer que seja?

Não fui. E, desde então, penso como ele se relaciona com o povo do entorno da Catedral, com tantas necessidades, inclusive espirituais. Penso, também, e juro que não é crítica: por que a prática religiosa das pessoas está tão encaixada em padrões adequados e fechados? O aplauso me diz isso. Penso que é possível rever valores, a partir, por exemplo, da existência de um papa como Francisco, no qual a simplicidade e o despojamento são tão libertadores.

*Fátima Sudário

fatima@opovo.com.br

Jornalista do O POVO.

“Mulheres do Ceará com Dilma” traz ex-ministra para debate em Fortaleza

eleonoramenicucci_abr1

Eleonora Menicucci, ex-ministra de Políticas para as Mulheres, Eleonora Menicucci, é aguardada em Fortaleza nesta noite de segunda-feira. Na agenda dela, participação numa uma audiência pública, na Assembleia Legislativa, a partir das 15 horas desta terça-feira, mais precisamente no Auditório Murilo Aguiar.

Ela vem debater o tema “Empoderamento das Mulheres”, dentro de um encontro solicitado pela deputada Rachel Marques (PT) e cujo assunto diz respeito a “Mais Direitos, Participação e Poder para as Mulheres”.

Segundo Rachel Marques, o evento também marcará os dois anos de atuação do grupo “Mulheres do Ceará com Dilma (MCCD)”, movimento que foi criado por feministas cearenses na luta pela manutenção e conquista de direitos, além de defender o mandato de Dilma Rousseff.

SERVIÇO

Governo federal volta a suspender Seguro-Defeso

odilonnggu

Uma audiência pública marcada para as 14h30min de quarta-feira, na Assembleia Legislativa, debaterá a suspensão do pagamento do Seguro-Defeso para os pescadores artesanais. A iniciativa é do deputado Odilon Aguiar (PMB), que quer saber os motivos da suspensão, que atingiu o processamento dos requerimentos do benefício.

“Essa não é a primeira vez que ocorre a suspensão dos pagamentos. No ano passado, realizamos uma audiência pública com a mesma finalidade e obtivemos êxito. São mais de cinco mil pescadores prejudicados e impossibilitadas de exercer seu ofício”, observa Odilon para o Blog.

O parlamentar avalia que a suspensão do pagamento do seguro parte de “uma premissa equivocada” que define o fenômeno da seca como um fenômeno não natural, e artigo 2º, inciso XIX, da Lei no. 11.959, de 29 de junho de 2009, que dispõe sobre a Política Nacional de Desenvolvimento Sustentável da Aquicultura e da Pesca e define “defeso” como “a paralisação temporária da pesca para a preservação da espécie, tendo como motivação a reprodução e/ou recrutamento, bem como paralisações causadas por fenômenos naturais ou acidentes.

Para essa audiência pública, foram convidados o secretário estadual da Pesca e Aquicultura, Osmar Baquit, o procurador do Trabalho Gérson Marques, a superintendente federal da Pesca e Aquicultura do Ceará, Maria Luisa Rufino, além de representantes do INSS, Sine/IDT, Ibama, DNOCS, Superintendência Regional do Trabalho e Emprego e Federação dos Pescadores do Ceará.

Saiba o que é proibido em termos de financiamento de campanhas eleitorais

163 1

Várias regras sobre doações para campanhas eleitorais foram alteradas, a partir da Reforma Eleitoral de 2015, e já entrarão em vigor nas eleições dste ano. As principais mudanças estão relacionadas com a proibição do financiamento das campanhas dos candidatos por empresas, e com a redução e fixação do limite de gastos.

Trata-se da Lei nº 9.504 de 30/09/1997, entre os artigos 17 e 27, que define as regras que envolvem os recursos das campanhas eleitorais. As mais importantes são:

– Somente pessoas físicas podem fazer doações para campanhas eleitorais;

– Toda doação deve ser feita através de recibo assinado pelo doador, com um valor limitado a 10% dos rendimentos brutos do ano anterior do doador;

– A realização de doações acima do limite estipulado penaliza o doador com o pagamento de multa no valor de cinco a dez vezes a quantia ultrapassada;

– As doações só poderão ser realizadas através de cheques cruzados e nominais, transferências eletrônicas de depósitos, depósitos identificados em espécie, ou através do sistema disponível no site do candidato, partido ou coligação na internet, com a possibilidade do uso do cartão de crédito (o sistema deverá obrigatoriamente, identificar o doador e emitir o recibo para cada doação);

– Os partidos e candidatos devem obrigatoriamente abrir conta bancária específica para as movimentações financeiras da campanha.

