Blog do Eliomar

Categorias para Ceará

Cearense gosta de “mangá” das pesquisas

385 6

Em artigo enviado ao Blog, o leitor Alex Moreira responde ao artigo do especialista em campanhas eleitorais Fabner Utida. Confira:

Não sou especialista em campanhas eleitorais, muito menos estudioso em comportamento seja lá do que for. Mas uma coisa eu sei: sou cearense.

Li o artigo escrito pelo especialista Fabner Utida, aqui mesmo no blog, e fiquei incomodado não pelo fato do especialista apontar a vitória do Camilo Santana, ainda mais em primeiro turno. O meu incômodo maior foi o termo empregado ao especialista como “estudioso do comportamento do eleitorado cearense”. O incômodo aumentou quando soube que nem cearense o cabra é! (Todo cearense que lê isso, sabe que cabra é homem, também homi. Tanto faz. Então, Fabner, cabra não é ofensa. É que estou (tô) me comunicando para os meus irmãos cearenses).

Outra coisa que cearense se reconhece é na honestidade, quando ele olha na bila do outro (bila é olho, a íris, como os doutores falam). Então, meu amigo especialista (ah, cearense trata todo mundo como amigo. É um povo bom), antes que pensem que eu estou tentando enrolar os leitores do Eliomar, quero deixar claro que voto Eunício. Deixo isso claro, só pra ser honesto com meus irmãos cearenses e também para aqueles buliçosos (buliçoso é como um curioso, muitas vezes não tem nada a ver com ele, mas ele quer saber mesmo assim).

Então, no auge dos meus 60 anos, passado na casca do alho e rodado por muitas eleições, não acredito que o Camilo possa vencer essas eleições, ainda mais no primeiro turno.

Pesquisa pra cearense é diversão. A gente diz que vota nos homi dos homi só pra depois mangá (mangar é mangar, ora. Deve ser o que o especialista conhece como zoar). A gente tem pena desses institutos de pesquisas aqui no Ceará, que não acerta nada. Vira e mexe nos métodos deles, mas não percebem que o problema deles tá no espírito moleque do cearense.

Mas tem uma coisa que cearense leva em consideração: o sentimento. E o sentimento do Cariri ao noroeste do Estado é de mudança. E o cearense vai mostrar mais uma vez que o sentimento é quem manda. E vamos mangá dessas pesquisas que viram de última hora.

MPF denuncia ex-prefeito acusado de desviar verbas do Réveillon

O Ministério Público Federal ajuizou ação de improbidade administrativa e ação penal contra o ex-prefeito do município de Salitre (CE), Agenor Manoel Ribeiro, e outras sete pessoas. Os réus são acusados de desviar recursos públicos de convênio firmado entre a Prefeitura e o Ministério do Turismo para realização, em 2008, do “2º Réveillon Popular de Salitre”.

Consta nas ações que, após o prazo pactuado para o término da execução do convênio para realização da festa, o Ministério do Turismo constatou pagamentos por serviços não realizados. Foi identificado, ainda, que a Prefeitura não contratou as bandas mencionadas no plano de trabalho aprovado e nem realizou o evento.

De acordo com o Ministério Público em Juazeiro, as investigações apontaram que o ex-gestor Agenor Ribeiro simulou a realização de processo licitatório na modalidade de carta convite, para “encenar a execução do objeto do convênio e dar ares de legalidade à contratação, efetivamente irregular”.

Nas ações instauradas pela Procuradoria da República no Município do Juazeiro do Norte, o MPF pede que a Justiça Federal condene os responsáveis pelos atos de improbidade, ressarcimento integral dos prejuízos, entre outras sanções previstas na Lei de Improbidade Administrativa (Lei 8.429/92). Na ação penal, o MPF pede a aplicação de pena pelo desvio de recursos federais, que pode chegar até 12 anos de prisão.

(MPF)

Professor Vianney Mesquita e mais um rebento literário

vianney

O professor Vianney Mesquita lançará nesta quina-feira, às 19 horas, nos jardins da Reitoria da Universidade Federal do Ceará, o livro Nuntia morata – Ensaios e Recensões.

