Blog do Eliomar

Categorias para Brasil

Avianca demite 20 funcionários em Guarulhos

A Avianca Brasil, em processo de recuperação judicial, demitiu hoje 20 funcionários que trabalhavam no Aeroporto Internacional de Guarulhos, nos setores de check-in, despacho de voos e terminal de cargas, informou o Sindicato dos Aeroviários de Guarulhos. Ontem (2), já haviam sido dispensados pelo menos 47 trabalhadores.

Segundo o presidente do sindicato, Rodrigo Maciel, até dezembro a empresa empregava 304 funcionários no terminal de Guarulhos, número que passou para 234 em 29 de abril, quando a Avianca parou de operar. “Ontem começaram as demissões entre esses 234 que haviam sobrado. O que sabemos é que 154 permaneceriam para atender passageiros com voos comprados”.

Maciel disse que os funcionários demitidos estão sem previsão para receber as verbas rescisórias, e aqueles que ainda permanecem notam irregularidades no pagamento de benefícios, como vale alimentação e vale transporte. “Está um caos. Os funcionários estão dizendo que não trabalharão, caso não recebam”.

Avianca

Por meio de nota, sem confirmar ou citar números, a Avianca informou que, cumprindo as etapas de seu plano de recuperação judicial, e devido à diminuição de sua frota e operação, está em processo de redução do número de funcionários em todo o país.

A Avianca disse ainda que continua trabalhando para minimizar o impacto causado pelos cancelamentos dos voos e para garantir o melhor atendimento aos seus clientes. “A empresa agradece a contribuição, dedicação e profissionalismo de todos os colaboradores que estão deixando a companhia, fundamentais no suporte aos passageiros nos últimos meses”.

(Agência Brasil)

No Ceará

Em Fortaleza e Juazeiro do Norte, houve também demissões. Mas alguns funcionários ainda operam no boxe da empresa nos aeroportos, resolvendo pendências de passageiros. A empresa não divulgou número de demitidos no Ceará.

Inteligência artificial e o emprego

Com o título “Inteligência artificial e o emprego”, eis artigo de Edilberto Pontes, presidente do Tribunal de Contas do Ceará. Sobre o mote, diz ele no texto: “É uma questão em aberto e que vai necessitar um considerável esforço da sociedade e dos governos para que o desfecho seja positivo.” Confira:

Um dos debates mais intrigantes do momento é sobre o futuro do emprego. O uso intensivo da tecnologia da informação, da inteligência artificial e das máquinas que aprendem vai implicar o fim do emprego formal? São sombrias as perspectivas? A maior parte das pessoas vai precisar de transferências governamentais para sobreviver?

É uma questão em aberto e que vai necessitar um considerável esforço da sociedade e dos governos para que o desfecho seja positivo. Deixar ao sabor das forças de mercado, sem nenhuma intervenção governamental, não parece definitivamente o melhor caminho. É que as empresas buscam maximizar o lucro e para tanto vão dar preferência a modelos que reduzam os custos, sem maiores preocupações com a perda dos postos de trabalho. Relevante, portanto, o papel do setor público: embora não deva obviamente impedir o progresso tecnológico, há de assegurar que esse progresso seja inclusivo, implicando a geração de empregos de alta qualidade, com bons salários.

Em um excelente artigo (Where do good jobs come from? Project Syndicate, 26/04/19), Daron Acemoglu defende que o governo invista em educação e em tecnologias de base, a exemplo do ocorreu com a internet, cuja criação e desenvolvimento deveu-se majoritariamente a esforços governamentais. Além disso, deve criar um sistema de proteção para os trabalhadores e um sistema tributário que, entre outras funções, observe o seu papel redistributivo. O autor exemplifica com as ações governamentais do pós-guerra, em que diversos países implementaram medidas nessa direção com muito sucesso.

Pensar de forma ideológica costuma atrapalhar a adoção de boas políticas públicas. Muitos liberais vão argumentar com a resposta pronta de que o governo deve interferir o mínimo possível no atual cenário econômico. Em vez de ideologia, observar o que funciona e o que não funciona costuma ser muito mais útil. Gerar empregos de qualidade no mundo da inteligência artificial e da robótica é um grande desafio, exigindo respostas pragmáticas e efetivas.

