Blog do Eliomar

Categorias para Ceará

Escrivães concursados cobram convocação

176 2

De um grupo de escrivães aprovados em concurso público do Governo do Estado, recebemos a seguinte nota:

Caro Eliomar de Lima,
Somos um grupo de quase 230 pessoas. Fizemos o concurso de escrivão de Polícia Civil do Estado do Ceará. O concurso iniciou-se em 2006 e somente alguns tomaram posse em abril de 2009. De abril de 2009 até hoje, somente recebemos desprezo do governo estadual. E assistindo agora esta caótica crise na segurança pública, vivida por nós nestes últimos dias,
e acompanhando as negociações para o encerramento da greve na Polícia Civil, concluimos:
NEM O GOVERNO SUGERE NOSSA NOMEAÇÃO PARA SATISFAZER A SOCIEDADE QUE SE ENCONTRA PREJUDICADA,
NEM O SINDICATO NOS DEFENDE REQUISITANDO MAIS ESCRIVÃES PARA O SERVIÇO PÚBLICO MELHORAR, POIS A PAUTA ENVIADA AO GOVERNO SOMENTE FALA DE SALÁRIO.
AGORA, supçicamos que publique afirmando que nós existimos, pois nem Governo nem sindicato estão interessados em melhorar a segurança pública. Estão apenas pensando em seus interesses particulares, prejudicando a tão já sofrida sociedade cearense.
MUITO OBRIGADO. ESPERO QUE ESTE E-MAIL TOQUE SEU CORAÇÃO, POIS FOI ESCRITO COM TODA SINCERIDADE POSSÍVEL,
E QUE A JUSTIÇA SEJA FEITA.
UM ABRAÇO DE SEU LEITOR.

Comissão de Escrivães Concursados.

Um ato religioso em favor dos policiais civis em greve

179 2

Neste sábado, na Praça dos Voluntários (Centro), reuniu policiais civis em grevel em um ato ecumênico. Orações por melhores condições de trabalho, de salário e de vida predominaram. O padre Haroldo Coelho e o padre ortodoxo grego Constantino realizaram uma celebração em favor dos trabalhadores que buscam justiça social. Houve pregação por respeito e dignidade.

Também, orações para que o governador Cid Gomes se sensibilize e acolha as reivindicações da categoria, em greve desde a última quarta-feira.

Presidente do Sindiônibus e um desabafo pós-greve

251 5

O presidente do Sindiônibus, Dimas Barreira, manda artigo para o Blog comentando ações que, setgundo ele, tentaram prejudicar a oerta do serviço público de transporte quando da recente greve dos policiais e bombeiros militares. Confira:

TRANSPORTE COLETIVO E A VIDA DOS CIDADÃOS

Cearenses respiram aliviados ao ver o funcionamento do sistema público de segurança, o que permite o retorno das pessoas às atividades.

A greve da polícia tocou todo cearense, de qualquer extrato demográfico possível, dos líderes e formadores de opinião aos mais conformados e tímidos cidadãos. Escancarou a imperatividade da operação deste serviço público essencial.

Sem entrar nas razões da querela entre o Estado e os cabeças do movimento paredista da Polícia Militar, aproveito o contexto para citar outro serviço essencial, o transporte público coletivo. Covardemente, os ônibus têm sido alvo de diversos movimentos sociais e políticos na busca de ampliar o impacto na vida da população para forçar governos ou partes contrárias a cuidar rapidamente dos problemas individuais de uma classe ou grupo de afinidade política.

É um duro golpe em muitas pessoas com poucas opções de deslocamento, já sofridas pela falta de espaços no trânsito que priorizem o coletivo em relação ao individual, tornando um “sortudo” num automóvel mais rápido que um ônibus com dezenas de cidadãos.

