Blog do Eliomar

Categorias para Ceará

"Cala a boca, Ciro", diz vereador do PT

368 3

ronivaldomaia

O vereador Ronivaldo Maia (PT) criticou na sessão desta quarta-feira (22) as declarações de Ciro Gomes em relação ao vereador Capitão Wagner (PR). O parlamentar sugeriu que a Câmara faça uma interpelação com Ciro Gomes no esclarecimento das denúncias. “A Câmara não pode naturalizar a situação enfrentada pelo vereador, deve interpelar o senhor Ciro Gomes para o bem da cidade”, atentou.

O petista lembrou o papel desempenhado por Capitão Wagner na política fortalezense. “Quero lembrar que nós somos o Poder Legislativo desta cidade, que deve ser respeitado pelos cidadãos”, salientou.

Ronivaldo Maia, destacando os diversos cargos políticos ocupado por Ciro Gomes, questionou o posicionamento do político sobre a segurança pública do Estado, que como apontou, vem acompanhado do descontrole. O parlamentar relatou as ponderações da sociedade nas redes sociais sobre as declarações de Ciro. “Nós sabemos quem é o Ciro Gomes, ex-deputado federal, ex-ministro, ex-governador, ex-prefeito, hoje desocupado. Quem é ele para ir à imprensa e tratar a questão da segurança pública?”, colocou o petista.

Diante da situação o parlamentar evidenciou os problemas enfrentados pela população com os embates. “A população é quem paga o maior preço”, atentou. Para Ronivaldo, a questão deve ser tratada com serenidade e formalidade pelo Governo. “A única coisa que me vem à cabeça pra dizer ao Ciro é: cala a boca Ciro!”, pontuou.

(CMFor)

A estratégia é a da guerra total

309 1

Da coluna Política, no O POVO desta quarta-feira (22), pelo jornalista Érico Firmo:

A beligerância é da natureza da forma como Ciro Gomes faz política, da mesma forma como a conciliação é o método que caracteriza seu irmão Cid Gomes. Ele já recorria ao enfrentamento como tática mesmo no tempo em que era governador, quando tais posturas tinham potencial incomparavelmente mais explosivo. Vide a relação que manteve com professores, médicos…

Disciplina política nunca foi seu forte, daí que declaração de guerra vindo dele pode perfeitamente ocorrer em momento no qual a estratégia de seu grupo é evitar o embate. Mas agora é diferente. Cid começou a semana passada em tentativa de dialogar com mulheres de policiais que faziam protestos, mas logo depois a postura mudou, quando as negociações que se arrastavam desde o começo de 2012 foram interrompidas.

Vale notar o contraste entre o “cabeças rolarão” de agora com o “momento não é de caça às bruxas” de Ivo Gomes, então chefe de gabinete do governador, na primeira manifestação do núcleo que dirige o Estado depois da última greve da PM. E registre-se que, naquela oportunidade, Ciro já era contra essa política de apaziguamento. Queria punir aqueles a quem chamou de “marginais de farda”, responsáveis por motim, aquartelamento e insubordinação.

Agora, essa postura de embate é a linha mestra na relação entre o Palácio da Abolição e o movimento reivindicatório que já insinua possibilidade de nova paralisação, provavelmente na Copa das Confederações, daqui a menos de um mês. Conotação que se torna mais relevante diante da postura de auxiliar informal, sem cargo ou remuneração na Secretaria da Segurança Pública. Uma intervenção branca, secretário de fato, mas não de direito, dirigente sem cargo, indicado sem portaria. A situação mais esdrúxula da história da segurança no Ceará.

Segurança Pública: respeito aos procedimentos democráticos

235 1

O Ceará vive, há várias semanas, momentos delicadíssimos na área da Segurança Pública, por conta da movimentação reivindicativa dos policiais militares. A tensão acaba de ganhar novo adendo com as graves declarações do ex-ministro Ciro Gomes, acusando o vereador Capitão Wagner (PR) de chefiar uma suposta milícia dentro da Polícia Militar do Ceará.

