Blog do Eliomar

Categorias para Ceará

Economista Eduardo Giannetti vem expor seu economês em Fortaleza

gianetti

Dentro da quarta edição do programa “Brasil em Debate”, o Sindicato da Indústria da Construção Civil do Ceará (Sinduscon) e a Cooperativa da Construção Civil do Ceará (Coopercon), debaterá, na próxima quinta-feira, no La Maison Cidade, as perspectivas do Brasil para os próximos quatro anos.

O convidado é o professor e economista Eduardo Giannetti, que foi membro da equipe econômica da ex-candidata a presidente da República, Marina Silva (PSB). Para ele, o Brasil poderá vivenciar dois cenários: “curva de aprendizado” ou “aposta redobrada”.

No primeiro, o Governo Dilma reconheceria os equívocos cometidos e daria início a um movimento corretivo; já no segundo, o governo aprofundaria a chamada nova matriz econômica, que prevaleceu no primeiro mandato.

SERVIÇO

Interessados ainda podem fazer suas inscrições nos siteswww.coopercon.com.br ou www.sindusconce.com.br.

DNIT/CE usa Regime Diferenciado de Contratação para acelerar obra

diogeneslinhares

Já em processo de licitação o acesso, por viaduto, via BR-116, ao município de Horizonte (Região Metropolitana de Fortaleza).

O Dnit, através do seu superintendente estadual, Diógenes Linhares,  informa que receberá as propostas no próximo dia 11.

A licitação é pelo Regime Diferenciado de Contratação (RDC), o mesmo usado para acelerar  as obras da Copa do Mundo.

No trânsito confuso de Fortaleza, o que estaciona menos é a delicadeza

168 2

Com o título “Em que momento perdemos a delicadeza?”, eis artigo do jornalista e sociólogo Demétrio Andrade. Ele aborda o cenário confuso e absurdo do trânsito de Fortaleza, onde cada um quer levar vantagem, deixando o pedestre à beira da calçada. Confira:

Cena comum em qualquer escola privada – principalmente as mais caras – de Fortaleza: carros estacionados em fila dupla ou tripla ou mesmo em locais proibidos, tornando o tráfego caótico e causando irritação logo nas primeiras horas da manhã. Detalhe: trata-se de um local no qual, teoricamente, as crianças deveriam ter noções de educação e civilidade. Ao contrário, vejo pais relapsos, com preguiça de andar duas quadras a mais, ensinando aos seus filhos, desde muito novos, que o mais importante é resolver o seu problema, nem que para isso seja necessário prejudicar o semelhante.

Aliás, quando se fala de trânsito, os exemplos se acumulam: pessoas estacionando em vagas de idosos e deficientes, parando – basta um segundo, aliás – em locais proibidos e causando engarramentos, deixando o carro em frente de garagens ou sobre calçadas, dirigindo em marcha lenta na faixa de velocidade ou em velocidade na faixa lenta, ultrapassando sinais vermelhos. No fundo, de forma premeditada ou não, todos eles estão gritando: “dirijo como quiser, transeuntes e motoristas que se lasquem”.

O pomposo nome “cidadania” usado por 10 entre 10 indignados quando se começa qualquer conversa e se passa a criticar principalmente o governo, vem da necessidade de pensarmos coletivamente ao se optar por morar em locais onde existe adensamentos populacionais, maiores ou menores, as nossas populares “cidades”. Ser “cidadão” significa compreender que o mundo não gira ao seu redor, que existem outros seres humanos com as mesmas – ou até bem maiores – necessidades que nós.

Outra palavra usada ad nauseam com gradiloquência é “ética”. Umberto Eco nos ensina que a melhor definição de ética é “pensar no outro”. Não há como ser ético se eu me fecho num mundo cercado pelo meu egoísmo. A religião tem um belo conceito, o da “misericórdia”, para explicar o que é “colocar-se no lugar outro”. Repare que não estou reivindicando que as pessoas repartam bens, sejam caridosas ou dediquem parte de seu tempo a obras sociais. Eu só queria que elas pensassem que a rua, e outros espaços públicos, é um local de todos. Que o elevador é usado por todos os moradores do prédio. Que há pessoas que precisam andar sobre a calçada.