Trata-se de serviço público essencial, que permite o funcionamento da vida urbana em seus diversos encontros. Motor da economia, ônibus levam as pessoas para produzir e consumir. Ainda, leva pessoas a tratamentos de saúde, estudos, lazer, oportunidades de trabalho que podem ser perdidas para sempre. Toda a cidade é cliente do sistema de transporte coletivo, não somente os passageiros ou os governos que o contratam.

Não há causa tão nobre que permita a alguém causar tamanhos danos a outros por seu próprio interesse, assim como não é permitido a ninguém impedir alguém de exercer seu direito constitucional de ir e vir, dentre outros vários crimes e infrações que podem acompanhar tais ações, como costumeiramente se vê vandalismo, perturbações da ordem e violações grosseiras à lei de greve.

Sem a polícia como instrumento de defesa da sociedade, a população reagiu instintivamente, enxotando quem tentava vandalizar os ônibus para sua paralisação sem se preocupar com as necessidades de deslocamento de quem estava nestes veículos, terminais e pontos da cidade. Uma atitude desumana que não considerava se outros precisavam urgentemente tratar sua saúde, atender a um compromisso ou simplesmente descansar depois de trabalho exaustivo.

Algumas pessoas ainda têm a coragem de julgar seus problemas mais importantes que os dos outros. A política “Farinha pouca, meu pirão primeiro” não serve à sociedade atual.

Quando todas as pessoas passarem a reconhecer a importância do transporte coletivo, especialmente nos dias de hoje, com cidades travando e problemas seríssimos de poluição e esgotamento de recursos, certamente avançaremos mais rápido para uma sociedade mais próspera, humana e respeitosa.

Mobilidade é vida!

Dimas Barreira,

Presidente do Sindiônibus.

Prefeito de Granja faz festa no Dia de Reis oferecendo até garrote como prêmio

411 5

Que o prefeito de Granja, Esmerino Arruda (PSD), é uma figura política polêmica, disso todo mundo sabe, mas agora realmente ele se superou, segundo informação do site Camocim Online.

Quem quiser um calendário para contar os dias de sofrimento em Granja, diante da inércia do poder público, basta pedir um ao prefeito. Nele, além dos meses e dias do ano, o granjense terá a chance de ganhar um prêmio.

Quer dizer: usando o calendário como pretexto, o prefeito de Granja lançou o “Show de Prêmios do Vovô”. Nesse show, o cidadão poderá concorrer, utilizando um cupom que vem anexo ao calendário, aos seguintes prêmios: garrotes, bicicletas, televisores, liquidificadores, ventiladores, rádios, redes e relógios.

O festão de prêmios ocorrerá neste sábado, na sede do município e em todos os distritos de Granja, em comemoração do Dia de Reis. 

Propaganda antecipada?

Pelo respeito à Democracia acima de tudo

270 9

Com o título “Contra o legalismo histérico”, eis artigo do publicitário e poeta Ricardo Alcântara. Ele aborda o caso da greve dos policiais e bombeiros militares, observando que, ao final, quem perdeu com tudo foi a sociedade. Confira: 

Como o três de janeiro demonstrou, a força armada é o último recurso da ordem de Estado. Somente em raras circunstâncias é possível assimilar como ato democrático a ocupação de quartéis por servidores armados.

Que os policiais tenham obtido êxito em suas reivindicações é socialmente justo. Que o tenham conquistado pela forma adotada, é uma derrota não só para o governo, mas para os fatores da ordem. Quem perde? A sociedade.

Contudo, a compreensão da gravidade institucional de uma greve de policiais não nos obriga a aderir a um legalismo histérico. Cedo aprendi que a lei é apenas uma parte do Direito (parte importante, mas parte, apenas).

A Democracia não pode ser compreendida apenas como o cumprimento da lei acordada pela nação na expressão de sua maioria. Seria dialético dizer que a Democracia acontece, de fato, é quando as leis podem ser cumpridas.

