Blog do Eliomar

Categorias para Brasil

Remédios vão subir 12,5% de preço

“A Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos em resolução publicada hoje (1º) no Diário Oficial da União determinou que os preços dos remédios poderá subir até 12,5% a partir desta sexta-feira. A medida atinge mais de 9 mil medicamentos em todo o país.

De acordo com a resolução, o reajuste nos preços dos remédios teve por base o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 9 de março de 2016, que acumula variação de 10,36% entre março de 2015 e fevereiro de 2016.

As farmácias e drogarias deverão manter à disposição dos consumidores e dos órgãos de defesa do consumidor as listas dos preços de medicamentos atualizadas, informa a resolução.”

(Agência Brasil)

 

Polícia Federal deflagra Operação Carbono 14 – É a 27ª fase da Lava Jato

“A Polícia Federal (PF) deflagrou na manhã de hoje (1º) a 27ª fase da Operação Lava Jato para investigar a prática dos crimes de extorsão, falsidade ideológica, fraude, corrupção ativa e passiva e lavagem de dinheiro.

Nesta fase, denominada Operação Carbono 14, estão sendo cumpridas 12 ordens judiciais: três mandados de busca e apreensão e dois de condução coercitiva em São Paulo (SP), um mandado de busca e apreensão e um de prisão temporária em Carapicuíba (SP), um mandado de busca e apreensão em Osasco (SP) e três mandados de busca e apreensão, além de um de prisão temporária em Santo André (SP).

Cinquenta policiais estão envolvidos nesta operação. Os presos serão encaminhados para a Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, enquanto aqueles conduzidos para depoimentos serão ouvidos na cidade de São Paulo.

Esta fase foi chamada de Operação Carbono 14 em referência a procedimentos usados pela ciência para a datação de itens e a investigação de fatos antigos. Às 10h, a PF dará entrevista coletiva em Curitiba para dar detalhes da operação.”

(Agência Brasil)

Camilo, Roberto Cláudio e Lula na praça?

133 1

foto lula 2016

Da Coluna Vertical, do O POVO desta sexta-feira:

O governador Camilo Santana (PT) e o prefeito Roberto Cláudio terão mais uma agenda conjunta nesta semana. Depois da inauguração do projeto “Praia Acessível”, ontem, na Praia de Iracema, com infraestrutura voltada para idosos e deficientes físicos, o novo compromisso dos dois ocorrerá amanhã, a partir das 9 horas, no Centro de Eventos.

Camilo entregará títulos de propriedade de imóveis para 1.200 famílias de vários bairros de Fortaleza. Será, segundo o Palácio da Abolição,a festa do “papel da casa” para muitos que ocupavam pontos há anos ou que sofreram desapropriação e precisam legalizar imóveis.

A solenidade ocorrerá justamente na hora em que o ato pró-Dilma com Lula, na Praça do Ferreira, estará acontecendo. Camilo disse que vai prestigiar o ex-presidente. RC ainda não confirmou a presença.

Na lista de 40 empresas do varejo boas para se trabalhar, 10 são do Ceará

329 1

Da Coluna O POVO Economia, da jornalista Neila Fontenele, no O POVO desta sexta-feira:

Na lista das 40 empresas do varejo que se destacam entre as melhores para trabalhar, 10 são cearenses (ver tabela). Esse ranking, feito pelo GPTW, merece uma avaliação cuidadosa para saber qual o modelo de gestão adotado no estado que está dando certo, para que outras empresas também possam desfrutar desses resultados.

Hoje, às 8h30min, na sede da CDL Fortaleza, haverá uma apresentação da lista das melhores empresas para trabalhar em 2016. O evento é resultado de uma parceria entre o GPTW e o Grupo de Comunicação O POVO.

A diretora do GPTW nacional, Roberta Hummel, e a diretora da regional Ceará da instituição, Mariza Quinderé, farão a apresentação da lista. Também será mostrado o caso dos Supermercados Pinheiro, segundo no ranking das melhores empresas para trabalhar em 2015.

Senado altera Lei Maria da Penha

“O Senado aprovou nessa quinta-feira (31) o projeto de lei 9/2016 que altera a lei Maria da Penha para estabelecer medidas protetivas aos centros de educação e de reabilitação para os agressores. O texto segue agora para análise da Câmara.

