Blog do Eliomar

Categorias para Ceará

E aí, prefeito, vai aderir ao "Medida Certa"?

547 2

O prefeito Roberto Cláudio (PSB), ao lado do vice-prefeito, Gaudêncio Lucena, entregou, nesta manhã de sexta-feira, novas viaturas para a Autarquia Municipal de Trânsito, Serviços Públicos e de Cidadania (AMC) e Guarda Municipal. O ato ocorreu na sede da Guarda Municipal (Bairro Rodolfo Teófilo) e foi prestigiado vereadores e  lideranças comunitárias

No total, o prefeito entregou 81 novas viaturas, sendo 46 para a AMC e 35 para a Guarda Municipal. RC, na cerimÕnica, foi convidado a usar colete da Defesa Civil.

rcdefesa

Colete novo? Bonito!

rcdefesa2

Taí, vou usar!!

rcdefesa3 

Olha aí, gente, eu vou botar o colete…

rcdefesa4

Ahhh, não fechou, mas tem nada, não! Vamos à solenidade…

(Fotos – Evilázio Bezerra)

Quem não vai ao Castelão, se arranja no Aterro de São João

203 1

Com o título “Futebol: perigo de restrição à participação popular”, eis Editorial do O POVO desta sexta-feira. Com o preço dos ingressos cobrados na Arena Castelão, o povão vai ter que se contentar em assistir aos jogos na televisão. Mas, se quiser mais alguma coisa, tem “circo” armado no Aterro da Praia de Iracema. Confira o texto:

Nestes últimos dias, a opinião pública nacional tomou conhecimento da preocupação manifestada pelo ministro do Esporte, Aldo Rebelo, com o encarecimento dos ingressos nos novos estádios que estão sendo construídos ou reformados para a Copa do Mundo de 2014. O assunto tem sido recorrente, nos últimos tempos, e traduz a crítica de amplos setores àquilo que é classificado como “elitização do futebol brasileiro”.

O fenômeno, na verdade, é decorrente do processo mais antigo da transformação ocorrida no futebol desde que este deixou de ser um simples entretenimento amadorístico para se transformar num empreendimento lucrativo como outro qualquer, a mover grandes recursos financeiros. Essa mudança, reconhecidamente, é sem volta. Mas teria de excluir, necessariamente, a grande massa popular para a qual o futebol era até agora um dos entretenimentos mais acessíveis e até uma das expressões mais vívidas da cultura nacional?

Devido ao alto preço cobrado nos novos estádios, o ministro do Esporte manifestou uma justa preocupação: “Não queremos que a população mais pobre do País, que está mais ligada ao futebol, seja afastada dos estádios. Isso seria muito ruim para o futebol. É preciso compatibilizar o acesso entre eles e o torcedor de poder aquisitivo mais alto”. Pelo que se depreende das palavras ministeriais, o governo federal poderá intervir junto aos administradores dos estádios para a criação de categorias mais baratas de ingressos, a exemplo do que aconteceu na Copa das Confederações e na Copa do Mundo.

Embora seja aceitável que existam lugares mais confortáveis para aqueles que querem pagar mais, o ideal é que essa realidade não se traduza também em levar para os estádios a mentalidade discriminatória presente em alguns segmentos da sociedade para os quais o poder aquisitivo deve prevalecer imperativamente sobre outros critérios. Há quem pense, por exemplo, que as bebidas alcoólicas deveriam ser liberadas normalmente nos estádios para os segmentos vips e não para os setores populares. Seria uma discriminação odiosa.

O bom senso recomenda – como bem expressou a autoridade ministerial – que o povo brasileiro não seja excluído dos estádios, por nenhuma razão, pois seria castrá-lo da própria identidade.

Em meio ao Fortaleza Apavorada, desabrocha uma Rosa

roslina

O movimento “Fortaleza Apavorada”, que ocupou espaços no bairro Aldeota nessa quinta-feira, atraiu políticos como os deputados estaduais João Jaime (PSDB) e Heitor Férrer (PDT), além de empresários e dirigentes de entidades populares. O objetivo era cobrar do governo estadual ações enérgicas contra o avanço da criminalidade.

Mas, entre tanta gente predominantemente das classes média e média alta espremida na caminhada, apareceu também quem adora uma manifestação: a ex-vereadora Rosa da Fonseca, uma das lideres do Movimento Crítica Radical, aquele que apregoa teses contra o Capitalismo.

