Blog do Eliomar

Categorias para Ceará

Boneco de Eduardo Cunha é queimado após ato pelo Dia do Trabalho

cunhhaa

A caminhada  promovida pelo Sindifort e Intersindical, que marcou o Dia do Trabalho nesta sexta-feira em Fortaleza, foi encerrada com um fato curioso: manifestantes queimaram um boneco que simbolizava o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB/RJ).

Creditam exclusivamente a ele o fato de o projeto de lei 4330 ter sido aprovado na Casa contra a vontade da classe trabalhadora. Esse projeto é aquele que flexibiliza as terceirizações e que, conforme sindicalistas, só beneficiará o empresariado.

A matéria, no momento, tramita no Senado.

(Foto – David Medina)

Danilo Forte rebate Aníbal Gomes e diz que PMDB não é “empresa privada” de Eunício Oliveira

211 2

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=ay7nUJfnI6M[/youtube]

O deputado federal Danilo Forte (PMDB) rebateu a crítica feita por seu colega de partido, Aníbal Gomes, que, neste Blog, disse ser a legenda uma “empresa privada” controlada pelo presidente estadual, o senador Eunício Oliveira.

Danilo Forte espera que os dois políticos retomem o diálogo. O parlamentar, no entanto, reconhece que isso é resultado de feridas ainda não cicatrizadas da última campanha para o Governo. Eunício disputou o Governo e Aníbal apoiou o petista Camilo Santana.

Patrício Melo é o novo reitor da Universidade Regional do Cariri

399 1

DSC_0928 [Resolução do desktop]

Otonite e Patrício Melo.

O professor e atual vice-reitor da Universidade Regional do Cariri (Urca), Patrício Melo, venceu a consulta para a escolha do novo reitor da Instituição. O resultado foi divulgado nesta tarde de sexta-feira, após a contagem dos votos apurados durante a eleição ocorrida na universidade por toda a quarta-feira (29).

A chapa encabeçada por Patrício Melo, tendo como o vice-reitor o professor Lima Júnior, do curso de Economia, venceu nos três segmentos em disputas: professores (396 a 160), alunos (2.022 a 1.983) e servidores (197 a 40). Os professores Maria Zuleide e Glauberto integraram a chapa de oposição.

A nomeação e posse de Patrício Melo ocorrerá em julho pelo governador Camilo Santana (PT), quando terminará a gestão da atual reitora, Otonite Cortez.

(Com informações de Bruno Morais)

Prefeita de Tauá assumirá a presidência do PSD do Ceará

alm icyr

Almicyr Pinto fez convite pessoalmente a Patrícia Aguiar.

A prefeita de Tauá, Patrícia Aguiar, vai assumir a presidência do Partido Social Democrático no Ceará. Durante almoço realizado nesta sexta-feira em seu município, ela, que dará adeus ao PMDB, aceitou o convite que lhe foi formulado pelo atual dirigente estadual, Almicyr Pinto.

Na próxima segunda-feira, Almicyr viajará para Brasília onde comunicará oficialmente a mudança ao presidente nacional do PSD, o ministro Gilberto Kassab. Almicyr assumirá como vice do partido no Estado.

Kassab deverá vir ao Ceará, ainda neste mês, em breve para o ato de posse da nova cúpula partidária.

DETALHE – O PSD cearense foi montado com respaldo do ex-governador Cid Gomes (Pros). Surgiu como sigla alternativa para abrigar aliados que, por motivos de problemas em suas bases, não puderam ingressar no Pros.

Bancada cearense terá pauta com prefeitos sobre Orçamento

expdito

A bancada federal cearense vai se reunir, a partir das 8h30min da próxima segunda-feira, com prefeitos de várias regiões do Estado. Hora de ouvirem demandas, antecipando a discussão da pauta de reivindicação do Movimento Municipalista Nacional junto ao Congresso, que seria realizada durante a XVIII Marcha a Brasilia em Defesa dos Municípios, entre os dias 25 e 28 de maio. Organizada pela Aprece, a reunião acontecerá no auditório da Ceará Diesel (Avenida Aguanambi, 2269, Bairro de Fátima)

Segundo o presidente da Aprece, Expedito José do Nascimento, o debate está de acordo com a pauta discutida com a Confederação Nacional dos Municípios e replicada em todos os Estados antes da realização da Marcha. A ideia é levar para o evento nacional o resultado do encontro realizado com os deputados federais e senadores, ampliando e aprofundando o debate em Brasília.

