Blog do Eliomar

Categorias para Ceará

Ceará passará a status de "Área Livre de Febre Aftosa com Vacinação"

neslmartins

O ministro da Agricultura, Antônio Andrade, estará em Fortaleza no próximo dia 21. Aqui, ele assinará portaria definindo o Ceará como “Área Livre de Febre Aftosa com Vacinação”. Atualmente, o Estado é considerado “Área de Médio Risco com Vacinação”. A nova certificação quer dizer, na prática, que o Ceará cumpriu todas as exigências estabelecidas pela pasta nas últimas campanhas de vacinação. “Agora vamos ampliar os negócios agropecuários e melhorar o padrão genético do nosso rebanho”, comemora o secretário estadual do Desenvolvimento Agrário, Nelson Martins.

Os altos índices de vacinação contra a febre aftosa foram a principal exigência do Ministério. Em 2012, o Ceará bateu todos os recordes e vacinou 93,99% do rebanho. Na primeira etapa deste ano, um novo recorde foi quebrado e 94,62% dos animais foram imunizados. A meta estabelecida era que pelo menos 90% do rebanho recebesse a vacina em 80% das propriedades do Estado. Mas outros fatores também pesaram na decisão. O governo estadual investiu na reestruturação da Adagri criando 15 novos escritórios (passando de 25 para 40) e seis escritórios regionais da agência, responsável pela sanidade animal e vegetal no Estado. Também autorizou a contratação de 40 veterinários, 21 agrônomos e 79 agentes agropecuários. Um convênio com o MAPA possibilitou a compra de novos veículos e equipamentos para as unidades na capital e no interior.

Além do Ceará, o reconhecimento nacional chega a mais sete estados: Piauí, Maranhão, Rio Grande do Norte, Alagoas, Pernambuco, Paraíba, além do Estado do Pará, na Região Norte do País.

Servidores do IJF fazem ato por mais segurança no hospital

iane parente

Categoria em momentos finais de concentração.

Terminou agora há pouco ato público realizado por servidores do IJF Centro cobrando mais segurança para o hospital. O ato reuniu cerca de 70 profissionais de cada setor para não causar transtornos às atividades do instituto. A iniciativa foi da Associação dos Servidores do IJF, com apoio do Sindicato dos Servidores e empregados Públicos de Fortaleza (Sindifort).

Durante o ato foi lembrado o caso recente de um jovem que foi assassinado, com três tiros, por outro jovem, quando deixava o IJF. Ficou acertado que as entidades buscarão envolver o Ministério Público para que acelere medidas de segurança prometidas pela direção do instituto.

Já a direção do IJF, em nota, informa estar implantando, até o fim deste ano, um plano de segurança para o hospital.

(Foto – Iane Parente)

UFC abre novos concursos para professor efetivo em Fortaleza

Estão abertas até 5 de setembro as inscrições para novos concursos públicos de professor efetivo – denominação de adjunto-A, com exigência do título de doutor, na Universidade Federal do Ceará. Em todas as vagas, o regime de trabalho é de 40 horas semanais, com dedicação exclusiva. Os interessados devem efetuar taxa de inscrição no valor de R$ 201,00. Veja abaixo as oportunidades abertas:

Edital nº 281/2013 – Instituto de Educação Física e Esportes, uma vaga para o setor de estudo “Desenvolvimento e Aprendizagem Motora Aplicadas à Educação Física e Esportes”.

Edital nº 282/2013 – Centro de Tecnologia, uma vaga no Departamento de Engenharia Química, no setor de estudos “Engenharia do Petróleo”; Centro de Humanidades, uma vaga do Departamento de Letras Estrangeiras, setor de estudo “Língua Inglesa e suas Metalinguagens”, e uma vaga no Departamento de Psicologia, no setor de estudo “Processos Psicossociais e Construção da Realidade: Psicologia Social do Trabalho e das Organizações”; Centro de Ciências Agrárias, uma vaga do Departamento de Tecnologia de Alimentos, setor de estudo “Engenharia de Alimentos”, e uma vaga no Departamento de Engenharia de Pesca, no setor de estudo “Tecnologia do Pescado / Tecnologia do Frio e do Calor”; e Centro de Ciências, no Departamento de Estatística e Matemática Aplicada, sendo duas vagas para o setor de estudo “Probabilidade e Estatística” e uma vaga para o setor de estudo “Matemática Computacional”.

* Mais detalhes sobre os processos seletivos estão nos editais citados, que podem ser acessados no site da Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas da UFC (www.progep.ufc.br).

(Site da UFC) 

Médicos fazem corpo a corpo em Brasília contra projeto Mais Médicos

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=6yuDgwPQnI4&list=UU3PLF5T6g3ddE4BpeF0EhZg[/youtube]

A Federação Nacional dos Médicos está reunida em Brasília, nesta quarta-feria, para avaliar a série de mobilizações que realiza em todo o País contra projetos do governo federal como o Ato Médico e o Programa Mais Médicos, este abrindo para a importação de médicos para atuarem no Interior do País.

O presidente do Sindicato dos Médicos do Ceará, José Maria Pontes, seguiu para o encontro que deverá servir também para ações políticas de pressão da categoria médica junto ao Congresso Nacional.