*Edilberto Pontes,

Presidente do Tribunal de Contas do Ceará.

Confiança do empresário do comércio recua 1,5% em abril, diz CNC

O Índice de Confiança do Empresário do Comércio (Icec), medido pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), recuou 1,5% na passagem de março para abril. Na comparação com abril do ano passado, no entanto, houve uma alta de 9,4%.

Segundo a CNC, a queda de 1,5% de março para abril ocorreu por causa das expectativas dos empresários em relação ao futuro (-2,3%) e pelas intenções de investimentos (-1,9%). A intenção de contratar funcionários, por exemplo, caiu 4,6%.

Já a confiança no momento presente cresceu 0,4%, principalmente por causa de uma avaliação melhor em relação à situação atual do setor (0,7%).

Na comparação com abril do ano passado, a confiança na situação atual cresceu 16,7%, principalmente por causa da avaliação sobre a economia (24,9%). As expectativas cresceram 6,1% e as intenções de investimento, 7,7%.

Segundo o presidente da CNC, José Roberto Tadros, as vendas do comércio do início do ano apresentaram as maiores taxas de crescimento desde 2014, o que gerou expectativas positivas para 2019.

“No entanto, a perda na força das vendas e o ritmo das medidas que poderiam dar sustentabilidade à retomada do crescimento, como a reforma da Previdência, vêm contribuindo para um cenário de cautela do empresário, o que se reflete na queda do Icec”, disse.

(Agência Brasil)

Produção industrial do País cai 1,3% de fevereiro para março

A produção industrial brasileira recuou 1,3% na passagem de fevereiro para março, segundo dados da Pesquisa Industrial Mensal divulgados hoje (3), no Rio de Janeiro, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). No mês anterior, a indústria havia crescido 0,6%.

Foram registradas quedas em todos os tipos de comparação temporal: em relação a março do ano passado (-6,1%), média móvel trimestral (-0,5%), acumulado do ano (-2,2%) e acumulado de 12 meses (-0,1%).

Dezesseis das 26 atividades industriais pesquisadas tiveram queda na produção na passagem de fevereiro para março, com destaque para os alimentos, que recuaram 4,9%.

Outros setores que influenciaram a queda de 1,3% da indústria em março, na comparação com fevereiro, foram automotores, reboques e carrocerias (-3,2%), coque, produtos derivados do petróleo e biocombustíveis (-2,7%), indústrias extrativas (-1,7%) e outros produtos químicos (-3,3%).

Nove segmentos tiveram alta na produção e evitaram uma queda maior da indústria no período, com destaque para produtos farmoquímicos (4,6%).

Entre as quatro grandes categorias econômicas, apenas os bens de capital, isto é, as máquinas e equipamentos usados no setor produtivo, tiveram alta (0,4%). A maior queda foi observada nos bens intermediários, isto é, os insumos industrializados usados no setor produtivo (-1,5%).

Entre os bens de consumo, houve queda de 1,3% nos bens duráveis e de 1,1% nos bens semi e não duráveis.

(Agência Brasil)

No Ceará, 680 mil declarações do IR 2019 foram entregues

A Superintendência da Receita Federal, no Ceará, fechou números relacionados às declarações do Imposto de Renda 2019.

Segundo o titular do órgão, João Batista Barros, os dados foi dos melhores. “Nós tínhamos uma projeção de receber 645 mil declarações. Acabamos registrando 680 mil declarações”, afirma.

No dia 17 de junho próximo, virá o primeiro de restituição do Imposto de Renda.

(Foto – Arquivo)

Editorial do O POVO – “Declaração dos Direitos de Liberdade Econômica”

Com o título “Declaração dos Direitos de Liberdade Econômica”, eis o Editorial do O POVO desta sexta-feira:

O presidente Jair Bolsonaro surpreendeu a todos, no dia 1º de Maio, ao trocar a tradicional mensagem de saudação aos trabalhadores e o consequente anúncio de medidas específicas para atender suas reivindicações, preferindo anunciar em seu lugar uma Medida Provisória (MP) que trata da Declaração dos Direitos de Liberdade Econômica. Sua finalidade seria a de desburocratizar ao máximo a atividade econômica de baixo risco, favorecendo o empreendedorismo. Ao que parece, é a resposta presidencial ao movimento sindicalista no último Dia do Trabalho, configurado na cobrança da criação de empregos e na defesa de outro modelo de reforma previdenciária, diferente do proposto pelo governo.

