Blog do Eliomar

Categorias para Ceará

Vem aí o Observatório da Indústria do Ceará

Da Coluna O POVO Economia, da jornalista Neila Fontenele, no O POVO desta quarta-feira:

Uma sala com painéis e bancos de dados contendo informações geográficas e combinações de dados sobre o Ceará. Esse deve ser o Observatório da Indústria, que será inaugurado pela Federação das Indústrias do Estado (Fiec) no próximo mês.

O projeto, idealizado pelo presidente da entidade, Beto Studart, deve abrir canais de acesso a informações mais precisas para investidores, empresários e academia.

(Foto – Divulgação)

Sinais de alerta no grupo dos Ferreira Gomes

644 3

Com o título “Sinais de alerta no grupo dos Ferreira Gomes”, eis artigo de Cleyton Monte, cientista político,pesquisador do Laboratório de Estudos sobre Política, Eleições e Mídia (Lepem) e membro do Conselho de Leitores do O POVO.

O  grupo dos Ferreira Gomes é uma ampla rede de políticos cearenses dos mais diferentes partidos e trajetórias, liderados por Cid e Ciro Ferreira Gomes. São protagonistas no Ceará desde o fim da Era Tasso. A influência do grupo se estende do Legislativo aos rincões do estado, passando pelo Executivo e estruturas partidárias. Basta dizer que o prefeito de Fortaleza e o governador são integrantes antigos dessa formação. A mobilidade ideológica é absoluta. Esse arranjo sofreu os primeiros abalos com o rompimento de Eunício Oliveira nas eleições de 2014. Os Ferreira Gomes saíram vitoriosos daquele embate e ainda expandiram sua força no pleito de 2016. Entretanto, as articulações eleitorais e a questão da segurança tornaram-se impasses urgentes.

Camilo Santana terá mais que o dobro do tempo de TV de todos os outros candidatos. Conta com vinte e quatro partidos. Uma mega coligação com os mais variados rostos e cores. Esse poderio esconde sérios problemas. A aliança informal com Eunício Oliveira é um deles.

O grupo vislumbra dois caminhos nas eleições de 2018: fortalecer-se no estado e viabilizar o sonho presidencial de Ciro Gomes. A imagem de crítico do MDB, que Ciro apregoa em suas entrevistas, fica comprometida com os irmãos dividindo palanque com o senador cearense. A escolha da vice, Izolda Cela, não foi consenso e frustrou planos de nomes importantes da coligação. Além disso, Camilo deverá enfrentar ainda mais dificuldades com a militância petista.

Como apoiar Ciro e Haddad ao mesmo tempo? Na formação das coligações proporcionais, as costuras foram ainda mais complexas e fraturas ficaram expostas.

Os líderes do grupo estão divididos entre a disputa nacional e a campanha estadual, enfraquecendo as atividades locais. O favoritismo de Camilo Santana e de Cid Gomes é inquestionável. Ciro estagnou nas pesquisas! Contudo, a campanha está apenas começando e pode guardar surpresas. A oposição não demonstra força. Os candidatos ainda não convenceram. O que vem aumentando é a percepção de uma onda crescente de insegurança na capital e no interior. A resposta do governo a essa escalada de homicídios poderá impactar as próximas pesquisas e acender o sinal de alerta do grupo.

*Cleyton Monte

cleytonufc@hotmail.com

Cientista político, pesquisador do Laboratório de Estudos sobre Política, Eleições e Mídia (Lepem) e membro do Conselho de Leitores do O POVO.

Começa a obra de requalificação das ruas do Centro de Fortaleza

As obras de requalificação das ruas do Centro de Fortaleza já começaram, dentro de um projeto a ser tocado pela Prefeitura. Na rua Guilherme Rocha, por exemplo, o trabalho começou e os ambulantes que ocupavam as calçadas foram deslocados para a Praça do Ferreira.

A ação está agradando aos lojistas e aos camelôs.

Pelo projeto, os camelôs ganharão quiosques padronizados, que poderão acomodar até quatro ambulantes. Em cada quarteirão, só poderão funcionar 10 quiosques.