Depois do "Fortaleza Apavorada", agora é a vez do "Fortaleza da Paz e da Igualdade"

211 2

Depois do movimento ‘Fortaleza Apavorada” que levou milhares de pessoas à Avenida Beira-Mar nessa quinta-feira, a partir das 15 horas desta sexta-feira (14), haverá mais uma manifestação do gênero:  o Fortaleza da Paz e da Igualdade. A concentração ocorrerá na Praça da Imprensa e vai se estender até a Assembléia Legislativa.

“Queremos unir e não dividir nossa cidade. Esse grupo não tem líder pois a luta é coletiva”, explicam os organizadores no manifesto do movimento, que começou a ser articular pelo Facebook, a partir da iniciativa da educadora Rosiane Freitas (que criou a página Fortaleza Paz & Igualdade e teve a primeira versão apagada) e do estudante universitário Pedro Lima (criador da página Fortaleza Paz & Alvorada), unificados agora no Movimento Fortaleza da Paz e da Igualdade.

Há convite para todos irem de roupa branca: “Levem os amigos, violões, percussões, tambores, sorrisos! Façam seus cartazes! ou levem pra fazer na hora, levem as tintas! não há administração, cada um de vocês é responsável por essa passeata, então participe, colabore, traga ideias, divulgue”, conclamam lideranças da manifestação, que pedirá mais segurança para Fortaleza.

Presidente do Conselho de Desenvolvimento Econômico visitara a Vulcabrás

O presidente do Conselho Estadual do Desenvolvimento Econômico do Ceará (Cede), secretário Alexandre Pereira, visitará, nesta sexta-feira, a fábrica da Vulcabrás em Horizonte (Região Metropolitana de Fortaleza). Acompanhado pelo gerente geral de controladoria da Vulcabrás, Damião Silveira, e pelo diretor-financeiro, Vladimir Fortes, Alexandre Pereira conferirá de perto a operação da fábrica, hoje uma das 10 maiores do ramo de calçados e artigos esportivos do mundo.

A Vulcabrás de Horizonte emprega atualmente 10 mil funcionários e produz cerca de 1 milhão de pares de calçados por mês, de marcas como Olympikus, Azaleia e Reebok.

Depois dessa visita, o presidente do Cede, Alexandre Pereira, terão reuniões com o prefeito de Horizonte, Nezinho, para investimentos de empresas nesse município.

 

Usina de Asfalto e Fábrica de Pré-Moldados de Fortaleza paralisam na 2ª feira

475 2

Os trabalhadores da Usina de Asfalto e Fábrica de Pré-Moldados de Fortaleza vão paralisar atividades na próxima segunda-feira, a partir das 8 horas. Eles temem esvaziamento e extinção desses órgãos, em razão do avanço das terceirizações que foram iniciadas na gestão Luizianne Lins (PT) e mantidas pelo prefeito Roberto Cláudio (PSB).

O pessoal da Usina de Asfalto e Fábrica de Pré-Moldado cobra também melhores condições de trabalho e manutenção de equipamentos, caçambas e caminhões e compactadores. Há grande número de equipamentos quebrados.

O que tem a ver Ivo Gomes com Molière?

221 4

ivogol

Com o título “Não estou nem aí pra vocês” , eis artigo da jornalista Regina Ribeiro, veiculado no O POVO desta sexta-feira. Ela faz uma espécie de fábula comparando trechos de “O Misantropo” nas cenas do filme “Pedalando com Molière” com a postura do secretário municipal da Educação, Ivo Gomes, durante ida sua à Câmara Municipal.

A intensidade com a qual os dois atores liam trechos de O Misantropo nas cenas de Pedalando com Molière era tanta que saí da sala de cinema e encomendei o livro imediatamente. Esperei sete dias pelo exemplar. Até lá, fiquei com o filme do francês Philippe Le Guay na cabeça. Nele, o ator Gauthier (Lambert Wilson), que interpreta um médico numa série famosa de TV procura o veterano Serge (Fabrice Luchini), que havia abandonado o palco e as telas e se enclausurado numa cidadezinha na França, cansado de se desviar do serpentário que povoa os bastidores da profissão.

