Blog do Eliomar

Categorias para Brasil

Reforma trabalhista – Nada para comemorar

Com o título “Reforma trabalhista; avalia~~ao em 2019”, eis artigo de Gérson Marques, procurador regional do Trabalho. Para ele, não há nada o que comemorar pós-implantação de mudança nessa área o País. Confira:

Pela primeira vez no Brasil, no Dia do Trabalhador o presidente da República não dirigiu uma palavra sequer aos operários do País. Seu discurso foi destinado às empresas. Fez um autoelogio à MP da Liberdade Econômica, como se o dia do empresário fosse. Discurso, aliás, que não convence os pequenos empresários, encurralados pela burocracia do Estado e pelas taxas que o Poder Público só multiplica.

De fato, há nada a comemorar. Apesar da Reforma Trabalhista de 2017 e dos discursos que a circundaram, desemprego continua crescente. Não houve geração de postos de trabalho, que segue minguante e precarizado. A terceirização campeia, aumentou o desequilíbrio entre empregados e empregadores, os sindicatos enfraqueceram, as dificuldades da negociação coletiva estão nos píncaros. Empresas continuam quebrando.

A Reforma flexibilizou a legislação do trabalho, mas sem cumprir os propósitos econômicos que propagandeou, como, aliás, os trabalhistas prenunciavam. Por enquanto, só serviu para criar maior dependência do empregado ao empregador. E vem aí a chamada Carteira Verde e Amarela para prevalecer a livre pactuação entre contratante e contratado, um resgate do que se vivenciou no século XIX, que nem as relações civis admitem mais, ante as tantas cláusulas leoninas…

*Confira a íntegra deste artigo de Geérson Marques no O POVO aqui.

Contas externas têm saldo positivo em maio: US$ 662 milhões

As contas externas fecharam o mês de maio com saldo positivo. O superávit em transações correntes, compras e vendas de mercadorias e serviços e transferências de renda do país com outras nações, chegou a US$ 662 milhões, em maio segundo dados divulgados hoje (24), pelo Banco Central (BC). Em igual mês de 2018, também houve superávit: US$ 900 milhões.

Segundo o chefe do Departamento de Estatísticas do BC, Fernando Rocha, é comum haver resultados positivos em maio devido ao aumento das exportações de produtos agrícolas, o que leva a aumento do superávit comercial. “As exportações de produtos agrícolas, tais como soja, são mais favoráveis. É quando se concentram os embarques”, disse Rocha.

De janeiro a maio, o déficit chegou a US$ 7,576 bilhões, contra US$ 8,162 bilhões em igual período do ano passado.

Entre os dados das contas externas está a balança comercial, que registrou superávit de US$ 5,686 bilhões, em maio e acumulou US$ 20,585 bilhões, nos cinco meses do ano.

No caso das viagens internacionais (receitas de estrangeiros no Brasil e despesas de brasileiros no exterior), Rocha explicou que o resultado dessa conta é afetado pela alta do dólar, o que leva à redução das despesas no exterior. Em maio deste ano, a cotação média da moeda chegou a R$ 4, enquanto que no mesmo mês do ano passado estava em R$ 3,64.

“A desvalorização do câmbio [alta do dólar] torna mais cara a despesa no exterior”, explicou. Em maio, as despesas de brasileiros no exterior chegaram a US$ 1,471 bilhão, contra US$ 1,615 bilhão em igual período de 2018. Ao se incluir as receitas de estrangeiros no Brasil, a conta de viagens internacionais registrou déficit de US$ 1,053 bilhão, menor do que o resultado de maio de 2018 (US$ 1,187 bilhão).

Por outro lado, a conta de serviços (viagens internacionais, transporte, aluguel de investimentos, entre outros) registrou saldo negativo de US$ 2,989 bilhões, em maio, e de US$ 12,709 bilhões, nos cinco meses do ano.

A conta renda primária (lucros e dividendos, pagamentos de juros e salários), que também faz parte das transações correntes, ficou negativa em US$ 2,484 bilhões no mês passado e em US$ 16,807 bilhões, no acumulado do ano até maio.

