Blog do Eliomar

Categorias para Brasil

Dia do Caminhoneiro será comemorado no Ceará

Para comemorar o Dia do Caminhoneiro – 30 de junho, o Sest/Senat promove uma semana de atividades nas áreas da saúde e qualidade de vida desses profissionais. A ação, de caráter nacional, ocorrerá no Ceará com um estande expondo diversos serviços para os caminheiros. Vai estar montado no Posto São Cristóvão (BR116, Km 15), até 5 de julho, das 12 às 20 horas. A expectativa é alcançar cerca de 50 mil caminhoneiros em todo o Brasil.

A programação conta com divulgação dos cursos Sest/Senat (presenciais e EAD), orientações de saúde bucal, aferição de pressão, teste de glicemia, orientações nutricionais e de saúde da coluna e abordagens com psicólogos sobre o consumo de álcool e drogas nas estradas. Além disso, uma tenda será montada com serviços do Programa Despoluir, que estimula um transporte limpo, consciente e sustentável, realizando aferições nos caminhões, com o teste de opacidade, orientando sobre a manutenção e regularização do motor.

Segundo o coordenador do Núcleo Socioambiental da Federação das Empresas de Passageiros do Ceará, Piauí e Maranhão (Fetrans), Gabriel Martins, responsável pelo Programa Despoluir, essa ação tem grande importância, pois aproxima o trabalhador dos transportes aos serviços do Sistema Fetrans Sest/Senat.

(Foto – Divulgação)

Novo do Ceará terá consultor de empresas como presidente

Célio Fernando, João Amoêdo, presidente nacional do Novo, e Geraldo Luciano.

O executivo Geraldo Luciano evita se definir como pré-candidato a prefeito de Fortaleza, mas garante que o Novo disputará em 2020, pois a Capital cearense está entre as prioridades de uma legenda que promete fazer a diferença: em termos de debate e de propostas.

Enquanto Geraldo se afasta do comando do Novo, seguindo o que orienta estatuto do partido, o seu vice, o consultor de empresas Célio Fernando, assumirá a presdiêncai da legenda.

Célio é da confiança de Geraldo Luciano que, até junho de 2020, deve ficar na vice-presidente de Investimentos e Controladoria do Grupo M. Dias Branco. Se quiser entrar mesmo na peleja.

(Foto – Tapis Rouge)

Festival Halleluya tem loja no Shopping Iguatemi

A organização do Festival Halleluya 2019 conta, no 1º piso do Shopping Iguatemi, com loja oficial do evento que ocorrerá de 24 a 28 de julho próximo, no Condomínio Espiritual Uirapuru (CEU), com entrada gratuita.

Na loja, o público poderá comprar ingressos para quem optar pelo espaço lounge, além de adquirir produtos como camisas, bonés, cadernos e artigos do festival.

Entre as atrações confirmadas está o padre Fábio de Melo. A expectativa é reunir um público de mais de um milhão de pessoas.

*Da Coluna Layout, da jornalista Joelma Leal, no O POVO desta sexta-feira.

(Foto – Divulgação)

Mega-Sena vai sortear neste sábado prêmio de R$ 10 milhões

A Mega-Sena, que está acumulada, sorteia neste sábado (29) o prêmio de R$ 10 milhões. As seis dezenas do concurso 2.164 serão sorteadas a partir das 20h (horário de Brasília), no Espaço Loterias Caixa, no Terminal Rodoviário do Tietê em São Paulo.

De acordo com a Caixa, o valor do prêmio, caso aplicado na poupança, opoderia renderia aproximadamente R$ 37 mil por mês.

As apostas podem ser feitas até as 19h (horário de Brasília) do dia do sorteio, em qualquer casa lotérica credenciada pela Caixa, em todo o país. O bilhete simples, com seis dezenas, custa R% 3,50.

(Agência Brasil)

Bolsonaro e Trump conversam sobre comércio bilateral e Venzuela

99 1

No Japão, onde participam da reunião do G20, os presidentes Jair Bolsonaro e Donald Trump, dos Estados Unidos, tiveram, hoje (28), uma reunião bilateral onde trataram de temas como a relação comercial entre os dois países, a entrada do Brasil na Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) e a situação da Venezuela.

“A OCDE foi tema nesse encontro, e falou-se também da Venezuela, dos aspectos que podem ser elevados por ambos os países para uma solução democrática e duradoura na Venezuela. Falou-se das possibilidades de apoio e interlocução entre os países sob o ponto de vista comercial e sob outros pontos de vista”, disse o porta-voz da Presidência da República, Otávio Rêgo Barros.

