Blog do Eliomar

Categorias para Ceará

Tiririca, que votou contra interesses do governo, passa fim de semana em Fortaleza

228 1

tiririca

O deputado federal Tiririca pode até não saber direito o que um deputado faz e apresentar poucos projetos de lei (leia mais aqui), mas já aprendeu a votar contra a orientação de seu partido.

Na madrugada desta quinta-feira, quando o Congresso aprovou a manobra fiscal de Dilma Rousseff, Tiririca, segundo a Coluna Radar, da Veja Online, foi o único entre os 22 deputados do PR a votar contra os interesses do governo.

DETALHE – Tiririca está em Fortaleza. Veio passar o fim de semana com a família e, quem sabe, bem longe da pressão da direção nacional do seu partido.

AMC fará credenciamento de vagas especiais abertas no estacionamento do Palácio da Justiça

“A Autarquia Municipal de Trânsito, Serviços Públicos e Cidadania (AMC) promove, nos dias 9 e 10 de dezembro, credenciamento para utilização de vagas especiais em estacionamentos do Palácio da Justiça, em Fortaleza. A ação será realizada em dois períodos (das 8 às 12 horas e das 14 às 17 horas), na sala da Assistência Militar do Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE).

Para solicitar a credencial (válida para idosos e deficientes), os interessados precisam apresentar cópia do RG, CPF e do comprovante de residência (água, luz ou telefone), de Fortaleza. Portadores de deficiência devem apresentar a mesma documentação, além de laudo ou atestado médico comprovando a limitação (temporária ou permanente).

O documento é emitido na hora e pode ser utilizado em qualquer carro que o credenciado esteja trafegando. Ao estacionar na vaga pretendida, o usuário deve colocar a credencial sobre o painel do veículo com a frente voltada para cima, permitindo a leitura.

DETALHE – O uso indevido da vaga carateriza infração leve, com multa de R$ 53,20, três pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH), além da remoção do automóvel.

Mais informações pelos telefones (85) 3207 7066 ou (85) 3207 7072.

Danniel Oliveira quer engajamento da sociedade contra a CPMF

foto danniel oliveira

A otimização dos gastos com a Saúde e uma boa gerencia dos gastos evitariam o retorno da CPMF. A avaliação é do deputado estadual Danniel Oliveira (PMDB), contra a possibilidade da volta da Contribuição Provisória sobre a Movimentação Financeira (CPMF), que desde 2007 deixou de ser cobrada.

Danniel Oliveira propõe o engajamento da sociedade, por meio de manifestações de rua ou das redes sociais, contra a volta da contribuição.

“A possibilidade da volta de mais um imposto vem preocupando as diversas camadas do setor produtivo, e que além de ser uma medida perversa, principalmente para os menos favorecidos, é inflacionaria”, alegou.

André Figueiredo: Câmara dos Deputados não deve virar um “puxadinho” do Palácio do Planalto

184 2

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=_OzepTdsOmU&list=UU3PLF5T6g3ddE4BpeF0EhZg[/youtube]

O deputado federal André Figueiredo (PDT) afirmou, nesta quinta-feira, que seu nome está na lista de candidato a presidente da Câmara, dentro de um projeto de dar maior autonomia à Casa.

Embora seja de um partido que faz parte da base aliada de Dilma Rousseff, André Figueiredo  disse que o objetivo é não deixar a Câmara se transformar num “puxadinho” do Palácio do Planalto nem ver Eduardo Cunha, do PMDB, assumindo o comando da Câmara.

 

Seminário comemora os 20 anos do Laboratório de Estudos sobre Violência da UFC

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=tzm4XHPgucU&list=UU3PLF5T6g3ddE4BpeF0EhZg[/youtube]

O Laboratório de Estudos sobre Violência, da Universidade Federal do Ceará, comemora 20 anos de atividades. Um seminário está marcado a data e vai se estender até esta sexta-feira, como informa o coordenador do laboratório, o professor César Barreira.

