Blog do Eliomar

Categorias para Ceará

Ronivaldo Maia – Até opiniões desequilibradas de Ciro têm espaço na democracia

189 3

ronivaldomaia

Com o título “Ciro, a democracia e o desrespeito”, eis artigo do vereador Ronivaldo Maia (PT), que pode ser lido no O POVO desta terçã-feira. Ele analisa as críticas que o ex-ministro fez contra ambientalistas. Ciro chegou a qualificar alguns do grupo que protesta contra a construção de dois viadutos no encontro da avenida Antônio Sales com Engenheiro Santana Júnior de “maconheiros”. Confira:

cirogomess

A pluralidade de ideias e o respeito à diversidade de opiniões são pilares da democracia, regime em que, felizmente, vivemos hoje no Brasil. O caso dos viadutos em Fortaleza poderia ser uma demonstração do bom debate entre governo e os que se opõem à obra, preocupados com a derrubada das árvores e com os resultados dessa intervenção. Porém, o que vimos foi a reação desrespeitosa, para dizer o mínimo, do ex-ministro Ciro Gomes. Ciro, que é irmão do governador Cid Gomes, afirmou na imprensa que “maconheiros” e “burgueses” não querem a obra, desqualificando, mais uma vez, toda e qualquer crítica aos atos dos governos comandados pela família dele – no plural mesmo.

O que Ciro não entendeu, talvez embriagado pelo excesso de poder do clã Ferreira Gomes, foi que é preciso, sim, ouvir as vozes dissonantes e respeitar os adversários políticos. No entanto, ele sempre preferiu o nível baixo da política rasteira. Já se referiu a Elmano de Freitas como “aborto” e atacou o governo da ex-prefeita Luizianne Lins dizendo que Fortaleza era um “puteiro a céu aberto”.

Agora, os alvos foram o governo da presidente Dilma Rousseff, que ele afirmou estar “assentado na base da putaria”, e membros do Ministério Público Federal. Com sua elegância habitual, Ciro disse que o procurador da República Alessander Sales deveria “pintar a bunda de branco” e chamou o também procurador Oscar Costa Filho de “politiqueiro” e “exibicionista”. Isso mesmo, ele usou a expressão “exibicionista”, mas não era falando dele próprio.

Além do dano que causa à nossa inteligência e aos nossos ouvidos de tempos em tempos, Ciro prejudica a população do Ceará quando comanda, informalmente, diga-se, uma das pastas do governo do irmão que tem resultados piores: a segurança pública. Ele, com seu típico destempero, já demonstrou que não tem o mínimo de respeito aos policiais, colocando em risco a segurança dos cearenses.

Lamento, portanto, que uma figura que já representou o Ceará em diversos momentos, tenha entrado, ao que me parece de maneira definitiva, nesse mundo da cegueira política, da arrogância, da prepotência e da falta de educação. E a vontade que me ocorre é de dizer “cala a boca, Ciro”, mas até essas opiniões desequilibradas do ex-governador e ex-deputado federal têm espaço numa democracia.

* Ronivaldo Maia,

Vereador do PT de Fortaleza. 

CRA/CE bate recorde em arrecadação de anuidade

ilailson

Ilailson Araújo e Carlos Ernesto: gestão em alta.

O Conselho Regional de Administração fechou sua arrecadação até 23 deste mês superando 26% do que foi registrado em todo o ano de 2012. Contabilizou mais de R$ 1,5 milhão de anuidades pagas pelos associados registrados – pessoa física e jurídica, o que é motivo de comemoração pela atual gestão, que tem à frente Ilaílson Araújo e Carlos Ernesto como diretor financeiro.

Segundo a direção do CRA-CE, a meta agora é fechar, até o fim do ano, o total de R$ 2 milhões, com ações de incentivo à categoria a pagar a anuidade, mas apostando em “transparência na gestão” e ainda numa maior aproximação com associados, acentua Ilaílson Araújo.

DETALHE – A direção anterior a Ilaílson foi afastada por problemas de gestão.

