Blog do Eliomar

Categorias para Ceará

Cid Gomes: “O Eunício mente como o cachorro acua alma”

123 5

cidgom

“O governador Cid Gomes (Pros), que se licencia do cargo a partir de hoje para se dedicar inteiramente à campanha do aliado Camilo Santana (PT) à sua sucessão, faz os ataques mais duros e diretos ao ex-apoiador e hoje principal candidato de oposição, Eunício Oliveira. Numa conversa de duas horas e meia com O POVO, na tarde da última sexta-feira, Cid diz que recusou-se a aceitar apoiar o nome do peemedebista para liderar sua aliança na disputa de 2014 pelo governo por ele ter “três defeitinhos”. Um deles, aparentemente o mais grave, “misturar política com negócios particulares”.

Cid ainda faz uma definição do candidato do PMDB ao Governo: “O Eunício mente como cachorro que acua alma.”

A conversa tem um balanço altamente positivo sobre os quase oito anos de governo, um mea culpa quanto ao “defeito” de não saber demitir, quando reconhecia as frustrações com os resultados na área de segurança, e uma análise bastante realista do cenário eleitoral.

* Confira a íntegra da entrevista no O POVO aqui.

Candidatos fazem as considerações finais

eleições 2014 debate tv diário 0928 final

Camilo Santana diz que tem sido agredido, assim como o governador Cid Gomes. Pede reflexão do eleitorado. Ressalta que é do PT e que tem apoio de Dilma e de Lula.

Eliane Novais lamenta que debate teve cenas patéticas, quando Camilo e Eunício brigaram sobre a responsabilidade do caso dos banheiros. Lembra que assinou requerimento de instalação de CPI, enquanto Camilo e o PMDB não assinaram. Diz que pesquisas são falsas e manipuladoras.

Aílton Lopes ressalta que nos debates os candidatos possuem tempos iguais. Lamenta que a Constituição do Ceará foi rasgada nos índices de investimentos na Educação.

Eunício Oliveira diz que teve oportunidades de Deus e do povo cearense. Afirma que entrou para a política para retribuir. Lembra que colaborou com o governo Lula, na condição de ministro. Pede a chance para governar o Ceará e promete combater a seca e a violência.

Aílton lembra que taxa de homicídios cresceu 176% na juventude em 10 anos

Aílton Lopes ressalta que a taxa de homicídios cresceu 176% na juventude em 10 anos. Camilo diz que não resolverá problema da segurança pública com varinha mágica. Assegura que Educação será prioridade na defesa contra a violência. Aílton afirma que a maior violência é a desigualdade social. Lembra que Camilo é o continuísmo de Tasso/Ciro/Lúcio/Cid.

Eliane diz que governo Cid Gomes a envergonhou na Educação

Eliane lembra que a evasão escolar acontece no primeiro ano, em 10%. Diz que escola em tempo integral é uma questão de vontade política, o que atualmente não ocorre. Afirma que sente vergonha do governo Cid. Lembra que não fizeram em 8 anos e não farão em 4 anos com Camilo. Eunício lembra que participou como parlamentar do Plano Nacional de Educação, inclusive incluindo metas.

Eunício diz que hospitais não funcionam por falta de profissionais

Ao ser abordado por Aílton Lopes sobre o tema da Saúde, Eunício Oliveira diz que os hospitais não funcionam por falta de profissionais. Afirma que propaganda do governo na televisão parece que fala de outros países. Aílton afirma que somente agora que Eunício percebeu o caos na Saúde. Eunício lembra que é o autor da Emenda do Orçamento Impositivo, que destina R$ 8 bilhões para a saúde pública. Lembra que foi escolhido como um dos parlamentares mais atuantes do Brasil.

Eunício e Camilo voltam ao tema dos banheiros

Eunício Oliveira questiona números da violência no Estado, incluindo Fortaleza, uma das cidades mais violentas do mundo. Camilo alega que a violência é uma epidemia nacional e tem a droga como principal causa. Diz que combate se dá com investimento na educação. Eunício afirma que Camilo quer colocá-lo como covarde. Informou que Camilo tentou censurar seu programa, mas não conseguiu porque não há mentira. Camilo volta a dizer que denúncia é covarde.

Camilo diz que valoriza professor porque é professor

Camilo Santana diz que, caso eleito, irá dialogar e valorizar com os professores. Candidato destaca que vice também é professora (Izolda Cela). Relata avanços na educação do Estado no atual governo. Eliane Novais diz que Camilo e Izolda se vangloriam de avanços, mas esquecem dos professores. Quer saber do Plano de Cargos e Carreiras da categoria.

Aílton Lopes lamenta falta de investimentos na Educação

eleições 2014 debate tv diário 0928 aílton lopes

Ao lembrar as cenas de violência da Polícia Militar contra professores, Aílton Lopes diz que Ceará é o quarto no país a ter mais professores temporários, ao invés de contratados. Eliane Novais diz que sentiu vergonha das cenas de violência contra professores na Assembleia Legislativa, com respaldo da base aliada do governador Cid Gomes. Aílton lembra que Izolda Cela, vice de Camilo, não se pronunciou sobre a violência contra os professores.

Eliane diz que governo está enganando eleitor para eleger Camilo

eleições 2014 debate tv diário 0928 eliane novais

Ao falar sobre infraestrutura, Eliane Novais diz que o governo Cid Gomes pensa em obras faraônicas e diz que mente sobre o Cinturão das Águas, quando afirma que obra está com 45%, quando na realidade está com 10%. Camilo destaca obras no setor da energia. Eliane diz que governo que vencer eleição com grandes mentiras.

