Blog do Eliomar

Categorias para Brasil

Mercado financeiro espera redução na taxa básica

Instituições financeiras consultadas pelo Banco Central (BC) esperam por uma redução de 0,25 ponto percentual na taxa básica de juros, a Selic, nesta semana. Amanhã e na próxima quarta-feira (19), o Comitê de Política Monetária (Copom) do BC reúne-se para definir a taxa de juros, que atualmente está em 14,25% ao ano.

Na última reunião deste ano, nos dias 29 e 30 de novembro, as instituições financeiras esperam por nova redução da Selic. Segundo a projeção divulgada no boletim Focus (relatório semanal do BC), a Selic deve terminar 2016 em 13,5%. A estimativa anterior era 13,75%. Para 2017, a expectativa é de que o Copom dê continuidade ao ciclo de redução da Selic, que deverá encerrar o período em 11% ao ano.

A Selic é o principal instrumento usado pelo Banco Central para controlar a inflação. Quando o Copom aumenta a Selic, o objetivo é conter a demanda aquecida, e isso gera reflexos nos preços, porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança.

Quando o Copom reduz os juros básicos, a tendência é de que o crédito fique mais barato, com incentivo à produção e ao consumo, mas a medida alivia o controle sobre a inflação. Quando mantém a taxa, o Copom considera que ajustes anteriores foram suficientes para alcançar o objetivo de controlar a inflação.

(Agência Brasil)

Atriz Paloma Bernardi foi atração no aeroporto

paloma

A atriz Paloma Bernardi, que interpreta Samara, na novela “A Terra Prometida”, da Record, deixou Fortaleza na madrugada desta segunda-feira com destino ao Rio de Janeiro.

Aqui, ela esteve participando do 26º Encontro Regional da Beleza, no Centro de Evento.  Foi bastante assediada pelos fãs no Aeroporto Internacional Pinto Martins.

(Foto – Paulo MOska)

Receita Federal libera consulta ao 5º lote de restituição do Imposto de Renda

A Receita Federal liberou a restituição do quinto lote do Imposto de Renda Pessoa Física 2016. Ao todo, foram desembolsados R$ 2,576 bilhões a cerca de 2,2 milhões de contribuintes. Estão sendo pagos também R$ 124,2 milhões a 55,3 mil contribuintes que fizeram a declaração entre 2008 e 2015, mas estavam na malha fina. Considerando os lotes residuais e o pagamento de 2015, o total gasto com as restituições chegará a R$ 2,7 bilhões.

As restituições terão correção de 6,71%, para o lote de 2016, a 88,28% para o lote de 2008. Em todos os casos, os índices têm como base a taxa Selic (juros básicos da economia) acumulada entre a entrega da declaração até este mês.

Depósito nas contas

O dinheiro será depositado nas contas informadas na declaração. O contribuinte que não receber a restituição deverá ir a qualquer agência do Banco do Brasil ou ligar para os telefones 4004-0001 (capitais), 0800-729-0001 (demais localidades) e 0800-729-0088 (telefone especial exclusivo para deficientes auditivos) para ter acesso ao pagamento.

Os dois últimos lotes regulares serão liberados em novembro e dezembro. Se estiverem fora desses lotes, os contribuintes devem procurar a Receita Federal porque os nomes podem estar na malha fina por erros ou omissões na declaração.

A restituição ficará disponível durante um ano. Se o resgate não for feito no prazo, a solicitação deverá ser processada por meio do formulário eletrônico – pedido de pagamento de restituição, ou diretamente no e-CAC , no serviço extrato de processamento, na página da Receita na internet.

SERVIÇO

A lista com os nomes está disponível no site da Receita na internet. A consulta também pode ser feita pelo Receitafone, no número 146. A Receita oferece ainda aplicativo para tablets e smartphones, que permite o acompanhamento das restituições.

(Agência Brasil)

Dívida Pública Federal teve redução de 0,04% de julho para agosto

A Dívida Pública Federal, que inclui o endividamento interno e externo, teve redução de 0,04%, em termos nominais, passando de R$ 2,956 trilhões em julho para R$ 2,955 trilhões em agosto. Os dados foram divulgados hoje (17) pelo Tesouro Nacional.

A variação do endividamento do Tesouro pode ocorrer por meio da oferta de títulos públicos em leilões, pela internet (Tesouro Direto) ou pela emissão direta.

