Blog do Eliomar

Categorias para Brasil

Contas públicas fecharam em janeiro com saldo positivo

“A União, os estados e os municípios iniciaram o ano com saldo positivo nas contas públicas de R$ 27,913 bilhões, após oito meses seguidos de défícit primário, receitas menos despesas, sem considerar os gastos com juros. Em janeiro de 2015, o superávit primário foi menor: R$ 21,063 bilhões.

Esse foi o maior superávit primário desde novembro de 2013 (R$ 29,745 bilhões). Em janeiro de 2013, o superávit primário ficou em R$ 30,251 bilhões. Os dados foram divulgados, hoje, pelo Banco Central, em Brasília.

Em janeiro deste ano, o Governo Central (Previdência, Banco Central e Tesouro Nacional) acusou superávit primário de R$ 20,899 bilhões. Os governos estaduais registraram superávit primário de R$ 6,401 bilhões, e os municipais, de R$ 1,576 bilhão. As empresas estatais federais, estaduais e municipais, excluídas as dos grupos Petrobras e Eletrobras, tiveram déficit primário de R$ 962 milhões em janeiro último. Os gastos com os juros – que incidem sobre a dívida – totalizaram R$ 56,218 bilhões em janeiro contra R$ 18,022 bilhões no mesmo mês de 2015.”

(Agência Brasil)

Companhia de Dança Jane Ruth leva ao palco do Dragão do Mar o espetáculo “Neura”

neura 2

O espetáculo “Neura” ocupará o palco do anfiteatro do Dragão do Mar nesta sexta e sábado, a partir das 20 horas. Trata-se de uma produção da Companhia de Dança Jane Ruth e do Grupo BCAD (Bailarinos de Cristo, Amor e Doação). Essas apresentações encerram temporada desses grupos, depois de uma circulada pelas principais capitais brasileiras e vários municípios cearenses,

“Neura” é  um espetáculo que tem sua base conceitual calcada nas neuroses geradas pela atual forma de viver na sociedade contemporânea. Os dançarinos usam a dança para falar do cotidiano, da correria das grandes cidades e da rotina atribulada que incomoda os seres humanos.

SERVIÇO

*Anfiteatro do Centro Cultural Dragão do Mar

*Gratuito.

Minha Casa, Minha Vida terá R$ 970 milhões

minha-casa

“Resolução publicada hoje (26) no Diário Oficial da União estabelece o plano de metas e as diretrizes gerais para a aplicação dos recursos do Fundo de Desenvolvimento Social, destinados ao Programa Minha Casa, Minha Vida. Segundo o texto, poderá ser usado o montante de até R$ 970 milhões em 2016, dos quais R$ 613,8 milhões para pagamento de obras em curso e R$ 338 milhões para contratação de novas operações de crédito.

A terceira fase do programa deverá ser anunciada em março. A prestação mínima do Minha Casa, Minha Vida vai subir de R$ 25 para R$ 80 e será cobrada para as novas moradias do programa habitacional, que começam a ser contratadas este ano. Pertencente à terceira etapa do programa, a mudança se refere às famílias que estão na primeira faixa, com renda de até R$ 1,8 mil.

Para as pessoas que recebem salário mensal de no máximo R$ 800, a prestação será de R$ 80. De acordo com o Ministério das Cidades, para aqueles que têm renda mensal entre R$ 800 e R$ 1,2 mil, o valor corresponderá a 10% do salário. As famílias cujo salário médio varia entre R$ 1,2 mil e R$ 1,8 mil pagarão mensalmente o valor que corresponde a 15% do salário.

A prestação mínima paga anteriormente pelos beneficiários do programa era de R$ 25 por mês. Antes das mudanças, em toda a Faixa 1, cerca de 95% do imóvel era subsidiado pelo governo.”

(Agência Brasil)

Qual mãe suportaria ter o filho chamado de “monstro”?