Uma acusação dessa natureza exige a entrada em ação do Ministério Público para esclarecer os fatos, como parte de sua obrigação constitucional de salvaguardar as instituições do Estado e o interesse público, bem como os direitos e garantias do cidadão. De igual modo, cabe à Câmara Municipal dar uma resposta à sociedade, pois se trata de um membro do Poder Legislativo, sobre o qual não devem pairar dúvidas nesse campo.

Antes de tudo, deve ser assegurada a presunção de inocência ao acusado, cuja honra foi posta em xeque pela denúncia. Como representante parlamentar, tem o direito a defender os interesses laborais de seus representados, sempre dentro dos estritos marcos legais.

O episódio coincide com a piora gritante nos indicadores de segurança do Ceará, justamente quando se requer uma polícia motivada e autoconfiante para enfrentar essa realidade frustrante. Infelizmente, a instituição debate-se numa crise estrutural permanente que já deu ensejo a uma distorção grave: um movimento paredista da PM, no início de 2012, que trouxe consequências aterradoras para uma população desprotegida e entregue à sanha dos marginais. Graças à intermediação da sociedade civil e à sensibilidade das autoridades em reconhecer essas gestões, o pior foi evitado.

É certo que restaram insatisfações, contudo, estas devem ser resolvidas conforme a Constituição, que proíbe o recurso à greve para os militares. Enquanto não for mudada a natureza militar da PM, pelo Congresso Nacional, prevalece a obrigação de acatar o regulamento militar – o que não deveria significar fechamento ao diálogo entre superiores e subordinados, até que a Nação resolva definitivamente esse problema. Resta esperar, da parte de todos, maturidade e respeito aos procedimentos democráticos.

(O POVO / Editorial)

Chaminés em baixa

Da coluna Vertical, no O POVO desta quarta-feira (22):

O setor industrial cearense deve crescer abaixo de 3% neste ano. A previsão é do presidente da Federação das Indústrias do Estado (Fiec), Roberto Macedo. Ele afirma que o mercado não está reagindo, a inflação ronda outra vez, as obras de infraestrutura necessárias para azeitar a economia também não saem do papel e a grande esperança – as Copas (Confederações e do Mundo) ainda não surtiram efeito esperado.

Esse cenário, segundo Macedo, não é definido por ele, mas por avaliações endossadas pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). O dirigente da Fiec bate numa antiga tecla: o Custo Brasil. Para ele, enquanto o governo federal não resolver essa questão, o setor produtivo continuará sempre instável, vivendo sob o embalo de medidas pontuais da economia.

Da obesidade mórbida à maior prova de resistência do mundo

552 3

erick ironman

Há cerca de 10 anos, o cearense Erick Vasconcelos pesava 115 quilos. A obesidade mórbida, no entanto, lhe serviu de incentivo à prática de esportes. Em pouco mais de três anos, o ex-obeso já disputava o seu primeiro Ironman. Depois disso, foram mais cinco disputas (três no Brasil e duas na Alemanha), com 3,8 km de natação, 180 km de ciclismo e 42 km de corrida, além dos mundiais da Austrália, Estados Unidos, França e Espanha.

Ex-secretário de Turismo de Aquiraz e atual assessor da Secretaria de Turismo de Fortaleza (Setfor), Erick embarca nesta quinta-feira para Florianópolis, onde disputa mais um Ironman. “Depois que venci a obesidade, por meio do esporte, me senti capaz de também realizar conquistas na vida profissional e pessoal”, ressaltou o triatleta.

Joaquim Barbosa cobra dos tribunais estaduais julgamento de ações de improbidade

265 2

joaquim barbosa

“O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Joaquim Barbosa, encaminhou ofício aos presidentes dos tribunais brasileiros cobrando o julgamento, em 2013, de todas as ações de improbidade e de crimes contra a administração pública distribuídas até 2011. A medida faz parte da Meta 18, estabelecida no final do ano passado após encontro nacional do Judiciário.

