Blog do Eliomar

Categorias para Ceará

Cripta da Catedral de Fortaleza passa por reforma

O subsolo da Catedral Metropolitana de Fortaleza, onde fica a cripta, está passando por reformas. A área, do tamanho do templo superior, ganhará ar-condicionado, banheiros e espaço para grandes eventos.

A informação é do padre Clairton Alexandrino, adiantando que a Catedral está aberta a receber doações. Principalmente do empresariado.

(Foto – Mauri Melo)

Associação Comercial do Ceará recebe ex-presidente da CDL Fortaleza

O empresário Severino Ramalho Neto, um dos controladores dos Mercadihos São Luiz, vai dar palestra nesta terça-feira, às 8h30min, na Associação Comercial do Ceará.

Dentro do projeto Coletiva Empresarial, da ACC, ele falará, em clima de café, sobre sua experiência à frente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Fortaleza.

Com direito também a expor sua opinião acerca da conjuntura econômica e política do País.

(Foto – CDL Fortaleza)

Câmara homenageia os 75 anos da Caixa de Assistência dos Advogados do Ceará

Erinaldo Dantas, presidente da CAACE, comandará o ato.

A Câmara Municipal de Fortaleza realizará sessão solene em homenagem aos 75 anos de fundação da Caixa de Assistência dos Advogados do Ceará (CAACE). A solenidade, que ocorrerá às 15 horas desta terça-feira, 26, é uma iniciativa do vereador Iraguassu Filho (PDT).

Na ocasião serão homenageados os ex-diretores da CAACE Christianna Gondim Soares, Francisco Ximenes de Albuquerque, Hélio Winston e Renan Martins Viana, por relevantes serviços prestados à advocacia cearense.

(Foto – Divulgação)

Câmara Municipal vai lembrar o Dia do Orgulho LGBTI

A vereadora Larissa Gaspar (PPL) promoverá uma audiência pública, a partir das 14h30min da próxima quinta-feira, na Câmara Municipal. A data coincide com o Dia do Orgulho LGBTI.

Presidenta da Comissão de Direitos Humanos e da Frente Parlamentar em Defesa da Cidadania LGBTI+ na Câmara, Larissa é autora da Lei nº 10.709/2018, que criou o Dia Municipal de Combate à Transfobia, em memória de Dandara dos Santos, travesti assassinada ano passado no Bom Jardim.

Em maio, a Câmara Municipal de Fortaleza aprovou a Indicação nº 129/2018, também de Larissa Gaspar, que cria o Monumento Municipal de Tolerância e Respeito à população LGBTI+. Agora tramita na Câmara o Projeto de Lei 516/2017 da vereadora, que declara a Parada Pela Diversidade Sexual do Ceará patrimônio cultural imaterial de Fortaleza.

(Foto – Divulgação)

Bloqueadores não interrompem rede de dados e não resolverão criminalidade no Ceará?

Com o título “Bloqueadores não interrompem rede de dados e não resolverão criminalidade no Ceará”, eis a Coluna do jornalista Thiago Paiva, no O POVO desta segunda-feira. Confira:

Por óbvio, a instalação de aparelhos bloqueadores de sinal de celular nos presídios do Ceará não resolveria o problema da criminalidade no Estado, que tem raízes muito mais profundas. O que ainda não foi dito sobre essa temática, porém, é que o sistema também não cumpriria aquilo que dele se espera: acabar com o alto poder de comunicação dos internos do sistema prisional cearense.

Isso por conta de um detalhe importante e desconhecido pela opinião pública: os equipamentos não bloqueiam as redes de dados. Significa dizer, na prática, que os presos não conseguiriam efetuar chamadas convencionais de seus aparelhos, mas as ligações por meio de aplicativos de rede social, como o WhatsApp, utilizando a internet, estariam “liberadas”.

As informações são do secretário da Justiça e da Cidadania (Sejuc) do Rio Grande do Norte, Luís Mauro de Albuquerque, 49. “O ruim do bloqueador é que ele tem uma falha: os dados você consegue transmitir. E eu desconheço que exista tecnologia para bloquear dados, no Brasil ou fora dele”, disse Mauro, em conversa com a coluna.

