Blog do Eliomar

Categorias para Ceará

Camilo Santana está perdido no governo

158 4

Em artigo enviado ao Blog, o coordenador adjunto do Fórum Unificado das Associações e Sindicatos dos Servidores Públicos Estaduais do Ceará (Fuaspec) e representante da Associação dos Servidores de Nível Médio e Elementar da Secretaria da Saúde do Estado do Ceará (ASENMESC), José Francisco Rodrigues, afirma que a saúde pública estadual está sem qualquer possibilidade para melhor gerir as ações. Confira:

O governo Camilo Santana tem passado por momentos muito difíceis na sua gestão, pois deixar que Mauro Filho conduza o Estado ao divulgar as questões financeiras estaduais da forma que bem deseja. Será certamente um desespero para seu governo, que recebeu um legado muito ruim dos Ferreira Gomes.

Na saúde pública, os cofres foram esvaziados, inclusive os recursos federais do SUS estão estagnados e sem qualquer possibilidade para melhor gerir as ações e gestões da sociedade cearense tão pobre e passando por dificuldades maiores durante este ano. O período eleitoral passado causou prejuízos a todos – não somente aos trabalhadores – mas, acima de tudo, à saúde pública.

Ou se toma uma providência imediata e/ou simplesmente o caos tomará conta de tudo aquilo que resta nos cofres públicos estaduais, inclusive a queda do PIB cearense, que sempre fora maior do que o nacional e agora caiu vertiginosamente e o senhor Mauro Filho nada faz para resolver a situação e a realidade financeira, pois seus pronunciamentos sempre são os piores possíveis.

Atrasar o pagamento dos servidores públicos não seria uma boa solução, mas, sim, uma ameaça que vem complicar a todos, inclusive ao Camilo Santana que não teria mais a quem recorrer, nem ao SUS e/ou Dilma. O Estado não está falido, mas a gestão e os assessores estão todos perdidos.

‘País não vai suportar mais três anos de caos’, diz senador Tasso

tassoosokje

Em entrevista publicada no Estadão, neste domingo (13), o senador cearense Tasso Jereissati (PSDB) avalia como “desgoverno” o atual momento do Palácio do Planalto. Para o senador, a crise econômica era previsível desde o primeiro governo Dilma Rousseff, quando “os sinais de erro na economia” surgiram com mais clareza.

Administrador de empresas por formação, Tasso Jereissati afirma que, no momento, não se percebe nenhum contraponto de equilíbrio e confiança na política econômica brasileira. Para o parlamentar cearense, está chegando a hora dos políticos da situação e da oposição se unirem para “dar uma parada nessa ladeira abaixo” que o país está seguindo.

Segundo Tasso, a presidente Dilma não é uma pessoa de diálogo e que não possui visão suficiente para perceber a gravidade da crise brasileira. Isso, de acordo ainda com o senador do Ceará, faz com que ministros disputem entre si na mesma área de atuação, como se fossem “um governo à parte”.

“(…) Não estou vendo possibilidade de o país suportar três anos com esse nível de desgoverno”, avaliou Tasso, que acredita na possibilidade do vice Michel Temer assumir o governo. “O vice-presidente Temer, se for cair a Presidência na mão dele, sozinho não tem condições também. Não tem condições porque primeiro vai ter que fazer muita maldade porque a questão fiscal é gravíssima e não há hipótese de resolver isso sem cortes de despesas violentos. (…) Nenhum partido sozinho hoje, do jeitro que está, vai conseguir enfrentar todos esses problemas”, disse.

Heitor Férrer – O PDT virou um bom bife para um bom predador

heitorrferrrer

Com quase trinta anos de PDT, o deputado estadual Heitor Férrer está às portas de trocar sua legenda pelo PSB. Ele diz ter apenas gratidão pelos antigos colegas, mas deixa um conselho: “O PDT virou um bom filé, para um bom predador”.

Os predadores, segundo Heitor Férrer, têm nome e sobrenome: Cid e Ciro Gomes (Pros), hoje de malas prontas para o PDT. Com trajetória inteira na oposição – inclusive a governos comandados por Ciro e Cid –, Heitor cresce na política cearense em embates com o ex-prefeito Juraci Magalhães (PMDB) e pela postura de cobranças e denúncias contra o Executivo.

