Blog do Eliomar

Categorias para Ceará

Governo vai transferir R$ 88 milhões para Prefeitura de Fortaleza

234 6

O Governo do Estado vai transferir R$ 88 milhões para a Prefeitura de Fortaleza. O anúncio foi feito nessa quarta-feira (23) pelo governador Cid Gomes durante reunião com o prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio, no Palácio da Abolição. Na próxima quarta-feira (30), Governo do Estado e Prefeitura de Fortaleza voltarão a se reunir.

O repasse de recursos será destinado a obras de mobilidade urbana para a Copa do Mundo (obras de acesso ao Castelão), no valor de R$ 60 milhões; R$ 1 milhão para a compensação ambiental na área do Parque do Cocó; mais R$ 15 milhões para as obras de Transfor/BID e R$ 12 milhões para a construção das quatro primeiras unidades de escolas de tempo integral do 6° ao 9º do Ensino Fundamental.

“É obrigação nossa ter uma atitude de colaboração e parceria, sem ter qualquer resquício ou característica de submissão. Os dois (Governo do Estado e Prefeitura) são independentes. Cada um tem sua autoridade. É uma ação participativa e colaborativa para prestar serviços a Fortaleza e ao povo do Ceará”, destacou o governador Cid Gomes.

O prefeito Roberto Cláudio também destacou a importância da parceria com o Governo do Estado e de desenvolver um trabalho conjunto para a resolução de problemas e implementação de ações em Fortaleza.

Participaram ainda da reunião os secretários estaduais: Danilo Serpa (Gabinete do Governador), Arialdo Pinho (Casa Civil), Izolda Cela (Educação), Adail Fontenele (Infraestrutura), Bismarck Maia (Turismo), Fernando Oliveira (procurador-geral), Ferruccio Feitosa (Copa), Camilo Santana (Cidades), André Facó (Cagece), Ricardo Lima (Semace). Os secretários municipais: Queiroz Filho (Chefia de Gabinete), Prisco Bezerra (Governo), Ivo Gomes (Educação), Samuel Dias (Infraestrutura), Salmito Filho (Turismo), José Leite (Procurador-geral), Domingos Neto (Copa), João Pupo (transporte) e demais assessores e coordenadores do Governo e Prefeitura.

(Governo do Ceará)

Durante reunião com Cid, Henrique Alves promete lutar por Orçamento impositivo

191 2

O candidato o PMDB à presidência da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves (RN), prometeu nesta quarta-feira (23) acabar com a subserviência do Legislativo ao Executivo no que diz respeito às emendas parlamentares.

Segundo o peemedebista, o Executivo costuma selecionar verbas referentes às emendas incluídas no plano financeiro da União. Alves quer acabar com isso, tornando o Orçamento impositivo.

O pacto foi firmado durante reunião com o governador Cid Gomes (PSB) e 16 parlamentares federais cearenses, de um total de 22 representantes do Estado em Brasília.

Cid não declarou apoio a Henrique Eduardo Alves, já que seu partido, o PSB, também tem candidato à presidência da Câmara. Trata-se Júlio Delgado (MG), que ontem também esteve reunido com o governador.

Entretanto, o comandante do Palácio da Abolição ponderou sobre a importância de se respeitar a proporcionalidade na Casa. O PMDB é o partido com maior bancada no Congresso.

Outros compromissos

Henrique Eduardo Alves se comprometeu ainda a resolver o impasse em torno do Fundo de Participação dos Estados (FPE), cujas novas regras de distribuição deveriam ter sido aprovadas no ano passado.

Sobre a polêmica em torno da divisão dos royalties, o peemedebista disse que a questão deve ser tratada com os governadores para que ninguém saia no prejuízo.

Nos bastidores, entretanto, comentou-se que Alves se comprometeu a derrubar os vetos presidenciais ao projeto que garantia uma divisão igualitária dos royalties.

Os deputados que não compareceram ao encontro foram Manoel Salviano (PSD), Eudes Xavier e José Airton – ambos do PT -, Raimundo Gomes de Matos (PSDB), Genecias Noronha (PMDB), Padré Zé (PP).

