Blog do Eliomar

Categorias para Ceará

Exportações do Ceará batem recorde em 2011

Nem tudo é notícia negativa para o Governo do Estado, que encerrou o ano amargando desgaste político por conta da greve dos policiais e bombeiros militares. Uma informação positiva vem da economia.

O volume de exportações do Ceará foi de US$ 1,4 bilhão no exercício de 2011, um valor considerado recorde e que contabilizou um crescimento da ordem de 10,54% em relação a 2010. O acumulado das importações em 2011 somou US$ 2,4 bilhões – uma expansão de 10,80% -, o que supera o volume registrado em 2010, que foi de US$ 2,1 bilhões. Essas informações constam do Enfoque Econômico nº 14, trabalho que acaba de ser divulgado pelo Instituto de Pesquisa e Estratégica Econômica do Ceará (Ipece), órgão vinculado à Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag) do Governo do Estado.

As exportações cearenses somaram, em dezembro do ano passado, um total de US$ 133 milhões, representando um crescimento de 10,4% em relação ao mês anterior de novembro (US$ 120,5 milhões). O desempenho é o segundo maior registro em 2011, inferior apenas a agosto, quando as exportações totalizaram US$ 191,2 milhões. Já as importações, em dezembro do ano passado, chegaram a US$ 245,5 milhões, ou seja, aumento de 11,2% em relação ao resultado de novembro (US$ 220,7 milhões).

Segundo o diretor-geral do Ipece, professor Flávio Ataliba, com esses movimentos (exportações e importações), o saldo negativo da balança comercial do Ceará alcançou US$ 1 bilhão no ano passado, significando crescimento de 11,16% quando comparado com 2010 (US$ 899,7 milhões). A corrente de comércio exterior, que é a soma de todas as exportações e importações, totalizou um valor recorde de US$ 3,8 bilhões em 2011, contra US$ 3,4 bilhões em 2010, um incremento de 10,70%.

De acordo com a economista do Ipece, Débora Gaspar Feitosa, o fluxo de comércio exterior cearense vem apresentando crescimento contínuo ao longo dos últimos dez anos, onde se destaca uma variação positiva de 222,34% na corrente de comércio referente ao acumulado dos respectivos anos, o que representa um incremento de US$ 2,6 bilhões em valores absolutos.

SERVIÇO

Mais informações sobre o estudo no Enfoque Econômico do Ipece, que pode ser acessado no www.ipece.ce.gov.br.

Secretaria Municipal da Educação manda nota para Blog informando estar realizando um “reordenamento” no sistema

160 3

Sobre a denúncia feita por professores neste Blog de que a Secretaria Municipal da Educação ameaça fechar turmas da sexta a nota do ensino fumdamental, o que já começou em algumas escolas, a Secretaria Municipal da Educação manda nota. Confira:

Caro jornalista Eliomar de Lima,
A Secretaria Municipal de Educação, em resposta a notícia publicada neste dia 9 de janeiro, neste Blog, com o título “Prefeitura fecha turmas do sexto ao nono ano em várias escolas. Professores protestam” informa que:
1. Está ocorrendo um reordenamento do sistema para melhor atender a demanda.
2. O reordenamento da rede é feito com base em análises que visam melhor atender às necessidades do magistério juntamente com a procura da comunidade.
3. Vale salientar que, a partir do planejamento da rede, nenhuma escola do Sistema Municipal Público de Ensino fechou alguma turma do sexto ao nono ano e que nenhum professor e aluno sairão prejudicados com a reorganização das turmas.

Secretaria Municipal da Educação.

Titular da SSPDS manda nota para Blog acerca de artigo de Sérgio Novais

165 9

Da assessoria de comunicação do secretário da Segurança Pública e Defesa Social do Estado, coronel Francisco Bezerra, recebemos nota em resposta a um artigo aqui publicado e de autoria do socialista Sérgio Novais. Em seu artigo, Novais critica o secretário e sua participação no recente congresso nacional do PSB, em Brasília. A nota da SSPDS diz que Sérgio se equivocou e confundiu alguma pessoa ali com o Coronel Bezerra. Confira:

Prezado Eliomar de Lima,

A propósito de artigo do sr. Sérgio Novais publicado no seu Blog, temos a informar que o Secretário de Segurança Pública e Defesa Social, Francisco Bezerra, NÃO esteve em Brasília por ocasião do Congresso do PSB como citado no texto. Portanto, NÃO corresponde à verdade o que está narrado no artigo citado.

A última ocasião em que o secretário esteve na Capital Federal foi em 13.10.2011, a fim de participar de reunião com todos os secretários de Segurança dos Estados que sediarão jogos da Copa 2014. A referida reunião aconteceu na Embaixada dos Estados Unidos, e teve como tema principal o intercambio policial na área de atuação das forças de segurança em grandes eventos.