A Meta 18 vincula 27 tribunais de justiça estaduais, cinco tribunais regionais federais e o Superior Tribunal de Justiça. Segundo os números mais recentes, há mais de 98 mil processos dentro da meta, mas até agora apenas 35,9 mil foram julgados. No ofício, Barbosa pede a atualização correta e regular das informações sobre o cumprimento da Meta 18. A medida foi tomada porque os tribunais estavam alimentando os dados no sistema de forma incorreta. Muitos levantamentos levam em conta apenas determinadas instâncias e não toda a jurisdição sob responsabilidade do tribunal, deixando os dados incompletos.

Até o momento, somente nove cortes conseguiram julgar mais de 50% dos processos – os tribunais estaduais do Ceará, Acre, Rondônia, Amapá, Minas Gerais, Sergipe, Paraná e federais da Quarta e Quinta Região. Os tribunais regionais federais da 1ª e da 3ª regiões e o tribunal de Roraima ainda não repassaram qualquer informação ao CNJ.”

(Agência Brasil)

Ciro Gomes e seu contumaz destempero verbal

650 10

ciro gomes

Com o título Senhores da guerra: saliva não é gasolina!”, eis artigo do poeta e publicitário Ricardo Alcântara. Ele analisa declarações do ex-ministro Ciro Gomes que, no plano da segurança, ameaça que cabeças rolarão na área da segurança pública, onde ele não detém cargo comissionado. Pelo menos, oficialmente. Confira:

De onde menos se espera… é de lá que realmente não vem coisa nenhuma! Estão nas páginas dos jornais as sábias declarações de Ciro Gomes para provar que, de fato, um dito popular pode ter seu sentido invertido sem prejuízo da verdade. Sua contribuição para amenizar as tensões entre a corporação militar e o comando do governo é o emblema da imprudência. Se os policiais quiserem mesmo tocar fogo, já sabem onde estocaram a gasolina: na saliva do irmão. E logo o mais velho! Como não consta no Diário Oficial nomeação sua para cargo de confiança, a ameaça de “cortar cabeças” comunica à sociedade a existência de uma modalidade danosa no exercício do poder, excessivamente informal para uma situação de crise.

Quando mais evidenciada deveria estar a autoridade eleita e personificada na figura do governador do Estado, é sua fragilidade o que sugere a intervenção carbonária de quem ameaça punir sem as necessárias prerrogativas institucionais. Mais do que aos (ilegítimos, segundo ele) líderes do corpo policial, o destempero contumaz do primogênito afronta as generalizadas expectativas dos cidadãos, já suficientemente alarmados pela inoperância dos serviços públicos de segurança.

Se, mesmo operando no modo diletante, Ciro Gomes se declara com poderes para “cortar cabeças”, saiba ele que, nas circunstâncias atuais, a população aguarda das partes envolvidas exemplos minimamente responsáveis de diálogo e conciliação. Do contrário, não é improvável que, uma vez mais e com sérios danos à ordem pública, volte a população a olhar com simpatia para atos impróprios de quebra de hierarquia, solidária com quem não viu reconhecida a relevância de suas tarefas.

Ao vereador e capitão Wagner, Ciro Gomes dirige acusação que, caso procedente, merece apuração com rigor exemplar, mas não deveria ser manifestada sem a apresentação de algum indício: acusa-o de conluio com quadrilhas de traficantes. Um aspecto positivo: de público, o primogênito se declara isento do uso de drogas – sim, porque usuários de drogas não têm condições morais de apontar o dedo na direção de traficantes, pois a eles é que dão sustento. Boa, Ciro! Então, somos dois.

A réplica do acusado não foi menos inquietante: os verdadeiros bandidos estariam na cúpula da polícia e deu como exemplo o suposto envolvimento do coordenador de Inteligência com nada menos do que grupos de extermínio. Enfim, haja lenha.
Enquanto isso, nós, as famílias que sustentamos a todos eles (menos ao Ciro, que não tem mais profissão definida), fazemos o quê, além das nossas orações? Quem se mostrar mais sensível a isso terá maiores chances de vencer a queda de braço.