Independentemente do contraste de perspectivas, a MP não deixa de atender à reivindicação de um segmento muito dinâmico da economia: o dos pequenos empreendedores. Quem se lança a esse tipo de atividade – por vocação ou por não conseguir uma colocação no mercado de trabalho – tem grandes queixas sobre o labirinto burocrático que tem de atravessar para criar seu próprio negócio. Desse ponto de vista, a MP vem muito a calhar e era reclamada há tempos. Ela facilita a vida de quem intenta desenvolver um meio de autossustento, de baixo risco, tanto no ato de produzir, comercializar, como empregar e gerar renda. Nela está embutida a liberdade que terá o dono da atividade econômica para definir o preço de produtos e de serviços, sem interferência de qualquer autoridade. Também é assegurado tratamento igualitário de órgãos e de entidades da administração pública.

Apesar de positiva, a iniciativa governamental traz um risco para a preservação do meio ambiente, ao deixar inteiramente nas mãos do empreendedor a avaliação sobre a necessidade de recorrer ou não a medidas protetivas ambientais para desenvolver seu negócio. A experiência do Ceará, por exemplo, tem atestado que, às vezes, um pequeno empreendimento pode ter um grande impacto ambiental. Geralmente, o próprio empreendedor não tem conhecimento técnico para fazer essa avaliação. Não é por outra razão que as autoridades cearenses – em âmbito municipal e estadual – apesar de terem já se adiantado nesse terreno, criando instrumentos de desburocratização (Programa Fortaleza Online, em nível municipal; e redução no número de licenças exigidas, de três para um, para atividades de baixo risco, pelo governo estadual), não abrem mão de ter o controle sobre os impactos ambientais.

De fato, seria desastroso deixar isso nas mãos do próprio empreendedor. Uma sociedade democrática, para sobreviver, tem de priorizar o interesse público e regrar tanto o interesse privado como o poder de suas autoridades públicas. Caberia, assim, ao Parlamento corrigir os excessos da MP.

(Editorial do POVO /Foto – Agência Brasil)

Presidente do BNB: “Esse banco não pode desaparecer!”

No primeiro trimestre de 2019, o Banco do Nordeste (BNB) já contratou mais de R$ 11 bilhões em operações de crédito. Somente com recursos do Fundo Constitucional do Nordeste (FNE), o volume de contratações chegou a ser 22% maior que igual período do ano passado. As informações foram apresentadas ontem pelo presidente do BNB, Romildo Rolim, durante a posse do novo superintendente estadual do Ceará, Rodrigo Bourbon Nava de Oliveira, em Fortaleza. Para ele, os resultados do Banco foram decisivos para que o Governo Federal decidisse manter a instituição como estatal.

“Esse banco não pode desaparecer. O governo sabe disso e já está começando a formalizar este dizer, que o Banco do Nordeste tem condições de se perpetuar pelo trabalho que está sendo feito e o nosso compromisso é continuar a fazer nosso trabalho direito, correto e célere”, afirmou Rolim, ressaltando que o aumento das operações, aliado ao enxugamento de gastos administrativos e à busca por mais eficiência fizeram o lucro da instituição triplicar neste ano.

Ele ressaltou que o anúncio feito pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, de que a privatização do BNB não estava em estudo pela pasta, não chegou a ser uma surpresa. “Traz mais tranquilidade, mas já era algo que estávamos escutando nas entrelinhas, e, mesmo dito mesmo para gente em Brasília, não era algo público, mas nunca disseram nada diferente. O discurso para gente sempre foi de tornar o banco mais eficiente, menos despesa, focar no negócio do banco”.

Embora ainda não haja definição se o próprio Romildo permanecerá na presidência do Banco, algumas indicações para outros cargos já começaram a ser feitas pelo Governo Federal. No último dia 25, foram aprovados, durante a 56ª assembleia geral ordinária do BNB, os nomes do procurador da Fazenda Nacional, Ricardo Soriano de Alencar, como representante do Ministério da Economia, no Conselho de Administração; e os de Fabiano de Figueiredo Araújo, André Castro da Silva e de Frederico Schettini Batista (neste caso indicação do Tesouro Nacional) para o Conselho Fiscal. Os mandatos vão até 2021.