Na justificativa do projeto, foram relatadas experiências bem-sucedidas relacionadas à participação dos autores de violência em cursos e encontros em que refletem sobre temas como identidade de gênero, do machismo, e de responsabilidade por seus próprios atos.”

(Com Agências)

Camilo Santana chama Temer de golpista

182 1

camilo (1)

Essa é do governador Camilo Santana (PT), ao fazer a defesa da presidente Dilma Rousseff, nessa noite de manifestações no entorno do Centro Dragão do Mar, em Fortaleza, referindo-se a Michel Temer e ao desembarque do PMDB do governo:

“Isso é uma vergonha para o Brasil. Um partido aliado há tantos anos, em três minutos, sair do governo, com a única e exclusiva intenção de o vice-presidente dar um golpe na presidente Dilma. Isso é inaceitável.”

(Foto – O POVO)

Eduardo Cunha proíbe viagens oficiais antes da votação do impeachment

Eduardo-Cunha1

“Eduardo Cunha proibiu viagens oficiais de deputados para representar a Câmara ou para a participação em eventos durante o período que antecede a votação do impeachment.
Ausências em plenário ajudam o governo, uma vez que, para ser aprovado, o afastamento da presidente precisa de 342 votos.

O presidente da Câmara já não acredita que a votação do parecer em plenário aconteça num domingo, dia 17. A reação contrária dos líderes partidários fez com que Cunha afastasse a ideia.

Além disso, o peemedebista calcula que serão pelo menos dois dias de votação do parecer em plenário, uma vez que cada partido tem direito a uma hora de discursos, além de intervenções da defesa e da acusação.”

(Veja Online)

Manifestações mostram consolidação da democracia, dizem especialistas

“As manifestações mostram a consolidação da democracia brasileira, independente do posicionamento daqueles que frequentam os atos, diz a cientista política e professora da Universidade Federal de São Carlos (UFSCas) Maria do Socorro Sousa Braga, doutora em ciência política pela Universidade de São Paulo (USP). “Faz parte da dinâmica democrática ter uma maior expressão das diferentes demandas e diferentes pontos de vista. Não pode ter intolerância desse direito”.

São Paulo - Frente Brasil Popular e Frente Povo Sem Medo realizam ato em Defesa da Democracia e Contra o Golpe de Estado na praça da Sé (Rovena Rosa/Agência Brasil)
Manifestação em São Paulo se concentrou na Praça da Sé Rovena Rosa/Agência Brasil

Para Maria do Socorro, as manifestações contra o impeachment da presidenta Dilma Rousseff que ocorreram hoje (31) em diversas cidades brasileiras é “uma demonstração de força de vontade de continuidade do governo e também uma demonstração de que não se concorda com essa forma absurda de querer tirar um governante que foi eleito pelas urnas democraticamente e que não possui prova nenhuma, seja de corrupção, seja de outros aspectos, para tirar a presidenta”, diz.

O dia escolhido também é importante, de acordo com a cientista política. No dia 31 de março de 1964, os militares tomavam o poder no Brasil por meio de um golpe de Estado. Embora o contexto seja diferente, para a cientista política, é uma forma de expressar simbolicamente que as pessoas não concordam com a “reprise de um golpe às instituições democráticas”.

Estratégicas

As manifestações contra o impeachment têm ganhado força, principalmente pelo momento crítico vivido na política, na avaliação da cientista política. Diante da condução do processo do impedimento pela Câmara dos Deputados e das recentes perdas de apoio de legendas, ela diz que as manifestações são estratégicas. “Quanto mais gente nas ruas, mais fortalece a própria pessoa da presidenta, isso é bastante simbólico para ela. E estimula também quem está no governo a permanecer no governo”.

Seja qual for o rumo tomado na política brasileira, a cientista política acredita que não será possível voltar atrás na transparência quanto às investigações da Operação Lava Jato ou outra que surja. O acesso à internet confere ferramentas à população que estará mais intolerante quanto à corrupção e outros desvios.

Influência em eleições

Rio de Janeiro - Manifestantes fazem ato no Largo da Carioca contra o processo de impeachment da presidenta Dilma Rousseff e em apoio ao ex-presidente Lula (Fernando Frazão/Agência Brasil)
Manifestantes no Rio de Janeiro fizeram ato no Largo da Carioca contra o impeachment Fernando Frazão/Agência Brasil; Agência Brasil

Segundo o cientista político e professor da Universidade de Brasília, David Fleischer, o cenário político é preponderante para as manifestações de rua e disse que as manifestações de hoje tiveram um número de cidades e de participantes menor do que a do dia 13, que foi a favor do impeachment. Fleischer, que é pós-doutor pela State University of New York, diz que tudo indica que os deputados estão dando muita atenção para as manifestações de rua.

