Blog do Eliomar

Categorias para Ceará

O peso de uma decisão

Da coluna Fábio Campos, no O POVO deste domingo (26):

Janeiro já chega ao fim. Fevereiro é mês curto. Março começa com Carnaval. Em abril tem a Semana Santa. Depois vem o frisson da Copa do Mundo, que começa em junho. Junho, das fogueiras e fogos, é o mês em que a política ferve em torno das articulações para definir alianças e candidaturas. A seguir, em julho, termina a Copa e a campanha eleitoral entra oficialmente em campo. 2014 é um ano peculiar. Será um ano curto. Curtíssimo.

Na política cearense, alguns poucos cenários vão se estabelecendo. Candidaturas vão se colocando. Em meio ao vácuo, elas começam a se consolidar. É o caso da candidatura de José Nobre Guimarães (PT) ao Senado. É o caso da candidatura de Eunício Oliveira (PMDB) ao Governo do Ceará.

Em busca de entender melhor os acontecimentos, tenho feito uma pergunta a alguns políticos: o que o senador Eunício perde se levar sua candidatura adiante, abrindo uma rachadura na aliança encabeçada por Cid Gomes? Normalmente, os interlocutores levam alguns segundos para oferecer alguma resposta.

As respostas não são conclusivas. Porém, há um consenso. Aconteça o que acontecer de negativo, o senador Eunício e seu PMDB vão saber recompor suas posições. E, é claro, sempre compondo a base do vencedor e ocupando cargos. Portanto, no fim das contas, a compreensão é que não há muito o que perder.

O fato é que a possível candidatura do senador ao Governo, caso se concretize, representará para a política do Ceará um impacto maior do que representou a saída de Eduardo Campos (PSB) da base da presidente Dilma Rousseff.

O motivo é simples: o peso do PMDB é bem maior que o peso do PSB.

Sem o PMDB, a aliança de Cid Gomes perderá mais de um terço do tempo do horário eleitoral na TV. Perderá também alguns prefeitos e parlamentares. Poderá perder até a presença da presidente Dilma, que evitará fazer campanha nos estados em que sua base rachou.

Com um racha na aliança, a disputa política do Ceará muda de condição. Com o PMDB na aliança, é campeonato para ser jogado em apenas um turno. Sem o PMDB, tudo fica imprevisível e o segundo turno torna-se uma possibilidade bem palpável.

O mercado político se entrega às especulações. Fala-se que o PR de Lúcio Alcântara será parceiro certo se Eunício for adiante. Fala-se que Tasso Jereissati (PSDB) espera a definição do senador para decidir se tentará outra vez voltar a Brasília. Fala-se que Eunício já convidou Tasso para uma dobradinha. Verossímeis.

As especulações vão continuar no vácuo que costuma se formar nos meses anteriores às convenções de junho. Até lá, o governador, peça fundamental no tabuleiro, se manterá ao seu estilo. Ou seja, calado e sem oferecer pistas. A postura engrossará ainda mais o caldo das especulações. Normal.

Mas, enquanto isso, Eunício faz questão de se afirmar como candidato. Nos bastidores, mantém conversa com possíveis aliados. Sabe que para ter chances na disputa precisa gerar o segundo turno. Por isso tentará atrair aliados sem esvaziar outras potenciais alianças concorrentes.

Luizianne Lins: Topo ser candidata

340 10

foto luizianne opovo 140126

Há um ano longe do Poder Executivo, a ex-prefeita de Fortaleza, Luizianne Lins (PT), parou um pouco para se olhar. Dez quilos mais magra, olhos de menina, a petista anda fazendo coisas de gente que está fora das rodas do poder dos paços e palácios. Quando não está em Fortaleza, num apartamento simples que terminou de pagar com um financiamento da Caixa Econômica, na Aldeota, ela investe em se manter no anonimato no Rio de Janeiro, ao lado de Tiê.

O filho, hoje com 14 anos, adolesceu enquanto ela fazia o papel de prefeita da capital cearense. Quando Tiê rebentou, Luizianne já acumulava cruzadas políticas. “Esse é o primeiro ano da minha vida após 24 anos dentro do parlamento, no Executivo e em movimentos sociais (como líder sindical e estudantil)”.

Tímido e simpático, Tiê está experimentando a mãe de uma outra maneira. No Rio de Janeiro, onde dificilmente são abordados, ele não é o “filho da prefeita” nem tem de escutar indelicadezas ou piadinhas. Habitantes de um apartamento alugado no Leblon, combinaram deixar na garagem, em Fortaleza, o Fiat Pálio da família. De caso pensado, esquadrinha Luizianne Lins. “Lá nos deslocamos a pé ou de bicicleta”, diz, com a tranquilidade de quem se reencontrou com alguns prazeres simples. “Voltei a ir para o cinema, fazia tempo!”.

Fora do poder, a petista também teve de refazer algumas rotinas e costumes. Quando menos esperou, viu-se sem telefone celular. A conta foi a mais de R$ 1.500,00 sem que percebesse – ainda pelo hábito de longas conversas de bastidores políticos que se mantiveram – e a operadora bloqueou a conta da ex-prefeita.