Cadeira foi feita para botar o bumbum

555 11

cadeiririr

Quem foi à Arena Castelão, quarta-feira última, conferir a final da Copa Nordeste, percebeu que o torcedor cearense, pelo visto, continua com as manias dos velhos estádios.

Isso, mesmo depois de Fortaleza ter sido subsede das Copa do Mundo e do tal “Padrão Fifa”.  Cadeira foi feita para botar o bumbum e não os pés.

Talvez atitudes como esta aí da foto esclareçam um pouco o fato de tantas cadeiras apareceram quebradas após jogos no Castelão. Ou seja, o causador disso não seria só o vandalismo, mas costumes nada educados de comportamento.

Ex-presidente da FIEC vê Dilma Rousseff “acuada”

roberto macedo

“Vejo a presidente Dilma hoje acuada. Não fazer pronunciamento nem no dia 1º de Maio é exemplo disso”, avalia, preocupado, o ex-presidente da Federação das Indústrias do Ceará (Fiec) e membro do conselho da Confederação Nacional da Indústria, Roberto Macedo.

Para ele, situação do gênero é triste e mostra que o Governo Dilma está sem credibilidade, precisando, com urgência, mostrar serviço e enfrentar a crise.

Para Macedo, isso passa pela aprovação do pacote de ajuste fiscal, no qual deveria ter entrado também um profundo corte no rosário de tanto ministério.

Missa da Ressurreição por Audifax Rios será na Igreja de Santa Luzia

269 2

foto audifax rios

A Missa da Ressurreição do multiartista Audifax Rios será celebrada nesta sexta-feira, a partir das 20h30min, na Paróquia de Santa Luzia.

Familiares e amigos convocam a turma não só das artes, mas também da publicidade e da mídia para prestar essa ultima homenagem ao Audifax que, como disse o imortal João Soares Neto, em artigo publicado neste 1º de Maio no Blog, deixará “Rios de saudade”.

Acquario do Ceará – Obra não tem alvará

“Em novo questionamento ao Acquario Ceará, técnicos do Tribunal de Contas do Estado (TCE) expediram relatório que pede a suspensão de pagamentos da obra. Segundo o documento, obtido pelo O POVO, o empreendimento opera em “graves irregularidades” por não possuir, desde o início dos trabalhos, em 2012, alvará de construção expedido pela Prefeitura de Fortaleza.

De acordo com o relatório, elaborado em dezembro de 2014 pela Comissão Especial de Acompanhamento e Fiscalização de Obras de Grande Porte do TCE, o alvará é “documento indispensável” para o início das obras. Essa posição já foi questionada pelo governo do Estado.

“O início de uma obra de tamanha envergadura sem a prévia autorização do poder público municipal poderá significar transtornos maiores no futuro”, diz o relatório. Além da suspensão de pagamentos à empresa International Concept Management, o órgão sugere multa ao ex-secretário do Turismo, Bismarck Maia.

Em 19 de dezembro passado, o relatório foi adicionado em processo sobre o Acquario que tramita no TCE. Para que suas determinações sejam cumpridas, o documento precisa ser aprovado pelo pleno de conselheiros da Corte. Atualmente, a ação é analisada pelo Ministério Público de Contas.

Sem alvará

Procurada pelo O POVO, a Secretaria do Urbanismo e Meio Ambiente de Fortaleza (Seuma) confirma que a obra ainda não possui alvará de construção. Segundo o órgão, a ação já “está apta” para receber a documentação, mas ainda aguarda autorização da Superintendência do Patrimônio da União (SPU).

Questionada se a ausência do documento configura irregularidade ou prejuízo futuro, a Seuma não se manifestou. “Nos posicionaremos mediante entrega oficial do documento”, afirmou em nota. O órgão também não comentou a existência de fiscalização de obras sem alvará. Conforme o Código de Obras e Posturas de Fortaleza, os alvarás são necessários e “devem permanecer no local da obra” durante a execução dos trabalhos.”

(O POVO)

Dia do Trabalho – CUT e CTB fazem manifestação sem o furor do passado

plcutcsb

A Central Única dos Trabalhadores (CUT) e a Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB) realizaram, nesta manhã de sexta-feira, no Itaperi, caminhada pelo 1º de Maio em Fortaleza. O mote foi ofensiva ao projeto de lei 4330, que flexibiliza as terceirizações.