Ademais, o titular da SSPDS reitera que:

1) não tem filiação partidária;

2) NUNCA, em tempo algum, esteve presente a congresso partidário do PSB.

Com atenção,

Henrique Silvestre,

Assessor de Comunicação da SSPDS.

UFC inscreve para residência médica no Ceará

“Estão abertas, até 15 de janeiro, as inscrições para a turma 2012 da Seleção Unificada para Residência Médica do Estado do Ceará (SURCE). Os interessados devem inscrever-se exclusivamente através do endereço eletrônico www.resmedceara.ufc.br. A taxa de inscrição é de R$ 550,00, mas é possível solicitar isenção, nos dias 9 e 10 de janeiro, pelo mesmo site. Serão ofertadas 300 vagas para acesso direto de graduados em Medicina e 148 que exigem pré-requisito (especialização anterior).
Trata-se da primeira edição unificada do processo, viabilizado através de convênio firmado entre as seguintes instituições: Universidade Federal do Ceará, Secretaria de Saúde do Estado do Ceará, Escola de Saúde Pública do Estado do Ceará, Secretaria de Saúde do Município de Fortaleza, Instituto Dr. José Frota, Santa Casa de Misericórdia de Fortaleza, Secretaria de Saúde e Ação Social do Município de Sobral, Faculdade de Medicina de Barbalha, Faculdade de Medicina de Sobral, Santa Casa de Misericórdia de Sobral, Faculdade de Medicina de Juazeiro, Hospital Santo Inácio e Hospital São Lucas, Centro de Treinamento e Desenvolvimento (Cetrede) e Coordenadoria de Concursos da UFC (CCV).
As vagas, disponíveis nas instituições conveniadas e credenciadas pela Comissão Nacional de Residência Medica do Ministério da Educação (CNRM – MEC) serão preenchidas por ordem de desempenho dos candidatos. De acordo com o Prof. Salustiano Gomes de Pinho Pessoa, Coordenador dos Programas de Residência Médica da UFC, a melhoria na formação será uma consequência das transformações no processo seletivo. “Elas tornarão o Ceará uma das referências nacionais em treinamento de médicos”, assegura.
Renan Montenegro Júnior, Coordenador de Ensino e Pesquisa dos Hospitais Universitários da UFC, informa que a proposta se coaduna com as diretrizes dos ministérios e proporciona melhor aproveitamento do candidato em relação às vagas. “Enxergamos como o início de um processo de integração entre os programas de residência onde serviços de diferentes instituições possam cooperar em termos de formação de um mesmo residente”, define.”
SERVIÇO
O edital pode ser acessado no Portal da UFC (www.ufc.br).

(Site da UFC)

TV Fortaleza será captada em canal aberto e digital

118 1

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=fc6juzp9So0&list=UU3PLF5T6g3ddE4BpeF0EhZg&index=4&feature=plcp[/youtube]

A Câmara Municipal de Fortaleza firmou convênio com a TV Câmara e TV Senado que vai garantir a entrada da TV Fortaleza em canal aberto e digital. É o que informa o presidente da Casa, o petista Acrísio Sena.

Setor de confecções do Ceará registra queda nas vendas em 2011

O setor de confecções do Ceará registrou queda de 5% nas vendas e ainda anotou 12% de queda na produção em 2011. A informação é do presidente do SindConfecções, Marcus Venícius Rocha Silva, acrescentando que esses resultados têm como responsáveis, entre outros aspectos, a concorrência desleal com os importados e o aumento da informalidade principalmente em Fortaleza.

Em dezembro último, conforme o líder sindical, o saldo também não foi positivo por conta do Natal. Normalmente, o setor ficava entre os três que mais vendiam, tendo alcançado em 2010 o primeiro. No último Natal, ficou em quarto lugar.

(Vertical / O POVO)

Prefeitura fecha turmas do sexto ao nono ano em várias escolas. Professores protestam

148 1
A Prefeitura de Fortazleza está fechando turmas de sexto ao nono ano de ensino fundamental em várias escolas da rede municipal. A denúncia é feita pro vários professores. Eles avaliam que a medida vai de encontro à Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB). O ensino fundamental é atribuição das prefeituras
Em consequência disso, alunos terão que se deslocar para escolas de outros bairros e os professores ficarão sem turmas para ensinar,. tendo também que ser deslocados par alonge de casa quando requisitados.
Essa situação ocorreu nas escolas José Alcides Pinto, Antonieta Cals e Valdevino de Carvalho.