“Sempre usei funcionais, coloquei na ponta do lápis e optei pelos pré-pagos”. Sem constrangimento, riu do dia em que estava falando com o senador Eunício Oliveira (PMDB) e teve que dizer que seus créditos estavam acabando. Pediu que ele ligasse de volta pra ela. “Ele demorou para entender ou acreditar”, brinca com um iPhone e um aparelho mais simples na mão. Ela vai se reacostumando à vida na aldeia.

Luizianne tem agora um orçamento medido. Um bom salário, mas longe dos benefícios legais de gabinete que teve direito como vereadora, deputada estadual e prefeita. Beira hoje os R$ 10 mil por duas atividades: é professora efetiva do curso de Comunicação Social da Universidade Federal do Ceará (UFC) – licenciada das aulas para fazer o mestrado no Rio – e atua como conselheira do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Por ter ficado entre os cinco primeiros colocado na PUC do Rio, poderia até requerer a bolsa como mestranda. Abriu mão por quem se classificou abaixo dela. “No BNDES, toda semana, avalio projetos e há reuniões a cada três meses”.

Foi um achado ter uma vaga no BNDES “carioca”. A presidente Dilma Rousseff havia lhe oferecido um cargo na Secretaria de Políticas para Mulheres, em Brasília. Mas os planos, principalmente por causa de Tiê e do mestrado, direcionavam para o Rio. Fizesse ou não o sucessor em Fortaleza, iria reorganizar a vida na capital fluminense. “Não queria ser comentarista de governo de ninguém”.

O retorno

Disposta a reeditar 2004, quando saiu candidata a Prefeita de Fortaleza sem o apoio de cardeais do PT local e nacional (o candidato de Lula era Inácio Arruda, do PCdoB), Luizianne diz que “topa ser candidata à sucessão de Cid Gomes”. Não é prioridade nem projeto de vida no momento, ressalta a petista. Voltaria para os embates dos palaques “para tornar menos previsível a campanha”. A política fervilha no sangue.

A seu favor, Luizianne tem uma pesquisa encomendada pelo próprio Partido dos Trabalhadores que a aponta como a segunda maior líder para influenciar as eleições de 2014. O senador José Pimentel confirma. Segundo a ex-prefeita, num cenário sem o ex-governador Tasso Jereissati (PSDB), ela e o senador Eunício Oliveira dividem o potencial de modificar cenários.

Contra todos

Luizianne Lins não é a preferida. O diretório estadual do PT, comandado por Diassis Diniz, um apadrinhado do deputado federal José Guimarães, já declarou que apoiará quem Cid Gomes (Pros) indicar. A intenção dos petistas aqui, segundo Ruy Falcão, presidente nacional da sigla, é angariar votos para a reeleição da “companheira” Dilma.Não importa se haverá dois ou três palanques políticos e qual o pedigree dos aliados. Luizianne não se dá por vencida.

(O POVO)

Ciro Gomes e o ministério de Dilma Rousseff

Da coluna Política, no O POVO desta sexta-feira (24), pelo jornalista Érico Firmo:

O Pros volta a falar na indicação de Ciro Gomes para ministro, mas a possibilidade ainda soa extremamente remota. Ele não demonstrou a menor empolgação e, pelo contrário, rejeitou a ideia mesmo quando foi cogitado para a Saúde, uma pasta muito mais importante e pela qual ele demonstrou interesse em outros momentos. Seria realmente estranho se ele resolvesse agora sair do secretariado do irmão para voltar ao ministério que já ocupou entre 2003 e 2006.

Como a coluna já abordou, o Pros nacional usa o nome dos Ferreira Gomes justamente para abocanhar um ministério de maior expressão. São eles as figuras públicas realmente relevantes da nova legenda. Os sinais que vêm do Palácio da Abolição indicam que o governador Cid Gomes (Pros) já se sente contemplado com a presença de Francisco Teixeira no Ministério. Ele é cearense, foi secretário adjunto de Recursos Hídricos de Ciro no ministério e foi superintendente de Obras Hidráulicas do Ceará e diretor técnico da Secretaria de Recursos Hídricos do Estado nos governos de Tasso Jereissati (PSDB).

A questão é saber se o comando do Pros se sente contemplado por ele. Com Ciro, não haveria discussão. Mas Teixeira é diferente. Sobretudo para os dirigentes nacionais de uma sigla que nasceu com vocação de nanica e que ganhou volume principalmente devido à adesão do clã que governa o Ceará. Essa cúpula está provavelmente ávida por um poder de que nem imaginava que viria a desfrutar. Com a provável recusa de Ciro, deve ser desencadeada queda de braço dentro do Pros pela ocupação do espaço.

A vergonhosa política das gambiarras

Em artigo no O POVO desta sexta-feira (24), o editor-adjunto do Núcleo de Conjuntura do O POVO, Italo Coriolano, avalia o “puxadinho” no Aeroporto Pinto Martins. Confira:

O que o “puxadinho” do aeroporto Pinto Martins, os carros-pipa que ainda percorrem o sertão e as passarelas metálicas que cruzam a BR-116 têm em comum? Todos são a manifestação mais clara do talento que o poder público brasileiro tem para ser incompetente. Gastam-se milhões de maneira irresponsável. Faz-se do planejamento peça de alegoria nos processos administrativos. Transforma-se o simples em bicho de sete cabeças. E, assim, eleva-se o improviso à tática corriqueira de governo, dificultando de todas as maneiras a saída do Brasil do buraco do atraso.