(O POVO Online)

Missa em Ação de Graças pela posse dos novos dirigentes do TJCE ocorre na sexta-feira

A Missa em Ação de Graças pela posse dos novos dirigentes do Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE) será celebrada na próxima sexta-feira (25), a partir das 16 horas, na Capela Nossa Senhora de Fátima, no Palácio da Justiça, no Cambeba.

Os desembargadores Luiz Gerardo de Pontes Brígido (presidente), Francisco Lincoln Araújo e Silva (vice) e Francisco Sales Neto (Corregedor Geral) foram eleitos durante sessão do Tribunal Pleno, em 12 de novembro de 2012, para o biênio 2013/2015.

Corregedores

As solenidades de transmissão do cargo de corregedor Geral da Justiça e a posse do novo diretor do Fórum Clóvis Beviláqua ocorrem na próxima terça-feira (29). O juiz Luciano Lima assume a direção do Fórum, às 14h, e, às 16h30, a desembargadora Edite Bringel Olinda Alencar transmite o cargo de corregedor ao desembargador Francisco Sales Neto.

Partido de Marina deverá ter boa representatividade no Ceará

279 8

O que já vem sendo especulado há algum tempo está próximo de se tornar realidade. Liderados pela ex-senadora Marina Silva, integrantes do movimento Nova Política estão amadurecendo a ideia da formação de um novo partido político. Após consulta a diversos parlamentares das mais diversas partes do país e membros da sociedade civil, Marina Silva já admite a criação da nova sigla.

Como na maioria dos estados, no Ceará os aliados de Marina Silva reforçam o contato com vistas à formação do partido. Para o jornalista e integrante do Movimento Nova Política, Rafael Oliveira, as pessoas estão buscando uma maior participação na política e a cada dia procuram algo diferente do cenário político tradicional. “É impressionante como o cidadão comum tem criticado os moldes da política atual e buscado um caminho para uma mudança estrutural na tentativa de se criar alternativas mais positivas o bem estar da população”, afirma.

Uma das propostas da nova sigla é além de priorizar a sustentabilidade, buscar mecanismos novos para participação ampla das pessoas. Segundo o ambientalista Paulo Sombra, representantes de dezenas de municípios já manifestaram interesse em participar da construção do novo partido. “Marina Silva representa a esperança de uma sociedade que priorize a ética e valorize o desenvolvimento com respeito ao meio ambiente”, comenta.

No interior, as movimentações já estão bem avançadas e, inclusive políticos com mandatos, já sinalizaram o desejo de integrar o novo projeto político. O Presidente da Câmara Municipal de Baturité, Vereador Renaldo Braga (PSDB) é um dos interessados. “Ter um partido que valorize verdadeiramente o meio ambiente é muito importante para nós do Maciço e trará uma nova visão da política para a nossa região”, reforça. No Cariri, a Secretária de Meio Ambiente de Jardim, Silvana Homem, é outra apoiadora da iniciativa. “É fundamental envolver as diversas regiões do estado no eixo central da política. Um partido que vem pra buscar formas inovadoras de participação só tem a enriquecer o cenário local e contribuir para a melhora da população”, afirma Silvana.

Os diálogos têm acontecido com frequência, sobretudo com os membros do Movimento Nova Política. O partido a ser criado por Marina Silva deve movimentar a política do Ceará nos próximos tempos e a expectativa é que, com a concretização da nova sigla, a legenda já inicie a sua trajetória com uma boa representação nos municípios cearenses.

Ivete Sangalo não comenta show em Sobral, diz Folha

270 5

Em reportagem extensa nesta quarta-feira (23), a Folha de S.Paulo aborda a polêmica do pagamento de R$ 650 mil do show da cantora baiana Ivete Sangalo, na última sexta-feira (18), em Sobral, por meio do Governo do Ceará, na inauguração do Hospital Regional do município “berço político do governador Cid Gomes (PSB) e de seu irmão Ciro Gomes”.

A matéria, assinada pelo correspondente da Folha em Salvador (BA), Nelson Barros Neto, tentou ouvir a cantora baiana sobre a polêmica, mas Ivete Sangalo não quis comentar o assunto.