“Nós vemos por história, por estatísticas, por história pregressa. Em nenhum momento, a entrada dos Ferreira Gomes a um partido se deu por uma identificação ideológica. Até porque não é possível que a pessoa tenha tantas ideologias ao longo da vida, mudando, como é o caso agora do Ciro, que vai para o sétimo partido”, comentou Heitor, em entrevista ao O POVO, publicada neste domingo (13).

“O PDT está em bom momento, pois não tem nenhum escândalo que envolva o partido. Está em bom momento no Ceará, porque o André Figueiredo, que é o presidente, foi exemplarmente condutor desse processo de fundamentação do partido no Estado, ampliando nossas comissões provisórias em quase todos os municípios. Então o PDT virou um bom filé, para um bom predador. O PDT virou um partido simpático e charmoso”, ressaltou Heior.

(O POVO)

Aeronave cai em Itapipoca neste domingo

foto acidente avião itapipoca

Um avião de pequeno porte caiu no início da manhã deste domingo (13), na localidade de São Daniel, distrito de Arapari, em Itapipoca, a 130 quilômetros de Fortaleza.

De acordo com as primeiras informações, o local é de difícil acesso – por ser no alto da serra – e que duas pessoas teriam morrido na queda.

(com informações do radialista Flávio Teixeira)

XX Conferência Estadual debate situação territorial e valorização cultural dos povos indígenas

foto acrísio indígenas

Representações indígenas das etnias Tapeba, Tremembé, Pitaguary, Potiguara e Tabajara debateram neste fim de semana, durante a XX Conferência Estadual dos Povos Indígenas, em Itarema, a 204 quilômetros de Fortaleza, a situação fundiária e territorial, a organização política e institucional e a valorização cultural dos povos indígenas.

O secretário de Movimentos Sociais do Estado, Acrísio Sena, representou o governador Camilo Santana e apresentou os encaminhamentos das reuniões que aconteceram durante o mês de agosto, com relação à demarcação de suas terras e o processo de ensino e aprendizagem.

“Há o compromisso do governador em cumprir o estabelecido nos planos nacional e estadual de educação. Para isso a Secretaria de Educação assumiu o compromisso de realizar o levantamento de demandas por equipamentos, analisar a estrutura dos prédios e estabelecimentos das escolas indígenas além de realizar estudo técnico quanto à questão da energia elétrica, tendo em vista que em alguns locais será necessária a construção de uma subestação para atender a demanda”, afirmou Acrísio Sena.

Cearense faz sua parte, mas Governo Federal não

248 6

foto tasso facebook

Em artigo em sua página no Facebook, o senador Tasso Jereissati avalia as ações do Governo Federal no Ceará. Confira:

Tudo que é feito (ou mal feito) em Brasília, tem reflexos por todo o Brasil. Em relação ao Ceará, somente esta semana, algumas notícias me causaram especial preocupação: o alarmante nível dos reservatórios de água do Estado; a queda significativa na produção industrial; a redução nos investimentos em Fortaleza, onde a inflação nos últimos doze meses atingiu 9,5%; e a queda do PIB do último trimestre, superior ao dobro do registrado no Brasil.

Tudo isso é resultado de governos totalmente inoperantes, que se preocupam somente com coisas que não tem nada a ver com o dia-a-dia dos cearenses. A incompetência do Governo Federal e sua crescente falta de credibilidade junta-se ao costumeiro descumprimento das promessas dos governos do PT, principalmente no enfrentamento de problemas que pensávamos já estar superando.

Antes, com o sacrifício e a colaboração de algumas gerações de cearenses, conseguimos equilibrar as contas, implantando um governo cuja seriedade atraiu a confiança e o investimento de dezenas de empresas, gerando empregos e desenvolvimento. Com o Porto e o pólo industrial do Pecém, lançamos as bases para receber indústrias em torno da promessa de uma refinaria, que naufragou no mar de lama da Petrobras. Com o açude Castanhão e a integração das bacias, o Ceará há muito tempo, está pronto para receber as prometidas águas do São Francisco, que nunca chegaram. É como se os cearenses fizessem sua parte em uma obra que se vê ameaçada porque o Governo Federal não faz a sua.