A conta de renda secundária (renda gerada em uma economia e distribuída para outra, como doações e remessas de dólares, sem contrapartida de serviços ou bens) teve resultado positivo de US$ 449 milhões, em maio, e de US$ 1,355 bilhão, em cinco meses.

Investimento estrangeiro

De janeiro a maio, o resultado negativo para as contas externas foi totalmente coberto pelos investimentos diretos no país (IDP). Quando o país registra saldo negativo em transações correntes precisa cobrir o déficit com investimentos ou empréstimos no exterior.

A melhor forma de financiamento do saldo negativo é o IDP, porque os recursos são aplicados no setor produtivo. Nos cinco meses do ano, o IDP chegou a US$ 35,137 bilhões. Em igual período de 2018, esses investimentos chegaram a US$ 26,886 bilhões. Em maio, esses investimentos totalizaram US$ 7,070 bilhões, contra US$ 2,994 bilhões em igual mês de 2018.

(Agência Brasil)

A diplomacia cultura e as cidades

Com o título “A diplomacia cultural e as cidades”, eis artigo de Cláudia Leitão, ex-secretaria da Cultura do Estado e diretora do Observatório de Fortaleza. “Na busca de uma versão mais ampla de diplomacia cultural, a cultura ganha lugar cada vez mais estratégico na promoção do diálogo intercultural e na construção da paz entre as nações”, eis o que ela expõe em seu texto. Confira:

A diplomacia cultural, no seu sentido tradicional, é considerada como parte do softpower das nações, cujo prestígio simbólico ainda continua sendo inferior aos temas da inteligência militar ou econômica, mas que demonstra nas últimas décadas uma vitalidade cada vez maior. Neste século, os debates sobre as diversas dimensões do campo de influência entre as nações vêm crescendo e, graças ao debate europeu, a diplomacia cultural vem ganhando um maior enfoque na área da comunicação, relacionando-se com as práticas de marca nacional e o cultivo de imagens para alcançar objetivos políticos. Na busca de uma versão mais ampla de diplomacia cultural, a cultura ganha lugar cada vez mais estratégico na promoção do diálogo intercultural e na construção da paz entre as nações. Esse é um terreno fértil para as políticas culturais.

A diplomacia cultural não reconhece a cultura somente como as artes ou o patrimônio. Ela se estende também às economias criativas, às novas tecnologias, às culturas emergentes, às manifestações da cultura urbana e, especialmente, às culturas juvenis. É por isso, que as cidades vêm construindo, de forma cada vez mais autônoma, suas políticas de Relações Exteriores. Assim, as gestões municipais, em todo o mundo, vêm trabalhando com afinco as políticas de cultura como diferenciais estratégicos para a construção de sua imagem no cenário global.

Com a recente transformação de Fortaleza em um hub aéreo…

*Confira a íntegra do artigo de Claudia Leitão no O POVO desta segunda-feira aqui.

(Foto – Sara Maia)

Caixa registra lucro de R$ 3,92 bi no primeiro trimestre deste ano

A Caixa Econômica Federal registrou lucro líquido de R$ 3,92 bilhões, no primeiro trimestre deste ano, com um crescimento de 23% em relação ao mesmo período do ano passado.

A inadimplência ficou em 2,47%, com uma redução de 0,44 ponto percentual na comparação com o mesmo período de 2018.

De acordo com o banco, o resultado foi impactado pela estabilidade da margem financeira, redução de 24,4% nas despesas de Provisão para Devedores Duvidosos (PDD), e pelo aumento de 2,3% nas receitas de prestação de serviços.

O lucro recorrente ficou em R$ 3,87 bilhões, crescimento de 6% em relação ao primeiro trimestre do ano que passou.

(Agência Brasil)

Brasileiros esperam inflação de 5,4% nos próximos 12 meses, diz FGV

A expectativa mediana dos consumidores brasileiros para a inflação nos próximos 12 meses ficou em 5,4%, segundo pesquisa feita pela Fundação Getulio Vargas (FGV) neste mês. O percentual é o mesmo registrado pela pesquisa de maio deste ano. Em junho do ano passado, no entanto, a taxa havia ficado em 5,2%.