A retomada da agenda interrompida

Da coluna Política, no O POVO desta quarta-fera (23), pelo jornalista Érico Firmo:

O governador Cid Gomes e o prefeito Roberto Cláudio (ambos do (PSB) se reúnem hoje, no Palácio da Abolição, com a presença dos respectivos secretariados. É a retomada da agenda que foi instituída entre os dois entes no breve intervalo entre a reeleição de Luizianne Lins (PT) na Capital e a reeleição de Cid no Estado.

Entre 2009 e 2010 chegaram a ocorrer vários encontros, na esteira da confirmação de Fortaleza como subsede da Copa do Mundo de 2014. Um dos últimos, no Paço Municipal, pouco antes da última eleição estadual, em abril, quando o PT ainda temia que o governador apoiasse Tasso Jereissati (PSDB) para o Senado.

No segundo mandato de Cid, a relação política com a ex-prefeita implodiu e os encontros deixaram de ocorrer – não fariam mais o menor sentido, afinal. Aliás, a rigor, os resultados sempre foram muito questionáveis.

Agora, porém, a harmonia está em outro patamar. A coordenação de ações, desta vez, tende a funcionar. Caso se reflita em resultado para a população, ótimo.

Quando criar caso é o menor problema

182 2

Da coluna Política, no O POVO desta quarta-fera (23), pelo jornalista Érico Firmo:

A despeito das críticas políticas que fiz ao show de Ivete Sangalo, é possível que o Governo do Estado tenha agido dentro do que exige a lei para contratar a artista para se apresentar na inauguração do hospital regional da Zona Norte, em Sobral. Não entrarei nesse mérito. Foi o que consideraram, no primeiro momento, os técnicos do Tribunal de Contas do Estado (TCE).

Mas não precisava o governador Cid Gomes (PSB) se referir ao procurador-geral do TCE de forma tão pouco respeitosa. Chamar Gleydson Alexandre de “garoto que deseja aparecer e fica assim criando caso” é desrespeitoso com ele e com a instituição. Cid disse que “para ficar aparecendo na imprensa, fica fazendo recurso”.

Ora, Gleydson, de fato, teve a primeira representação negada e fez nova investida, com novos elementos. Está no seu papel, se achar que assim deve agir. Claro que o governador não precisa gostar. Mas o Estado não está em posição de reclamar de quem recorre contra decisões desfavoráveis. Um exemplo: desde a década de 90, a administração estadual foi condenada a implantar o piso salarial para professores da Universidade Estadual do Ceará (Uece).

Mesmo com sentença transitada em julgado, houve recursos protelatórios de toda ordem, postura que rendeu ao governo até a pecha de litigante de má-fé atribuída pelos julgadores. Vários dos interessados morreram sem receber o que lhes era devido.

Pronaf aplica mais de R$ 379 milhões no Ceará em 2012

Através de parceria entre Estado, MDA o Banco do Nordeste e o Banco do Brasil, O Pronaf conseguiu um recorde histórico na aplicação dos recursos para a agricultura familiar

O Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), em parceria com o Governo do Estado do Ceará, através da Secretaria do Desenvolvimento Agrário (SDA) e da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ematerce), conseguiu, em 2012, um recorde histórico na aplicação dos recursos destinados ao Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf).

Segundo o secretário do desenvolvimento Agrário, Nelson Martins, foram aplicados em 2012, R$ 379 milhões, sendo R$ 338 milhões aplicados pelo Banco do Nordeste e R$ 41 milhões aplicados pelo Banco do Brasil. “Isso se deveu, principalmente, à agilidade com que a Ematece elaborou os projetos do Pronaf e conseguiu encaminhá-los aos bancos para que o dinheiro fosse liberados aos agricultores”.

No Ceará, o Pronaf financia projetos individuais ou coletivos, que gerem renda aos agricultores familiares e assentados da reforma agrária, através dos Bancos do Brasil e do Nordeste. Possui as mais baixas taxas de juros dos financiamentos rurais. Disponibiliza ainda crédito, seja para custeio da safra, ou atividade agroindustrial, seja para investimento em máquinas, equipamentos, ou infraestrutura de produção e serviços agropecuário ou não agropecuário. Possui as linhas de crédito: Pronaf Agroindustria, Pronaf Eco, Pronaf Floresta, Pronaf Semi-árido, Pronaf Mulher, Pronaf Jovem, Pronaf Cota-Parte, Microcrédito Rural e Pronaf Mais Alimentos.