156 2

Com o título “A mãe entre tiros”, eis artigo do jornalista e sociólogo Demétrio Andrade. Ele aborda sobre a mãe do jovem Dylan Klebold, um dos autores do massacre em colégio dos EUA, em 1999. Confira:

Dia desses me deparei com matéria – muito bem escrita, por sinal – do The Guardian, postada no Facebook pela amiga Ana Nunes. Assinada pela jornalista Emma Brockes, o texto foi desenvolvido com base em entrevista feita com Sue Klebold, mãe de Dylan Klebold. Para quem não lembra, há 17 anos, em 20 de abril de 1999, dois atiradores planejaram e executaram um ataque à Columbine High School, em Denver, Colorado (EUA), matando 12 alunos e um professor. Um dos autores da chacina foi Dylan, 17 anos, que planejou, com o colega Eric Harris, 18, explodir a escola inteira. Ambos cometeram suicídio depois.

O episódio deixou cicatrizes na memória americana, virou filme dirigido pelo polêmico cineasta Michael Moore, que documentou o evento, que sempre é lembrado quando surgem notícias de massacres em escolas americanas. Após anos de silêncio, Sue resolveu falar a respeito e lançou o livro A Mother’s Reckoning: Living in the Aftermath of the Columbine Tragedy. Ainda sem tradução em português, trata-se de um acerto de contas de uma mãe com sua vida após a tragédia.

Num mundo tomado pelo ódio, onde a pena de morte e da redução da maioridade penal são “soluções” apontadas por uma incômoda maioria para “resolver” o problema da violência, é desafiador ler a reportagem. Verificar o amor inabalável de uma mãe por seu filho e a dificuldade de aceitar toda uma sociedade chamá-lo de “monstro”, após partilhar intensas experiências de carinho e atenção durante toda uma – curta – vida. No memorial para as vítimas de Columbine, lê-se uma frase paradigmática: “a parte mais difícil é ver que eram crianças matando crianças”.

Mais do que isso, é inevitável pensar sobre o nível de cobrança que se abate sobre a família de quem comete tais crimes hediondos, notadamente sobre a figura materna. A expressão “isso é falta de pai e mãe” ou “a mãe não viu isso, não?” vem quase que imediatamente à cabeça. Como não podia deixar de ser, Sue Klebold também foi tomada por tal indagação e perguntou-se, como qualquer mãe, “onde foi que eu errei”. Como ela mesma diz, a mãe, supostamente, “deve saber tudo”.

Meu sogro sempre me lembra a diferença de tratamento que nossa sociedade faz entre pai e mãe: “no Dia das Mães, os cemitérios ficam lotados. No dos Pais, está entregue aos coveiros”. Tal carinho ou reconhecimento tem seu preço. A facilidade com que se culpa a mãe pelos males da humanidade é evidente. E não é só nos estádios de futebol. Admito que é dureza ser mulher neste mundo. Mas, na qualidade de pai, tenho que reconhecer também que ser mãe deve ter um grau de dificuldade ainda maior.

A carga de amor depositada num filho supera qualquer tipo de questionamento e, muitas vezes, cega nossos olhos. Ter um assassino na família, alguém que se ama profundamente, exige um nível compreensão que aniquila, complexifica e resignifica nossos padrões éticos. Pensar no outro que matou, tentar entendê-lo, é tarefa para bem poucos. Exercer o poder do perdão em eventos como este é talvez a maior das raridades.
Sue viu-se frente à frente com o cruel exercício de tentar perdoar não só o filho, mas a si mesma. É inevitável pensar em milhares de mães, aqui mesmo, no Brasil, que precisam administrar esta mesma situação todos os dias. A elas, o testemunho dolorido de Sue Klebold pode parecer uma linha no horizonte deste difícil aprendizado: “o amor não é suficiente”.