A partir de 2016, os candidatos ao cargo de prefeito só poderão gastar, no primeiro turno, 70% do maior gasto declarado para o mesmo cargo na eleição anterior, onde houve apenas primeiro turno; nos municípios que tiveram dois turnos na eleição passada, o gasto dos candidatos a prefeito terão um limite de 50% do maior gasto declarado na última eleição. O limite de gastos referentes ao segundo turno, onde houver, está fixado em até 30% do valor previsto do primeiro turno.

(Com TSE)

DEM está dividido sobre apoio a Roberto Cláudio

69 1

zuMoroni

O presidente regional do DEM, deputado federal Moroni Torgan, avisa: metade do seu partido em Fortaleza quer apoiar a reeleição do prefeito Roberto Cláudio (PDT) e outra metade quer candidatura própria.

No caso da postulação própria, ele diz que a preferência é por seu nome.

Moroni, entanto, adianta que a decisão final do partido, que ocupa cargos na gestão municipal como a direção-geral da Guarda Municipal, só sairá no fim do mês.

 

Servidores dos Correios vão protestar contra o aparelhamento da empresa

70 1

“Servidores dos Correios vão fazer um ato em frente à sede da empresa, em Brasília, na próxima quarta-feira. O protesto será contra o aparelhamento dos Correios, que nos últimos anos tem reservado a maior parte de seus cargos de direção e gerência para indicados do PDT.

Os servidores dizem que profissionais com anos de carreira têm sido substituídos por pessoas com pouco ou nenhum conhecimento sobre a operação dos Correios.

Por isso, acreditam, a empresa passa por dificuldades financeiras e operacionais.

O protesto será o primeiro enfrentado pelo novo presidente da empresa, Guilherme Campos, do PSD, que foi indicado por Gilberto Kassab para o cargo.”

(Coluna Radar, da Veja Online)

Livro apresenta dicas para quem quer conquistar o primeiro mandato

jharodo

O vice-presidente estadual do PTdoB, Haroldo Abreu, lançará, às 18 horas desta quarta-feira, no Auditório Murilo Aguiar, da Assembleia Legislativa, o livro “Vereador – Guia de Campanha Passo a Passo”.

Segundo o autor, que também é bacharel em Direito, a publicação fala, de forma simples e direta, nos meandros de uma campanha eleitoral. São dicas para aspirantes a um mandato proporcional.

Bom destacar que o livro o autor sendo apresentado pelo saudoso ex-prefeito de Fortaleza e ex-deputado estadual Barros Pinho.

DETALHE – Haroldo Abreu lançará a publicação em cidades de peso do Interior, a partir do fim desta semana.

SERVIÇO

*Mais Informações – haroldo.abreu@hotmail.com e (85) 98707070.

Campanha alertará sobre cuidados com o passageiro idoso

Os idosos representam 15,35% das vítimas fatais no trânsito, segundo Informações do Data SUS de 2013 e, a cada hora, pelo menos, dois deles sofrem algum tipo de violência no Brasil, segundo levantamento anual da Secretaria dos Direitos Humanos do Governo Federal.

Com base nesses dados e em alusão ao Dia Mundial de Combate à Violência Contra a Pessoa Idosa – 15 de junho, a Defensoria Pública do Ceará, o Sindiônibus e o Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Intermunicipal e Interestadual do Ceará (Sinterônibus), com o apoio da Associação dos Defensores Públicos do Estado do Ceará (Adpec), vão lançar a Campanha Idosos Primeiro.

A estratégia será voltada para que os operadores e usuários do Sistema de Transporte Coletivo de Passageiros do Ceará sejam capacitados e informados sobre o tema. No dia 15, quartas-feira, a campanha será lançada a partir das 8 horas, coma seguinte programação:

15 de junho – Dia Mundial de Conscientização da Violência Contra a Pessoa Idosa

Lançamento da Campanha Idosos Primeiro
Orientação Jurídica com os Defensores Públicos
Emissão do Cartão do Idoso pelo Sindiônibus
Serviços de Saúde

Local: Praça do Ferreira
Horário: Das 8 às 12 horas.