Na primeira situação, serão R$ 3,5 milhões para um terminal provisório de passageiros coberto por uma tenda e com banheiros dentro de contêineres. Esdrúxulo. Passaremos vergonha no maior evento esportivo já organizado pelo País e ainda veremos essa dinheirama toda ir parar na lata do lixo. Enquanto isso, falta verba para equipar postos de saúde, professores vivem na quase miséria por causa dos baixos salários, milhões de brasileiros moram dentro do esgoto diante da falta de saneamento e uma crise na segurança pública provoca a morte de centenas todos os dias.

No caso dos carros-pipa, o uso desse tipo de equipamento em pleno século XXI poderia ter sido dispensado há um bom tempo, caso as obras de infraestrutura hídrica previstas para a região tivessem sido executadas dentro do prazo e com qualidade. A transposição do Rio São Francisco, por exemplo, foi prometida para 2012. Estamos em 2014 e a intervenção não chegou nem na metade. O custo inicial de R$ 4,6 bilhões já passa da casa dos R$ 8 bilhões. Durma-se com um barulho desses. Falta de zelo com os recursos do povo que, nessa área, atinge também projetos mais simples, como a adutora de Itapipoca. Os canos não aguentaram a pressão da água e estouraram em vários pontos. Em alguns trechos nem cano havia. E lá se vão mais verbas para praticamente refazer a obra. Até o governador teve de virar encanador para o problema não ficar ainda mais grave.

Já as passarelas da BR-116 que balançam com o mais fraco dos ventos são motivo para o responsável pelo setor arrumar suas coisas e pedir demissão. Por favor, alguém me explica qual é a dificuldade de tirar do papel esse tipo de construção? Não é uma hidrelétrica nem uma linha de metrô. É um pedaço de concreto armado de alguns poucos metros que daria tranquilidade para a travessia de milhares de moradores. Enquanto as estruturas definitivas não são feitas, as sete temporárias – duas na BR-222 – deverão sair por R$ 7,3 milhões. Gambiarras que custam muito caro para o bolso do contribuinte e para o futuro do Brasil.

Estudante autor da página “Queremos Eunício Governador em 2014” envia nota ao Blog

352 4

foto facebook eunício governador

Cearense de Lavras da Mangabeira, cidade natal do senador Eunício Oliveira, o estudante de Direito na Universidade Federal da Paraíba, Moizéis Lima da Silva, esclarece os motivos da criação de página no Facebook, em que defende a candidatura do conterrâneo ao Governo do Ceará nas eleições deste ano. A Procuradoria Regional Eleitoral (PRE) analisa se o material se enquadra em campanha antecipada. Confira:

Diante das recentes notícias veiculadas na mídia cearense de que a Procuradoria Regional Eleitoral (PRE) no Ceará iniciou uma investigação acerca de uma suposta prática de propaganda eleitoral antecipada em benefício do Senador Eunício Oliveira (PMDB), venho esclarecer alguns fatos.

Primeiramente, quero deixar claro que sou o criador e administrador da página “Queremos Eunício Oliveira Governador em 2014”. Saliento que, muito embora eu tenha a honra de ser conterrâneo do Senador, não possuo nenhuma espécie de vínculo com ele. O conhecimento que tenho de sua pessoa é somente aquele proporcionado pelos jornais, redes sociais, sites e afins. Acredito que Eunício não tinha conhecimento da existência da página até o início da investigação.

Em segundo lugar, criei essa página no final de 2012 seguindo claramente o objetivo de sua descrição: “reunir pessoas que querem que o Senador Eunício Oliveira se candidate a Governador do Estado do Ceará em 2014 por entenderem que ele reúne todas as condições e exigências para tanto.”

Como se percebe, o público alvo da página são as pessoas que já têm sua opinião política formada, de modo que ela não tem o intuito de conquistar a adesão de eleitores, mas visa a reunião daqueles que torcem e acreditam, há muito tempo, numa possível candidatura do Senador ao Palácio da Abolição. Inclusive, a maior parte do material veiculado na página é colhido de sites, jornais, revistas e afins que são divulgados amplamente para toda a população.

Em quarto lugar, ressalto que só criei a página citada porque acompanho a trajetória política e os inúmeros benefícios que o Senador Eunício Oliveira angaria em prol da melhoria da vida do povo e do Estado do Ceará, tendo comprovado que está mais do que preparado para governar um Estado tão rico e tão complexo quanto o nosso.

Esclareço ainda que retirei a página do ar provisoriamente, em virtude do início da apuração da PRE, haja vista que desejo colaborar com o Parquet no que for necessário. Reitero que em nenhum momento minha intenção foi fazer campanha antecipada, mas apenas exercer minha liberdade de expressão, direito constitucionalmente garantido. Ao final do procedimento ministerial, reativarei a página, se assim o órgão ministerial consentir, pois, como disse, a função da mesma é expressar ideias e não fazer campanha política, e a ideia em que acredito é esta: Eunício Oliveira é a melhor opção para que o Estado do Ceará consolide conquistas importantes e inicie uma nova fase de expansão econômica e ampliação das conquistas sociais até agora alcançadas.