Gauthier leva para Serge a proposta de voltar aos palcos com O Misantropo. Começa o embate entre os dois homens intercalando os papéis de Alceste e Filinte, personagens centrais da peça de Molière, escrita no século XVII. Enquanto se revezam, o filme ambienta a vida dos atores e o mundo em volta deles aproximando, aos olhos dos espectadores, os tempos por onde trafegam o teatro de Molière e o cinema de Le Guay.

O ponto exato da interseção é justamente a falta de ambiente para quem tem extrema dificuldade de lidar com os jogos sociais que imperam no mundo de sempre. Alceste se põe alarmado com o século perdido em que vive, com o sumiço da verdade e de outras virtudes que parecem tão escassas nos homens de seu tempo. Filinte tenta apaziguá-lo. Deve-se compreender que a verdade não pode ser dita em qualquer situação e que o poder exige, sim, rituais necessários que se não contemplam uma verdade tão pura, que caso pode-se fazer disso?

O livro chegou. Fui buscá-lo na livraria num fim de tarde de sábado e só o larguei quando li a peça inteira. Semana passada, quando li no jornal a matéria sobre a visita do secretário Ivo Gomes à Câmara, voltei a Molière, depois li outra vez o texto jornalístico, fiz e desfiz algumas frases para tentar entender o contexto até certificar-me de que era isso mesmo.

Sim, Ivo Gomes parece ser um homem sincero, talvez não tenha a virtude de Alceste, não, não é o caso, mas quando ele disse “Não estou nem aí pra vocês”, pôs a alma sobre a mesa e explicou o modelo que talvez mova boa parte da condição política no nosso Estado. Lixem-se vocês que não concordam conosco, que duvidam dos nossos projetos e propostas, engulam-nos a seco. Não estamos interessados no que vocês pensam ou dizem.

Acaba o primeiro ato. A plateia aplaude de pé.

* Regina Ribeiro

reginah_ribeiro@yahoo.com.br

Jornalista e editora das Edições Demócrito Rocha.

Prefeito RC amanhece a 6ª feira vistoriando obra do Espigão da Beira Mar

rcespigao

O prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio, amanheceu, nesta sexta-feira, dando entrevista à TV Verdes Mares, onde reafirmou que as obras da avenida Alberto Craveiro serão entregues à população de Fortaleza neste sábado, durante vistoria da equipe da FIFA.

Em seguida, seguiu para conferir as obras do espigão da Praia do Náutico, que já chegou a 214 metros. Ele prevê que tudo fica concluído ali no próximo mês, com aterro previsto já para a Copa do Mundo.

(Foto – Cláudio Barata)

Para presidente da Adece, oposição a Dilma aposta no "quanto pior, melhor"

robertosmithh

“O presidente da Agência de Desenvolvimento Econômico do Ceará (Adece), Roberto Smith, garante que, apesar do clima de crise na economia mundial e de alguns sinais de inflação registrados no País, a política de atração de investimentos do Estado não vem sofrendo grandes impactos.

Ele reconhece que há sinais de inflação mais por conta do cenário mundial, dentro de uma economia globalizada, mas avalia que o governo federal vem adotando providências. Ele não crê em medidas recessivas e observa que o cenário de crise, com inflação, está sendo pintado mais pela oposição.

“A oposição tem trabalhado naquela do quanto pior, melhor”, acentuou Smith, que é filiado ao PT da presidente Dilma Rousseff.”

(Coluna Vertical, do O POVO)

SindiCarnes vai entrar na Justiça contra feriados da Copa das Confederações

148 2

O Sindicato do Comércio varejista de Carnes de Fortaleza (SindCarnes) vai entrar na Justiça contra lei aprovada pela Câmara Municipal definindo como feriados os dias 19 e 27 deste mês e que coincidem com jogos da Copa das Confederações.  A informação foi dada nesta sexta-feira ao Blog pelo presidente da entidade, Francisco Everton.

O dirigente sindical justifica que o SindiCarnes não é filiado ao Sindicato dos Lojistas de Fortaleza (Sindilojas) e, portanto, não está obrigado a seguir essa determinação.

Francisco Everton questiona ainda o porquê de os supermercados terem liberdade para funcionar nessas datas definidas como feriado e, por último, lamenta o desconhecimento dos vereadores sobre o decreto federal nº 27.048, de 12 de agosto de 1949, que permite esse segmento abrir em feriados civis ou religiosos.