Prefeito de Granja manda nota para Blog dando sua versão sobre “Show de Prêmios”

120 1

Do prefeito de Granja, Esmerino Arruda, recebemos nota esclarecendo o caso da distribuição de um calendário que dá direito a cupom num show de prêmios que inclui garrote, liquidificador e outras prendas. Confira:

Caro jornalista Eliomar de Lima,

A cerca da nota publicada em seu Blog , gostaria de dar os seguintes esclarecimentos como direito de resposta dado que seu espaço, como é de muita repercussão, fomentou notas em vários outros blogs aqui do Ceará.

Diferentemente do que a nota sugere,  não é a primeira vez que isso acontece. A mais de 30 anos que faço distribuições de presentes no município de Granja. Como proprietário da RENTV S.A., empresa por onde já passaram mais de 150 mil equipamentos eletro-eletronicos, SEMPRE,  voltei para os meus conterrâneos nessa época do ano, mesmo quando estava morando no Rio de Janeiro onde se localiza a sede desta Cia. que tem atuação nacional. Portanto, muito antes  de ser o Prefeito da minha terra natal.

O Site Camocim Online, que serviu de fonte para sua postagem, é bem conhecido aqui na Zona Norte por dar notas e informações (nem sempre verídicas) que agradem ao deputado estadual Sergio Aguiar (PSB), que é votado pelos meus opositores no município de Granja. Prova disso é que o meu adversário fez uma distribuição de presentes  em sua casa e  em varias localidades as vesperas do natal, com  distribuição, TAMBEM, de calendários,  usou ate (Pasme !) a Igreja para fazer um “Show de Premios“ nos festejos de Santa Luzia em dezembro, e em momento algum o Site Camocim Online fez qualquer menção de estar ocorrendo uma possível  “propaganda antecipada”, como indagou no meu caso.

Portanto, tenhamos muito cuidado com o que sai neste site pois ele só enxerga o que lhe interessa.

Eu, como empresário,  posso explicar da onde vem os prêmios que dou ao longo de todos esses anos. Já não sei o mesmo do meu adversário, cujos únicos empregos que teve na vida foram no IBAMA e na SEMACE onde o seu maior salário não passava de 3 mil reais e que só veio  vivenciar a nossa cidade depois de deixar a superintendência desta ultima no governo Lucio, se candidatando  em 2008 a prefeito  numa campanha em que desfilava de helicóptero, carrões importados e ( quem não se lembra ?) entrando negativamente pra historia da política cearense como o candidato que mesmo sendo do PPS (partido de oposição ao Lula), falsificou a voz do popular ex-presidente , para ludibriar o povo humilde de Granja, fato que teve repercussão na midia nacional.

Finalizo dizendo que, mesmo sendo possível, não serei candidato a reeleição em 2012.

Um abraço e sempre a disposição,

* Esmerino Arruda,

Prefeito de Granja.

DETALHE – Sobre seu nome citado na resposta de Esmerino, o sobrinho, Romeu Aldigueri não quis se manifestar, segundo sua assessoria.

Capitão Wagner candidato a prefeito? Há um tempo pra tudo

129 12

Com o título “Capitão Wagner: primeiras impressões”, eis artigo do publicitário e poeta Ricardo Alcântara. Para ele, uma liderança forte, que precisa amadurecer mais ainda. O articulista vê como uma espécie de “aborto” tentativas de lançá-lo a uma disputa pela Prefeitura de Fortaleza. Confira:

Por acaso, alguns meses atrás, conheci o capitão Wagner, bem antes da deflagração do movimento grevista dos policiais militares. Por me ter sido apresentado como suplente de deputado, me motivei ao diálogo.

Nele, logo chamou atenção uma discrepância entre a aparência, muito jovem, e sua expressão amadurecida: nas marcas precoces da decepção, uma severidade incomum. Não o vi sorrindo e não acho isso um bom sinal.

Da sacrificada vida de policial, falou com amargura, mas serenidade. Notei que ali estava um forte: seu relato cumpria um discurso objetivo demais para a carga de repercussões subjetivas que incidiam sobre o problema.

Sobre aquilo, me pareceu alguém mais motivado pela determinação do combate do que pela revolta. Tinha jeito de cabrito bom, desses que só berram na hora certa. Mas não sorria (não é bom sinal).

Percebi nele uma característica típica das pessoas com perfil de liderança: estava convencido de que os problemas o afetavam menos do que à maioria de seus colegas. Havia desistido de reclamar na primeira pessoa do singular.

Logo, quando estourou a greve, não me surpreendi nada, ao saber que aquele rapaz era o mesmo capitão Wagner que despontava então como líder do movimento dos policiais: o perfil já estava escrito na sua expressão.

Agora, fico sabendo pelos jornais que há uma movimentação partidária para fazê-lo candidato a prefeito. Trata-se de um equívoco. Reduz uma liderança social ainda emergente à dimensão mais restrita de um projeto eleitoral.