16 de junho – Capacitação para os Instrutores e Operadores do Sistema de Transporte Urbano e Intermunicipal

Palestra sobre o Direito dos Idosos – com Defensores Públicos
Local: Sindiônibus – Avenida Borges de Melo, nº60 – Aerolândia
Horário: Às 15 horas

24 de junho – Campanha no Terminal Rodoviário de conscientização de direitos da pessoa idosa

Orientação Jurídica com os Defensores Públicos
Emissão do Cartão do Idoso pelo Sindiônibus
Serviços de Saúde
Local: Terminal Rodoviário Eng. João Thomé
Horário: Às 14 horas.

Presidente da CEF descarta aumento dos juros do crédito imobiliário

“O presidente da Caixa Econômica Federal (CEF), Gilberto Occhi, descartou hoje (13) a possibilidade de elevação dos juros do crédito imobiliário por parte do banco, que é a principal instituição do setor. Destacou que a CEF está avaliando outras formas de financiamento para a casa própria e um estudo já foi encomendado com o objetivo de avaliar uma nova maneira de concessão do crédito imobiliário.

Occhi fez as afirmações após deixar o Ministério da Fazenda, em Brasília, onde teve um encontro com o ministro Henrique Meirelles.“Estamos pensando em outras formas de financiamento. Encomendei um estudo para a direção da Caixa para que a gente possa avaliar uma nova forma de conceder o crédito imobiliário”, enfatizou.

O presidente da Caixa também informou que o governo pretende retomar as obras de cerca de 15 mil unidades habitacionais de empreendimentos do Programa Minha Casa Minha Vida, que estavam paralisadas. Segundo ele, ainda esta semana discutirá o assunto com o ministro das Cidades, Bruno Araújo. São unidades que estão praticamente prontas, negociadas, com preço e devem “começar a alavancar” uma nova onda de absorção de mão de obra.

“Temos aí cerca de 78 mil unidades paralisadas em todos os contratos da Caixa. Seja do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço [FGTS], seja do Minha Casa, Minha Vida . Seja do Rural”, disse.

O presidente da CEF disse também que não tratou de privatizações no banco. Segundo ele, a instituição continua estudando a abertura de capital da Caixa Seguridade, mas o assunto ainda será discutido com o ministro Henrique Meirelles. Occhi informou, ainda, que a Caixa estuda uma joint venture [associação com outra empresa] para a loteria instantânea. “Não há uma data. Isso é mercado e a gente não sabe quando irá fazer”. Desmentiu que esteja discutindo a capitalização da Caixa com o Tesouro Nacional.

Sobre a participação da CEF nas concessões, Occhi informou que tem conversado separadamente com o secretário executivo do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI) da Presidência da República, Moreira Franco, e que irá apoiar o trabalho que está sendo feito para o setor de infraestrutura.”

(Agência Brasil)

Justiça do Trabalho em clima de mutirão

justiça-eleitoral-702x336

Começou, nesta segunda-feira, a 2ª Semana Nacional da Conciliação Trabalhista. A inciativa do Conselho Superior da Justiça do Trabalho mobiliza os 24 tribunais trabalhistas do País até sexta-feira (17) para buscar soluções rápidas e consensuais às disputas judiciais.

A expectativa é que ocorram, ao todo, 30 mil audiências. Devem participar da ação grandes empresas, com grande quantidade de funcionários e processos trabalhistas, e que apresentaram listas das causas nas quais estão dispostas a negociar um acordo.

Cunha está ficando sozinho. Há pressão para que renuncie

66 1

eduardo_cunha_triste

O deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) perdeu apoio do Palácio do Planalto, do PMDB e do Centrão (maior bloco parlamentar informal do Congresso) na luta para manter o mandato. Antes poderoso, o presidente afastado da Câmara está acuado por antigos aliados, que o pressionam para que renuncie ao cargo na direção da Casa, e pela Operação Lava Jato. Cunha vê a preservação do mandato como única forma de não ser preso – ele teme que seus processos sejam remetidos a primeira instância e fiquem sob cuidados do juiz Sérgio Moro.

Na semana passada, Cunha foi procurado por dois parlamentares do Centrão, grupo que ajudou a criar. Ambos o aconselharam a renunciar, pelo bem do governo do presidente em exercício Michel Temer. Cunha se descontrolou e, aos gritos, disse que jamais tomará essa atitude. A medida seria vista como sinal de enfraquecimento, e isso poderia tornar inevitável a cassação em plenário.

