Blog do Eliomar

Categorias para Ceará

Vice-presidente da FIEC falará para alunos da Fanor/DeVry

alexandre pereira

O coordenador das Parcerias Público-Privadas (PPPs) da Prefeitura de Fortaleza, vice-presidente da Federação das Indústrias do Ceará (FIEC) e presidente regional do PPS, Alexandre Pereira, dará palestra nesta quinta-feira, a partir das 19 horas, na Fanor/Devry (Campus Dunas).

Ele falará sobre “Desenvolvimento industrial do Ceará” para alunos dos cursos de Engenharia de Produção e Engenharia Mecânica. O objetivo é apontar que nichos no campo industrial apresentam ou apresentarão perspectivas para absorção dessa mão de obra especializada.

Enquanto Cid descansa, Camilo não cansa de resolver pepinos…

216 2

cidodo

O ex-governador Cid Gomes (Pros) está mesmo curtindo sua licença, do jeito que queria, há muito tempo e em sua Sobral.

No Beco do Cotovelo, por exemplo, ele não dispensou nem mesmo uma partidinha de dominó, tendo ao lado o ex-presidente do time do Guarany, Luis Torquato.

camilo1-400x300

Enquanto isso, no Palácio da Abolição, seu pupilo político, o governador Camilo Santana (PT), não tem tempo nem pra se coçar com tanto quadro de crise encontrado na saúde. Nesta quarta-feira, haja reuniões com diretores de hospitais…

Juventude do PPS e Juventude do PSB divulgam nota criticando saúde de Fortaleza

177 1

A JPS Ceará, juventude do PPS 23 e a JSB, juventude do PSB 40 divulgaram nota, nesta quarta-feira, sobre o “caos da saúde pública em Fortaleza”. Confira:

NOTA PÚBLICA

Em 2012, o povo de Fortaleza elegeu, no segundo turno, o prefeito Roberto Claudio (Pros). A administração petista estava completamente colapsada em diversos aspectos, principalmente em mobilidade urbana e saúde. O “ex”-governador Cid Gomes, fiador e mentor do atual prefeito, fez até vídeo que foi o tom da campanha: que o problema de fortaleza não era falta de recursos, mas sim falta de gestão e que Roberto Cláudio era o nome certo para “enfrentar as dificuldades que uma prefeitura do tamanho de Fortaleza apresenta” e que “com o apoio do Governo do Estado do Ceará ele iria REVOLUCIONAR A SAÚDE de Fortaleza.”.

Há dois dias, vimos cenas vergonhosas no Instituto Dr. José Frota – IJF, com pacientes sendo atendidos no chão por falta de macas. Ontem ,a UTI neonatal do Hospital da Mulher foi fechada, por falta de pagamento dos profissionais. A saúde em fortaleza está um completo caos, ao que parece toda a preparação técnica recebida pelo médico Roberto Claudio, com mestrado em saúde pública, não surtiu em benefícios para o fortalezense que depende do serviço único de saúde.

O prefeito terá que escolher entre duas alternativas: ou assume que é incompetente e que não tinha a menor ideia do que era ser um gestor, ou que deliberadamente cometeu estelionato eleitoral e enganou ao fortalezense, fazendo uso da velha demagogia. Porque a ele não é permitido fazer o jogo do empurra-empurra com o Governo do Estado, pois tanto ele como o atual governador (mais um preposto e exemplo de desastre administrativo herdado do governo CFG e pauta para uma próxima postagem) são “filhos de um mesmo pai”, membros do mesmo grupo político e colocar a culpa um no outro seria por consequência culpar o patrão de ambos.

O que ocorre em Fortaleza e no Ceará é o retrato de uma ação política arquitetada apenas para ganhar eleições. Esse grupo político, liderado pelos Ferreira Gomes, se gaba da profissionalização alcançada quando o assunto é eleições, mas esquecem que o que a população espera é que esse mesmo processo seja empreendido na gestão da coisa pública. Estamos enfadados de discursos bonitos, da megalomania e síndromes de faraós, da truculência e da incompetência disfarçada pelo talento dialético e oral.