Não é um parto. É um aborto, a tentativa de capitalizar para os projetos de poder de um grupo político específico o potencial de uma liderança forjada nos momentos dramáticos tão recentes de uma crise social com aquela dimensão.

O capitão Wagner é militante partidário e tem todo o direito de alimentar aspirações dessa ordem. Mas deveria, antes, ampliar seu potencial de representação social para outros segmentos. Afinal, há tempo para tudo.

O oportunismo o diminuiria, capitão. Se pretende mesmo crescer como uma nova referência, observe: os ventos estão mudando de direção. Faça o novo de um jeito novo. E sorria. Afinal, você venceu.

* Ricardo Alcântara

Publicitário e poeta.

Eunício já tem nome cotado para presidir o Senado

118 4

Essa é da Revista IstoÉ desta semana:

Em dezembro, a bancada do PMDB no Senado fez ao menos cinco reuniões para discutir a sucessão na presidência da casa. Por contar com a maior bancada, o PMDB tem direito à cadeira de presidente do Senado.

Ocupando a presidência do Senado pela quarta vez, José Sarney (PMDB-AP) naturalmente conduzirá a própria sucessão. Ele preferia ser sucedido pelo líder Renan Calheiros (AL), mas tem enfrentado resistências dentro do próprio partido. Alguns colegas, que também estão de olho no cargo, alegam que o senador alagoano teve sua chance na legislatura passada, quando acabou renunciando em meio a um grande escândalo de corrupção.

Dentre os nomes cotados para a disputa está o nome do senador cearense Eunício Oliveira, presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), principal colegiado do Senado. Correndo por fora também estão os nomes dos senadores Eduardo Braga (AM) e Vital do Rêgo (PB). O PT, por seu lado, aproveita a guerra e anuncia que estuda lançar a candidatura da senadora Marta Suplicy (SP), recompensando-a pela saída da disputa para a Prefeitura de São Paulo.

A quem serve o secretário de Segurança Pública do Estado, indaga o socialista Sérgio Novais

273 14

Com o título “A quem serve o Secretário de Segurança do Estado?”, eis artigo de Sérgio Novais, militante do PSB que presidiu, até bem pouco tempo, o PSB de Fortaleza, que é o partido presidido no Estado pelo governador Cid Gomes.

Já tivemos no Ceará secretários de segurança gabaritados, alguns inclusive, intelectuais da área de segurança, que usavam a forca do diálogo, ao invés da forca bruta (o estilo “pé de boi”).
O atual secretário de segurança, infelizmente, já mostrou seu cartão de visitas a nós, socialistas, quando, há cerca de 30 dias, estávamos no XII Congresso Nacional do PSB, em Brasília, e ele tentou coagir nossos militantes que, em pleno exercício da democracia partidária – entregavam jornais aos demais militantes do País contando como o Ceará vem sendo governado pelo Ferreira Gomes e sua gestão hostil contra os professores, o golpe partidário e outras mazelas. O secretário então abordou um de nossos militantes, buscando claramente intimidá-lo, acusando-o de estar promovendo uma palhaçada. Corajosamente, nossos militantes não se acuaram.

O que fazia este secretário no congresso? Qual era o seu papel naquele momento? Deveria ele estar atrás do séquito do governador, tornando-se seu guarda costas, ou estar preocupado com a segurança do Estado?

O secretário se apequenou, como bem disse esta semana o jornalista Érico Firmo em sua coluna, referindo-se ao momento atual. Vemos na recente greve dos policiais militares e bombeiros do Ceará a falta que faz um líder. Um secretário de segurança para liderar uma categoria tão extensa, com mais de 12.000 profissionais, precisa acima de tudo ser respeitada pela categoria e compreender o importante papel que seus comandados representam para a vida em sociedade. Sem estas premissas, ele não consegue ser o interlocutor da categoria com o governante do Estado.

O governante, por sua vez, se comporta como um menino mimado, conforme palavras do jornalista Wanderley Pereira publicadas em artigo recente, dando a impressão de abandonar a sociedade cearense a sua própria sorte. Os municípios de Fortaleza, região metropolitana e de Norte ao Sul do Ceará viveram a ausência do Estado, cada um a seu modo tentando se proteger do caos e, em alguns casos extremos, fazendo a justiça com as próprias mãos.

Sergio Novais,

Ex-deputado federal e do PSB.