“Os que estão a favor do impeachment analisam as chances de reeleição. O que todo político avalia, é se o seu posicionamento vai afetar a sua eleição em 2018. Nós temos prefeitos do PT que mudaram de partido para participar das eleições. O que o deputado mais valoriza é sua chance de reeleição – favoravelmente ou negativamente”.

(Agência Brasil)

Senadores denunciam troca de cargos por votos contra o impeachment

“Os senadores José Medeiros (PSD-MT) e Ricardo Ferraço (PSDB-ES) apresentaram hoje (31) uma representação na Procuradoria-Geral da República (PGR) contra a presidenta Dilma Rousseff e o ministro-chefe do Gabinete Pessoal da Presidência da República, Jaques Wagner.

O documento, que é assinado também por Carla Zambelli, representante da Aliança Nacional dos Movimentos Democráticos, pede a responsabilização civil, penal e administrativa de Dilma e Wagner por entender que os dois ofereceram cargos em troca de votos contra o impeachmentno Congresso Nacional.

“Trata-se desse mercadão de cargos que se instalou e que o ministro, sem pudor algum, falou em rede nacional”, explica Medeiros. “Antes essa oferta era velada. Agora o que estamos vendo é um novo mensalão, com a venda de cargos por apoio político”, afirmou, referindo-se adeclarações do ministro Jaques Wagner, dadas no último dia 29, quando o PMDB anunciou sua saída da base aliada do governo. Wagner na ocasião disse que o anúncio chegava em “boa hora” e abria a oportunidade de “repactuar” o governo com outras forças políticas e que, embora o governo estivesse perdendo um “parceiro importante”, a presidenta Dilma Rousseff já havia começado a promover conversas no sentido de abrir espaço para novos aliados.

Em resposta às críticas de que o Planalto se transformou em um “balcão de negócios”, o ministro da Secretaria de Governo, Ricardo Berzoini, rebateu: “trocas de cargos ocorrem 365 dias por ano no governo. Não existe espaço vazio na política”.

O senador José Medeiros argumentou que, quando o governo oferece um cargo para uma pessoa, ela deve ter o compromisso de assumi-lo para pôr em prática políticas públicas e projetos anunciados. “Não podem os cargos públicos serem ofertados para virar caixa de partidos políticos. Presidencialismo de coalizão não é isso”, afirmou o senador.

A representação pede a abertura de procedimento administrativo para que sejam apuradas a materialidade e a autoria dos fatos nas esferas cível e penal, assim como um inquérito civil administrativo. A partir disso, se forem comprovadas as denúncias, os autores da representação pedem que a PGR requeira a perda da função pública e a suspensão dos direitos políticos da presidenta e do ministro.

Ao todo, 48 movimentos sociais representados por Carla Zambelli apoiam a representação. A procuradoria não tem prazo para analisar o pedido. A Agência Brasil procurou a Advocacia-Geral da União (AGU), que respondeu que não vai se manifestar sobre a representação. A AGU disse preferir esperar a decisão da PGR, dizendo se acata ou não o pedido dos senadores.”

(Agência Brasil)

PT lança site para pressionar deputados a votarem contra o impeachment

site-nao-vai-ter-golpe

“Está no ar o “Não vai ter golpe”, um site que permite o envio de múltiplas mensagens a deputados na tentativa de pressioná-los contra a aprovação do impeachment. Segundo a agência de notícias do PT, a ferramenta foi criada pelo próprio partido.

Os “deputados do dia”, por exemplo, são Aliel Machado (da Rede; “Ele está indeciso, escreva para ele”), Washington Reis (PMDB) e Zenaide Maia (do PR; “Ela está contra, escreva para ela”).

O site exibe também vídeos, banners para serem usados nas redes e a conta dos parlamentares nas mídias sociais.”

(Lauro Jardim, O Globo)

Universidades federais do Nordeste querem adotar modelo de compra unificada

Dentro do objetivo de racionalizar os custos das universidades federais, gestores de compras dessas instituições do Nordeste vão se reunir, de 6 a 8 próximos, em Fortaleza, na UFC, para discutir e elaborar um plano de compras compartilhadas por meio de sistema de registro de preços (SRP). A discussão será feita durante encontro do Fórum Nacional de Pró-Reitores de Planejamento e Administração (Forplad) – regional Nordeste.