* Ricardo Alcântara,

Publicitário e poeta.

Guimarães rebate críticas de Joaquim Barbosa e diz que PT é fruto de voto popular

169 5

Líder do PT na Câmara, José Guimarães rebateu, nesta terça-feira, as críticas feitas pelo presidente do STF, ministro Joaquim Barbosa, ao Congresso Nacional e aos partidos políticos brasileiros. “Somos um partido programático, com 33 anos de vida e com um legado de construção da democracia brasileira e de governos, tanto do ex-presidente Lula, quanto da presidenta Dilma Rousseff”, disse o líder.

O petista também lembrou que o Partido dos Trabalhadores é produto da mobilização social e das eleições. “O PT é fruto do voto popular. O projeto que nós elegemos com Lula e com Dilma é representado pelo PT. O fato de votarmos com o governo mostra que temos identidade programática com o resultado das urnas. Ou esse governo não foi eleito democraticamente pelo povo brasileiro? Nós somos elemento fundante desse projeto transformador que o Brasil está vivendo”, afirmou o líder.

Durante palestra para estudantes universitários, Barbosa chegou a declarar que o Legislativo é controlado pelo Executivo, pensamento que também foi rechaçado por Guimarães. “Não fica bem para um presidente de Poder fazer esse tipo de declaração, isso não é um bom caminho para estabelecer a harmonia entre os Poderes. A Câmara exige respeito, nós representamos a sociedade, os partidos existem”, frisou.

Por fim, o líder lembrou que o projeto que estabelece regras mais rígidas para a criação de novos partidos teve a tramitação interrompida justamente por uma decisão do Supremo. “Nós queremos a moralização do sistema partidário, por isso queríamos votar o projeto [4470/12], mas não fizemos isso porque o STF suspendeu a sua votação”, criticou Guimarães.

(Com Agências)

Deputado apela para harmonia entre Poderes nas críticas feitas por Barbosa ao Congresso

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=C0MYNF19W3g[/youtube]

As críticas constantes do presidente do Supremo Tribunal federal, Joaquim Barbosa, ao Congresso Nacional, repercutem na classe política. Nesta terça-feira, o deputado federal Mário Feitoza (PMDB) chamou a atenção para a independência, mas também harmonia entre os Poderes.

Mário reconheceu que há demora na reforma eleitoral, como chegou a cobrar nesta semana o ministro Joaquim Babosa, mas observou: não é fácil essa discussão, que exige amadurecimento. “Ele (Joaquim Barbosa) tem razão em cobrar, mas Câmara e Senado são casas de conversa”, observa Feitoza.

Sindicato dos Jornalistas do Ceará comemora 60 anos com sessão solene

1038 3

paulo_bonavides-jurista

Paulo Bonavides foi o fundador do Sindjorce.

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado do Ceará (Sindjorce) ganhará sessão solene nesta quarta-feira, às 19h30min, na Câmara Municipal. O ato comemora os 60 anos da entidade. A iniciativa é da vereadora Toinha Rocha (PSOL). Durante o ato, haverá homenagem aos jornalistas Paulo Bonavides, presidente fundador da entidade – criada em 26 de maio de 1953; Mauro Benevides, vice-presidente da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania da Câmara Federal; Messias Pontes, presidente da Comissão da Verdade, Memória e Justiça dos Jornalistas Cearenses; Ana Márcia Diógenes, coordenadora do Unicef para os estados do CE, PI e RN; e Edmundo Maia (in memoriam), autor da primeira notícia sobre o golpe militar.

Em 9 de abril de 1951, o professor Paulo Bonavides, hoje renomado jurista de projeção internacional, criou a Associação Profissional dos Jornalistas do Ceará. Dois anos depois, uma assembleia geral da categoria transformaria a associação em entidade de categoria, nascendo assim o Sindicato dos Jornalistas dos Profissionais no Estado do Ceará.