A pesquisa é feita com base em entrevistas com consumidores brasileiros, que respondem à pergunta: “Na sua opinião, de quanto será a inflação brasileira nos próximos 12 meses?”.

A inflação oficial, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), acumulava, em maio deste ano, taxa de 4,66% em 12 meses.

(Agência Brasil)

Joyce Hasselmann, líder do Governo no Congresso, falará sobre Nova Previdência em Fortaleza

294 1

A líder do governo Bolsonaro no Congresso Nacional, deputada Joyce Hasselmann (PSL/SP), estará em Fortaleza no próximo dia 1º de julho. Ela é convidada do programa “Ideias em Debate”, da Federação das Indústrias do Ceará (Fiec).

O tema da palestra dela com o empresariado cearense será “A Nova Previdência”, que será exposto,  a partir das 18h30min, no auditório central da federação.

(Foto – Agência Câmara)

Mercado financeiro volta a estimar queda no crescimento da economia

A estimativa do mercado financeiro para o crescimento da economia segue em queda. É o que mostra o boletim Focus, resultado de pesquisa semanal a instituições financeiras, feita pelo Banco Central(BC) e divulgada às segundas-feiras, em Brasília.

A projeção para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB) – a soma de todos os bens e serviços produzidos no país – desta vez foi reduzida de 0,93% para 0,87%. Essa foi a 17ª redução consecutiva.

A expectativa das instituições financeiras é que a economia tenha crescimento maior em 2020. A estimativa é de 2,20%, a mesma da semana passada. A previsão para 2021 e 2022 permanece em 2,50%.

Inflação

A estimativa de inflação, calculada pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), caiu de 3,84% para 3,82% este ano, na quarta redução seguida.

A meta de inflação de 2019, definida pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), é de 4,25%, com intervalo de tolerância entre 2,75% e 5,75%.

A projeção para 2020 caiu de 4% para 3,95%. A meta para o próximo ano é de 4%, com intervalo de tolerância 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo.

Para 2021, o centro da meta é 3,75%, também com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual. O CMN ainda não definiu a meta de inflação para 2022. A previsão do mercado financeiro para a inflação em 2021 e 2022 permanece em 3,75%.

Taxa básica de juros

Para alcançar a meta de inflação, o Banco Central usa como principal instrumento a taxa básica de juros, a Selic, mantida em 6,5% ao ano, na última semana pelo Comitê de Política Monetária (Copom).

Ao final de 2019, as instituições financeiras esperam que a Selic esteja em 5,75% ao ano, a mesma perspectiva da semana passada.

Para o fim de 2020, a expectativa para a taxa básica volte para 6,5% ao ano, e, no fim de 2021, chegue a 7,5% ao ano.

Quando o Copom reduz a Selic, a tendência é que o crédito fique mais barato, com incentivo à produção e ao consumo, reduzindo o controle da inflação e estimulando a atividade econômica.

Quando o Comitê de Política Monetária (Copom) aumenta a Selic, a finalidade é conter a demanda aquecida, e isso causa reflexos nos preços porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança.

(Agência Brasil)

Julgamento de habeas corpus de Lula é adiado para agosto

561 6

Será adiado para agosto próximo o julgamento de um habeas corpus do ex-presidente Lula pela 2ª Turma do Supremo Tribunal Federal. O julgamento deveria ocorrer nesta terça-feira, 25, mas não será concluído neste semestre. A informação é da Veja Online.

A defesa do petista argumenta no pedido que o ex-juiz Sergio Moro, hoje ministro da Justiça e Segurança do governo Bolsonaro, atuou com parcialidade no processo que culminou em sua condenação no processo do tríplex do Guarujá. Baseia-se nas conversas vazadas entre Moro e o procurador Deltan Dalklagnol, divulgadas pelo site The Intecept Brasil.

O habeas corpus de Lula é o último item da lista de julgamento elaborada pela ministra Cármen Lúcia, que assumiu recentemente a presidência da 2ª Turma do STF. Só o voto do ministro Gilmar Mendes tem 40 páginas e a avaliação é que não haverá tempo de concluir a análise na mesma sessão, uma vez que há onze itens antes do HC.