Fortaleza será sede de encontro nacional da construção civil. Dilma foi convidada

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=pqltTJog__g&feature=c4-overview&list=UU3PLF5T6g3ddE4BpeF0EhZg[/youtube]

A presidente Dilma Rousseff deve vir de novo ao Ceará ainda neste ano. Na agenda dela, consta convite para participar do Encontro Nacional da Construção Civil (ENIC) 2013, que ocorrerá de 2 a 4 de outubro, no Centro de Eventos.

O presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado, Roberto Sérgio, informa ter feito o convite pessoalmente à presidente Dilma quando de sua passagem em Fortaleza para inaugurar duas estações do Projeto Metrofor. Roberto Sérgio acha que Dilma virá, pois ela sempre tem marcado presença nos últimos encontros nacionais do gênero.

Ivens Dias Branco deixa a presidência do Grupo M. Dias Branco

ivensdiasbranco

“O grupo M. Dias Branco, que reúne empresas de alimentos, líder nacional nos mercados de biscoito e massas, terá mudanças no comando. O atual diretor presidente, o empresário Ivens Dias Branco, deixará a função em maio e dará lugar ao filho, Ivens Dias Branco Júnior, que ocupava o cargo de diretor vice-presidente industrial da área de biscoitos, massas e margarinas. Com o novo nome à frente do Grupo, o empresário, que neste ano comemorou 60 anos de trajetória profissional, ficará responsável pela presidência do Conselho Administrativo.

A mudança ocorre na mesma semana que Ivens Dias Branco completa 79 anos. Desde 1972, o empresário ocupava a presidência do Grupo. Um dos legados da presidência de Ivens Dias Branco foi conquistar o posto de líder nacional no mercado de massas e biscoitos, após a aquisição do Grupo Adria. Além da liderança, a Companhia atua nos segmentos de moagem de trigo, bolos, snacks, refino de óleo, gorduras, margarinas e cremes vegetais. Em todo o País, são 14 fábricas e 13 unidades de comercialização e distribuição. No Ceará, o Grupo conta com unidades de produção em Eusébio, Maracanaú, Aquiraz e Fortaleza.

O novo presidente do Grupo, Ivens Júnior, é um dos cinco filhos do empresário cearense. A trajetória de Ivens Júnior iniciou na própria Companhia em 1976. Em 1981, Ivens Júnior se tornou acionista e assumiu a Diretoria Industrial. Foi um dos principais nomes a contribuir com a instalação da unidade produtora de margarinas e gorduras vegetais, em 2002, em Fortaleza.

Desafio

Ivens Júnior tem pela frente o desafio de dar continuidade à expansão da M. Dias Branco e manter a liderança da empresa, fundada pelo avô, nos segmentos de biscoitos e massas. Segundo o último balanço, divulgado ontem pelo Grupo, o valor de mercado da M. Dias Branco ultrapassou os R$ 10 bilhões. No último trimestre, encerrado no mês de junho, o lucro da empresa alcançou R$ 142,7 milhões, crescendo 22,5% em relação ao mesmo período de 2012.

A Receita Líquida da Companhia cresceu no mesmo ritmo, obtendo mais de R$ 1 bilhão em movimentação. O valor é 22,8% superior à Receita do mesmo período de 2012. No primeiro semestre de 2013, o Grupo já investiu R$143,7 milhões em expansão. Ainda conforme o balanço da M. Dias Branco, ao longo deste ano, estão previstos aportes de capital na construção de três unidades de moagem, sendo duas no Nordeste e uma terceira na região Sul.”

(O POVO)

Dominguinhos será lembrado em Fortaleza com Missa da Ressurreição

dominguinhos2

Será celebrada nesta terça-feira, à 19 horas, na Igreja do Otávio Bonfim, a Missa da Ressurreição em memória do cantor e compositor pernambucano Dominguinhos. Ele morreu em São Paulo, aos 72 anos, em decorrência de complicações infecciosas e cardíacas.