Em 2012, foram assinados no Ceará 117.478 contratos de Pronaf. Nos escritórios da Ematerce no interior do Ceará, os agricultores familiares podem buscar informações sobre como os projetos devem ser elaborados para a concessão do crédito.

“Em 2013, nós esperamos ampliar ainda mais esses investimentos, já que contaremos com mais escritórios da Ematerce que serão inaugurados no interior do Estado”, afirmou o secretário.

(SDA)

Cid Gomes recebe em audiência o candidato do PSB à presidência da Mesa Diretora

O governador Cid Gomes recebeu nesta terça-feira (22), em audiência no Palácio do Planalto, o deputado federal Júlio Delgado (PSB-MG). O parlamentar é o candidato do partido à presidência da Mesa Diretora da Câmara Federal, que ocorre dia 4 próximo.

O deputado mineiro é o principal adversário do potiguar Henrique Alves (PMDB) na disputa à presidência da Câmara Baixa. Nesta quarta-feira (23), o governador do Ceará e a bancada federal cearense recebem Henrique Alves em almoço.

Cid Gomes e Henrique Alves têm almoço nesta quarta-feira, mas nada de comida apimentada

201 1

Molho teriaki não faltará à mesa

Em um almoço no Palácio da Abolição, nesta quarta-feira (23), a partir das 13 horas, o governador Cid Gomes e a bancada federal do Ceará recepcionarão o candidato à presidência da Mesa Diretora da Câmara Federal, o deputado federal Henrique Alves (PMDB-RN). No cardápio, nada de comida apimentada, tampouco salgada. Mas recheada de molho teriaki (Sakura), aquele que lembra a cor do petróleo.

É que o governador do Ceará tem dito que o apoio ao peemedebista está condicionado à derrubada do veto referente aos royalties do petróleo e do interesse em reformular os critérios de divisão do Fundo de Participação dos Estados (FPE).

Meses atrás, um almoço entre o deputado federal potiguar e os irmãos Cid e Ciro por certo seria apimentado e salgado. Foi Henrique Alves quem segurou o desgaste à candidatura Dilma Rousseff, em abril de 2010, depois que Ciro definiu o PMDB nacional como “ajuntamento de assaltantes”.

Menos de um ano depois, foi a vez de Cid Gomes bater de frente com o deputado potiguar, pela indicação do diretor-geral do Dnocs. Round vencido pelo deputado federal, diante da indicação do potiguar Emerson Fernandes, que assumiu meses depois.

No início da semana, no entanto, durante entrevista à TVC, Ciro voltou a atacar a cúpula nacional do PMDB, quando inclusive citou Henrique Alves. Mas em seguida assegurou o apoio à candidatura do deputado potiguar dos três federais cearenses do PSB.

Pelo visto, o almoço deverá ser de fácil digestão. Qualquer azedume ficará por conta da sobremesa.

Um bispo ameaçado

158 1

Da coluna Vertical, no O POVO desta segunda-feira (21):

A Secretaria da Segurança Pública do Ceará, por meio do Comando do Policiamento do Interior, tem de se antecipar a uma situação que poderá terminar em tragédia. É que o bispo da diocese do Crato, dom Fernando Panico, está se sentindo ameaçado por especuladores de terras no Cariri.

O pivô do problema é um terreno muito valorizado da Igreja Católica, em Juazeiro do Norte. A negociação de uma parte dessa área, em 1998, teria terminado com a incorporação indevida de um pedaço maior do que foi vendido pelo Monsenhor Murilo. O caso foi parar na Justiça e o bispo teve de mudar rotinas em seu dia a dia.

O advogado da diocese, Hyarlei Macêdo, fez um boletim de ocorrência após ter sido ameaçado de morte. Dom Fernando, segundo Vertical apurou, está apreensivo em face de “interesses escusos” e a campanha de difamação contra ele.