Com a palavra o ex-governador Cid Gomes e o prefeito Roberto Claudio, pois o povo do Ceará e o cidadão fortalezense merecem respeito.

* JPS Ceará – Juventude Popular Socialista – PPS 23

* JSB Ceará – Juventude Socialista Brasileira – PSB 40

VAMOS NÓS – O que diz sobre esta nota o presidente regional do PPS, Alexandre Pereira, por sinal o coordenador de Parcerias Público-Privadas da Prefeitura de Fortaleza?

Datelli e LG Eletronics abrem lojas no OFF Outlet Fashion Fortaleza (que é em Caucaia)

Negocios

Duas novas lojas acabam de desembarcar no OFF Outlet Fashion Fortaleza – que fica em Caucaia (Região Metropolitana ) com produtos que são objeto de desejo do consumidor brasileiro: a Datelli, com calçados e acessórios masculinos e femininos, e a LG Eletronics, com a mais moderna tecnologia em eletroeletrônicos.

A Datelli se atualiza diariamente das novidades e descobertas do mundo da moda e a loja do OFF Outlet está cheia de grandes ofertas em calçados, bolsas, cintos, mochilas, pastas e carteiras femininas e masculinas, entre outros acessórios, segundo seus controladores.

Já a LG Eletrônicos, líder global em eletroeletrônicos, leva ao OFF Outlet uma linha completa de produtos em oferta desenvolvidos para facilitar o dia a dia e que são referência mundial em qualidade.

SERVIÇO

O OFF Outlet oferece 1.300 vagas de estacionamento gratuitas, praça de alimentação climatizada e funciona de segunda a sábado, das 9 às 21 horas, e aos domingos e feriados, das 11 às 19 horas.

Defensoria Pública inicia visita aos hospitais para conferir o caos na saúde

“Denúncias sobre superlotação, precariedade no atendimento de emergência e falta de material para realizar procedimentos médicos e cirúrgicos motivou a Defensoria Pública do Estado do Ceará a iniciar uma série de visitas aos hospitais públicos do estado, com o objetivo de averiguar a situação dos pacientes e dos profissionais de saúde.

A primeira visita foi feita hoje (13) no Hospital Geral de Fortaleza (HGF). Gerido pelo governo do Estado, o HGF é uma das unidades que recebe casos de maior complexidade, atendendo tanto pacientes do Ceará como de estados vizinhos. De acordo com o supervisor do Núcleo de Direitos Humanos e Ações Coletivas da Defensoria, Aluízio Jácome, a superlotação da emergência era visível durante a visita. Havia 35 pessoas recebendo atendimento nos corredores da unidade.

A vendedora Marta Maria Santos da Silva, 52 anos, acompanhava o filho de 26 anos na emergência do HGF e viu de perto as dificuldades no atendimento. Ele veio transferido na manhã de hoje da Santa Casa de Sobral, onde esteve internado por 7 dias, e aguardava um leito para nova internação. “A gente ainda ficou na expectativa se ele seria atendido ou não. Eu sentei, orei e, graças a Deus, eles resolveram atendê-lo”, conta.

Em nota, a diretoria do HGF explica que, devido a grande demanda de pacientes na emergência, realiza “triagens de prioridades a partir de critérios de gravidade”. Por mês, somente a emergência recebe cerca de 1,8 mil pacientes.

De acordo com Jácome, os profissionais da saúde relataram a falta de material para a realização de alguns procedimentos. Na semana passada, a diretoria do HGF havia decidido suspender as cirurgias eletivas por conta da ausência desses insumos, mas os profissionais da unidade disseram para os defensores públicos que foram feitas cirurgias desse tipo nos últimos dois dias.

“A gente não pode dizer que o problema está resolvido porque, dois dias antes, cirurgias foram adiadas por conta da ausência de material. Essa situação requer vigilância de instituições como a Defensoria Pública e atitudes para que a situação seja resolvida em breve e de forma definitiva”, afirma o supervisor.