A ideia é realizar um único registro de preços que poderia vir a ser adotado por qualquer uma das 18 universidades federais da região, de modo a ganhar escala e reduzir o custo individual dos produtos e serviços adquiridos. Experiência semelhante foi realizada em 2013, nascida também durante encontro regional do Forplad em Fortaleza.

Na época, houve registros de preços para compras de computadores, mobiliário e veículos. Cada um deles foi feito por uma universidade diferente, com possibilidade de adesão aos valores pelas demais instituições.

Além da UFC, participam do Forplad – Nordeste as universidades federais do Cariri (UFCA), da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab), da Bahia (UFBA), de Pernambuco (UFPE), do Rio Grande do Norte (UFRN), da Paraíba (UFPB), do Maranhão (UFMA), do Piauí (UFPI), de Alagoas (UFAL), de Sergipe (UFS), do Recôncavo da Bahia (UFRB), do Oeste da Bahia (UFOB), do Sul da Bahia (UFSB), de Campina Grande (UFCG), do Vale de São Francisco (Univasf), Rural de Pernambuco (UFRPE), Rural do Semiárido (UFERSA).

(Com Site da UFC)

Operadora informou juiz Sergio Moro sobre grampo em escritório de advocacia

164 1

“A operadora de telefonia que executou a ordem para interceptar o ramal central do escritório de advocacia Teixeira, Martins e Advogados já havia informado duas vezes ao juiz federal Sergio Fernando Moro que o número grampeado pertencia à banca, que conta com 25 advogados. Apesar disso, em ofício enviado ao Supremo Tribunal Federal nesta semana, Moro afirmou desconhecer o grampo determinado por ele na operação “lava jato”.

Dois ofícios enviados pela Telefônica à 13ª Vara Federal de Curitiba, no dia 23 de fevereiro (quando foram determinados os grampos) e outro do dia 7 de março (quando foram prorrogadas as escutas), discriminam cada um dos números que Moro mandou interceptar. Os documentos deixam claro que um dos telefones grampeados pertence ao Teixeira, Martins e Advogados, descrevendo, inclusive, o endereço da banca.

Os documentos estão no processo que determinou a quebra do sigilo também dos telefones do Instituto Lula e de seu presidente, Paulo Okamotto; do Instituto de Pesquisas e Estudos dos Trabalhadores; bem como de Vania de Moraes Santos, Elson Pereira Vieira e Clara Ant.

sergio_moro_boca

Ao Supremo, Moro afirmou não ter sido informado sobre grampo em escritório.

Os ofícios colocam em xeque a afirmação feita por Moro em documento enviado ao Supremo no último dia 29, no qual o juiz confirma ter autorizado o grampo no celular do advogado do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Roberto Teixeira, mas diz não saber das interceptações telefônicas do seu escritório.

Ao se explicar para o STF, Moro afirmou: “Desconhece este juízo que tenha sido interceptado outro terminal dele [Roberto Teixeira] ou terminal com ramal de escritório de advocacia. Se foi, essas questões não foram trazidas até o momento à deliberação deste juízo pela parte interessada”.

Além dos documentos da empresa Telefônica enviados a Moro em fevereiro e março, o próprio Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil já havia enviado um ofício ao juiz federal requerendo informações sobre a interceptação dos telefones do escritório Teixeira, Martins e Advogados durante a “lava jato”, uma semana antes de o juiz enviar ao STF o documento interpretado como um pedido de desculpas pelos transtornos causados com a divulgação de conversas da presidente Dilma Rousseff.

A reportagem entrou em contato com a Justiça Federal do Paraná nesta quinta-feira para falar sobre o caso, mas não obteve resposta até a publicação desta notícia.”

(Site Consultor Jurídico)

Camilo conclama povo a ir às ruas contra o golpe e avisa: sábado estará nessa luta ao lado de Lula

179 1

dididb

O governador Camilo Santana (PT) afirmou, nesta noite de quinta-feira, que esteve em Brasília, na quarta-feira, e “dei um abraço forte na Dilma”. Para um público estimado em 50 mil pessoas no entorno do Centro Dragão do Mar, segundo a organização, ele avisou que a presidente lhe colocou uma missão muito importante no Ceará: garantir votos contra o impeachment e garantir a democracia com o voto dos deputados.