Tudo isso, que parece elementar, virou raridade. Em algum momento, perdemos a capacidade de exercer a delicadeza. E o que é pior: não assumimos nossos erros. Afinal, é sempre mais fácil culpar o outro, o governo, a empresa que não funciona. Qual esperança estamos construindo para este país, para nossa cidade? Por que nos revoltamos tanto com a corrupção que passa na TV e, no dia seguinte, não nos damos conta que corrompemos as convicções de nossos filhos logo cedo, ao levá-los à escola?

Exercer a boa convivência é exemplo cotidiano. Por aqui, vou continuar exercendo a tarefa de não me dobrar a este individualismo insano. Não só por uma questão de princípios, mas, acima de qualquer coisa, para tentar preservar minha fé e minha esperança na humanidade.

* Demétrio Andrade,
Jornalista e sociólogo
demetriofarias@gmail.com
@demetrioandrade

Projeto quer obrigar gestores municipais a apresentarem suas declarações de bens

deodatoramalho

O vereador Deodato Ramalho (PT) deu entrada no projeto de lei nº 269/2014, que pretende obrigar os agentes públicos municipais a apresentarem suas declarações de bens e valores para posse e exercício de mandatos, cargos, funções ou empregos nos órgãos da administração direta ou indireta.

A declaração de bens e valores deverá ser atualizada anualmente e compreenderá imóveis, móveis, semoventes, dinheiro, títulos, ações, investimentos financeiros, participações societárias e qualquer outra espécie de bens e valores patrimoniais, localizados no País ou no exterior.

O projeto de lei de Deodato é inspirado em legislação existente no município de São Paulo e quer, segundo o vereador, contribui para um maior controle e preservação do patrimônio público, identificando indícios de eventuais enriquecimentos ilícitos por agentes públicos.

Por uma campanha pelo uso racional da água no Ceará

Com o título “Água: sabendo usar, não vai faltar”, eis artigo do vereador Acrísio Sena (PT), que pode ser lido no O POVO desta segunda-feira. Ele fala sobre a estiagem no Ceará, as dificuldades em São Paulo e apregoa a necessidade de todos os cidadãos economizarem água. Confira:

É urgente iniciar campanha pelo uso racional da água e contra o desperdício em Fortaleza. O exemplo de São Paulo está aí para servir de alerta. É necessário evitar que esta situação se repita na capital cearense. O objetivo seria chamar a atenção da população e das empresas para racionalizar o uso da água. Isso é possível com investimento em educação ambiental e de equipamentos mais eficientes, que evitem desperdício, aumentando a eficiência operacional da

Cagece. Outra estratégia é a aposta em tecnologias de reutilização.

Ano que vem completam-se 100 anos da “Seca do Quinze”, retratada de forma brilhante no romance de Raquel de Queiroz. O Ceará passa pela pior seca dos últimos 55 anos. Dos 184 municípios do Estado, 176 decretaram emergência. A água para beber é difícil e, muitas vezes, vem em carros-pipa, com qualidade ruim e afetando a saúde da população.

Os dados são graves. Dos 149 açudes monitorados pela Companhia de Gestão de Recursos Hídricos do Estado (Cogerh), 62 estão com menos de 10% da capacidade, quantidade equivalente ao volume morto. Das 12 bacias hidrográficas, 11 estão com menos de 30% da capacidade. A taxa atual de armazenagem de água, somando todas as regiões do Ceará, é de 26,2%. O Castanhão, que abastece Fortaleza, deve chegar ao final de 2015 com apenas 11% de seu volume. Poucas pessoas sabem que no Brasil a agricultura, por exemplo, é quem mais consome água. 63% do que é captado é destinado à irrigação. O uso doméstico equivale a 18% do consumo. A indústria responde por 14%. Os 5% restantes são destinados à sede dos animais.