A variação da dívida do Tesouro Nacional pode ocorrer também pela assinatura de contratos de empréstimo. Nesse caso, o Tesouro toma empréstimo de uma instituição financeira ou de um banco de fomento, destinado a financiar o desenvolvimento de uma determinada região. Já a redução se dá, por exemplo, pelo resgate de títulos.

A Dívida Pública Mobiliária Federal interna (DPMFi) teve seu estoque reduzido em 0,07%, ao passar de R$ 2,832 trilhões para R$ 2,830 trilhões devido ao resgate líquido, no valor de R$ 33,18 bilhões, compensado parcialmente pela apropriação positiva de juros, no valor de R$ 31,20 bilhões. A DPMFi é a dívida pública federal interna, em circulação no mercado nacional.

(Agência Brasil)

Ex-presidente do STF dará palestra em Fortaleza

O ex-presidente do Supremo Tribunal Federal, Ayres de Brito, dará palestra nesta segunda-feira, às 10h30min, no auditório da Federação das Indústrias do Ceará (Fiec).

Ele falará sobre o tema “Combate à Corrupção, Segurança Jurídica e Estabilidade Econômica e Negocial”.

Em seguida, Ayres de Brito almoçará com diretores da Fiec e do Centro Industrial do Ceará.

 

Dom José Antônio – A Igreja não precisa de bispos personalidades

domjosenatonio

Dom José Antonio Aparecido Tosi Marques procura seguir o que aprendeu com o papa Francisco três anos atrás quando o Pontífice veio ao Brasil: a Igreja não precisa de bispos personalidades. Afinal, não é com barulho que as plantas crescem, metaforiza o arcebispo, que está completando 25 anos de sua ordenação episcopal, 17 deles como arcebispo em Fortaleza. Dom José prefere desenvolver o pastoreio pelas comunidades, promovendo a evangelização pelas paróquias.

Nesta entrevista, ele conta sobre a mediação na greve da polícia cearense no fim do ano de 2011 e a frase que acredita ter mudado o rumo das negociações. Descreve os quatro papas que atravessaram sua vida religiosa, desde a época de padre, e fala sobre a cassação do mandato da ex-presidente Dilma. Também comenta o processo de reabilitação de Padre Cícero. Aos 68 anos, o arcebispo revela: gosta de cozinhar e foi ele quem plantou quase todas as árvores do quintal da casa onde mora. E usa o WhatsApp para se comunicar com os outros bispos mundo afora.

O POVO – Dos 25 anos de sua ordenação episcopal, o senhor está há quase 17 aqui. Que avaliação faz do que é ser Igreja em Fortaleza?

DOM JOSÉ ANTONIO – É muito difícil fazer avaliação de uma coisa tão grande. A gente pode dizer impressões gerais. Estou aqui desde 1999. No ano de 2003, a gente estava preparando o sesquicentenário da Diocese e fez uma retomada histórica de toda a caminhada da Igreja no Ceará, a partir da criação do bispado, o que era antes, o que se tornou depois. Essa visão nos deu uma compreensão de uma graça muito grande de Deus sobre a Igreja no Ceará. Começou a evangelização aqui por volta de 1600 e pouco. Em 1854, foi criado o Bispado e ainda era pequena a presença concreta da estrutura da Igreja no Ceará. Eram 36 do que hoje a gente chama de paróquias. As comunidades do interior no Ceará todo. Eram em forma de freguesia, como na linguagem portuguesa. Era a época do primeiro bispo. Aqui era a região mais distante do bispo, que estava em Olinda e Recife, ajudado às vezes pela presença de um missionário que vinha da Bahia. E aí começou a estruturar e a passar por uma história mais organizada de missão, evangelização e crescimento. Em 2015, celebramos os 100 anos da Arquidiocese, celebramos a existência da Igreja já multiplicada no Ceará. De um bispado, passou a nove bispados. De 36 freguesias, o que hoje nós temos é uma coisa extraordinária, em questão de 150 anos. E num crescimento cada vez mais rápido. Com um crescimento também de tamanho, de número de comunidade, de presença da Igreja, de atividade da Igreja e de vivência da religiosidade também muito forte.

OP – E como o senhor se vê no meio disso tudo?