Camilo anunciou no ato que estará sábado na manifestação da Praça do Ferreira (Centro), que contará com a presença de Lula. O ato é mais um contra o impeachmente.

Ele destacou em discurso que o importante agora “é a mobilização do povo nas ruas.” Ainda acrescentou: “Não vamos permitir que haja golpe! Esse é o momento de unir o Pais e assegurar a governabilidade, porque, desde o primeiro dia de governo da presidente Dilma, eles (oposição) não deixaram a presidente governar.”

Para o governador, esse tipo de atitude não faz bem para o Pais. Camilo defendeu novo rumo na economia e complementou: “Nós vamos vencer  com a força de cada brasileiro que quer o melhor para este Pais.”

Cid diz que PMDB é “cambada de gatunos” que se juntou ao PSDB, que “é coisa muito ruim”

cidgomess

“O PMDB é uma cambada de gatunos e achacadores que se juntaram com o que há de pior, que é o PSDB, inconformado de perder a eleição até hoje”, disse o ex-governador Cid Gomes, ao falar, nesta noite de quinta-feira, em ato no entorno do Centro Dragão do Mar.

Cid adiantou que a junção de PSDB com o PMDB “é coisa muito ruim, é coisa que pode haver de pior nesse país”, e bradou para a multidão: ” Vamos à luta! Não vai ter golpe!

O ato integra uma mobilização nacional da Frente Popular Brasil, que apregoa contra o impeachment e em favor do Governo Dilma Rousseff.

Manifestação será encerrada com ato-show no entorno do Dragão do Mar

grupo

Um público estimado em 50 mil pessoas pela Frente Brasil Popular participa, neste momento, de caminhada pelas ruas do Centro de Fortaleza. A pregação é contra o golpe e em defesa da democracia. A manifestação, integrada ao movimento que se espalha neste 31 de março por todo o País, começou n Praça da Faculdade de Direito, passou pela Praça do Carmo e se estende pela Praia de Iracema.

Organizadores farão a concentração com ato-show em frente ao Centro Dragão do Mar, onde vários músicos cearenses se revezarão entre um discurso e outros de políticos. O presidente municipal do PT, deputado federal Elmano de Freitas, o presidente estadual do PCdoB, Luis Carlos Paes, ex-parlamentares e vereadores como Ronivaldo Maia (PT) estão na caminhada.

grupo2

Ex-secretário Arruda Bastos (Saúde) e ex-deputado Mário Mamede.

Trios elétricos, carros de som, faixas, bandeiras e palavras de ordem animam a manifestação que conta com gente vestindo também verde e amarelo. Mas o tradicional vermelho do PT predomina

(Fotos – D. Moura)

FHC – Impeachment não é golpe, mas “um remédio constitucional!

fernando_henrique_cardoso_1

“O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso defendeu que o PSDB deve caminhar “unido” pelo impeachment da presidente Dilma Rousseff. Em evento de lançamento do novo site do Instituto Teotônio Vilela, braço de articulação política do PSDB, foi exibido um vídeo no qual FHC rebate os argumentos do PT e do governo e diz que o impeachment não é golpe, mas um “remédio constitucional”.

“Diante da incapacidade do governo de governar, de flagrantes abusos que ferem a nossa Constituição praticados reiteradamente por aqueles que detêm o poder, infelizmente, não resta outro caminho se não marcharmos para o impeachment. Não tem nada a ver com golpe, é um remédio constitucional”, diz o tucano.

O ex-presidente reforça repetidamente, no vídeo de cerca de três minutos, que os movimentos ocorrem “dentro da democracia” e “dentro da Constituição”. “Quando há apoio na sociedade, quando há maioria no Congresso e há uma base jurídica, vai ser o impeachment.”

Ele insiste também que o processo de impeachment é político, não penal, refutando a defesa do governo de que Dilma é uma pessoa ‘honesta’ e que, por isso, não poderia ser deposta.

“As pessoas que sofrem eventualmente impeachment não são criminosas, não têm penalidade, não se trata de um processo penal. É um processo político, da incapacidade demonstrada pelo governo de governar e, para tentar governar, infringir a constituição. É por isso que o PSDB deve marchar unido para o impeachment”, frisou.