Na Câmara Municipal, apresentamos Projeto de Indicação criando o “Programa de Monitoramento do Uso Racional da Água”. Trata-se de iniciativas educativas e de fiscalização. A Câmara, assim como outras instituições públicas e privadas, deve estar à frente desta campanha. Como diziam nossos avós, “água: sabendo usar não vai faltar”.

* Acrísio Sena

opiniao@opovo.com.br

Vereador de Fortaleza(PT).

Prefeitura de Maracanaú lança Refis com até 100% de desconto nos juros e multas

firmo

O prefeito Firmo Camurça (PR), por meio da Lei 2.255 de 20 de novembro deste ano, instituiu o novo Programa de Recuperação Fiscal de Créditos Tributários da Fazenda Pública de Maracanaú (Refis). Esse Refis Municipal permite aos contribuintes pessoa física ou jurídica parcelar em até 48 vezes suas dívidas com créditos tributários e não tributários, inscritos ou não da dívida ativa, contraídos em qualquer período, obtendo até 100% de desconto nos juros de mora e multa moratória. O contribuinte, inclusive, pode escolher quais de seus débitos, caso possua mais de um, deseja incluir neste novo Refis de 2014.

A adesão ao Refis deve ser feita até o próximo dia 30, na Diretoria de Tributação e Arrecadação do Governo Municipal de Maracanaú, órgão da Secretaria de Gestão, Orçamento e Finanças (Sefin), que fica localizado na Rua 13, n° 73, Jereissati, próximo ao Centro de Atenção Psicossocial (Caps). O horário de atendimento é das 8 às 12 horas e das 13 às 16 horas.

 CONDIÇÕES

Quem optar pagar de uma única vez a dívida (à vista ou parcela única), terá 100% de desconto dos juros de mora e multa moratória. Aquele que parcelar a dívida entre duas e 12 parcelas, também terá 75% de desconto dos juros e multa moratória. Já a opção de parcelamento do débito a partir de 13 e até 25 meses, garante 50% de desconto. O parcelamento de 26 a 48 meses, também propicia 50% de desconto, mas, nesse caso, há incidência de juros simples de 1% ao mês.

SERVIÇO

Os telefones da Diretoria de Tributação e Arrecadação são 3521.5812, 3521.5815, 3521.5809 e 3521.5810.

Cid Gomes: “É melhor uma base mais enxuta, porém confiável!”

cidgomess

“Diante de uma nova rebelião da base aliada no Congresso e dos desdobramentos da Operação Lava Jato, dedicada à apuração do escândalo de corrupção na Petrobras, não resta alternativa a Dilma Rousseff senão repensar a forma como o Executivo se relaciona com o Parlamento.

O diagnóstico é do governador Cid Gomes (Pros), defensor da criação de uma frente de esquerda para trabalhar pela estabilidade do governo e fazer um contraponto ao fisiologismo e ao avanço dos conservadores no Parlamento. Essa defesa foi novamente feita por Cid durante entrevista, no fim de semana, à revista Carta Capital.

“O governo está escravo do PMDB, que se considera um partido essencial, quando eu penso que ele não tem essa bola toda. É melhor ter uma base mais enxuta, porém mais confiável”. Na entrevista a seguir, ele explica a proposta e fala sobre os rumos da economia. Evita, porém, comentários sobre a possibilidade de assumir um ministério. “Ninguém fala sobre conjecturas.”

* Confira a entrevista de Cid à Carta Capital aqui.

Presidente do PPS do Ceará diz que partido fará oposição responsável a Camilo Santana

174 1

alexandre pereiraaa

“Faremos uma oposição responsável”, disse, nesta segunda-feira, o presidente regional do PPS, Alexandre Pereira, ao ser indagado sobre a posição que o partido adotará com relação ao futuro Governo Camilo Santana (PT). Ele deixou claro que não apoiou o PT, em nenhuma esfera, mas que agora o objetivo é acompanhar a próxima gestão na condição de fiscal.