Ex-diretor da Academia Estadual de Segurança Pública (AESP), César Barreira, também falou para o Blog sobre o que espera, no combate à violência, no futuro Governo de Camilo Santana (PT).

MP-CE quer suspender venda de chips da Claro, Oi, Tim e Vivo

“O Ministério Público Federal no Ceará (MPF/CE) ajuizou uma ação civil pública contra a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e as empresas de telefonia móvel Claro, Oi, TIM e Vivo para que apresentem, no prazo de 90 dias, planos de melhoria da qualidade do serviço prestado no estado. Na ação, a procuradora da República Nilce Cunha pede que seja determinado que as quatro operadoras deixem imediatamente de vender chips, novos acessos e novos planos pelo prazo mínimo de 180 dias, sob pena de multa diária de R$ 50 mil.

A ação, encaminhada à Justiça Federal, é baseada no relatório da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) instaurada na Assembleia Legislativa para investigar a prestação dos serviços da telefonia móvel no estado. Entre as deficiências apontadas estão a ausência de investimentos das operadoras em relação ao crescimento da demanda, a ausência de sinal, queda nas chamadas, lentidão na internet, cobranças indevidas, dificuldade de acesso à banda larga móvel, preços exorbitantes e dificuldades para cancelar o vínculo com as prestadoras.

O MPF quer o detalhamento dos valores investidos e das medidas a serem adotadas pelas operadoras para suportar a demanda e superar as deficiências e falhas no serviço. Também pede a fixação de um cronograma com início imediato e prazo máximo de dois anos para conclusão das medidas de melhorias. A procuradora também sugere que a Anatel analise os planos apresentados, sob pena de multa diária de R$ 50 mil. A ação busca ainda a condenação das empresas operadoras à indenização por danos morais coletivos.

A operadora Vivo disse, por meio de sua assessoria de imprensa, que a empresa não foi incluída no relatório final da CPI, pois demonstrou que atende às metas estabelecidas pelo regulamento do setor. “A área jurídica da empresa já está em contato com o Ministério Público para esclarecer os fatos”, informou. As empresas TIM, Claro e Oi informaram que não foram notificadas da ação. A Anatel disse que irá responder no âmbito do processo.”

(Agência Brasil)

 

SSPDS divulga o vencimento mensal do soldado diante de polêmica aberta no Blog

899 17

pmmm

Diante da polêmica aberta neste Blog, a partir da afirmação feita pelo governador Cid Gomes (Pros) de que um soldado no Ceará ganha perto de R$ 4 mil, resolvemos solicitar à Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do Estado os valores. Eis o que recebemos da assessoria de imprensa do órgão:

Soldado:
Salário bruto: R$ 3.176,74
Soldados dos batalhões especializados:
Salário bruto: R$ 4.345,57
DETALHE – O governador Cid Gomes deu essa declaração, bastante contestada neste Blog por PMs afastados e outros segmentos, numa entrevista ao vivo, segunda-feira última, à TV Brasil.

Dia Nacional do Ministério Público terá programação em Fortaleza

No dia 14 de dezembro comemora-se o Dia Nacional do Ministério Público. O MP foi instituído nacionalmente através da Lei Complementar Federal Nº40, de 14 de dezembro de 1981, que dispõe sobre normas gerais para a organização dessa Instituição. No Ceará, a data será comemorada com a Semana do Ministério Público, dentro do objetivo de promover reflexões sobre valores, bem como estimular debates e proposições voltados ao aperfeiçoamento do organismo.

Durante os dias 11, 12 e 13 próximos, na sede da Procuradoria Geral de Justiça, serão discutidos temas como os desafios éticos do Ministério Público, os desafios das instituições e da sociedade para a consolidação da cidania, demandas sociais para o MP e efetivação dos direitos fundamentais, além do fortalecimento do Ministério Público.