O ato litúrgico contará com a participação dos sanfoneiros Waldonys e Adelson Viana. Outros sanfoneiros foram convidados para a celebração.

VAMOS NÓS – Conheci Dominguinhos mais de perto quando tinha como vizinho Seu Eurides, pai do Waldonys, em condomínio na Parquelândia. Era um cabra simples e de muita sensibilidade. A visita dele, ao lado de Waldonys, para ver meu filho Vinícius – hoje com 15 anos, quando se recuperando de tratamento de doença rara, em nosso apartamento, nunca foi esquecida por mim nem por minha Socorro França.

Fusão do PPS com PMN é página virada

121 2

alexandre pereiraaa

“Em reunião extraordinária realizada em São Paulo, o PMN (Partido da Mobilização Nacional) formalizou a desistência de fusão com o PPS (Partido Popular Socialista) para formar a MD (Mobilização Democrática). Segundo a secretária nacional do PMN, Telma Ribeiro, a “diferença de tempo” entre os dois partidos é o que impossibilitou a fusão. “Não posso mexer na vida de tanta gente e ficar dependendo da posição de um só.”

A nova sigla, fruto da fusão do PPS com o PMN, era articulada pelo deputado Roberto Freire (PPS-SP), que é próximo de Serra. Se a criação do MD fosse aprovada, o novo partido poderia lançar a candidatura do ex-governador de São Paulo, José Serra (PSDB), à Presidência da República em 2014.

Serra enfrenta dificuldades em seu partido para tentar ser candidato novamente -ele já disputou a cadeira de presidente duas vezes: em 2002 e 2010. O presidente do PSDB, Aécio Neves, deve ser o indicado pelo partido para concorrer às eleições no ano que vem. Com isso, Serra tem procurado alternativas para se viabilizar candidato e a fusão entre o PMN e o PPS seria um caminho viável.

Para o PPS, a fusão era considerada essencial para fortalecer a sigla rumo à eleição de 2014. Com a criação de uma nova legenda, haveria uma janela de oportunidade para que políticos com mandato possam mudar de partido, formando uma sigla mais robusta, com direito a mais tempo de TV.

“A visão de Roberto Freire é que seria importante agregar insatisfeitos com mandato. Ele estava muito preso a essa visão. A minha posição é no outro sentido, de definir logo para tocar as coisas práticas”, disse Ribeiro. E, completou, “você não pode fazer uma fusão esperando as pessoas olharem o partido como um produto em uma prateleira escolhendo entre vários partidos.

No Ceará

O presidente do PPS no Ceará, Alexandre Pereira, diz que com o fim da fusão, a meta agora é fortalecer e interiorizar o partido para ampliar a capilaridade no Estado. “Nosso objetivo é fazer uma das chapas mais atrativas e competitivas para quem pretende se candidatar a deputado estadual e federal”, diz Alexandre, que faz parte da equipe do governador Cid Gomes (PSB), comandando o Conselho Estadual de Desenvolvimento Econômico (Cede). Atualmente, o PPS não tem deputados estaduais nem vereadores na Câmara de Fortaleza.

Alexandre Pereira informou que há conversas adiantadas com o deputado estadual Mário Hélio e com o suplente Tomaz Holanda (ambos do PMN) para que eles se filiem ao PPS. Eles teriam se aproximado da sigla após desgastes internos no PMN durante as discussões sobre em meio ao processo de fusão.”

(O POVO)

Jovens cearenses retornam da Jornada Mundial da Juventude

alann

Esta segunda-feira, no Aeroporto Internacional Pinto Martins, foi marcada pelo desembarque de vários grupos de cearenses que participaram da Jornada Mundial da Juventude, no Rio. A grande maioria jovens de várias paróquias da Capital ou ligadas a comunidades católicas como o Shalom. Todos estampavam a alegria de ter participado da agenda do evento que contou com a presença do Papa Francisco.

bollaa

O saguão do Pinto Martins lotou em alguns momentos. Grupos de vários pontos do Estado fizeram festa no desembarque. A maioria, cerca de 10 mil jovens, conferiu a JMJ por meio de pacotes turísticos.  A Vigília foi considerada um dos pontos altos por parte dos jovens.