Presidente nacional da CUFA entra no debate sobre segurança no Ceará

131 3

Com o título “Segurança: A oportunidade de uma grande reforma”, eis título de artigo que o presidente nacional da Central Única de Favelas (CUFA), Preto Zezé, manda para o Blog. Mais uma contribuição ao debate. Confira:

Aproveito o espaço privilegiado desse conceituado blog, num momento em que está em evidência o tema segurança pública, para compartilhar alguns pontos que julgo fundamentais para esse novo cenário, a partir de um olhar de quem necessita da segurança pública, como política sistêmica e articulada com as politicas sociais, forjada através do protagonismo dos operadores da segurança em parceira com a sociedade e o estado.

Venho acompanhando há alguns anos, no Brasil e, especificamente, no nosso estado as contradições e os problemas, mas também, os potenciais e boas iniciativas na política de segurança pública. Ao meu ver, passamos por um momento especial e único, onde agregamos elementos para realizar avanços significativos e promover a Segurança Pública do Ceará como referência para o país. Esta complexa política pública tem sido pauta permanente da sociedade, da mídia, das organizações sociais, dos formadores de opinião, dos empresários, do governo e dos próprios operadores da segurança pública. Para avançarmos nesta análise é preciso fazer algumas pontuações:

1.     Primeiro, é necessário reconhecer que nos últimos 5 anos, está em curso um processo de reforma na segurança pública do Brasil, em particular, no Ceará. Mesmo com muito a fazer, foram significativos os investimentos em estrutura, formação e efetivo. E agora, após as conquistas da categoria, será uma das melhores remunerações com carga horária condizente e uma safra de jovens policiais com pensamento maduro e avançado. Um quadro positivo na corporação que pavimenta o caminho para que essa reforma ganhe cada vez mais corpo e gere resultados.

2.     Do ponto de vista do controle social, é fundamental a implantação de fóruns tripartites compostos por policiais, governo e organizações da sociedade civil, para acompanhar, fiscalizar e formular ações na área da segurança pública. Para que esta reforma avance, precisamos que estado, sociedade e os operadores da segurança efetivem alguns acordos e pactos que possamos vencer algumas questões que nos desafiam, como por exemplo, os mais altos índices de execuções extrajudiciais, na sua maioria, de jovens. Para tal, o diálogo entre os entes envolvidos é fundamental, a exemplo do Conselho Comunitário de Segurança e Desenvolvimento Social – CCDS do bairro Antônio Bezerra que promove várias ações articuladas e tem como resultado benefícios para comunidade através da integração de políticas sociais, ações da polícia e a participação permanente da comunidade. Este modelo inaugurou uma novo paradigma do fazer segurança pública, para além da mera repressão policial.

3.     As corregedorias independentes, são necessárias e urgentes, dado os altos números de violências cometidas principalmente contra os jovens das periferias, que viraram práticas corriqueiras e reincidentes, devido a impunidade e ausência dos mecanismos de controle da atividade policial. É ilusório pensar que a policia é violenta por vontade própria, a sociedade clama e legitima a cultura da violência, isso dos mais ricos aos mais pobres, basta ver as pesquisas sobre pena de morte, redução de idade penal, prisão perpétua ou mais recentemente, os casos de linchamento com requintes de frieza e crueldade executados por “cidadãos de bem” em Fortaleza.

4.     Visibilidade das ações positivas, que hoje já são desenvolvidas por policiais e comunidade tem tido efeito na redução dos índices de criminalidade, prevenindo a violência antes que ela ocorra. Seria muito interessante, um programa na TV Pública realizado pela comunidade e os operadores da segurança. Isso fortaleceria, esse novo paradigma e desmistificaria a falsa ideia de “policial super homem”, vendida pelos programas policiais que, na maioria das vezes, estimula o desrespeito aos direitos constitucionais e a ilegalidade, fortalecendo a prática equivocada da repressão policial como solução para a diversidade de problemas sociais que em sua maioria, seriam problemas de outra ordem. Esta visão termina por construir, principalmente nas favelas e periferias, uma relação contraditória, de necessidade e desconfiança, proteção e descrédito, já que projeta a repressão como representação maior da presença do estado.

5.     A mídia tem papel fundamental no processo pedagógico e cultural de superação dessa cultura da violência, na produção de conteúdos positivos, não sensacionalistas e de respeito aos direitos humanos, desconstruindo estigmas e preconceitos de parte a parte. Nesse caso, estado e empresas de comunicação, devem estabelecer acordos como fazem com as novelas, classificando as abordagens televisivas que contenham conteúdos violentos, pois é inaceitável que o medo, o sangue e a violência na quinta economia mundial, ainda sejam mercadorias para alcançar audiência.

6.     As delegacias poderiam ser espaços de mediação junto as comunidades para evitar a judicialização de casos banais, onde a cultura da mediação de conflitos pudesse ser incorporada pela sociedade, desafogando a atividade policial para outras demandas mais urgentes.