“O ruim do bloqueador é que ele tem uma falha: os dados você consegue transmitir. E eu desconheço que exista tecnologia para bloquear dados”

Agente de custódia da Polícia Civil do Distrito Federal, o secretário assumiu o sistema prisional potiguar após a crise de janeiro de 2017, quando 26 presos foram mortos, durante rebelião, no presídio de Alcaçuz, na cidade de Nísia Floresta. À época, a Sejuc já utilizava bloqueadores em suas penitenciárias.

Os equipamentos foram adquiridos sem custo de instalação. Apenas o aluguel mensal das máquinas é cobrado: em grandes unidades, aproximadamente, R$ 60 mil. Nas cadeias públicas, menores, R$ 30 mil. O bloqueio é feito por quadrante, com o uso de antenas, afetando somente a unidade prisional. Sinais de rádio de comunicação também têm o sinal suprimido, mas a rede wi-fi continua operante.

Entretanto, em Alcaçuz, os bloqueadores, destruídos durante a rebelião, jamais foram reparados. Mesmo assim, segundo Mauro, nunca mais foram encontrados celulares no interior do prédio. A repressão à comunicação irregular dos detentos é feita por outros métodos, chamados de “procedimentos de rotina”. “Revista e controle total da unidade. O agente está sempre lá dentro. Se o preso sai para o banho de sol, é revistado. Quando volta, é revistado. Sai da cela, é revistado. Volta para a cela, é revistado. Enquanto está no pátio, no banho de sol, a cela também é revistada”, explica.

Mauro diz que a comprovação da inexistência de aparelhos no prédio é feita eletronicamente, com uso de aparelho específico, capaz de localizar os celulares dentro das celas. Nesse cenário, considera a confiança nos agentes um fator determinante. “Não adianta ter aparelhos de Raios-X se quem vê é cego”, prega. Os procedimentos também permitiram que não fosse necessário separar membros de facção por presídio. “Aqui, tenho duas facções dentro da mesma unidade. Muitas vezes sou criticado por isso. Acham arriscado, mas temos controle total, durante 24 horas, e separamos por alas. Não dou espaço para o preso. O espaço que ele ocupa é do Estado e ele vai para onde o Estado determinar”, defende.

Contudo, apesar das falhas, Mauro recomenda a instalação de bloqueadores nos presídios cearenses, como forma de “enfrentamento à dinâmica de atuação do crime dito organizado”. O secretário conhece o cenário do Ceará, pois coordenou a Força de Intervenção Penitenciária Integrada (Fipi), do Ministério da Justiça, que atuou no Estado, em maio de 2016, após a greve dos agentes penitenciários, quando 14 detentos morreram.

“Os bloqueadores descapitalizam as facções no sistema, que funciona como um cofre para os líderes, que têm um exército de escravos explorados. Ele funciona como uma pirâmide: quem está em cima se dá bem, quem está embaixo é explorado”, diz. Cita ainda os golpes aplicados por ligação telefônica convencional como justificativa. Mauro aponta, porém, alternativas mais efetivas para cessar ou reduzir a comunicação dos presos. Para além dos procedimentos e uso de equipamentos eletrônicos já mencionados, propõe uma parceria com as operadoras de telefonia.

“Elas poderiam indicar os números que operam ali, na área dos presídios. Nós daríamos um cadastro verde para elas, com os telefones dos agentes e servidores que estão no local, e ela nos dariam um cadastro vermelho, com a localização dos celulares que seriam dos presos, para a gente ir atrás”, propõe.

O secretário conclui que a medida anularia até mesmo a necessidade de uso dos bloqueadores. “Seria bem mais eficiente, já que os bloqueadores não funcionam com a rede de dados. E se eu soubesse onde os celulares estão, iria só buscar na cela. Bloquear tem um custo. Já essa tecnologia (da localização) existe, não é física e a empresa não teria custo algum. E como se trata de uma área de segurança, não teria o problema da quebra de sigilo ou ilicitude”, encerra.