Que tipo de ordem – um estado de equilíbrio no entendimento comum sobre direitos e deveres – pode subsistir, quando apoiada em regras que não podem ser cumpridas sem prejuízo das necessidades básicas dos cidadãos?

A lei é como uma pele fina que reveste um corpo: o princípio de justiça. Quando este é ferido, a pele fina da lei é a primeira que se rompe. Uma lei que não pode assegurar justiça já não pode nada.

Greve de policiais é inconstitucional? A fome, segundo o artigo terceiro, também é. Isto justificaria, em momento excepcional de desespero, o saque aos armazéns públicos de alimentos? Talvez. Veja como o legalismo é frágil!

Se uma lei afirma que policiais não podem fazer greves, pois sua missão institucional é intrínseca à pertinência da própria autoridade, ela também induz o Estado à grave responsabilidade de considerá-los como tal.

Justo por não terem sindicato, nem direito à greve é que a corporação militar precisa de diálogo permanente com os governos. Vivo na legalidade, mas o que defendo é a Democracia, o acento firme da legitimidade.

* Ricardo Alcântara,

Publicitário e poeta.

10ª Região Militar manda notga para o Blog

251 3

A 10ª Região Militar mandou nota para o Blog, nesta sexta-feira, expondo o caso da tentativa de invasão ao acampamento dos policiais civis em greve. O fato teria ocorrido nessa noite de quinta-feira. Eis o que diz a nota:

MINISTÉRIO DA DEFESA
EXÉRCITO BRASILEIRO
COMANDO MILITAR DO NORDESTE
COMANDO DA 10a REGIÃO MILITAR
(Região Martim Soares Moreno)

NOTA À IMPRENSA Nº 020, de 6 de janeiro de 2012.

SUPERINTENDÊNCIA DA POLÍCIA CIVIL

O Comando da Operação CEARÁ informa à população que, de acordo com a missão estabelecida de garantir a incolumidade das pessoas e do patrimônio, determinou que parcela das tropas federais atuassem na segurança das delegacias da Polícia Civil, sendo, então, executadas as medidas necessárias para viabilizar este procedimento.

Por volta das 23 horas e trinta minutos de 5 de janeiro e com o propósito de, exclusivamente, mobilizar um efetivo de proteção para as instalações da Divisão de Proteção ao Estudante (DIPRE), que ocupa o mesmo edifício da Superintendência da Polícia Civil, uma fração militar, composta de 9 militares do Exército, se deslocou para aquelas imediações a fim de cumprir a sua missão.

Alguns manifestantes que estavam nas imediações interpretaram a chegada do efetivo supracitado como ação direcionada ao grupo de policiais em greve presentes na Rua do Rosário.
Como já havia tropas federais provendo a segurança daquelas instalações desde 3 de janeiro, os militares receberam ordem para assumir outras funções igualmente importantes.

A moderação de atitudes observada no comportamento dos Soldados da Força CEARÁ, diante do evento inesperado, demonstra que a intenção do Comandante da Operação de manter a ordem e o diálogo foi observado nas atitudes dos militares do Exército. Cabe, ainda, ressaltar que a utilização da força, se necessária, ocorrerá de forma progressiva, mínima e de modo justo.

Apresentaram-se em Fortaleza 12 escrivães federais para atuar no atendimento à população. Para esta tarde, espera-se que o efetivo total previsto, conforme planejado, esteja completo.
O Comando da Operação informa que a população pode permanecer tranquila, pois as tropas continuam mantendo a segurança necessária.

Prefeitura manda resposta para Blog sobre atraso no vale-transporte eletrônico dos servidores

224 2

Da Secretaria Municipal de Administração, este Blog recebeu resposta sobre atraso na liberação do passcard (vale transporte eletrônico) dos servidores: 

Caro Eliomar,

Sobre a nota “Prefeitura atrasa vale transporte dos servidores”, publicada hoje em seu Blog, a Secretaria de Administração (SAM), esclarece que, de fato, houve problemas no repasse do valor referente aos vales trasporte apenas para alguns segmentos da Prefeitura.