No vídeo, FHC responsabiliza o governo Dilma e o PT pela situação “dramática” que o País vive. “Esse processo que estamos vivendo é dramático, repito, por erros do governo petista. Nos levaram ao caos que estamos na economia, a essa indecisão na vida política, por incapacidade e vontade de serem hegemônicos, ou seja, de mandar em tudo e não respeitar o outro”, afirmou.

“Não queremos o impeachment para desrespeitar o outro, queremos impeachment para reconstruir uma situação democrática que permita a convivência de todos”, prosseguiu. E disse que o PSDB tem que ser “o partido da construção do futuro do Brasil”, mas sem que isso seja feito “através de acomodações”.

Lava Jato

Sem mencionar diretamente o PMDB ou Michel Temer, FHC saiu em defesa da continuidade das investigações da Lava Jato. Ele disse ser necessário um “consenso nacional”, mas que o acordo político não pode atropelar a operação.

“O preço do acordo não pode ser acabar com a Lava Jato. A Lava Jato é parte do processo democrático brasileiro, vai continuar, dentro da regra. Se houver abuso, há tribunais capazes de conter o abuso”, disse o tucano

O ex-presidente avaliou que a situação do País é ruim e que não é possível ter uma visão otimista no curto prazo, mas destacou que o Brasil “tem potencial” e, com avanço das reformas estruturais, vai ter condições de recuperar a confiança.

Site

No lançamento do novo site do instituto, o presidente do ITV, José Aníbal, disse que a ideia é o PSDB ampliar a comunicação, para não ser apenas com militantes tucanos, mas para fazer “debates sobre o momento do País”, ainda mais em um momento em que avança um processo de impeachment.

“O portal ITV quer pensar o Brasil”, afirmou ao apresentar o novo portal a jornalistas. Segundo o tucano, eles identificaram essa necessidade com a crescente crise da representação política com a sociedade – algo que vem ficando cada vez mais evidente desde os protestos de rua de 2013.”

ESTADÃO conteúdo

Frente Brasil Popular faz caminhada contra o impeachment

p2t33

A Frente Brasil Popular já está a caminho da Praça do Ferreira, em Fortaleza, depois de concentração na praça da Faculdade de Direito da UFC. Partidos de esquerda como o PT e do PCdoB, além de sindicalistas, artistas e lideranças de movimentos sociais , estão participando do ato em favor do Governo Dilma Rousseff.

O que mais se ouve no sistema de som é  frase: “Não vai ter golpe!”

O presidente regional do PT, Francisco de Assis Diniz, integra o núcleo que organiza o ato. O líder do Governo na Câmara dos Deputados, petista José Nobre Guimarães, vai se engajar à manifestação. Ele desembarca procedente de Brasília dentro de instantes.

sekfkf

Cúpula petista num momento self…

O Palácio da Abolição informou que o governador Camilo Santana (PT) vai participar da concentração na Praça do Ferreira.

BC não deve reduzir taxa Selic

“Com a perspectiva de a inflação estourar a meta este ano (6,6%), o Banco Central (BC) afirmou hoje (31) que não trabalha com a hipótese de reduzir a taxa básica de juros, a Selic. A informação está no Relatório de Inflação do BC, divulgado trimestralmente.

Essa é a primeira vez que o BC projeta estouro da meta para este ano. O centro da meta de inflação é 4,5% e o limite superior é 6,5%. A taxa Selic é o principal instrumento do BC para o controle da inflação. Ao reajustá-la para cima, o BC contém o excesso de demanda que pressiona os preços, porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança. Quando reduz os juros básicos, o Copom barateia o crédito e incentiva a produção e o consumo, mas alivia o controle sobre a inflação.

No relatório, o BC ressaltou que há incertezas quanto ao comportamento recente das expectativas e das taxas observadas de inflação, combinados com a presença de mecanismos de indexação (reajuste de preços com base em índices de inflação).

O BC também destacou que o processo de realinhamento de preços livres em relação aos administrados e dos domésticos em relação aos internacionais é mais demorado e intenso que o previsto. “Adicionalmente, remanescem incertezas em relação ao comportamento da economia mundial”, disse o BC.

No relatório, o BC cita que incertezas quanto ao processo de recuperação dos resultados fiscais e à sua composição também afetam a inflação. Segundo o Banco Central, a probabilidade estimada de a inflação ultrapassar o limite superior da meta é 55%, em 2016 e 22%, em 2017. Para o mercado, essa probabilidade é 65%, em 2016, e 33%, no próximo ano.”

(Agência Brasil)