A Copa das Confederações e seus milagres

217 3

O que uma Copa das Confederações não faz…

– Após um ano de espera, o Aeroporto Internacional Pinto Martins ganhará, na próxima semana, um restaurante. Será o “Conexão”, do Grupo La Selva.

– Um total de 160 antenas foi instalado – com sistema 4G, na Arena Castelão. O objetivo é garantir ligações telefônicas e uso de internet aos que foram aos jogos naquele estádio.

– A Segurança em fortaleza contará com cerca de 7 mil homens, garantiu o titular da SSPDS, coronel Francisco Bezerra.

– Fortaleza recebeu paisagismo em vários trechos. Ou seja, pintura nos canteiros, podas e iluminação de primeira.

– Nada de faltar o circo, pois o São João da Copa vai troar, a partir deste sábado, no aterro da Praia de Iracema.

E aí, mais alguma coisa mudou nesta nossa Fortaleza de Nossa Senhora da Assunção por causa da Copa das Confederações?

A política e seus contrastes…

375 9

fotofamilia

Enquanto ruas do bairro Aldeota estavam tomadas de populares realizando o ato “Fortalea Apavorada”, nessa quinta-feira à noite, com encerramento na Beira Mar…

cidmilho

… O governador Cid Gomes (PSB) chegou a ajudar a descarregar sacas de milho, no Porto do Pecém. Um milho que a presidente Dilma havia prometido há semanas, e que chega agora quando ninguém mais aposta em alguma safra. Cid, claro, não jogará esse milho aos pombos.

(Fotos – Sara Maia e Fábio Lima, ambos do O POVO)

Terminal Rodoviário João Tomé para por uma hora e meia em apoio ao Sintro

Os motoristas e cobradores de ônibus prosseguem ações de paralisação de garagens de ônibus nesta sexta-feira. O objetivo é pressionar o Sindiônibus a retornar à mesa da negociação salarial.Das 4 às 5h30min, houve paralisação na empresa Santa Cecília, enquanto a Empresa Vega decidiu não circular e ainda registrou faltas em todos os seus motoristas e cobradores.

A luta da categoria é por reajuste de 15%, mais R$ 100,00 de casta básica e plano de saúde, enquanto o Sindiônibus oferece 8%. o Sindiônibus, em nota, informa ainda que pediu ao TRT-Ceará uma medida para evitar essas paralisações pontuais da empresas.

Nesta manhã de sexta-feira, o Sintro, que representa motoristas e cobradores, ganhou apoio do Sindicato dos Trabalhadores do Transporte Interestadual, que chegou a paralisar por uma hora e meia as atividades no Terminal Rodoviário João Tomé.

"Fortaleza Apavorada" e um contraponto à festa da Copa das Confederações

272 7
fotofaia

“Futebol, não! Eu quero proteção!”, “Pela vida, pela paz, violência nunca mais”, “Senhor governador, segurança, por favor!”. Estas cobranças estão longe de ser de uma torcida apaixonada por futebol. São gritos de cidadãos de Fortaleza (CE) irritados com a falta de proteção que alegam vivenciar no dia a dia da capital cearense.

A seis dias de a Seleção Brasileira se apresentar na cidade na Copa das Confederações (contra o México, pela segunda rodada do Grupo A), cerca de seis mil pessoas foram às ruas no fim da tarde desta quinta-feira protestar contra a violência, sob a organização do movimento “Fortaleza Apavorada”, originalmente fundado no Facebook.

(Foto – Caio Carrieri)

Em Várzea Alegre, prédios antigos são demolidos para dar vez a edifícios

varzea

Francisco Evanildo (Várzea Alegre ) – A cidade de Várzea Alegre, no seu crescimento avassalador, principalmente na área imobiliária, muda o seu cenário. Das casas simples do tempo em que o lugar era apenas uma vila e a igreja era o maior prédio erguido, aos vários prédios que rumam na vertical. Casas bem desenhadas como o famoso “Casarão Amarelo”, dão lugar a modernas edificações. E neste cenário de modernas construções, não há lugar para o antigo.