No final de maio, os Estados Unidos decidiram apoiar formalmente a entrada do Brasil na OCDE. O anúncio oficial do apoio foi dado durante a reunião do órgão, em Paris. Na ocasião, o presidente Bolsonaro postou no Twitter mensagem afirmando que o suporte norte-americano é “fruto da confiança no novo Brasil”.

Macron

Bolsonaro também se reuniu com o presidente da França, Emmanuel Macron. Os dois conversaram durante cerca de 30 minutos sobre temas como o acordo entre o Mercosul e a União Europeia, o Acordo de Paris, meio ambiente e temas referentes à fronteira entre o Brasil e a Guiana Francesa.

(Com Agência Brasil)

Acrísio Sena: “Menos armas, mais segurança!”

Com o título “Menos armas, mais segurança”, eis artigo de Acrísio Sena (PT), deputado estadual. “O número de armas em posse de civis só aumenta desde 2017. Até abril de 2019 houve alta de 10% nos registros para a posse de armas concedidos pela Polícia Federal, em relação a 2018”, diz o texto. Confira:

A derrota do Governo Federal no chamado “decreto das armas”, que queria flexibilizar as regras para a posse e porte, e praticamente enterraria o Estatuto do Desarmamento, é uma boa notícia em meio aos caos atual da política brasileira. Um relatório do Centro de Políticas de Violência dos EUA, um país que é referência na liberação do uso de armas, mostra que, em 2012, para cada uma morte por armas, justificável como legítima defesa, houve 34 mortes de armas injustificáveis. E mais: dados do Centro de Controle e Prevenção de Doenças americano mostram que, naquele mesmo ano, para cada assassinato por autodefesa houve 78 suicídios.

No início de 2019, pesquisa Datafolha apurou que 61% dos brasileiros eram contrários à liberação da posse das armas. De acordo com os entrevistados, a posse deve ser proibida “pois representa ameaça à vida de outras pessoas”. E não é pra menos. O número de pessoas assassinadas com armas de fogo é epidêmico e cresceu 6,8% no país entre 2016 e 2017, de acordo com dados do Atlas da Violência de 2019, produzido pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e o Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP) e divulgado no começo de junho.

O Atlas é assinado por 13 pesquisadores e elaborado com registros oficiais do Sistema de Informações sobre Mortalidade, do Ministério da Saúde (SIM/MS). Pela série histórica de número de mortes por armas de fogo, quase um milhão de brasileiros perderam a vida vitimados por disparos entre 1980 e 2017.

Para os estudiosos responsáveis pelo Atlas da Violência, o número seria ainda maior não fosse o Estatuto do Desarmamento, aprovado em 2003. De 14 anos para cá, desde a promulgação desta lei, a taxa média de crescimento anual de mortes por armas é de 0,85%, queda brusca em relação aos 14 anos anteriores à lei que era de 5,44%. Ou seja, o Estatuto quebrou uma tendência.

Infelizmente, alguns setores da sociedade e o próprio Governo Federal vem atuando contra o Estatuto, usando incisivamente a pressão das redes sociais. E isso provocou um imenso retrocesso. O número de armas em posse de civis só aumenta desde 2017. Até abril de 2019 houve alta de 10% nos registros para a posse de armas concedidos pela Polícia Federal, em relação a 2018. Ou seja, os números não mentem: quanto menos armas, maior a segurança da população.

*Acrísio Sena

Deputado estadual do PT.

(Foto – ALCE)

Trabalhadores autônomos somam 24 milhões no País, diz IBGE

Os trabalhadores por conta própria no país chegaram a 24 milhões de pessoas no trimestre encerrado em maio deste ano. O número é 1,4% superior ao registrado no trimestre encerrado em fevereiro deste ano (mais 322 mil pessoas) e 5,1% maior do que o observado no trimestre finalizado em maio de 2018 (mais 1,17 milhão de pessoas).

O contingente de trabalhadores autônomos no Brasil é recorde da série histórica, iniciada em 2012. Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), divulgada hoje (28) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O crescimento desses trabalhadores contribuiu para o aumento da população ocupada como um todo, que ficou em 92,9 milhões de pessoas, 1,2% superior (mais 1,07 milhões de pessoas) ao trimestre anterior e 2,6% a mais (2,36 milhões de pessoas a mais) do que no trimestre encerrado em maio do ano passado. A taxa de desemprego ficou em 12,3%, abaixo dos 12,4% de fevereiro e dos 12,7% de maio de 2018.