DOM JOSÉ – O que eu vejo? Fui mandado a uma igreja com uma história riquíssima. De etapas diferentes, de situações diferentes, mas com uma história riquíssima. De uma vivência religiosa muito grande. O estado do Ceará é o segundo mais católico do Brasil. Mas, proporcionalmente, em número de pessoas, é o maior. Primeiro, é o Piauí. São números do IBGE e também foi feito levantamento da Igreja sobre a questão da mobilidade religiosa que a CNBB promoveu. Houve o crescimento de outras denominações nos últimos anos. Mas isso não diminuiu a vitalidade da igreja. Pelo contrário. A vitalidade da igreja é uma realidade muito nova, muito ativa.

*Confira a íntegra da entrevista no O POVO aqui.

Setor da panificação cearense aposta no Natal

paobom

Da Coluna Vertical, do O POVO desta segunda-feira:

As festas de fim de ano devem aquecer, na ordem dos 10%, um segmento da economia cearense: as padarias.

É o que diz o presidente do Sindicato da Indústria da Panificação e Confeitaria, Lauro Martins, adiantando que não há otimismo exagerado, porque cestas natalinas, cafés da manhã, reuniões de confraternização e outros serviços ofertados pelo segmento, já dão sinal de que Papai Noel promete ser generoso.

“Nós já estamos abertos a encomendas e reservas. Nossas padarias, em sua grande maioria, se transformaram hoje em ponto de eventos e encontros variados. Com certeza, no período natalino, teremos incremento”, reforça Lauro Martins, observando que a mudança em Brasília trouxe ânimo para o mercado.

Haja, portanto, otimismo no forno.

Anvisa abre debate sobre regras para agrotóxicos

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) colocou em discussão três propostas para atualizar as regras para agrotóxicos no Brasil. O prazo para quem quiser participar das consultas públicas vai até quinta-feira (20).

A primeira consulta pública tem como objetivo definir os critérios de avaliação toxicológica de agrotóxicos e seus componentes. A proposta deve estabelecer critérios mínimos e procedimentos para submissão adequada dos dossiês de registro, inclusive quanto ao uso de métodos alternativos; a exigência do parecer de análise técnica da empresa, no qual a empresa poderá apresentar uma avaliação técnica crítica sobre seu produto; a possibilidade de aceitação de pareceres de autoridades de outros países para aprovação do produto no país (work sharing); o que se entende por produto de baixa toxicidade; o acompanhamento sistemático da produção por meio do relatório anual de produto; e a relação de componentes de uso proibido ou que deve ser descontinuado no país, considerando as características danosas à saúde.

Muitos desses itens, segundo a Anvisa, são demandas antigas de regulamentação ou trazem impacto na rotina diário de trabalho da agência.

Bulas e rótulos

Já a segunda consulta pública trata das diretrizes e exigências referentes à autorização de registros, renovação de registro e extensão de uso de produtos agrotóxicos e afins. A revisão, de acordo com a Anvisa, é necessária devido à evolução do conhecimento na matéria durante um período de mais de duas décadas da norma em vigor.

Atualmente, a classificação toxicológica de agrotóxicos é normatizada pela Lei nº 7.802, de 11 de julho de 1989, pelo Decreto nº 4.074, de 4 de janeiro de 2002, e pela Portaria nº 3, de 16 de janeiro de 1992.

“A legislação vigente estabelece que rótulos e bulas de agrotóxicos devem atender as especificações e dizeres aprovados pelos órgãos federais dos setores da agricultura, saúde e meio ambiente”, diz a Anvisa. “Dessa forma, com relação aos dizeres de saúde, de competência da Anvisa, faz-se necessário o estabelecimento dos dizeres e da adequação dos mesmos às outras normas que estão sendo concomitantemente propostas de avaliação e classificação toxicológica”, informou a agência.

Será lançado ainda um guia para elaboração do rótulo e da bula, onde orientações adicionais sobre a confecção destes serão publicadas para auxiliar as empresas registrantes a adequá-los aos critérios de rotulagem do Globalmente Harmonizado de Classificação e Rotulagem de Produtos Químicos (GHS, na sigla em inglês) e à proposta em questão.

Classificação toxicológica

A última consulta pública em andamento, e conduzida pela Anvisa, envolve critérios para classificação toxicológica e comparação da ação tóxica de agrotóxicos e afins. Segundo a agência, a revisão é necessária por causa da evolução do conhecimento na matéria durante um período de mais de duas décadas da norma em vigor.