O PPS, segundo Alexandre Pereira, elegeu Tomas Holanda para deputado estadual e Moses Rodrigues para deputado federal. Os dois estão orientados a apoiar o Estado naquilo que for de fato do interesse da população e se opor no que a legenda avaliar como prejudicial aos interesses da sociedade.

Sobre o novo Governo Dilma Rousseff, o dirigente estadual do PPS, na condição de também empresário, mostrou-se preocupado com 2015. “Será um ano difícil para a economia e o governo terá que fazer as reformas tão aguardadas pela população, entre elas a trabalhista, tributária e política”, acentuou.

Alexandre Pereira é também vice-presidente da Federação das Indústrias do Ceará e conselheiro da Confederação Nacional da Indústria (CNI).

Livro abre o debate sobre questões relacionadas aos Direitos Humanos

foto livro autoras direitos humanos

Os Direitos Humanos e a importância do papel do Estado e seu dever de proteção. Essa é a proposta do livro “Direitos Humanos: Histórico e Contemporaneidade”, editado pela OAB, secção Ceará, e lançado há cerca de um mês em todo o país. Com 27 autores, o livro traz temas como “Adoção de crianças por pares homoafetivos masculinos”, “Sobre os direitos do homem”, “Direitos sexuais como um direito humano”, “Direitos dos consumidores e deveres de proteção”, além de outros 13 temas.

A organização da obra ficou com as autoras Ana Paula Araújo de Holanda (Doutoranda em Direito, professora da Unifor e coordenadora especial de Políticas Públicas dos Direitos Humanos do Gabinete do Governador do Estado do Ceará), Bleine Queiroz Caúla (Doutoranda em Direito e pesquisadora do Núcleo de Estudos Internacionais) e Roberta Duarte Vasques (Mestra em Direito e professora da Unifor), além de Valter Moura do Carmo (Doutorando em Direito).

Que a racionalidade tome posse

115 1

Da Coluna Fábio campos, no O POVO deste domingo (23):

Seguidas declarações de Camilo Santana (PT) expõem a preocupação com o cofre que herdará de Cid Gomes. O próximo governador receberá um Estado com custos cada vez mais altos para uma arrecadação que tende a estagnar em ano (2015) de crise anunciada (crescimento perto do zero). Não é à toa que o governador eleito já fala em cortes. Por enquanto, de terceirizados.

A necessidade de diminuir os custos para manter os índices de investimentos em patamares adequados cria as condições para que o Ceará retome a tradição (iniciada com Tassso Jereissati em 1987) de austeridade no controle dos gastos públicos. Pelo que se escuta nos bastidores, percorrer este caminho (o da austeridade) não é uma questão de fé no método, mas sim uma imposição das circunstâncias econômicas do Ceará e do Brasil.

Na crise, surge a oportunidade. Cortar terceirizados é fácil. Uma canetada e pronto. Trata-se de ato administrativo sem maiores repercussões políticas, no que pese os que vão ficar sem salários. No entanto, fica sempre uma questão: se é possível tocar a máquina sem esses terceirizados, eles nem deveriam existir. Ou será que os cortes vão provocar pioras na qualidade dos serviços públicos, que já são ruins de dar dó?

Bom, como já foi dito, a crise gera uma oportunidade. Não sei se o futuro governador Camilo Santana conhece o pensamento de Cid Gomes nos tempos antes de ser eleito governador, em 2006. Naquela altura, o então prefeito de Sobral fazia a apologia da gestão “feijão com arroz”. Era mais ou menos o seguinte: o básico e com uma enxuta quantidade de secretarias. No entanto, quando foi montar sua equipe para o Governo, a coisa não se deu assim. Pelo contrário.

A quantidade de cargos de confiança aumentou significativamente. Certamente, para atender à vasta base de apoio político. Não faltou emprego para a imensa base aliada. Mais secretarias foram criadas.