Agora, o descontrole de gastos, a falta de planejamento e a inversão de prioridades começam a cobrar seu preço. Não há mais espaço para aventura ou demagogia na administração dos poucos recursos de que dispomos. As contas públicas não suportam mais tanta incompetência. A própria Presidente da República dá o pior exemplo à nação ao enviar ao Congresso uma proposta de orçamento em que confessa não saber de onde retirar recursos para pagar as contas do seu (des) Governo. E os orçamentos de boa parte dos Estados também não refletem a realidade das suas contas. Poucos estão em condição de tomar novos empréstimos ou, mesmo, obter garantias da União em operações de financiamento no exterior.

Nesse quadro de absoluta desconfiança, ninguém quer investir. E sem investimento, reduz-se a atividade econômica, gerando desemprego e inflação. Os serviços públicos, que já não tem a qualidade que gostaríamos, tendem a piorar. Seja por falta de recursos ou pela insatisfação do funcionalismo, que não tem seu trabalho reconhecido.

Os cidadãos, ao baterem às portas de hospitais lotados ou escolas sucateadas, ou quando evitam sair de suas casas com medo da insegurança, já sabem a quem cobrar. O (des)governo do Brasil tem nome e endereço: Dilma Rousseff e Palácio do Planalto.

Esquema de liminares – STJ mantém desembargador afastado

“Por decisão do ministro Herman Benjamin, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), o afastamento do desembargador Carlos Rodrigues Feitosa será mantido. O magistrado está sob investigação por suposto envolvimento no esquema de venda de habeas corpus nos plantões do Judiciário cearense. Ainda não foi informado à imprensa se a prorrogação será de mais 90 dias ou por período indefinido.

Neste dia 14 de setembro, termina o prazo de 90 dias de afastamento, definido pelo Tribunal após a deflagração da Operação Expresso 150, da Polícia Federal. Assim, conforme o cronograma, Feitosa deveria reassumir o cargo. No entanto, segundo O POVO apurou, o juiz que substitui Carlos Feitosa foi notificado, na última sexta-feira, 11, que continuaria a exercer a função.

O advogado de Feitosa, Waldir Xavier, disse que não tem informações sobre a prorrogação do afastamento. Mas também não soube confirmar se o cliente voltaria ao Tribunal de Justiça do Ceará (TJ-CE) nesta segunda-feira. O desembargador e dois outros colegas de toga aposentados, Paulo Timbó e Váldsen Alves Pereira, foram convocados a depor na PF em 15 de junho, no dia da Operação Expresso 150. Inédita no Ceará, a ação vasculhou o gabinete de Feitosa e executou 22 conduções coercitivas para depoimentos na Justiça federal. Havia mandados para mais dois desembargadores aposentados, dez servidores e nove advogados.

O nome da operação faz referência aos valores que seriam pagos aos magistrados cearenses por cada sentença (R$ 150 mil) durante os plantões do Judiciário. A suspeita é de que o foco do esquema seria a libertação de presos envolvidos com o narcotráfico. O processo está sendo executado em duas instâncias: criminal, pelo STJ, e administrativa, pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Além das sanções do CNJ, se provados culpados, os envolvidos podem ser sentenciados a regime de reclusão.”

(O POVO)

Luizianne Lins é ausência na primeira plenária do PT de Fortaleza

435 3

apapa

Sem a presença da deputada federal Luizianne Lins, o PT de Fortaleza realizou, neste sábado, no Centro Educacional Betesda, no bairro Autran Nunes, primeira plenária de olho em 2016. A ausência frustrou militantes petistas e, em especial, o segmento que trabalha para que o partido tenha candidato próprio à Prefeitura de Fortaleza. A assessoria do evento informou que ela faltou por estar com febre no Rio de Janeiro.

Na ocasião, o presidente municipal do PT, deputado estadual Elmano Freitas, coordenou a plenária que registrou críticas principalmente à gestão do prefeito Roberto Cláudio. Fatos como o fechamento do Hospital Nossa Senhora da Conceição, no Conjunto Ceará, foram alvos de protesto. Também houve críticas à falta de professores nas escolas e piora na coleta de lixo.

aapp

Entre as presenças, estavam os vereadores Deodato Ramalho, Ronivaldo Maia e os secretários estaduais Guilherme Sampaio (Cultura) e Artur bruno (Meio Ambiente). O assessor de Mobilização Social do Governo, Acrísio Sena, não compareceu. Estava em um encontro de povos indígenas.