Outro segmento que puxou o crescimento da população ocupada foi o de empregados sem carteira assinada. No trimestre encerrado em maio deste ano, eles somaram 11,4 milhões de pessoas, crescendo em ambas comparações temporais: 2,8% (mais 309 mil pessoas) frente ao trimestre anterior e 3,4% (mais 372 mil pessoas) em relação ao mesmo trimestre de 2018.

O número de empregados no setor privado com carteira assinada (exclusive trabalhadores domésticos) foi 33,2 milhões de pessoas, ficando estável frente ao trimestre anterior e subindo 1,6% (mais 521 mil pessoas) frente a maio de 2018.

O rendimento médio real habitual do trabalhador ficou em R$ 2.289, uma queda de 1,5% em relação ao trimestre encerrado em fevereiro deste ano, mas estável na comparação com maio de 2018. A massa de rendimento real habitual chegou a R$ 207,5 bilhões, estável em relação a fevereiro, mas 2,4% superior a maio do ano passado.

Subutilização

A população fora da força de trabalho (64,7 milhões de pessoas) caiu 1,2% em relação a fevereiro, mas permaneceu estável em relação a maio de 2018.

A população subutilizada, isto é, aquelas pessoas que estão desempregados, que trabalham menos do que poderiam, que não procuraram emprego mas estavam disponíveis para trabalhar ou que procuraram emprego mas não estavam disponíveis para a vaga, mais uma vez é recorde para a série histórica.

O contingente dessa população chegou a 28,5 milhões de pessoas no trimestre encerrado em maio deste ano, 2,7% a mais do que em fevereiro deste ano e 3,9% a mais do que em maio do ano passado. “As pessoas estão trabalhando, mas mais de 60% manifestam uma vontade de trabalhar mais e essa vontade não está sendo atendida. O mercado não absorve essa pressão”, disse a pesquisadora do IBGE Adriana Beringuy.

A taxa de subutilização ficou em 25%, superior aos 24,6% de fevereiro e de maio do ano passado. O número de pessoas desalentadas, isto é, aquelas que que desistiram de procurar emprego, ficou estável (em ambas comparações temporais) em 4,9 milhões, também um patamar recorde na série histórica.

(Agência Brasil)

Programa Mais Médicos – Apresentação nos municípios termina nesta sexta-feira

Termina nesta sexta-feira (28) o prazo para que os profissionais do Programa Mais Médicos se apresentem nos municípios para os quais foram selecionados, dando início às atividades nas unidades de saúde de mais de mil locais brasileiros e em dez Distritos Sanitários Especiais Indígenas.

Ao todo serão 1.975 profissionais selecionados durante o 18º ciclo do programa. Segundo o Ministério da Saúde, o reforço beneficiará mais de 6 milhões de pessoas que vivem nas áreas mais vulneráveis do Brasil.

Algumas delas com histórica dificuldade de acesso, caso de localidades ribeirinhas, fluviais, quilombolas e indígenas.

Nesta primeira fase do 18º ciclo do programa, a seleção priorizou a participação de profissionais “formados e habilitados com registro do Conselho Regional de Medicina (CRM)”, preferencialmente “com perfil de atendimento para a Atenção Primária”.

Para tanto, o Ministério da Saúde estabeleceu “critérios de classificação, como títulos de Especialista e/ou Residência Médica em Medicina da Família e Comunidade”.

SERVIÇO

*Para acessar a lista dos municípios contemplados pelo programa Mais Médicos, clique aqui.

A conta de luz milionária da Câmara dos Deputados

O consumo de energia elétrica na Câmara dos Deputados acaba de ultrapassar a barreira dos 90 milhões de reais gastos em 2019.

A informação é da Veja Online, adiantando que entram nessa conta o edifício principal da Casa e os quatro anexos de gabinetes de parlamentares e comissões.

Nesse mesmo período, os gastos globais da Casa já chegam a 2,3 bilhões de reais, o equivalente a 38% do orçamento do ano.

Apenas.

Preto Zezé lança livro “Das Quaras Para o Mundo”

Preto Zezé, presidente da CUFA Global, que congrega as centrais de favelas de 17 países, vai lançar o livro “Das Quadras Para o Mundo”, pela Editora Cene, às 18 horas do próximo dia 3, na Livraria Cultura (Bairro Aldeota).