SAMU reúne municípios para fechar plano para o Carnaval 2013

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU Ceará 192) reúne na manhã desta segunda-feira (21) prefeitos e secretários de saúde dos 47 municípios cobertos atualmente, além de representantes das polícias rodoviárias Estadual e Federal, para fechar o plano de trabalho para o carnaval. O encontre ocorrerá no Hotel Mareiro, Avenida Beira Mar, 2380, bairro Meireles, a partir das 9 horas.

Com sete ambulâncias novas, que aumentaram a frota para 50 veículos, o Polo I do SAMU Ceará 192 também recebeu 10 incubadoras que vão equipar as oito UTIs móveis e qualificar o atendimento a recém-nascidos. Em fevereiro, a frota será ampliada com 18 novas unidades básicas e quatro UTIs móveis, totalizando 22 novas ambulâncias. Com a frota de 72 ambulâncias, o Polo I do SAMU Ceará 192 ganha novo desenho com a incorporação de 32 municípios ao raio de cobertura, que passa dos atuais 47 para 79 municípios.

O serviço realiza atendimentos de naturezas diversas, como vítimas de acidentes de trânsito, de ferimentos por arma de fogo, de ferimentos por armas brancas, de quedas, de choque elétrico, de afogamento e de intoxicação. Atende, ainda, pacientes vítimas de infarto agudo do miocárdio, de AVC (Acidente Vascular Cerebral) e crises convulsivas. Realiza também atendimento pré-hospitalar de pacientes com insuficiência cardíaca e crise diabética.

O SAMU também é acionado para a realização de atendimento pré-hospitalar de casos gineco-obstétricos, como trabalho de parto e aborto; atua no atendimento médico pré-hospitalar de urgências psiquiátricas; efetua transferências hospitalares de pacientes graves que necessitam de remoção em UTI móvel entre os municípios. Em casos de informações e reclamações, os usuários devem ligar a ouvidoria do SAMU Polo I, que atende pelo telefone (85) 3260.3797.

(Sesa)

Na inércia, Cocó fica no limbo

199 3

Da coluna Fábio Campos, no O POVO deste domingo (20):

Ao tratar do imbróglio do Cocó (edição de quinta-feira), afirmei que o parque não existia de direito. Aqui estão os motivos: o Estado do Ceará, que chamou para si a responsabilidade de constituí-lo, não demarcou seus limites de forma definitiva, não editou os respectivos decretos de desapropriação e, portanto, não providenciou a consequente indenização das terras que deveriam, por força da lei, ser transferidas dos particulares para o domínio público.

O resultado da já longa inércia estatal é a proliferação de recursos judiciais. Chovem as chamadas Ações de Desapropriação Indireta. Nelas, os proprietários de terras nas duas margens do rio recorrem ao Judiciário cobrando valores elevados, sempre acrescidos de honorários advocatícios e juros, a título de indenização pela alegada perda do uso direto dos imóveis.

Daí decorrem situações perturbadoras que põem em risco a integridade dos recursos naturais que se pretende conservar e proteger como patrimônio da cidade.

Exemplo: a não regularização fundiária dessas áreas que devem ser protegidas. Ou seja, a ação estatal incompleta não consegue que o domínio sobre as ditas terras seja transferido para o patrimônio público, condição sine qua non para a existência e pleno funcionamento da chamada Unidade de Conservação (UC).

Desse modo, o Judiciário fica abarrotado de ações judiciais de difícil solução. Sabe-se que quando o processo de criação da UC não percorre o caminho correto (identificação das áreas e de seus proprietários, avaliação, desapropriação e pagamento da indenização), as disputas jurídicas acabam, cedo ou tarde, gerando prejuízos ao erário com o pagamento de pesadas indenizações acrescidas de encargos moratórios e caros honorários de advogados.

Enfim, sem que seja cumprido o rito formal e legal estabelecido pela democracia, não há um parque. Não há uma Unidade de Conservação. Não há também um plano de manejo capaz de integrar a área à cidade e impedir a degradação e a ocupação irregular.

Não custa reafirmar: o letárgico processo de implantação plena da UC e a falta de programas de uso público da mesma, além de manter um quadro de permanente tensão entre atores cujos interesses são antagônicos, mantêm distante a maioria da população do Parque.