Os deputados federais Chico Lopes e Luizianne Lins (PT) participaram do ato que, comparado a eventos do gênero do passado, foi bonzinho. Mas Lopes avaliou diferente: “Foi uma grande manifestação, uma das maiores do 1º de Maio nos últimos anos em Fortaleza, comprovando que os trabalhadores cearenses estão mobilizados contra essa onda conservadora no nosso País e contra a tentativa de liberar a terceirização para todas as áreas, o que seria extremamente prejudicial para os trabalhadores e para o Brasil”.

DETALHE – Os organizadores estimaram cerca de seis mil pessoas. A PM comparecer com quatro viaturas e 16 homens do choque. Não, não fez projeções sobre número de militantes.

(Foto – Divulgação)

Cid Gomes, bem despojado, passa feriadão em Sobral

177 1
cidgmmm
A presença do ex-governador Cid Gomes (Pros), em Sobral, sua terra natal, tem sido uma constante, nos últimos dias.
Bem descontraído, ele circula por bares do município e não dispensa conversa.
Aqui, ele aparece dando entrevista para uma emissora de rádio sobralense.
Nessa noite de quinta-feira, Cid Gomes estava, ao lado de alguns amigos, no tradicional Cíceros Bar. Aproveitou e deu uma palhinha como cantor.
(Blog Sobral de Prima/ Foto – WG)

Você tem pena de gente que acredita na privatização da própria felicidade?

239 2

Com o título “Privatistas somos todos nós”, eis artigo do jornalista e sociólogo Demétrio Andrade. Ele aborda meritocracia, competição e diz ter pena de gente que acredita na privatização da própria felicidade. Confira:

Não se assuste com a frase acima. Mas cada dia percebo como é difícil encontrar alguém que coloque o interesse do outro ao menos em pé de igualdade com o seu. Pensar coletivamente virou tarefa quase impossível. Não é novidade, claro, afirmar que a sociedade atual vive uma síndrome individualista contínua. Palavras como “competição” e “meritocracia” são bordões inapeláveis. Tudo é vendido dentro da lógica do bordão publicitário “vou conquistar o MEU espaço”.

Isso gera interpretações toscas e distorcidas da realidade. A primeira delas é o mito do “self-made-man”. Em português, seria algo como “eu me fiz sozinho”. Lógico que não quero tirar onda com o esforço de ninguém. Porém, é risível, por exemplo, que médicos formados em universidades públicas achem absurdo o governo exigir deles qualquer contrapartida.

Alguns dizem cinicamente que o saber adquirido “não é gratuito” pois pagaram os estudos mediante os impostos. Ora, toda a sociedade contribuiu. Todos lhe ajudaram naquela formatura. Mas o programa “Mais Médicos” só existe porque é raro encontrar médicos brasileiros que topem trabalhar em hospitais no interior ou na periferia de grandes cidades – mesmo com alta remuneração. Sendo mais claro: obtido o diploma, o resto que se lasque.

Há também o mito do “eu mereço”. Adoro usar casos do trânsito como ilustração. Muito se acham no direito de, por exemplo, parar irregularmente em vias movimentadas de Fortaleza – no meio da rua, em calçadas, em frente a garagens, trancando outros automóveis – porque vão ficar “só um minutinho” ou “resolver um problema rápido”. Usam, inclusive, um recurso comum que aparentemente acham que tem poderes miraculosos: o pisca-alerta. Na cabeça destas pessoas, ligado o pisca-alerta o carro deixou de ser um problema: o mundo está avisado. Eu posso. Quem quiser que buzine, mesmo causando alguns quilômetros de engarrafamento e prejudicando o semelhante.

Há milhares de outras evidências de atrofiamento do pensamento no coletivo. Gente furando fila, sendo contrário a cotas para minorias, sonegando impostos, jogando lixo na rua, tratando mal os subalternos, evitando segurar a porta do elevador para o vizinho, pagando uma miséria para empregados domésticos. Não se trata de simples gentileza ou obrigação. É falta de compreensão de que – pasmem! – não estamos sozinhos no mundo e precisamos uns dos outros para sobreviver.

Tenho a impressão de que alguns acham que tudo deve girar em torno deles. Não conseguem usufruir de um espaço público. Não conseguem dividir responsabilidades. Muito menos partilhar alegrias. É como se, naturalizada a lógica do mercado, fosse possível comprar um prazer somente para si. Tenho pena, sinceramente, em quem acredita na privatização da própria felicidade.