Defensor dos viadutos reage ao inconsequente patrulhamento messiânico dos eleitos

315 3

Com o título “O Monólogo dos insanos”, eis artigo do professor João Arruda, da UFC, que volta a abordar a polêmica em torno da construção de dois viadutos no encontro da avenida Antonio Sales e Engenheiro Santana Júnior. Por defender o projeto, João Arruda se diz alvo dos “herdeiros de uma tradição anacrônica e autoritária” e de “minoritários da esquerda cearense que teimam em não se reciclar”. Confira:

Para indignação dos que têm os valores democráticos e a tolerância política como dogma de convivência sociopolítica, a prática de inflexibilidade de posição de alguns grupos reacionários, travestidos de esquerda, que atuam no cotidiano da política brasileira, chega ao limite do que deve ser socialmente tolerável. Não tenho nenhuma dúvida de que essas práticas agressivas estereografam, com perfeição, a turvez de algumas mentes insanas.

O fortalezense está assistindo, atônito, a um período de grande e irracional intolerância política por parte de grupos pseudo ambientalistas. Essa prática poderá ficar registrada na nossa história como a era negra do Macartismo tupiniquim. A título de esclarecimento, o Macartismo foi o termo qualificador do período pós segunda guerra
mundial nos EEUU, caracterizado por terríveis perseguições e intolerâncias políticas. Nele, o Establishment definia os limites possíveis dentro do qual o cidadão teria para pensar, agir e se comportar, e a ultrapassagem desses limites seria penalizado com prisões, assassinatos, execrações públicas, etc.

Essa mesma prática estamos presenciando em Fortaleza. Herdeiros de uma tradição anacrônica e autoritária, setores minoritários da esquerda cearense teimam em não se reciclar. Dotados de uma visão messiânica e acreditando terem sido escolhidos para salvar o mundo dos erros dos ímpios, esses reacionários contumazes assumem uma postura agressiva e intolerante. Afinal, eles, os eleitos,, os escolhidos, por serem detentores das verdades divinas, passaram a definir o que seria o comportamento politicamente correto e estabeleceram os limites de como o cidadão comum deverá pensar, agir e se comportar, decretando o escárnio e a execração pública como penalidades aos que ousarem ser infiéis aos seus modelos e dogmas sagrados.

Coitados dos que ousam desafiá-los, duvidando das suas verdades infalíveis! Assim como outros fortalezenses que ousaram questionar a prática e a visão equivocada dos eleitos, tenho sido vítima da agressão e da calúnia
de alguns dementes inconsequentes. Mas, enquanto existir um espaço para eu poder manifestar a minha indignação ou a minha discordância em relação a fatos do cotidiano da cidade, podem ter certeza de que não me deixarei
intimidar frente ao INCONSEQUENTE PATRULHAMENTO MESSIÂNICO DOS ELEITOS.

As agressões aos que ousam discordar e aos que não observam os preceitos dos iluminados são por demais conhecidas. O caso mais emblemático desse quadro de irracionalidade dantesca foi a forma insultuosa e deseducada como os autodenominados “defensores do Cocó” receberam o governador Cid Gomes na noite de segunda-feira. Visando abrir um diálogo mais consistente com o grupo, o governador ponderou que a obra dos viadutos não atinge o mangue do Cocó e propôs, sem tergiversar, que, em troca da área ocupada pela construção dos viadutos, algo em torno de 0,18ha, ele se comprometia a regulamentar o Parque do Cocó – reivindicação antiga dos ambientalistas -, a adicionar 20.000m² de manguezal para compensar os 2.000 m² de área exótica desmatada e a multiplicar em 10 vezes o plantio do número de árvores sacrificadas. Infelizmente, a intenção do diálogo do governador foi transformada, pelos destemidos defensores da natureza, numa agressiva cantilena monologal.

Essa situação de estreiteza política, que nada constrói e que tanto prejudica a dinâmica administrativa da cidade, não pode perdurar. A falta de compromisso com o bem estar dos nossos munícipes, principalmente com o dos mais humildes, aqueles que diariamente usam o transporte coletivo para chegar ao seus trabalhos, tem sido a marca registrada do cotidiano político desses grupos. A cidade não pode continuar a ser refém desses movimentos inconsequentes.

Tendo em vista essa patologia insana, eu reafirmo o que já escrevi aqui nesse prestigioso Blog do Eliomar de Lima: “após termos sido vítimas de uma administração municipal permissiva e inoperante, que, entre as dezenas de erros e omissões administrativos, teve a irresponsabilidade de tornar a mobilidade urbana de Fortaleza na mais caótica entre todas as capitais brasileiras, é inadmissível que, agora, quando o novo gestor de Fortaleza tenta intervir para dar uma maior racionalidade ao trânsito e, em consequência, melhorar a mobilidade da nossa cidade, um pequeno e
heterogêneo movimento, alguns sem nenhuma representatividade sócio-política, tente impedir que o fortalezense possa ter uma melhor qualidade vida”.