*Demétrio Andrade,

Jornalista e sociólogo.
demetriofarias@gmail.com

IBGE – renda per capita média do brasileiro no ano passado chegou a R$ 1.113,00

“A renda per capita média do brasileiro em 2015 chegou a R$ 1.113, variando entre os R$ 2.252 do Distrito Federal – o maior valor em todo o país – e os R$ 509 do Maranhão, o de menor peso. Em fevereiro de 2014, a renda era de R$ 1.052. As estimativas de rendimento nominal domiciliar per capita em 2015, para as 27 unidades da Federação, são decorrentes da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua e foram divulgadas hoje (26) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

As informações também estão sendo encaminhadas ao Tribunal de Contas da União e servirão de base para o rateio do Fundo de Participação dos Estados (FPE), conforme definido pela Lei Complementar nº 143, de julho de 2013. Pelos dados divulgados, se destacam pelo lado positivo, além do Distrito Federal, seis estados com renda per capita acima da média nacional de R$ 1.113.

Pela ordem, aparecem São Paulo, a segunda maior renda per capita do país (R$ 1.482; Rio Grande do Sul (R$ 1.435); Santa Catarina (R$ 1.368); Rio de Janeiro (R$ 1.285); Paraná (R$ 1.241); e a Bahia (R$ 1.128). Além do Maranhão, com R$ 509, também aparecem com rendimento médio per capita bem abaixo da média nacional, Pernambuco (R$ 598); Pará (R$ 672) e Ceará (R$ 680).”

(Agência Brasil)

Dilma embarca para dois dias de agenda no Chile

foto dilma desespero

“A presidenta Dilma Rousseff embarcou nesta sexta-feira, às 8h20min para viagem de dois dias ao Chile. Ela deve desembarcar em Santiago por volta das 12h30min e segue direto para a Praça da Cidadania, onde deposita flores no Monumento a Bernardo O’Higgins (herói da independência e pai da pátria chilena).

Depois desse compromisso, Dilma será recebida em cerimônia oficial de chegada pela presidenta Michelle Bachelet, no Palácio de La Moneda. Na sequência, participa de almoço oferecido pelo governo chileno, de uma reunião privada com Michelle Bachelet e de declaração à imprensa. Às 18 horas, no último compromisso do dia, Dilma se encontra com representantes de empresas brasileiras no país.

A agenda da presidenta amanhã, no Chile, ainda não foi divulgada.”

(Agência Brasil)

Presidente do PT/CE: Elites e parte da mídia querem destruir Lula

189 5

De-assis

“As elites e setores da mídia querem acabar com Lula, assim como fizeram com Jango e Getúlio, mas não vão conseguir”, afirma o presidente regional dom PT, Francisco de Assis DinizEle está em São Paulo participando de reunião da direção nacional petista e no Rio deve conferir os atos que marcarão, neste sábado, os 36 anos de fundação do Partido dos Trabalhadores.

Para Francisco de Assise, há uma “verdadeira guerra” contra o ex-presidente Lula, hoje alvo de inquérito relacionado a um triplex no Guarujá (SP). 

De Assis afirma não ter dúvidas de que há uma estratégia para “destruir a imagem de Lula” e, assim, deixá-lo sem condições de disputar a presidência da República em 2018.

O PT, no entanto, saberá reagir, garante o dirigente estadual do partido.

Governador conhecerá rede hospitalar de Goiás em busca de subsídios para o Ceará

govoov

O governador Camilo Santana (PT) cumprirá agenda, nesta sexta-feira, em Goiás. Ali, ele conhecerá unidades hospitalares que estão conseguindo amenizar problemas provocados pela crise na área da saúde.

Camilo conhecerá o projeto Conecta SUS, que a Secretaria da Saúde de Goiás vem desenvolvendo e que monitora leitos. Ele visitará ainda o Hospital de Urgências de Goiãnia, terá reuniões na pasta da Saúde estadual, almoço com o governador Marconi Perillo, no Palácio das Esmeraldas e mais visitas a hospitais.

Nesta tarde desta sexta-feira, em Goiânia, Camilo Santaná conhecerá o Hospital Geral de Goiânia, o Hospital de Urgências Governador Otávio Lage e, em seguida, retornará para Fortaleza.