7.     Umas das iniciativas que poderia nos inspirar é o Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania – Pronasci que buscou combinar experiências prevenção, repressão, inteligência, política social, integração e participação da sociedade. Buscando em cada território, praticar uma segurança pública dentro da legalidade, valorizando o trabalhador da segurança, o respeito à vida e aos direitos constitucionais, obtendo sucesso ao articular segurança e com outras politicas públicas.

A policia é parte da sociedade, a segurança real é a que está nas ruas e comunidades, assim, temos que nos perceber parte do processo, pois governo nenhum sozinho, conseguirá avançar e mudar concepções e práticas sem a participação da sociedade. A realidade social se encarregou de nos colocar um novo clima institucional, social e político para a segurança pública. Sejamos otimistas e ousados para a partir do Ceará, construir um novo referencial de segurança para além da munição, efetivo policial e viatura, uma política pública que tenha o respeito e não o temor como referência, e a preservação da vida como seu princípio fundamental.

Umas das iniciativas que poderia nos inspirar é o Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania – Pronasci que buscou combinar experiências prevenção, repressão, inteligência, política social, integração e participação da sociedade. Buscando em cada território, praticar uma segurança pública dentro da legalidade, valorizando o trabalhador da segurança, o respeito à vida e aos direitos constitucionais, obtendo sucesso ao articular segurança e com outras politicas públicas.

O ambiente nunca foi tão propicio, as mudanças estão em curso, novos paradigmas estão a mesa para serem experimentados, velhos conceitos caminham cada vez mais rápido para a superação, pois nem sociedade nem os próprios operadores da segurança pública suportam mais do mesmo, essa parceria é fundamental e está a nossa disposição. O futuro chegou! Mãos a obra!

Preto Zezé, presidente nacional da Central Única de Favelas (CUFA)

Porto do Pecém lidera exportação de frutas e de calçados no País

“O ano de 2011 foi extremamente positivo na movimentação de exportação e importação do Porto do Pecém, com elevação positiva de 5% na movimentação de cargas e de 17% no faturamento. Em 2011 foram movimentadas 3,36 milhões de toneladas (t), enquanto que em 2010 esta movimentação foi de 3,21 toneladas. Esta grande movimentação registrou um aumento de 17% no faturamento da Cearáportos, empresa que administra o Porto do Pecém, no período de janeiro a dezembro do ano recém-findo. As exportações contribuíram com a movimentação de 989,66 mil t, enquanto nas importações foram registradas 2,37 milhões de toneladas movimentadas, com aumento de 2% no transporte de longo curso e de 15% no de cabotagem.

A movimentação de contêineres registrou variação positiva de 19%, com 101 mil TEUS exportados e 98 mil TEUS movimentados nas importações. As frutas contribuíram com a exportação de 306 mil t e os minérios com 214 mil, enquanto a maior movimentação nas importações ficou por conta do ferro fundido, ferro e aço com 618 mil t seguidos dos combustíveis minerais, com 615 mil toneladas.

Ranking

O Porto do Pecém, segundo dados da Secex – Secretaria de Comércio Exterior do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio permanece como líder na exportação de frutas entre todos os portos brasileiros, com participação de 47%, seguido pelos portos de Santos (13%) e Parnamirim, com 11%. O porto cearense lidera também a exportação de calçados, juntamente com o porto de Rio Grande, com percentual de 30% cada um.

Nas importações de ferro fundido, ferro e aço o Pecém é o terceiro colocado, com 17% de participação, com o porto de São Francisco do Sul em primeiro com 24 e o de Santos em segundo com 18%. O porto de Suape continua líder na importação de algodão, com 31% de participação, seguido pelo Pecém, com 24%.”

(Site do Governo do Ceará)

Defensoria Pública manda nota para Blog acerca de prisões em flagrante e orientando sobre boletins de ocorrência

109 2

A Defensoria Pública-Geral do Estado do Ceará mandou nota para o Blog abordando o caso da falta de comunicações de prisões em flagrante, em razão da greve dos policiais civis. Confira:

A Defensoria Pública Geral do Estado, através do Núcleo de Assistência aos Presos Provisórios e às Vítimas de Violência (NUAPP), setor responsável por receber e analisar as comunicações de prisões em flagrante, bem como promover assistência jurídica integral aos presos provisórios, às vítimas de violência e aos familiares de ambos, vem registrando, nos últimos dias, preocupante decréscimo no número de comunicações, além do relato de dificuldade para realizar Boletins de Ocorrência por parte da população, em razão da greve deflagrada pelos Policiais Civis.