(Foto – Reprodução do Youtube)

NASA fez experiência com peles de tilápia; Ceará receberá produto de volta para análises

562 2

Marcelo Borges, Jair Bolsonaro, Edmar Maciel e Odorico Moraes.

Chegarão ao Ceará, nesta semana, as amostras de pele de tilápia que foram levadas para o espaço no último dia 20, dentro de uma experiência realizada pela NASA (Virgínia-EUA) com um grupo de astrônomos da cidade de Campos/RJ.

De posse do produto, que está sendo utilizado em várias áreas da Medicina, Veterinária e Odontologia, os pesquisadores deverão analisar o comportamento das peles após terem sido submetidas a altas pressões atmosféricas, radiações e microgravidade. A ordem é verificar se essas ações causaram alguma interferência nas propriedades médicas da pele de tílápia.

A pesquisa está sendo desenvolvida em seis estados brasileiros (PE, RS, GO, SP, RJ e PR) e igual número de países (EUA, Alemanha, Holanda, Colômbia, Guatemala e Equador), por um grupo de 189 pesquisadores. Isso faz parte da Etapa 63, constituída de 42 projetos.

Os três cientistas que estão à frente da pesquisa, Edmar Maciel, Odorico Moraes e Marcelo Borges, apresentaram a pesquisa ao presidente Jair Bolsonaro, em Brasília, em maio deste ano.

(Foto – Pesidência da República)

STJ em nova audiência sobre reintegração de posse de área da Comunidade Zé Maria do Tomé

O diretor-geral do Dnocs, Ângelo Guerra, estará em audiência nesta segunda-feira, às 17 horas, no Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Vai expor os porquês do órgão lutar pela reintegração de posse no que se refere à área hoje ocupada pela Comunidade Zé Maria do Tomé, no perímetro irrigado do Jaguaribe, na Chapada do Apodi, em Limoeiro do Norte (Vale Jaguaribano).

Nesse loca, há cerca de 200 famílias morando e trabalhando desce 2014. O terreno é da União e regulado pelo Dnocs.

Ângelo Guerra informa que o TRF-5ª Região, com sede no Recife, já deu ganho de causa ao Dnocs.

O ministro Luiz Felipe Salomão, do STF, no entanto, chegou a suspender o processo de reintegração e quer ouvir as partes.

Adufc Sindicato divulga nota sobre racismo na universidade

A Adufc Sindicato, que representa os professores da Universidade Federal do Ceará, manda nota para o Blog repudiando caso de racismo denunciado na Instituição. Confira:

Nota Oficial

A Diretoria da ADUFC-Sindicato vem a público manifestar-se sobre denúncia de racismo feita por Luiz Fernando de Lima Teixeira, estudante de Ciências Sociais da UFC, nas redes sociais, que relata abordagem abusiva, agressões e mesmo tortura por parte de seguranças da UFC, no Campus do Pici, na segunda-feira à noite (17/06). A situação é de tal gravidade que medidas urgentes se impõem à universidade para mostrar concretamente seu compromisso com os direitos humanos e civis.

Em primeiro lugar, consideramos que o estudante deve ser ouvido e amparado pela instituição, no âmbito do Curso que frequenta e da Unidade Acadêmica a que está vinculado, assim como, sobretudo, no âmbito da Comissão de Direitos Humanos da UFC. A universidade – Reitoria, Conselhos e demais instâncias – não devem procurar minimizar ou esconder o acontecimento, mas reconhecê-lo em toda sua gravidade e se empenhar nas necessárias reparações.

Em segundo lugar, a universidade precisa reconhecer que as políticas de segurança adotadas nos campi têm sido uma fonte inesgotável de episódios de discriminação contra estudantes, por estes serem negros, pobres, periféricos, mulheres ou LGBTs. Tais episódios têm alimentado uma crescente animosidade entre estudantes e seguranças, para a qual a universidade não pode fechar os olhos. É urgente que essas políticas sejam debatidas com toda a comunidade universitária, para garantir maior democratização e transparência nas regras de acesso e segurança adotadas pela universidade nos diferentes locais.