Neste 60 anos, o Sindjorce foi presidido por 11 jornalistas eleitos e outros cinco reeleitos democraticamente – Paulo Bonavides (1953/1955-1955/1956), Antônio de Pádua Campos (1956/1959-1966/1968-1971/1974), Antônio Pontes Tavares (1961/1963-1963/1964), Ivonete Maia (1980/1983-1983/1986) e Déborah Lima (2004/2007 – 2007/2010)-, com destaque para Ivonete, primeira mulher eleita presidente de um sindicato de jornalistas no Brasil, e Pádua Campos, único presidente a exercer três mandatos.

Eleita secretária-geral do Sindjorce em 2010, Samira de Castro ocupa hoje a presidência da entidade em substituição a Claylson Martins, licenciado para exercício de mandato sindical junto ao Departamento de Relações Internacionais da Federação Nacional dos Jornalistas, em Brasília.

 

Padarias querem desoneração do pão francês

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=bhyz0K3l2Q4[/youtube]

Na condição de presidente da Associação Brasileira da Indústria de Panificação (Abip), o empresário Alexandre Pereira, também dirigente do Conselho Estadual do Desenvolvimento Econômico, encontra-se em Brasília. Ele faz gestões junto ao Senado por proposta que quer desoneração do pãozinho francês.

Para Alexandre Pereira, essa desoneração será imporante para a sobrevivência e maior geração de emprego e renda no setor das padarias.

Vem aí a Feira do Vou de Táxi!!

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=DlVk7J5vikA[/youtube]

Tudo pronto para a Fenatáxi 2013, feira voltada para os taxistas cearenses. A realização é do Sindicato dos Taxistas de Fortaleza e Região Metropolitana.

O presidente do Sinditáxi, Vicente de Paulo Oliveira, conversou com o Blog sobre o evento, que ocorrerá de 27 a 29 próximos, no Marina Park Hotel, e cujas inscrições ainda estão abertas.

XX Frutal – Ministro da Agricultura confirma presença

ministt

Ministro Antônio Andrade recebendo comitiva do Ceará.

O ministro da Agricultura, Antônio Andrade, confirmou presença na solenidade de abertura do XX Frutal, que ocorrerá em setembro, n Centro de Eventos. Foi nesta terça-feira, quando recebeu comitiva na qual estava o deputado federal Danilo Forte (PMDB), o prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio, o secretário do Desenvolvimento Social, Trabalho e Combate à Fome, Cláudio Ricardo, e Euvaldo Bringel, presidente do Instituto Frutal, que organiza o seminário.

Neste ano, a novidade será a realização simultâneo a ACORBAT – o maior evento mundial sobre banana, com participação de pesquisadores e produtores e compradores de mais de 50 países.

SER II manda nota esclarecendo sobre derrubada de árvore

Da Assessoria de Imprensa da Secretaria Executiva Regional II, recebemos a seguinte nota:

Sobre a nota solicitando a fiscalização da SEUMA e REGIONAL II acerca de uma árvore derrubada na rua Otávio Lobo com Gilberto Sturdat (Cocó), a Secretaria Regional II esclarece:

Conforme análise interna e visita da equipe dessa Regional no local, foi constatado que existe a liberação para a retirada dessa árvore. A Secretaria Regional II foi previamente procurada antes da execução dessa ação. O processo que tramitou neste órgão encontra-se em poder desta secretaria, caso haja necessidade de comprovações.

Desde já agradecemos as informações e denúncias. A população, assim como a imprensa, tem um papel fiscalizador fundamental para o desenvolvimento da cidade.

* Assessoria de Imprensa da SER II.

VAMOS NÓS – Pena que nada de placa no local detalhando a obra ser feita.