Com ensaios de literatura e comunicação. Na apresentação da obra e do autor o acadêmico Dimas Macedo.

DETALHE – Vianney foi nosso professor no Curso de Comunicação Social da UFC. Loas ao mestre.

 

Operário cearense é vítima de estelionatários paulistas e ganha ação na Justiça

O juiz Ricardo Bruno Fontenelle, titular da 3ª Vara da Comarca de Morada Nova (a 161 km de Fortaleza), condenou a BV Financeira a pagar indenização moral de R$ 5 mil para operário que teve o nome inserido indevidamente em órgãos de proteção ao crédito.

Segundo os autos, em janeiro de 2011, ele tomou conhecimento de pendência financeira em nome dele junto à referida empresa. Disse que nunca fez negócios com a instituição e, sequer, esteve na cidade de São Paulo, local onde teria sido assinado um contrato de financiamento de veículo.

Ao tentar solucionar o problema diretamente com a financeira, não obteve sucesso. Por conta disso, ajuizou ação requerendo a retirada do nome dele dos cadastros de inadimplentes e indenização por danos morais.

Na contestação, a empresa alegou que a inscrição se deu pela falta de pagamento de parcelas devidas referentes a financiamento de carro. Sustentou que não praticou nenhum ato ilícito e solicitou a improcedência da ação.

Ao julgar o caso no último dia 11 de setembro, o magistrado entendeu que as assinaturas apresentadas pela BV Financeira e vítima não conferiam e, por isso, a instituição não teria cumprido o dever de cuidado ditado pela legislação em vigor.

Destacou ainda que “na contratação de serviços bancários por falsários, não há como excluir, por completo, a responsabilidade da instituição bancária fornecedora”.
Por último, ressaltou que compete à fornecedora do serviço, antes da conclusão do contrato, cercar-se da certeza da identidade do contratante. “Exige-se do fornecedor muito mais que mera diligência em confirmar os dados pessoais do solicitante. Exige-se serviço adequado, que resguarde terceiros de eventuais transtornos e ilícitos”.

(TJCE)

Prefeito assina mais uma ordem de serviço para construção de escola de tempo integral

prefito robertoclaudio

O prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio (Pros), assinará, às 9 horas desta sexta-feira, a ordem de serviço para construção de mais uma escola em tempo integral. Dessa vez, segundo a assessoria de imprensa do Paço Municipal, será a quarta ordem de serviço das 29 novas escolas em tempo integral que serão construídas até o final da gestão. O terreno onde a escola será construída fica na Avenida Odilon Guimarães, s/n°, esquina com Travessa Capricho, no bairro Curió.

O investimento total será de R$ 7.669.736,18, sendo R$ 5.401.450,81 oriundos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) e R$ 2.268.285,37 de contrapartida do município. Além das 29 escolas que serão construídas, outras seis já funcionam plenamente e mais seis funcionarão em prédios que já existiam, adianta a assessoria de imprensa do prefeito.

(Foto – Paulo MOska)

O voto útil é voto consciente?

Com o título “Voto útil é o voto consciente”, eis artigo do advogado Reno Ximenes, que chega como mais um ingrediente para reflexões do eleitorado. Confira: 

Alguns institutos de pesquisa eleitoral expõem um elevado índice de eleitores “indecisos”. Quem conhece as entranhas do jogo político, barganhas e relações de poder, percebe, limpidamente, um maquiavélico plano para indução do eleitor frágil, dependente do poder público e de favores de seus agentes ou mandatários, para determinados candidatos. É um antigo plano tático usado para captar o voto útil em favor de uma campanha.

Os indecisos no Ceará são os segmentos de vários setores submetidos ao terror dos poderes públicos – seja de que lado for, e/ou, o percentual utilizado pelos institutos de pesquisa, para flexibilizarem e justificarem no futuro as suas conveniências.  