(Fotos – PT)

PDT faz encontro em Itapipoca e lança pré-candidato a prefeito

amma

Itapipoca recebeu neste sábado o Encontro Regional do PDT Litoral Oeste. Houve muita festa com várias lideranças políticas e comunitárias reunidas.

Os trabalhos foram coordenados pelo presidente estadual do PDT, deputado federal André Figueiredo, tendo a presença de Geraldinho Azevedo, vice prefeito que, no ato, já apareceu como pré-candidato a prefeito do município nas próximas eleições.

(Foto – PDT)

O terceiro ciclo do PSB

Da Coluna Política, no O POVO deste sábado (12), pelo jornalista Érico Firmo:

O PSB tem, com folga, a história política mais atribulada entre os partidos cearenses neste século. A entrada do deputado federal Danilo Forte e o anúncio da entrada do deputado estadual Heitor Férrer demarcam o início do terceiro grande ciclo da legenda desde a década passada. O PSB sempre foi a legenda de uma esquerda tradicional, sem grandes radicalismos, e também de intelectuais. Tinha entre os expoentes gente como Eudoro Santana – pai do atual governador –, Valton Miranda, além de Sergio Novais. Foi quando, em 2001, filiou-se à legenda Welington Landim. Ele era presidente da Assembleia Legislativa e estava de saída do então todo-poderoso PSDB. O plano era, já em 2002, executar o projeto que se viabilizaria com Cid Gomes: usar um dos quadros egressos do próprio tassismo para destronar Tasso Jereissati. Para isso, a ideia era reunir toda a oposição em torno de Welington. Mas os projetos individuais e a verticalização inviabilizaram o plano.

A eleição foi conflituosa. O PSB tinha Anthony Garotinho como candidato a presidente e Welington a governador. Porém, vários dos filiados votaram em Lula e em José Airton, respectivamente. Diante das sequelas resultantes da eleição de 2002, vários dos históricos deixaram a legenda rumo ao PT. Foram os casos de Valton e Eudoro. Welington e seu grupo também saíram em 2003, rumo ao PPS. O PSB ficou em escombros. Praticamente, só restou Sergio Novais e seu grupo.

Em 2005, teve início um novo ciclo. Os Ferreira Gomes se filiaram e os mais tradicionais partidos de esquerda – unidos nacionalmente em torno do governo Lula – apoiaram Cid contra o PSDB. Mesmo setores tucanos aderiram à candidatura, contra o então governador Lúcio Alcântara, que estava rompido com Tasso.

A princípio, havia um pacto de convivência entre os “históricos” de Novais e os Ferreira Gomes. Com o controle do governo, foi questão de tempo que o novo grupo assumisse o comando do partido, em 2009. Novais ficou com o comando em Fortaleza. A convivência entre os grupos durou até 2011, quando o conflito explodiu e Novais acabou destituído. O grupo de Cid ficou com o comando absoluto da sigla.

Mas, durou pouco. Para não terem de apoiar Eduardo Campos a presidente, o grupo que governava o Ceará migrou para o Pros. O PSB, antes a maior sigla do Estado, viu-se reduzido a quase nada. Ficou, de novo, apenas o grupo dos Novais.

Este ano, o partido começou a se reforçar, com a filiação de Roberto Pessoa, ex-prefeito de Maracanaú. Agora, recebe Heitor e Danilo. A chegada não ocorre sem conflito. Pessoa não escondeu o incômodo e já cogita sair, de volta ao PR de onde veio. De todo modo, o partido que, até dois anos atrás, encarnava o governismo no Ceará agora rearruma o jogo da oposição estadual. Como sempre, de forma barulhenta.

Crise cearense vai além da brasileira

Da Coluna Política, no O POVO deste sábado (12), pelo jornalista Érico Firmo:

Os números da economia do Ceará preocupam, principalmente, por destoarem do resto do Brasil. Inverte-se a tendência que vinha desde o primeiro ano de governo Lúcio Alcântara. Na primeira campanha a governador, Cid Gomes usou como mote a necessidade de um “grande salto”. O diagnóstico era correto. O governo Lúcio Alcântara vinha conseguindo crescer acima da média do País. Porém, apontava o então candidato Cid, o Ceará precisa crescer a níveis muito acima da média nacional, para compensar o histórico desnível. Por isso é tão grave a notícia de que o resultado do PIB trimestral é mais de duas vezes pior que a retração nacional.