Dados do Banco Central indicam que, em 2018, o BNB, mesmo respondendo por apenas 8% das agências, foi líder em financiamentos na sua área de atuação, com 68,8% das operações nos estados em que atua. Para este ano, a meta é ampliar esta participação, explica o superintendente do Ceará, Rodrigo Bourbon.

Na próxima reunião do Conselho Deliberativo da Sudene (Condel), prevista para maio, deve ser votada a inclusão de mais R$ 4 bilhões no orçamento do FNE. Hoje o valor previsto é de R$ 23,7 bilhões.

“O desafio é buscar cada vez mais eficiência, melhorar o crédito para empreendimentos, produtores rurais, aplicar os recursos em sua totalidade. No Ceará, está previsto para este ano, inicialmente, R$ 4 bilhões somente de FNE. Mas a tendência é superar a marca do ano passado, que considerando os recursos totais foi de R$ 8 bilhões, acho que vamos fazer algo de R$ 8,5 bilhões, R$ 9 bilhões”, afirmou Bourbon.

A decisão do Governo de manter o BNB trouxe tranquilidade aos setores. “Vemos isso com muita felicidade, porque o BNB é importantíssimo para a indústria, é um grande catalisador porque consegue oferecer taxas diferenciadas que nos permite competir com as empresas de fora”, afirmou o industrial Ricardo Cavalcante, que assumirá a Federação das Indústrias do Ceará (Fiec) em setembro deste ano.

O vice-presidente da Federação das Câmaras dos Dirigentes Lojistas (FCDL) e da Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL Fortaleza), Honório Pinheiro, corrobora. “É uma ferramenta importante não só para o Nordeste, mas para o Brasil. Não só pelo serviço que presta, mas mas pela qualidade do serviço que presta”.

(O POVO – Repórter Irna Cavalcante/Foto – Mauri Melo)

Ministra Damares quer deixar o governo. Alega problemas de saúde e ameaça de morte, diz Veja

943 7

A ministra Damares Alves, da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, se reuniu, há alguns dias, com o presidente Jair Bolsonaro para discutir seu futuro. Depois de fazer um balanço das atividades da pasta, Damares comunicou que vai deixar o cargo. A informação é da Veja.

Damares alega que está cansada e precisa cuidar da saúde, que anda debilitada.

Desde que assumiu o comando da pasta, há quatro meses, a ministra enfrenta uma rotina estressante — mas com um ingrediente incomum: Damares recebe ameaças de morte. Com isso, ela abandonou sua residência, em Brasília, e passou a morar num hotel, cujo endereço é mantido em segredo.

Por recomendação do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República (GSI), Damares também não costuma antecipar a agenda, circula pela cidade escoltada e um segurança fica postado na entrada de sua sala durante todo o expediente.

Ela desmente

A ministra Damares Alves negou, nesta sexta-feira, que tenha pedido para deixar o Governo.

Em contato com a GauchaZH, via Whatsapp, ela afirmou que “não procede” a informação sobre sua saída, divulgada pela Veja.

(Foto – Agência Brasil)

Prefeitura de Juazeiro do Norte encerra nesta sexta-feira inscrições para concurso público

A Secretaria de Administração de Juazeiro do Norte (Região do Cariri) prorrogou as inscrições para seu concurso público até esta sexta-feira, 3 de maio. A informação é da assessoria de imprensa desse município.

O edital dispõe de 1.815 vagas para admissão imediata e mais 5.489 para cadastro de reserva, totalizando 7.304 vagas. Há vagas para níveis fundamental, médio e superior.

O concurso é o maior em número de vagas já lançados no interior do Estado do Ceará.

SERVIÇO

As inscrições, conteúdo para estudos, quadro de vagas e demais informações estão disponíveis no edital que pode ser acessado por meio do site www.cetrede.com.br.

Fortaleza é sede de encontro dos secretários de Fazenda do Norte e Nordeste

Fortaleza será sede, nesta sexta-feira, a partir das 10h30min, de reunião dos Secretários de Fazenda do Norte e Nordeste. O objetivo é discutir os desafios da gestão fiscal dos estados. A titular da Sefaz do Ceará, Fernanda Pacobahyba será a cicerone do evento.