Moizéis Lima da Silva, administrador da página, no Facebook, intitulada “Queremos Eunício Oliveira Governador em 2014”, cearense da cidade de Lavras da Mangabeira e estudante do Curso de Direito da Universidade Federal da Paraíba.

João Pessoa – PB, 24 de janeiro de 2014.

Secult reinaugura Pontos de Cultura no Cine São Luiz

A Secretaria de Cultura do Estado (Secult) reinaugura na tarde desta sexta-feira (24), a partir das 14 horas, no Centro, os Pontos de Cultura. Com a nova denominação de Estação Chico da Matilde – Cultura Viva Ceará – Rede Cearense de Pontos de Cultura, o programa passará a funcionar no terceiro andar do Cine São Luiz, na Praça do Ferreira.

Durante a solenidade, haverá uma apresentação e debate sobre a pesquisa “Pontos de Cultura: olhares sobre o Programa Cultura Viva”, publicada pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), e o Pré-Carnaval dos Pontos de Cultura na Praça do Ferreira.

A nova denominação é uma homenagem a Francisco José do Nascimento (1839-1914), jangadeiro também conhecido como Chico da Matilde e, depois, Dragão do Mar, símbolo da resistência popular cearense contra a escravidão ao se negar, ainda em 1881, sete anos antes da Abolição da Escravatura no Brasil, a transportar para navios negreiros os escravos vendidos para o Sul do Brasil.

Segundo a secretaria, a reinauguração do espaço vem acompanhada de medidas que sinalizam um novo momento na relação da Coordenação dos Pontos de Cultura com os grupos e instituições, como o anúncio de um ciclo de visitas e um programa de gestão e acompanhamento, que inclui serviços de assessoria técnica, jurídica e contábil e capacitações para os gestores. As visitas ocorrerão entre 3 de fevereiro e 14 de março, nas oito macrorregiões do Estado, atingindo cerca de 50 Pontos de Cultura em aproximadamente 40 municípios.

(Secult)

A inexplicável morosidade do Aeroporto

169 2

foto tasso fhc aeroporto 1998

Da coluna Política, no O POVO desta sexta-feira (24), pelo jornalista Érico Firmo:

Das coisas que não consigo entender. Fortaleza foi escolhida subsede da Copa do Mundo em 2009. Faz quase cinco anos. Mas desde a escolha do Brasil para receber a Copa, em 2007, a cidade já era das mais cotadas a sediar o evento. Aí se vão lá quase sete anos. O aeroporto Pinto Martins não dava mais conta do recado desde antes. O imperativo de ampliação era talvez a mais óbvia demanda depois do estádio.

A construção do atual terminal de passageiros começou em 1996 e terminou em 1998. Durou dois anos e dois meses. Alguém me explique: como se levanta do chão um aeroporto internacional em dois anos e em cinco não se consegue concluir uma reforma? Vale registrar que essa obra foi feita por meio do polêmico Regime Diferenciado de Contratação (RDC) – exceção aberta na Lei de Licitações justamente para dar velocidade às obras para a Copa do Mundo. Nem foi rápido nem servirá para a competição.

A construção do novo aeroporto, na década de 1990, foi obra federal com parceria estadual. Naquela ocasião, o governo Tasso Jereissati puxou a iniciativa para si – do ponto de vista do marketing e da ação. Chegou a comprar briga com empreiteiras que queriam melar a licitação. Embora seja acompanhada pelas autoridades estaduais e municipais, o fato é que a atual reforma nem de longe conta com o mesmo empenho dos governos locais. O que, seguramente, explica parte do vexame e da necessidade da gambiarra.

DETALHE – O governador-administrador Tasso Jereissati ergueu toda a estrutura do Pinto Martins em dois anos, enquanto o governador-engenheiro civil Cid Gomes não conseguiu ampliar a estrutura em sete anos. Mais um comparativo entre as duas administrações, desde que o atual governador pediu que reunissem tudo o que Jereissati fez à frente do Executivo do Ceará, multiplicasse por dois, que mesmo assim não chegava a que o atual governo realizou.

Tasso jogará o jogo de Cid

foto cid e tasso

Da coluna Política, no O POVO desta quinta-feira (23), pelo jornalista Érico Firmo:

O ex-senador Tasso Jereissati (PSDB) irá jogar um jogo ao qual o governador Cid Gomes (Pros) é particularmente afeito. Sua intenção é empurrar até o limite do prazo a decisão sobre concorrer ou não ao Senado. Quando foi governador, o tucano introduziu forma e intensidade inovadoras no uso de pesquisas de opinião para orientar decisões políticas no Ceará. A definição sobre voltar ou não a disputar eleições terá por base a rigorosa análise das estatísticas que serão colhidas a partir de fevereiro. Números cuja evolução seguramente será acompanhada nos meses subsequentes. O ex-senador não se lançará em aventura. Só voltará ao terreno que já dominou se o fizer com absoluta segurança. Por isso, deverá esperar a definição dos cenários. É possível, caso decida concorrer, que só faça o anúncio no dia da convenção, no fim de junho.