 

João Jaime: Defender a volta de CPMF como apregoa Camilo Santana é um “retrocesso”

joaoaoa

O deputado estadual reeleito João Jaime (DEM) manda artigo. Ele avalia a disposição do governador eleito Camilo Santana (PT) de defender a volta da CPMF. O parlamentar analisa a questão. Para ele, o petista começará a gestão com o pé esquerdo. Ele vê a CPMF como retrocesso. Confira:

Temos acompanhado nos noticiários as articulações dos primeiros passos do governador eleito, Camilo Santana, para gerir nosso Estado a partir de janeiro próximo. Tomamos conhecimento de sua mobilização em favor da volta da Contribuição Provisória sobre a Movimentação Financeira, vulgo CPMF, o famoso imposto do cheque.

Desta forma, eu diria que o novo Governador estaria começando sua gestão com o pé esquerdo, uma vez que inicia seu mandato encabeçando um movimento de retrocesso. Reavivando um imposto num País que já é recordista na cobrança deles.

Foi com muita luta e pressão popular que o Congresso Nacional rejeitou a prorrogação da contribuição para 2011, extinguindo-o, assim, desde janeiro de 2008. Um movimento vitorioso contra a carga tributária e contra a tirania fiscal.
Essa história de que o fim do imposto causou danos para o financiamento da saúde, não convence. Afinal, quando a CPMF acabou, a Receita decidiu fazer uma série de ajustes tributários para compensar as perdas. O IOF é um exemplo. Ele foi elevado para o crédito e passou a ser cobrado sobre novas movimentações.

Portanto, o diagnóstico de que o governo federal precisava da CPMF para fechar suas contas estava errado. A contribuição não era crucial para as contas públicas. Não é dessa maneira que o financiamento da saúde pública do Brasil vai aumentar. Uma boa saída seria a aprovação da PEC 29, que obriga a União a contribuir com a saúde pública junto aos estados e municípios do País.

Com isso, me custou acreditar que o próximo Governador esteja trabalhando em prol de resgatar um imposto que foi extinto com tanta luta e que não tem justificativa para voltar. E pior, num momento crítico para o nosso Ceará, que enfrenta a maior seca dos últimos 60 anos, que necessita de medidas emergenciais para atravessar esse duro período. Além disso, num momento em que receberá um Estado violento, com graves problemas de segurança, sem planejamento e políticas públicas para o setor.

* João Jaime,

Deputado estadual do DEM.

Livro defende comunicação como forma de inclusão política

SONY DSC

O livro “Comunicação Pública e Inclusão Política – Reflexões sobre cidadania ativa e democracia participativa” será lançado nesta quinta feira (4), às 19 horas, no Espaço de Cultura e Arte do O POVO. De autoria do jornalista e professor Alberto Perdigão, traz 38 artigos e duas entrevistas sobre comunicação pública, televisão pública e ciberdemocracia.

Os textos, publicados nos últimos quatro anos, analisam novos comportamentos dos governos e de cidadãos diante das possibilidades de diálogo político, proporcionadas pelas tecnologias da informação e comunicação. No ato de lançamento, o jornalista e a obra serão apresentados pelo deputado federal Artur Bruno (PT). O autor autografará o livro no local.

“Comunicação Pública e Inclusão Política”, de 170 páginas, traz prefácio de Cosette Castro, da Universidade Católica de Brasília, e apresentação de Gilmar de Carvalho, da Universidade Federal do Ceará. A ilustração de capa é de Sérvulo Esmeraldo. O projeto gráfico é de Sérgio Fujiwara. A impressão é da RDS Editora, de Fortaleza.

Felipão diz ainda ter muito a falar sobre a Copa, mas hoje prefere o silêncio

sxcolari

Essa é de Luiz Felipe Scolari, ex-técnico da Seleção Brasileira, que, ao ser procurado pelo jornalista Demitri Túlio, do O POVO, para dar uma entrevista, em clima de retrospectiva e Copa 2014:

Respeito e admiro o Sérgio (Ponte) e seu jornal e as pessoas aí do nosso Ceará,  mas não dei entrevista nenhuma falando de Copa para nenhum órgão jornalístico e continuarei assim. Um dia, daqui um tempo – não sei quando, vou falar o que sei e vivi e o que foi feito e muita coisa mais. Mas, o tempo vai me dizer quando. Agradeço sua consideração e desejo um bom final de ano e tudo de bom!