Na pauta do encontro, que ocorrerá na sede da Sefaz (Centro), temas como Reforma Tributária e medidas adotadas pelas unidades federativas para o equilíbrio das contas públicas.

A programação vai contar também com palestra do secretário especial da Fazenda de Alagoas, Luiz Dias, sobre o programa “Contribuinte Arretado”. A iniciativa foi criada, no início deste ano, pela Receita alagoana para estimular as empresas que adotarem boas práticas de conformidade fiscal.

Haverá também palestra do auditor fiscal e supervisor do Núcleo Setorial de Combustíveis da Sefaz, Joselias Lopes. Ele vai discorrer sobre o mercado de gás natural e as alterações regulatórias. Já o secretário da Fazenda da Bahia, Manoel Vitório, tratará do tema “Plataforma de Antecipação de Recebíveis dos Estados”.

O evento ainda terá um painel sobre a Reforma Tributária com a secretária Fernanda Pacobahyba e os secretários Rafael Fonteles (Sefaz-PI), Décio Padilha (Sefaz-PE) e Josenildo Abrantes (Sefaz-AP).

(Foto – Sefaz)

SUS oferece mais três medicamentos para jovens transplantados do fígado

O Sistema Único de Saúde aumentou o fornecimento de medicamentos utilizados para evitar a rejeição de fígado transplantado em crianças e adolescentes, de 0 a 17 anos.

Conforme o Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas (PCDT), que orienta o cuidado relacionado ao transplante hepático pediátrico, poderão ser prescritos os imunossupressores basiliximabe, everolimo e timoglobulina.

De acordo com nota do Ministério da Saúde, os medicamentos já estavam sendo fornecidos pelo SUS.

Além desses, o SUS disponibiliza outros nove medicamentos o azatioprina, ciclosporina, metilprednisolona, micofenolato de mofetila, micofenolato de sódio, prednisolona, prednisona, sirolimo e o tracolimo.

Transplantes

Dados do Ministério contabilizam que no ano passado foram realizados 239 transplantes de fígado em crianças e adolescentes. Nos dois primeiros meses de 2019, foram realizados 32 transplantes pediátricos. Nove em cada dez casos de transplantes são custeados pelo SUS, que oferece assistência integral e gratuita. Em mais de 90% dos procedimentos, os resultados são positivos

O transplante de fígado é indicado para quem sofre com doenças hepáticas agudas ou crônicas irreversíveis e progressivas. No caso de crianças e adolescentes, as principais indicações de transplante são para casos de obstrução progressiva sem causa definida (atresia de vias biliares) e doenças metabólicas como, por exemplo, excesso de gordura no fígado (esteatose).

(Agência Brasil)

Venda de veículos sobe 12% no primeiro quadrimestre deste ano

A venda de veículos automotores registrou alta de 12,2% nos primeiros quatro meses do ano em comparação a igual período do ano anterior. Segundo dados da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave), divulgados hoje (2), 1.244.151 unidades foram licenciadas de janeiro a abril de 2019, ante 1.108.897 unidades comercializadas no mesmo período do ano passado.

As vendas levam em conta automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus e motocicletas. No mês de abril foram emplacados 339.424 veículos, 11,1% acima do volume registrado no mês de março de 2019, quando 305.524 unidades foram licenciadas. Na comparação com abril de 2018, mês que registrou 311.160 unidades emplacadas, a alta é de 9,08%.

Para o presidente da Fenabrave, Alarico Assumpção Júnior, o desempenho positivo em abril está relacionado a dois dias úteis a mais, com relação ao mês de março, mas também a uma gradual elevação nos índices de confiança do consumidor. “O mercado, como um todo, manteve o ritmo de recuperação. A média diária de vendas cresceu 0,5%”, disse.

Nos segmentos de automóveis e comerciais leves, o resultado do quadrimestre registrou 801.330 unidades emplacadas, representando crescimento de 8,71% em relação a igual período do ano passado, quando foram licenciadas 737.135 unidades. Em abril, esses dois segmentos somaram 221.321 unidades emplacadas, contra 199.528 em março, registrando alta de 10,92%. Na comparação com as 209.940 unidades de abril de 2018, a evolução foi 5,42%.

(Agência Brasil)

Filosofia no Nordeste?