Outra: os camelôs trabalharão usando crachá, no que chega como importante item também de segurança e não vai ser permitido que o grupo crie puxadinhos ou coisa parecida, uma da queixas dos lojistas.

Camelôs ocupam a Praça do Ferreira temporariamente.

A CDL Fortaleza avalia que, concluído o projeto, finalmente o Centro ganhará reordenamento comercial e paisagismo.

(Fotos – Leitor do Blog)

Prefeito quer implantar em Fortaleza modelo de gestão do Hospital Albert Einstein

O prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio (PDT), encontra-se em São Paulo, nesta quarta-feira. Tendo ao seu lado a secretária municipal da Saúde, Joana Maciel, ele visitará o Hospital Albert Einstein para conhecer, principalmente, o modelo de Organização Social que opera nesse estabelecimento.

O objetivo é conhecer essa experiência, dentro da meta de investir na “regionalização” do sistema de saúde de Fortaleza. Roberto Cláudio tem recebido informações de que a OS desse hospital e sua atuação tem dado resultados consideráveis na prática.

Roberto Cláudio acertará também a vinda de um grupo de gestores do Hospital Albert Einstein para conhecer o sistema hospitalar da Capital, avaliar e apresentar também propostas.

(Foto – Aurélio Alves)

Se reeleito, Eunício diz que tentará de novo presidir o Congresso

389 3

Da Coluna do Eliomar de Lima, do O POVO desta quarta-feira:

O senador Eunício Oliveira (MDB) anuncia: se for reeleito, já está no páreo para voltar a presidir o Congresso Nacional. Ele diz que a experiência de ocupar o cargo, no momento, não apenas lhe serviu para reforçar o currículo, mas lhe deu condições principalmente de “ajudar o meu Estado”.

Nessa posição, Eunício destravou uma série de empréstimos externos do interesse do Governo do Estado e de prefeituras como as de Fortaleza, Caucaia e Sobral. Por conta disso, acabou se configurando, mesmo tendo brigado no passado contra o governador Camilo Santana (PT), como a segunda opção do Palácio da Abolição para o Senado.

“Se eu for reeleito, vou tentar novamente presidir o Congresso, pois, assim, terei condições de ajudar mais ainda meu Estado”, reforçou o emedebista que divide palanque no pleito com Camilo e Cid Gomes. Isso, quando Ciro Gomes, candidato a presidente pelo PDT, não está por perto.

(Foto – Divulgação)

Hipertensão e diabetes: carências

Com o título “Hipertensão e diabetes: carências”, eis o editorial do O POVO desta quarta-feira:

Aumentam as queixas sobre a redução dos serviços prestados pelo Centro Integrado de Diabetes e Hipertensão do Ceará (CIDH), no bairro Dionísio Torres, que teria reduzido o número de atendimentos, de uma média de 350 pacientes/dia para cerca de 100. Atribui-se o problema à carência de profissionais. Também há registro da falta de medicamentos. Eis aí o gancho para um debate mais profundo sobre o atendimento básico de saúde – no qual a Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS) e o Diabetes Mellitus (DM) devem ser alvos principais de uma política pública de saúde, envolvendo Município, Estado e Governo Federal.

De fato, a hipertensão e o diabetes estão entre as principais Doenças Crônicas não Transmissíveis (DCNT), no mundo, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). Exigem ações sistemáticas de controle, visto serem as principais causas de mortes (inclusive prematuras), perda de qualidade de vida com alto grau de limitação nas atividades de trabalho e de lazer, impactos econômicos para as famílias, comunidades e a sociedade em geral, agravados pela pobreza e desigualdades sociais. No caso particular da hipertensão, trata-se de um dos mais importantes fatores de risco para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares, cerebrovasculares e renais e, no Brasil, tem sido responsável por pelo menos 40% das mortes por acidente vascular cerebral, por 25% das mortes por doença arterial coronariana e, em combinação com o diabetes, por 50% dos casos de insuficiência renal terminal.