Nesse sentido, e contando com a opinião favorável da maioria esmagadora da população fortalezense, o prefeito Roberto Cláudio tem legitimidade para solicitar o imediato cumprimento da reintegração de posse da área e a
dar início a essa obra de construção desses viadutos, equipamentos fundamentais para a concretização do corredor de ônibus expresso, que ligará o terminal de Antônio Bezerra ao terminal de Papicu, beneficiando mais de 200.000 o fortalezenses.

* João Arruda,

Professor da UFC. 

Artur Bruno diz que cúpulas do PT estadual e da Capital vivem clima de letargia

bruno

Esta é da Coluna Vertical, do O POVO desta segunda-feira:

As direções do PT no Estado e em Fortaleza estão acéfalas. Quem faz a crítica não é um simples filiado do partido, mas o deputado federal Artur Bruno, que conta os dias para que chegue o Processo de Eleição Direta (PED) da legenda, marcado para novembro. Nessa ocasião, ocorrerá a renovação da direção estadual, que tem o comando da ex-prefeita Luizianne Lins, e da direção da Capital.

Bruno se diz “incomodado” com a letargia do partido diante de tantos episódios do momento como as manifestações das ruas e, principalmente agora, quando se discutem obras polêmicas e não se vê o PT reunido.

“Até segunda-feira, nós, o grupo do professor Pinheiro (titular da Secult) e o grupo do vereador Acrísio Sena vamos definir candidatos para o Estado e para Fortaleza”, avisa Bruno.

Cid Gomes volta à rotina das viagens

309 1

cidgoomes

O governador Cid Gomes (PSB) cumpre agenda em Brasília, nesta quarta-feira. Uma série de reuniões no Banco Mundial, onde o Estado conta com vários projetos apoiados financeiramente.

Ontem, mesmo tendo passado parte da madrugada conversando com manifestantes do Cocó, o governador voou para o Rio. Ali, tratou de financiamentos do BNDES para o Estado

Caso Cocó – O Poder viu-se forçado a ceder e negociar

371 6

CID-ACAMPAMENTO-COC-OPOVO (1)

Da Coluna Política do O POVO, assinada, nesta quarta-feira, pelo jornalista Érico Firmo, eis o tópíco “Fim de uma era dos espasmos do passado”. Confira:

A madrugada de segunda para terça-feira foi momento histórico, divisor de águas na política do Ceará. Pela primeira vez, movimento como o que ocorre no Parque do Cocó levou o governador a se deslocar até eles na tentativa de negociação. Vitória, sem dúvida, para os “maconheiros”, “burgueses”, “ecodesocupados”, “ecochatos”, idiotas, ridículos, conforme adjetivação que os áulicos lhe vinham atribuindo. Esse grupo tão esculachado alcançou o que nenhuma mobilização obteve antes deles. Mesmo com aval do Poder Judiciário e da Secretaria do Patrimônio da União (SPU) para as obras seguirem em frente, Cid Gomes (PSB) foi até lá, sentou na roda, ouviu muitas e boas, na tentativa de convencer os manifestantes a deixarem seu aliado, o prefeito Roberto Cláudio (PSB), construir o viaduto. O poder viu-se forçado a ceder e negociar.

Assim como, no Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB) desistiu de demolir o parque aquático Julio Delamare – cuja reforma para o Panamericano de 2007 custou em torno de R$ 10 milhões, coisa de país rico, sabe como é. Também o estádio de atletismo Célio de Barros não irá mais ao chão, bem como o Museu do índio. Foi forçado a recuar diante da queda vertiginosa de popularidade e das resistências à derrubada, ao arrepio da lei, de bens tombados, assim como o era a marquise do Maracanã, que foi destruída no mais descarado vandalismo de Estado. Da mesma forma como Dilma Rousseff (PT) também teve de voltar atrás em relação ao programa Mais Médicos, em relação a medida cujos méritos até foram aqui apontados, mas que pecou pela falta de diálogo.

Nenhum dos gestores tomou a atitude acima mencionada por gosto. Todos os fatores são sintomas de um tempo que acabou. A época do trator chegou ao fim. Depois da efervescência social que o Brasil vivenciou, os governantes não têm mais condições de fazer as coisas pela força, por cima de pau e pedra, doa a quem doer. Esse passado foi soterrado pelas ruas.

Posturas como as que a coluna criticou no último sábado, da agressão e da baixaria em vez do diálogo, são espasmos cadavéricos de um tempo que as ruas sepultaram, embora sejam muitos os governantes que insistem em não entender isso. Pouco a pouco, caem na real. Aliás, ao ir até os manifestantes, Cid vai na contramão desse comportamento. Que sirva de exemplo a muitos de seus aliados, gente cuja posição está longe de ter a mesma relevância, mas cujo comportamento destila não só arrogância e prepotência, mas também falta de educação, grosseria e despreparo para a função pública.

(Foto – Fco Fontenele)

Motoristas da CTC paralisam atividades por tempo indeterminado

230 2

Ceca de 300 trabalhadores da Companhia de Transportes Coletivos (CTC) paralisaram as atividades nesta manhã de quarta-feira. Segundo o presidente do Sindicato dos Motoristas do Ceará, Domingos Neto, a paralisação é por tempo indeterminado.