173 1

Com o título “Filosofia  no Nordeste”, eis artigo de Francisco José da Silva, professor de Filosofia da Universidade Federal do Cariri (UFCA). Ele chama o ministro da Educação, Abraham Weintraub de “olavettte” inimigo do marxismo cultural. Confira:

Sai Velez Rodriguez, assume Abraham Weintraub no MEC. O que parecia esperança se revelou decepção. Velez ficou conhecido por suas afirmações bizarras, chegando a afirmar que a universidade “não era para todos, mas para uma elite intelectual”. Ironicamente Velez é discípulo do guru “filósofo” Olavo de Carvalho.

Abraham Weintraub, por sua vez, já conhecido por seu perfil liberalista e ligado ao mercado financeiro, além de olavette inimigo do “marxismo cultural”. Pois bem, a polêmica mais recente do novo ministro está em um vídeo onde ele diz que “no Nordeste não se deveria estudar Filosofia, mas Agronomia”. A frase por si só, além de preconceituosa, revela um desconhecimento e uma visão tacanha do Nordeste.

Para refutar essas ideias, enfatizamos que o Nordeste é um celeiro intelectual do Brasil, tanto na Filosofia, quanto na Sociologia, ambas desprezadas pelo atual ministro “da Educação”, seguidor daquele guru. Lembremos ainda que um dos movimentos mais importantes na formação intelectual brasileira foi a Escola do Recife (século XIX), onde se formaram Clóvis Bevilácqua, Capistrano de Abreu, Tobias Barreto e Farias Brito. O filósofo cearense Raimundo Farias Brito (1862-1917), considerado um dos maiores pensadores brasileiros, elaborou uma obra cuja pretensão era debater com os principais sistemas de pensamento moderno. Sua obra “Finalidade do Mundo” pretendia estabelecer uma filosofia naturalista monista e finalista. Farias Brito já denunciava no prefácio desta obra o descaso em relação à Filosofia, praticado pelos próprios fundadores da República (positivistas como o filósofo Auguste Comte, defensor do esclarecimento e da ciência), mas que no final das contas retiraram a Filosofia dos bancos escolares de então. Verdadeiro atraso nas palavras do filósofo cearense.

O populismo em que vivemos se apresenta com ares de esclarecimento e desenvolvimento, mas no fundo carrega os velhos ressentimentos, o irracionalismo e a misologia que coloca em risco os maiores ganhos da democracia, a liberdade de pensamento e a pluralidade de ideias.

*Francisco José da Silva,

Professor de Filosofia da Universidade Federal do Cariri (UFCA).

(Foto – Divulgação)

TRT do Ceará promove Congresso Internacional sobre Trabalho no Brasil e no Mundo

Desembargador federal Paulo Régis e a desembargadora federal Roseli Alencar.

Vem aí o Congresso Internacional “A Justiça do Trabalho no Brasil e no Mundo”. O evento, uma realização da Escola Judicial do Tribunal Regional do Trabalho, acontecerá nos dias 13 e 14 de junho, no auditório da Assembleia Legislativa.

O Congresso, gratuito e aberto ao público, reunirá especialistas nacionais e estrangeiros, que abordarão as estruturas e modelos de resolução de conflitos trabalhistas de vários países como Brasil, Chile, China, Alemanha, Japão, Malaui, Espanha e Estados Unidos, apresentando as particularidades de cada sociedade e possibilitando comparação com o quadro nacional.

SERVIÇO

*O número de vagas é limitado e as inscrições devem ser feitas aqui.

*Idiomas – Português, Inglês e Espanhol (tradução simultânea)

*Mais Informações – (85) 3388-9339 / escolajudicial@trt7.jus.br

(Foto – Paulo Moska)

Balança comercial brasileira registra superávit de R$ 6,061 bilhões em abril

A queda das importações fez a balança comercial registrar o segundo melhor resultado da história para meses de abril. No mês passado, o país exportou US$ 6,061 bilhões a mais do que importou em março, alta de 2,3% em relação ao resultado positivo de US$ 5,922 bilhões de abril de 2018.

Esse foi o segundo melhor resultado da série histórica para o mês, só perdendo para abril de 2017 (US$ 6,963 bilhões). Com o resultado de abril, a balança comercial – diferença entre exportações e importações – acumula superávit de US$ 16,576 bilhões nos quatro primeiros meses de 2019, valor 8,7% inferior ao do mesmo período do ano passado.