Presidente do TRF-5 inaugura novas instalações da Justiça Federal em Sobral

O presidente do Tribunal Regional Federal, da 5ª Região, com sede no Recife, desembargador federal Manoel Einhardt, cumprirá agenda no Ceará.

Na quinta-feira, ele vai inaugurar, às 16 horas, as novas instalações da 31ª Vara da Justiça Federal, em Sobral (Zona Norte). No ato, as presenças do governador Camilo Santana (PT) e do prefeito desse município, Ivo Gomes (PDT), além de outros gestores da região e da cúpula da Justiça Federal no Estado.

(Foto – Arthir Souza, da Folha de Pernambuco)

Caso Gisele Távora – Conselho de Defesa do Policial em Serviço dará coletiva

O Conselho de Defesa do Policial em Serviço, da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social PDS, dará coletiva nesta terça-feira, às 16h30min, no Hotel Meridional (Centro). Tratará sobre o caso da pedagoga Gisele Távora, que morreu durante uma perseguição policial.

O presidente do Conselho, advogado Ricardo Valente Filho, juntamente com os membros efetivos, Artur Feitosa, Túlio Magno e Otávio Medeiros, estará presente nessa coletiva. Ele diz que o objetivo é passar informações sobre o caso. Ele promete dar novas informações sobre a versão dos policiais envolvidos.

SERVIÇO

*Hotel Meridional – Avenida Dom Manuel , 660.

(Foto -Facebook)

ZEIS do Bom Jardim em processo para escolha do Conselho Gestor

A Zona Especial de Interesse Social (ZEIS) do bairro Bom Jardim promove, nesta semana, a escolha, em assembleia popular, da comissão que organizará o processo para eleger o seu Conselho Gestor. O processo está amparado pelo decreto 14.211, de 21 de maio deste ano.

Os moradores acima de 16 anos, com residência entre as ruas Nova Conquista, Coronel Virgílio Nogueira, José Maurício e Avenida Osório de Paiva (poligonal da ZEIS), poderão comparecer, às 17 horas, a uma das três escolas onde se realizarão as assembleias: segunda (25) na Escola Santo Amaro, terça (26) na Escola Herbert de Souza e quinta (28), na Escola Senador Osires Pontes. Basta participar da assembleia da escola mais próxima à sua casa.

Ao final, terão sido eleitos três moradores e uma organização social, entidade acadêmica ou movimento popular para compor a Comissão Eleitoral ao lado do Iplanfor, Coordenadoria Especial de Participação Social (CEPS) e Regional V.

Após aprovar o Plano Popular da ZEIS Bom Jardim no último sábado, a Rede DLIS do Grande Bom Jardim decidiu pleitear uma vaga na Comissão Eleitoral na condição de movimento popular.

Outras 9 ZEIS estão também realizando suas assembleias para compor as respectivas Comissões Eleitorais. São elas: Dionísio Torres (Vila Vicentina), Lagamar, Moura Brasil, Mucuripe, Pici, Pirambu, Poço da Draga, Praia do Futuro e Serviluz.

Locais das Assembleias para eleição da comissão eleitoral da ZEIS Bom Jardim

25/06 – 17 horas: Escola Santo Amaro – Rua Nova Conquista, 871.
26/06 – 17 horas: Escola Herbert de Souza – Rua Urucutuba, 1599.
28/06 – 17 horas: Escola Senador Osires Pontes – Rua Divina, 150.

SERVIÇO

*Mais informações: CDVHS – 34972162; IPLANFOR – 31051343.

(Foto – Divulgação)

Crise do Brasil – Falta de educação ou de formação dos políticos?

Com o título “Falta de educação ou de formação dos políticos”, eis artigo do professor universitário Pedro Henrique Antero. Para ele, a crise do País é também fruto do despreparo da classe política. Confira:

A crise brasileira é a crise da educação ou da ausência de formação das pessoas. Políticos despreparados ou mal formados em suas famílias têm assumido o poder do País e transformado a nossa organização política num espaço para a realização dos seus negócios e de suas ambições.

