Blog do Eliomar

Categorias para Ceará

Uma campanha contra carro de som e muro pintado

“O presidente da Câmara Municipal, Acrísio Sena (PT), já definiu uma prioridade da Casa para 2012. Como o ano será de eleições, vai realizar seminários com todos os vereadores e dirigentes partidários para acertar um pacto contra a poluição sonora e visual da cidade.

“Percebemos que sempre o TRE procura agir contra esses abusos, mas, às vezes, falta o engajamento. Queremos diferente: realizar encontros com os segmentos que atuam na área eleitoral, envolver todos contra o uso do carro de som e das pinturas em muros”, diz. Baseado em pesquisas.

Acrísio afirma que esse tipo de propaganda não empolga e se transforma em instrumento de perturbação ou propaganda contra o candidato. “A ordem é deixar Fortaleza livre da poluição eleitoral e investirmos nas redes sociais”. Em janeiro, será formatada essa estratégia.”

(Coluna Vertical, do O POVO)

Maia Júnior – Sobram projetos de poder e faltam discussões sobre o futuro de Fortaleza

Com o título “As estratégias banais e a arte de fazer escolhas”, eis artigo assinado pelo ex-vice-governador Maia Júnior publicado nesta segunda-feira no O POVO. Ele faz uma reflexão sobre eleições e as escolhas de nomes feitas por partidos e o futuro de Fortaleza. Cobra projetos. Confira: 

Gosto do seguinte pensamento: “Destino não é uma questão de sorte, mas de escolha”. Numa primeira leitura, essa frase nos remete às escolhas pessoais. Mas eu gostaria de ressaltar outro aspecto: como decisões aparentemente individuais podem mudar o perfil de uma cidade ou o futuro de uma nação. E destacar quão pouca importância estamos dando a essa questão tão sensível.

Na política, a banalização em relação às “escolhas” tem nos conduzido a situações absurdas como ocorre em Brasília – com a troca quase mensal de ministros da República por fatos relacionado à corrupção. E no momento em que nos aproximamos das eleições municipais de 2012 preocupa sobremaneira o comportamento dos partidos em relação às escolha de seus candidatos.

Os partidos não estão em busca das pessoas mais aptas a administrar as cidades. Procuram alguém que sirva de escada para um projeto de poder. Nesse processo, o que importa é que essas pessoas atraiam votos. O que fazer com os destinos das cidades fica para depois.

Todos os partidos têm na ponta da língua estratégias para alcançar o poder, mas pouquíssimos políticos se preocupam com estratégias de gestão. Nos últimos anos, os resultados das urnas indicam que a tônica tem sido a eleição de candidatos embalados em vistosos projetos de marketing ou de políticos que apelam para o viés ideológico.

Quem apela para o discurso ideológico geralmente promete “revoluções”. Mas quem vive nas cidades precisa de coisas funcionais: saneamento básico, ruas limpas, praças bem cuidadas, áreas de lazer seguras, transporte público eficiente, saúde acessível, educação…

O que a maioria das pessoas realmente almeja não é uma “revolução”, mas sim soluções para os problemas cotidianos; o que muita gente quer é ter o prazer de poder andar a pé nas ruas em paz; ter a certeza de que o filho vai e volta da escola sem ser molestado; contar com atendimento de qualidade quando precisar do serviço público.

Sobram projetos de poder e faltam discussões sobre o futuro das cidades e das necessidades reais. E é preciso alterar essa dinâmica, porque com esta postura complacente estamos legando para as futuras gerações ambientes muito aquém do que é possível construir.

Para reverter isso é preciso ter a coragem de questionar as lideranças políticas que se apresentem nas próximas eleições. Indagar qual o projeto efetivo que o partido delas tem; e perguntar com base em quais estudos e experiências esse projeto foi consolidado. Fazer escolhas sem clareza é dar um tiro no pé – com o agravante de que toda a sociedade vai ser solidária na dor.

* Francisco de Queiróz Maia Júnior, engenheiro-civil, administrador de empresas, ex-secretário da Infraestrutura, do Planejamento, ex-vice-governador do Estado do Ceará e filiado ao PSDB.