No mês passado, as exportações somaram US$ 19,689 bilhões, com leve queda de 0,1% em relação a abril de 2018 pelo critério da média diária. As vendas de manufaturados cresceram apenas 0,8% na mesma comparação, com destaque para tubos flexíveis de ferro ou aço (R$ 0 para R$ 148 milhões), máquinas e aparelhos agrícolas (208,3%), partes de motores e turbinas para aviação (116,9%) e torneiras, válvulas e partes (99,7%).

As exportações de produtos básicos subiram 2,1% em relação ao mesmo mês do ano passado, com destaque para algodão bruto (145,2%), carne suína (51,4%) e carne bovina (48,1%). As vendas de semimanufaturados aumentaram 7,1%, puxadas pela alta nas exportações de açúcar bruto (25,8%), celulose (25,2%) e ferro-ligas (23,7%). Apenas as operações especiais, como consumo dentro de portos, registraram queda, puxando para baixo o desempenho das exportações.

O principal fator responsável pela queda do saldo comercial, no entanto, foram as importações, que somaram US$ 13,628 bilhões, com retração de 1,2% em relação a abril do ano passado pelo critério da média diária. As compras de bens de capital (máquinas e equipamentos usados na produção) caíram 10%.

As importações de bens de consumo caíram 6,6%. As compras de bens intermediários recuaram 0,2%. Apenas a importação de combustíveis e lubrificantes aumentaram 10,4% na mesma comparação, decorrente principalmente da valorização do petróleo no mercado internacional.

Depois de o saldo da balança comercial ter encerrado 2018 em US$ 58,959 bilhões, o segundo maior resultado positivo da história, o mercado estima um superávit menor em 2019 motivado principalmente pela recuperação da economia, que reativa o consumo e as importações.

Segundo o boletim Focus, pesquisa semanal com instituições financeiras divulgada pelo Banco Central, os analistas de mercado preveem superávit de US$ 50 bilhões para este ano. O Ministério da Economia projeta superávit de US$ 50,1 bilhões para o saldo da balança comercial em 2019.

(Agência Brasil)

Parlamentares terão aulas na “Escolinha da Nova Previdência”

A líder do governo no Congresso, deputada Joice Hasselmann (PSL-SP), informou hoje (2), em Brasília, que, a partir da próxima terça-feira (7), técnicos do Ministério da Economia vão tirar dúvidas de parlamentares sobre a proposta de emenda à Constituição (PEC 6/19) da reforma da Previdência enviada pelo governo federal ao Legislativo.

Segundo ela, esse “gabinete de inteligência” da Previdência será montado em uma sala da liderança do governo no Congresso e vai funcionar principalmente às terças, quartas e quintas-feiras. “O grupo do Ministério da Economia vai dar informações aos parlamentares tirando qualquer dúvida que possa haver em relação ao texto, inclusive por região. Queremos dar segurança para o parlamentar explicar para seu eleitor por que a nova Previdência é tão importante”, afirmou Joice.

A líder também informou que será produzido conteúdo de comunicação sobre a reforma da Previdência para que os parlamentares possam divulgá-lo em suas redes sociais.

Após reunião com Joice Hasselmann na Câmara dos Deputados, o secretário especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Rogério Marinho, disse hoje que a equipe econômica tem sido demandada a ter “aproximação mais estreita” com o Congresso devido à complexidade do tema da Previdência.

“Achamos de bom tom e extremamente pertinente essa demanda e viemos conversar de que forma isso se dará. Esse suporte será dado de forma mais estreita [na liderança do Congresso]”, afirmou Marinho.

Na próxima terça-feira (7), a comissão especial da Câmara que analisará o mérito da reforma da Previdência terá sua primeira reunião ordinária.

Segundo o presidente do colegiado, deputado Marcelo Ramos (PR-AM), estão previstas 11 audiências públicas em maio para ouvir a equipe econômica e representantes de associações corporativas e da sociedade civil.