Com a revisão, a Anvisa pretende, entre outros pontos, aproximar os critérios de classificação toxicológica de agrotóxicos com os do sistema GHS, já adotado pelo Brasil para outras substâncias químicas e por vários países na classificação toxicológica e rotulagem de agrotóxicos.

“Além disso, pretende-se regulamentar alguns itens do Decreto 4.074/2002, que ficaram pendentes de normatização, como os parâmetros para a comparabilidade de toxicidade entre agrotóxicos novos com os já presentes no mercado.”

Como participar

Para participar, basta entrar na página de cada uma das consultas onde está disponível o texto da proposta e o formulário para participação, além de outras orientações para os interessados em mandar contribuições. Os links das três consultas públicas podem ser acessados na CP 260/16 – Exigências para avaliação toxicológica de agrotóxicos, componentes, na CP 261/16 – Informações toxicológicas para rótulos e bulas de agrotóxicos, e na CP 262/16 – Critérios para classificação toxicológica de agrotóxicos, componentes

Mecanismo de participação social mais utilizado pela Anvisa, a consulta pública é obrigatória em propostas em regime comum e se caracteriza pelo recebimento de contribuições por um período determinado. Atualmente, a agência utiliza o sistema eletrônico FormSUS para o envio das manifestações.

(Agência Brasil)

Presidente do Ceará ainda acredita na classificação do time para a Série A

[embedyt] http://www.youtube.com/watch?v=NU7J9OSsmV4[/embedyt]

O presidente do Ceará Sporting Clube, Robinson de Castro, disse, nesta segunda-feira, que a luta continua na busca pela classificação para a primeira divisão do Campeonato Brasileiro.

Ele admite que ficou difícil, mas destaca que o time ainda tem chances matemáticas de classificação. No último sábado, o Ceará perdeu por um gol para o Náutico, no Recife, o que deixou o clube na 10ª posição.

O próximo compromisso do alvinegro será sábado que vem, em casa, diante do Bragantino. Robinson de Castro espera que o time reaja, assim como fez no certame passado quando, nas últimas partidas, escapou do rebaixamento.

Desembargadora Sergia Miranda diz que não negociou liminares em plantões

Desde que a segunda fase da Operação Expresso 150 foi deflagrada pela Polícia Federal, no último dia 28/9, a desembargadora cearense Sérgia Miranda, 57, diz estar vivendo na base de tranquilizantes. “De repente, minha vida virou de ponta-cabeça”, comenta a magistrada que foi afastada pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ). Ela é suspeita de envolvimento na venda de pelo menos quatro liminares nos plantões do Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE) em 2012 e 2013.

Sérgia Miranda afirma que se “receberam um real ou um milhão”, por conta de habeas corpus concedidos por ela, o esquema de corrupção não teria se dado com a “participação, o conhecimento ou a autorização” dela.

“Nunca recebi proposta (de pagamento) para nada do que eu fiz na minha vida como desembargadora nem como juíza. Sou uma pessoa honesta”, diz Sérgia Miranda, magistrada há 30 anos. Confira os principais trechos da entrevista ao O POVO.

O POVO – Os 12 volumes do processo da venda de liminares estão na Internet…

Sérgia Miranda – Li cada página. A Polícia Federal disponibilizou para nós as mídias das interceptações de presos conversando com advogados sobre preços e acertos. Há muito mais do que foi publicado pela imprensa. Eu e o meu filho, que é promotor, passamos três dias ouvindo e em nenhum momento eles mencionam meu nome.

OP – O nome da senhora aparece em conversas de WhatsApp. Principalmente envolvendo os advogados Michel Coutinho, Fernando Feitosa e Carlos Eduardo Miranda.

Sérgia – Sim, tem um WhatsApp do dia 14/12/2012, é o que mais a imprensa bate. Eles dizem que a “Sérgia Miranda abriu as portas do presídio” e que deferi oito HCs (habeas corpus) no plantão. Nunca deferi oito HCs. Acredito que esse foi o número de processos que entraram, deferi dois. Como eu abri as portas do presídio com dois HCs? A conversa é dia 14/12, mas se referem a outro momento. Quando eles (advogados) continuam a conversa é que você vai entender que estavam falando de outro momento e de dinheiro já recebido. Meu plantão tinha sido dia 17/11/2012.