Nesta quinta-feira, os defensores públicos vão visitar o Instituto Dr. José Frota (IJF), considerado o maior hospital de urgência e emergência do Ceará. A unidade é administrada pela prefeitura de Fortaleza e recebe pacientes de todo o estado.

Esta semana, foram divulgadas nas redes sociais fotos de pacientes sendo atendidos no chão da emergência. O prefeito Roberto Cláudio esteve ontem (12) no hospital e, em sua página no Facebook, afirmou que foram adquiridas 48 macas para reserva técnica e que haverá macas 24 horas disponíveis no pátio da emergência.”

(Agência Brasil)

Antonio Balhmann critica método de ajuste fiscal do Governo Dilma

balhamm

Durante audiência com o ministro do Desenvolvimento Econômico, Indústria e Comércio, Armando Monteiro Neto, o deputado federal Antonio Balhmann (Pros) criticou a forma como o Executivo está promovendo o ajuste fiscal para assegurar o superávit primário de 1,2% do PIB neste ano. Para o parlamentar, o ajuste não inova, “é a forma como sempre foi feito”. “Um ajuste é necessário, evidentemente, até porque ele representa a permanente busca do equilíbrio das contas, mas venderam para a presidente Dilma que esse é o único caminho, e não é”, disse.

Para o deputado do Pros, o cenário econômico não está ruim em todos os setores. Ele citou como exemplo a indústria e os lucros bancários. “Hoje, vemos a atividade industrial cair e o lucro dos bancos, especialmente os privados, só aumentar. Essa desproporção é absurda, já que o dinheiro mobilizado pelo setor financeiro não financia a produção nacional”, avaliou. As medidas provisórias do ajuste fiscal (MP 664 e 665), que já estão em votação na Câmara, mudam regras previdenciárias e trabalhistas, mas não mexem no sistema financeiro.

Balhmann ressaltou que a missão do ministro hoje é a de procurar espaços, dentro de um cenário de extrema dificuldade, onde seja possível trabalhar. Para o deputado, não faz sentido um país continental como o Brasil representar 0,6% da produção manufaturada do mundo. Além disso, afirmou Balhmann, é evidente a necessidade de mudança no sistema tributário brasileiro, “que é esdrúxulo, único no mundo”. “Claro que essas dificuldades econômicas têm consequências sociais. Não é a toa que, na minha cidade [Fortaleza], dois mil jovens morrem assassinados a bala por ano”, citou.

(Com Agências)

CGD decide nesta quinta-feira sobre demissão de policiais militares

Nesta quinta-feira, será realizada na Controladoria Geral de Disciplina (CGD) a reunião do COSIP, a segunda instância julgadora de recursos administrativos em procedimentos disciplinares dos profissionais de segurança do Estado do Ceará. Na ocasião, serão tomadas decisões com relação às demissões do Soldado PM Michel Mendonça e do Cabo BM Reginauro Sousa. Desde que assumiu a CGD, Socorro França se comprometeu em julgar os casos em conformidade com os princípios constitucionais brasileiros.

A promessa vem sendo cumprida. No início de abril, as demissões dos dois militares foram suspensas e, na reunião desta quinta-feira, será dado o parecer final sobre os dois casos. “Nós esperamos que essa decisão possa facilitar também o reingresso dos demais demitidos”, diz o Cabo Reginauro Sousa, presidente da APS.

Os militares foram demitidos durante a gestão do ex-governador Cid Gomes pelo fato de em janeiro de 2013 terem participado de uma reunião convocada pela Associação dos Profissionais da Segurança Pública do Ceará (Aprospec) para discutir em conjunto com representantes do governo, parlamentares e outras entidades, os itens cumpridos e não-cumpridos do Termo de Acordo assinado para por fim à paralisação da PM e BM em 2012.Poucos dias após a reunião, realizada dentro do que determina a Constituição Federal, mais de 44 militares sofreram punições administrativas, sendo 12 demitidos.