Em terceiro lugar, a universidade precisa tomar providências para garantir a formação em direitos humanos de todo o pessoal de segurança lotado em seus vários campi. Isso é fundamental sobretudo nos tempos que vivemos, de embrutecimento e fascistização. Deve ser exigido da empresa terceirizada o requisito de formação e orientação de seu pessoal para o respeito aos direitos humanos e civis e a universidade mesma deve se comprometer com uma formação complementar.

De nossa parte, para aprofundar a compreensão sobre as situações de racismo e discriminação na universidade e nelas intervir de maneira efetiva, levaremos ao Conselho de Representantes da ADUFC a proposta de realização de um seminário com toda a comunidade universitária, nos vários campi da UFC, com o objetivo de produzir um documento sobre o tema a ser entregue à Reitoria e aos Conselhos Universitários.

Por fim, queremos mais uma vez, como professores, reafirmar nosso compromisso com o respeito aos direitos humanos e dizer que acompanharemos o desenrolar do processo do estudante que fez a denúncia, na perspectiva de garantir que receba a devida atenção e quetenha consequência, tanto em termos de seu caso particular, quanto em termos do combate às situações de racismo e discriminação na universidade. Todo tipo de racismo e discriminação é intolerável e deve ser tratado com o máximo de atenção, rigor e consequência pela instituição. Estaremos atentos.

Não ao racismo!!

Fortaleza, 20 de junho de 2019

*Diretoria da ADUFC (Biênio 2019-2021).

(Foto – Evilazio Bezerra)

PSB traz parlamentares federais para debater em Fortaleza impactos da Reforma da Previdência

O PSB vai promover, a partir das 18h30min desta segunda-feira, no Auditório Castelo Branco. do IFCE, o seminário “Reforma da Previdência e Cortes na Educação”.

O evento terá a presença dos deputados federais Aliel Machado (PR), Vilson Dafetaeng (MG), Denis Bezerra (CE), Tadeu Alencar (PE) e Alessandro Molon (RJ), sob a coordenação do presidente regional do PSB, Odorico Monteiro.

O encontro é voltado para professore e estudantes, que estarão discutindo principalmente impactos da reforma da Previdência na classe trabalhadora como um todo.

(Foto – Agência Câmara)

Mais Médicos ganha reforço em mais de mil municípios

A partir desta segunda-feira (24), mais de mil municípios, localizados em todo o país, além de dez Distritos Sanitários Especiais Indígenas, começarão a receber 1.975 profissionais selecionados para o Mais Médicos, durante o 18º ciclo do programa.

Segundo o Ministério da Saúde, o reforço beneficiará mais de 6 milhões de pessoas que vivem nas áreas mais vulneráveis do Brasil.

Algumas delas com histórica dificuldade de acesso, caso de localidades ribeirinhas, fluviais, quilombolas e indígenas.

Os profissionais selecionados terão até o dia 28 de junho para comparecer aos municípios e iniciar as atividades nas unidades de saúde.

Nesta primeira fase do 18º ciclo do programa, a seleção priorizou a participação de profissionais “formados e habilitados com registro do Conselho Regional de Medicina (CRM)”, preferencialmente “com perfil de atendimento para a Atenção Primária”.

Para tanto, o Ministério da Saúde estabeleceu “critérios de classificação, como títulos de Especialista e/ou Residência Médica em Medicina da Família e Comunidade”.

(Agência Brasil)

Deputados da oposição podem votar nesta semana novo requerimento convocando Sergio Moro

Moro esteve na semana passada, em audiência pública, no Senado.

Deputados do centrão e da oposição vão pressionar o presidente da CCJ da Câmara, Felipe Francischini (PSL-PR), a votar, nesta semana, um requerimento de convocação a Sergio Moro. A informação é da Coluna Painel, da Folha de S.Paulo desta segunda-feira.

Se for aprovado e o ministro não comparecer, ele pode responder por crime de responsabilidade.

Os parlamentares cobram posicionamento duro de Francischini. A avaliação é a de que a Câmara não deve esperar Moro decidir o melhor momento de falar à CCJ.

O ministro cancelou audiência que marcara na quarta (26). Moro está em missão oficial nos EUA.