* Demétrio Andrade,

Jornalista e sociólogo.

Camilo aproveita estada em São Paulo para encontro com setor automotivo

camillod

O governador Camilo Santana aproveita estada em São Paulo para reforçar contatos com grupos empresariais.

Depois de reunião com a presidente da TAM, Cláudia Sender, sobre o hub para conexões domésticas e internacionais que é disputado por Fortaleza – Recife e Natal estão no páreo, a vez foi de contato com o setor automotivo.

Camilo se reuniu com 10 dirigentes de empresas desse segmento e expôs o que o Ceará pode oferecer de incentivos fiscais e outras vantagens para atraí-las.

DETALHE – O governador passa o feriadão em São Paulo, com a família.

Dia do Trabalho, Dia de Orações

Dois eventos movimentam, neste feriadão pelo Dia do Trabalho, os católicos:

No Centro de Eventos, acontece o Fórum Shalom, promoção da Comunidade Shalom que oferece reflexões, orações, louvores e palestras com convidados especiais como o arcebispo de Fortaleza, dom José Antônio, e o bispo de Granada (Espanha), dom Javier Martinez.

domjose

No Ginásio Paulo Sarasate, tem o VI Misericórdia, do Instituto Hesed, com orações e shows. Uma das atrações é a Irmã Kelly Patrícia.

Ir-Kelly-Patricia-2

* Estes dois eventos vão se estender até domingo.

Dia do Trabalho com queixas sobre situação do Sine/IDT

Com o título “Salve o Dia 1º de Maio: Aos trabalhadores e trabalhadores do Sine/IDT”, eis nota da Organização por local de Trabalho (OLT):

Lamentamos não ter motivos efetivos para comemorar. A crise econômica mundial, iniciada em 2008, persiste e penaliza a classe trabalhadora, pelo mundo afora, espalhando desemprego, arrocho salarial e retirada de direitos sociais historicamente conquistados. No Brasil, o trabalhador está sendo chamado a pagar a conta do ajuste fiscal imposto pela oligarquia financeira. Outras conspirações estão em curso, como é o caso do PL 4.330, que amplia a possibilidade de terceirização de mão-de-obra para as áreas fins, precarizando ainda mais as relações de trabalho para manter e até aumentar os lucros dos capitalistas, ameaçando direitos sagrados dos trabalhadores, com grande apoio de parlamentares, muitos deles ditos defensores do “trabalhismo”.

No SINE/IDT, tivemos que amargar o recente corte de 15% do valor do Contrato de Gestão, que culminou na dispensa de 47 colegas de trabalho, entre empregados e estagiários e no fechamento de Unidades, que já estão sendo reabertas, de forma precária, municipalizada, e sob a “supervisão” da nossa estrutura de gestão. Sem tempo para respirar, depois da árdua luta tentando reverter mais esta mutilação do Instituto, via corte orçamentário, fomos surpreendidos por mais uma alteração no estatuto da entidade (apoiada, de maneira velada e até mesmo explicita, por nossos representantes no Conselho de Administração).

A mudança foi feita exclusivamente para atender o apetite por cargos dos partidos e forças políticas que ora dão apoio e sustentação ao governo do estado (leia-se: por pura politicagem), em detrimento do preenchimento dos cargos destes por técnicos de carreira da instituição, tudo isso apimentando o caldo grosso das incertezas que historicamente vivenciamos desde 1998. Enquanto isso (pasmem), o Contrato de Gestão ainda não foi assinado,

Ou seja, para atender interesses estranhos à instituição, mudaram o seu Estatuto para acomodar duas pessoas de fora do quadro de pessoal do Instituto (Diretores Externos) nas suas diretorias de Promoção do Trabalho e Empreendedorismo e de Estudos e Pesquisas. Além disso, criaram um novo cargo de Assessor da Presidência, contrariando o discurso da escassez de recursos. O sentimento que paira hoje entre os trabalhadores do SINE/IDT é de perplexidade, incerteza em relação ao futuro da instituição e de desvalorização do seu quadro técnico-administrativo, sem falar no sucateamento dos ambientes de trabalho.

A OLT repudia, mais uma vez, esse tipo de ingerência politiqueira na vida da nossa instituição, que sairá mais fragilizada depois dessas mudanças. Daqui a quatro anos vamos avaliar e certamente concluir que essas pessoas passaram por aqui e em nada contribuíram para reverter o quadro de esvaziamento e desmonte do Instituto, como o prática tem demonstrado.