André Figueiredo faz artigo já posando de candidato a presidente da Câmara dos Deputados

Com o título “Os desafios da próxima legislatura”, eis artigo do deputado federal André Figueiredo (PDT), cujo nome é cotado para disputar a presidência da Câmara. Ele diz nesse artigo, publicado pelo site Congresso em Foco, que “o momento aponta para a necessidade de uma presidência da Casa que não faça oposição ao governo, visando desestabilizá-lo e, nem no outro extremo, que utilize a Câmara como correia de transmissão do Poder Executivo”. Confira:

Depois do exaltado clima das eleições presidenciais, o Congresso Nacional tem diante de si uma pauta extensa e complexa, antes do término da atual legislatura. Mesmo antes de seu encerramento, desde logo o balanço de suas atividades pode ser considerado bastante positivo. Para mencionar apenas duas matérias, a destinação dos royalties do petróleo do pré-sal para as áreas de educação e saúde e a aprovação do novo Plano Nacional de Educação são importantes legados da atual legislatura para a sociedade brasileira. No próximo mês de fevereiro, uma nova legislatura terá início, e não são pequenos os desafios que aguardam deputados e senadores reeleitos ou eleitos pela primeira vez. É forçoso reconhecer queo cenário econômico já não é tão favorável como nos últimos anos. O governo federal certamente necessitará dialogar com a Câmara dos Deputados e o Senado para adotar medidas indispensáveis à retomada do crescimento da economia, que vem a ser a única verdadeira garantia de melhoria das condições de vida dos brasileiros no longo prazo.

Além das reivindicações dos mais diversos setores da sociedade, Câmara e Senado também deverão lidar com o desafio da reforma política, demanda reiterada a cada nova legislatura, mas que desta vez não parece comportar novas protelações. Se essa reforma é inevitável, isso não significa, porém, que deva ser feita de qualquer modo ou a qualquer preço. As regras vigentes resultam em diversas distorções — e o custo das campanhas eleitorais certamente não é a menor delas —, mas elas também propiciaram o maior período de estabilidade democrática da história brasileira. Não é o caso, portanto, de recomeçar do zero, e sim de aperfeiçoar a nossa democracia, o que é indispensável e inadiável.

Especificamente quanto a Câmara dos Deputados, a que pertenço — e à qual tive a honra de ser reconduzido pelo povo do Estado do Ceará —, a renovação significativa de sua composição se soma a um cenário inédito de fragmentação partidária. Os atuais 22 partidos com representantes na Casa passarão a ser 28 a partir do ano que vem, cenário provocado pela redução das maiores bancadas e crescimento do número de representantes de partidos médios e pequenos. Some-se a isso o acirramento do antagonismo entre governo e oposição, por conta da eleição presidencial mais disputada de nossa jovem democracia.

O cenário que se desenha exigirá do novo comando da Casa uma grande capacidade de negociação e articulação, de modo a dar conta dos múltiplos desafios na política e na economia. A relação com o Poder Executivo deverá ser pautada por um diálogo respeitoso e voltado para os interesses do País, e esse mesmo espírito se fará necessário nos entendimentos com a base aliada e a oposição, por maiores que sejam atualmente as tensões herdadas do processo eleitoral recém-concluído. Em um momento como esse, não é conveniente para o Parlamento que o processo de escolha de seu novo presidente seja refém de polarizações partidárias, nem se torne mecanismo de pressão ou barganha na formação do ministério do novo governo recém-eleito. É ruim para o governo, que pode se ver pressionado a ter critérios menos rígidos na escolha de seus quadros ministeriais e de outros órgãos de Estado. É péssimo para a oposição, que pode a qualquer momento ser atropelada em suas prerrogativas regimentais, quando o presidente estiver comprometido com acordos que extrapolem as funções do legislativo e avancem em uma seara de interesses da máquina administrativa do Poder Executivo.