* Confira aqui o depoimento de Adriana Cunha, do grupo de jovens da Igreja de São Gerardo.

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=J3ohdvPx60o&feature=c4-overview&list=UU3PLF5T6g3ddE4BpeF0EhZg[/youtube]

(Fotos – Paulo MOska)

Restaurante é assaltado na Aldeota

Um restaurante situado na rua Carlos Vasconcelos, no bairro Aldeota, foi assaltado por volta das 13h40min desta segunda-feira, 29. Um dos homens que participou do assalto foi preso após perseguição da Polícia. Com ele, foram apreendidos vários pertences das vítimas que estavam no estabelecimento durante o roubo, segundo informações da Coordenadoria Integrada de Operações de Segurança (Ciops). A Polícia não informou o nome do estabelecimento.

A Polícia já investigava o assaltante que vinha praticando vários assaltos na área. Os policiais conseguiram a informação da placa do veículo que o homem estava conduzindo e realizaram buscas para efetuar a prisão. O rapaz foi preso e encaminhado ao 4° Distrito Policial. A investigação da Polícia continua para conseguir prender o outro homem que também participou da ação.”

(Com POVO Online)

Orquestra Sinfônica da Uece fará apresentação gratuita no TJA

107 2

maestroalfredobarros

A Orquestra Sinfônica da UECE (OSUECE), em sua “Série Concertos Sinfônicos”, apresenta-se nesta terça-feira, no Theatro José de Alencar. Sob a regência do maestro Alfredo Barros, fará concerto gratuito, a partir das 19h30min.

Confira o programa:

– G. Fauré (1845-1924): Gavotte, da Suíte Masques et Bergamasques
– A. Correlli (1653-1713): Concerto Grosso N. 4, em Ré Maior (I. Adagio – Allegro; II. Adagio; III. Vivace; IV. Allegro- Presto)
Solistas: Diego Cavalcante, Pedro Oliveira, Violinos e Juliana Aragão, Violoncelo.

– Enio Morricone (n. 1928): Gabriel’s Oboe, da Trilha Sonora do Filme “A Missão”
Solista: Everton Castro, Oboe

– Carl Maria Von Weber (1786-1826): Concertino para Clarineta e Orquestra, em Mi bemol Maior
Solista: Jônatas Gaudêncio

– G. Puccini (1858-1924): “O mio Babbino Caro”, da Ópera Turandot
– G. Donizetti (1797-1848): “Piangete voi… Al Dolce Guidami, da Ópera Anna Bolena
Solista: Liana Fonteles, Soprano

– R. Leoncavallo (1857-1919): “Vesti la Giubba”, da Ópera Il Pagliacci
Solista: Daniel Sombra, Tenor

– O. Lorenzo Fernandez (1897-1948): “Batuque”, da Suite Brasileira Danza di Negri.

Médicos do Ceará farão nova paralisação

Uma nova paralisação dos médicos de todo o Brasil ocorrerá nesta terça-feira. Em Fortaleza, a categoria vai aderir ao protesto que quer a derrubada da MP 621/2013, que institui o Programa Mais Médicos, bem como a derrubada dos vetos à lei que regulamenta a medicina (Ato Médico).

Uma comissões do movimento dos médicos no Ceará definiu assim a programação:

30/07 – TERÇA-FEIRA

10 horas: Concentração no Hospital Geral de Fortaleza para dar um ABRAÇO no hospital.

16 horas: Atendimento à população, panfletagem e exposição de fotos, na Praça José de Alencar.

31/07 – QUARTA-FEIRA

9h30min: Panfletagem em frente ao Hospital das Clínicas (Av. José Bastos).

10 horas: Pediatras farão atendimento à população, na Praça do Coração de Jesus.

14 horas: Atendimento à população, panfletagem e exposição de fotos, na Praça do Coração de Jesus.