A categoria reivindica pagamento de salário atrasado, mas fechou luta contra a possibilidade de terceirização do serviço de transporte escolar, hoje realizado pela CTC. A Prefeitura abriu licitação para contratar empresa, prometendo aos motoristas da CTC que a maioria será aproveitada, mas, segundo Domingos Neto, não há diálogo aberto sobre o assunto até agora.

Motoristas da CTC cobram audiência com o secretário municipal da Educação, Ivo Gomes.

Quem são os acampados no Parque do Cocó?

434 3

acampados

Um projeto alternativo aos viadutos do Cocó, que não avance em um milímetro sequer na área do Parque, é o denominador comum entre os manifestantes que há 27 dias estão acampados no local, para tentar impedir as obras da Prefeitura de Fortaleza. Cerca de 300 pessoas, com idade de 16 até 83 anos, estariam engajadas ao movimento – dessas, 40 dispostas a ficar todos os dias. Questionados pelo O POVO sobre qual a condição para o fim da ocupação, houve divergência entre alguns dos presentes. Ainda não parece haver total clareza sobre o que exatamente os fará voltar para casa.

Bastante heterogêneo e sem líderes definidos, o grupo inclui estudantes, agrônomo, geógrafo, ex-policial, surfista, artistas, aposentados, pessoas de partidos ou sem identificação com legendas, entre outros perfis que se revezam entre as obrigações diárias e o alojamento. Alguns possuem histórico de militância nas áreas ambiental e urbanística, outros aderiram à “luta” após a onda de protestos deste ano.

Com o passar dos dias entre as árvores do Cocó, a lista de reivindicações ficou mais extensa. Entre outros pontos, os manifestantes demandam mudanças na lógica de mobilidade urbana do Governo e da Prefeitura, com obras que deem mais atenção a pedestres, ciclistas e transportes coletivos, e a legalização do Parque do Cocó, requerida pelo Ministério Público Federal e prometida pelo governador Cid Gomes (PSB) na visita surpresa feita na última segunda-feira.

O grupo reconheceu a necessidade de desafogar o trânsito entre as avenidas Engenheiro Santana Júnior e Antônio Sales, mas sustentou que há opções além do viaduto. Perguntados se não estariam tentando impor opiniões de forma intransigente, conforme vem apontando defensores do viaduto, os manifestantes alegaram que possuem respaldo “Eu sinto que a maioria das pessoas apoia o movimento”, afirmou o professor Fábio Ferreira, da rede estadual.

Estilo de vida

Tal apoio, no entanto, coexiste com a hostilidade. No período em que O POVO esteve no Cocó, entre 15h30min e 18 horas de ontem, foram vários os motoristas e passageiros que gritaram “vagabundos”, “desocupados” e “vão trabalhar” para os manifestantes. No mesmo intervalo, no entanto, houve doações de água mineral e comida.

Segundo os ocupantes do Cocó, as doações chegam por meio de moradores do entorno, de anônimos que passam pelo acampamento e dos próprios envolvidos, incluindo vereadores. Eles também fazem “pedágios” periódicos nos semáforos, pedindo dinheiro para o movimento. “Em meia hora a gente consegue levantar R$ 100,00”, disse Rafael Lima. Segundo ele, é possível se manter com R$ 70,00 por dia.”

(O POVO)

Secretário mais criticado de Cid vai à Assembleia

338 1

coronelbezerra

“Está marcada para hoje, na Assembleia Legislativa, a aguardada visita do secretário da Segurança do Estado, Francisco Bezerra. Ele terá a oportunidade e o dever de, finalmente, responder às críticas e questionamentos sobre a pasta, de longe a mais criticada do governo Cid Gomes (PSB). Em meio aos índices elevados de criminalidade e ao descompasso institucional da secretaria – apesar dos pesados investimentos – paira série de questionamentos aos quais Bezerra poderá responder.

Muito além das críticas de cunho político, o secretário tem explicações a dar, principalmente, sobre números. Os recentes dados sobre violência deixam evidente o momento de crise sem precedentes que o Estado atravessa na área de segurança pública. Conforme mostrado no O POVO de ontem, o número de homicídios dolosos (quando há intenção de matar) em Fortaleza cresceu 27,53% no primeiro semestre deste ano, em comparação com o mesmo período do ano passado. Ações recorrentes contra bancos na Capital e no Interior também se tornaram marca negativa. O número de roubos a pessoa, assaltos a ônibus e furtos também cresceram este ano.

Casos emblemáticos nas últimas semanas se transformaram em símbolos do cenário preocupante. Entre eles os assassinatos do comerciante Antônio Teixeira Azevedo, no Centro, do padre Elvis Marcelino Lima, na Praia de Iracema, e a morte, ainda não esclarecida, do motorista Darlan de Castro, durante blitz policial em Paracuru.

Números e casos que tornam cada vez mais questionável o Ronda do Quarteirão, programa criado em 2007 e que se tornou o símbolo do Governo do Estado na área se segurança, sem, contudo, conseguir traduzir investimentos em resultados. Em 2011, quando Bezerra assumiu a secretaria, o orçamento para a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) foi de R$ 942,3 milhões. Em 2012, R$ 1,38 bilhão. Este ano, R$ 1,67 bilhão.”