A vontade de permanecer no poder por tempo indeterminado, utilizando uma aparência de democracia, tem sido uma das características dos dirigentes da nova república. FHC, em conluio com o Parlamento, criou o instituto da reeleição presidencial. Lula, com dinheiro no bolso, apontou um “poste” para sua sucessão.

PSDB e PT nasceram da mesma cepa e sempre se posicionaram à esquerda do espectro político. Dividem-se hoje pelas divergências acerca do comando do País, mas também pela evolução ideológica ocorrida no seio dos sociais democratas brasileiros. O MDB, por seu lado, tem origens e costumes historicamente corrompidos, pois é oriundo de políticos que fizeram parte do fracassado governo de João Goulart. Assim, o MDB já havia traçado, desde sua fundação, sua estrada de futuro. Ulisses, Tancredo e outros sempre adotaram na política uma postura de concessões fáceis àqueles que não tinham escrúpulo em relação ao dinheiro público.

A crise moral brasileira se abateu com força incomparável nos últimos doze anos de governo. Estamos mergulhados, portanto, numa crise marcada pela falta da educação ou da formação dos dirigentes e pela absoluta ausência de paradigmas morais e éticos dos membros dos principais partidos da República.

Outubro já se aproxima e os candidatos à presidência não empolgaram a população até o momento. Lula, por incrível que pareça, é o líder das pesquisas e luta para ser libertado da prisão.

Escolarizar é preciso. Dar formação moral e religiosa a todos é ainda mais importante.

*Pedro Henrique Antero,

phantero@gmail.com

Cientista Político e professor universitário. 

Camilo entrega viaturas da PM para municípios da Região dos Inhamuns

Camilo, Audic Mota e lideranças de Parambu

O deputado Audic Mota, primeiro-secretário da Assembleia Legislativa, participou com o governador Camilo Santana, nesta segunda-feira, 25, do ato de entrega das novas viaturas da Polícia Militar destinadas aos municípios da Região dos Inhamuns. O ato ocorreu em Fortaleza, na Lagoa da Parangaba, sendo prestigiado por lideranças de Parambu como o Padre Márcio e os vereadores  Neto e Erasmo.

Cada unidade policial da Região dos Inhamuns receberá os novos veículos na próxima semana, de acordo com o Comando do 13º Batalhão de Polícia Militar.

As viaturas são resultado de requisição articulada pelo deputado Audic Mota junto ao governador Camilo Santana. Serão atendidos Tauá, Parambu, Arneiroz, Aiuaba, Catarina e Quiterianópolis. Os veículos são do modelo Jeep Renegade, movidos a óleo diesel.

(Foto – Divulgação)

Prefeito vai entregar mais uma escola de tempo integral

O prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio (PDT), vai inaugurar, às 18 horas desta segunda-feira, a Escola de Tempo Integral (ETI) Professora Hildete Brasil de Sá Cavalcante, no bairro Mondubim (Regional V). Esta é a 23ª ETI entregue à população fortalezense. A unidade atenderá a cerca de 450 alunos, do 6º ao 9º ano, informa a assessoria de imprensa do Paço Municipal.

O equipamento teve investimento total de R$ 8.767.993,63, oriundos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) e do Tesouro Municipal, e possui área total de 4.800 m², sendo 3.906,08 m² de área construída.

A unidade dispõe de 12 salas de aulas temáticas, incluindo os eixos Projeto de Vida e Protagonismo, além de laboratório de Química/Biologia, laboratório de Física/Matemática e dois laboratórios de Informática. Conta, ainda, com biblioteca, cozinha, refeitório, auditório, diretoria, secretaria, coordenação pedagógica e coordenação de área, sala do professor diretor de turma, sala dos professores, pátio com projeto paisagístico, ginásio (com quadra poliesportiva coberta, arquibancadas e alambrados), vestiários e depósitos.