16 horas: Caminhada que sai da Praça do Coração de Jesus para o núcleo do Ministério da Saúde no Ceará.

19 horas: Assembleia Geral para avaliação do movimento e próximos passos, no CREMEC.

Deputado denuncia trabalho infantil em tempos de seca no Interior cearense

159 2

secaest

Do deputado estadual João Jaime (PSDB), recebemos a seguinte nota:

Prezado Eliomar de Lima,

Tenho presenciado no Interior não só a falta d’água de qualidade, mas também trabalho infantil. Nem o Governo nem o Ministério Publico do Trabalho fazem alguma coisa para coibir.

As crianças deixam de estudar para levar o pouco d’água que conseguem – poluída e disputada a impudores e, às vezes, com brigas.

Cadê o Ministério do Trabalho tão ágil para outras coisas? O Ceará do Interior não é o que estão passando pra população de Fortaleza, que, graças ao Castanhão construído pelo ex-governador Tasso Jereissat hoje fornece segurança hídrica .

A situação só tende a piorar e a Secretaria do Desenvolvimento Rural fica distribuindo R$ 180 milhões para que ONGs ligadas ao PT construam obras que em nada amenizam o sofrimento dessas populações . O povo precisa de água e de boa qualidade . A industria da seca voltou.

* João Jaime,

Deputado estadual do PSDB.

(Foto – Gabinete do Parlamentar)

Uma conversa inesquecível com Dominguinhos

159 6

dominguinhos

Com o título “Pra sempre lembrar”, eis artigo do juiz estadual, professor e escritor Mantovani Colares. Ele fala da perda de Dominguinhos para a Música Popular Brasileira e relata experiência sua com o artista. Confira:

Há momentos onde a privacidade é uma benção, e tudo que se deseja é um quarto repleto de silêncio, uma praça na qual o ruído predominante seja o do farfalhar vindo das árvores, ou mesmo um restaurante praticamente vazio para nos sentirmos clientes exclusivos. Em Brasília, em determinada noite esquecida no calendário do ano de 2008, estávamos eu e dois colegas da época em que trabalhávamos no Conselho Nacional de Justiça – Paulo Régis e Murilo Kieling – desfrutando de um silencioso e inacreditavelmente não povoado restaurante, quando, de repente, senta-se ao lado de nossa mesa o Dominguinhos e um secretário dele. De imediato, acendeu-me um brilho nos olhos, aquele do primeiro instinto de abordagem, mas a razão me deu um puxão de orelhas, a lembrar o hábito civilizado de não importunar artista, ainda mais em restaurante em final de noite, onde o sossego e a refeição quente são as únicas companhias desejáveis.

Lancei o aviso aos amigos sobre quem estava ao lado, e o giro de cabeça deles foi imediato. Ninguém se atreveu a sugerir a aproximação, nos segundos seguintes que duraram horas. Eu suspirei e enfrentei a tarefa que poderia se transformar num desastre: “vamos lá!”, anunciei em voz firme como um espartano, embora por dentro o menino gritasse desesperado para não dar vexame. Ao chegarmos os três à borda da mesa, com vestes opressoras de paletó e gravata, indicativas de burocratas prestes a estragar a refeição do adorado sanfoneiro, tal cenário o induziu a erguer o olhar, experiente olhar, acostumado às indiscrições, certamente antevendo a péssima escolha quanto ao local até então vazio, com a provável sensação de que fora ludibriado pelo instinto, e tragado para uma armadilha habitada por impertinentes curiosos.