Na quinta-feira, dia em que a mulher dele, a jornalista Cláudia Cruz, virou ré na Lava Jato por decisão de Moro, o deputado mandou mensagens a integrantes do Centrão dizendo que não pode abrir mão do mandato porque o juiz federal promoveria um “cerco” a ele e a sua família.

A estratégia para tirar Cunha de cena vem sendo chamada nos bastidores do governo e do Congresso de “operação mão do gato”, numa dupla referência ao gesto do felino de bater e recolher o braço imediatamente e ao ato de agir sorrateiramente. O medo do PMDB e do Planalto é de que Cunha, num gesto de vingança, possa fazer acusações contra Temer e o partido. No Planalto, a avaliação é de que Cunha se tornou um fator que só atrapalha o governo.

Criador e criatura

No Centrão, a convicção é de que a “criatura se tornou maior do que o criador”, conforme a definição de um líder ao falar do grupo e de Cunha. O objetivo do bloco é manter o poder sobre o comando da Câmara e fazer o sucessor do presidente afastado da Casa.

Líderes do Centrão avaliam ser possível vencer a votação sobre o processo que pesa contra Cunha no Conselho de Ética da Câmara, prevista para amanhã, e aprovar uma pena mais branda, como suspensão por três meses. Para isso, contam com o voto da deputada Tia Eron (PRB-BA), que não assume publicamente a defesa da cassação do mandato.

No plenário, porém, o prognóstico é desfavorável ao peemedebista. Por isso, parte do Centrão vê como alternativa mais viável que o presidente afastado renuncie ao cargo – o gesto poderia convencer parlamentares a aceitarem a pena branda.

“Hoje a situação está muito difícil. Chegou a um ponto muito desgastante. Fica difícil apoiar”, afirma o líder do PR, Aelton Freitas (MG). Segundo ele, no plenário será muito difícil para os deputados que sustentam Cunha nos bastidores manter esse apoio, pois a votação será aberta.

Vice-líder do PMDB e membro da “tropa de choque” de Cunha, o deputado Carlos Marun (MS) admite que haverá votos contrários ao peemedebista até na bancada, mas avalia ser minoria. “Obviamente não é uma situação fácil, haja vista a pressão externa.”

No PP, o líder Aguinaldo Ribeiro (PB) apoia o presidente afastado da Câmara nos bastidores, mas já é pressionado por seus deputados por sua posição. “No momento em que o processo for à votação em plenário, a maioria do PP não vota com Cunha. A maioria não está com ele. O pessoal só não está manifestando isso em respeito ao líder”, disse o deputado Jerônimo Goergen (PP-RS), da bancada ruralista.

No plenário, bastam 257 votos para a cassação de Cunha ser aprovada. Hoje, nove partidos se declararam nesse sentido: PT, PC do B, PDT, Rede, PSOL, DEM, PSDB, PSB e PPS, que somam 218 deputados. O Centrão tem cerca de 220 parlamentares.

Além de articular a mudança no parecer do Conselho de Ética que pede sua cassação, Cunha atua na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) para mudar as regras de votação do relatório no plenário e, com isso, impedir que a recomendação por uma pena mais branda seja alterada para uma punição mais dura. O processo por quebra de decoro foi aberto há mais de 220 dias e tem como objeto a acusação de que Cunha mentiu ao afirmar na CPI da Petrobrás, em 2015, que não possuía contas secretas no exterior. As informações são do jornalO Estado de S. Paulo.

ESTADÃO conteúdo

Mercado financeiro estima inflação do ano em 7,19%

inflacao (1)

“A projeção de instituições financeiras para a inflação, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), este ano, subiu pela quarta vez seguida, ao passar de 7,12% para 7,19%. Para 2017, a estimativa é mantida em 5,50% há quatro semanas. As projeções fazem parte de pesquisa feita todas as semanas pelo Banco Central (BC) e divulgada às segundas-feiras.

As estimativas estão acima do centro da meta de inflação de 4,5%. O limite superior da meta de inflação é 6,5%, este ano e 6% em 2017. É função do Banco Central fazer com que a inflação fique dentro da meta. Um dos instrumentos usados para influenciar a atividade econômica e, consequentemente, a inflação, é a taxa básica de juros, a Selic.