Algumas, insignificantes. E com elas, além do secretário, o secretário adjunto e mais o tal secretário executivo. Com as novas pastas, mais assessores, carros, motoristas, as estruturas e um mundo de dinheiro a escoar.

A oportunidade que está nas mãos do futuro governador é a seguinte: diante da necessidade que se impôs, o caminho, além da canetada em terceirizados, é cortar a quantidade de secretarias pela metade. É acabar também com esse adjunto (ou o executivo) que serve exclusivamente para acomodar interesses politiqueiros. Vejam bem: boa parte dessa turma nem sequer comparece ao prédio que abriga a pasta.

Há alguma chance de o novo governador adotar a linha da racionalidade administrativa como item a não ser posto no balcão das trocas políticas? Não sei. Não tenho a menor ideia. Aguardemos.

Cine Ceará premia vencedores

O 24° Cine Ceará – Festival Ibero-americano de Cinema encerrou na noite desse sábado (22) suas atividades com a premiação aos vencedores da Mostra Competitiva Ibero-americana de Longa-metragem e da Mostra Competitiva Brasileira de Curta-metragem.

Os vencedores das mostras são, respectivamente, o filme “A Estrada 47”, de Vicente Ferraz, que recebe o Troféu Mucuripe e uma premiação no valor de US$ 10 mil; e o curta-metragem “Edifício Tatuapé Mahal”, de Carolina Markowicz e Fernanda Salloum, também premiado com o Troféu Mucuripe. A Mostra Olhar do Ceará premia em 1º Lugar – “Visita ao Filho”, com direção de Frederico Benevides.

Fiec entrega Agenda da Indústria ao governador eleito Camilo Santana

foto beto studart

O presidente da Federação das Indústrias do Ceará (Fiec), Beto Studart, ao lado de demais diretores da entidade, vai entregar quinta-feira, a partir das 19 horas, a Agenda da Indústria ao governador eleito Camilo Santana (PT). O ato ocorrerá na sede da Casa da Indústria.

O próximo líder do Executivo cearense aceitou receber a colaboração da Fiec, em documento elaborado por representantes de 39 sindicatos filiados, que contém proposições que, caso acatadas, poderão contribuir para a superação de obstáculos ao desenvolvimento econômico estadual.

As proposições contemplam as áreas de infraestrutura social (educação, saúde, saneamento básico, habitação) e de infraestrutura econômica (energia, malha viária, portos, aeroportos, comunicação), além de Pesquisa, Inovação e Desenvolvimento (PD&I), Tecnologia da Informação e da Comunicação, Tributação e Incentivos Fiscais.

Concentração dos empregos em Fortaleza

Em artigo no O POVO deste sábado (22), o técnico do Instituto de Desenvolvimento do Trabalho – IDT – e assessor técnico do Instituto de Planejamento de Fortaleza – Iplanfor -, Inácio José Bessa Pires, revela que Fortaleza detém 81,14% dos empregos na Região Metropolitana. Confira:

A Relação Anual de Informações Sociais – Rais, do Ministério do Trabalho e Emprego, registra os vínculos empregatícios dos trabalhadores inseridos no setor formal da economia, em todos os municípios do país, com uma abrangência para os 25 ramos de atividade econômica e os respectivos gêneros.

Tendo-se como referência a Rais / 2013, observa-se para o estado do Ceará, um contingente de 1.423.648 empregos. Desse total, a metrópole cearense detém 800.045 postos formais de trabalho, representando 56,20% dos empregos existente em todo o Estado.

Tratando-se da Região Metropolitana de Fortaleza – RMF, que concentra um contingente de 985.976 pessoas empregadas, confirma-se a expressiva participação de trabalhadores na Capital, na medida em que, dos quinze municípios que compõem a RMF, somente o de Fortaleza detém 81,14% dos empregos.