Fortaleza ganhará Circuito de Turismo Religioso

 

Na próxima quarta-feira, às 19 horas, com show do padre Antônio Maria, no Conjunto Polar, será lançado o “Circuito de Turismo Religioso”.

O objetivo é dar ao cearense e ao turista, principalmente, opção para conhecer monumentos e templos religiosos da cidade. A iniciativa é uma parceria da Prefeitura e Arquidiocese, que darão detalhes quando do lançamento.

Estado assume obras do Anel Viário de Fortaleza

O governador Cid Gomes assinou, na manhã desta segunda-feira, no Palácio da Abolição, com o Dnit o termo de compromisso para conclusão das obras de duplicação do Anel Viário de Fortaleza.

O valor envolvido é de R$ 204 milhões, segundo o Dnit, que concedeu ao Estado a permissão para tocar a obra.

O início dos trabalhos foi marcado para a primeira quinzena de janeiro e término no dia 31 de dezembro de 2015.

São 32 quilômetros de obra, começando pela CE-040 (Eusébio), seguindo até a BR -020, passando pela BR-116, CE-060 e CE-065, indo até a avenida Mister Hull.

Quem perderia com rompimento: Cid ou Luizianne?

106 2

Com o titulo “Para onde iriamos aliados, eis tópico da Coluna Política, do O POVO, assinada, nesta segunda-feira, pelo jornalista Erivaldo Carvalho. Ele avalia que, em caso de rompimento Cid-Luizianne, a prefeita é quem mais perde. Será? 

Enquanto a novela da aliança PT-PSB não se desenrola, aliados de ambos os lados fazem as contas e apostas sobre o destino de outros partidos, na hipótese de um rompimento político entre a prefeita de Fortaleza, Luizianne Lins, e o governador Cid Gomes.

Em reta final de gestão, a caneta começa a secar. A força política de outrora dá sinais de fraqueza. Por essa leitura, a prefeita teria mais a perder.

Em um cenário de disputa, grupos como o PCdoB, que já admite lançar candidato à prefeitura da Capital, ficaria ainda mais convencido disso.

Já o PMDB, certamente, seguiria o governador, apesar do barulho que vem fazendo o deputado Danilo Forte, que defende candidatura própria. Motivos não faltariam para o PMDB ficar no palanque do PSB.

Entre eles, o fato de o partido já está na vice-governadoria, com Domingo Filho, e as pretensões do líder maior do partido no Ceará, senador Eunício Oliveira, de chegar ao Palácio da Abolição, daqui a três anos. E, com a estrutura de campanha de que dispõem e a capilaridade que têm, o peemedebistas podem fazer a diferença.

Socorro França – Entre os sonhos e a história

867 3

A maranhense, de São Luis, Maria do Socorro França Pinto, caminha para concluir o quinto ciclo como Procuradora-geral de Justiça. Em pouco mais de dois anos, compulsoriamente, deixa o Ministério Publico por chegar à idade-limite de 70 anos. Faz questão de esclarecer, porém, que não é a “vida pública” que estará deixando.

Numa conversa de pouco mais de uma hora com O POVO, no começo da tarde da última terça-feira, dia 13, ela repassou os fatos mais marcantes de sua vida, lembrou do começo difícil no Ministério Público, lá em Alto Santo, até chegar ao posto mais alto da instituição. Por cinco vezes.

Socorro França já se diz preparada para uma nova luta, assim que a aposentadoria chegar. Vai se dedicar à luta de apoio aos “drogaditos”, como chama, a partir da constatação de que a política de combate aos traficantes, no Brasil, fracassou.

* Confira os trechos principais da entrevista da procuradora aqui.

Jurista Paulo Bonavides lança a Revista Latino-Americana de Estudos Constitucionais

209 1

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=abUIbckZb6g&list=UU3PLF5T6g3ddE4BpeF0EhZg&index=1&feature=plcp[/youtube]

Lançada nesta manhã de segunda-feira, na sala da presidência do O POVO, a 12ª edição da Revista Latino-Americana de Estudos Constitucionais. A publicação, de Edições Demócrito Rocha, tem a direção do jurista Paulo Bonavides.