(O POVO)

Visita de Cid ao Cocó expõe prefeito às críticas

208 2

“A visita de Cid Gomes (PSB) ao acampamento de ativistas contrários aos viadutos no encontro das avenidas Antônio Sales e Engenheiro Santana Júnior, no Cocó, acirrou ontem os debates nas principais Casas Legislativas do Ceará. Criticando sobretudo ausência de Roberto Cláudio (PSB) durante passagem do governador, vereadores e deputados de oposição acusaram o prefeito de Fortaleza de “ceder” autonomia da gestão municipal para o executivo estadual.

“Confirma o que todos já sabiam: que o governo estadual não exerce apenas influência sobre a gestão Roberto Cláudio; mas sim uma tutela, um controle”, diz Ronivaldo Maia (PT). Segundo o petista, o prefeito deveria ter “corrido” para a reunião entre Cid e manifestantes, na noite da segunda-feira. “A obra é municipal. E foi o Roberto Cláudio que foi eleito prefeito”. Durante a campanha eleitoral do ano passado, foram comuns críticas de opositores à candidatura de Roberto Cláudio por conta da proximidade do prefeito com a gestão estadual.

Na Câmara Municipal, a discussão esquentou após Carlos Mesquita (PMDB) subir à tribuna da Casa para defender a visita de Cid Gomes e a derrubada de árvores do Cocó para construção dos viadutos. “Os manifestantes perderam chance de ouro de debater soluções para o Meio Ambiente do Estado (…) é protesto vencido”.

Em resposta, Toinha Rocha (Psol) defendeu a ocupação da área do Cocó e cobrou diálogo entre manifestantes e governo. Além dela, outros vereadores da oposição, como Capitão Wagner (PR) e Acrísio Sena (PT), afirmaram que a intervenção de Cid para obra da Prefeitura feriu autonomia da gestão municipal.

O líder do governo na Câmara, Evaldo Lima (PCdoB), defendu impacto positivo da obra para mobilidade urbana da região e rechaçou a tese de “ausência” do prefeito no caso. “Roberto Cláudio já recebeu e conversou extensivamente com manifestantes. A visita do Cid demonstrou apenas uma orientação, também do Estado, pelo diálogo”, diz.

Na Assembleia Legislativa, debate do tema se deu sobretudo entre os deputados Antônio Carlos (PT), Eliane Novais (PSB) e o líder do governo na Casa, Dr. Sarto (PSB). “A população já vê o prefeito como alguém muito ligado ao governador. Aí em uma pauta dessas, quem vai é o governador? Pra mim Cid fragilizou o prefeito”, diz Antônio Carlos.

Novais, presente na visita do governador, criticou proposta de Cid de demarcar oficialmente o Cocó em troca da liberação da área dos viadutos por ativistas. “Cocó não é moeda de troca”. Já Sarto elogiou atitude de Cid e destacou que RC também já demonstrou interesse pelo diálogo como solução do impasse. (colaborou Marcos Robério)

Vereadores que apoiam projeto dos viadutos

Adail Júnior (PV)

Adelmo Martins (PR)

Benigno Júnior (PSC)

Carlos Dutra (PSDB)

Carlos Mesquita (PMDB)

Casimiro Neto (PP)

Cláudia Gomes (PTC)

Didi Mangueira (PDT)

Elpídio Nogueira (PSB)

Evaldo Lima (PCdoB)

Fábio Braga (PTN)

Germana Soares (PHS)

Iraguassú Teixeira (PDT)

Joaquim Rocha (PV)

José do Carmo (PSL)

Mairton Félix (DEM)

Márcio Cruz (PR)

Marcos Aurélio (PSC)

Paulo Diógenes (PSD)

Professor Elói (PSB)

Vaidon (PSDC)

Wellington Sabóia (PSC)

Ziêr Férrer (PMN)

Apesar de defenderem a obra, maioria dos vereadores ouvidos destacou a necessidade de se ampliar diálogo com a população. O vereador Acrísio Sena (PT) disse que concorda com a construção dos viadutos, desde que o governo se comprometa com a oficialização do Parque do Cocó.

Vereaores contra o projeto dos viadutos

Capitão Wagner (PR)

João Alfredo (Psol)

Ronivaldo Maia (PT)

Toinha Rocha (Psol)

Os vereadores Alípio Rodrigues (PTN) e Martins Nogueira (PSB) preferiram não opinar. Eulógio Neto (PSC) afirma que o melhor a ser feito é ouvir a população sobre caso.

Ausentes ao término da sessão de ontem

A Onde É (PTC)

Antônio Henrique (PTN)

Bá (PTC)

Deodato Ramalho (PT)

Gelson Ferraz (PRB)

Guilherme Sampaio (PT)

John Monteiro (PTdoB)

Leda Moreira (PSL)

Leonelzinho Alencar (PTdoB)

Magaly Marques (PMDB)

Tamara Holanda (PSDC)

Vitor Valim (PMDB)

Walter Cavalcante (PMDB)

(O POVO)

Inscritos no Mais Médicos atendem a 6% da demanda; Ceará é o mais beneficiado

Dos 16.530 profissionais com diploma brasileiro ou revalidado preliminarmente inscritos no Programa Mais Médicos, 938 confirmaram a participação. O número equivale a 6% da demanda dos municípios, que apontaram a necessidade de 15.460 médicos. Os profissionais vão atender a regiões carentes de 404 municípios.