Apesar de tudo, comemoremos o 1º de maio, pois ele representa a história viva da luta e resistência dos trabalhadores pela manutenção dos seus direitos e conquistas.

Na luta sempre !

* Organização por Local de Trabalho – OLT/IDT.

Uma homenagem ao multiartista Audifax Rios

Com o título “Audifax, rios de saudade”, eis artigo do escritor João Soares Neto, membro da Academia Cearense de Letras. Uma homenagem ao multiartista Audifax Rios, que foi embora sem alarde. Confira:

“É importante registrar, de antemão, para conhecimento dos novatos que esta tertúlia há muito vem acontecendo, heterogênea e informal…” Audifax Rios,20.02.2002″

Sábado passado, o “Clube do Bode” perdeu o seu secretário Audifax Rios. Cuidadoso, ele ligara de Santana do Acaraú, sua terra natal, e pedira ao Sérgio Braga, “pai-de-chiqueiro-mor”, que colhesse as assinaturas dos presentes.

Como se sabe, o Clube do Bode é entidade “sui generis”, cunhada em 2000, a reunir, de forma desconvencional e anárquica, escritores, artistas plásticos, poetas, ex e atuais políticos de tendências mis, jornalistas, compositores, cantores, profissionais liberais, empresários e outros, m cristãos ou ateus, que por lá aportam com objetivos pessoais, comuns ou peculiares.

Os caprinos comparecem às sextas noturnas e aos sábados matutinos na sede aos fundos da longeva “Livros Técnicos”, justo na sala do Braga que a todos recebe no espaço conflagrado por opiniões colidentes, vozes exacerbadas, bebidas e petiscos, por conta da casa.

Quando a sala superlota, o grupo se desloca para a calçada adjacente. Só aí cada um passa a pagar a sua conta, servidos por distintos garçons. Há 13 anos, Audifax virou o nosso Pedro Vaz Caminha, registrando tudo em 691 atas, a partir de 20 de fevereiro de 2002, enfeixadas em 38 volumes. Ele o fazia com precisão jornalística, não só as presenças, mas os “causos”, as gabolices, os livros lançados, caricaturava, colava recortes de jornais e, infelizmente, o registro da morte de pares.

Pois não é que, logo após a ligação, ao banho, o Audifax teve encontro relâmpago e definitivo com a nefanda. Essa, sempre à espreita, modo e jeito aleatório, ceifa inteligências e outras, nem tanto. Autodidata, fez-se, por sua conta e risco, cenógrafo, ilustrador, xilógrafo, pintor, criador publicitário, romancista e, por último, jogou a timidez para o alto e assinou, por anos, crônica semanal no “O POVO”.

Ele e eu tínhamos boas conversas, a partir de sua mordacidade e da sua abstemia que o fazia vigilante das tagarelices, dos egos inflamados e dos que lá vão apenas para estar perto dos que lhe interessam.

Fiquei triste quando o Ubiratan comunicou-me o infortúnio. Perdi a graça. Só aquietei-me quando o vi, sereno em sua horizontalidade, com camisa multicor, pranteado pela família e por centenas de amigos e admiradores. Registro cinco depoimentos de amigos do

Audifax. Cada um a seu jeito:

1-B. C. Neto: “Indescritivelmente entristecido, hoje assinarei uma ata diferente. Fugitivo, confesso das grandes dores existenciais, nunca apareço nem enfrento esses momentos. Tem sido assim. De repente, me encontro no vácuo para escrever sobre um amigo-irmão e publicar na marcante ata da vida. O Audifax sempre me lembrou de nosso sangue armorial de nordestino autêntico, que escorre, lentamente pelos córregos, veredas e tabuleiros do nosso sertão, rumo ao mar, onde recebeu carimbo e cidadania plena de cearense fidedigno. Continuaremos nossos cânticos e benditos na procissão dos lutadores”.