Porém a administração municipal  já está tomando as providências para regularizar a situação.

* Secretaria Municipal da Administração.

Desgaste político de Cid Gomes faz alegria de aliados da prefeita?

391 2

Da prefeita Luizianne Lins, em entrevista após a posse do novo titular da Procuradora Geral de Justiça dop Estado, Ricardo Machado, na última segunda-feira: “É bom lembrar que segurança pública não é responsabilidade da Prefeitura, mas do Governo do Estado.” Ela é aliada de Cid Gomes.

Aliás, o que aliados da prefeita comentam é que o desgaste político sofrido por Cid Gomes (PSB) por conta da greve da policia e bombeiros militares, serviu como porta aberta para que Luizianne Lins indique, sem tantos problemas ou traumas, seu candidato a prefeito para apreciação de partidos como o PSB do governador.

Bem, é esperar evolução do cenário.

Procurador-geral promete todo apoio ao trabalho da Procap

177 1

 

Posse do novo procurador-geral de Justiça.

A prioridade número um do novo procurador-geral de Justiça do Estado, Ricardo Machado, está definida: “Vamos priorizar o trabalho da Promotoria de Combate aos Crimes contra a Administração Pública (Procap)”.

Ele assegura, em nota na Coluna Vertical, do O POVO, que vai ampliar as ações do organismo, que ganhará reforço de pessoal, equipamentos e viaturas para que o trabalho ganhe celeridade e resolutividade.

A ordem é continuar operações que, nos últimos meses, já mandaram três prefeitos para a prisão e concluiu investigações sobre o “Escândalo dos Banheiros” denunciado no O POVO.

Há uma outra promessa de Ricardo, que será acompanhada mais de perto por sua família. Ele jurou que, depois de empossado, iria parar de fumar.

Ato foi dos mais concorridos.

DETALHE – O ato de posse de Ricardo Machado como procurador-geral de Justiça do Estado, sefgunda-feira última, no Gran Marquise Hotel, foi dos mais prestigiados. O vice-governador Domingos Filho, a prefeita Luizianne Lins, o presidente da Assembleia, Robeto Cláudio, os presidentes do TCM, Manoel Veras, e TCE, Valdomiro Távora, o deputado federal Mauro Benevides, os secretários estaduais Mauro Filho (Fazenda) e Camilo Santana (Cidades) e até o ex-governador Adauto Bezerra estavam entre as presenças. Tambem dirigentes de entidades da área do Judiciário, Ministério Público e do setor empresarial.

(Fotos – Paulo  MOska)

Policiais civis fecham pauta de reivindicações com mediação da PGJ

A presidente do Sindicato dos Policiais Civis do Ceará (SINPOCI), Inês Romero, o vice-presidente da entidade, Xavier Farias, representantes da OAB-CE e da Defensoria Pública se reuniram na manhã desta sexta-feira, com o procurador-geral de Justiça, Ricardo Machado.

Na ocasião, foi apresentada a proposta elaborada pela categoria. Após deliberação um comitê de articulação comandado pelo novo procurador, articulará com os representantes do Governo os encaminhamentos referentes à proposta.

Nesta tarde de sexta-feira, o núcleo de mediação aguardará resposta do Governo aos seus pleitos.

Veja a proposta na íntegra:

“- Não punição ao policial civil que participou do movimento grevista desde julho de 2011– Devolução do dinheiro dos 199 policiais civis que tiveram seus salários descontados no início do mês de dezembro de 2011

– Alteração do artigo 35, referente às promoções a policiais civis que tenham nível superior. A diretoria almeja a retirada desse artigo para que a lei possa beneficiar a todos os policiais civis, não somente aos que tenham nível superior. Bem como dos artigos 1º e 4º da mesma lei, que prejudicaram os operadores de telecomunicações policiais e técnicos de telecomunicações policiais.