A Usina Diniz foi uma das empresas impulsionadoras do progresso de Várzea Alegre. Passados oitenta e três anos, a velha Usina Diniz, que já foi chão em ebulição com dezenas de funcionários que alimentavam suas máquinas com o precioso algodão, o ouro branco do nordeste, sente agora as pancadas dos martelos, como carrascos, a derrubar suas paredes, tijolo por tijolo. Embora entendamos que o novo sempre se sobreponha ao antigo, não há como não ter certa nostalgia ao ver aquele prédio sendo demolido, caindo aos poucos, como se parte da história de Várzea Alegre estivesse sendo enterrada.

A história da Usina Diniz começou na década de 1930, com o empresário Josué Alves Diniz. O empreendimento iniciou pequeno, como nos contou sua neta, Dayse Diniz. Era movida à lenha, depois à óleo de mamona. O empreendimento era um sucesso e pela necessidade de estocar mais e mais algodão, as casas da vizinhança foram compradas e logo a Usina se tornou um imponente prédio, na entrada da cidade. O sucesso do negócio lançou Josué Diniz na prefeitura da cidade, cargo que usou para alimentar o progresso de Várzea Alegre e batalhar pela chegada da energia de Paulo Afonso, que também seria mais um passo para o desenvolvimento da Usina Diniz. Com sua força e prestígio político, a energia elétrica foi inaugurada em Várzea Alegre em 1964.

A Usina Diniz teve o seu auge de 1950 a 1970. Mas não reinava sozinha no ramo de beneficiamento de algodão. Eram concorrentes as usinas de Luiz Proto e “Seu Abel” – que funcionava no bairro Betânia, a de Antônio Correia -que funcionava na Praça Santo Antônio e a de “Seu Dirceu” – que operava na Rua Cel. Pimpim. Embora a concorrência, a Usina Diniz foi a única que permaneceu firme, tendo um sólido quadro de acionistas e sendo tocada por Josué Diniz e pelos seus filhos Joaquim Diniz e Luiz Diniz. Joaquim Diniz, por sinal, foi o responsável por apresentar o algodão beneficiado pela Usina Diniz para Campina Grande, na Paraíba, depois expandindo as vendas para a região Sul do Brasil e para o exterior, com negócios no Japão, Alemanha e Inglaterra.

Com o falecimento de Josué Diniz, em 1976, vítima de câncer de próstata, a Usina Diniz continuou em atividade sob a responsabilidade de Joaquim Diniz e Luiz Diniz. Eles compravam algodão de todas as cidades da região. A Usina era um grande polo beneficiador do produto. Mas, o negócio do algodão começou a fracassar, quando na década de 1980, a praga do bicudo dizimava plantações inteiras na região. Era o fim da produção de algodão em grande escala e o definhamento da Usina Diniz.

No ano de 1996, Luiz Diniz faleceu e Joaquim Diniz continuou com o negócio, que já não tinha fôlego. E quando tudo parou, os equipamentos da Usina foram vendidos para uma empresa de Natal, no Rio Grande do Norte. Joaquim Diniz manteve um escritório ligado à Usina até o ano de 2006, quando faleceu de câncer de pulmão. A última tentativa da Família Diniz para manter preservado o prédio da Usina foi uma negociação com o Poder Público Municipal, mas não houve êxito. O prédio chegou a ser oferecido a grandes empresários da cidade e da região, mas também não houve negociação, dada à privilegiada localização e lógica valorização da área. Então, a Família Diniz decidiu por demolir o prédio, e no local, fazer um loteamento imobiliário.

(Foto: Erisberto Martins)

Revalidação de diploma de médico do Exterior tem prova marcada para agosto

289 5

henrycamposs

Sob coordenação do vice-reitor da Universidade Federal do Ceará, Henry Campos, a Comissão de Revalidação de Diplomas do Ministério da Educação definiu a data para a realização de nova prova para revalidação de diploma de médicos que concluíram curso no exterior.

A data será o dia 18 de agosto. Hora, principalmente, dizem muitos, de bom grupo de médicos cubanos interessados em trabalhar no Interior do País, buscarem a legalização.