Na publicação, ele conta um pouco de sua trajetória de vida e de liderança na área de movimentos sociais, do hip hop e de atividades de engajamento com jovens por meio do esporte. Com prefácio de Celso Athayde, Ceo da Favela Holding e Fundador da Cufa, o evento de lançamento contará, ainda, com sessão de autógrafos e bate-papo com convidados e o secretário-chefe da Casa Civil do do Ceará Élcio Batista.

Perfil do autor

Preto Zezé, 43 anos, nasceu em Fortaleza, entre as ruas de terra da favela das Quadras e o asfalto da Aldeota. Filho de pais retirantes do interior, mãe doméstica e pai pintor da construção civil, é o mais velho de uma família de cinco irmãos.

Seu primeiro projeto de empreendedor foi ser lavador de carros nas ruas da cidade; formou-se na cultura dos bailes funks e da pichação. Em 90 iniciou seu ativismo social na cultura Hip Hop, em particular na música rap. Criou o Movimento Cultura de Rua, como uma rede de jovens das favelas que atuavam pelos direitos civis nas favelas, através de ações culturais e sociais.

Produtor artístico e musical, lançou sete discos, sendo um deles premiado como revelação Norte e Nordeste no maior prêmio de Hip Hop do país, o Prêmio Hutuz.

Idealizou o Programa Se Liga, na TV Verdes Mares: O som do Hip Hop em parceria com a Universidade Federal do Ceará – UFC. Como produtor cultural, realiza diversas ações e projetos culturais como forma de construir uma agenda positiva nas favelas.

Preto Zezé é autor do livro Selva de Pedra: A Fortaleza Noiada, uma pesquisa oriunda do Documentário Falcão – Meninos do Tráfico, de Celso Athayde e MV Bill, onde é relatado o circuito do crack e os seus danos sociais.

SERVIÇO

* Livraria Cultura, avenida Dom Luís, 1010, Bairro Aldeota.

* www.editoracene.com.br

(Foto – Paulo MOska)

Desemprego cai 12,4% par 12,3% no trimestre

A taxa de desemprego no país ficou em 12,3% no trimestre encerrado em maio, segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (Pnad), divulgada hoje (28), no Rio de Janeiro, pelo Instituto Nacional de Geografia e Estatística (IBGE).

A taxa é menor que a registrada no trimestre encerrado em fevereiro deste ano (12,4%). No trimestre fechado em maio de 2018 ela foi de 12,7%.

Segundo o IBGE, a população desocupada ficou em 13 milhões de pessoas, estatisticamente estável tanto frente ao trimestre anterior como em relação a igual período de 2018.

Já a população ocupada (92,9 milhões de pessoas) cresceu em ambas as comparações: 1,2% (mais 1,07 milhões de pessoas) em relação ao trimestre anterior e 2,6% (mais 2,36 milhões de pessoas) na comparação como o mesmo período de 2018.

(Agência Brasil)

Mercado sinaliza que votação da Nova Previdência em julho pode baixar a taxa de juros

Ministro Paulo Guedes, da Economia, está na expectativa.

Instituições de peso no mercado financeiro têm dito aos membros da Comissão Especial da Reforma da Previdência que, se o texto for mesmo aprovado no plenário da Câmara dos Deputados antes do recesso parlamentar, o Banco Central corta a taxa de juros em seguida, no fim do mês. É o que informa nesta sexta-feira a Folha de S.Paulo.

De acordo com o jornal, os membros da equipe econômica dizem que, neste momento, o principal entrave à votação na Câmara vem da bancada do PSL, que quer apresentar um destaque para obter condições mais vantajosas à aposentadoria de policiais e forças de segurança.

Apesar dos apelos, a tendência é a de que o partido do presidente Bolsonaro leve mesmo a questão a discussão. Como não há unanimidade na bancada, o PSL vai liberar seus quadros a votarem o destaque como acharem melhor.

(Foto – Agência Brasil)

Presidente da Caixa fala nesta sexta-feira para o empresariado em Fortaleza

O presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, cumprirá agenda em Fortaleza nesta sexta-feira .

Convidado pelo LIDE Ceará, organismo que congrega empresários, ele vai expor seus planos à frente da Instituição, durante encontro com com filiados e convidados da entidade, no Hotel Gran Marquise.