A solenidade, prestigiada por advogados e desembargadores como Fernando Ximenes e Rômulo de Deus, além de professores, jornalistas e educadores, foi aberta por Dummar Neto, vice-presidente do Grupo de Comunicação O POVO. Ele destacou a parceria com o jurista Paulo Bonavides para o resgate de uma publicação que chega como importante ingrediente para o debate sobre temas constitucionais na América Latina, mas com repercussões em outras áreas domundo.

SERVIÇO 

A Revista Latino-Americana de Estudos Constitucionais já està à venda na lojinha da Fundação Demócrito Rocha, na sede do O POVO, na avenida Aguanambi, 282 – Joaquim Távora. Ao preço de R$ 91,00.

IAB/CE em clima de eleição

O Instituto dos Arquitetos do Brasil, regional do Ceará, elege, nesta segunda-feira, sua nova diretoria para o biênio 2012-2013. Não haverá surpresas. O atual presidente, Odílio Almeida, encabeça chapa única e emplacara assim novo mandato.

Os arquitetos associados ao IAB-CE devem comparecer à sede do IAB/CE, situada na Avenida Carapinima, 2425, no bairro Benfica para votar. O pleito começa às 9 horas e vai até as 20 horas.

OAB-CE vai implantar duas novas subseções

A Ordem dos Aadvogados do Brasil, regional do Ceará, definiu uma prioridade para 2012: Implantar mais duas subseções – uma em Tauá (Região dos Inhmuns) e outra na Região Metropolitana de Fortaleza, podendo ser em Caucaia ou Maracanaú.

A informação é do presidente da Ordem, Valdetário Monteiro, explicando que o objetivo é ampliar o atendimento e apoio ao advogados.

Sobre reeleição para o cargo de presidente da OAB, Valdetário evita comentar. Para ele, a prioridade é tocar a gestão, já que o pleito só ocorrerá mesmo no mês de novembro. “É cedo para falarmos de eleição. Temos que priorizar a gestão”, diz ele para o Blog.

Ceia de Natal com preços 15% mais caros

“A tradicional ceia de natal está mais cara este ano. As carnes típicas do período, como tender, peru, chester, pernil e frango, estão com preços elevados. No caso das aves, os valores estão até 15% mais altos. O principal motivo é a elevação do preço do milho, refletindo na produção, informam os próprios fabricantes.

Já parte dos consumidores de Fortaleza tem opiniões diferenciadas sobre os preços, mas sobressai a de que estão mais caros. Além disso, em janeiro, houve mudança no recolhimento de impostos na cadeia de aves e suínos. Os tributos que antes eram recolhidos pela indústria, passaram a ser pagos pelos próprios varejistas.

De acordo com o gerente de loja do Mercadinho São Luiz do bairro Aldeota, Ivanildo Monteiro, o preço não mudou em relação ao ano passado e a expectativa é de que haja um acréscimo de 20% nas vendas tanto de ceias quanto de carnes natalinas congeladas.

“Os preços normalmente caem de 10% a 15% quando chega mais perto do natal, mas depende muito do mercado, da concorrência”, explica Monteiro. E a rede Pão de Açúcar espera um incremento de 25%. Monteiro ainda comenta que os consumidores estão deixando para comprar na última hora. Sem especificar, ele afirma que ano passado na mesma época em 2010 já havia muito mais pedidos.

Os valores variam entre R$ 9,84 a R$ 19 o quilo, dependendo do tipo de carne congelada. As ceias custam em média entre R$ 59,90 a R$ 349,90.

(O POVO)

Cesare Battisti lança livro em Fortaleza

“O ex-ativista político italiano Cesare Battisti lança hoje à noite, em Fortaleza, pela Editora Sem Fronteiras, o livro Ao Pé do Muro. Aos 56 anos de idade, o autor conquistou asilo político no Brasil há poucos meses, após quase três décadas de envolvimento com a Justiça italiana, sob a acusação de quatro assassinatos quando pertencia ao grupamento politico de extrema-esquerda PAC (Proletari armati per il comunismo).