Sindicato dos motoristas diz em nota que Sindiônibus quer criminalizar luta da categoria

O Sintro, entidade que representa os motoristas e cobradores de ônibus, manda nota para o Blog dando sua versão sobre o impasse que trava com o Sinidiônibus. Conira:

NOTA DE ESCLARECIMENTO

Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviário do Estado do Ceará (Sintro/CE) vem a público afirmar que a livre manifestação de nossa categoria é legitima, pacífica e representa a insatisfação de trabalhadores, pais e mães de família, com as condições de trabalho oferecidas pelos patrões do setor.

O ato de paralisar um serviço é a ultima opção tomada pelos trabalhadores durante um processo de negociação, e só foi decidida por nossa categoria, que se encontra em ESTADO DE GREVE, após os representantes patronais de forma intransigente, se RETIRAREM da mesa de negociação, encerrando o diálogo com a categoria e oferecendo apenas 8% de reajuste salarial o que representa apenas 0,74% de ganho real. Este índice de 8% foi aplicado no vale-refeição que representa somente um aumento de sessenta e quatro centavos, assim como na cesta-básica e pede adoção do plano de saúde.

É lamentável que a postura patronal empurre os trabalhadores para uma greve, porém não podemos mais aceitar os baixos salários e a crescente violência a que são submetidos nossos companheiros e companheiras nos terminais e nas rotas de ônibus. Violência inclusive, que também aflige a população.

Os trabalhadores, motoristas, cobradores, mecânicos ou usuários, não suportam mais as condições do transporte público e dos terminais de nossa cidade. Se os patrões andassem de ônibus, possivelmente compreenderiam todo o sofrimento pelo qual passamos todos os dias. Filas, calor, lotação, assaltos e agressões, são apenas alguns exemplos desse enorme caos. Enquanto isso, a população paga passagens caras e a categoria recebe baixos salários.

Gastaria menos tempo e dinheiro ao Sindiônibus negociar e dialogar com os trabalhadores e a população. Mas a opção da entidade patronal parece ser outra.

Informamos a população, que SE DEPENDESSE DE NOSSA CATEGORIA, EFETIVARÍAMOS A PARALISAÇÃO DE 100% OU A PRÁTICA DE CATRACA LIVRE, mas quando optamos por essas soluções nossa entidade sindical é acionada judicialmente para pagar multas que fogem de nossas condições econômicas e os trabalhadores são demitidos por justa causa.

Alertamos também que a opção de paralisar fora dos terminais e pedir aos passageiros para caminhar não são decisão de nossa categoria e de nossa entidade sindical. Bem como, temos nos esforçado para esclarecer por meio de nossos órgãos de comunicação e através da grande mídia, que as assembleias em terminais estão ocorrendo, com duração de até duas horas, e devem seguir até que a entidade patronal modifique sua postura de total descaso com esses trabalhadores que além de ganhar pouco estão sendo vitimas de assalto, facada, agressão e até tiro.

Informamos a imprensa, que nossas assessorias de comunicação, política e jurídica, continuam a disposição para facilitar o trabalho de coleta de informações e divulgação.

Pedimos a todos muita compreensão a nossa luta e afirmamos que as manifestações estão ocorrendo de forma pacífica e solidária, e que, portanto, a tentativa de criminalização de nossa luta é mais um artifício daqueles que preferem a exclusão social à construção de uma sociedade mais justa e igualitária.

* ADiretoria do Sintro-CE

Sindiônibus diz em nota que ingressou na Justiça contra motoristas e cobradores

Em nota enviada para o Blog, o Sindiônibus informa ter entrado com ação junto ao TRT/CE. Quer o fim das paralisações pontuais de empresas e dos terminais de passageiros, prática que vem sendo feita diariamente pelo Sintro. Os motoristas e cobradores dizem que usam essa estratégia para forçar a volta dos empresários à mesa de negociação. Confira a nota do Sindiônibus:

NOTA DO SINDIÔNIBUS

O Sindiônibus ingressou com ação no Tribunal Regional do Trabalho, na ultima quarta-feira, dia 12, solicitando à Justiça que o Sintro não promova paralisações pontuais de empresas e terminais de transporte coletivo assim como qualquer ato de violência ou intimidação ao trabalhador e ao usuário de transporte coletivo de Fortaleza.

O objetivo do Sindiônibus com essa medida é dar segurança e garantir o direito constitucional de ir e vir da população da nossa capital que vendo prejudicada por membros do Sintro de uma forma desleal e desrespeitosa.

* A Diretoria.