O momento aponta para a necessidade de uma presidência da Casa que não faça oposição ao governo, visando desestabilizá-lo e, nem no outro extremo, que utilize a Câmara como correia de transmissão do Poder Executivo, fazendo do Legislativo um mero cartório carimbador dos projetos do governo. Mas pior cenário, ainda, seria a Câmara dos Deputados estar à serviço do interesse hegemônico de partido ou grupo que busque aumentar de forma insaciável, nos próximos dois anos, seu espaço de poder dentro do governo federal. O próximo presidente da Câmara precisará estar acima de tudo isso, demonstrando que suas preferências e rivalidades políticas não são maiores de que seu amor ao Brasil.

Em nosso passado recente, a Câmara dos Deputados tem dado contribuição decisiva para a construção de um país democrático, com economia estável e capaz de melhorar as condições de vida de seu povo. Tenham tido elas origem no Executivo ou no próprio Congresso Nacional, as medidas fundamentais para a consolidação dessas conquistas foram discutidas e aperfeiçoadas pelo trabalho de deputados e senadores. E nesse momento, em que o Brasil precisa de ajustes importantes, é fundamental que os rumos da futura legislatura estejam à altura dos desafios que temos diante de nós.

* André Figueiredo,

Deputado federal pelo PDT-Ceará.

Renato Roseno promoverá seminário para planejar mandato

rosenoo

O deputado estadual eleito Renato Roseno (PSOL) vai promover, com ativistas e movimentos e organizações sociais, o seminário “Construção de um mandato de lutas”. O encontro, que será realizado das 9 às 18 horas do próximo sábado, na sede do partido. É uma segunda etapa de debate sobre a intervenção do mandato, que terá início em fevereiro. A primeira ocorreu em novembro, no PSOL, e contou com a participação de dezenas de militantes do partido, vindos de diversas regiões do Estado.

Renato Roseno explica que quer ampliar a participação e definir as ações com a colaboração dos movimentos sociais. Após a reunião, em Fortaleza, ele visitará outros municípios cearenses, na primeira quinzena de dezembro, para dialogar e ter a colaboração também dos ativistas e coletivos que atuam no interior do estado.

(Foto – Paulo MOska)

Presidente do PTB do Ceará é otimista sobre o Brasil e o Ceará em 2015

[youtube]https://www.youtube.com/watch?v=cx1ZA7orFx4&list=UU3PLF5T6g3ddE4BpeF0EhZg[/youtube]

O PTB está otimista no que diz respeito ao que vai fazer a nova equipe econômica de Dilma Rousseff. É o que revela o deputado federal José Arnon, presidente regional do partido e membro do diretório nacional petebista.

Segundo o deputado federal José Árnon,  com a entrada de Armando Monteiro como ministro do Desenvolvimento, o PTB vai crescer e trabalhar pelo sucesso de Dilma.

José Arnon também adianta que o PTB apoiará o Governo Camilo Santana, não tendo dúvidas de que o petista corresponderà à expectativas do cearense.

MP pede suspensão da micareta “Russas Fest 2014”

“O Ministério Público do Estado do Ceará, através do promotor de justiça da Comarca de Russas, João Batista Sales Rocha Filho, ajuizou, nessa quarta-feira, uma Ação Civil Pública, com pedido de tutela antecipada, pedindo a suspensão do evento “Russas Fest 2014”. Isso, por conta da ausência de Estudo de Impacto Ambiental (ou estudo similar) no tocante aos efeitos da poluição sonora que o evento pode ocasionar aos moradores e aos imóveis do entorno da avenida Dom Lino, no Centro de Russas, local onde está marcado para ocorrer o carnaval fora de época.

A Ação Civil Pública é resultado de um processo administrativo instaurado junto ao mencionado Órgão Ministerial em virtude de provocação dos moradores que habitam o entorno da avenida Dom Lino, no Centro de Russas, que reivindicavam providências no sentido de se evitar os transtornos que a poluição sonora, provocada pela realização da “micareta” pode ocasionar aos habitantes daquele local, bem como a seus respectivos imóveis.