Operação Lava Jato – PF cumpre mandados em seis Capitais

“Agentes da Polícia Federal (PF) dos estados do Paraná, Rio de Janeiro, de Goiás, do Maranhão, de Minas Gerais, São Paulo e do Distrito Federal estão cumprindo hoje (26) mandados judiciais em diversos endereços.

Segundo nota da PF, a Operação Recebedor investiga desdobramentos de fatos apurados na Operação Lava Jato, com base em informações colhidas em acordo de leniência e delação premiada de um dos investigados. Ele forneceu documentos e provas testemunhais contra empresas e pessoas que também teriam participado do esquema criminoso.

A PF executa sete mandados de condução coercitiva (quando a pessoa é levada para prestar depoimento e depois liberada) e 44 mandados de busca, que estão sendo cumpridos simultaneamente nos estados do Paraná, Maranhão, Rio de Janeiro, de Minas Gerais, São Paulo, Goiás e no Distrito Federal. Membros do Ministério Público Federal em Goiás participam dos trabalhos.

De acordo com o texto, as buscas visam a colher provas do pagamento de propina para a construção das ferrovias Norte-Sul e Integração Leste-Oeste, bem como da prática de cartel e lavagem de dinheiro ilícito obtido por meio do superfaturamento de obras públicas.

Somente no estado de Goiás, foi detectado desvio de mais de R$ 630 milhões, considerando-se somente os trechos executados na construção da Ferrovia Norte-Sul.

De acordo com as investigações, as empreiteiras faziam pagamentos regulares, por meio de contratos simulados a um escritório de advocacia e a mais duas empresas sediadas em Goiás, que eram utilizadas como fachada para maquiar a origem lícita do dinheiro, proveniente de fraudes em licitações públicas.

Todos os investigados responderão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

A operação será detalhada em entrevista, às 10h, na sede da Superintendência da Polícia Federal em Goiânia.”

(Agência Brasil)

Não há desenvolvimento sem a parceria público-privada

101 1

Com o título “O petróleo continua nosso”, eis o título do Editorial do O POVO desta sexta-feira. Aborda a polêmica em torno do projeto que derruba a exclusividade da Petrobras na exploração do Pré-Sal. Confira:

A dinâmica do processo político e econômico do Brasil, em meio a um amontoado de notícias ruins, faz com que a realidade se imponha. Nesse contexto, tanto o mercado quanto a política, mesmo tomadas pela crise, começam a oferecer algumas repostas.

No âmbito da política, é o caso da decisão do Senado que, por 40 votos a 26, estabeleceu uma mudança crucial no modelo de exploração do petróleo na área do pré-sal. Na prática, foi um retorno ao modelo estabelecido na metade da década de 1990, quando Fernando Henrique Cardoso presidia o País.

Era um modelo concorrencial. Porém, com prioridade de opções para a estatal que atua no setor, a Petrobras. Pela proposta, aprovada no Senado, mas que ainda vai passar pelo crivo da Câmara dos Deputados, a estatal deixa de ser obrigada a bancar a participação de pelo menos 30% nos consórcios que operarão as jazidas em águas profundas.

Com a crise ética e gerencial que atingiu em cheio a empresa, perdeu por completo o sentido da regra que concedia à Petrobras o controle absoluto sobre aquelas jazidas de óleo. Diga-se que, ao contrário dos que pregam os discursos nacionalistas, a estatal continua com a primazia na exploração. A diferença é que, com a nova regra, a estatal poderá fazer suas escolhas.

No caso, se quer ou não explorar, se pode ou não explorar. Não podendo ou não querendo, o Estado fica livre para promover as licitações para que outras empresas possam extrair o óleo. E assim, claro, pagando ao setor público (União, municípios e estados), todos os encargos inerentes. O fato é que a extração permanecerá como uma atividade concedida pelo Estado. Portanto, um bem nacional.

Sabe-se que, na última hora, o Palácio do Planalto resolveu abrir mão de suas posições nacionalistas e convocou o apoio de sua base a favor da proposta que foi oriunda do senador José Serra, um quadro da oposição ao PT. A mudança de posição não se deu por concordância, mas por pressão da realidade.