“Dominguinhos”, me arrisco, “Fernando Pessoa disse que toda carta de amor é ridícula, mas muito mais ridículo é quem nunca escreveu uma carta de amor. Pois eu acho que todo fã é ridículo, mas muito mais ridículo é quem nunca se declarou ser fã de alguém. E nós somos seus fãs…”. Ele deu uma aberta gargalhada e disse: “vamos sentar…”. A refeição ainda não estava posta à mesa, o que nos encorajou a atender ao convite. “Sou cearense, e esse meu colega também, e esse outro é do Rio”. “Ah, então é gente que conhece música”, ele pronunciou. Arrematei, sem medo: “a sua conheço não só as mais famosas, como também me comovo com outras. É o caso de Xote da Navegação, uma de suas parcerias com o Chico Buarque”. Ele interrogou-me, meio incrédulo: “é?”, ao que respondi não com palavras, e sim em ousada cantoria: “eu vejo aquele rio a deslizar, o tempo a atravessar meu vilarejo…”, e os sorriso nos olhos dele me comoveu. O nervosismo, porém, me fez esquecer alguns trechos da letra (e olha que sou chicólatra!), mas ele gentilmente ia complementando os versos finais ante minha traidora memória, na medida em que eu cantava: “com o nome paciência, vai a minha….”, e ele “embarcação!”, continuava eu: “pendulando como o tempo, e tendo igual…”, e ele “destinação!”.

Foi memorável. Os meus amigos, porém, impacientes, arremataram: “é… mas tem uma que não podemos esquecer…”, e começou o Murilo: “Estou, de volta pro meu aconchego…”, e para nosso espanto, alegria e emoção, Dominguinhos entoou esse verdadeiro hino do reencontro, e ficamos ali, por alguns minutos a cantar todos juntos, “querendo, um sorriso sincero, um abraço….”. Até que, por bendita lucidez, nos demos conta que já estávamos abusando da acolhida, e subitamente nos levantamos, agradecemos e nos despedimos. Nesse instante, hesitei, mas não me contive: “Dominguinhos, eu quero lhe dizer que uma das músicas mais tocantes que conheço é Contrato de Separação, ela é extraordinária…”. Ele olhou fixamente e exclamou: “mas essa quase ninguém conhece!”. Não perdi o mote: “Eu sei, é uma pena, porque ela é uma pérola, como vocês (a música é dele e de Anastácia) foram buscar inspiração para imaginar alguém fazendo com a saudade um contrato de separação!? E a saudade se negando a aceitar esse contrato, chegando a sorrir dessa ilusão!? Em seguida vêm os versos: ‘e por ser ilusão / é mais difícil de apagar’! E a música termina dizendo que, ao invés de fazer um contrato com a saudade, o jeito foi ‘brigar com a lembrança / pra não mais lembrar’…. Que beleza, hem!?”. Ele me disse um obrigado tão verdadeiro, que ainda posso ouvir a sonoridade de sua fala mansa e cativante.

E agora que ele se foi, vejo que de fato é impraticável negociar com a saudade; seja por contrato, seja com desavença. A saudade de Dominguinhos nos confirma ser impossível brigar com a lembrança pra não mais lembrar.

* Mantovanni Colares é juiz estadual, professor universitário e escritor.

Sugestão para conferir:

Xote da Navegação – http://www.youtube.com/watch?v=dAo4KeFjCoE

Contrato de Separação – http://www.youtube.com/watch?v=pGObuWWmwJY

Memória de José Otoch será lembrada

178 1

Será celebrada nesta segunda-feira, às 19 horas, a Missa da Ressurreição do empresário José Abrahão Otoch (85). O ato está marcado para a Igreja do Líbano.

José Otoch comandou um dos maiores grupos cearenses do ramo de comercialização de confecções.Filho de imigrantes libaneses – o pai veio  com a família para o Brasil com um ano de idade, em 1895 – aos vinte anos formou-se em odontologia que trocou, seis meses depois, pelo comércio. O armazém deu origem a uma grande cadeia de varejo espalhada – no ano de 2000, por 15 Estados (Lojas Esplanada), a um grande atacado de tecido (Megatex) e a um dos grupos econômicos mais fortes da Região Nordeste (Grupo Otoch).

Universidade Federal do Ceará espera orçamento maior como tutora da UFCA

jesualdofarias

O orçamento 2014 da Universidade Federal do Ceará virá acrescido de verbas que a Instituição utilizará na implementação da Universidade Federal do Cariri. A UFC é tutora dessa nova Instituição perante o Ministério da Educação.