Nesta semana de São João, prossegue o debate sobre a reforma da Previdência

O avanço nas discussões sobre a reforma da Previdência na Câmara dos Deputados alimenta as esperanças do governo de uma votação em breve na comissão especial criada para debater o tema. As chances de que isso aconteça ainda esta semana, no entanto, são pequenas – em dois dias de discussão na semana passada, 75 deputados foram ouvidos. Ainda faltam 80.

O presidente Jair Bolsonaro já tirou a pressão do Congresso Nacional e disse não ver problema caso a votação do relatório na comissão especial demore mais uma semana para ocorrer. Além das discussões, que devem continuar ao longo dos próximos dias, festas de São João realizadas em diversos estados podem enfraquecer o quórum e dificultar a votação.

“Minha experiência de Parlamento: em festa junina, geralmente, o parlamentar fica no seu estado. É quase uma festa religiosa isso daí. Se atrasar mais uma semana, não tem problema não. Toca o barco”, disse Bolsonaro na última sexta-feira (21), após almoço no Ministério da Defesa.

Entenda

Os deputados debatem o relatório do deputado Samuel Moreira (PSDB-SP) desde a última terça-feira (18). A próxima reunião do colegiado está marcada para esta terça-feira (25) e a tendência é que uma nova reunião seja marcada para o dia seguinte. O presidente da comissão, deputado Marcelo Ramos (PL-AM), disse que há possibilidade de que a votação comece no mesmo dia em que for encerrada a discussão.

Acordo

Os deputados governistas fizeram um acordo com a oposição: todos que quisessem falar teriam tempo para fazê-lo e, em troca, a oposição não obstruiria a sessão. Após o fim dos debates, o relatório de Moreira será votado na comissão. Em seguida, o texto será apreciado no plenário da Câmara e precisará de uma aprovação de 3/5 dos deputados. Caso aprovada, a proposta segue para apreciação dos senadores.

Alterações

Samuel Moreira fez diversas mudanças em relação à proposta original enviada pela equipe econômica do governo no fim de fevereiro. Dentre elas, retirou o sistema de capitalização da reforma, que determinava que cada trabalhador contribua para a própria aposentadoria. É possível que o governo insista no quesito posteriormente, apresentando uma nova Proposta de Emenda à Constituição (PEC).

Além disso, Moreira manteve a idade mínima de 62 anos para mulheres e de 65 anos para homens após o período de transição, mas alterou o tempo mínimo de contribuição para as mulheres, retornando para os 15 anos vigentes atualmente. O tempo mínimo de contribuição dos homens permanece conforme proposto pelo governo: 20 anos.

As alterações reduziriam a economia com a reforma para R$ 913,4 bilhões até 2029. No entanto, o relator decidiu propor a transferência de 40% de recursos do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT) para a Previdência Social e aumentar tributos sobre os bancos, o que reforçaria as receitas em R$ 217 bilhões, resultando numa economia final de R$ 1,13 trilhão, próximo do montante inicial de R$ 1,23 trilhão estipulado pela área econômica do governo.

(Agência Brasil)

Companhia Docas do Ceará sob nova direção

A nova presidente da Companhia Docas do Ceará, engenheira civil Mayara Chaves, toma posse no cargo, nesta segunda-feira. Ela entra no lugar do sociólogo César Pinheiro, uma indicação do ex-senador Eunício Oliveira, presidente regional do MDB.

atural do Espírito Santo, Mayhara será a primeira diretora-presidente de uma companhia doca no atual Governo. Formada em Engenharia de Produção pela Faculdades Integradas Espírito Santense (FAESA) e Pós-graduada em Logística Empresarial pela mesma instituição, Mayhara possui ainda MBA em Gerenciamento de Projeto pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) e já ocupou o cargo de Diretora de Planejamento e Desenvolvimento da Companhia Docas do Estado do Espírito Santo (CODESA), entre os anos de 2015 e 2018. Atualmente ocupava o posto de assessora Máster de Conselhos e Câmaras da Federação das Indústrias do Espírito Santo.

DETALHE – Após ser empossada, Mayara pedirá licença do cargo por 15 para tratamento da saúde.