Tasso não está preso a contingências de calendário. Não precisa, por exemplo, desincompatibilizar-se. Diferente do que ocorre com Cid, para quem abril já trará um primeiro prazo. Em menos de dois meses, terá de decidir se irá desincompatibilizar ou não sua melhor secretária, Izolda Cela, da Educação, uma das cotadas para concorrer ao governo. É também o limite para a hipótese – até hoje sempre negada com certa veemência – de o candidato vir a ser o prefeito Roberto Cláudio (Pros). E ainda para o vice Domingos Filho assumir o Executivo durante algum afastamento do titular. Tasso não tem nenhuma amarra similar. Além disso, também não tem pressa para se fazer conhecido do grande público, problema que qualquer possível adversário enfrentará.

A demora em decidir favorece o tucano não apenas por evitar o risco de ser afetado por uma conjuntura inesperada. O senador também sabe que Cid Gomes aguarda com expectativa sua decisão. O governador já disse que prefere decidir sua estratégia depois que a oposição se definir. E, fora das fileiras hoje governistas, nenhuma delas tem tanto peso quanto Tasso.

O que pode apressar a decisão são as estratégias dos próprios aliados. Roberto Pessoa (PR) – favorito do bloco oposicionista – já disse que topa concorrer, mas condiciona isso à entrada de Tasso na disputa. E a intenção já declarada pelo possível bloco PSDB-PSB-PR é lançar candidato ao governo ainda em fevereiro, para que o nome tenha tempo de se tornar minimamente conhecido. Nacionalmente, Aécio Neves (PSDB), pré-candidato a presidente, também está louco para que Tasso se decida logo a ser candidato. As pressões, portanto, podem apressar o calendário.

Neste momento, uma coisa parece certa: ainda que não estejam aliados, Tasso só concorrerá ao Senado se Eunício Oliveira (PMDB) for candidato ao governo contra Cid Gomes.

Festival de Dança Litoral Oeste terá 30 apresentações a partir desta sexta-feira

foto balé edisca

Mais de quinze atrações cearenses, com quase 30 apresentações, vão compor a programação do Festival de Dança Litoral Oeste 2014, que terá início nesta sexta-feira (24) e seguirá até o dia 9 de fevereiro. Os espetáculos ocorrerão nos fins de semana, nas cidades de Itapipoca, Trairi e Paracuru. Os três municípios da região do Vale do Curú e Litoral Oeste desenvolvem há mais de 20 anos ações em dança, no âmbito da formação técnica, pesquisa, criação, montagem, mostra e difusão.

Enquanto isso, em Fortaleza, acontecerá a edição especial da Bienal Internacional de Dança do Ceará – Estação Férias 2014, de 29 a 31 de janeiro, na Praça do Ferreira, com programação das 15h às 21h, também com a participação de companhias de dança do Ceará e atrações musicais.

O Festival de Dança Litoral Oeste 2014 tem o incentivo da Coelce – uma empresa ENDESA Brasil, apoio cultural do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Cultura, além da parceria da Prefeitura de Paracuru e da Prefeitura de Trairi. A realização é da Associação de Artes Cênicas de Itatipoca (AARTI), Escola de Dança de Paracuru e CIA Arreios.

A Bienal Internacional de Dança do Ceará – Estação Férias 2014 tem o patrocínio da Petrobras e da Caixa Econômica Federal. Co-Patrocínio: Funarte, Governo Federal, via Ministério da Cultura. Apoio Cultural: Governo do Estado do Ceará, por meio da Secretaria Estadual da Cultura. Promoção: Prefeitura de Fortaleza, por meio da Secretaria Municipal de Cultura de Fortaleza (Secultfor). Parceria: Festival PontoCE. Realização: Bienal Internacional de Dança do Ceará, Indústria da Dança e ProArte.

(Dégagé)

59 açudes com menos de 10%

O prognóstico sobre o período chuvoso de 2014 foi feito e as ações emergenciais para evitar um colapso de abastecimento anunciadas. Mais uma vez. Durante 11 anos (2003-2013), foram seis quadras chuvosas abaixo da média no Ceará, três apenas nos últimos quatro anos (ver quadro). Hoje, dos 144 açudes cearenses, 59 não têm sequer 10% de volume d’água. A distância entre a água e quem precisa dela pode até ser reduzida por adutoras e carros-pipa. Mas até quando, se diferente de anos anteriores, a sequência de seca não deu fôlego aos reservatórios do Estado?

Entre os 184 municípios do Estado, Fortaleza está livre de problemas com água, afirmam os órgãos de controle e monitoramento hídrico. Isso se explica pelo fato de o abastecimento ser oriundo de reservas como o Castanhão, que está com 39% de volume, e o açude Orós, com 49%. A possibilidade de racionamento é mínima, de acordo com o chefe de monitoramento de recursos hídricos do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs), André Mavignier. “Apenas em junho – após a quadra chuvosa – teremos uma previsão sobre a possibilidade de danos à Capital. Mas precisamos começar a economizar água”, orientou.