Durante a apresentação dos dados, o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, trouxe a possibilidade de propor parcerias com universidades estrangeiras e com outros países. “Tendo o quadro da distribuição, onde se concentra a carência, fica mais factível para o Ministério da Saúde buscar parcerias com países e universidades”, disse o ministro. Atualmente, só são aceitas inscrições individuais de médicos formados fora do país.

Em uma tentativa de aumentar o número de confirmações, o Ministério da Saúde prorrogou até a próxima quinta-feira (8) à meia-noite o prazo para a homologação e escolha de municípios para os inscritos com diploma brasileiro. Para o presidente da Frente Nacional dos Prefeitos, José Fortunati, houve “fraude” nas inscrições. “Mais de 14 mil médicos fraudaram a inscrição”, disse. “O que imperou foi o sentido corporativista das entidades”.

O ministério recebeu denúncias de que grupos estavam se organizando para boicotar o programa e pediu que a Polícia Federal investigasse o caso. Mais de 6 mil inscritos deixaram o número do registro profissional em branco. Outros 171 colocaram traços ou zeros nos espaços e muitos colocaram números inconsistentes.

Quase 50% dos médicos inscritos concluíram a graduação entre 2011 e 2013. Mais de 70% dos profissionais se formaram nos últimos dez anos. Os profissionais começam a trabalhar em setembro. Ao todo, 51% dos profissionais vão atender em periferias de capitais e de regiões metropolitanas. Os demais vão atuar em municípios do interior de alta vulnerabilidade social.

Pouco mais de 47% dos profissionais têm entre 23 e 30 anos, 25,48% estão na faixa de 31 a 40 anos. Médicos com mais de 41 anos somam 27,24% dos inscritos. Os homens somam pouco mais de 58% dos médicos inscritos.

Dos 404 municípios que vão receber médicos, 213 estão em regiões com 20% ou mais de sua população em situação de extrema pobreza, 111 em regiões metropolitanas, 24 são capitais. Foram atendidos ainda 16 distritos sanitários indígenas (Dsei). Mais de 2 mil municípios não atraíram o interesse dos profissionais, 782 em regiões prioritárias.

A Região Nordeste é a que vai receber um maior número de profissionais, serão 372 direcionados a 203 cidades e um Dsei. Em seguida vem o Sudeste, com 216 médicos para atender a 77 municípios. Em terceiro lugar ficou a Região Norte, com 144 médicos em 49 municípios e 14 Dseis. A Região Sul vai receber 107 médicos em 53 municípios, e a Região Centro-Oeste vai contar com 99 médicos em 22 municípios e um Dsei. O Ceará, com 91 médicos, é o estado que mais vai receber médicos na primeira etapa, em seguida vem a Bahia, com 85, Goiás, com 70 e Minas Gerais, com 74.

(Agência Brasil)

Ministro Leônidas Cristino chama iniciativa privada para construir 12 portos

leonidascristinoo

“A Secretaria Especial de Portos fez hoje (6) uma chamada aos interessados na instalação, ampliação e na exploração de terminais portuários. De acordo com o ministro Leônidas Cristino, os investimentos deverão chegar a R$ 5 bilhões – dos quais R$ 2,3 bilhões são para dois projetos de ampliação e R$ 2,7 bilhões para 12 novos terminais. Estima-se que os investimentos aumentem a capacidade de movimentação de carga em 35,6 milhões de toneladas.

O anúncio, que será publicado no Diário Oficial da União de amanhã, faz parte das medidas do governo no âmbito do novo marco do setor portuário estabelecido na Medida Provisória dos Portos, sancionada no início de junho. “O governo quer investimentos e o aumento da capacidade de movimentação de carga, com menos tempo e com o menor custo”, disse Cristino.

A Região Sudeste é a que receberá a maior fatia dos investimentos, R$ 4,3 bilhões – distribuídos entre duas ampliações e dois projetos. O Espírito Santo é o estado que receberá maior investimento. Será construído um novo terminal de logística de minério de ferro, orçado em R$ 2 bilhões. No caso das ampliações, uma será de um estaleiro no Rio de Janeiro, orçada em R$ 409 milhões; a outra, em Santos, para a movimentação de granéis sólidos (como açúcar, fertilizante), orçada em R$ 1,8 bilhão.”

(Agência Brasil)

Cearense deixa a presidência da Associação Brasileira da Indústria da Panificação

O empresário Alexandre Pereira deixa, nesta terça-feira, durante solenidade em São Paulo, a presidência da Associação Brasileira da Indústria da Panificação e Confeitaria (Abip),
após cumprir dois mandatos sucessivos. Pereira passará o comando da entidade para o mineiro José Batista de Oliveira.

Alexandre, atualmente presidindo o Conselho Estadual de Desenvolvimento Econômico (CEDE),  comandou a entidade – que representa as 64 mil padarias do Brasil, apostando na modernização do setor, além da busca pela ampliação do consumo per capita de pão no País.