Outras situações impostas pela realidade econômica tendem a se evidenciar. A principal delas é a seguinte: não há desenvolvimento, geração de empregos e renda sem a efetiva participação da iniciativa privada. Portanto, essa convocação, como ocorreu no pré-sal, deve se estender a outras áreas que dependem da decisão do Estado. É melhor que assim seja.

Conta de luz vai ficar mais barata em abril

“A partir de abril, o consumidor deverá pagar menos pela energia. A redução será possível com a adoção da bandeira verde no sistema de bandeiras tarifárias, que adota as cores verde, amarela e vermelha para informar o consumidor, a cada mês, se a energia está mais cara ou mais barata.

“Com isso, a partir de abril não haverá mais ônus para o consumidor”, disse o ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, que fez o anúncio ontem. Para o consumidor, isso deverá resultar em uma redução média entre 6% e 7% na conta de luz.

Neste mês, o governo anunciou que, em março, seriam desligadas sete usinas térmicas com custo de geração acima de R$ 420 por megawatt-hora (MWh). Posteriormente, foi decidida uma redução incluindo 15 usinas que geravam energia a um custo de R$ 250 por MWh.

“Agora estamos anunciando o desligamento das usinas térmicas com custo de geração acima de R$ 211. Com isso, a partir de abril, entraremos em regime de bandeira verde. Ao adotar a bandeira verde, deixa-se de cobrar esse ônus. Mas em março ela (bandeira) continuará amarela”, disse o ministro.

Ao todo, em abril, 5 mil MW gerados pelas térmicas já terão sido desligados do sistema, o que representará uma economia total de R$ 10 bilhões ao ano. Braga disse que, mantida a previsão positiva da situação hidrológica, mais 2 mil MW gerados em usinas térmicas poderão ser desligados nos próximos meses.

Todas essas decisões são tomadas durante as reuniões do Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico, que avalia fatores como entrada de nova energia, capacidade dos reservatórios e comportamento de carga.”

(Com Agências)

Edição ilustrada “Harry Potter e a pedra fundamental” será lançada em março no Brasil

harrypotter

edição ilustrada de “Harry Potter e a pedra filosofal” já tem data para chegar às livrarias do Brasil. Sai em 1º de junho, pela Rocco. A pré-venda começa no início de março.

O livro foi publicado na Inglaterra e nos EUA em outubro e está há 15 semanas em listas dos mais vendidos, como Publishers Weekly e Bookseller.

Os desenhos são de Jim Kay, vencedor da Kate Greenaway Medal — um prêmio internacional para ilustrações em livros infantis.

(Lauro Jardim – Globo)

Ministro do Planejamento diz que reforma fiscal é decisiva para a retomada do crescimento econômico

“O ministro do Planejamento, Valdir Simão, disse hoje (25) que a reforma fiscal proposta pelo governo é decisiva e estratégica para que o país retome o crescimento e a geração de empregos.

“Apresentamos na semana retrasada uma agenda de reforma fiscal que é central para a retomada do crescimento e a geração do emprego e precisa ser encarada como decisiva e estratégica para o Brasil não só com a necessária reavaliação das políticas públicas de forma constante e, também, com a necessária limitação dos gastos, em especial os obrigatórios, em relação ao percentual do PIB [Produto Interno Bruto]”, afirmou Simão, após a reunião do Conselho Deliberativo do Programa Bem Mais Simples Brasil, no Palácio do Planalto.

Perguntado sobre a avaliação do governo sobre o desemprego ter subido para 7,6% em janeiro, a maior taxa para os meses de janeiro desde os 8,2% de janeiro de 2009 e a arrecadação de impostos ter caído 6,71% em janeiro, o ministro disse que o Executivo está trabalhando para reverter esse quadro com a reforma fiscal e com a melhoria do ambiente de negócios “para que o Brasil retome sua trajetória de crescimento”.

