Blog do Eliomar

Categorias para Ceará

Empresas cearenses participam de missão empresarial no Canadá

Durante toda esta semana, empresas cearenses participam da Missão Toronto, no Canadá, no encontro empresarial organizado pela Next Level Startups, especializada em eventos. O objetivo é levar ao conhecimento dos participantes o mundo das aceleradoras e das incubadoras de Ontario, uma das 10 províncias canadenses, a qual abrange cerca de 40% da população do país norte-americano.

As aceleradoras são focadas em empresas que tenham o potencial para crescerem muito rápido, enquanto as incubadoras buscam apoiar pequenas empresas de acordo com alguma diretiva governamental, diante de uma necessidade prévia.

Segundo o diretor de Marketing do Grupo Servnac, Allan Victor, Ontario é a principal província canadense, considerada o motor econômico do Canadá, apontada como o segundo maior polo de Tecnologia da Informação (TI) das Américas, ficando atrás apenas da Califórnia, nos Estados Unidos. De acordo ainda com o diretor da empresa cearense, Ontario também é a segunda maior concentração mundial de startups, que são empresas jovens que buscam a inovação em qualquer área ou ramo de atividade, procurando desenvolver um modelo de negócio escalável e que seja repetível.

(Foto – Divulgação)

Ministério da Integração libera R$ 20 milhões para obras do Cinturão das Águas

O presidente do Congresso Nacional, senador Eunício Oliveira (PMDB-CE) conseguiu liberar, junto ao Ministério da Integração, nesta segunda-feira (18), recurso na ordem de R$ 20 milhões para execução da obra do Cinturão das Águas do Ceará (CAC).

O canal está sendo construído pelo Governo do Estado, com recursos alocados pelo Governo Federal e vai receber a água do Eixo Norte do Projeto de Integração do Rio São Francisco.

Somente entre maio de 2016 e abril de 2017 o empreendimento obteve mais de R$ 244 milhões da União, valor 70% superior ao mesmo período do ano anterior – entre maio de 2015 e abril de 2016.

“Sempre que o Ceará e os cearenses precisarem do meu trabalho, seja através do governador, prefeitos e lideranças políticas do nosso Estado estarei ao lado deles, independentemente de cores partidárias. Esse é o meu papel”, afirmou Eunício.

(Foto: Divulgação)

Heitor quer nomeação de conselheiro em disponibilidade do TCM para vaga aberta no TCE

O deputado estadual Heitor Férrer (PSB) quer que a vaga a ser aberta no Tribunal de Contas do Estado (TCE), com a aposentadoria do conselheiro Teodorico Menezes, seja preenchida por um nome oriundo do quadro de conselheiros em disponibilidade do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM). Segundo Heitor, a Assembleia Legislativa não poderia indicar um novo nome para o cargo.

“Não faria sentido a Assembleia aprovar um novo nome para o TCE, já que todos os conselheiros do TCM estão em total disponibilidade para serem incorporados ao TCE. Seria um erro deste parlamento trazer para si o direito de indicar este nome”, expõe o parlamentar.

Heitor argumenta ainda que, segundo o entendimento jurídico, quando da extinção de cargo ou órgão, deve haver o reaproveitamento dos servidores postos em disponibilidade. “Sendo assim, os sete conselheiros que estão sendo pagos pelo cargo de atividade similar à de conselheiro do TCE devem ocupar a função. Caberia apenas ao presidente do TCE prover o cargo em um ato simples e indicar o substituto, sem a necessidade de aprovação pela Assembleia”, defende.

Grupo M. Dias Branco vai dizer por que é uma das empresas mais transparentes do País

O Instituto Brasileiro dos Executivos de Finanças (Ibef), regional do Ceará, e o Grupo M. Dias Branco vão bancar, às 19 horas desta terça-feira, a palestra “Transparência no Mundo dos Negócios”, no Hotel Gran Marquise.

A ordem é ressaltar o Troféu Transparência, gano pela M. Dias Branco por ser uma das empresas mais transparentes do Brasil.

À frente do evento estarão Geraldo Luciano, vice-presidente do Grupo M. Dias Branco, e Vera Ponte, diretora de Controladoria desse mesmo grupo. Atuará como moderador Ari de Sá, CEO do SAS Plataforma de Educação.