Eunício Oliveira lamenta falta de ações emergenciais contra a seca

eleições 2014 debate tv diário 0928 eunício oliveira

O candidato Eunício Oliveira lamenta que o atual governo perfurou apenas 10% dos poços emergenciais que o Ceará precisa. Assegura que, como governador, irá perfurar três mil poços. Afirma que a transposição das águas do São Francisco e o Cinturão das Águas não são obras emergenciais.

Aílton Lopes diz que somente agora Eunício Oliveira perceber o problema da seca, após romper com Cid Gomes. Eunício afirma que o secretário indicado pelo PMDB não tinha autonomia.

Começa o debate da TV Diário

144 1

eleições 2014 debate tv diário 0928 edson silva

Teve início agora há pouco o debate da TV Diário com os candidatos ao governo do Ceará. Na apresentação, o candidato Eunício Oliveira (PMDB) ressaltou o combate ao desperdício. Eliane Novais (PSB) criticou as pesquisas eleitorais. Camilo Santana (PT) destacou a necessidade do continuísmo. Aílton Lopes (Psol) criticou o sistema e lamentou a desmotivação do eleitorado com as promessas políticas.

Indecisos usam debate na TV para escolher candidato, avalia Cid Gomes

Da Coluna Fábio Campos, no O POVO deste domingo (28):

Na reta final da campanha, o governador Cid Gomes (Pros) avalia que os debates na TV terão peso decisivo na disputa pelo Governo do Ceará. Não é à toa. Segundo a última pesquisa O POVO/Datafolha, na consulta estimulada, nada mais, nada menos do que 13% dos eleitores se declararam indecisos.

Na pesquisa espontânea do mesmo instituto, o índice de “não sabe” alcançou impressionantes 44%. É bom lembrar que a pesquisa espontânea reproduz a ação do eleitor diante da urna, que não tem uma lista de candidatos.

No Ibope, o índice de indecisos é de oito pontos percentuais na pesquisa estimulada. Ou seja, o candidato que conseguir atrair a maioria dos votos indecisos pode vencer a acirrada eleição para o Governo do Ceará.

Nesta segunda-feira (29), o governador entra de licença para se dedicar totalmente à campanha.

Torcida do Vozão em festa: alvinegra é eleita Miss Brasil

foto miss ceará melissa gurgel

A estudante de Design de Moda e torcedora do Ceará Sporting, Melissa Gurgel, 20, foi eleita Miss Brasil, na madrugada deste domingo (28), no Centro de Eventos, em Fortaleza. Modelo há cinco anos, a torcedora alvinegra de 1,69 metro de altura e 57 quilos agora disputa o título de Miss Universo, a ser realizado no fim do ano, nos Estados Unidos.

Melissa Gurgel representou o Estado do Ceará, após vencer o concurso, em agosto, como representante do município de Maracanaú. A paulista Fernanda Leme ficou na segunda colocação do Miss Brasil, seguida pela potiguar Deise Benício.

Liminares: o Judiciário sairá fortalecido

Há aproximadamente três anos, o O POVO vem acompanhando, com algumas reportagens exclusivas, o caso que ficou conhecido como “venda de liminares”, que pôs sob investigação do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) alguns desembargadores do Tribunal de Justiça do Ceará (TJ-CE), que, em possível conluio com advogados, teriam se utilizado de plantões judiciários para conceder liminares, propiciando, indevidamente, a soltura de criminosos de alta periculosidade, como sequestradores e traficantes de droga. Desde a semana passada, uma equipe do CNJ está em Fortaleza colhendo depoimentos e fazendo outras diligências para apurar o caso.

O opróbrio que recaiu sobre o Judiciário cearense tem uma contrapartida elogiável: a iniciativa da investigação partiu do próprio Tribunal de Justiça, isto é, de seu presidente Gerardo Brígido, que não capitulou a praga do corporativismo e pôs os interesses da instituição e da sociedade acima de qualquer outra consideração restrita. É de se imaginar os problemas que isso lhe causou e a pressão que teve de suportar para manter-se firme no propósito que se impôs.

O processo agora está próximo de seu desfecho e, ao que tudo indica, irá provar as irregularidades, pois a situação atual nos plantões já difere do que ocorria alguns meses atrás, quando dezenas de liminares eram concedidas de modo suspeito. Comprovadas as anomalias, afastando-se e punindo-se os culpados, em suma, feita a limpeza, o Judiciário sairá fortalecido.

Esse caso é exemplar, na medida em que contraria o senso comum, que prefere condenar algumas instituições com generalizações imprecisas e perigosas, do tipo que nega qualquer nobreza à atividade política, ou vê o Judiciário como um lócus do corporativismo, com funcionários voltados apenas para os seus próprios interesses. Nessa circunstância, infelizmente, quem faltou foi a cidadania, pois não se manifestou devidamente a sociedade organizada para acompanhar o caso mais de perto ou hipotecando apoio decidido à iniciativa asséptica que partiu de dentro do Judiciário.

Quando todos os cidadãos alcançarem a plena consciência de que a crítica é saudável, porém inócua, se não vier acompanhada da participação ativa na vida das instituições, alcançaremos uma democracia mais sólida e uma sociedade melhor.

(O POVO / Editorial)