(Agência Brasil)

Eleições 2016 – Prazo para tirar título eleitoral se encerra no dia 4 de maio

“Os cidadãos adultos e os jovens de 16 e 17 anos que pretendam votar nas eleições municipais de 2016 não devem deixar para a última hora para tirar seu título no cartório eleitoral ou solicitar transferência de município, em caso de mudança de localidade.

Quem antecipar a ida ao cartório eleitoral poderá evitar as filas nos dias que antecedem o fechamento do cadastro de eleitores para o pleito deste ano. O prazo para alistamento eleitoral e transferência termina no dia 4 de maio.

Esta também é a data final para o eleitor que mudou de residência dentro do mesmo município pedir a alteração de endereço no seu título eleitoral. O prazo vale, ainda, para que o eleitor com deficiência ou mobilidade reduzida solicite sua transferência para uma seção eleitoral especial, a fim de que possa exercer o direito ao voto com mais tranquilidade e sem obstáculos de ordem urbana.

O alistamento eleitoral e o voto são obrigatórios para os maiores de 18 anos e facultativos para os analfabetos, os maiores de 70 anos e os maiores de 16 e menores de 18 anos, conforme o artigo 14 da Constituição Federal. Pode se inscrever para votar o jovem que completar 16 anos até o dia da eleição, em 2 de outubro.”

(Site do TSE)

Governo federal lança “Futebol Para Todos”

“Com o objetivo de promover e estimular a prática de futebol, destinando recursos para a estruturação e organização de campeonatos amadores masculinos e femininos, foi lançado hoje (25) em Brasília o programa Futebol Para Todos. A ideia é promover a inclusão social e retirar os jovens e as crianças da criminalidade. Voltado para municípios com população superior a 20 mil habitantes, um dos critérios de pontuação é a situação de vulnerabilidade econômica do município.

Para o ministro do Esporte, George Hilton, o programa é ferramenta importante para a inclusão social. “Nós vamos levar o futebol como grande ferramenta de inclusão, visando à realização, nas áreas carentes e vulneráveis desse país, de campeonatos que serão gerenciados pelos municípios. A meta é massificar em todo o país a prática esportiva com foco nas áreas carentes”, acrescentou.

Hilton informou que nessa primeira fase do projeto já foram beneficiados cerca de 10 mil atletas e o objetivo é atender a 100 mil jovens por meio do esporte.

O deputado federal e líder do Partido Republicano Brasileiro, Márcio Marinho, considerou o programa um passo para a retirada de jovens e crianças da criminalidade. “Esse programa lançado hoje é muito importante para que o esporte seja acessível a todas as regiões. Além de ter a oportunidade de revelar novos talentos, o projeto serve como ferramenta no combate à criminalidade”, disse.

O programa Futebol Para Todos vai disponibilizar recursos para que os municípios adquiram bolas, uniformes, chuteiras, espelhos de arbitragem, transporte para os jogos, troféus e medalhas. Inicialmente foram beneficiados os municípios de Botucatu (SP), Osasco (SP), Vila Velha (ES), Santo Ângelo (RS), Rio Pardo (RS), Novo Horizonte (SP), Araranguá (SC), Jales (SP), Caçador (SC) e Oswaldo Cruz (SP).”

(Agência Brasil)

Desemprego em janeiro no País fica em 7,6%

“A taxa de desemprego para as seis principais regiões metropolitanas do país analisadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) subiu em janeiro para 7,6%, a maior para os meses de janeiro desde os 8,2% de janeiro de 2009.

Os dados da Pesquisa Mensal de Emprego (PME) foram divulgados hoje (25) e indicam que a alta em relação a dezembro do ano passado (6,9%) é de 0,7 ponto percentual, passando a 2,3 pontos percentuais em relação a janeiro de 2015 (5,3%).

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a população desocupada em janeiro era de 1,9 milhão de pessoas, crescendo 8,4% (mais 146 mil pessoas) frente a dezembro último e 42,7% em relação a janeiro de 2015 (mais 562 mil pessoas em busca de trabalho).