MP do Ceará promoverá seminário sobre Direitos Humanos da População LGBT

“O Ministério Público do Ceará, através do Centro de Apoio Operacional da Cidadania (CAOCID), e da Escola Superior do Ministério Público, promoverá, no próximo dia 18, o seminário “Direitos Humanos da População LGBT: Combate à Homofobia, Lesbofobia e Transfobia”. Os debates ocorrerão no auditório da PGJ. O evento marcará o Dia Internacional contra a homofobia, lesbofobia e transfobia.

O seminário é direcionado aos procuradores e promotores de Justiça, servidores e funcionários do Ministério Público, magistrados, defensores públicos, advogados, assistentes sociais, psicólogos, médicos, integrantes de associações e representantes da comunidade LGBT, além de estudantes das áreas afins, com carga horária de 8 horas.”

SERVIÇO

Mais informações com a Escola Superior do Ministério Público – ESMP (3452.4522/3433.7713) ou Centro de Apoio Operacional da Cidadania – CAOCID (3452.4539).

* As inscrições devem ser feitas através do site da ESMP:  www.mpce.mp.br/esmp .

(Site do MP do Ceará)

São Gonçalo do Amarante ainda atrai investimentos. Apesar do clima de crise

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=MjLJYl2pEX4[/youtube]

A crise econômica ainda não bateu à porta da caça por investimentos do município de São Gonçalo do Amarante (Região Metropolitana de Fortaleza), que é sede do Complexo Portuário e Industrial do Pecém. Quem afirma é o secretário municipal do Desenvolvimento Econômico, Victor Ponte.

O secretário viajou, inclusive, para Brasília, onde tem contato com investidores e em alguns organismos. O objetivo é sedimentar os distritos industriais da sede de São Gonçalo do Amarante e do distrito de Croatá.

Victor Ponte adiantou que vem negociando bons investimentos para esses distritos no que diz respeito a empresas especializadas em próteses médicas.

Estudo sobre AVC no Ceará é destaque em congresso internacional na Europa

josoeeee

O médico João José Carvalho, coordenador do Núcleo de Tratamento do AVC (Acidente Vascular Cerebral), do Hospital Geral de Fortaleza, apresentou, nesta semana, trabalho durante o Congresso Europeu de AVC, em Viena (Áustria).

O trabalho, elaborado pelo Comitê de Atenção ao AVC da Secretaria da Saúde do Ceará, analisou todos os atestados de óbito por AVC de 2009 a 2013 e mostrou que há um aumento de 11% na mortalidade por AVC entre os jovens nos 30 dias após o Carnaval.

Esse foi o único trabalho brasileiro escolhido para apresentação oral.

DETALHE – A partir desses dados, informa o médico João José Carvalho informa: “Vamos enfatizar as campanhas contra o abuso de bebidas alcoólicas no Carnaval. Nunca foi tão verdadeira a frase: beba com moderação.”

Reforma Política – Por um debate aberto

139 2

Com o título “Reforma política num país carente de debate e de diálogo”, eis artigo do professor e sociólogo Pedro Albuquerque. Ele volta ao debate sobre Reforma Política e, em especial, aborda a posição do presidente da Câmara Municipal, Salmito Filho (Pros), contrário ao voto distrital. Confira:

O presidente da Câmara Municipal de Fortaleza, Salmito Filho (Pros), afirmou em reportagem do democrático Blog do Eliomar (http://blog.opovo.com.br/blogdoeliomar/salmito-filho-voto-distrital-e-a-institucionalizacao-dos-currais-eleitorais/) que o voto distrital é a institucionalização dos currais eleitorais. Essa sua manifestação decorreu da aprovação, pelo Senado, do estabelecimento do voto distrital para as eleições de vereador nas cidades de mais de 200 mil habitantes a partir de 2016. Através do mesmo Blog, lhe sugeri que fundamentasse essa opinião tendo em conta sua condição de uma das lideranças mais influentes de nosso estado. E ele o fez, valendo-se de muito boas argumentações.

Em atenção à minha ponderação e sem pretender exaurir a discussão, Salmito Filho observou que o sistema distrital, ao concentrar o voto em porções territoriais da cidade, pode: (1) produzir uma hipertrofia do fisiologismo e do clientelismo (currais eleitorais) em detrimento do fortalecimento do poder republicano do Estado e (2) colocar em cheque a legitimidade de um vereador distrital de legislar para toda a cidade, uma vez designadamente eleito por apenas um distrito, dentre todos os 43 distritos em que, provavelmente, se dividiria geopoliticamente o município de Fortaleza.