Ele abordará especificamente o tema “Nova Gestão da Caixa: Produtividade e Bem-estar Social”. Atuarão como debatedores Emília Buarque e Geraldo Luciano, presidente e conselheiro do LIDE Ceará, respectivamente.

Guimarães avalia que o banco pode arrecadar pelo menos R$ 15 bilhões com a abertura de capital de quatro subsidiárias – Caixa Seguradora, Caixa Cartões, Caixa Loterias e Caixa Asset.

(Foto – Divulgação

Queda do ministro do Turismo é dada como certa

A prisão de assessores do ministro Marcelo Álvaro Antônio (Turismo) na esteira do escândalo de candidaturas laranjas no PSL, revelado pela Folha, corroeu o apoio político que o titular da pasta ainda tinha entre aliados do presidente. Sua demissão é dada como certa, segundo informa a Coluna Painel, da Folha de S.Paulo desta sexta-feira.

Integrantes da comitiva de Bolsonaro, que está no Japão participando do G20, imaginaram que ele falaria da situação de seu auxiliar na live que fez nesta quinta-feira (27). Mas não. O presidente citou oito de seus ministros, mas não disse uma palavra sobre o do Turismo.

Segundo auxiliares, quando o escândalo estourou, Bolsonaro disse que se houvesse prova de ligação com irregularidades, Antônio não ficaria “nem um dia a mais” em sua equipe. Três assessores dele foram presos.

(Foto – Agência Brasil)

Editorial do O POVO critica exclusão de templos religiosos da Lei do Silêncio

301 3

Com o título “Código da Cidade: privilégio sectário”, eis o Editorial do O POVO desta sexta-feira. Uma crítica a uma decisão dos vereadores de Fortaleza de não incluir templos religiosos na Lei do Silêncio. Confira:

O Código da Cidade foi aprovado, nesta quarta-feira, pela Câmara Municipal de Fortaleza substituindo o anterior, de 1981. A falta de vigilância dos cidadãos permitiu a aprovação de uma emenda absurda, privilegiada e inconstitucional: a exclusão de templos religiosos da obrigação de respeitarem a Lei do Silêncio. Com isso, interesses segmentais ganham primazia em detrimento do interesse público, no momento em que incontáveis pessoas experienciam o suplício de morar nas imediações de centros de culto religioso e, por conta disso, têm de conviver com o inferno do barulho promovido pelo som altissonante dos equipamentos eletrônicos.

Ora, a poluição sonora é uma questão de saúde pública, pois interfere no organismo das pessoas, causando estresse, desequilíbrios emocionais e uma cadeia de efeitos que afetam não só a saúde mental e psíquica, mas se somatizam em doenças físicas (gerando-as ou agravando-as). Suas maiores vítimas são as crianças, os idosos e os enfermos, de modo geral, que são torturados pelo massacre sonoro, no próprio recinto do lar, por viverem nas cercanias de algum desses lugares de culto. Isso é paradoxal e inaceitável, do ponto de vista religioso, pois o primeiro dever de um credo qualquer é criar condições de harmonia em no entorno de seus lugares de culto (e não de desassossego e indignação) para que as pessoas não vejam neles uma agressão a seus direitos humanos e de cidadãos e ao próprio convívio familiar. É preciso respeitar, inclusive, quem tem fé diferente e não acredita que Deus seja surdo e precise de ser alcançado com berros e gritos. Ademais, ninguém pode impor sua crença a outrem. Isso gera intolerância, atingindo a paz social pelos reflexos na relação entre as pessoas, no dia a dia: irritabilidade, desavenças, agressões e tantos outros males.

Independentemente disso (sem que signifique qualquer preconceito contra a fé religiosa), há uma questão de ordem institucional: o Estado é laico e deve tratar todas as organizações e entidades da sociedade civil de modo igual, no que tange à subordinação aos direitos humanos e cidadãos. Assim, um templo religioso, um clube social, um sindicato ou uma empresa estão submetidos aos mesmos parâmetros legais, quando se trata do acatamento desses direitos. E o desfrute do silêncio no recinto do lar é um deles.

Se o art. 56 da Lei Orgânica Municipal (LOM), que dá aos cidadãos o direito de vetar leis impróprias, estivesse vigendo, haveria uma solução democrática (é por isso que o Tribunal de Justiça deveria suspender o óbice incompreensível ao artigo). Contudo, os próprios vereadores poderiam corrigir o retrocesso. Liberdade religiosa não se compatibiliza com a imposição de credos, goela abaixo. Não estamos mais na Idade Média. Ou estamos?