Os dados relativos a emprego nas seis principais regiões metropolitanas do país indicam que havia em janeiro 23 milhões de pessoas integrando a população ocupada, um recuou de 1% na comparação mensal (menos 230 mil pessoas); e de -2,7% em relação a janeiro de 2015 (menos 643 mil pessoas).

Já o número de pessoas com carteira de trabalho assinada ficou estável em janeiro (11,6 milhões), embora tenha caído 2,8% (menos 336 mil pessoas) em relação a janeiro de 2015.”

(Agência Brasil)

Cid Gomes: “Lula nem é o Deus pós-eleição Dilma, nem o diabo agora”

95 3

NACIONAL

O ex-governador e ex-ministro da Educação Cid Gomes(PDT) disse, nessa quarta-feira, 24, que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva(PT) tem um “limite de conivência e de complacência” com a corrupção “muito maior” que o da presidente Dilma Rousseff (PT). Ontem, Cid participou de solenidade que inaugurou sua foto na galeria de ex-ministros da Educação.

Cid passou menos de três meses no cargo de ministro em 2015 e tevesaída conturbada do Governo, motivada por declaração de que aCâmara dos Deputados tem ampla maioria de achacadores. Menos de um ano depois, o ex-governador afirma que a situação “só tem piorado”.

“Nunca quis fazer proselitismo do que declarei, mas infelizmente, para o Brasil, é uma verdade, cada vez mais visível. E no fundo as pessoas sabem disso”, afirmou à Folha de S. Paulo.

Apesar das críticas ao Legislativo, Cid sai em defesa da presidente Dilma. Ele classificou a chefe do Executivo como uma pessoa “séria, íntegra, de espírito público e de boa vontade”.

“Acho que na política o Lula tem um limite de conivência, de complacência, que é muito maior do que o da Dilma. (…) Acho que a história haverá de destinar ao Lula o lugar que lhe é merecido: nem o Deus do momento pós-eleição Dilma, nem o diabo agora”, avaliou Cid. O ex-governador, contudo, afirma que Lula foi “o maior presidente da República nos últimos 30 anos”, mas lamenta que a política “o obrigou a fazer uma série de concessões”.

PMDB
Desavença política do PMDB, Cid voltou a criticar o partido que, para ele, é o principal responsável para que as pessoas desacreditem na política. “PMDB é um partido de oportunistas, de fisiológicos, como regra, e é o partido que mais faz mal à política brasileira”, disse em entrevista ao Broadcast Político.

Ele também disparou contra o presidente da Câmara, Eduardo Cunha(PMDB-RJ). Para o ex-governador, Cunha é um “zumbi” que, ao se manter no comando do Legislativo, demonstra que o parlamento “é o fundo do poço”.

O presidente Nacional do PMDB, o vice-presidente Michel Temer, e Cunha movem processos na Justiça contra Cid Gomes por críticas anteriores feitas pelo ex-ministro.

Arrecadação de impostos caiu 6,71% em janeiro

impostômetro

“O governo federal arrecadou R$ 129,38 bilhões em impostos e contribuições em janeiro de 2016. O resultado representa queda real de 6,71 % em relação ao mesmo período de 2015, com a correção pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), utilizado pelo governo para estabelecer as metas de inflação. O resultado é o pior para meses de janeiro desde 2011. Os dados foram divulgados hoje (25) pela Receita Federal.

Entre os principais fatores que influenciaram a arrecadação, está a retração dos principais indicadores macroeconômicos, diz a Receita. Na produção industrial, a queda chegou a 11,9%, na venda de bens e serviços, a 10,96%, no valor em dólar das importações, a 37,82%, e na massa salarial nominal, a 0,8%.

Outro fator que influenciou a queda na arrecadação foi a redução do Imposto de Renda Pessoa Jurídica (IRPJ) e da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL), um indicativo importante do setor produtivo. O recuo nesses dois tributos chegou a 3,17%.

Números

O Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) registrou queda de 31,43%, com destaque para o IPI-Fumo (-55,97%), IPI-Bebidas (-46,40%), IPI-Automóveis (-12,5%) e IPI-Vinculado à Importação (-25,15%).