O livro é a primeira obra no Brasil após a polêmica que envolveu a sua tentativa de extradição do país no último ano do governo Lula. É também o terceiro de uma trilogia que já teve Minha fuga sem fim e Ser bambu.

A obra Ao Pé do Muro, segundo contou o autor em entrevistas recentes, fala sobre a vida de brasileiros que ele conheceu no cárcere da Polícia Federal. “Cada preso tem sua história. Entendi o Brasil por meio dos relatos dessa gente. Cada um é uma janela do Brasil”, considera Battisti.

Também nas entrevistas à imprensa alguns meses após deixar a prisão, ele chegou a dizer que “do gênero ficção biográfica, a obra teria o pretexto de denunciar situações sociais”.

Ainda nos relatos, o ex-ativista político conta que o mais interessa no livro “é falar do dia a dia da cadeia, da história pessoal de alguns presos. Cada história dessa é uma janela aberta no Brasil. Aproveito pra falar do Brasil que ainda não conheço, que conheço através das palavras destas pessoas. Eles falam de um sentimento muito forte”.

De acordo com o autor, na obra, “não comento, não julgo nada. Pego assim tal e qual as histórias pessoais deles, as histórias do crime cometido, do suposto crime cometido. São coisas tão fortes”.

(O POVO)

Uma Fortaleza de ruas com nomes repetidos

165 5

“Muitos são os São Franciscos. E muitas as Franciscas que habitam nos pedaços de chão que carregam o nome do santo homônimo em Fortaleza. Entre avenidas, ruas, vilas e travessas, o santo se faz presente 15 vezes, em diferentes locais, pelos cálculos do O POVO.

Na ânsia de homenagear o religioso ou ter a rua abençoada por ele, a confusão está feita. E se complica ainda mais quando não há planejamento e controle por parte dos órgãos públicos.

O caso se repete por várias outras vias de Fortaleza. O POVO, com auxílio de um guia de endereços, calculou todas as repetições e constatou: 998 vias, entre avenidas, ruas, travessas e vilas são homônimas.

A Secretaria do Desenvolvimento Urbano e Infraestrutura (Seinf) prevê que existam, pelo menos, 9.500 logradouros na Cidade (somente 2.148 são oficiais). Ou seja, 10,5% dos logradouros da capital cearense têm nomes repetidos. Nas várias vias denominadas São Francisco, há Franciscas que reclamam da confusão de endereços e reivindicam a singularidade da rua onde moram.

Em Messejana, a que tem por sobrenome Rocha de Araújo e 58 anos é mais enfática. Participou da formação do conjunto São Bernardo, na década de 1980, onde fica a estreita e tranquila rua São Francisco. “Recebo carta errada com o nome travessa São Francisco. Mas não é. É rua”. Com pouco mais de três quarteirões, a via, diz a devota Francisca, é abençoada pelo santo. Por isso, nem pensar em mudar de nome, mesmo que seja para desfazer a confusão de endereço.“Deus nos livre. Tem que ser São Francisco! Sempre foi”.

Do outro lado da Cidade, no Parque Santo Amaro, a outra rua São Francisco, mais larga e mais movimentada, é a morada de Francisca Regina de Oliveira, 48, desde quando nasceu. “Aqui já foi rua Maranguape. Há muito tempo atrás. Mas hoje é São Francisco e é melhor que não mude. Deixa assim mesmo”. Ela conta que já recebeu cartas erradas de outra São Francisco e até da rua Franciscano. “Tem que escrever direitinho o bairro”.

Projeto de Lei

Na tentativa de resolver o engodo dos endereços e regularizar os nomes de logradouros em Fortaleza, a Câmara Municipal, responsável por denominar os espaços públicos, aprovou em novembro o projeto de Lei Complementar nº 0010/2011, de autoria da vereadora Magaly Marques (PMDB). A matéria aguarda sanção da prefeita Luizianne Lins. O documento é um reforço ao Código de Obras e Posturas do Município, datado de 1981, em relação à denominação de espaços públicos.”

(O POVO)

Orquestra Contemporânea do Ceará

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=VNbUNQPXQzM[/youtube]

Neste domingo, a partir das 17h30min, no Theatro José de Alencar, a Orquestra Contemporânea do Ceará, formada por alunos do Curso de Música da Uece e convidados, fará recital natalino. Aberto ao público e sob a regência do maestro Alfredo Barros.