O que ressalto como mais importante nessa interação com o Presidente da nossa Câmara Municipal não é tanto e unicamente o conteúdo da sua resposta, mas a resposta em si. O seu gesto abre a possibilidade de diálogo direto como método entre o representante e o representado e expõe a opinião do político ao debate, à crítica, à controvérsia, ao risco da manifestação pública de apoio ou desaprovação.

Isso é não é pouco numa conjuntura em que só se pensa o país, o município e o estado a cada quatro anos, simplesmente em função das eleições. Isso não é pouco num ambiente em que os discensos incomodam e o poder exige adesão. Isso não é pouco num país onde impera, atualmente, a mediocridade do discurso binário que fabrica falsos antagonismos como forma de esconder aproximações e de reduzir a política ao âmbito da disputa eleitoral entre partidos, o que é um viés reacionário. Isso não é pouco em tempo de despolitização da política como meio de diálogo. Isso não é pouco quando a política é judicializada em decorrência da omissão congressual de legislar sobre temas polêmicos, transigindo conforme circunstâncias e produzindo a indiferenciação ideológica e programática dos partidos como forma de evitar adversários. Isso não é pouco num momento em que a representatividade enfrenta uma crise sem precedentes na nossa jovem democracia, com ruas que se enchem de atores sociais sem  partidos, sem líderes, sem instituições, mas com evidente mal-estar político.

Tenho opiniões pessoais sobre o sistema de representação, algumas fruto de experiências vividas em cidades que adotam diferentes sistemas. Mas, sinto-me desapegado de minhas convicções para não me tornar escravo delas. Há, contudo, princípios a considerar como o de que o melhor trato da coisa pública é “governar para as peculiaridades”, segundo nosso saudoso municipalista, professor Américo Barreira, o que não induz a descuidar de um projeto nacional. Considere-se de igual modo que a reforma política não é atalho para reparar o deficit democrático de uma sociedade capitalista tão desigual como a nossa. Fato é que não há representação perfeita, ideal ou superior. Ela eleva sua legitimidade quanto mais se adeque às aspirações populares, aos princípios da democracia representativa e participativa e às mudanças experimentadas pela sociedade em que está inserida.

Com isso, quero afirmar que tão importante quanto a defesa de sistemas eleitorais ou de reformas políticas é a forma como as convicções sobre esses temas transformam-se em consensos. O Congresso é o espaço institucional legítimo onde o debate começa a tomar corpo. Falta entrar com mais força nesse processo o ator principal, o eleitor (o povo). E o caminho é o debate aberto, sem restrições, livre de preconceitos, sem o falso moralismo que pretende demonizar interesses de uns e sacralizar interesses de outros. Mas, assumindo a consciência de que há interesses em jogo que preferem manter as regras atuais, enquanto outros buscam reformar parcialmente ou mais profundamente o sistema eleitoral vigente. O importante é que esse debate ultrapasse as fronteiras partidárias e que não seja engessado por interesses corporativos. Nesse sentido, torna-se crucial o papel reservado às lideranças políticas, como é o caso de Salmito Filho, tanto na defesa de suas teses sobre a reforma, quanto no esforço de colocá-las na pauta da sociedade civil através da construção de espaços de diálogos, de disputas de proposições e de construção de consensos.

O fins não deveriam justificar os meios. Na atual quadra da nossa história, os meios têm corrompido os fins, daí a importância dos meios. No que tange à reforma política, os meios deveriam prestar-se, essencialmente, ao propósito final de definição de, pelo menos, uma legislação eleitoral amadurecida, subordinada ao anseio de afirmação de uma democracia intensamente participativa que comporte pluralismos e se faça empenhada na consolidação de uma sociedade suficientemente justa para tornar-se pacífica e fraterna, orgulhosa de si mesma.