(Foto – Aurélio Alves, do O POVO)

Agência do Banco do Brasil da avenida Bezerra de Menezes é alvo de furto

A agência do Banco do Brasil, situada na Avenida Bezerra de Menezes (Bairro São Gerardo), em Fortaleza, foi alvo de furto na madrugada desta segunda-feira. A Polícia ainda não informou sobre o valor levado pelo grupo.

Na ação, eles arrombaram a porta principal da agência e tiveram acesso ao cofre. Até agora, ninguém foi preso.

Pelas estatísticas do Sindicato dos Bancários do Ceará, este é o 25º ataque a bancos neste ano.

 

Ex-secretário-adjunto da Segurança crítica política de segurança do Governo Camilo Santana

Evento em que o Governo entrega mais um Batalhão do Raio no Interior.

Ex-secretário-adjunto da Segurança Pública, Laerte Macambira se diz “preocupado” com tanta expansão de Batalhões do Raio no Estado. Esse projeto nasceu na gestão Lúcio Alcântara, da qual fez parte.

Para Laerte Macambira, há queima de etapas, quando o fundamental seria investir pesado na área de Inteligência. Ele vê certo açodamento também na convocação maciça de policiais militares.

(Foto – Divulgação)

UFC está com verbas para investimento retidas em Brasília

Da Coluna do Eliomar de Lima, no O POVO desta segunda-feira:

A Universidade Federal do Ceará vive uma situação complicada neste fim de semestre. Segundo o vice-reitor Custódio Almeida, só tem dinheiro para custeio – e olhe lá, e a verba destinada para investimentos ficou presa na burocracia federal e o que sai exige a presença de representante da instituição no Ministério da Educação.

Foi estipulado o valor de R$ 30 milhões nessa rubrica, montante destinado a projetos que a Instituição vem tocando. Com a crise e ajustes das contas da União, veio contingenciamento e, como resultado, surgiu um canteiro de obras paradas na UFC.

Nessa lista, a reforma da residência do Benfica, Parque Olímpico da Educação Física no Campus do Pici, expansões no Campus de Sobral e o prédio do Centro de Letras-Libras.

Custódio diz que, para agravar o quadro, ainda há a legislação eleitoral batendo à porte e que pode barrar as liberações.

(Foto – Evilázio Bezerra)

Fiocruz do Ceará será inaugurada nesta terça-feira

Com a presença de Nísia Trindade Lima, presidente da Fundação Oswaldo Cruz, o governador Camilo Santana e o prefeito do Eusébio, Acilon Gonçalves, vão inaugurar, às 9 horas desta terça-feira, a unidade da Fiocruz Ceará.

O Polo Industrial e Tecnológico da Saúde, localizado no município do Eusébio (Região Metropolitana de Fortaleza, foi resultado de um investimento total da ordem de R$ 170 milhões. A área ocupada é de aproximadamente 73 hectares.

“A Fiocruz vai ser a âncora do Polo Industrial e Tecnológico da Saúde do Ceará, com laboratórios, área de capacitação, estrutura bonita. É uma das instituições de pesquisa na área da saúde mais conceituadas. O Ceará dá um passo importante com a instalação dessa fundação”, destaca o governador Camilo Santana.

No projeto, há também espaços para uma futura fábrica de vacinas.

(Foto – Divulgação)

Fortaleza será a cidade mais beneficiada com novo modelo de exploração do pré-sal

Um projeto de lei que concede permissão para a Petrobras vender parte dos direitos de exploração de petróleo do pré-sal, na área cedida onerosamente pela União, foi aprovado na Câmara dos Deputados e favorecerá mais Fortaleza dentre todos os municípios do País. Isso porque, pelas regras, a cota-parte destinada às cidades, provenientes dos royalties do petróleo e do fundo especial do pré-sal, vão para o Fundo de Participação dos Municípios (FPM) para serem divididos por todos, mas levam em conta a população e a região.