Um bom exemplo foi o sofrido pelo deputado estadual Heitor Ferrer, candidato a Prefeito de Fortaleza pelo PDT nas últimas eleições, quando o povo deixou de elegê-lo pela artificial polarização feita pelos institutos de pesquisa, um dia antes das eleições. 

Libere o ímpeto que o seu coração soprar na sua consciência. 

* Reno Ximenes,

Ex-procurador jurídico da Assembleia Legislativa e do Dnocs.

No Ceará, os indecisos vão fazer a diferença

203 1

Com o título “O poder e o incômodo dos indecisos”, eis o Editoral do O POVO desta quinta-feira. Bom para reflexões nesta arracanda final da disputa no Estado. Confira:

A mais recente pesquisa O POVO/Datafolha coletou as intenções dos eleitores quando faltavam somente cinco dias para as eleições. Ou seja, já haviam passado quase 90 dias desde o início da campanha aberta e 42 dias da campanha no horário gratuito de rádio e televisão. Mesmo assim, 14% dos eleitores se declaram indecisos em relação ao seu voto para governador do Ceará quando apresentados à lista de somente quatro candidatos.

Quando os pesquisadores deixam de lado a lista estimulada e coletam a manifestação espontânea dos eleitores, a quantidade de indecisos mais que dobra. Nesse cenário, 37% disseram que não sabem em quem votar no próximo dia 5 de outubro.

É sinal de que há algo causando incômodos a uma parte nada desprezível dos eleitores. Não se pode considerar normal que após uma longa campanha onde os candidatos se expuseram exaustivamente ainda gere tamanha falta de adesão a uma das quatro opções disponíveis.

O Ceará possui hoje mais de 6,2 milhões de eleitores aptos a votar no domingo que vem. Os 14% de eleitores detectados a partir da apresentação da lista estimulada significam quase 930 mil eleitores. É um exército que se aproxima dos dois terços do eleitorado total de Fortaleza.

A indecisão na consulta espontânea (37%) chega a uma marca que impressiona mais ainda. São, por baixo, aproximadamente dois milhões de eleitores que afirmaram categoricamente que não sabiam em quem votar a cinco dias da eleição. É importante lembrar que a pesquisa espontânea é a que mais se aproxima da realidade diante da urna eletrônica, que não apresenta a lista de candidatos.

No campo da especulação, há algumas possíveis respostas para esse fenômeno. Nenhuma muito boa para o nosso sistema político. A primeira: uma grande parte do eleitorado não está muito interessada nas eleições. Outra: esse exército de eleitores não está aderindo às candidaturas. Por qual motivo? Talvez por não confiar naqueles que se apresentam.

O fato é que o próximo governador, mesmo que a eleição vá para o segundo turno, chegará ao poder com o apoio da metade dos eleitores e com a outra metade contra. Não é uma situação muito confortável.

Presidente da Fiec expõe projetos para associados do Centro Industrial do Ceará

foto beto studart

O presidente da Federação das Indústrias do Ceará (Fiec), Beto Studart, é o convidado desta quinta-feira, a partir das 12 horas, do Centro Industrial do Ceará. Ele vai apresentar ali, dentro do projeto “Almoço com o Presidente”, os seus projetos à frente da federação. 

O encontro ocorrerá no quinto andar do prédio-sede da Fiec e deverá se repetir com outros dirigentes de associações e entidades do setor produtivo, segundo o presidente do CIC, José Dias de Vasconcelos.

 

Ciro Gomes: “A política é o momento em que pobres e ricos são iguais”

394 4

cirogomm

“A política é o momento em que pobres e ricos são iguais. Portanto, vamos às urnas eleger Camilo e Mauro”, afirmou, durante comício em Acaraú (Litoral Oeste), nessa quarta-feira, Ciro Gomes, secretário estadual da Saúde e ex-ministro.

Ele aproveitou o ato para conclamar o povo a votar em seus candidatos. Ciro Gomes estava ao lado do candidato Camilo Santana (Governo, Izolda Cela (vice) e Mauro Filho (Senado).