Pelos cálculos da OMS o número total de pessoas com diabetes no mundo será de 366 milhões em 2030; apenas no Brasil, de 4,5 milhões para 11,3 milhões, no mesmo período, tornando-se o oitavo País no mundo com o maior número de pessoas com diabetes. Dentre as complicações do diabetes, as doenças cardiovasculares e renais estão entre as que mais resultam em sofrimento humano e em gastos para os sistemas de saúde. Estas doenças levam, com frequência, à invalidez parcial ou total do indivíduo, com graves repercussões para o paciente, sua família e a sociedade. Se diagnosticadas precocemente, há múltiplas chances de evitar complicações; quando não, retardam a progressão das já existentes e as perdas delas resultantes.

Portanto, investir na prevenção é decisivo não só para garantir a qualidade de vida como também para evitar a hospitalização e os consequentes gastos para os cofres públicos. O caminho de uma política pública de saúde consistente para esse segmento é o monitoramento contínuo dos pacientes pelos postos de saúde e pelos agentes da Saúde da Família. Garantir recursos financeiros, materiais e humanos para isso é uma prioridade impostergável.

VAMOS NÓS – O Editorial replicou o destaque da Coluna do Eliomar de Lima, no O POVO dessa terça-feira.

Ceará fecha primeiro semestre deste ano como 3º estado com maior taxa de homicídios no País

O Ceará é o terceiro estado brasileiro com a maior taxa de assassinatos registrados no primeiro semestre deste ano. É o que aponta o projeto Monitor da Violência, uma parceria do portal de notícias G1 com o Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP) e o Núcleo de Estudos da Violência (NEV), da Universidade de São Paulo (USP).

A taxa de homicídios no Ceará é de 26 por 100 mil habitantes, conforme dados da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) repassados ao levantamento. Ao todo, 2.380 pessoas foram assassinadas no Ceará de janeiro a junho deste ano, conforme a SSPDS. São 81 mortes a mais que o registrado no mesmo período do ano passado: 2.299.

É uma taxa menor apenas que as registradas nos estados de Roraima (27,7 por 100 mil) e Rio Grande do Norte (27,1 por 100 mil). E está empatado com o Acre, que também teve média de 26 homicídios por 100 mil habitantes.

Os dez Estados que lideram o ranking ou são do Norte ou do Nordeste. Completam essa lista Sergipe, Pará, Pernambuco, Alagoas, Amapá e Bahia. São Paulo é o estado com o menor número proporcional de assassinatos: 3,8 por 100 mil habitantes.

Em levantamentos desse tipo, a SSPDS costuma ressaltar que o padrão adotado pela pasta não é seguido pela maioria dos Estados, o que torna a comparação distorcida.

A pasta já divulgou números referentes ao mês de julho no Estado. Contando com os registros referentes a esse mês, o Ceará passou a acumular 2.758 Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLIs) no ano uma redução de 0,5% comparado com o mesmo período de 2017. Neste mês de agosto, dados não consolidados da SSPDS apontam a ocorrência de, pelo menos, 300 homicídios até a última segunda-feira, 27.

Ao todo, o Monitor da Violência registrou 26.126 assassinatos no Brasil nos seis primeiros meses de 2018. O número, no entanto, é maior, já que três estados (Maranhão, Paraná e Tocantis) não enviaram dados, alegando não estarem consolidados. A taxa proporcional de assassinatos no País é de 12,5 por 100 mil habitantes.

Em artigo divulgado junto com o balanço do projeto, o jornalista e economista Bruno Paes Manso, pesquisador do NEV-USP, apontou que a “truculência” do conflito entre facções criminosas é a responsável pelos números catastróficos. “Chacinas, mortes de policiais, vídeos de assassinatos e torturas passaram a fazer parte da cena criminal desses estados”, ressaltou. Ele ainda alerta que o Ceará é uma das unidades federativas que podem ver a taxa de homicídios passar de 50 pessoas por 100 mil habitantes.