Localizada no Nordeste e com quase 3 milhões de habitantes, a Capital do Ceará passará de R$ 560 milhões para R$ 2,9 bilhões no FPM. Considerando todas as prefeituras, o montante do fundo irá de R$ 65,1 bilhões para R$ 341,7 bilhões. As cidades terão salto estimado em 525% na receita. Os dados são de pesquisa da Confederação Nacional de Municípios (CNM) e foram divulgados pelo jornal Valor Econômico.

Salvador, cidade do autor do projeto, o deputado José Carlos Aleluia (DEM), será a segunda maior beneficiada no aumento do FPM, passando de R$ 504 milhões para R$ 2,6 bilhões. Recife, a capital do estado do relator do PL, o deputado e ex-ministro de Minas e Energia. Fernando Filho (DEM), que negociou a alteração para a partilha, e Manaus vêm em seguida, partindo de R$ 353 milhões para R$ 1,8 bilhão.

A votação do PL, aprovado na última quarta-feira, 20, mexeu com os parlamentares e com o movimento municipalista nacional para garantir que o texto deliberado não causasse impacto negativo na cota-parte dos recursos destinados aos municípios, provenientes dos royalties do petróleo e do fundo especial do pré-sal.

Porém, a votação está pendente da análise de três emendas na Câmara, que não mudarão o modelo de exploração e têm poucas chances de serem aprovadas. Na quarta-feira passada, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), não finalizou os trâmites. A matéria, que ainda tem de passar pelo Senado, ficou para análise nesta semana.

O Projeto de Lei (PL) 8.939/2017 permite a Petrobras repassar até 70% dos direitos na cessão onerosa, de 5 bilhões de barris para até 15 bilhões de barris, a outras empresas, contanto que mantenha 30%.

Para a CNM, estender o montante da cessão onerosa fixado para até 15 bilhões de barris causaria impacto direto nos repasses estaduais e municipais. Além de representar mais uma desoneração e prejuízo, em comparação com o regime de partilha. Substitutivo apresentado manteve o montante de barris fixados para cessão onerosa, e o excedente contratado por regime de partilha.

O presidente da Confederação Nacional de Municípios (CNM), Glademir Aroldi, defende que o regime de partilha é mais benéfico aos governos estaduais e municipais, que recebem os royalties pelos Fundos de Participação dos Estados e Municípios (FPE e FMP). Para ele, se é propriedade da União, então os royalties devem ser distribuídos para todos.

(O POVO – Foto – Divulgação)

Festival Vida & Arte – O sucesso com tudo junto e misturado

Tudo acontecendo e se misturando ao mesmo tempo, em um espaço comum – no Centro de Eventos do Ceará: mil e uma vozes, cantos, pensamentos, expressões, preces, cores, pessoas, ancestrais, convivências, conexões, descobertas. Mais do que a junção de vida e arte, o “maior evento multicultural do Brasil”, como se fez anunciar, desenhou um mundo possível e escreveu um princípio de futuro. Em par com os 90 anos do O POVO, o Festival Vida&Arte, realizado entre os dias 21 e 24 de junho e promovido pela Fundação Demócrito Rocha, trouxe “o bom, o belo, a alegria, a esperança”, como desejou a curadoria, convidando à paz e ao conhecimento (de si, do outro, do redor). E retribuiu, à Cidade e às gentes, as graças que o jornal recebeu.

“O que me trouxe aqui é que eu sabia que ia encontrar os amigos, abraçar, sentir alegria, dançar e equilibrar minhas energias no espaço da espiritualidade”, extraía Lucy Lopes, 57 anos, bancária durante 33 anos e professora de yoga. Atravessando o rio Jaguaribe (um dos espaços cenográficos do Festival), para aportar no palco Belchior (de shows regionais e nacionais), Lucy encantava-se com os caminhos abertos “para o povo se encontrar… Saio daqui feliz”, transmitia.