(Foto – Divulgação)

Rede Nacional de Advogados e Advogadas Populares denuncia pressão política

210 2

Em nota enviada para o Blog, a Rede Nacional de Advogados e Advogadas Populares no Ceará (RENAP/CE) defende reforma estrutura no aparelho policial do País. Ao mesmo tempo, em termos de Ceará, a organização denuncia pressão sobre policiais que resolveram declarar voto. Confira:

Nestas eleições um tema que ficou praticamente esquecido dos discursos dos candidatos e candidatas, salvo raras exceções, foi a necessidade de reforma estrutural na
organização das polícias no Brasil.

A crise na segurança pública é assunto recorrente nos programas eleitorais, sendo inclusive objeto de promessas diversas. No entanto, as questões relacionadas
às condições de trabalho dos policiais e demais profissionais de segurança pública e a implicação dessas condições para o cenário de crise do estado não é abordado.

Dentre os fatores que vulnerabilizam a atuação de policiais, especificamente os militares, é exatamente a estrutura militar da instituição policial. Isso é uma herança arcaica, com raízes no período do Brasil Império, mas que nunca foi seriamente enfrentada ao longo de nossa história, muito provavelmente porque esse formato é mais interessante para o exercício de controle da sociedade, em detrimento das finalidades da segurança pública.

Hoje essa estrutura está se revelando não apenas inadequada, mas também insustentável num contexto democrático. A estrutura militar das polícias contribui de duas formas para a diminuição de direitos dos policiais. A primeira é direta e consiste nas limitações legalmente estabelecidas às liberdades civis dos membros da corporação. São restrições à liberdade de expressão, de associação, de locomoção e até de garantias processuais.

Tais restrições não se justificam numa sociedade democrática, uma vez que policiais são também cidadãos que dever ter assegurados direitos que lhes permitam interferir politicamente na sociedade. O arranjo militar ainda impõe aos profissionais extenuantes jornadas de trabalho que ultrapassam, por vezes, quarenta e oito horas contínuas.

Diante da ameaça de prisão disciplinar, por conta do sistema hierárquico, os policiais não possuem meios para reagir e se submetem às jornadas desumanas, com prejuízo
evidente para eles e para a qualidade da segurança pública.

Há ainda outro efeito da militarização da polícia, esse indireto, porém mais nefasto. Em forma de corporação militar, considerando a forma violenta e autoritária
como se consolidou o Estado no Brasil, as polícias militares acabam mantendo uma cultura de violação permanente e continuada a direitos, em confronto com as leis e as garantias mínimas estabelecidas no marco dos Direitos Humanos.

Frequentemente, advogados e advogadas da RENAP recebem denuncias de humilhações, ameaças e perseguições sofridas por policiais militares, especialmente
os de patente mais baixa, no exercício de suas funções realizadas por superiores hierárquicos que se valem exatamente da estrutura militar para manter a impunidade
e perpetuar sua vilania. Esse tratamento é tão institucionalizado que as vítimas não se atrevem a denunciar pelos meios formais, por receio de que a denúncia seja inócua, podendo até agravar as violações caso o denunciado tome conhecimento.

Essa realidade brutal e desumana não pode continuar. Primeiro porque, antes de tudo, policiais militares são pessoas humanas, detentoras de dignidade e que devem ter respeitados seus Direitos Humanos.

A junção destes dois elementos está produzindo quadros assustadores no cenário eleitoral. Denúncias recebidas pela RENAP dão conta de policiais que vem sofrendo
perseguição pelo simples fato de terem declarado seu voto. Infelizmente o quadro é tão tenebroso que os denunciantes não querem se arriscar a apresentar denuncia formal aos órgãos competentes, razão pela qual os advogados e advogadas populares no Ceará
decidiram divulgar esta nota para trazer o assunto para o debate junto à sociedade, rompendo pelo menos com a invisibilidade.

A estrutura militar da polícia é uma violação aos direitos humanos dos profissionais de segurança pública, ao mesmo tempo que um fator que diminui a qualidade dessa segurança, com prejuízos para toda a população.