O faturamento da panificação brasileira em 2012 cresceu 11,6% em relação ao ano anterior, movimentando R$ 70,29 bilhões. Este é o sexto ano consecutivo em que o setor registra crescimento anual superior a 10%. De acordo com Alexandre, o comportamento positivo do setor foi obtido apesar da estagnação das vendas de seu principal produto – o pão, cujo consumo per capita está estacionado nos 33,5 quilos por habitante ano, pouco mais da metade dos 60 quilos recomendados pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

MPF denuncia fraudes na concessão de Bolsa Família e Seguro Safra em Mauriti

284 1

Em Mauriti (Região do Cariri), sete pessoas vinculadas ao Poder Público no Município foram denunciadas, nesta terça-feira, pelo Ministério Público Federal no Ceará (MPF/CE). Elas são acusadas de participação em esquema fraudulento para recebimento de benefícios assistenciais do Seguro Safra e do Bolsa Família, sem que os beneficiados preenchessem os requisitos legais para serem cadastrados nos programas. Na denúncia, o MPF pede à Justiça Federal a quebra do sigilo bancário dos sete acusados, além da condenação dos beneficiados pela prática de pelo menos dois crimes.

De acordo com o procurador da República Celso Costa Lima Verde Leal, autor da denúncia, para conseguirem os benefícios, os acusados inseriram declarações falsas no Cadastro Único para Programas do Governo Federal (CadÚnico), omitiram cargos, funções e profissões exercidos por eles, e principalmente a real renda mensal, declarando que se encontravam em situação de extrema pobreza quando, na verdade, possuíam rendas superiores à exigida por lei para se encaixarem no perfil de beneficiados.

Na denúncia, o procurador Celso Leal detalha que, durante as investigações sobre o caso, o MPF comprovou a existência de verdadeiro esquema criminoso e fraudulento articulado por funcionários públicos, privados e agentes políticos. No esquema, os acusados praticaram estelionato em detrimento de programa social do Governo Federal, “e, por consequência, auferiram vantagem econômica na percepção de benefícios pagos com recursos públicos que deveriam atender a polução carente, enriquecendo, assim, ilicitamente e causando vultuosos prejuízos ao Erário Federal”.

Recadastramento

O MPF também recomenda à coordenação do CadÚnico em Mauriti e ao prefeito do Município, Francisco Evanildo Simão da Silva (PT), que, no prazo de 30 dias, procedam o recadastramento dos registrados no CadÚnico, realizando, se necessário, visitas aos beneficiários para verificação se eles atendem os requisitos legais. Caso os cadastrados não atendam aos requisitos, que seja procedido o imediato cancelamento dos benefícios sociais.

Eis a lista dos denunciados

Cícera Paula Mineu Gomkes Sampaio, ocupante de cargo em comissão em Mauriti/CE, casada com o ex-vereador e denunciado Oceano Sampaio Grangeiro

Maria Eugênia Henrique de Morais, esposa do Secretário de Obras do Município de Mauriti, cunhada do dono da empresa Construser, prestadora de serviços e ocupante de cargo comissionado na Prefeitura de Mauriti/CE

Maria Agaciana Pereira Leite da Silva, ocupante de cargo em comissão, casada com Vitor Hugo Freires Silva, funcionário do Banco do Brasil no Município de Mauriti/CE, cursou o ensino superior na Faculdade Leão Sampaio

Maria Jacilda Lacerda de Sousa, vereadora suplente, professora, servidora pública efetiva, locatária de imóvel para a Prefeitura de Mauriti/CE

Maria do Carmo Leite Maranhão de Morais, ocupante de cargo comissionado, casada com o dono da empresa Construser

Oceano Sampaio Grangeiro, ex-vereador, ocupante de cargo comissionado, casado com a denunciada Cícera Paula Mineu Gomes Sampaio

Vandiara Martins Moreira, universitária, filha dos beneficiários de Programas Sociais Maria Socorro Martins Moreira (Bolsa – Família) e José Vanísio Moreira dos Santos (Bolsa – Estiagem)

(Site do MPF/CE)

Acrísio Sena: Fechamento do 3º turno nos postos de saúde não melhorou nada

acrisiosena

O vereador Acrísio Sena (PT) ocupou a tribuna da Câmara Municipal nesta terça-feira e cobrou um melhor funcionamento dos postos de saúde. Ele informou que, na primeira quinzena de junho, ao lado dos também vereadores Guilherme Sampaio, Deodato Ramalho, Ronivaldo Maia – estes do PT, e de Capitão Wagner (PR), fez visitas a sete postos nas Regionais V e VI, retornando no final de julho, e constatando que nada mudou. “Fomos averiguar o cumprimento do que havia sido anunciado pela liderança do governo sobre o novo sistema de funcionamento das unidades de saúde, em detrimento do 3º turno instituído pela gestão Luizianne Lins e tudo ficou em promessa.