– Hora-extra constitucional. Extinguir o serviço extraordinário, se no caso as horas trabalhadas excederem às 40 horas será analisado como hora-extra.

– Reajuste salarial. Salário do policial civil equivalente a 60% do subsídio de um delegado.”

Prefeitura atrasa vale-transporte dos servidores

173 4

Cerca de 90% dos servidores municipais de Fortaleza ainda não receberam o passcard (vale-transporte eletrônico). Denuncia o Sindicato dos Servidores e Empregados Públicos de Fortaleza (Sindifort).

A entidade pressiona, observando que, até o dia 10 próximo, se não houver recarga do passcard, muitos vão paralisar atividades.

VAMOS NÓS – Bem que a Prefeitura poderia estender  a Tarifa Social, liberada durante o Réveillon, para esse pessoal.

Exército tenta desmobilizar acampamento de policiais civis

“Homens do Exército fizeram, na noite desta quinta-feira, 6, a retirada de policiais civis em greve que estavam acampados na praça da Superintendência da Polícia Civil, no Centro de Fortaleza. A categoria, que está em greve há três dias, resistiu e permaneceu no local.

Segundo nota do Sindicato dos Policiais Civis do Ceará (Sinpoci), os manifestantes “foram surpreendidos com a chegada de um caminhão do Exército, com aproximadamente 40 homens fortemente armados e mais um carro com cinco militares também armados dando cobertura”.

Em entrevista à rádio O POVO CBN 1010, o diretor do Sinpoci, Erivando Mendonça, informou que, nesta manhã de sexta-feira, o clima é de ansiedade e tensão entre os grevistas que permaneceram na praça. “Chegaram lá com o intuito de dispersar o movimento de forma arbitrária, com uso da forca”, declarou Erivando. Segundo ele, os policiais resistiram e não se retiraram do local.

De acordo com Erivando, a presidente do Sinpoci, Inês Romero, teria conseguido contornar a situação. Tanto policiais civis como homens do Exército usavam armas de grosso calibre. “Possivelmente aconteceria alguma tragédia”, relatou Erivando.

O diretor disse ainda que na noite de ontem aconteceu uma reunião entre membros do Sinpoci e com o procurador-geral do Estado (PGE), Fernando Oliveira, em que foi redigido um documento com algumas reivindicações do movimento paredista.

Segundo Erivando, uma reunião estaria marcada no início desta manhã – desta vez sem os dirigentes do Sinpoci – para avaliar o teor do documento. Em contrapartida, a assessoria de comunicação da PGE não confirmou a existência de uma pauta de reunião sobre o assunto marcada para hoje.

Sobre a dificuldade de atendimento nas delegacias, Erivando informou que na última greve da categoria foram disponibilizados mais de 50% do efetivo. Porém, em seis meses de paralisação, o Governo não chamou a categoria às negociações, segundo Erivando. “A categoria está muito inflamada, muito insatisfeita, e resolveu parar totalmente”, disse.”

(POVO Online)

Líder da greve dos PMs, Capitão Wagner pode disputar Prefeitura de Fortaleza

1173 18

“A sucessão municipal de Fortaleza em 2012 pode ganhar um novo e inesperado personagem. Alçado à condição de líder repentino do movimento grevista que impôs a maior derrota ao governador Cid Gomes (PSB), o suplente de deputado estadual Capitão Wagner (PR) já pensa em voos mais altos. Ontem, ao O POVO, o parlamentar admitiu que foi procurado por dirigentes partidários no Ceará. Teor das conversas: convites para ele disputar a cadeira hoje ocupada pela prefeita Luizianne Lins (PT).

Nas interlocuções políticas, disse Capitão Wagner, haveria a possibilidade de o deputado ser cabeça de chapa ou disputar a vice-Prefeitura. Ele não quis informar quem o procurou nem quantos líderes o teriam proposto o desafio. Segundo ele, os possíveis cenários ainda não foram discutidos com o PR.