PELA DESMILITARIZAÇÃO JÁ! Em defesa dos direitos humanos dos policiais militares e demais profissionais de segurança pública.

* Rede Nacional de Advogados e Advogadas Populares no Ceará (RENAP/CE).

TRT do Ceará criará núcleo para coibir ação de “laranjas”

Da Coluna Vertical, no O POVO desta quinta-feira:

O Tribunal Regional do Trabalho, no Ceará, está implantando o Núcleo Especializado em Pesquisa Patrimonial. O objetivo é dar celeridade aos pagamentos de ações trabalhistas, a partir de pesquisas e levantamentos do patrimônio de pessoas físicas ou jurídicas condenadas em questões da área.

O Núcleo, que deve operar dentro de 30 dias, terá aparato eletrônico para promover essa tarefa, segundo o juiz do trabalho Ney Fraga que, ao lado do juiz do trabalho André Braga, deverá estar à frente desse organismo.

O Núcleo nasce com a finalidade de apurar evasão fiscal, questões de patrimônio ocultado e, principalmente, ação de “laranjas”, em parceria com outros órgãos como Receita Federal e Polícia Federal.

 

Nesta arrancada final pelo voto, o clima é de jogo sujo

camiloeuy

Da Coluna Política de Érico Firmo, no O POVO desta quinta-feira. Vale a pena conferir o tópico “Às favas todos os escrúpulos” e refletir nesta arrancada final do voto. Confira:

Candidatos normalmente começam a campanha tentando se apresentar como “propositivos” e deixando a pecha da agressividade para os opositores. E terminam a eleição dispostos a qualquer coisa para ganhar. Pelo caráter atípico desta eleição no Ceará, os candidatos trataram de mandar às favas todos os escrúpulos. Nenhuma eleição recente foi travada de forma tão agressiva, com as principais candidaturas abertamente acusando de desonestidade o lado adversário. E isso porque os lados adversários, representados por Eunício Oliveira (PMDB) e Camilo Santana (PT), passaram oito longos anos aliados, até o primeiro semestre deste ano. E, apesar das acusações que um lado faz ao outro, ambos articularam até o último momento para manter o apoio do hoje antagonista até o limite do prazo. E, àquela altura, não faziam vaga menção a todo rol de acusações que agora fazem um ao outro.

O espetáculo é escatológico, baixo, sujo. As denúncias proliferam e são de toda ordem. Gravações falsas com vozes forjadas; capas de revista fajutas, resultado de montagens estapafúrdias para atingir os oponentes. Na noite de terça-feira, o grotesco supremo: pancadaria entre militantes do lado de fora do debate realizado pela TV Verdes Mares.

É triste, mas não é difícil entender as razões pelas quais isso ocorre. Com exceção do segundo turno de 2002, todas as eleições no Ceará de 1982 para cá chegaram ao mês final mais ou menos decididas. Por isso, aqueles que acabariam eleitos mantinham a pose de quem se limita a apresentar propostas e certa fleuma diante dos ataques.

A agressividade é sempre faca de dois gumes em eleições. Seu efeito mais positivo em geral não é conseguir votos para o candidato, mas tirar do adversário. Mas traz o grande risco de aumentar a rejeição de quem bate. Sem bem sucedido, consegue isso também com o alvo.

Nesta campanha, os dois lados parecem definitivamente ter desistido de convencer o eleitor de que os candidatos são os melhores e dedicam as energias a mostrar que o adversário é pior. Sinal de que há mais argumentos contra os demais que a favor deles próprios.

Golden Park – Laudo diz que acidente foi provocado por falta de manutenção

186 1

“O laudo de acidente no Golden Park, ocorrido em 13 de agosto, foi concluído ontem e apontou falta de manutenção como causa do acidente que vitimou Tiago Fernandes, de 26 anos. Segundo o documento, o brinquedo em que o jovem estava era calçado por peças improvisadas de madeira e não oferecia segurança às pessoas. Segundo o delegado Marx Quaresma, titular do 26º Distrito Policial, que investiga o caso, o inquérito foi concluído e enviado à Justiça.