Enquete do Senado apontou que 75% aprovavam decreto das armas de Bolsonaro

738 10

Uma enquete realizada pelo DataSenado, na última semana, constatou que a proibição de venda de armas seria aprovada por larga maioria (73%) das pessoas pesquisadas, se o referendo popular tivesse sido efetuado. Foram registradas as opiniões de 154 pessoas que, ao ligarem para o serviço Alô Senado em busca de informações sobre o funcionamento da Casa, se dispuseram a responder a perguntas sobre desarmamento. As informações são do site do Senado.

Um alto percentual – 84% – sabia da aprovação pelo Congresso da proibição de venda de armas aos cidadãos comuns, proposta de iniciativa do senador Renan Calheiros (PMDB-AL). No entanto, apenas 49% tinha conhecimento de que foi autorizada a realização de plebiscito para que o eleitorado se posicione sobre a decisão do Legislativo. A data da consulta popular ainda não foi marcada.

A enquete mostrou também que nada menos do que 71% dos entrevistados estão convencidos de que o porte de armas traz riscos à segurança do cidadão comum, enquanto 56% estão conscientes de que a proibição contribuiria para diminuir, mas não para acabar com a violência e a criminalidade. Mais da metade – 66% – acha que a criminalidade está aumentando em sua cidade, e aponta as drogas como principal ameaça à integridade dos jovens.

O perfil das pessoas ouvidas é o de formadores de opinião, com boa escolaridade – 42% com ensino médio e 28% com grau superior e pós-graduação – tendo prevalecido ligações da região Sudeste (41%) e Nordeste (38%). A maioria (66%) é de homens e 35% estão na faixa de renda de até dois salários mínimos.

Quina de São João pode pagar R$ 140 milhões

Mesta segunda-feira, às 20 horas, no Espaço Loterias Caixa no Terminal Rodoviário do Tietê, em São Paulo, vai acontecer o sorteio da Quina de São João, que pode pagar um prêmio de R$ 140 milhões para quem acertar as cinco dezenas. O prêmio não acumula e será pago a quem acertar a maior quantidade de números sorteados na primeira ou nas demais faixas de premiação.

Segundo a Caixa Econômica Federal, caso haja apenas um ganhador e o dinheiro seja aplicado na poupança, é possível receber mais de R$ 520 mil por mês ou adquirir quase 20 carros populares.

As apostas podem ser realizadas em volantes específicos que já estão disponíveis nas lotéricas e pela internet até as 19h. O preço da aposta com 5 números é de R$ 1,50.

Para quem optar por apostar pela internet, foi disponibilizado um combo especial para a Quina de São João, que contém 20 apostas para o concurso.

(Com Agências)

Editorial do O POVO – “O recado das mulheres no futebol”

Marta fez desabafo após a desclassificação.

Com o título “O recado das mulheres no futebol”, eis o Editorial do O POVO desta segunda-feira:

A participação da seleção brasileira na Copa do Mundo de futebol feminino comprova que há um público imenso no País disposto a consumir informações sobre a modalidade e acompanhar a rotina dos principais torneios existentes.

O desempenho do grupo, que deixa o Mundial nas oitavas de final, é exemplar disso. A posição de protagonismo das mulheres não foi importante apenas dentro do campo, no qual se mostraram técnica e coletivamente preparadas. Mas fora também, ao mobilizar audiência e torcida. É preciso agora que esse interesse se converta em recursos financeiros, apoio e estrutura para a seleção, ainda negligenciada.

Um dos maiores desafios está precisamente no investimento, seja na contratação de mais jornalistas mulheres, seja no patrocínio direto de atletas, pagando-lhes o preço justo – nem um centavo a mais ou a menos do que as empresas já gastam com os homens (a recusa de Marta a receber menos que Neymar, por exemplo, é um importante sinal).

Mas o fortalecimento do futebol feminino depende ainda de uma série de ações conjuntas entre clubes, Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e canais de transmissão. Negociar com as TVs os direitos de exibição de campeonatos de homens e mulheres no mesmo pacote, por exemplo, seria um modo de ajudar a projetar uma liga nacional feminina, etapa sem qual o País não terá meios de consolidar uma base de atletas.

Como se vê, há uma tarefa gigantesca pela frente…

*Confira a íntegra do Editorial do O POVO aqui.

(Foto – Divulgação)