Acrísio lembrou que o líder do prefeito, Evaldo Lima (PCdoB), havia anunciado, dia 14 de junho, que as unidades básicas de saúde estariam, ainda em junho, realizando, de maneira ininterrupta, o atendimento à população das 7 às 19 horas, e que teriam médicos, enfermeiros e insumos. Outa vez, nada de concreto. No mesmo dia, a coordenadora de Políticas e Atenção a Saúde, Imaculada Fonseca, informou sobre a decisão: “a gente avaliou que, durante o dia, estas unidades já não estavam funcionando corretamente e tinham vários déficits, principalmente o de profissionais, que não cumpriam sua carga horária. Então o prefeito achou melhor estruturar o dia e cobrar destes o seu horário”.

“Na época, lamentei o fechamento do 3º turno e critiquei o método, pois, no nosso entendimento, a atual gestão tem todo o direito de imprimir sua marca na condução dessas políticas, mas para isso não precisa aniquilar o que a gestão anterior instituiu e que estava funcionando, mesmo que não fosse de forma plena. Nossa postura foi a de aguardar até o mês de julho para, a partir daí, fazer a devida análise sobre aquilo que havia sido prometido”, acentuou Acrísio, constatando agora: os mesmos e velhos conhecidos problemas se repetem em diferentes unidades.

Acrísio ainda alertou: “Se as medidas anunciadas para o novo sistema de funcionamento dos postos de saúde até agora não se concretizaram, o que dizer então da promessa de, até o fim do ano, a Prefeitura construir 25 postos de saúde e ampliar 75 dos já existentes? Isso seria cumprir em um ano quase 50% da meta estabelecida pelo plano de governo apresentado pelo então candidato a prefeito Roberto Cláudio nas últimas eleições, a saber, construir e colocar para funcionar 52 novos postos de saúde, garantindo que cada bairro tenha um Posto de Saúde”.

Postos visitados pelo grupo

· CSF Francisco Melo Jaborandi – Conj. São Cristóvão;
· CSF Pedro Sampaio – Conjunto Palmeiras;
· Posto do Sítio São João – Conj. Palmeiras;
· CSF José Barros de Alencar – Pedras;
· CSF Anísio Teixeira – Itamaraty;
· UBS Galba de Araújo – Genibaú;
· UBS Maciel de Brito – Conj. Ceará.

TRF-5ª Região decide pela manutenção das barracas da Praia do Futuro

238 1

O Tribunal Regional Federal – 5ª Região, com sede no Recife, julgou, nesta tarde de terça-feira, a apelação promovida pela Associação dos Barraqueiros da Praia do Futuro, em Fortaleza, e decidiu reformar sentença da 4ª Vara  Justiça Federal e, assim, garantir a manutenção das barracas, sem risco de demolição. Os advogados João Marcelo Pedrosa e Paulo Quezado acompanharam o julgamento e comemoraram, observando que a medida garante emprego para mais de cinco mil pessoas que trabalham direta ou indiretamente em cerca de 40 barracas dessa área do litoral fortalezense.

A Justiça Federal havia decidido pela demolição a pedido do Ministério Público Federal, representado pelo procurador da República Alessander Sales. A justificativa é de que esses estabelecimentos haviam tomado terreno de marinha.  “As 153 barracas privatizaram áreas de “uso comum do povo”, observou o procurador. Já os empresários rebatem e dizem que estão em área de “pós-praia”, fora das ondas e marés.

Essa ação se arrasta desde 2005 na Justiça Federal. Teve decisão de primeira instância pela derrubada, mas os empresários recorreram e agora o processo está sob julgamento no Tribunal Regional Federal da 5ª Região. No último dia 23, a relatora da ação, desembargadora Margarida Cantarelli, votou contra a derrubada. Faltavam os votos de outros dois desembargadores, o que ocorreu nesta tarde de terça-feira em favor dos barraqueiros.

O vereador e os potós

359 6

poto

O vereador Márcio Cruz (PR) defendeu a construção de dois viadutos no encontro da avenida Antonio Sales com Engenheiro Santana Júnior. Foi durante exposição, nesta terça-feira, que o líder do prefeito na Câmara Municipal, Evaldo lima (PCdoB), faz, com direito a slides, sobre a área do Cocó e os impactos da obra para seus companheiros de parlamento.

Márcio Cruz disse que é a favor do empreendimento porque o fortalezense reduzirá para três minutos o tempo que hoje gasta para transitar na área, que chegaria a meia hora.

Ele aproveitou para soltar a seguinte frase que disse ter ouvido de um amigo seu a respeito da polêmica em torno da obra dos viadutos:

– É uma loucura pensar em preservar castanholeiras, porque é o mesmo que preservar os potós.

* Saiba o que é o Potó aqui.

Deputado petista diz que presidente Dilma precisa se comunicar mais com o povo

180 1

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=UZbqPag6HZM&feature=c4-overview&list=UU3PLF5T6g3ddE4BpeF0EhZg[/youtube]

O deputado federal José Airton (PT) afirmou, nesta terça-feira, estar confiante de que a presidente Dilma Rousseff vai conseguir recuperar sua popularidade. Segundo as últimas pesquisas, a presidente registrava aprovação pessoal de 73,7%, que segundo pesquisa da CNT, por exemplo,  caiu para 49,3%.

Para José Airton, o que falta para Dilma Rousseff recuperar sua gestão é mais comunicação com o povo.