Assim, vem a público informar que:
1 – os familiares dos presos provisórios devem procurar o NUAPP na Av. Virgílio Távora, n. 2184, Aldeota (esquina com a rua Beni Carvalho), de segunda a sexta-feira, no horário comercial, para atendimento e ajuizamento das medidas que se fizerem necessárias;
2 – os cidadãos que necessitarem registrar Boletins de Ocorrência nos casos de furto, extravio e desaparecimento de pessoas poderão fazê-lo por meio da internet no sítio eletrônico http://www.sspds.ce.gov.br/beo/;
3 – A Defensoria Pública Geral do Estado está acompanhando a paralisação dos Policiais Civis, juntamente com outras entidades, a fim de funcionar como mediadora e observadora para a pronta solução do impasse, com resguardo da população direta e indiretamente atingida.
Andréa Maria Alves Coelho
Defensora Pública-Geral do Estado do Ceará

Escrivães concursados cobram convocação

109 2

De um grupo de escrivães aprovados em concurso público do Governo do Estado, recebemos a seguinte nota:

Caro Eliomar de Lima,
Somos um grupo de quase 230 pessoas. Fizemos o concurso de escrivão de Polícia Civil do Estado do Ceará. O concurso iniciou-se em 2006 e somente alguns tomaram posse em abril de 2009. De abril de 2009 até hoje, somente recebemos desprezo do governo estadual. E assistindo agora esta caótica crise na segurança pública, vivida por nós nestes últimos dias,
e acompanhando as negociações para o encerramento da greve na Polícia Civil, concluimos:
NEM O GOVERNO SUGERE NOSSA NOMEAÇÃO PARA SATISFAZER A SOCIEDADE QUE SE ENCONTRA PREJUDICADA,
NEM O SINDICATO NOS DEFENDE REQUISITANDO MAIS ESCRIVÃES PARA O SERVIÇO PÚBLICO MELHORAR, POIS A PAUTA ENVIADA AO GOVERNO SOMENTE FALA DE SALÁRIO.
AGORA, supçicamos que publique afirmando que nós existimos, pois nem Governo nem sindicato estão interessados em melhorar a segurança pública. Estão apenas pensando em seus interesses particulares, prejudicando a tão já sofrida sociedade cearense.
MUITO OBRIGADO. ESPERO QUE ESTE E-MAIL TOQUE SEU CORAÇÃO, POIS FOI ESCRITO COM TODA SINCERIDADE POSSÍVEL,
E QUE A JUSTIÇA SEJA FEITA.
UM ABRAÇO DE SEU LEITOR.

Comissão de Escrivães Concursados.

Um ato religioso em favor dos policiais civis em greve

113 2

Neste sábado, na Praça dos Voluntários (Centro), reuniu policiais civis em grevel em um ato ecumênico. Orações por melhores condições de trabalho, de salário e de vida predominaram. O padre Haroldo Coelho e o padre ortodoxo grego Constantino realizaram uma celebração em favor dos trabalhadores que buscam justiça social. Houve pregação por respeito e dignidade.

Também, orações para que o governador Cid Gomes se sensibilize e acolha as reivindicações da categoria, em greve desde a última quarta-feira.

Presidente do Sindiônibus e um desabafo pós-greve

166 5

O presidente do Sindiônibus, Dimas Barreira, manda artigo para o Blog comentando ações que, setgundo ele, tentaram prejudicar a oerta do serviço público de transporte quando da recente greve dos policiais e bombeiros militares. Confira:

TRANSPORTE COLETIVO E A VIDA DOS CIDADÃOS

Cearenses respiram aliviados ao ver o funcionamento do sistema público de segurança, o que permite o retorno das pessoas às atividades.

A greve da polícia tocou todo cearense, de qualquer extrato demográfico possível, dos líderes e formadores de opinião aos mais conformados e tímidos cidadãos. Escancarou a imperatividade da operação deste serviço público essencial.

Sem entrar nas razões da querela entre o Estado e os cabeças do movimento paredista da Polícia Militar, aproveito o contexto para citar outro serviço essencial, o transporte público coletivo. Covardemente, os ônibus têm sido alvo de diversos movimentos sociais e políticos na busca de ampliar o impacto na vida da população para forçar governos ou partes contrárias a cuidar rapidamente dos problemas individuais de uma classe ou grupo de afinidade política.

É um duro golpe em muitas pessoas com poucas opções de deslocamento, já sofridas pela falta de espaços no trânsito que priorizem o coletivo em relação ao individual, tornando um “sortudo” num automóvel mais rápido que um ônibus com dezenas de cidadãos.

Trata-se de serviço público essencial, que permite o funcionamento da vida urbana em seus diversos encontros. Motor da economia, ônibus levam as pessoas para produzir e consumir. Ainda, leva pessoas a tratamentos de saúde, estudos, lazer, oportunidades de trabalho que podem ser perdidas para sempre. Toda a cidade é cliente do sistema de transporte coletivo, não somente os passageiros ou os governos que o contratam.