Promete vários clássicos conhecidos e, claro, hits natalinos de emocionar.

DETALHE – Entrada franca.

Maioria do PMDB de Fortaleza quer candidato próprio, mas cúpula protela debate

94 4

Se dependesse da maioria das lideranças presentes no encontro regional realizado neste sábado, no Oásis Atlântico Hotel, em Fortaleza, o PMDB teria candidato a prefeito de Fortaleza em 2012. O problema, no entanto, é que quem controla a máquina da legenda é o presidente regional, o senador Eunício Oliveira. Em discurso, Eunício apregoou a força do partido e disse que o PMDB deverá disputar na grande maioria das cidades.

Sobre Fortaleza e um candidato, o senador Eunício Oliveira considerou muito cedo discutir o assunto e devolveu: “A Luizianne já definiu o nome dela? O Cid já definiu o  nome dele?” O dirigente partidário lembrou que o PMDB faz parte de uma aliança que vem dando certo no País, no Estado e em várias cidades e que o diálogo deverá prevalecer no processo com os aliados.

O deputado federal Danilo Forte voltou a defender a necessidade de candidatura própria do partido como forma de se fortalecer a legenda para 2014. “A eleição de 2014 depende de 2012”, lembrou, destacando que o partido tem nome e condições de postular. Danilo lembrou também que o pleito na Capital deverá ser de segundo turno, o que não impediria a retomada da aliança.

Carlomano Marques, deputado estadual, apregoou que o PMDB pode até disputar, mas não há nome ainda acertado. Já o também deputado estadual Perboyre Diógenes, que já está como pré-candidato a prefeito de Saboeiro, meteu  a colher na sucessão da Capital defendendo candidato próprio e ironizando a prefeita Luizianne Lins e sua gestão. Chegou a dizer que o fortalezense não vai querer eleger  “um poste” para prefeito.

O deputado federal Mauro Benevides também defendeu candidatura própria, ressaltando coerência. “Fui o autor da emenda das diretas nas Capitais”, avisou.

DETALHE – Em meio a muitas críticas à gestão da prefeita Luizianne Lins, entre peemdebistas, quem acabou saindo à francesa do encontro foi Patrícia Aguiar, que é secretária municipal do Turismo:

DETALHE 2 – O único prefeiturável de outro partido presente ao encontro do PMDB foi o senador Inácio Arruda (PCdoB).

DETALHE 3 – Alguns vereadores do PMDB se queixaram de que a orientação na Prefeitura é para apoiar o nome que for indicado pela prefeita Luizianne Lins. Caso contrário, perdem cargos que indicaram na administração.

DETALHE 4 – Houve comentário também entre peemedebistas de que a Prefeitura conta hoje com cerca de 22 mil terceirizados, fato que está chamando a atenção do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM).

Cid os os "prefeituráveis" da casa

144 4

O governador Cid Gomes recebeu parlamentares federais e estaduais e secretários em ritmo de confraternização natalina. Foi nessa noite de sexta-feira, no Palácio da Abolição. Mas o que chamou a atenção foi a boa circulada de prefeituráveis” no encontro.

Nessa foto, o presidente da Assembleia Legislativa, Roberto Cláudio (PSB), o secretário das Cidades, Camilo santana – cujo nome chegou a ser cogitado por Cid, o secretárío extraordinário da Copa, Ferrúcio Feitosa – a bola da vez do momento, dizem alguns, e o senador Inácio Arruda, que já se definiu como pré-candidato do PCdo B a prefeito de Fortaleza.

(Foto – João Abelha)

Então é Natal…

Em artigo publicado na edição deste sábado (17), no O POVO, o médico, antropólogo e professor universitário Antonio Mourão Cavalcante avalia a época natalina como indústria de consumo e ausência do sentido do nascimento de Jesus. Confira:

Porque é Natal, o coração do ser humano parece mais sensível. Porque existem luzes piscando, há um anúncio de vida. Enfeitamos a cidade na perspectiva da espera.