Para um Estado que, com certa tranquilidade, vinha mantendo patamares acima dos brasileiros, a conclusão óbvia é que houve fatores que foram além da conjuntura nacional. Não é só a crise geral que explica queda tão grande.

Um dos aspectos possíveis que poderia explicar a situação está na própria mudança da política econômica do governo. Ao longo da era Cid Gomes, o modelo adotado foi capaz de ampliar a arrecadação sucessivamente e ainda reduzir impostos e fazer desonerações. Este ano, porém, o governo propôs e a Assembleia Legislativa aprovou aumento de impostos para setores diversos, de bebidas a produtos de beleza, passando por joias, produtos para animais de estimação e agrotóxicos. Além disso, elevou quase 400 taxas sobre serviços públicos diversos. O argumento era de que estavam defasados. Todavia, a alta conjunta tem um impacto econômico, e, sobretudo, sinaliza mudança de diretriz.

Todavia, essa explicação não cabe para o resultado do segundo trimestre. Afinal, os números são referentes ao período de abril a junho. O aumento foi aprovado em julho.

Então, outro sinal que se percebe é que os setores econômicos do Estado pisaram no freio mais profundamente do que se justificava pela conjuntura nacional. Talvez pelo receio do impacto da crise, a retração foi maior do que seria cabível. O receio amplifica a própria crise. Se, em 2008, a receita do então presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi um apelo pelo consumo, como forma de se contrapor ao cenário adverso, agora, a queda da atividade econômica torna o bicho pior e mais feio do que de fato seria. Em síntese, a postura dos agentes econômicos serve para agravar o quadro. A boa notícia é que a mudança de postura pode ser determinante para superar ou, pelo menos, atenuar a situação adversa.

Sindicatos discutem medidas contra o “congelamento salarial” do servidor estadual

225 1

foto sindicalismo fuaspec 150911

A proposta de Lei Orçamentária Anual (LOA), disponível no síte da Seplag, revela que o servidor público estadual não terá reajuste salarial no próximo ano. A observação é das entidades associadas ao Fórum Unificado das Associações e Sindicatos dos Servidores Públicos Estaduais do Ceará (Fuaspec), que nessa sexta-feira (11) se reuniram na sede da Associação dos Servidores da Secretaria do Planejamento e Gestão, para tratar da recomposição de perdas frente à inflação do período de 2015 para os salários de 2016.

“Estamos preocupados com esse posicionamento, pois o servidor não pode ser penalizado, já que existe um estudo do Sindicato dos Fazendários, que aponta o bom desempenho orçamentário do Estado”, ressaltou Eliene Uchoa, coordenadora geral do Fuaspec.

“O Estado tem uma dívida ativa de seis bilhões que precisa ser executada, por isso mesmo não vamos aceitar essa medida que visa sufocar o servidor público. O que está faltando para cobrar essas pessoas?”, comentou Rita de Cássia Gomes, presidente da Associação dos Servidores da Secretaria da Educação e uma das coordenadoras do Fuaspec.

PSDB entra no cenário sindical no Ceará

foto sindicalismo rdo nonato gomes

Da Coluna Vertical, no O POVO deste sábado (12):

Novidade no cenário sindical. Será lançado na segunda-feira (14), às 11 horas, na Câmara Municipal de Fortaleza, o PSDB Sindical do Ceará. O ato contará com a presença do senador Tasso Jereissati e faz parte da estratégia de fortalecimento dos tucanos nos movimento trabalhista.

Haverá filiações de lideranças sindicais como o presidente da Força Sindical no Ceará, Raimundo Nonato Gomes, que assumirá o secretariado. Ele é também presidente do Sindicato dos Trabalhadores na Construção de Estradas, Pavimentação e Obras de Terraplenagem em Geral no Estado. Comanda operariado de projetos como Transposição e Siderúrgica, por exemplo. A Força Sindical reúne no Ceará 87 sindicatos, congregando cerca de 300 mil trabalhadores.

É o PSDB ocupando espaços que um dia dominados pelo petismo.