*Confira a íntegra da entrevista no O POVO aqui.

UFC empossa 13 novos servidores nos campi de Fortaleza e Sobral

“Sejam bem-vindos à melhor Universidade do Nordeste e à 10ª melhor do País, segundo ranking recentemente divulgado pela Folha de S. Paulo. Portanto, vocês estão ingressando numa casa da qual têm muito do que se orgulhar”, afirmou o Reitor Henry de Holanda Campos na solenidade de posse de 13 novos servidores, realizada na tarde desta sexta-feira (14), na Reitoria.

A professora Cláudia Buhamra, Pró-Reitora Adjunta de Gestão de Pessoas, também deu as boas-vindas aos novos colaboradores e afirmou que a UFC os recebia de coração aberto e com alegria, “a mesma alegria que vocês, suas famílias e seus amigos estão sentindo”. Observou, ainda, que eles devem lembrar que não são servidores públicos, mas “servidores do público” e que prestarão serviço “ao público”, para nunca esquecerem de prestar um serviço de excelência.

Em nome dos empossados fez a leitura do termo de compromisso Thyago Moreira de Queiroz, que será lotado, como docente, no Departamento de Fisiologia e Farmacologia da Faculdade de Medicina. Em seguida, o termo de posse foi lido pela Chefe do Cerimonial da UFC, Cláudia Albuquerque, a qual procedeu à chamada dos empossados (por ordem alfabética), que receberam o documento das mãos do Reitor Henry Campos.

(Site da UFC)

Ibope/TV Verdes Mares – Roberto Cláudio 51%; Capitão Wagner, 38%

244 1

roberto-e-wagner-divulgacao

Saiu nesta sexta-feira a primeira pesquisa do Ibope/TV Verdes Mares sobre a disputa pela Prefeitura de Fortaleza, em clima de segundo turno. Confira:

Roberto Cláudio (PDT) – 51%

Capitão Wagner ( PR) – 38%

Brancos/Nulos – 7%

Não sabem/Não responderam – 4%

*A pesquisa ouviu 805 eleitores no período de terça e quarta-feira últimas. A margem de erro é de pontos percentuais para mais ou para menos.

Deputado quer criar Frente Parlamentar em Defesa da Vaquejada

danniele

O deputado estadual Danniel Oliveira (PMDB) deu entrada, nesta sexta-feira, num requerimento que pede criação da Frente Parlamentar em Defesa da Vaquejada – Tradição Nordestina. A proposição de nº 318/16 vem como uma resposta ao parecer do Supremo Tribunal Federal (STF) que, no último dia 6 de outubro, julgou inconstitucional a lei que regulamentava a prática da vaquejada como atividade desportiva e cultural no Ceará.

“A nossa vaquejada é secular, são mais de 100 anos de tradução e hoje ela está enraizada completamente na figura do nordestino. Infelizmente, através de uma decisão equivocada e preconceituosa, se tornou inconstitucional. Neste momento precisamos nos unir para deixarmos claro a sua importância”, defendeu Danniel.

O parlamentar destacou que, além de ser considerada uma das maiores manifestações culturais do Nordeste, o parlamentar destacou a importância da pratica para a geração de emprego e renda. “Precisamos defender o nosso esporte, a cultura do povo nordestino e mais de 720 mil cidadãos brasileiros ligados a vaquejada que precisam de seus empregos”, disse.

Negócios

Segundo a ABVAQ – Associação Brasileira de Vaquejada, a pratica movimenta anualmente em torno de R$ 600 milhões, e apenas no Ceará o número de cavalos que transitam em vaquejada, cadastrados na Adagri – Agência de Defesa Agropecuária do Ceará, chega a 400 mil. “A vaquejada é importante não apenas para a cultura, mas principalmente pelo dinheiro que rende ao Nordeste”, argumentou o peemedebista.
Novas técnicas evitam crueldade

Sem crueldade

Danniel Oliveira também contestou os argumentos usados contra a vaquejada, os quais a acusam de praticar crueldade com os animais. “É importante que se esclareça que hoje as técnicas da vaquejada são muito mais evoluídas. Há um sistema para se ter um cuidado especial com o animal, principalmente com o boi. Não é permitido que o vaqueiro sequer bata no seu cavalo, se o fizer estará imediatamente desclassificado, por causa do cuidado que hoje a vaquejada tem com seus animais”, informou.