No Anuário Brasileiro de Segurança Pública 2018, do próprio FBSP, o Ceará apareceu como o terceiro estado com o maior número de assassinatos registrados em 2017, com uma taxa de 59,1. Ficava atrás apenas de Acre e Rio Grande do Norte, com 63,9 e 68, respectivamente.

(O POVO/Repórter Lucas Barbosa)

Justiça do Ceará continua a passos de tartaruga?

A Justiça do Ceará é a mais lenta do Brasil. Cada magistrado do Tribunal de Justiça do Estado (TJCE) conseguiu finalizar, em média, 908 casos em 2017. No Rio Janeiro, juízes alcançaram a marca de 3.321. Por trás do índice estão a mais baixa despesa da Justiça por habitante do País, R$ 125,3; as 83 vagas ociosas de juízes; iniciativas que tentam solucionar a lentidão e outras que aind estão em busca de identificá-los.

Os dados do relatório Justiça em Números,publicado nesta semana pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ), não são novos. No documento de 2017, com informações relativas a 2016, o Ceará já apresentava a pior marca de produtividade.

Para o advogado Mário Cruz Dias Neto, vários fatores justificam os resultados. “Poderíamos citar a falta de servidores, magistrados, principalmente nas comarcas do Interior”, pondera. Falta de melhor capacitação dos servidores e o baixo orçamento, conforme o advogado, também justificam a lentidão que prejudica o cotidiano do Poder Judiciário.

O presidente da Associação Cearense dos Magistrados (ACM), Ricardo Costa, reconhece o problema, principalmente nas varas criminais e de família, que demandam mais audiências e, portanto, mais tempo e servidores.

O juiz ressalta que o índice destacado pelo relatório não considera as decisões de sentença proferidas. Mas sim o arquivamento (ou baixamento) do processo. “O fato de eu proferir uma sentença hoje não quer dizer que eu finalizei o processo. A pessoa pode recorrer até a quarta instância”, explica.

O momento, conforme Ricardo, ainda é de identificar os gargalos da Justiça e aguardar os resultados de ações como a criação de vagas de assistentes nas comarcas (em maio de 2017) e de varas metropolitanas e especializadas.

“A criação da vara dos crimes organizados, em outubro, por exemplo, deve desafogar as demais unidades. Hoje, um juiz criminal fica até cinco dias debruçado num processo desse”, detalha. Para o juiz, os efeitos das mudanças deverão ser sentidos apenas em 2018.

Através de nota, o TJCE endossa as mudanças destacadas pelo presidente da ACM. Acrescentando a implantação do projeto de virtualização dos processos no Interior e a criação do Programa Melhoria da Produtividade 2018. “Vale ressaltar que o Judiciário cearense é o primeiro em número de conciliação do Brasil entre as Cortes estaduais, com 21,1%. No ano passado, o TJCE também liderou o ranking com índice de 25% de conciliações, o que representa 62.601 acordos do total de 250.682 sentenças”, cita o documento.

OAB-CE

O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-secção CE), Marcelo Mota, destaca que a marca de lentidão do Poder Judiciário cearense provoca uma sensação de falência da Justiça.

ÓRGÃOS

O POVO procurou a Defensoria Pública, o Ministério Público do Estado (MPE) e a Secretaria do Planejamento (Seplag). Nenhuma das instituições se posicionou sobre o relatório do CNJ.

(O POVO)

Vereador dos Progressistas declara voto a Salmito nas redes sociais

Com a segunda maior bancada da Assembleia Legislativa do Ceará, atualmente com sete parlamentares, os Progressistas (antigo PP) perderam uma liderança forte em Fortaleza, diante do anúncio nas redes sociais do vereador Dr. Eron Moreira à candidatura de Salmito Filho, do PDT. Para a Câmara Federal, Dr. Eron anunciou o voto para o correligionário Antonio José.

Com quase 8,1 mil votos em Fortaleza, na última eleição, o médico-oftalmologista Eron afirma que o apoio a Salmito fortalece o projeto político no Ceará.