TCU investigará compra de ‘tatuzões’ no Ceará

184 2

foto valim presidência da câmara federal

A Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara dos Deputados determinou ao Tribunal de Contas da União (TCU) que investigue se houve desperdício de recursos públicos federais, por parte do governo do estado do Ceará, na compra de quatro escavadeiras utilizadas na abertura de túneis para metrôs (também chamadas de tuneladoras ou tatuzões). A investigação foi solicitada pelo deputado Vitor Valim (PMDB-CE), que apresentou a Proposta de Fiscalização e Controle (PFC) 37/15.

As quatro escavadeiras, de origem chinesa, foram compradas entre 2012 e 2013 e custaram R$ 128,2 milhões, segundo Vitor Valim, e deveriam ter sido usadas em obras de expansão do metrô de Fortaleza. Os equipamentos, porém, estão parados porque não existem linhas de transmissão para alimentá-los. O deputado explicou que esse tipo de escavadeira exige grandes quantidades de energia elétrica.

A expansão do metrô de Fortaleza faz parte do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Conforme o Ministério do Planejamento, a Linha Leste receberá R$ 2 bilhões de recursos federais.

(Agência Câmara Notícias)

Vereador é flagrado em carro clonado

155 1

O presidente da Câmara Municipal de Salitre, Alderi Fialho (PT), foi abordado por policiais militares na tarde desta sexta-feira (11), em seu veículo, um Kia Sportage, de placa OUQ 7192. O policiamento do município constatou que o carro – no qual o vereador estava transitando – é um automóvel clonado, segundo informou o cabo Arlindo, do Quartel de Campos Sales, ao O POVO Online.

Devido à constatação, o parlamentar foi conduzido pela equipe da PM até a Delegacia Regional do Crato. De acordo com a Polícia, outro veículo com a mesma placa está registrado na Bahia.

Conforme o cabo Arlindo, o carro do vereador foi levado para a Delegacia Regional de Juazeiro do Norte, onde a Perícia Forense (Pefoce) do município vai averiguar o veículo e enviará o laudo para a unidade de Crato. Até o momento, não se configura nenhum crime contra o presidente da Câmara de Salitre.

“Ele (Alderi) foi espontaneamente para acompanhar o desfecho desta situação e cooperar com a Polícia. O delegado de Crato receberá o laudo e vai averiguar qual dos veículos está irregular”, disse o cabo do Quartel de Campos Sales, que responde pela região de Salitre.

De acordo com a Delegacia Regional de Crato, o delegado da unidade aguarda o resultado da perícia para constatar se houve ou não adulteração no veículo do vereador.

(O POVO Online)

UFCA abre concurso para cinco cargos de servidor técnico-administrativo

“A Universidade Federal do Cariri abriu inscrições para cinco cargos de servidor técnico-administrativo em Educação nas áreas de técnico em calçado, técnico em joia (ourivesaria), técnico em audiovisual e técnico na área de laboratório de práticas em jornalismo. Os interessados podem se inscrever a partir da próxima segunda-feira, 14, por meio da Plataforma FORMS.

Os candidatos serão submetidos a duas provas de múltipla escolha: uma de língua portuguesa e outra de conhecimentos específicos. Para os cargos de técnico em audiovisual e técnico na área de laboratório de práticas em jornalismo, haverá prova prática.O valor da taxa de inscrição é de R$ 63,00 para todos os cargos.

O salário oferecido é de R$ 2.175,17, acrescido de auxílio alimentação no valor de R$ 373,00, totalizando R$ 2.548,17. O regime de trabalho será de 40 horas/semanais. As inscrições seguem até 30 de setembro.

SERVIÇO

*Para mais informações acesse o edital nº 36/2015 aqui.

Confira quem estará no Plantão do Judiciário neste fim de semana

“Desembargadores, juízes das Varas da Fazenda Pública, de Tráfico de Drogas, da Infância e Juventude da Capital, e de comarcas do Interior atenderão em regime de plantão neste fim de semana.

No Tribunal de Justiça, os plantonistas serão os desembargadores Francisco Gladyson Pontes e Durval Aires Filho. Os magistrados atenderão, respectivamente, no sábado (12/09) e domingo (13/09), das 12 às 18 horas.

No Fórum Clóvis Beviláqua, o plantão ficará a cargo da 1ª e 2ª Varas da Fazenda Pública, além da 1ª e 2ª Varas de Delitos e Tráfico de Drogas da Capital. Os juízes estarão disponíveis das 12 às 18 horas.