Ou melhor, a maioria da população não se envolve diretamente com o presente e, sobretudo, com o futuro daquela área localizada no coração da cidade.

O fato é que o Estado até hoje não tomou as medidas necessárias. Em 1989 e 1991, apenas editou os decretos (já caducos) definindo áreas para fins de desapropriação. Na sequência, como determina a lei, deveria ter editado os decretos de desapropriação.

Cid Gomes até que tentou dar outros passos ao criar, em 2008, o “grupo de trabalho” para elaborar o programa de revitalização do rio Cocó e promover a regularização da UC denominada Parque Estadual do Rio Cocó.

Tal grupo chegou a estabelecer a poligonal do que deveria ser o Parque com uma área de 1.100 hectares (três vezes maior que o Central Park, de Nova Iorque). Solenemente, a proposta foi a freezer. Não se ouviu mais falar do assunto. O andar da carruagem sugere que os estudos do grupo de trabalho foram suspensos.

Trocando em miúdos, a atuação do Estado tem deixado muitíssimo a desejar. A inércia estatal perpassa pelo menos sete gestões e quatro diferentes governadores, incluindo o atual.

O ponto que sempre deve ser lembrado é o seguinte: a Unidade de Conservação denominada Parque Ecológico do Cocó, após mais de 20 anos de controvérsias na esfera judicial, política e ambiental, simplesmente não existe legalmente.

Está mais do que na hora de se colocar em prática uma ação que reelabore as diretrizes para a concretização plena de um projeto de tanta importância para Fortaleza. Porém, fica a dúvida: será que o Estado é o ente adequado para tratar da questão? Pelo até aqui visto, a resposta é não.

Cid condiciona apoio à eleição da Câmara a veto dos royalties

O governador Cid Gomes (PSB) disse que ainda não decidiu quem vai apoiar na disputa pela presidência da Câmara dos Deputados. Ele afirmou que vai conversar com o presidente nacional do partido e governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), para só então definir a posição sobre o assunto. A eleição na Câmara ocorre no início de fevereiro.

“Meu apoio enquanto dirigente partidário depende do partido. Vou procurar saber se o partido tem alguma decisão”, disse o governador, ao ressaltar que seu apoio dependerá do compromisso do candidato com a derrubada do veto referente aos royalties do petróleo e do interesse em reformular os critérios de divisão do Fundo de Participação dos Estados (FPE).

Ele vai procurar Campos nos próximos dias para saber se a candidatura de Júlio Delgado (PSB-MG) é oficial da sigla e se há alguma orientação para que o partido vote unido. O favorito para a presidência da Câmara é Henrique Alves (PMDB-RN). Cid vinha sinalizando apoio ao peemedebista, que virá a Fortaleza na próxima semana para uma reunião com o governador e alguns parlamentares. Segundo o governador, Alves pediu unicamente para que ele reunisse a bancada. “Eu prontamente me coloquei à disposição. O encontro é para isso, para o candidato colocar suas propostas”, resumiu.

(O POVO)

O hospital e Ivete Sangalo

227 14

Da coluna Política, no O POVO deste sábado (19), pelo jornalista Érico Firmo:

O governador Cid Gomes (PSB) defendeu nessa sexta-fera (18) a contratação do show de Ivete Sangalo, por R$ 650 mil, para a inauguração do hospital regional de Sobral. Ele salientou a obrigação do poder público de proporcionar “lazer, diversão e alegria”. Nessa parte, concordo. Foi justamente o que defendi aqui ontem.

A questão que discuti na última coluna era se o valor não era alto demais para a inauguração de um hospital. Se havia sentido em promover tamanha festa apenas para divulgar a obra, sem qualquer retorno turístico, econômico, sem demarcar data comemorativa, sem relevância cultural e sem nem ao menos representar o início do funcionamento do equipamento. Claro que iria comparecer muita gente. As pessoas iriam se divertir e fariam bonita festa. Mas a questão envolve outros aspectos.