Outras opções não estariam descartadas, segundo o capitão. “Pode ser o Executivo ou o Legislativo”, declarou ele, sobre a possibilidade de concorrer à Câmara Municipal. “Quem vai decidir é o partido”, ponderou. No Ceará, o PR é presidido pelo ex-governador Lúcio Alcântara, desafeto de Cid, e tem como principal gestor o prefeito de Maracanaú, Roberto Pessoa.

Wagner negou, ontem, que o partido tenha interferido ou direcionado a atuação dele na greve da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros. “Não seria bom”, afirmou o capitão, completando que mantém boas relações com os dirigentes da sigla.

Filiado ao PR, desde o dia 29 de setembro de 2011, quando assumiu como suplente na Assembleia Legislativa, Capitão Wagner está substituindo a deputada Fernanda Pessoa (PR), filha do prefeito de Maracanaú.

Suplência estendida

É justamente a partir do mandato de suplente de deputado que Capitão Wagner pretende manter sua visibilidade. Uma negociação política poderá estender a permanência dele no legislativo cearense por pelo menos 90 dias, a partir da retomada dos trabalhos, no início de fevereiro. Ele continuaria no lugar de Fernanda Pessoa.

Uma segunda opção seria o suplente ficar na cadeira do deputado Leandro Pinheiro (PSD). Nesse caso, a suplência seria de 120 dias. Iria até maio, o último mês antes do período de convenções partidárias, que definirão os nomes da disputa eleitoral.

Aparentando tranquilidade, Capitão Wagner já testa sua performance diante de possíveis críticas ao fato de ele ter como bandeira única a pauta da segurança pública. O suplente diz que na Assembleia acompanhou muitos outros assuntos e demandas do mandato. “Foram muitas discussões e requerimentos. Foi bem produtivo”, exalta-se.

Sobre o governo Cid Go-mes, apesar de fazer oposição, Capitão Wagner afirma que já votou em projetos do Executivo e observa que não vê motivos para mudar a postura de agora em diante. “Eu nunca fui radical e não seria agora que eu iria ser”.

(O POVO)

Ivo Gomes: “O momento não é de caça às bruxas”

232 8

“O Governo do Estado descartou, ontem, qualquer mudança na cúpula da Segurança Pública do Estado e também dos comandos da Polícia Militar neste momento. “O secretário da Segurança goza da confiança do governador e o comandante da Polícia Militar goza da confiança do secretário”, disse Ivo Gomes, chefe de gabinete do governador Cid Gomes.

A declaração de Ivo é uma resposta aos questionamentos que a cúpula da Secretaria da Segurança e da Polícia Militar vêm recebendo, desde que policiais e bombeiros militares entraram em greve, no último dia 29 de dezembro, e se aquartelaram, paralisando quase todo o policiamento ostensivo do Estado. A ação só terminou com o governo aceitando boa parte das reivindicações dos militares e aceitando negociar as restantes.

Segundo Ivo, a hora é de conversar e evitar acirramento. “O momento não é de caça às bruxas”. O chefe de gabinete diz que a greve da PM faz parte de um movimento nacional, que já atingiu seis outros estados. Ele diz que o governo estava diante de duas opções: ou partia para o confronto ou dialogava com os militares.

“Foi essa nossa opção. Sem sangue, como aconteceu em 97”. O secretário refere-se à última greve da PM, quando o Batalhão de Choque, leal ao então governador Tasso Jereissati, entrou em confronto com os policiais militares e civis que pretendiam ocupar o Palácio da Abolição, deixando feridos, entre eles o então comandante-geral da PM, Mauro Benevides. “Agora, a Polícia vai ter de reconstruir sua imagem paulatinamente. O momento é de paz. Não há esse clima de mudança de comando”.