O reitor Jesualdo Farias não precisou valores, mas espera bem mais do que o valor recebido pela UFC neste ano, que foi de R$ 1,5 bilhões.

Por uma Constituinte sobre Reforma Política e com muito perfume de mulher

Com o título “Plebiscito, paridade e constituinte”, eis artigo do vice-presidente do PT do Ceará, Joaquim Cartaxo. Ele volta a defender a necessidade de um plebiscito para a reforma política. E mais: que indague se a população quer uma Assembleia Nacional Constituinte com metade das vagas para as mulheres. Confira:

Milhares de pessoas nas ruas de cidades brasileiras e infovias do ciberespaço manifestaram insatisfação com os partidos e políticos em geral, confirmando os altos índices de rejeição do Congresso Nacional apontados em pesquisas de opinião.

Há tempos, a sociedade estava descontente com eleger seus representantes e depois eles não prestarem conta do que fazem ou deixam de fazer no exercício da ação parlamentar. Esta autonomização entre eleito e eleitor é ponto nevrálgico da crise do sistema de representação política brasileiro. Daí a urgência da reforma política para atender a demanda popular por mais participação e controle no processo de tomada de decisões, fiscalização e gestão da coisa pública. Cotidianamente, o assunto reforma política circula nos plenários, salas de reunião, gabinetes parlamentares, comissões, corredores e cafezinho do Congresso Nacional. A maioria dos parlamentares se diz favorável à reforma, mas a arrastam, há duas décadas, na prática.

Houve propostas pontuais, neste período, como a denominada “lei da ficha limpa” de iniciativa da sociedade, importante do ponto de vista do exercício da soberania popular, porém insuficiente para debelar a crise da representação política. Por que se arrasta?

Há uma maioria parlamentar composta por vários partidos a quem interessa manter o atual sistema eleitoral que garante a conservação de privilégios e reprodução dos mandatos, bem como interesses dos financiadores de campanhas eleitorais.

Assim, é difícil constituir outra maioria no atual Congresso com força para realizar uma reforma política com a radicalidade que a sociedade exige. Que fazer?

Exercitar a soberania popular por meio de um plebiscito que indague se a população considera necessária a convocação de uma Assembleia Nacional Constituinte exclusiva para a reforma política e se metade das vagas dos eleitos para tal fim deveria ser ocupada por mulheres.

* Joaquim Cartaxo

cartaxo@hurb.com.br
Arquiteto urbanista e vice-presidente do PT/CE.

MP do Ceará fará ato de agradecimento pela derrubada da PEC 37

95 1

ricazrdomacjhado

O Ministério Público do Ceará vai promover, na próxima sexta-feira, a partir das 9 horas, em seu auditório, um ato de agradecimento pelo apoio recebido contra a PEC 37, aquela que limitava o poder de investigação do MP. Foram meses de mobilização que resultaram na derrubada dessa matéria junto ao Congresso.

O procurador-geral de Justiça do Estado, Ricardo Machado, puxará a solenidade.

Bom destacar que ele integrou o grupo nacional de procuradores e promotores de justiça que fez ofensiva contra a PEC 37.

O que tem a ver Cazuza com os viadutos do Cocó?

Com o título “Cazuza, os maconheiros e a política”, eis artigo do jornalista Marcos Robério, no O POVO desta segunda-feira. A partir do legado deixado pelo cantor e compositor Cazuza, ele faz um paralelo com recentes opiniões polêmicas sobre construção de viadutos no Cocó. Confira:

Em 1988, ano em que nasci, Cazuza emplacava um novo sucesso. O tempo não para foi uma das músicas que embalaram aquela geração de jovens, retratando a mesquinhez e a hipocrisia reinantes no País. Cada verso soa como um desabafo contra o preconceito cotidiano, fruto dos costumes medievais, da pobreza de pensamento e do faz de conta da política. Triste é perceber como a mentalidade pequena desnudada por Cazuza continua ainda tão presente 25 anos depois.