Questionado sobre o valor, a resposta do governador empurrou a questão para a artista: “Pergunte se a Ivete Sangalo cobra menos do que isso. Se ela cobrar, me avise que eu vou tentar contratá-la mais barato”. Ora, a discussão é outra. O preço da artista é esse mesmo. Mas é o caso de contratá-la? Não haveria opção mais em conta? Justifica-se trazer qualquer artista a qualquer preço? E para evento de toda natureza? Em nome da propagação do “lazer, diversão, alegria”, o Governo pode gastar ilimitadamente, tenha a mais remota pertinência com a ocasião ou não? E no caso, diga-se, trata-se de inauguração da maior importância, de equipamento que, quando em efetivo funcionamento, poderá transformar a realidade cearense.

Mas o argumento do governador é tão geral que, ao pé da letra e a ferro e fogo, justifica até contratar Guns N’ Roses para lançar pedra fundamental de pista de skate. Essa proporção é que coloco em debate. E, ainda, considerando que a questão do cachê é remetida à artista, valeria à pena pagar qualquer valor que ela pedisse? Restaria à patuleia – como diz o Elio Gaspari – custear resignadamente quantos fossem os milhões cobrados pela cantora baiana? Ou haveria de se considerar algum senso de razoabilidade?

Aceita essa última hipótese, retoma-se a questão: R$ 650 mil não é muito para inaugurar o hospital? Eis a questão.

Show de Ivete reúne milhares de pessoas em Sobral

281 11

Indiferente à polêmica do cachê do show mais caro do país, o sobralense compareceu em massa à apresentação da cantora Ivete Sangalo, nessa sexta-feira (18), na avenida John Sanford, em Sobral.

O evento marcou a inauguração do Hospital Regional de Sobral. A cantora cobrou um cachê de R$ 650 mil para a apresentação. Segundo sites especializados em apresentações de artistas e produtoras de eventos, um show completo de Ivete custa R$ 1,2 milhão, o mais caro do Brasil.

Tráfico de armas

237 4

Da coluna Vertical, no O POVO desta sexta-feira (18):

Bom as polícias Militar e Civil continuarem apreendendo armas de fogo, melhor ainda para os policiais que têm direito a uma boa gratificação. Somente no ano passado foram seis mil confiscadas das mãos de criminosos.

Mas só isso não basta. Falta à Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do Estado um trabalho sistêmico para mapear e investigar a origem do armamento ilegal. Entender por que é tão fácil a arma circular e ser repassada por Fortaleza e demais municípios. E o mais importante: ter dados para planejar uma ofensiva que não fique na mão do acaso ou de uma ou outra operação.

Só apreender, na base do abafa, não tem eficácia duradoura. Se continuará zerando processos efêmeros sem estratégias permanentes. Os números de homicídios com arma de fogo falam por si só.

Aí já é demais

339 11

Da coluna Política, no O POVO desta sexta-feira (18), pelo jornalista Érico Firmo:

Quem acompanha a coluna com alguma assiduidade sabe que não concordo com os que consideram que o poder público só pode investir em atividades de lazer e entretenimento depois de resolver todos os problemas elementares, como na saúde e na educação. Claro que o escalonamento de prioridades é fundamental. Mas diversão não é supérfluo e sim condição para qualidade de vida.

É mais fácil criticar a espetáculos abertos à população quando se tem condições de pagar para ir a festas no fim de semana. Contudo, não se pode perder a medida. Gastar R$ 650 mil com cachê de artista para show de inauguração de um hospital é fora de propósito. Não se trata de evento de relevância cultural, celebrativo de data importante, com qualquer apelo turístico que seja, nem que vá ter desdobramentos com retorno relevante. Sua única finalidade é dar visibilidade à obra do Governo do Estado que, a rigor, nem começa a atender a população imediatamente.

Sobre determinado aspecto, chega a ser mais discutível que o tão polêmico show de Plácido Domingo, na inauguração do Centro de Eventos. Apenas sob uma angulação, obviamente, porque ali o absurdo foi o gasto milionário de dinheiro do povão em evento para VIPs.

Contudo, daquela vez, fosse válida ou não, havia a justificativa de que a intenção era divulgar o equipamento para produtores de evento do País todo. No caso do hospital, a serventia do show já terá deixado de existir no dia seguinte. Sem acumular qualquer capital simbólico em função disso.