Enquanto isso, o que fazemos de nossas crianças? O que podem sonhar os nossos adolescentes? As estatísticas falam que muitos morrem como expressão de uma violência bestial. Parece que estas luzes e este espírito mais sensível não se abrem aos que, entre nós, ainda crescem e são nossos filhos.

Quando jovem, eu escutava muito: “você é a esperança e o futuro de nosso país. A nação espera muito de sua juventude, tesouro maior dessa terra.” Talvez fosse uma ilusão.

Hoje, a expressão de pavor quando vemos um jovem significa que ficamos com medo de nosso futuro. Eles devem sentir que não lhes propomos projetos nem sonhos maiores.

Por isso, me invade um sentimento de tristeza quando vejo estas estrelas piscando nos quatro cantos da cidade. Elas não são expressão de alegria e expectativa de boas vindas. Mostram muito mais o interesse do comércio em faturar bem. Vender mais. E, aguçar, em nossos corações, a culpa do presente não trocado. Do presente não comprado. Da mercadoria não consumida…

E os jovens, como veem e vivem o Natal? Eles compreendem estas estrelas que piscam com algum alento? Da parte deles percebo um certo desdém. Nem ousam perguntar que festa é essa? E, por que, nós adultos, falseamos tanto nessa época?

As empresas e repartições, que passam o ano inteiro em disputas e inveja disfarçadas, fazem festas de confraternização e trocam presentes com amigos secretos. As famílias que pouco conversam ou minimamente se entendem montam banquetes com mesa farta. Maria, a mãe do tal menino que a gente comemora o nascimento, era uma jovem adolescente. Ela aceitou o desafio de receber Deus em forma de homem. Ela foi uma jovem cheia de graça. O que está reservado para as Marias de hoje?

Correndo diante dos carros parados no semáforo, a criança olha para dentro do automóvel, estende a caixinha de papelão, balança o braço e pergunta: cadê o meu presente?

IJF Centro ganha maquiagem para receber ministro

214 5

Para receber o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, neste sábado, o Instituto Doutor José Frota (Centro) ganhou maquiagem. Nada de macas com pacientes nos corredores, nada de amontoado de ambulâncias, nada de corredores superlotados e nada do velho cheiro de mercúrio no ar. A turam da limpeza fez o serviço e os agentes da AMC cuidaram do trânsito no entorno, mandando as ambulâncias do Interior sair da área.

O IJF recebeu o ministro, pois está numa lista de 11 hospitais do País contemplados com o Programa SOS Emergência, do governo federal, para melhorar a qualidade dos serviços.

Mas bom mesmo era que o ministro Alexandre Padilha conferisse a realidade nua e crua da maior emergência do Estado. Será que ele não se sensibilizaria e mandava logo aumentar o repasse do SUS do hospital? Maquiagem era prática da gestão Juraci Magalhães, como sempre reclamava, no passado, a então vereadora Luizianne Lins (PT).

(Com relato da Rádio O POVO/CBN)

Cid vira alvo de protesto dos policiais militares e bombeiros

353 16

O governador Cid Gomes (PSB) virou alvo de protestos, nesta manhã de sábado, quando iniciou giro de visita ao Projeto Metrofor, na Estação São Benedito (Centro), ao lado de deputados estaduais. Um grupo de policiais militares, bombeiros e familiares chegou a cercar o carro do governador em clima de cobranças. Até garrafas pet foram jogadas contra o carro de Cid.

Houve momentos de tensão e o governador tentou conversar com lideranças – entre elas o deputado Capitão Wagner, mas não houve condições. Cid  acabou deixando o local dirigindo seu próprio carro, em meio a vaias, empurrões e palavras de ordem.

Com o governador estavam parlamentares como o presidente da Assembleia Roberto Cláudio, assessores e alguns secretários e o presidente do Metrofor, Rômulo Fortes.

Cid decidiu dar continuidade à agenda de visita ao Projeto Metrofor com os parlamentares. Mas ele não escondeu a surpresa com o ato.

Os cerca de três mil policiais militares e bombeiros – informaram organizadores do ato, faziam caminhada pelas ruas do Centro cobrando melhores condições de salário e trabalho.