(Foto: Divulgação)

Morre Narcílio Andrade, ex-presidente da Câmara Municipal de Fortaleza

Acontece na Câmara Municipal de Fortaleza o velório de Narcílio Andrade, , ex-vereador por 28 anos. Ele morreu nessa noite de terça-feira (28), aos 77 anos, vitima de insuficiência respiratória e complicações causadas pelo diabetes. O enterro ocorrerá no fim da tarde, no Cemitério Parque da Paz.

O presidente da Câmara Municipal, Salmito Filho (PDT), decretou luto oficial de três dias no parlamento.

Narcílio Andrade nasceu no dia 10 de março de 1941, em Juatama, distrito de Quixadá. Foi balconista de loja de discos, servente, auxiliar de escritório até concluir o curso de Contabilidade e assumir emprego na Cidao.

Em 1976 começa vitoriosa carreira política que o faria vereador de Fortaleza por 28 anos consecutivos. Era casado com Maria Iracilda da Costa, pai de Ubiratan, Nartan, Marcília e Marciana, avô de Rodrigo, Lucas, Mariana, Théo, Martin, Maria Giovanna e Pedro Arthur. Foi também Rei Momo do Carnaval de Fortaleza.

(Foto – Edimar Soares)

Princípio de incêndio é registrado em área da CSP

A Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP), situada em São Gonçalo do Amarante (Região Metropolitana de Fortaleza) registrou, na última segunda-feira, um princípio de incêndio.

O fato ocorreu no pátio de matérias-primas, com chamas chegando a atingir a correia transportadora interna de carvão mineral, segundo relatos de alguns funcionários.

O fogo imediatamente controlado e não se registrou feridos, de acordo com a assessoria de comunicação da CSP. As causas que provocaram o princípio de incêndio serão investigadas, adiantou a assessoria, acrescentando que a correia transportadora não operava no momento do fogo.

(Vídeo feito por leitor do Blog)

A economia também depende do Congresso

Com o título “A economia também depende do Congresso”, eis artigo da jornalista Beatriz Cavalcante. Soa como um alerta para a votação para os senhores parlamentares federais. Confira:

Tão importante quanto votar para presidente é estar atento aos candidatos ao Congresso Nacional (senadores e deputados) que vão representar os interesses, sobretudo, do nosso Estado. Afinal, são eles que votam muitas das medidas aplicadas no nosso País e impactam e muito no andamento da economia.

Vale lembrar que parlamentares já foram responsáveis por aprovar muitas “pautas-bomba”. Ou seja, projetos lesivos aos cofres públicos e que visavam a apenas interesses de determinados públicos. E a consequência chega, logicamente, à população, achatando mais ainda o poder de compra dos brasileiros.

Um exemplo foi neste ano, em julho, quando passou pelo Congresso a medida provisória que estabeleceu o frete mínimo para o transporte de cargas no País. Isso mexeu com o livre mercado de uma cadeia enorme de segmentos, diminuiu a margem de lucro das empresas e, no Ceará, como O POVO mostrou na matéria “Incerteza sobre frete atrapalha saída de mercadorias do Ceará para outros estados”, fez a entrega de produtos atrasar.

Outra medida aprovada foi o fim da cobrança da conta de luz para famílias com renda menor ou igual a meio salário mínimo, quando antes o desconto ia até 65%. O problema desta votação foi que não se analisou o fato de que alguém tem de pagar essa conta. Nada é de graça e tudo tem uma consequência, que chega à população.

A percepção é que os eleitores estão preocupados apenas com qual candidato irá ocupar a cadeira da Presidência da República. As redes sociais pululam embates, alguns com palavrões, sobre os presidenciáveis, e deputados e senadores vão ficando de lado. A polarização é entre Jair Bolsonaro (PSL) e Luiz Inácio Lula da Silva (PT) – este último preso por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Portanto, quem se preocupa com o futuro econômico do Brasil também deve entender o que um parlamentar faz e estar atento para votar consciente. Em suma, ele deve legislar, fiscalizar e propor políticas públicas, neste caso específico, matérias que não prejudiquem ainda mais as contas públicas. É importante saber se o candidato está proposto a encarar as reformas necessárias que o País precisa: política, tributária e previdenciária. A economia também depende do Congresso.