* Pedro Albuquerque,

Professor e sociólogo.

UFC apoia revista ambiental da UFRR

kiaiaa

O casal de pesquisadores José Maria Arcanjo e Sandra Kátia.

A Universidade Federal de Roraima (UFRR) está contando com o apoio e a experiência da área de Ciências Agrárias da Universidade Federal do Ceará para a edição de sua revista “Agroambiente Online”. Os professores Sandra Kátia e José Maria Arcanjo, dessa Instituição, visitaram a UFC e obtiveram apoio e parceria.

A propósito, a engenheira agrônoma Sandra Kátia, que mora há mais de duas décadas em Boa Vista, é pessoa da nossa estima. Foi colega nossa nos tempos do primário no Grupo Escolar Santo Afonso (hoje Escola de Ensino Fundamental e Médio santo Afonso), no bairro Parquelândia; colega no extinto Centro Educacional Júlia Jorge; e também colega do extinto Grupo de Jovens (Joupa) da Igreja de Santo Afonso (Redonda).

Procurando Nemos?

173 2

Do leitor que se assina como Antônio, um comentário deixado no Blog e que, sem sombra de dúvidas, é dos mais pertinentes

Eliomar,

permita aproveitar o espaço, já que não sei postar de forma direta. A sua coluna de hoje -Vertical (O POVO), fala sobre o desempenho dos secretários da Secretarias Regionais.

Ora, você deveria saber que os secretários não tem nenhuma autonomia. Nenhuma mesmo. Não tem nenhum poder de decisão, nem de execução. Por exemplo: precisa consertar um banco de uma praça? Não tem. Tem que vir a ordem do Secretário João Pupo (Conservação e Serviços Públicos), para consertar aquele banco,já com o nome do prestador do serviço.

Precisa cortar os galhos de uma árvore que caiu na via? Não tem. Depois que sai na imprensa, tem que esperar o Secretário João Pupo determinar, também com o prestador do serviço já escolhido. Você há de dizer: mas, para comprar garrafão de água e copo para café, tem. Tem não! E colocar combustível nos carros da secretaria, tem. Tem não. Tem uma cota lá no DVO. Se passar, lascou. Isso quando tem .

Olhe, Eliomar, eu desafio qualquer jornalista a perguntar o nome de uma rua da Regional VI. Pode ser até da sede da repartição. Se o secretario responder de imediato, eu perco meu salário por 10 reais do jornalista. Parece brincadeira, mas, infelizmente, é verdade.

VAMOS NÓS – Moramos no bairro Parquelândia e não conhecemos a titular da Regional III, Fátima Canuto. A propósito, tem assessoria de imprensa no órgão?

Roberto Pessoa – Camilo e RC não podem reclamar da saúde, pois tudo é PT

143 1

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=ONbBwhQvcX8[/youtube]

O presidente de honra do Partido da República, Roberto Pessoa, lamentou, nesta quarta-feira, que o Governo e a Prefeitura de Fortaleza estejam enfrentando um quadro de caos na saúde. Para ele, isso é resultado da falta de recursos que atinge todo o País, mas, principalmente, questão de competência.

“O que é pior é que nem o prefeito de Fortaleza nem o governador podem reclamar. Tudo é PT!” Referiu-se ao fato de que os dois respaldaram a reeleição da presidente Dilma Rousseff (PT).

Ele lembra que o Governo de Cid Gomes construiu dois hospitais regionais – na Região do Cariri e da Zona Norte, prometendo desafogar o IJF de Fortaleza, mas, na prática, isso não aconteceu.

Praça Portugal – Espaço consolidado nos suportes da memória coletiva da cidade?

119 1

Com o título “Urbanismo predatório”, eis artigo do geógrafo José Borzacchiello. Ele aborda mais uma vez o caso da Praça Portugal, aquela que o prefeito quer implodir em favor de um binário e que só registra a presença de ambientalistas  na hora de protestar. Confira:

Com tanta coisa para ser feita em Fortaleza, cidade precária em termos de infraestrutura e serviços, não entendo a razão de uma intervenção drástica na praça Portugal. É difícil aceitar a lógica imposta por um urbanismo predatório, destrutivo e dispendioso.