O Imposto de Renda Pessoa Física totalizou R$ 1,9 bilhão, um acréscimo de 40,07%, decorrente do aumento de ganhos de capital na alienação de bens. No caso do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF), houve crescimento de 14,59%, impactado pelo aumento do tributo sobre operações das pessoas físicas.

A Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins) acusou queda de 3,79%, e o PIS/Pasep recuo de 4,57%. Segundo a Receita Federal, o resultado foi influenciado pela redução no volume de vendas e da elevação de alíquotas incidentes sobre a gasolina, diesel e na importação de bens e serviços.

A arrecadação da Receita Previdenciária teve redução de 7,13%, em decorrência da elevação das alíquotas da contribuição previdenciária sobre a Receita Bruta e da redução da massa salarial de 10,37%.

Segundo Claudemir Malaquias, chefe do Centro de Estudos Tributários e Aduaneiros da Receita Federal, a retração da economia, com a forte queda no nível de emprego no ano passado, começou a refletir na arrecadação de 2016. “Com menos salários sendo pagos, há a influência no indicador da massa salarial, no consumo e na arrecadação da Previdência, por exemplo”. Ele destacou, ainda, o fim das desonerações na folha de pagamento, que teve efeito na arrecadação previdenciária de janeiro.”

(Agência Brasil)

A política e o rabo de saia

100 1

Com o título “Amantes e amigas: o público e o privado”, eis artigo do jornalista Plínio Bortolotti, que pode ser conferido no O POVO desta quinta-feira. Ele aborda essa novela que envolveu Lula e sua amiga Rose Noronha e agora o FHC com a jornalista Miriam Dutra. Confira:

Já passou da hora de alguém lançar novamente o grito do Barão de Itararé*: “Ou instaure-se a moralidade ou nos locupletemos todos”. O PT, que surgiu no Brasil debatendo-se pela honestidade na política, hoje padece dos mesmos males que acusava nos outros partidos.

O PSDB, antes vidraça, assumiu o outro lado – depois de derrotado nas eleições presidenciais – e passou a atirar pedras no telhado do vizinho com os mesmos argumentos de que outrora era vítima. Ao mesmo tempo, o PT sequestrou os argumentos do PSDB para se defender dos ataques que lhes são desferidos.

(Dos outros partidos, nem é preciso comentar, o PMDB é o que sempre foi; os nanicos, que brotam como flores do mal – exceções ressalvadas – existem para isso mesmo: um balcão de malfeitos. Fiquemos, então, nos dois principais, que polarizam o debate no Brasil.)

Do mesmo modo que Lula viu-se enrolado com a secretária Rose Noronha, sua “amiga”, que chefiava um escritório de Presidência da República em São Paulo; Fernando Henrique Cardoso vê-se agora ainda mais atrapalhado com a jornalista Míriam Dutra, com a qual mantinha um “relacionamento extraconjugal”, que resultou em um filho dele, segundo a mãe, mas que não é dele, como afirma FHC.

Alguns colunistas afirmam que o caso da “ex-amante” de FHC é uma “questão privada”. Não é, como também não era “pessoal” a situação em que Lula se viu envolvido com a “amiga”.

Seria se, em ambos os casos, inexistisse suspeita de irregularidades nas consequências produzidas pelas “amizades”. Se cometeram fraude, usaram recursos governamentais ou utilizaram-se indevidamente da influência do cargo para resolver problemas particulares, o negócio passa a ter interesse público.

O que parece é que uma estranha cegueira acomete muitos políticos brasileiros: assim que assumem um cargo no governo, deixam de enxergar a clara linha demarcatória que separa o público do privado e acabam misturando as coisas, sempre em proveito próprio, é claro.

*O leitor Antonio Vasques lembra que a frase não é do Barão de Itararé, e sim de de Stanislaw Ponte Preta, pseudônimo do jornalista Sérgio Porto.
*Plínio Bortolotti,

plinio@opovo.com.br
Jornalista do O POVO.