(Foto – Divulgação)

Loja nº 1000 da Pague Menos será inaugurada em outubro

1234 1

Deusmar Queiroz é o presidente do Conselho de Administração do Grupo.

A loja nº 1000, da Pague Menos, vai ser inaugurada, mês que vem, em Fortaleza (Rua José Vilar com Avenida Santos Dumont). Entre novidades, um setor de dermocosméticos e área de café.

São três andares, com seis escadas rolantes, numa área construída de mil metros quadrados. O grupo não revela o total do investimento.

“Essa loja vai trazer um novo conceito de farmácia para nosso Estado”, acentua o superintendente de Relações Institucionais do Grupo Pague Menos, Geraldo Gadelha.

(Foto – Divulgação)

Diretor de Inovação do ICC falará sobre inovação na Fiec

Pedro Meneleu, o CEO do Instituto do Câncer do Ceará (ICC), é o convidado a falar no Fórum de Inovação, evento promovido pela AMCHAM, entidade empresarial não-sindical, com mais de duas mil atividades por ano e 90 mil executivos participantes. Ele abordará nesta quarta-feira, das 13 às 18 horas, no auditório da Federação das Indústrias do Ceará (Fiec), os desafios que o ICC enfrenta e os inúmeros obstáculos e adversidades encontrados.

Meneleu também falará sobre como enfrentar esses obstáculos unindo boa gestão e um modelo de funcionamento eficaz e arrojado. Vai expor ainda todos os braços da instituição que abrange tratamento integralizado, ensino, acolhimento e inovação.

Participarão também do fórum David Dias, engenheiro e responsável pela área de Canais e Ecossistema para IBM Watson no Brasil, que palestrará sobre computação cognitiva e o novo paradigma da competitividade.

Presidente da Academia Cearense de Direito ganha comenda no Pará

André Meira, presidente do Instituto, e Roberto Victor

O presidente da Academia Cearense de Direito, o jurista e professor Roberto Victor Ribeiro, foi escolhido para ser o homenageado do ano com o Prêmio Sílvio Meira. A comenda é do Instituto Sílvio Meira, do Pará.

Na justificativa, o reconhecimento ao trabalho de Victor que, à frente da entidade, vem fomentando a cultura e incentivando a responsabilidade social nas escolas por meio de palestras na Capital e no Interior.

DETALHE – O jurista Sílvio Meira, que dá nome à comenda, foi membro da Academia Brasileira de Letras. Nascido em Belém (PA), foi um dos maiores biógrafos do jurista cearense Clóvis Beviláqua.

(Foto – Divulgação)

Agência Reguladora do Ceará e o pacote das concessões

Com o título “”PPPs: A importância do marco regulatório”, eis artigo do presidente da Agência Reguladora dos Serviços Públicos Delegados do Ceará (Arce), Hélio Winston. Ele destaca que o órgão acompanhará o desenrolar do pacote de concessões anunciado pelo governador Camilo Santana. Confira:

O Estado Brasileiro passa por uma profunda e crônica crise de financiamento que o impede de desempenhar bem suas finalidades constitucionais. Embora suas origens sejam antigas, a crise orçamentária e fiscal é muito aguda e leva à conclusão patente de que é necessário buscar, o quanto antes, novas fontes de recursos para atender ao contínuo fluxo de investimentos, principalmente em infraestrutura, bem como para a prestação de serviços públicos de qualidade, com o intuito primordial de atender com eficácia e efetividade a população.

O Governo do Ceará, frente à grave crise econômica que ainda se descortina, instituiu o Programa de Concessões e Parcerias Público-Privadas, visando atrair parceiros privados para impulsionar obras e projetos, para, assim, tornar o Ceará cada vez mais desenvolvido e competitivo, aumentando a oferta do serviço público e buscando, sempre que possível, a sua desoneração. A ideia é construir modelos, atrair novos investidores, criar empregos, dentro dos atrativos que o Estado já tem e os que podem ser ainda prospectados.

Nesse contexto, ressaltamos a importância de um adequado marco regulatório, capaz de promover, em especial, a garantia de investimentos, concomitantemente com a melhoria no serviço e com o estabelecimento, conforme o caso, de certos parâmetros tarifários, para não onerar em demasia os usuários, bem como a garantia de um retorno viável aos investidores. Para que tais objetivos sejam consolidados, é necessário que a Agência Reguladora, envolvida no planejamento e normatização do processo de viabilização da PPP, possa desenvolver seu trabalho técnico com independência orgânica e plena autonomia.