A Praça Portugal é mais que um simples logradouro urbano. Trata-se de espaço consolidado e inserido nos suportes da memória coletiva da cidade. Com os pequenos ajustes feitos, o trânsito flui bem melhor e garante dessa forma, a permanência da Praça. Sua inserção na paisagem tornou-se referência na cidade para encontros, festas e manifestações.

Foi se o tempo em que urbanismo era identificado com intervenções de resultado puramente estético e funcional. O urbanismo contemporâneo é e deve ser social, logo fortemente comprometido com o cotidiano, considerando o meio ambiente, tendo em vista a qualidade de vida das pessoas. Visto desta forma, o que se pretende fazer na Praça Portugal é a pura negação desses princípios. Foi-se o tempo do urbanismo pautado em portfólio de propostas de racionalidade técnica, negando a história e o cotidiano das comunidades afetadas por suas intervenções. 

Não fica evidente quais são as intenções das propostas que visam destruir a Praça Portugal em nome do sistema viário e de possível fluidez do trânsito. Acompanhei várias reformas em praças de Fortaleza, dentre elas a do Ferreira, José de Alencar e Castro Carreira. A cada mudança, constatei alteração nos fluxos, novos desenhos e alteração na pavimentação desprezando percursos marcados pelas práticas cotidianas. As praças estão lá comprovando que as alterações nada mais foram que desperdício de dinheiro público.

Os ajustes estéticos e funcionais não impediram a situação de abandono desses espaços públicos referenciais da cidade.

Os mega eventos de 2014 não fizeram de Fortaleza uma cidade melhor para se viver. Basta ver o abandono de inúmeros canteiros de obras inacabadas em meio a uma sucessão de obras inauguradas de forma incompleta, colocando em risco a vida dos cidadãos.

O Plano Diretor é o instrumento mais importante no plano de gestão da cidade e auxilia muito a administração que o segue. Entretanto, numa cidade como Fortaleza, extremamente dinâmica, é urgente que as ações estejam focadas entre as necessidades mais prementes. Os gestores e setor privado devem realizar projetos, sem desprezar a participação popular e a discussão da mídia.

Hoje é 13 de maio, dia de peregrinação no bairro de Fátima. Fiéis ocupam todo o entorno da Igreja, alterando a dinâmica do bairro. O que fazer? Não sei o que passa na cabeça dos que pretendem destruir a Praça Portugal. Será que fariam tudo em nome da mobilidade urbana, a qualquer preço? 

José Borzacchiello da Silva

borza@secrel.com.br

Geógrafo e Professor da UFC.

Danilo Forte diz que crise na saúde foi provocada por má gestão de Ciro Gomes

1083 1

danilofortee

Problema vem de lá trás…

Do deputado federal Danilo Forte (PMDB), para o Blog, uma análise sobre o quadro de caos da Saúde no Ceará. Ele não poupa críticas, principalmente, ao período em que o ex-ministro Ciro Gomes, irmão do então governador Cid Gomes, foi o secretário da Saúde. Confira:

A situação caótica na saúde cearense retratada pelo jornal “Folha de S. Paulo” desta terça-feira, 12, é o resultado da má gestão do último Governo Cid Gomes. A situação de alarde da saúde no Estado se agravou durante o período em que o ex-governador e irmão de Cid, Ciro Gomes, foi o responsável pela Secretaria estadual de Saúde entre setembro de 2013 a dezembro de 2014.

Tudo isso desaguou e aflora exatamente agora. Porque os efeitos da péssima gestão e da má aplicação dos recursos na saúde têm efeito posterior e não imediato. Isso fez com que nós tivéssemos um sistema falido. E a desculpa não está na falta dos recursos. Porque os recursos estão indo.

cirogomess

O que há de fato é a má gestão. A má gestão na prefeitura municipal (de Fortaleza) e a má gestão no Governo do Estado. É bom lembrar que quando Juraci Magalhães era prefeito de Fortaleza (1997-2004) foi exatamente quando se deu a modernização dos Hospitais Gerais de Fortaleza e do Estado, coisa que agora a gente vê se acabando exatamente em função da má gestão que está sendo aplicada.