A recomendação de André já virou regra em algumas cidades do Interior. Na maioria, já não é mais nem opção. A paisagem de secura tem em seu cenário a diminuição visível e rápida dos açudes, o que desperta a preocupação sobre a vazão das adutoras emergenciais implantadas, que chegam a transferir até 62,5 litros de água por minuto. André reconheceu que os sistemas podem significar risco de esvaziar o que ainda se tem. “É uma solução rápida, porque para perfurar poços precisa achar um local e esperar que a água tenha qualidade. Corre o risco, mas se a gente não tirar, o sol faz isso pela evaporação”, frisou.

Açudes e adutoras

Em agosto do ano passado, as águas do açude Flor do Campo (município de Novo Oriente) passaram a ser transferidas para o açude Carnaubal, que abastece Crateús através de uma adutora emergencial. O reservatório que hoje socorre a cidade está com 3,9% dos 105 bilhões de litros que pode armazenar (hoje tem 4,1 bilhões).

De acordo com dados do Portal Hidrológico do Ceará, em cinco meses, as perdas com a transferência de água e evaporação no Flor do Campo foram de 9 bilhões de litros. Nos períodos dos cinco meses anteriores à construção da adutora emergencial, o mesmo açude perdeu apenas 4,2 bilhões de litros.

Já o açude Carnaubal, beneficiado pela medida, foi aumentando de volume a partir de agosto (quando tinha 0,4% do total) e chegou a ter 3% do volume nos primeiros dias de outubro. Desde então, a água vem minguando. Até ontem, os dados apontam o nível de 1,6% para o reservatório. O que significa que hoje ele guarda 1,2 bilhão dos 80,6 bilhões que comporta.

Em maio de 2013, outra adutora passou a transportar 30,10 litros de água por segundo do açude Missi para a cidade de Amontada, a 157 km da Capital. Desde então, o volume do reservatório passou de 40,1% para 24,91%, conforme informações do Portal. Medida de urgência, as adutoras são sinonímias de alento para alguns municípios e alvo de robustos investimentos do poder público.

Saiba mais

O prognóstico do período chuvoso do Ceará, entre fevereiro e abril, foi divulgado ontem. As chances de o Estado apresentar precipitações abaixo da média são de 40%.

Na categoria considerada média, a probabilidade é de 35%. Já quando consideramos as chances de ter um trimestre com chuvas acima da média, o percentual cai para apenas 25%.

Dos 144 açudes cearenses, 122 estão com volume inferior a 30%, 59 estão com menos de 10% e apenas um (o Gavião) tem volume superior a 90%.

(O POVO)

Ceará ganha fábrica de guindastes com capital árabe

foto príncipe árabe

Três municípios cearenses disputam a instalação de uma fábrica de guindastes, que deverá abastecer o mercado brasileiro da construção civil, além de demandas na América Latina, Estados Unidos e Canadá. A multinacional italiana Raimondi Cranes S.p.A, com um século e meio no mercado, anunciou esta semana a expansão de seus investimentos em quatro países: Índia, Arábia Saudita, Turquia e Brasil.

No Brasil, o Ceará foi o Estado escolhido por causa da proximidade com a Europa, além da infraestrutura do Porto do Pecém e do aquecimento da construção civil no Nordeste.

A expansão da empresa ocorre por causa do capital árabe, depois que o príncipe Khaled bin Alwaleed AI Saud se tornou proprietário da Raimondi Cranes S.p.A.

“Muitas obras estão programadas para o Nordeste Brasileiro, e esse é um setor que necessita de maior mecanização para conseguir mais competitividade e redução de custos. Nossos produtos promovem isso, e podem contribuir para satisfazer mais rapidamente a necessidade dos brasileiros, tanto em termos de habitação, quanto em infra estrutura. O Brasil é um país importante, com recursos e muito potencial. Temos o prazer de dar a nossa contribuição”, afirma Ragnar A. Brigg, diretor de marketing do Grupo Raimondi e diretor executivo da empresa no Brasil, em seu escritório em Fortaleza.

A empresa não divulgou os municípios cearenses que disputam a instalação da fábrica.

Agentes penitenciários podem cruzar os braços no Carnaval

138 1

Reajuste da Gratificação de Atividades Especiais e de Risco (GAER), auxílio-alimentação, nomeação de todos os candidatos do cadastro de reserva do último concurso e acautelamento de pistolas para todos os agentes penitenciários. Essas são as reivindicações que o Sindicato dos Agentes e Servidores do Sistema Penitenciário do Estado do Ceará (Sindasp-CE) espera discutir com o governador Cid Gomes nos próximos dias.

Segundo o sindicato, a categoria se mobiliza para uma paralisação das atividades, durante o Carnaval, em caso da falta de aceno do Governo do Estado.

“Reconhecemos que o Governo do Estado tem feito investimentos para reverter a situação do sistema penitenciário. Entretanto, faltam viaturas, armamentos, e um efetivo mínimo de agentes penitenciários para que haja uma segurança razoável nas unidades prisionais. Por isso, pedimos com urgência a nomeação dos 754 candidatos do cadastro de reserva”, explica o presidente do Sindasp-CE, Valdemiro Barbosa.