Não há causa tão nobre que permita a alguém causar tamanhos danos a outros por seu próprio interesse, assim como não é permitido a ninguém impedir alguém de exercer seu direito constitucional de ir e vir, dentre outros vários crimes e infrações que podem acompanhar tais ações, como costumeiramente se vê vandalismo, perturbações da ordem e violações grosseiras à lei de greve.

Sem a polícia como instrumento de defesa da sociedade, a população reagiu instintivamente, enxotando quem tentava vandalizar os ônibus para sua paralisação sem se preocupar com as necessidades de deslocamento de quem estava nestes veículos, terminais e pontos da cidade. Uma atitude desumana que não considerava se outros precisavam urgentemente tratar sua saúde, atender a um compromisso ou simplesmente descansar depois de trabalho exaustivo.

Algumas pessoas ainda têm a coragem de julgar seus problemas mais importantes que os dos outros. A política “Farinha pouca, meu pirão primeiro” não serve à sociedade atual.

Quando todas as pessoas passarem a reconhecer a importância do transporte coletivo, especialmente nos dias de hoje, com cidades travando e problemas seríssimos de poluição e esgotamento de recursos, certamente avançaremos mais rápido para uma sociedade mais próspera, humana e respeitosa.

Mobilidade é vida!

Dimas Barreira,

Presidente do Sindiônibus.

Prefeito de Granja faz festa no Dia de Reis oferecendo até garrote como prêmio

310 5

Que o prefeito de Granja, Esmerino Arruda (PSD), é uma figura política polêmica, disso todo mundo sabe, mas agora realmente ele se superou, segundo informação do site Camocim Online.

Quem quiser um calendário para contar os dias de sofrimento em Granja, diante da inércia do poder público, basta pedir um ao prefeito. Nele, além dos meses e dias do ano, o granjense terá a chance de ganhar um prêmio.

Quer dizer: usando o calendário como pretexto, o prefeito de Granja lançou o “Show de Prêmios do Vovô”. Nesse show, o cidadão poderá concorrer, utilizando um cupom que vem anexo ao calendário, aos seguintes prêmios: garrotes, bicicletas, televisores, liquidificadores, ventiladores, rádios, redes e relógios.

O festão de prêmios ocorrerá neste sábado, na sede do município e em todos os distritos de Granja, em comemoração do Dia de Reis. 

Propaganda antecipada?

Pelo respeito à Democracia acima de tudo

170 9

Com o título “Contra o legalismo histérico”, eis artigo do publicitário e poeta Ricardo Alcântara. Ele aborda o caso da greve dos policiais e bombeiros militares, observando que, ao final, quem perdeu com tudo foi a sociedade. Confira: 

Como o três de janeiro demonstrou, a força armada é o último recurso da ordem de Estado. Somente em raras circunstâncias é possível assimilar como ato democrático a ocupação de quartéis por servidores armados.

Que os policiais tenham obtido êxito em suas reivindicações é socialmente justo. Que o tenham conquistado pela forma adotada, é uma derrota não só para o governo, mas para os fatores da ordem. Quem perde? A sociedade.

Contudo, a compreensão da gravidade institucional de uma greve de policiais não nos obriga a aderir a um legalismo histérico. Cedo aprendi que a lei é apenas uma parte do Direito (parte importante, mas parte, apenas).

A Democracia não pode ser compreendida apenas como o cumprimento da lei acordada pela nação na expressão de sua maioria. Seria dialético dizer que a Democracia acontece, de fato, é quando as leis podem ser cumpridas.

Que tipo de ordem – um estado de equilíbrio no entendimento comum sobre direitos e deveres – pode subsistir, quando apoiada em regras que não podem ser cumpridas sem prejuízo das necessidades básicas dos cidadãos?

A lei é como uma pele fina que reveste um corpo: o princípio de justiça. Quando este é ferido, a pele fina da lei é a primeira que se rompe. Uma lei que não pode assegurar justiça já não pode nada.

Greve de policiais é inconstitucional? A fome, segundo o artigo terceiro, também é. Isto justificaria, em momento excepcional de desespero, o saque aos armazéns públicos de alimentos? Talvez. Veja como o legalismo é frágil!

Se uma lei afirma que policiais não podem fazer greves, pois sua missão institucional é intrínseca à pertinência da própria autoridade, ela também induz o Estado à grave responsabilidade de considerá-los como tal.

Justo por não terem sindicato, nem direito à greve é que a corporação militar precisa de diálogo permanente com os governos. Vivo na legalidade, mas o que defendo é a Democracia, o acento firme da legitimidade.

* Ricardo Alcântara,

Publicitário e poeta.