Anteriormente, o promotor de Justiça emitira uma recomendação administrativa dirigida à Prefeitura Municipal de Russas, bem como às Secretarias de Cultura e Meio Ambiente municipal, no sentido de que se abstivessem de autorizar ou licenciar a realização da micareta “Russas Fest 2014”, por conta da localização do evento em área residencial e com prédios históricos, além da poluição sonora. O “Russas Fest 2014” está previsto para ocorrer nos dias 12/12/2014, 13/12/2014 e 14/12/2014.”

(Site do MP-CE)

Comunidade Shalom promove a ExpoNatal 2014

msuciala

A Comunidade Católica Shalom promoverá a ExpoNatal 2014. O evento ocorrerá de 11 a 14 deste mês, no Aterro da Praia de Iracema, sempre a partir das 18 horas. A programação começará com Missa pelos Enfermos, a ser celebrada pelo padre Antonio Furtado. Além das celebrações, o público contará com shows e a apresentação do espetáculo natalino “Filho de Deus Menino Meu”, nos dias 13 e 14, um musical que conta a história do nascimento de Jesus com linguagem regional.

A ExpoNatal abrirá também para a solidariedade do público na arrecadação de leite e alimentos não perecíveis para as obras de promoção humana da Comunidade Shalom. Além disso, um bazar solidário será montado, oferecendo roupas e acessórios novos e seminovos que foram doados.

SERVIÇO

* Para mais informações basta acessar: http://www.eventosshalom.org/ . O evento é gratuito.

* Confira um trecho do musical “Filho de Deus, Menino Meu”: https://www.youtube.com/watch?v=ft7aDhTSg60

Clientes de Quixeramobim reclamam dos serviços da Oi Velox

“O pacote de internet Velox, oferecido pela operadora Oi, tem deixado clientes de Quixeramobim (Sertão Central) revoltados. A principal reclamação dos usuários do serviço é quanto à lentidão na conexão da internet. Segundo eles, o pacote adquirido não condiz com a velocidade oferecida. Um dos clientes da operadora, residente na rua Castelo Branco, Bairro Monteiro de Morais, disse que a velocidade de sua internet nos últimos meses tem piorado bastante. “A Oi está demais. Têm dias que não tem a menor condição, a internet fica muito lenta”, desabafou o cliente.

Mas a atual situação do serviço prestado pela Oi não é exclusividade de Quixeramobim. Há relatos de que clientes de outros municípios do Sertão Central também passam pelo mesmo problema.

Desde o dia 1º de novembro, uma nova regra da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) entrou em vigor e determina que a empresa deve fornecer no mínimo 80% da velocidade contratada, ou seja, num plano de 10 MBps (megabits por segundo), por exemplo, a média mensal da velocidade fornecida pela operadora deve ser de no mínimo, 8 MBps.

Ainda conforme a Anatel, se as empresas descumprirem a nova regra, a agência pode instaurar procedimentos administrativos que, podem resultar em multa. Desde 2012 a Anatel está atualizando as regras. Naquele ano, exigia-se 60% da velocidade média. Já em 2013, o número subiu para 70%.

A reportagem do Sistema Maior de Comunicação confirmou o problema relatado pelos usuários do serviço em Quixeramobim, nos computadores da própria sede do Sistema Maior de Comunicação, localizado no Centro, onde a qualidade do sinal oscila bastante ainda mais no período da tarde.

O grupo de comunicação já vem enfrentando problemas com a conexão de internet desde o início do ano, quando através da Rádio Campo Maior AM 840, encaminhou, em fevereiro, ao Call Center da Oi Velox, um ofício relatando o problema e solicitando um posicionamento da empresa quanto à baixa velocidade do plano contratado.