2. Durval Aires Filho: “Admirado por sua simplicidade, Audifax nasceu artista plástico, começando a trabalhar no canal 2, pintando cenários, convivendo com João Ramos, Emiliano Queiroz, B.de Paiva e Augusto Borges, entre outros talentos. Possuía um traço inconfundível, expressando, com carga emotiva, toda realidade do semiárido. Foi excelente escritor. Quando publicou “Bar Peixe Frito”, há quase quarenta anos, comemoramos. Depois do texto, peixe assado e aguardente. Era alegria encontrá-lo na companhia de Carlos Paiva, Augusto Pontes e Gervásio de Paula. Agora, compartilho com a D. Valda, Mariana, João e com infinidade de amigos, a tristeza de sua ausência. É a vida, meu senhor!”.

3. Paulo de Tarso Pardal: “Iniciei minha vida nas artes por meio do Audifax. Aprendi quase tudo com ele. E ele se fez meu professor, sem pedir para sê-lo: ele, simplesmente, foi me ensinando, sem saber da transformação por que eu passaria, logo após nossos primeiros encontros. Acho que, pela simplicidade e pelo prazer de ensinar. Na verdade, acredito que ele era despregado do mundo. Ele vivia aqui, porque tinha como missão ver o mundo diferentemente e ensinar as pessoas a serem assim. Penso que, em parte, ele conseguiu, porque muitos modificaram suas vidas pelos seus ensinamentos. O mais importante é que ele já está presente dentro da gente e dentro de muitas casas, mesmo não estando mais aqui.”

4. Ubiratan Aguiar: “Ele fez da simplicidade a marca registrada do seu talento. Nos traços, nas letras, nas cores de suas telas estavam presentes a alma sertaneja do homem da Santana, o verbo candente dos que clamam por justiça social. Sóbrio no dizer, fraterno nas amizades, abriu caminhos e fez história na vida cultural de Fortaleza. Encontrou-se no Clube do Bode e em um processo de simbiose ficou difícil identificar diferenças e semelhanças entre eles. Audifax escreveu sua vida com a grandeza da humildade, a disponibilidade no servir e a elevação de princípio.”

5. Virgílio Maia: “Audifax e eu nos conhecemos e travamos imediata amizade por volta de 76, quando vim de Minas: para mim, foi como achar ouro em pó. Difícil se encontrar, se é que se encontra pessoa de melhor caráter, incapaz, absolutamente incapaz de cometer, com quem quer que seja ou fosse, a mínima descortesia ou deslealdade. Possuidor de alma vocacionada à boêmia e às artes, soube, porém, mediar esse chamamento como àquela outra vocação que igualmente lhe completava: a familiar. Foi marido, pai e avô cheio de compreensão e de amorosa ternura. Fizemos várias parcerias artísticas, ele pacientemente ilustrando algum verso que eu houvera cometido. Publicamos em conjunto, pela Editora Giordano, de Sampa, a “Via-Sacra Sertaneja”. Audifax foi de um tudo: romancista, xilógrafo, cordelista, pintor, editor, publicitário: era meio renascentista, o que quisesse ser, fazia o que queria, o ‘homo faber’. Mas lá se foi meu nobre amigo Dom José de Santana: era assim que eu o chamava.”

DETALHE – A missa de 7º dia será nesta sexta-feira, 1º. de maio, às 20h30min, na Paróquia de Santa Luzia. Requiescat in pace.

PPS e PSB buscam fusão, mas bases no Ceará exercitam discursos bem surreais

175 3

01c02CO_02 (2)

Em Brasília, o PSB e o PPS anunciam fusão.

Por aqui, Alexandre Pereira, que preside o PPS e responde por uma coordenadoria de Parcerias Público-Privadas n o âmbito da Prefeitura de Fortaleza, avisa que apoia a reeleição do prefeito Roberto Cláudio (Pros).

Já o presidente estadual do PSB, ex-deputado federal Sérgio Novais, não esconde o jogo: quer a ex-prefeita Luizianne Lins ingressando na futura sigla que resultar da fusão PPS/PSB e ainda entrando como candidata à sucessão de Roberto Cláudio.

E aí, dá para entender essa mistura nada fina?

Dia do Trabalho – Ato no aterro da Praia de Iracema ainda é morno

atoo

A manifestação deste 1º de Maio, no aterro da Praia de Iracema, em Fortaleza ainda está morna. Organizada pelo Sindicato dos Servidores e Empregados Públicos (Sindifort) e Intersindical – Central da Classe Trabalhadora, deverá mobilizar lideranças em protestos contra as MPs do ajuste fiscal e o projeto 4330, que flexibiliza as terceirizações no País.

Organizadores dizem estar cedo ainda e que esperam boa adesão ao longo do dia.

(Foto – Davi Medina)