“Fomos surpreendidos”

Ivo diz ainda que o Palácio da Abolição foi “surpreendido” com a intensidade do movimento dos policiais. O Governo, então, não tinha a dimensão da insatisfação da tropa? “Tinha boatos, mas não era coisa consistente”, diz. “Fui dormir com a notícia de que o ginásio (onde a assembleia que deflagrou a greve) estava vazio e acordei com eles tomando o quartel da 6a companhia”. Ivo diz que não vê paralelos com a greve da PM e de outras categorias. “Quantas greves já tivemos e quantas ainda teremos? De todas, esta foi a primeira em que houve confronto direto com a legalidade”, diz. “Em greve se negocia, é um direito do trabalhador. As coisas são resolvidas na conversa, não é tomando viaturas de assalto. Isto é barbárie”.

O secretário demonstra certa irritação ao ser perguntado sobre o silêncio do governo durante a crise. “Que silêncio? Acho que (durante todo este tempo) só fomos dormir de ontem para hoje”. Segundo ele, o governador passou todo tempo articulando com Força Nacional, governo federal, Exército e mediadores da sociedade saídas para o impasse. “Mais do que isso, trazendo tranquilidade para quem estava negociando. Além disso, qualquer coisa naquele momento poderia ser encarada como demagogia”, completa.”

(O POVO)

PSDB manda nota para o Blog em resposta a críticas do advogado Reno Ximenes

1606 32

Da Secretária-Geral do PSDB de Fortaleza, Kamila Castro, este Blog recebeu nota em resposta a críticas feitas neste espaço pelo advogado Reno Ximenes. Reno criticou o editorial da Folha que avaliou como “mau exemplo” a negociação do governo do Estado com policiais e bombeiros grevistas e ainda citou que isso deveria ser coisa dos adeptos de Serra no Estado. Confira:

Caro jornalista Eliomar de Lima,

Diante da declaração estapafúrdia  ao seu Blog do senhor Reno Ximenes, que a fez na condição de Procurador Geral da Assembleia Legislativa do Ceará, solicitamos a divulgação do seguinte comentário:

Ainda bem que um jornal do conceito profissional e ético como a Folha de S.Paulo não toma conhecimento do achincalhe contra o Editorial em que analisa a conduta do governador Cid Gomes (PSB) no episódio da greve dos policiais militares e Bombeiros no Ceará.

Com o objetivo de desqualificar a opinião da Folha, o procurador-geral da Assembleia ofendeu gratuitamente os profissionais desse órgão da imprensa nacional, como de resto a todos os profissionais do País, ao afirmar, irresponsavelmente, que o jornal paulista foi “tapete da ditadura”, quando todo o Brasil é testemunha da tradição da Folha de S.Paulo na defesa da democracia e dos direitos humanos.

Não se conformando com as sandices que disse contra o jornal, o procurador-geral da Assembleia Legislativa conseguiu ser mais desrespeitoso ainda com o jornalismo, ao declarar levianamente que “o Editorial foi escrito no Ceará e mandado, via e-mail, para o tucano José Serra por seus aliados daqui”. É lamentável que ele tenha usado sua função na Assembleia Legislativa do Ceará para dar uma demonstração de profunda ignorância quanto ao processo de elaboração do noticiário e de opiniões de um jornal da estatura da Folha de S.Paulo.

Mais estranho ainda é que um Poder como a Assembleia Legislativa do Estado permita que alguém possa se esconder no seu nome para ofender jornalistas e órgãos de comunicação, num episódio sobre o qual a grande massa crítica da sociedade tem a sua opinião formada. Será que o fantasma do sangue dos professores derramado nas dependências da Casa ameaça alastrar-se através da conduta ignominiosa do seu procurador-geral?

Nós, cearenses e brasileiros de todas classes sociais, precisamos nos unir contra esse tipo de comportamento e censura à imprensa livre e independente do nosso País.