Apesar do documento encaminhado, a Oi ainda não se posicionou sobre a qualidade do serviço e continua ofertando a empresa um serviço inferior ao contratado. Testes realizados na tarde desta quarta-feira, 03, em dois computadores do grupo de comunicação, através dos sites Speed Test COPEL e Velocímetro TechTudo (este último da Globo.com), comprovaram que a velocidade não correspondeu nem mesmo à metade do que deveria ser disponibilizado. Mesmo não sendo ferramentas oficiais para medir a velocidade da internet, são dois dos meios mais comuns utilizados por usuários para ter acesso a estes dados.

(Site do Sistema Maior de Comunicação)

23º Batalhão de Caçadores comemora 125 anos

luiz_gonzaga

O 23º Batalhão de Caçadores do Exército comemora, nesta quinta-feira, 125 anos de fundação. Haverá solenidade militar a partir das 20 hroas, no quartel situado na avenida 13 de Maio. 

Bom destacar que pelo 23º BC, passaram personagens famosos como Luiz Gonzaga, o “Rei do Baião”, e militares que foram para a Guerra do Paraguai ou, mais recente, para missão de socorro e paz no Haiti.

* Mais sobre Luiz Gonzaga no 23º BC aqui.

Já leu o livro do Dr. Macedo?

Com o título “Roberto Macedo e a força do Made in Ceará”, eis artigo do jornalista Luís-Sérgio Santos. Ele destaca a importância de livro recentemente lançado pelo ex-presidente da Federação das indústrias do Estado, Roberto Macedo, via Edições Demócrito Rocha. Confira:

Não é comum em nosso Estado um livro que exponha na primeira pessoa o que pensa, o que defende e o que move um empresário com larga experiência no cotidiano da árdua atividade de empreender no Brasil e, em especial, em regiões contempladas com desigualdades que impactam em seu Índice de Desenvolvimento Humano.

Por isso é que a leitura de “Made in Ceará — Indústria e Cidadania na Integração Local-Global”, do empresário Roberto Macedo, lançado agora pelas Edições Demócrito Rocha é um prazer redobrado e renovado a cada capítulo. O alentado volume, com 632 páginas, é uma bem organizada coletânea de artigos, ensaios e ideias do empresário, acionista do Grupo J. Macedo e presidente da Federação das Indústrias do Estado do Ceará por dois mandatos consecutivos. E edição é primorosa, cheia de dignidade gráfica com layout clássico e margens generosas como deve ser um livro e, com a exigência do autor, toda feita no Ceará, inclusive a excelente impressão e o primoroso acabamento. Uma acrílica sobre tela de Aldemir Martins ilustra a capa desenhada por Geraldo Jesuíno.

O desprendimento do autor em expor com clareza e objetividade suas ideias, num amplo compartilhamento, traduz a vocação humanista do grupo que dirige, inserido umbilicalmente nas coisas essenciais da República, dentre elas o compromisso social coma empregabilidade, a defesa do meio ambiente e a transparência corporativa a ponto de, há alguns anos, ter publicado uma peça institucional mostrando quando em impostas o grupo contribuíra para o desenvolvimento do Brasil — uma peça arrojada e inovadora. Um traço marcante da inserção local em um contexto global é a valorização da cultura tão bem expressa no painel em pastilhas vítreas de autoria do artista plástico Estrigas, inaugurado em outubro de 2004, na fachada lateral leste da sede do Grupo J. Macedo, em Fortaleza. Trata-se da visão do autor da chegada do navegador espanhol Vicente Yanez Pinzón enseada do Mucuripe.

O prefácio, do inquieto economista Delfim Netto, pontua passagens importantes do livro de Roberto Macedo e ressalta o pragmatismo do autor quando defende que os empresários comecem atuando localmente e, assim sucessivamente até chegar ao global. Este, alias, é o primeiro o tema do primeiro capítulo do livro “Pensar localmente, agir globalmente” que inicia uma sequência de dez blocos temáticos organizados em capítulos. Percebe-se um livro organizado com enorme acuidade e afeto e que, certamente, deverá habitar nossas bibliotecas principalmente em cursos focados em Economia, Gestão, Planejamento, Administração, Política e Cidadania.