O brinquedo, chamado Caos, desabou. Tiago, um dos ocupantes do equipamento, não resistiu ao traumatismo craniano encefálico e morreu. Outras cinco pessoas também ficaram feridas. O delegado afirma que os proprietários do parque devem responder por homicídio culposo – quando não há intenção de matar.

A Prefeitura de Fortaleza suspendeu o alvará de funcionamento depois do acidente e o parque foi desmontado e retirado do local, na avenida Washington Soares. O brinquedo é uma espécie de roda-gigante que gira vertical e horizontalmente. Segundo testemunhas, o braço hidráulico do brinquedo se rompeu e as cadeira em que estava o rapaz se chocou contra o chão.”

(O POVO)

Tasso diz que cearense irá escolher “o povo como patrão”

218 1

eleições 2014 psdb tasso iguatu 1001

“Domingo será o dia de escolher o candidato que terá como patrão apenas o povo”. O discurso é do candidato do PSDB ao Senado, Tasso Jereissati, na noite dessa quarta-feira, durante comício no município de Iguatu (Cento-Sul).

Para o tucano, o atual governo tem invertido prioridades da população, o que teria agravado a situação da seca e da segurança pública no Estado. Tasso pediu votos para a sua candidatura e também para Eunício Oliveira (PMDB), ao governo do Ceará.

(Foto – Divulgação)

Metade dos eleitores mal conhece os candidatos

slav

“Cerca da metade dos eleitores do Ceará conhece apenas de ouvir falar ou nem mesmo conhece os dois candidatos que lideram de forma disparada a eleição estadual, dentre os quais muito provavelmente sairá o próximo governador, pelo que apontam as pesquisas.

O Datafolha indagou se os eleitores conhecem os candidatos. Responderam conhecer muito bem Eunício Oliveira (PMDB) 23%, enquanto 13% disseram o mesmo em relação a Camilo Santana (PT). Entre os que disseram conhecer “um pouco” os concorrentes, mais equilíbrio: 30% para o peemedebista e 28% para o petista.

O percentual mais significativo foi o dos que disseram conhecer os candidatos “só de ouvir falar”. Eunício foi assim mencionado por 38%, enquanto Camilo alcançou 43%. E, apesar da maciça propaganda nos últimos meses, há ainda 9% de eleitores que disseram desconhecer Eunício e 15% que não conhecem Camilo nem mesmo de ouvir falar.

Número

O desconhecimento dos números também é grande: 47% sabem o que devem digitar na urna eletrônica, mas, nas vésperas da votação, 53% não sabem o número ou citaram a opção errada. O percentual de conhecimento do número de Camilo é de 51%, contra 49% de Eunício.

Regiões

O Datafolha mostra profundo equilíbrio nas intenções de voto entre as várias regiões. Em Fortaleza e Região Metropolitana, Eunício tem 35% e Camilo, 33%. No Interior, Eunício tem 42% e Camilo, 39%.”

(O POVO)

Banda cearense busca conceito moderno do blues

315 1

foto blues

Há três anos de sua primeira apresentação, a banda cearense InBlues – formada por Marília Lima (vocal), Débora Marciel (guitarra), Adelmo Correa (gaita), Augusto Milagro (baixo) e Carlinhos Perdigão (bateria), chama a atenção de críticos por sua inovação nos arranjos de clássicos do blues, blues-rock, jazz e soul music.

O quinteto é a principal atração do dia 18 deste mês, no Estoril, na Praia de Iracema, dentro do projeto da Casa do Blues.

Na busca de um conceito moderno do blues, o quinteto cearense mostra influência de artistas como Eric Clapton, Muddy Waters, Etta James, Aretha Franklin, B.B. King e Elvis Presley, colocando sua própria identidade, personificando e se apropriando sem perder a essência natural das canções, quando o velho blues se mistura com o moderno.