Kamyla Castro

Secretária Geral do PSDB de Fortaleza.

TJ-CE inscreve para concurso de juiz substituto até o dia 13

“As inscrições para o cargo de juiz substituto do Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE) se encerram no próximo dia 13. Os interessados devem pagar taxa de R$ 160,00 para participar do concurso, que terá cinco fases.

São oferecidas 25 vagas e haverá ainda formação de cadastro de reserva. O salário é de R$ 20.031,71. A entidade responsável pelo certame é o Centro de Seleção e de Promoção de Eventos da Universidade de Brasília (Cespe/Unb). As inscrições devem ser feitas no endereço eletrônico www.cespe.unb.br/concursos/tj_cejuiz2011.

O edital do concurso foi publicado no Diário da Justiça Eletrônico do dia 28 de novembro de 2011. A comissão examinadora tem à frente o desembargador Luiz Gerardo de Pontes Brígido, vice-presidente do TJCE, além dos desembargadores Antônio Abelardo Benevides Moraes e Francisco Lincoln Araújo e Silva. Também faz parte o advogado José Júlio da Ponte Neto, representante da Ordem dos Advogados do Brasil – seccional Ceará (OAB-CE).”

(Com TJ-CE)

Leitor agradece Blog por resolver problema com a Oi

De Franklin Júnior, leitor deste Blog, recebemos a seguinte nota:

Caro Eliomar,

Realmente, o seu Blog é um instrumento de utilidade pública de alta relevância.

Após a publicação da minha queixa relacionada ao funcionamento do 3G dentro da área do Oi Vex, recebi diversos telefonemas da empresa, o que culminou com o esclarecimento ao qual estava almejando.

A solução era bastante simples, faltava apenas alguém para explicar.

Vai essa dica para quem tem 3G e, dentro da área de abrangência da Vex, não consegue acessar a internet (obviamente se o seu 3G não cobrir esse benefício): basta desabilitar o wi-fi do seu aparelho.

Simples assim.

Obrigado a você, Eliomar, e ao pessoal da Assessoria de Imprensa da Oi.

Atenciosamente,

Franklin Júnior.

Greve na PM – Pimentel vê necessidade do diálogo como aprendizado

201 5

[youtube]http://www.youtube.com/watch?v=8OD8VLASp5I&feature=plcp&context=C3b800bcUDOEgsToPDskK4WxwBO1kN7x0wxZD9QXFW[/youtube]

O senador José Pimentel (PT) afirmou, nesta quinta-feira, para o Blog que a greve dos policiais e bombeiros militares, que é inconstitucional, deve servir agora para várias reflexões. Uma delas: a necessidade de maior diálogo do Governo com movimentos sociais.

Cidista diz que editorial da Folha é coisa de tucano do Ceará

1345 35

Sobre o editorial “Mau exemplo”, da Folha de São Paulo desta quinta-feira, e aqui veiculado, o advogado Reno Ximenes mandou para o Blog uma avaliação. A Folha critica o acordo firmado pelo governador Cid Gomes com policiais grevistas. Confira:

Caro Eliomar de Lima,

Alguns paulistas não conhecem ainda a revolução copernicana e se acham o centro do universo. Tapete da ditadura, a Folha de São Paulo vem agora despeitada por uma postura democrática e ousada de um governador que colocou os militares em um posição de vanguarda no Brasil, seja pelos equipamentos, seja pela remuneração.

O Editorial foi escrito no Ceará e mandado, via email, para o tucano José Serra por seus aliados daqui. Saiu publicado em caráter de editorial num jornal que hoje é tido como o “Diário Oficial de São Paulo”.

O preconceito é achar que um Estado do Nordeste – o nosso Ceará, é exemplo nacional de gestão econômica e financeira, além de líder nacional em investimentos na gestão pública.

Cearenses, de todas as cores, ideologias, religiões, partidos e sexos, uní-vos!

Reno Ximenes,
Advogado.