DETALHE – A matéria do jornal Folha de S. Paulo que o parlamentar se refere é a notícia: “Com saúde em crise, Ceará atende pacientes no chão” que foi uma das manchetes. Na última segunda-feira, 11, o número de pacientes que aguardavam atendimento sem leitos somavam 429 pessoas.

Líder do Pros prevê votação da Reforma Política já a partir da próxima segunda-feira

215 1

deputado-federal-domingos-neto-01-20111209-size-598

O projeto da Reforma Política começará a ser votada, no plenário da Câmara dos Deputados, na próxima segunda-feira. A previsão é do líder do Pros, Domingos Neto, que integra o colegiado que aprecia as matérias infraconstitucionais do projeto. Já o substitutivo deverá ser votado na Comissão Especial nesta quinta-feira.

Esse substitutivo quer, por exemplo, fazer coincidir as eleições políticas em todos os cargos e criar um mandato tampão para os vereadores e prefeitos eleitos em 2016. A matéria é do deputado Marcelo Castro e foi apresentado ontem na Comissão Especial que analisa 164 propostas de emenda à Constituição com alterações no sistema eleitoral brasileiro.

O parlamentar propõe também a criação no sistema eleitoral brasileiro do “distritão”, introduzindo eleições majoritárias também nos parlamentos, ao assegurar as vagas para os candidatos mais votados. Ainda acaba com a reeleição nos cargos do Poder Executivo e altera para cinco anos a duração de todos os mandatos eletivos, criando ainda financiamento misto para as campanhas. O sistema eleitoral e o financiamento de campanhas eram os pontos mais polêmicos da reforma e pendentes de definição.

O projeto modifica também a escolha dos suplentes de senador que passam a ser os três mais votados, além eleitos em cada unidade da Federação. Com o fim da reeleição para os cargos do Executivo, o substitutivo cria um mandato tampão de 2 anos para os eleitos em 2016, de forma a possibilitar a coincidência das eleições em 2018, com mandato de cinco anos para todos os eleitos. Na transição, os eleitos para os cargos no Executivo em 2016 poderão ser reeleitos em 2018, quando passa o viger o fim da reeleição.

Camilo só pensa naquilo: saúde, saúde e saúde

O governador Camilo Santana (PT), em sua agenda desta quarta-feira, só vai pensar naquilo: saúde, saúde e saúde.,

A partir das 10 horas, no Palácio da Abolição, tem reuniões com o chamado núcleo duro do governo – incluindo a Fazenda, para tratar de questões e recursos para o setor.

Já às 14h30min, será a vez de conversar com o secretário interino da Saúde, Henrique Javi, e com  todos os diretores dos hospitais estaduais para ouvir queixas e cobrar também propostas.

Ex-secretárío de Finanças reconhece arrocho na economia, mas é otimista quanto a 2016

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=cmp0HlC1Odo[/youtube]

O ex-secretário de Finanças de Fortaleza e hoje professor do Curso de Economia da UFC, Alexandre Cialdini, reconheceu, nesta quarta-feira, que o quadro é dificil para a economia brasileira, que precisa mesmo de ajuste fiscal. Ele considera necessário esse arrocho, mas é otimista, pois avalia que em 2016 o cenário deverá apresentar melhora.

Alexandre Cialdini, indagado sobre erros da Era Petista na economia, creditou como aspectos que levaram o País a essa situação a ampliação das desonerações indefinidas de impostos – como isenção do IPI nos carros novos e outros, bem como pouco controle de gastos e, também, influência da crise internacional.

Cialdini deu essas declarações antes de seguir para São Paulo, onde participará de um seminário sobre  Lei da Responsabilidade Fiscal (LRF).

Sobre a administração do prefeito Roberto Cláudio (Pros), já que ele herdou projetos e o caixa da gestão Luizianne Lins (PT), Alexandre Cialdini nada quis comentar. Ele foi titular da Sefin na Era Luizianne.