(Agência Brasil)

Show “Nós do Rock Rural” é atração no Teatro Via Sul

Fortaleza recebe nesta sexta-feira, 3, no Teatro Via Sul, o show “Nós do Rock Rural”. No palco, grandes nomes, de diferentes gerações, que transitam do folk ao rock: Ricardo Vignini, Zé Geraldo, Tuia e Guarabyra.

O show promete fazer o cearense cantar e aplaudir canções imortalizadas da MPB, entre elas Casa no Campo, Rua Ramalhete, Sobradinho, Espanhola, O Céu e Pote Azul.

SERVIÇO

*Ingressos – Venda na bilheteria do teatro ou pelo site Ingresso Rápido (https://compre.ingressorapido.com.br).

*Os preços cheios variam de R$ 30 a R$ 90.

(Foto – Divulgação)

Dia das Mães – CNC estima crescimento de 3,5% nas vendas

O Dia das Mães, considerado pelo varejo nacional o Natal do primeiro semestre, deve registrar aumento real, descontada a inflação, de 3,8% no volume de vendas, em comparação a 2018, o que significa movimentação financeira da ordem de R$ 9,7 bilhões. A estimativa foi divulgada hoje (2), no Rio de Janeiro, pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

O economista-chefe da CNC, Fabio Bentes, destacou que esse é o terceiro ano consecutivo de alta do faturamento do varejo brasileiro no Dia das Mães. “Desde que a crise [econômica] acabou, em 2016 e início de 2017, as vendas para o Dia das Mães vêm crescendo. É uma data importante para o comércio; é o Natal do primeiro semestre”.

Fabio Bentes disse que, como se trata de uma data grande, acaba movimentando também um pouco a demanda por trabalhadores. “Como a expectativa de vendas é de alta, a contratação tende a crescer um pouco mais que no ano passado”.

A CNC espera a contratação de 22,1 mil trabalhadores temporários no varejo do Brasil todo. No Dia das Mães de 2018, foram abertas 21 mil vagas. O salário médio de admissão deve ficar em cerca de R$ 1.262, ou 4% acima do valor médio pago na mesma data comemorativa do ano passado.

Efetivação

Já a taxa de efetivação, segundo Fabio Bentes, deverá ser baixa. “Historicamente, o varejo costuma efetivar entre 5% a 6% dos trabalhadores temporários depois do Dia das Mães. Este ano, esse percentual não deve chegar a 5%”. O motivo ainda é o elevado grau de incerteza em relação ao consumo no restante do ano, principalmente em razão do mercado de trabalho, “que é quem dá o ritmo do consumo, o ritmo das vendas no varejo”.

Segundo o economista-chefe da CNC, o dólar não ajudou as vendas do comércio para o Dia das Mães. Comparando com igual período do ano passado, a moeda norte-americana ficou 7% mais cara. Em uma situação de maior sustentabilidade e crescimento mais forte da economia, o varejo conseguiria passar essa alta do dólar para os preços, disse Bentes. Como a economia ainda está fraca, os comerciantes terão dificuldades de repassar este ano.

Levantamento efetuado pela CNC desde 2015, no começo da crise, até abril de 2019, apurou que em todos os anos o preço de uma cesta média de bens e serviços tem crescido menos do que a inflação medida pelo Índice de Preços do Consumidor Amplo (IPCA-15), que é um reflexo dessa fragilidade da recuperação do consumo. “Não tem espaço para o varejo repassar a alta aos preços do Dia das Mães”. Enquanto a inflação acumulada em 12 meses encerrados em abril de 2019 subiu 3,9%, os itens do Dia das Mães evoluíram 3,5%.

(Agência Brasil)

Bolsonaro grava para o Programa Sílvio Santos. Hora de apregoar a Nova Previdência

554 5

O presidente Jair Bolsonaro gravou, em São Paulo, nesta quinta-feira, participação no Programa Sílvio Santos, do SBT.

No programa, que vai ao ar domingo que vem, ele defende a Nova Previdência.

De lá, o presidente embarcou para Balneário Camboriú (SC), onde participará, às 19 horas, da abertura do 37º Encontro Internacional de Missões dos Gideões, evento da Assembleia de Deus. Ele retorna a Brasília ainda nesta quinta-feira.

Mais cedo, o presidente esteve no Planalto para reuniões com os ministros do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, e, depois, da Controladoria-Geral da União, Wagner Rosário.

(Com, Agências/Foto – Reprodução de Twitter)