PMDB quer ministério para obter apoio no Ceará

Da coluna Cláudio Humberto, nesta quarta-feira (22):

A cúpula do PMDB aposta que Ministério da Integração pode servir de moeda de troca para costurar apoio do governador Cid Gomes (PROS) ao senador Eunício Oliveira na disputa pelo governo do Ceará. O vice Michel Temer já pediu ao ex-presidente Lula para conversar com os irmãos Gomes para reeditar a aliança PMDB-PT, sinalizando que o próprio Cid Gomes poderia ocupar pasta da Educação em 2015.

Crônica de um vexame anunciado

142 1

Da coluna Política, no O POVO desta quarta-feira (22), pelo jornalista Érico Firmo:

Escrevi algumas vezes sobre as enormes dúvidas que tenho sobre a capacidade de a Copa do Mundo dar retorno ao Brasil do volume de dinheiro público que foi investido. Mas a turma está caprichando para que o proveito que se pode tirar do maior evento que o País já realizou fique abaixo das potencialidades. A dispendiosa gambiarra anunciada para compensar a reforma inconclusa do aeroporto de Fortaleza é um vexame mais que anunciado. Pelo menos desde 2012 já se falava que o trabalho não ficaria pronto a tempo. Como é que só agora se busca solução emergencial, com um puxadinho tosco e banheiros em contêineres? Um papelão.

A reforma completa do Pinto Martins tem previsão de custar R$ 383,8 milhões. Pelos atrasos, as multas ao consórcio CPM Novo Fortaleza, formado pelas empresas Consbem, Paulo Octávio e MPE, são de aproximadamente R$ 1 milhão até agora. Ou seja, troco. Qualquer aditivo bobo cobre com sobras.

A pior parte é que não é só o aeroporto. A maioria das obras de mobilidade ficará para depois, assim como o Veículo Leve sobre Trilhos (VLT). Sabe a melhor parte? As vias que serão concluídas até o Mundial são no entorno do Castelão, por onde não poderão passar carros durante a Copa. Ou seja, ficarão prontas para a competição as avenidas pelas quais será proibida a circulação de veículos. Uma lindeza de planejamento.

Após mergulho em adutora de Itapipoca, Cid Gomes “dá uma mergulhada” na política

foto cid gomes 140122 facebook

Há uma semana, o governador Cid Gomes não mais alimenta a sua página no Facebook ou twitter. Ao decidir não mais viajar para os Estados Unidos, o governador alimentou as esperanças de aliados para ações fortes em ano eleitoral, principalmente depois que Eunício Oliveira intensificou encontros no Interior e opositores passaram a se articular.

Assuntos não faltam. Tanto positivos quanto negativos, desde a geração de mais de 50 mil novos empregos no Estado, ano passado, até o “puxadinho” no Aeroporto Internacional Pinto Martins.

O protagonismo de Tasso e de Eunício

Da coluna Política, no O POVO desta terça-feira (21), pelo jornalista Érico Firmo:

O governador Cid Gomes (Pros) é o protagonista óbvio de qualquer eleição desde 2006. Sem ser candidato, serão dele as principais decisões que vierem a ser tomadas para o próximo pleito. Contudo, esse protagonismo será dividido com outros dois personagens, cujas escolhas nos próximos meses indicarão se teremos apenas mais um passeio eleitoral ou se a disputa será acirrada.

(…) Tasso Jereissati (PSDB) é o ator central nas movimentações do bloco de oposição que começa a se formar.

(…) Outro protagonista é Eunício Oliveira. O senador sabe e gosta de fazer política, transita como poucos nos bastidores, tem muitas relações e poucas arestas, possui aliados extremamente influentes e – fator em que se sobressai acima de praticamente todos os seus pares – tem capacidade sobrenormal de angariar recursos e estrutura para campanha. Teve papel crucial nessa seara em todas as campanhas de Cid Gomes ao governo, na reeleição de Luizianne Lins (PT) e na eleição de Roberto Cláudio (Pros).

Se resolver concorrer, fará estragos nada desprezíveis. Tem potencial para fazer desta a eleição mais acirrada desde 2002 – o que nem vem a ser grande coisa, pois desde então Cid tem nadado de braçada.

Porém, nem Tasso nem Eunício, até agora, decidiram se candidatar. O primeiro hesita e o segundo ainda pode ser atraído por Cid, a depender dos acertos.

Quem tem passado, tem futuro

149 1

Em artigo enviado ao Blog, o radialista e ex-prefeito de Canindé, Ximenes Filho, defende a candidatura Eunício Oliveira ao Governo do Estado. Confira:

O passado de Eunício Oliveira quer como cidadão, empresário ou político, representa orgulho para si próprio, seus familiares, amigos e correligionários políticos.