*Beatriz Cavalcante

beatrizcavalcante@opovo.com.br

Jornalista do O POVO.

Teatro RioMar Papicu recebe o espetáculo “O Bichão, uma comédia espilicute”

O comediante Haroldo Guimarães vai apresentar o espetáculo “O Bichão, uma comédia espilicute” nesta sexta, às 21 horas, e sábado, às 20 horas, no Teatro RioMar Papicu. O ator ficou conhecido depois de interpretar os personagens “Ciço”, de Cine Hollyúdy e “Fanho”, de Shaolin do Sertão.

No espetáculo, Haroldo, também advogado, professor e músico, traz divertidas histórias sobre assuntos do cotidiano, com uma maneira própria de falar e de interpretar suas ideias de um jeito espontâneo e extrovertido, já conhecido pelos fãs. “O Bichão, uma comédia espilicute” vem conquistando plateias em todo o país e tem classificação livre.

SERVIÇO

*Teatro RioMar Papicu – Rua Desembargador Lauro Nogueira, 1500.

*Mais Informações – (85) 99722.1222

*Ingressos: à venda na bilheteria do Teatro RioMar Fortaleza (Piso L3) e no site www.teatroriomarfortaleza.com.br

Valores

Plateia Baixa A – Inteira R$ 50,00 / Meia R$ 25,00

Plateia Baixa B – Inteira R$ 40,00 / Meia R$ 20,00

Plateia Alta – Inteira R$ 40,00 / Meia R$ 20,00.

(Foto – Divulgação)

Calçadão da Rua Guilherme Rocha passa por reforma

A Secretaria Regional Centro, da gestão municipal, iniciou as obras de reforma do calçadão da Rua Guilherme Rocha, prevista na primeira fase do projeto Fórum Novo Centro, um conjunto de intervenções que objetivam o ordenamento na região central de Fortaleza. Segundo a assessoria de imprensa da Prefeitura, a reforma tem previsão de conclusão no mês de novembro próximo.

Nesta quarta-feira, ás 8 horas, o secretário da Regional Centro, Adail Fontenele, estará visitando a obra que tem sua primeira fase abrangendo a Rua Guilherme Rocha entre a General Sampaio e Major Facundo.

A segunda etapa, prevista para iniciar em fevereiro de 2019, compreenderá a rua Liberato Barroso no trecho entre as ruas General Sampaio e Floriano Peixoto. Essas vias vão receber novos canteiros, pavimentação, colocação de bancos e lixeiras, instalação de quiosques para vendedores informais e nova iluminação.

(Foto – Paulo MOska)

Petição de Amoêdo para participar de debates chega a 500 000 assinaturas

718 2

A campanha do candidato a presidente da República pelo Partido Novo, João Amoêdo, está comemorando o resultado de uma petição lançada há dias.

Segundo informação da Veja Online, o documento virtual que pede a participação do postulante nos debates presidenciais deve chegar a 500 000 mil assinaturas ainda nesta terça-feira.

João Amoêdo, bom lembrar, cumprirá agenda em Fortaleza, nesta quarta e quinta-feira, tendo ao seu lado o ex-técnico Bernardinho, da seleção brasileira de vôlei. Entre alguns compromissos, palestra às 19 horas na Estácio FIC.

Confira a agenda

.

Hapvida lança nova função no seu aplicativo

O Hapvida está com uma nova função no aplicativo. Segundo a assessoria de imprensa do grupo, implantou a nova aba “Minha internação”. Por ela, é possível acompanhar o tratamento com apenas um clique.

A nova plataforma, que pomete maior transparência e assertividade sobre o diagnóstico do paciente, fornece diversas informações sobre a internação.

Pelo aplicativo, dá para conferir os medicamentos que estão sendo administrados, quais exames foram solicitados, se foi solicitado encaminhamento para outra especialidade e quais procedimentos (cirúrgicos, fisioterápicos, dentre outros) foram pedidos pelo médico.