E eram os índios, os heróis, os maracatus, os sagrados, os femininos, os batuques, os mantras, o lírico, o cordel, a cantoria, a sanfona, o samba, o circo, o teatro, a dança, os quadrinhos, o cinema, o pop, o jornalismo, a literatura, as cores, as costuras, os diversos… Eram os abraços. O professor Sahmaroni Rodrigues, 37 anos, elogiava “o diálogo com todos os públicos”, que a programação do Festival Vida&Arte abarcava. Ele veio pela oportunidade das práticas holísticas em grupo: “A energia do grupo movimenta a mim, o indivíduo”. E voltaria para os dias repleto de vivências, completava-se: “Durante muito tempo, me senti só. Percebendo que tem muita gente que se interessa pela espiritualidade e se conectou comigo, esse diálogo fica”.

A espiritualidade, “a questão da libertação dos traumas”, como selecionou a estudante Valéria Lourenço, 20 anos, atraiu ainda as amigas Daiana Maria, 21 anos, e Mariana Rocha, 21 anos. “Mas eu vim também por causa do Bráulio (Bessa, poeta popular cearense) e da banda Las Tropicanas (com Lorena Nunes, Di Ferreira e Pepita York no comando)”, junta Daiana. “O Festival serviu para aumentar a aceitação da diversidade”, credita Mariana. Em todos os sentidos e do presente ao futuro.

“A gente se multiplica e mais lugares alcançamos”, demarcou a cantora paulista Liniker, em entrevista aberta durante o Festival, diante das questões de gênero. Mas ela sabe (sente) que, assim no próximo disco como na vida, “talvez ainda precise falar sobre amor, sobre afeto, sobre relação”.

A propósito, dizer, ouvir, olhar, sentir, transformar foram alguns dos verbos que conjugaram o Festival Vida&Arte. “Mulheres, a gente viveu a vida toda sem o direito de se expressar. A liberdade de expressão é nossa!”, a voz de Elza Soares reverbera pelos milênios. “Desde criança, venho buscando jeito de gritar, de pedir socorro”, falou a um público que se encontrava com as dores e os amores de Elza (de tantos) no palco Rachel de Queiroz.

Maria Flor, sete anos, pintada de borboleta em uma das atividades infantis, concorda com Elza Soares: “Como colorir o mundo? Essa é uma pergunta muito difícil!”. Enquanto resolvia se fazia, do mundo, um jardim ou uma borboleta, ela respondida sobre uma descoberta que podia mudar todas as coisas: “A coisa mais legal que eu vi aqui? Foi a pessoa pintando outra”, sorri.

O Festival Vida&Arte foi sobre tudo isso; das pessoas aos lugares, passando pelos tempos. De repente, uma saudade e um samba, e a vontade de dançar, de pular corda, de andar de bicicleta. E a vontade da infância, da inocência, da esperança. Tudo outra vez. Cada um se faz a chance do riso, da paz, dos mil e um encontros. Cada um se faz Marielle, Anderson, Edisca, África, Guarani-Kaiowá, floresta viva, nova aurora cada dia. E a cada um cabe aquela parte da canção do sempre, que Milton Nascimento, no show Semente da Terra, encantou: “Debulhar o trigo,/ recolher cada bago do trigo,/ forjar no trigo o milagre do pão/ e se fartar de pão”.

NÚMEROS

627

ATRAÇÕES formaram a programação do Festival Vida&Arte, nas mais diversas temáticas: literatura, música, dança, teatro, artes visuais, moda, espiritualidade, cultura popular, circo, humor, universo geek e jornalismo.

2003

foi o ano do primeiro Festival Vida&Arte. Em 2005, houve a segunda edição. E, comemorando os 90 anos do jornal O POVO, o Festival representa “o maior evento multicultural do Brasil”. É realizado pela Fundação Demócrito Rocha, com apoio da Lei de Incentivo à Cultura.

OLHAR INTERIOR

ESPIRITUALIDADE

Ocupando todo o segundo mezanino do Centro de Eventos, a programação de espiritualidade do FVA ofereceu ao público um universo de possibilidades, respeitando os mais diversos credos e inclinações. Foram palestras, shows musicais, vivências e palestras promovidas por nomes como Sri Prem Baba e o cantor Kléber Lucas.