Como cidadão, exemplo de honradez e dignidade, quer como filho, irmão, esposo, pai e, acima de tudo, amigo. Como empresário, exemplo de dinamismo, honestidade e suprema capacidade administrativa, o que o credenciou no rol dos maiores empresários do Brasil, com destaque para a lisura dos seus negócios, respeito às leis e aos seus funcionários e colaboradores. Como político, uma demonstração de zelo, seriedade, trabalho e obstinação, capazes de fazê-lo um grande deputado federal e consagrá-lo como um dos melhores senadores que o Senado Federal recebeu ao longo de toda a sua existência.

Dito isto, resta-nos a esperança de tê-lo como o nosso governador.

Serve o presente como estímulo e, por via de consequência, como apelo para que não desista dessa candidatura, pois, é agora ou nunca. A manobra do governador Cid foi desarticulada pelo presidente nacional do PROS ao declarar os nomes dos quais seria escolhido o seu sucessor, o que acabou sendo confirmado com a exclusão do nome de Eunício o que, no mínimo, é uma desconsideração muito grande e um ato de prepotência sem precedente.

Ando muito pelo interior e, afora isso, tenho dois programas de rádio e, sem nenhuma demagogia ou qualquer que seja o interesse, posso constatar a admiração que o povo tem pelo seu nome para governar o Estado em substituição a Cid, mas essa afeição foi conquistada pelo trabalho feito, no Congresso, a favor de renegociação das dívidas dos agricultores, pelo reconhecimento da profissão do vaqueiro, pela legalização dos taxistas, pela inclusão de mais verbas para a Saúde, entre outras ações que honram e dignificam os milhões de votos recebidos dos eleitores cearenses, que podem bater no peito e dizerem que têm um político de juízo e de vergonha na cara que não se mete em arapucas e não faz parte de acordos espúrios.

Assim sendo, faço um apelo veemente para que não desista de ser candidato ao Governo do Estado nas eleições deste ano, pois, se não contar com o apoio do governador Cid, por certo contará com o apoio do povo e da oposição de forma uníssona.

Monte, desde já, uma estratégia consagradora, inclusive, com coordenações regionais, das quais quero participar, se possível, como coordenador da região do nosso querido Canindé. Vamos montar uma operação de guerra que você, se DEUS quiser, será imbatível.

Não desista. O único candidato entre todos os que são citados, com condições de vitória é você meu caro amigo Eunício Oliveira. Não nos decepcione, seja o nosso governador. Monte, pois, no cavalo que está selado à sua porta para percorrer o Ceará inteiro e, ao final, levá-lo ao Palácio da Abolição, onde permanecerá por, no mínimo, oito anos.

Não se esqueça: Quem tem passado, tem futuro.

Ximenes Filho, radialista e ex-prefeito de Canindé

Audiência Pública apresenta projeto da nova CE 187

165 6

A região da Ibiapaba vai ter sua principal rodovia, a CE 187, duplicada pelo Governo do Estado do Ceará, via Secretaria do Turismo (Setur CE). A intervenção terá seu Estudo de Impactos Ambietais (EIA/RIMA) discutido com a população local, em audiência pública, na manhã desta terça-feira (21), no auditório do IFCE de Ubajara.

O projeto, já concluído, conta com recursos do Banco Interamericano de Desenvolvimento – BID ,   e prevê a ligação entre Tianguá e São Benedito, num total de 58,74 km, beneficiando cidades como  Ubajara e Ibiapina, em estrada duplicada, com acostamento em cada sentido, canteiro central, faixas de segurança, sinalização, iluminação.

“Com esta CE duplicada, além das rodovias já concluídas no Governo Cid Gomes, tais como a Jijoca – Granja e a Granja- Viçosa, as viagens à serra e ao litoral ficarão muito mais rápidas e seguras. Assim, fomentamos tanto o turismo, qualificando os espaços daquela região, quanto o escoamento da produção agrícola de toda a Ibiapaba, explica o secretário do Turismo, Bismarck Maia.

A duplicação será feita em dois trechos, sendo o primeiro a partir do entrocamento da BR 222, em Tianguá, até Ubajara, com 25,6 quilômetros (km) de extensão; e o segundo vai até a CE 321, em São Benedito, com 33,14 km e passando também pelo município de Ibiapina.

(Setur)

Perícia prejudicada

Da Coluna Vertical, no O POVO desta terça-feira (21):

Um procedimento no Instituto Dr. José Frota (IJF) causou estranhamento, ano passado, entre alguns médicos da Perícia Forense do Ceará (Pefoce). Corpos de vítimas de violência em Fortaleza e na Região Metropolitana só eram enviados para necropsia na Coordenadoria de Medicina Legal (Comel) com uma demora de mais de 24 horas e em estado de putrefação. Um problema grave para o resultado de uma investigação científica e risco à saúde dos servidores.

Segundo um documento que O POVO teve acesso, um homem que havia falecido no IJF Centro no dia 9/4/2013 só foi encaminhado à Pefoce em 12/4/2013. Três dias depois do óbito e em condição avançada de decomposição. Um outro ofício, relatava mais quatro casos. Entre eles, a história de um rapaz que só foi necropsiado na Comel 42h40min após seu falecimento no Frotão.

Segundo alguns médicos, a falta de uma geladeira no necrotério do IJF seria a causa do apodrecimento. Mas qual a justificativa para o atraso no encaminhamento do corpo?