O parlamentar também destacou o uso de rabos artificiais, da “cama” de 60cm de areia para amortecer a queda dos bois, e diversos outros artifícios que evitam o acontecimento de lesões e garantem segurança aos animais. “Hoje a vaquejada é um esporte seguro para todos, completamente ligado às famílias, com um ambiente saudável, e asseguro que não há mais maus-tratos aos animais”, garantiu Danniel.

Apoio

Os deputados Carlos Felipe (PCdoB), Manoel Duca (PDT) e Carlos Matos (PSDB) se manifestaram em apoio ao pronunciamento de Danniel e se comprometeram em assinar o requerimento. O peemedebista também informou que estará em Brasília no próximo dia 25 de outubro para participar da manifestação, organizada pela ABVAQ, a favor da pratica.

(Foto – AL-CE)

Paula Fernandes esquece a letra em dueto com Andrea Bocelli

222 3

paulaferdn

A cantora Paula Fernandes parece não ter seguido os passos de Anitta ou Sandy ao fazer o dueto com o tenor italiano Andrea Bocelli. Na apresentação desta quinta (13), no dueto de uma das músicas mais famosas do cantor, ‘Vivo Por Ela’, a cantora simplesmente esqueceu a letra a deixou o cantor na mão.

O problema é que essa era uma das músicas mais esperadas do show e Paula acabou decepcionando. A cantora estava tensa e o público percebeu, o que só piorou a situação.

No momento que ela esquece de cantar, a orquestra continua tocando enquanto ninguém canta, em uma cena de total estranhamento.

A cantora, claro, foi criticada, segundo o site Catraca Livre. “Paula Fernandes desistiu de cantar o dueto com o tenor italiano no meio da música e o deixou no vácuo até o término de um de seus sucessos mais esperados pelo público”, escreveu um fã ao publicar o vídeo da apresentação.

Criolo lançará “Ainda Há tempo” em CD e DVD em Fortaleza

RTEmagicC_criolo.jpg

“Ainda Há Tempo”, lançado em 2006 pelo rapper Criolo, é hoje considerado um disco fundamental na história do rap brasileiro. E para comemorar o lançamento em LP e CD de “Ainda Há Tempo”, Fortaleza receberá, no dia 26 de novembro, esse show inédito. Será na Praça Verde do Centro Dragão do Mar, em uma noite que promete.

O show, baseado em seu primeiro disco, vem no formato clássico do hip hop, com DJ e MC no palco. Criolo conta nesta turnê com o auxílio luxuoso de Dan Dan e DJ Marco, respectivamente nas dobras de voz e toca-discos. A noite terá ainda o som contagiante do rapper Rael e do MC Marechal.

SERVIÇO

*Os ingressos já estão à venda e podem ser adquiridos na bilheteria do Dragão do Mar, das 14 às 20 horas, de terça a domingo, e no site www.ingressando.com.br.

*Os ingressos custam R$ 60 (inteira) e R$ 30 (meia).

Oi deve mais de R$ 20 bi em multas e tributos

oi-acao-mp-gvt

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) informou que o total de débitos da operadora de telefonia Oi com a agência reguladora soma R$ 20,2 bilhões. A dívida refere-se a multas administrativas, créditos tributários e dívidas de outras naturezas, como preços públicos e ônus contratuais.

Desse valor, R$ 10 bilhões são relativos a multas já aplicadas, R$ 4,5 bilhões são de multas em processo de tramitação e R$ 5,5 bilhões referem-se a créditos tributários.

Os valores apurados pela Anatel são mais que o dobro do apresentado pela Oi quando ela entrou com pedido de recuperação judicial, em junho, que inclui dívidas de R$ 65 bilhões.

Em nota, a Anatel explicou ontem que os créditos da agência não se submetem aos mesmos critérios de negociação das demais dívidas da Oi e, portanto, não devem ser contemplados no plano de recuperação judicial da empresa.

Na última terça-feira, o novo presidente da Anatel, Juarez Quadros, disse que a agência está preparada para uma eventual intervenção na concessão da operadora, se for necessário.

A Oi ainda não se posicionou sobre os valores informados pela Anatel.

(Agência Brasil)