REFLETIR O PRESENTE

JORNALISMO E LITERATURA

A curadoria de jornalismo e literatura reuniu um time de intelectuais para discutir os grandes dilemas da comunicação no século XXI. A diretora de redação da revista Época, a jornalista Daniela Pinheiro (foto), participou de conversa sobre os bastidores da cobertura política.

PARA OS PEQUENOS

INFANTIL E CIRCO

Espalhadas por todo o Centro de Eventos, as atrações infantis do FVA encantaram audiências de todas as idades. Diversos espetáculos de teatro e circo integraram a curadoria. O ator e diretor cearense Marcelino Câmara trouxe diversas atividades ao evento, entre elas a peça O menino maluquinho, momentos de contação de história e oficinas de teatro.

(O POVO – Repróter Ana Mary Cavalcante)

Parlamento Metropolitano será lançado nesta segunda-feira

198 2

O presidente da Câmara Municipal de Fortaleza, Salmito Filho (PDT), lança na tarde desta segunda-feira (25), a partir das 15 horas, no plenário do Legislativo Municipal, o Parlamento Metropolitano. O evento contará com a presença dos vereadores da Região Metropolitana e do governador Camilo Santana.

Com o objetivo de criar uma agenda propositiva para a Região Metropolitana, as reuniões ocorrerão uma vez ao mês, ao aproveitar a estrutura das próprias câmaras municipais, sem custos adicionais para as populações dessas cidades.

Em entrevista ao repórter da rádio Guarany de Pacajus, Chico Neto, o presidente do Legislativo de Fortaleza explica o funcionamento do Parlamento Metropolitano. Salmito fala ainda do debate na Câmara Municipal de Fortaleza e das eleições deste ano, quando o PDT acena apoio à reeleição de Camilo Santana.

19ª Parada pela Diversidade Sexual lotou a Beira Mar

Com tema “O Genocídio continua! A luta é todo dia, por Dandara, Marielle e por todas!”, que denuncia o assassinato da população LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais ou Transgêneros), a 19º edição da Parada Pela Diversidade Sexual do Ceará ocorreu neste domingo, 24.

A concentração foi iniciada às 15 horas, na Avenida Beira Mar, e a parada começou às 18 horas ao som de “I Will Survive”, da cantora Gloria Gaynor. O encontro é realizado pelo Grupo de Resistência Asa Branca (Grab) em parceria com diversas organizações do Movimento Social LGBT. Coordenadorias da Prefeitura e Estado marcaram presença.

“O tema desta edição é amplo, mas já vem sendo construído pela comunidade LGBT do Ceará há muito tempo. Desde o assassinato da Dandara, em março de 2017, vamos as ruas pedir por políticas públicas que enfrentem o LGBTcídio e LGBTfobia, que construam ações de resistência e que mudem a vida da população LGBT. Pedimos, também, medidas de segurança pública que garantam a nossa vida”, explica o coordenador de Política e Projetos do GRAB, Dario Bezerra.

O movimento Mães pela Diversidade realizou a abertura da parada, numa forma de dizer que a família está respaldando quem vem atrás. “Vimos que as famílias precisam dar acolhimento. Se nossos filhos não tiverem nosso apoio, não encontrarão fora de casa”, proclamou uma representante do coletivo, Mara Beatriz.

Dario relembrou as 30 pessoas LGBTS assassinadas no Ceará em 2017 e lamenta que poucas reivindicações da comunidade foram atendidas pelo Estado do Ceará. “Pedimos um centro de referência estadual LGBT, um ambulatório transsexualizador, a institucionalização de um Conselho Estadual LGBT e a construção e a institucionalização do Plano Estadual de Políticas para LGBT, mas não houve continuidade nos projetos”, desabafa.

Para além das reivindicações políticas, o coordenador ressalta que a parada é um momento de celebração. “Celebramos a vida, o orgulho LGBT, o direito de ser quem somos. São nossas pautas mais contundentes: o amor e a vida”, conta. A parada continua até as 22 horas de hoje.

(Com O POVO)