DETALHE – Essa nova função pode ser acessada tanto pelo paciente, quanto por familiares, caso estes tenham o acesso do paciente.

Tande, ex-atleta do vôlei, dará palestra em Fortaleza

Tande, ex-jogador de vôlei, cumprirá agenda em Fortaleza no próximo dia 1º de setembro. Segundo a assessoria de imprensa da Universidade de Fortaleza, ele vem participar de um encontro com docentes e alunos da Instituição, em clima de bate-papo motivacional.

O encontro, que ocorrerá às 9 horas, no auditório da Biblioteca Central, vai marcar o Dia do Professor de Educação Física. Atualmente, o ex-atleta faz reportagens especiais para o Esporte Espetacular da TV Globo.

Bom lembrar que Tande integrou a Seleção Brasileira nos Jogos Olímpicos de Barcelona 1992 (medalha de ouro), Atlanta 1996 e Sydney 2000. No vôlei de praia, foi parceiro de Giovane, Emanuel, Loiola, Pará, Pedro Cunha e, em 2004, do cearense Franco.

(Foto – Divulgação)

Orquestra Sinfônica da Uece comemora seu nono aniversário com apresentação no TJA

A Orquestra Sinfônica da Universidade Estadual do Ceará (OSUECE) comemora nesta terça-feira, às 19h30min, com concerto no Theatro José de Alencar, seus nove anos de atividades.

Promete um megaespetáculo, sob regência dos maestros Alfredo Barros, Rélmerson Lima e William Ciríaco. No repertório Morceau de Concerto, para Trompa e Orquestra, com o solista Robson Lima; Sinfonia 101 de Haydn; Abertura Finlândia de Jean Sibelius; Batuque de Lorenzo Fernandez e Danzón de Arturo Márquez.

(Foto – Mateus Dantas)

 

Temer – A peste eleitoral

Com o título “Temer: a peste eleitoral”, eis artigo de Ricardo Alcântara, publicitário e escritor. Ele avalia o cenário dos candidatos à sucessão do presidente emedebista. Confira:

A eleição se dá num contexto singular: o governo a ser substituído é uma unanimidade negativa. 97 em cada 100 brasileiros o rejeitam. A cesta de maçãs envenenadas de Michel Temer traz a legitimidade questionada de sua investidura no cargo, as medidas impopulares adotadas, as investigações sobre a conduta do presidente e sua associação explícita com os métodos de “governabilidade” que mantém de pé, a custos incalculáveis para a nação, o presidencialismo de coalizão vigente.

Não se sabe ainda como o tucano Geraldo Alkmin irá varrer para debaixo do tapete latifundiário de seu tempo de propaganda o apoio dado ao governo, mas o que o candidato oficial do próprio partido de Temer, MDB, fará para se descolar um pouco da figura soturna de seu antigo chefe já está traçado: Henrique Meireles anda a lembrar que foi figura central na condução econômica do mais popular de todos os presidentes, Lula da Silva. Apresenta-se como o banqueiro que os socialistas amavam.

Ciro Gomes e Guilherme Boulos não perdem tempo agora, e Fernando Haddad não perderá logo adiante, em se posicionarem como anti-Temer. A estratégia de “fulanização” oferece vantagens: ao concentrar sua crítica na figura de Temer, a centro-esquerda dá personalidade instantânea a si mesma por oposição de valores. Ser anti-Temer dá compreensão automática do papel pretendido. É um emblema.

É incompreensível que Marina Silva não se agarre ao mastro seguro do discurso com a mesma intensidade dos demais. Mas Marina é Marina: a demolição não é sua especialidade. Não combina com seu temperamento e menos ainda com o bloqueio psicológico que o sentimento religioso lhe impõe. Poderá ficar mais uma vez pelo meio do caminho por falta de foco estratégico. Uma grande figura. Mas nem sempre aceita ver as coisas como as coisas realmente são.

*Ricardo Alcântara,

Escritor e publicitário.