Ampliando-se a abrangência das informações para os municípios de médio porte – MMP (Juazeiro do Norte, Crato, Sobral, Iguatu, Quixadá e Crateús), ratifica-se a concentração dos empregos na cidade de Fortaleza, na medida em que a soma do estoque dos empregos formais, nessas localidades, alcança um total de 128.418 postos de trabalho, isto é, apenas 9,02% dos empregos existentes nos 184 municípios do estado do Ceará.

Em síntese, pelos números mencionados, é inconteste o fato de a cidade de Fortaleza concentrar de forma significativa os empregos existentes no estado. Ademais, agregando-se ao conjunto dos empregos da RMF os do MMP, tem-se a representação da ordem de 78,28%; ou seja, dos vínculos empregatícios formais gerados no estado, apenas 21,72% são para os outros 163 municípios.

Camilo não fará anúncio do secretariado em bloco

132 1

Da Coluna Política, no O POVO deste sábado (22), pelo jornalista Érico Firmo:

Camilo Santana disse que não esperar fechar todo o secretariado para anunciar o bloco. Conforme houver as escolhas, serão informados. Ele quer a definição logo por uma questão bastante prática: para que os indicados também possam fazer a própria transição. Quanto antes fechar a indicação, mais tempo para preparar as ações terá o gestor. Cid Gomes fez isso ao anunciar a equipe de seu primeiro governo. Fez o anúncio em blocos.

Aguardar para divulgar o bloco completo só faz sentido diante da tentativa de montar o quebra-cabeça e acomodar os diferentes interesses políticos. Mas mesmo isso pode ser feito aos pedaços. Não é a pendência com um aliado que vai desmontar o arranjo inteiro.

O que esperar de um novo governo?

Em artigo no O POVO deste sábado (22), o presidente da Associação Cearense do Ministério Público, Plácido Barroso Rios, afirma que o Ministério Público não pode continuar omisso quanto à questão da violência urbana. Confira:

Esse questionamento se repete corriqueiramente ao final de uma nova eleição. Com a renovação dos mandatos à frente do Legislativo e principalmente do Executivo, aguardamos sempre e com justa razão, mudanças que contemplem os anseios sociais e tragam melhorias para nosso estado, o país e nossas vidas. No Ceará, a recente e acalorada disputa tratou de diversos temas e problemas. Porém, nenhum deles despertou maior interesse e curiosidade quanto à séria crise vivenciada pela segurança pública.

A gravidade dos fatos desafia nova e eficaz estratégia de ação. Desta feita, dialogando e ouvindo todos os atores envolvidos direta ou indiretamente na questão da violência urbana. Dentre estes, a presença efetiva do Ministério Público é indispensável. Cabe à instituição o controle externo da atividade policial, além da promoção privativa da ação penal, acompanhando todas as fases e etapas do processo crime. Por sua vez, o Ministério Público não pode continuar omisso e afastado da questão, fingindo, aos olhos da população, que o problema não lhe pertence, mas exclusivamente ao executivo, inobstante as normas e regramentos constitucionais que o apontam como principal ator dessa querela.

É hora de reconhecermos que o problema reclama a atuação da sociedade e de todas as instituições responsáveis pela segurança pública, principalmente o Ministério Público. Urge que essas instituições sejam fortalecidas, ouvidas, tornando-se partícipes de um novo e eficaz projeto de combate à violência. Esperamos trilhar um novo caminho para a paz. Para tanto, o Estado deve atuar em contínuo diálogo, unidade e sintonia com a sociedade e todas as instituições responsáveis pela segurança. Do contrário, continuaremos aprisionados em nossas próprias casas, reféns do medo e vítimas de uma violência irracional e cada vez mais descontrolada.

Morre Seu Lunga

138 2

foto seu lunga

Morreu na manhã deste sábado o poeta Joaquim dos Santos Rodrigues, o Seu Lunga, aos 87 anos. Ele estava internado Hospital São Vicente de Paulo, em Barbalha, na Região do Cariri, deste a quarta-feira (19), por causa de problemas no sistema digestivo e sofria de câncer de esôfago.