Os pedidos urgentes de natureza cível no âmbito de competência da Infância e da Juventude, destinados apenas para apreciação de casos urgentes, serão analisados pelo plantonista da 2ª Vara da Fazenda Pública.

Interior

No Interior, o atendimento acontecerá das 8 às 14 horas nas comarcas de Juazeiro do Norte, Barbalha, Várzea Alegre, Barro, Cedro, Boa Viagem, Pacoti, Alto Santo, Aracati, Maracanaú, Aquiraz, Caucaia, Santana do Acaraú, Massapê, Bela Cruz, Coreaú, Carnaubal, Tamboril, Aiuaba e Caridade.

(Site do TJ/CE)

Cid Gomes é alvo de festa literária

foto cid ferreira gomes

A Academia Cearense dos Escritores e a Editora Premius vão entregar a comenda Cultura. O ato ocorrerá, a partir das 19 horas, no Clube Náutico.

Serão agraciados o ex-governador Cid Gomes, o ex-deputado federal Mauro Benevides, o escritor Juarez Leitão, o livreiro Sérgio Braga e o cantor Raimundo Fagner.

Ainda no ato, haverá o lançamento do livro “O Contador de Histórias”, de César Barreto e Saulo Barreto Lima.

Muita crítica ao Governo Dilma e pouco de jornalismo

190 2

Com o título “O bom jornalista não propaga “ondas” gratuitamente”, eis artigo do jornalista e sociólogo Demétrio Andrade. Ele aborda a cobertura da mídia no atual momento do Governo de Dilma Rousseff e indaga: será que não há nada de positivo ou nada de positivo que foi feito? Confira:

Nada a ver com Física. As “ondas” de que falo têm outra raiz e magnitude. Como em qualquer outro segmento social, jornalistas são convidados a concordar ou discordar de fatos e eventos. Mais que isso: trabalham num lugar, chamado “redação”, para onde confluem interesses políticos, econômicos, culturais, religiosos e esportivos, dentre outros. Mais que isso: ajudam a sociedade a escolher quais assuntos a serem colocados em pauta.

Notícias veiculadas em jornal, rádio, TV e internet viram nossos assuntos do dia-a-dia: em casa, no bar, no trabalho, na escola, na igreja. Teoricamente, são fatos recentes, de relevância social, apurados com todo rigor das técnicas jornalísticas, escritos e editados de forma clara e objetiva. Evidente que jornalistas trabalham com o aqui e o agora e são sujeitos ao erro pela imposição de pouco espaço e tempo reduzido. Porém, os erros vêm se sucedendo de maneira cada vez mais usual.

O mundo cada vez menor e mais rápido das redes sociais encurtou de vez o processo de produção jornalística. Na ânsia inócua de concorrer com “jornalistas de ocasião” das redes sociais, alguns veículos estão apelando. São erros grotescos de apuração e divulgação irresponsável de denúncias que acabam comprometendo a credibilidade e, consequentemente, até mesmo a sobrevivência destes meios no mercado.

O pior de tudo, porém, são as “ondas”. Modismos que chegam à redação na forma de opiniões prontas, visões de mundo pré-definidas, ângulos de enfoque viciados. O repórter não vai a campo “investigar”, mas “confirmar” uma “verdade” já aceita no ambiente de trabalho. Isso é péssimo. Denunciados são tratados como culpados. Opiniões baseadas em especulações são tratadas como se fossem notícias refletindo fatos.

Como se diz no popular, depois que o boi está morto, toda e qualquer pessoa se acha no direito de chutar a carcaça. É fácil e não exige o menor esforço. Pegue-se o exemplo da cobertura sobre o governo Dilma. Com ações reconhecidamente ruins do ponto de vista administrativo, inúmeras denúncias de corrupção e uma popularidade que não para de cair, naturalmente o tom tenderá a ser negativo.

Mas aí, eu pergunto: não há nada de positivo para se cobrir deste governo? Nada está sendo feito? Todas as políticas anteriores bem sucedidas deixaram de existir? Quem sempre fez crítica está aproveitando o momento para aparecer. Quem nunca fez, engrossa o coro para se sentir aceito pela maioria. Quem ainda acredita, ou se está constrangido ou apela para a defesa inconseqüente. Há ódio dos dois lados. Há pouca racionalidade. Há pouca objetividade. Há pouco jornalismo.

* Demétrio Andrade
Jornalista e sociólogo.