Vídeo com Capitão Wagner em suposto ato contra o Governo causa polêmica nas redes sociais

500 53

Um vídeo com o título “MP ENTRA COM AÇÃO CONTRA VEREADOR CAPITÃO WAGNER” também causa polêmica nas redes sociais. As imagens foram postadas por perfil intitulado “Rispida sincera” e divulgadas no último sábado no perfil do próprio Ciro Gomes no Facebook.

MP ENTRA COM AÇÃO CONTRA VEREADOR CAPITÃO WAGNER from Rispida Sincera on Vimeo.

O vídeo mostra o Capitão Wagner e mais duas pessoas distribuindo camisas a mulheres de policiais que, no último dia 12, tentaram impedir a saída da tropa que trabalharia no clássico-rei. Os homens que estavam com Wagner aparecem ainda estimulando as mulheres com gestos de incentivo e palavras de ordem. As legendas do vídeo acusam Wagner de apoiar obstrução do trabalho da Polícia e trata os homens que estão com ele de “capangas”.

(Com O POVO)

DETALHE – O POVO já solicitou informação ao MP sobre abertura de investigação. Aguarda resposta.

Leitor protesta contra empresa que dá manutenção aos caixas eletrônicos do BB

De Mário Albuquerque, leitor do Blog, recebemos a seguinte nota, em tom de queixa:

Caro Eliomar de Lima,

Jogue mais foco para o serviço de manutenção dos caixas eletrônicos externos do Banco do Brasil, principalmente aqueles instalados em supermercados e, até mesmo, nas agências. Você divulgou problemas nos caixas externos das áreas do Papicu e Cidade 2000.

Pois bem, fui novamente ao caixa da Cidade 2000, que fica no Supermercado Superlagoa, para efetuar pagamento e não o fiz porque não havia papel para a emissão de recibo. Fui então à agencia da Santos Dumont próximo ao Hospital São Mateus. Lá, o que faltava eram grampos para os grampeadores (grampear os recibos nos boletos).

Não sei que empresa é essa que faz o serviço de manutenção, se há concorrência para isso, etc. O certo é que o serviço é precário, deixa muito a desejar. Ora falta dinheiro nos caixas, ora falta papel para emissão de recibos e haja demora para  solucionar a situação, criando transtornos aos usuários.

Será que há em curso o velho processo insidioso de sucatear para privatizar?

Abraços,

Mario Albuquerque,

Advogado.

Cantor Falcão finaliza novo CD

352 2

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=I8Bgz8UyBbQ[/youtube]

O cantor bregastar Falcão finaliza mais um CD, que deve ser lançado no meio deste ano. O trabalho leva o nome de “Sucessão de sucessos que se sucedem sucessivamente sem cessar”, uma homenagem ao rádio que se fazia no Ceará.

Segundo Falcão, o carro-chefe pode ser “Você é a letra X da palavra love”.

"Estado laico" será tema de debate na Unifor

“Estado laico – E eu com isso?” é o debate que será realizado no próximo dia 29, a partir das 8 horas, no Auditório Celina Queiroz, da Unifor. A promoção é da disciplinas Ética e Cidadania, do curso de Jornalismo, ministrada pela professora Sandra Helena.

Atuarão como debatedores o ex-procurador-geral do Município e professor Martônio Mont´Alverne, o teólogo Carlo Tursi e o assessor de imprensa da Comunidade Shalom e editor do Blog Ancoradouro (no portal do O POVO), jornalista Vanderlúcio Souza.

Na mediação, o diretor institucional do O POVO, jornalista Plínio Bortolotti.

 

Presidente das FIec nada otimista sobre setor industrial brasileiro

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=zlpt_NrSl8o[/youtube]

A Confederação Nacional da Indústria (CNI) está mobilizada em Brasília divulgando sua agenda de prioridades no Congresso. O presidente da Fiec, Roberto Macedo, acompanha essa mobilização.

Para o Blog, Roberto Macedo falou sobre o quadro econômico e inflação. Ele não se mostra nada otimista sobre o setor industrial brasileiro.