O corpo está sendo velado na Capela de São Vicente, em Juazeiro no Norte. O sepultamento ocorrerá no Cemitério do Socorro.

A seriedade e o deboche com que Seu Lunga respondia a perguntas óbvias o transformaram em personagem do folclore cearense.

População sem acesso ao hospital Waldemar Alcântara

179 1

Em artigo enviado ao Blog, o coordenador adjunto do FUASPEC e assessor sindical da ASENMESC, José Francisco Rodrigues, denuncia que a população não tem acesso ao hospital Waldemar Alcântara. Confira:

A população em geral – particularmente aqueles mais comuns e humildes da periferia que residem nas adjacências do Hospital Waldemar Alcântara -, habituada ao cotidiano daquele estabelecimento, está indagando como tem sido administrada aquela unidade hospitalar, outrora vinculada e pertencente à Secretaria Estadual da Saúde Pública, e tem reclamado e cobrado melhor atenção.

Alegam os moradores e residentes daquele bairro da Messejana que, desde quando foi comprado e finalizada a construção daquele hospital, a clientela ali residente não tem tido e podido ter acesso e utilização normativas às dependências e serviços prestados por aquela unidade da saúde que, inclusive sempre recebeu dinheiro público e do SUS para funcionar (para custeio e manutenção).

Com o tempo, aquele hospital foi transformado em uma “O.S” – organização social, de cunho privado, que apesar de mantido pelos recursos dos cofres públicos, inclusive do próprio SUS, tem sido também administrado por uma profissional que a maioria dos procedimentos realizados ao longo dos tempos tem sido dirigida de forma e procedimentos privados, em que nem toda sociedade usuária tem podido ser atendida e assistida regularmente.

A sociedade civil gostaria de saber o porquê de tanta diferenciação, quando se sabe que a rede pública foi instituída para assistir e servir a todos quantos mais necessitam e dependem dos serviços ofertados pelo setor público estadual cearense, e ai pergunta-se: até quando haverá discriminação e distinção públicas dentro dos serviços públicos cearenses, já tão depreciados e despendiosos?

O Hospital Waldemar Alcântara, para quem ainda não sabia e que na prática não tem conhecimento de como funciona as gestões e ações básicas ali implantadas e implementadas, a rigor nem sempre tem sido muito fácil de conseguir um acesso e atendimento e/ou internação mais consistente realizada naquela instituição de saúde, até porque somente aqueles que trabalham no controle da rede pública estadual, tem dimensão das condições e a burocracia que há para se adquirir uma consulta simples.

Apesar de sabermos que a rede pública da saúde não visa qualquer tipo de lucro, assim mesmo tem sido constrangedor para aquelas que pessoas humildes que não conhecem as dimensões que são estabelecidas para o uso comum e a utilização mais complexa exigida pelo Waldemar Alcântara, pois muitos que ali já foram atendidos, dizem que os serviços ali prestados são de primeiro mundo se comparados as demais unidades e hospitais públicos da rede estadual da saúde.

O Serviço Público, ainda é a melhor opção de Saúde Pública, para todos!!!

Justiça suspende liminar que autorizava retirada de famílias da fazenda de Eunício Oliveira

262 4

A Justiça suspendeu nessa sexta-feira (21) a retirada de três mil pessoas da fazenda Santa Mônica, em Goiás, de propriedade do senador cearense Eunício Oliveira (PMDB). A informação é do advogado Elmano de Freitas, deputado estadual pelo Ceará, eleito em outubro último. Elmano trabalhou como advogado do MST e atualmente presta apoio ao movimento.

Em entrevista ao O POVO, na edição deste sábado (22), Eunício Oliveira diz que nunca houve mais que 500 pessoas na invasão e volta a acusar Elmano de Freitas e Ciro Gomes de promover o movimento. O senador denuncia que seis caminhonetes da Defesa Civil do Ceará estiveram no dia em que os sem-terra chegaram à propriedade, há cerca de dois meses.