*Confira o Editorial do O POVO desta sexta-feira aqui.

PIS 2018/2019 – Saque do abono salarial termina nesta sexta-feira

Os trabalhadores cadastrados no Programa de Integração Social (PIS) têm esta sexta-feira (28) para sacar o Abono Salarial do calendário 2018/2019. Os valores vão de R$ 84 até R$ 998, de acordo com a quantidade de dias trabalhados durante o ano-base 2017.

De acordo com a Caixa, os benefícios, que totalizam R$ 16,9 bilhões, foram liberados de forma escalonada para 22,5 milhões de beneficiários, conforme o mês de nascimento, e agora estão disponíveis para os nascidos em qualquer mês. Até maio, o banco pagou R$ 15,6 bilhões a 20,6 milhões trabalhadores.

O valor do benefício pode ser consultado no Aplicativo Caixa Trabalhador, no site do banco ou pelo Atendimento Caixa ao Cidadão, pelo telefone: 0800 726 0207.

Pode a sacar o abono o trabalhador inscrito no PIS ou no Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep) há pelo menos cinco anos e que tenha trabalhado formalmente por pelo menos 30 dias em 2017 com remuneração mensal média de até dois salários mínimos.

“Os titulares de conta individual na Caixa com cadastro atualizado e movimentação na conta, podem ter recebido crédito automático antecipado. Quem possui o Cartão do Cidadão e senha cadastrada pode se dirigir a uma casa lotérica, a um ponto de atendimento Caixa Aqui ou ir aos terminais de autoatendimento da Caixa para receber o abono”, informou o banco.

Segundo a Caixa, caso o beneficiário não tenha o Cartão do Cidadão ou não tenha recebido automaticamente em conta, ele pode retirar o valor em qualquer agência da Caixa, apresentando o documento oficial de identificação.

O trabalhador em empresa pública, com inscrição no Pasep, recebe o pagamento do abono pelo Banco do Brasil.

(Agência Brasil)

Bolsonaro tem encontro com Macron e o convida a visitar a Amazônia

O presidente Jair Bolsonaro e o presidente da França, Emmanuel Macron, se reuniram durante 20 minutos em Osaka, no Japão. É o que informa o Portal G1.

Eles discutiram temas como União Europeia e Mercosul, meio ambiente, relações na fronteira Brasil-Guiana Francesa e aproximação na área de defesa. Bolsonaro convidou o francês para visitar a Amazônia.

Na conversa, Bolsonaro sinalizou a Macron que o Brasil vai continuar no Acordo do Clima de Paris e disse esperar o apoio da França para o acordo de livre comércio da União Europeia com o Mercosul. A posição do presidente brasileiro reforça o compromisso firmado pelos Brics mais cedo.

“Continuamos comprometidos com a plena implementação do Acordo de Paris, adotado sob os princípios da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre a mudança climática (UNFCCC), inclusive os princípios das responsabilidades comuns porém diferenciadas e respectivas capacidades , à luz de diferentes circunstâncias nacionais”, diz o texto.

Na quinta-feira (27), Macron havia dito que não assinaria nenhum acordo comercial com o Brasil, se o presidente Jair Bolsonaro se retirasse do acordo climático de Paris, ameaçando colocar um entrave nos trabalhos das negociações comerciais UE-Mercos

(Foto – TV Globo)

Bolsonaro terá encontro com líderes mundiais no primeiro dia da cúpula do G20

A cidade japonesa de Osaka sedia, nesta sexta-feira, 28, e no sábado, 29, a 14ª reunião da cúpula do G20, encontro da organização composta pelas vinte principais economias do mundo.

Pela primeira vez, Jair Bolsonaro representa o Brasil no evento, com uma agenda que inclui encontros com outros chefes de Estado e compromissos paralelos, como uma conferência sobre o empoderamento das mulheres, informa a Veja Online.

Críticas internacionais às políticas ambientais brasileiras marcaram a chegada do presidente ao Japão. Bolsonaro respondeu que “alemães têm muito a aprender com o Brasil” sobre preservação após a chanceler alemã, Angela Merkel, dizer que queria ter, com ele, uma “clara conversa sobre desmatamento“. O líder francês Emmanuel Macron também abordou o assunto, cobrando que o Brasil permaneça no Acordo de Paris, que já foi criticado por seu presidente.

(Foto – Agência Brasil)