“Te chamam de ladrão, bicha, maconheiro”, diz um dos versos. Não era segredo para ninguém a vida desregrada e, em alguns aspectos, ilegal que Cazuza levava. Filho da classe média alta carioca, ele era o que alguns podem chamar de “burguesote”.

Nem por isso quis ficar emparedado no mundinho que lhe estava reservado. Preferiu o que para ele era a liberdade plena: usar o que tivesse vontade, fazer o que quisesse e com quem quisesse. E, principalmente, pensar como quisesse. Pagou com a vida o preço da imprudência. Mas deixou um legado sobre o qual é bom refletirmos vez por outra, para termos a certeza do quão torpe e reles é o pensamento de parte da nossa sociedade.

Cazuza – infelizmente para nós e talvez felizmente para ele – se foi em 1990. Não viu a série de transformações pelas quais o Brasil passou. Mas, se por aqui estivesse hoje, continuaria sendo achincalhado com as mesmas palavras baixas – provavelmente seria chamado de “vândalo” também. Continuamos em um tempo em que a preocupação ambiental e a discordância em relação a alguns projetos são vistas como coisa de maconheiro e “ecochato”. Acredito que pior que os vícios de Cazuza ou de quem quer que seja é o vício da falta de diálogo, da desqualificação apressada e do reducionismo barato.

Está claro e notório que não são apenas “burgueses e alguns maconheiros” os que discordam da construção de viadutos no Cocó. Mas, indo além, pergunto: e se fosse? Por acaso, os pensamentos de tais pessoas teriam menos valor por isso? Até porque, se fôssemos deixar de considerar as ideias da burguesia e de qualquer um acusado de ilegalidade, a classe política brasileira seria a primeira a não ter mais voz.

* Marcos Robério

marcosroberio@opovo.com.br
Repórter do Núcleo de Conjuntura do O POVO.

UFC abre orquidário à visitação pública

orquideass

“O Orquidário da Universidade Federal do Ceará, localizado na horta do Departamento de Fitotecnia (Campus do Pici), será oficialmente aberto para visitações a partir do próximo sábado (3), às 8h30min. Durante a abertura, será realizada uma oficina, aberta ao público, com o Prof. Roberto Jun Takane, do Centro de Ciências Agrárias da UFC, a partir das 9 horas.

As inscrições serão feitas na hora, mediante doação de um litro de óleo comestível e 1 kg de feijão, produtos que serão destinados a uma casa de caridade. Durante o segundo semestre, haverá oficinas mensais no Orquidário, com o objetivo de orientar os simpatizantes do cultivo de orquídeas e flores a cuidarem melhor de suas plantas ornamentais. Veja o calendário das atividades:

Setembro, dia 6 – Cultivo de flores em vasos;
Outubro, dia 5 – Cultivo de condimentos em vasos;
Novembro, dia 9 – Cultivo de flores de interior;
Dezembro, dia 7 – Cultivo de flores natalinas.

(Site da UFC)

Medida do Tribunal de Justiça do Ceará chama a atenção do TJ de São Paulo

luiz-gerardo-brígido
A iniciativa do Tribunal de Justiça do Ceará de normatizar as matérias a serem examinadas durante o plantão judiciário poderá ser implementada no Judiciário paulista. O presidente do TJ de São Paulo, desembargador Ivan Sartori, solicitou ao TJCE informações para levar a ideia ao Conselho da Magistratura daquela Corte.

De acordo com a proposta aprovada pelo Órgão Especial do TJCE, apresentada pelo desembargador Washington Araújo, não poderão ser analisados habeas corpus por excesso de prazo durante os plantões nos fins de semana e feriados. Também deverão ser divulgadas todas as atividades, inclusive, dados estatísticos, de cada plantão, no site do Tribunal.

DETALHE – O presidente do TJ, desembargador Luiz Gerardo Brígido, estuda também medidas para limitar a concessão de liminares abusivas nos plantões do 1º e 2º Grau.