Macedo é enfático quando defende que “um padrão de competitividade mundial em nossa indústria […] só será possível mediante uma profunda mudança cultural para a inovação e se nós empresários desempenharmos o papel de protagonistas do desenvolvimento.” E, nesse ponto, lembra os padrões de competitividade da economia local é sustentado, na últimas décadas “com base em indústrias intensivas em mão de obras e este modelo precisa ser repensado.” Uma sucessão de argumentos a favor da qualificação do profissional e, assim, de uma indústria com base em tecnologia e em marcas acaba apontando para a única saída: “isto só será possível se tivermos um ensino realmente de qualidade e adotarmos em todas as atividades o princípio da meritocracia e o respeito aos valores da cidadania.” Sua preocupação coma educação e recorrente bem como na criação de uma rede de circulação de informação sem a qual o conhecimento ficará represado. 

Some-se a isso, a defesa da criação de oportunidades de trabalho em segmentos de inovação tecnológica, fator de diferenciação e de competitividade.

No plano da reorganização do Estado, o autor defende a urgência da reforma Política, que criarás condições objetivas para todas as outras reformas. “Em função disso, tenho defendido a necessidade de um posicionamento consciente em favor do voto de qualidade para expurgar da vida pública os políticos traidores da política.”

Experiente e com um evoluído feeling premonitório, Macedo vaticina, fazendo coro com os brasileiros politizados, que “expurgar da vida pública os políticos corruptos requer a eliminação das práticas corruptoras.” Quando escreveu isso, 28 de julho de 2010, o autor parecia sentir o cheiro do escândalo que corrói a credibilidade da instituição Petrobras. E propõe, no mesmo ensaio, a eleição de candidatos aferidos nos 3Cs: caráter, Compromisso e Competência. “Precisamos ser criteriosos na avaliação das pessoas que pretendemos apoiar”.

A análise de Macedo rastreia em 360 graus as variáveis do Estado brasileiro que agonizam como problemas crônicos. Ele escreve: “A fragilidade da nossa consciência cidadã ainda nos faz tolerar as mazelas que resultam das insuficiências da educação básica, dos problemas de mobilidade urbana, das ineficientes políticas de segurança e da má qualidade de outros serviços públicos essenciais.” Assim, não faltaria também a crítica, com segura propriedade, ao chamado custo Brasil que rouba a competitividade das empresas e, em especial, da indústria, e coloca o país em posição desvantajosa neste ranking global. Assim, sobre o aumento de impostos e outras de contribuição ele enfatiza que é “[…] injusto colocar nos ombros do empresariado a responsabilidade de tapas os buracos criados pelos desvios dos recursos públicos, do empreguismo, agravados pela incompetência de muitos ocupantes das funções que exercem, tornando o custo Brasil um dos mais altos do Planeta.”

Como se vê, Roberto Macedo estimula, com suas ideias e texto fluente, objetivo e sem vícios de estilo, uma leitura prazerosa ao mesmo tempo em que nos alinhamos com um empresário de criticismo argumentado, baseado em fatos, sem nenhum panfletarismo. Muitas vezes ele fala o que o Governo-Estado não quer ouvir, este tão acostumado à medieval bajulação. Macedo mostra que desenvolvimento se faz com educação, ações de cidadania e, mais que isso, com conhecimento aplicado, inovação, tecnologia, criticismo, colaboracionismo e participação.

O prazer de comentar seu livro reside, principalmente, na provocação para que mais pessoas possam ter acesso ao seu conteúdo. O livro de Macedo é um libelo à autonomia, à liberdade e ao republicanismo, tudo tão em falta no Brasil. Que este livro habite em cada uma das nossas bibliotecas dos cursos de graduação no Brasil para potencializar o pensamento crítico expressos na tese e na prática coerente do autor.

Roberto Macedo é herdeiro exemplar de uma arrojada linhagem de empreendedores e inovadores que nos remete ao patriarca Jose Macedo, sempre à frente do seu tempo.

* Luís-Sérgio Santos,

Jornalista.