Quando o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central aumenta a Selic, o objetivo é conter a demanda aquecida, e isso gera reflexos nos preços, porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança. Já quando o Copom reduz os juros básicos, a tendência é que o crédito fique mais barato, com incentivo à produção e ao consumo, mas a medida alivia o controle sobre a inflação.

Juros

O BC tem que encontrar equilíbrio ao tomar decisões sobre a taxa básica de juros, de modo a fazer com que a inflação fique dentro da meta estabelecida pelo Conselho Monetário Nacional. Na semana passada, o Copom decidiu manter a taxa Selic em 14,25% ao ano por considerar que a inflação acumulada em 12 meses é alta e as expectativas para o índice de preços estão distante da meta. Por isso, o comitê disse que não havia espaço para redução da taxa básica.

A mediana (desconsidera os extremos nas projeções) das expectativas das instituições financeiras para a Selic, passou de 12,88% para 13% ao ano, ao final de 2016, e segue em 11,25% ao ano, no fim de 2017.

A estimativa de instituições financeiras para a queda do Produto Interno Bruto (PIB), soma de todos os bens e serviços produzidos no país, foi alterada de 3,71% para 3,60%. Para 2017, a estimativa de crescimento passou de 0,85% para 1%. A projeção para a cotação do dólar ao final de 2016 caiu de R$ 3,68 para R$ 3,65. Para 2017, a estimativa passou de R$ 3,85 para R$ 3,81.”

(Agência Brasil)

Sisu 2016 – Matrícula dos selecionados termina nesta terça-feira

“Os estudantes selecionados no Sistema de Seleção Unificada (Sisu) têm até amanhã (14) para fazer a matrícula nas instituições de ensino. O estudante deve verificar, na instituição de ensino em que foi aprovado, o local, horário e os procedimentos para a matrícula.

O resultado está disponível para consulta na página do programa, na internet. Para acessar o resultado, o estudante precisa do número de inscrição no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2015 e da senha.

O Sisu seleciona candidatos às vagas em universidades federais e institutos federais de Educação, Ciência e Tecnologia com base na nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Puderam participar do Sisu os estudantes que fizeram o Enem de 2015 e não tiraram 0 na redação.

Nesta edição foram ofertadas 56.422 vagas, em 65 universidades federais e estaduais e institutos federais.

Está aberto o prazo para aqueles que não foram selecionados se inscreverem na lista de espera do programa. Isso pode ser feito até o dia 17 de junho. Os candidatos na lista começarão a ser convocados a partir do dia 23 de junho.

Para participar da lista, o candidato deve acessar o sistema e, em seu boletim, clicar no botão que corresponde à confirmação de interesse em participar da lista de espera do Sisu. É importante certificar-se de que sua manifestação foi registrada. Ao finalizar a confirmação, o sistema emitirá uma mensagem.”

(Agência Brasil)

E os vexames não param na Seleção Brasileira

80 2

Após a humilhante goleada sofrida para a Alemanha, por 7 a 1, há dois anos, nas semifinais da Copa do Mundo no Brasil, a Seleção Brasileira voltou a ser motivo de piada na noite desse domingo (12), ao perder para o Peru, por 1 a 0, e ser desclassificada na primeira fase da Copa América, nos Estados Unidos.

Apesar de integrar a chave mais fraca da competição, a Seleção encerrou sua participação como terceira colocada no grupo formado pelo Peru, Equador e Haiti.

Sérgio Machado se compromete a devolver R$ 90 milhões. Só?

sergio-machado

O ex-senador e ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado, se comprometeu a devolver em torno de R$ 90 milhões aos cofres públicos. Foi o que ele acertou em sua delação premiada. A informação é do Blog de Matheus Leitão, do G1.

 Na delação, Machado gravou conversas que teve com o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), o senador Romero Jucá (PMDB-RR) e o ex-presidente da República José Sarney (PMDB-AP).

De acordo com a publicação, o ex-dirigente da Transpetro deu detalhes, na delação, sobre suposto esquema de corrupção na subsidiária da Petrobras destinado, segundo ele, ao enriquecimento ilícito dos caciques peemedebistas.

Os três políticos da cúpula do PMDB negam as acusações feitas por Machado e criticam os pedidos de prisões, feito pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, que afirmou que eles estariam tentando obstruir as investigações da Operação Lava Jato.