No caso específico do Ceará, o Programa de Concessões conta com a participação da Agência Reguladora do Ceará (Arce) que completa, agora em 2017, 20 anos. Será uma importante contribuição à regulação dos serviços públicos sob alçada da Agência que tem um corpo técnico de ampla experiência e excelência técnica. A Arce, inclusive, continua em processo contínuo de desenvolvimento institucional, estando em vias de inaugurar sua sede própria e com a perspectiva de realização de um novo concurso público, tudo isso num processo de fortalecimento de sua estrutura organizacional, visando cumprir suas finalidades e metas institucionais, preparando-se sempre para enfrentar velhos e novos desafios.

*Hélio Winston

helio.winston@arce.ce.gov.br

Professor de Direito Administrativo e presidente da Agência Reguladora do Ceará (Arce).

O aumento dos homicídios no Ceará não é ficção

Com o título “”3.417 mortos não são ficção”, eis artigo da jornalista Iana Soares, que nos expõe a onda de assassinatos de jovens e adolescentes nos últimos dias, no Ceará. Um roteiro absurdo que expõe o aumento dos homicídios. Confira:

Muitos anos depois, diante do fuzilamento, o jovem cujo nome nunca saberemos haveria de recordar o instante exato em que viu a Pajuçara do alto, em cima de uma roda-gigante, enquanto comia um algodão-doce ao lado da moça que beijara no beco, ao meio-dia. Ainda não adivinhava o filho que agora visitara.

Yasmin deitou o vestido sobre a cama depois de prová-lo e dar voltas diante do espelho de moldura azulada. Escolheu uma cor que contrastava com a areia vermelha de Pentecoste. Não sei se ensaiou a descida pelas escadas, se haveria escadas ou se os ciganos que passaram por Macondo também assistiriam à festa da menina que dançaria valsa e Anitta. Atravessada por uma bala, rasgou o tempo. Quinze anos são uma centelha para os que virão de solidão.

Adolescente é morto em frente a hospital após visitar filho recém-nascido. Enquanto segurava um bebê-conforto, um menino de 17 anos foi alvejado por uma quantidade não definida de tiros. A maioria das balas atingiu o rosto. Não relataram o movimento que o corpo fez antes de alcançar a calçada, mas houve quem perguntasse: “Tinha passagem?”. O filho estava dentro da maternidade, não no bebê-conforto.

Adolescente é baleada em assalto e morre no dia em que completaria 15 anos. Durante a comemoração de festa de aniversário da mãe, Yasmin Furtado foi atingida pelo disparo de um dos assaltantes. A bala ricocheteou na janela e foi parar na nuca da garota, que não sobreviveu.

As primeira frases dos dois últimos parágrafos foram manchetes do O POVO Online, em 15 de setembro. No sábado, 16, o jornal O POVO manchetou que, a três meses do fim do ano, o número de homicídios de 2017 já supera todo o ano anterior. Em oito meses e meio, 3.417 pessoas foram assassinadas no Ceará. Os dois primeiros parágrafos deste texto são a ficção que arrisco na tentativa de entendermos que há vidas interrompidas por questões que o Estado precisa enfrentar. Nunca serão apenas números.

*Iana Soares

ianasoares@opovo.com.br

Jornalista do O POVO.

Seminário vai discutir novos desafios para o planejamento de Fortaleza

Será aberto nesta segunda-feira, às 18 horas, no Theatro José de Alencar, o seminário Cidade, Memória e Modo de Viver, uma realização dos arquitetos Jeferson John e Izabela Lima. O objetivo é discutir o futuro da cidade de Fortaleza.

Jeferson John deu detalhes para o Blog sobre a programação, que será aberta como palestra do prefeito Roberto Cláudio (PDT).

Sobral foi sede de curso do Programa Nacional de Alimentação Escolar

Sobral sedia formação do Programa Nacional de Alimentação Escolar

A Secretaria de Educação de Sobral (Zona Norte) foi sede, no fim de semana, do curso de formação de atores do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE). As aulas foram ministradas no auditório do Paço Municipal, numa promoção do Centro Colaborador em Alimentação e Nutrição do Escolar (Cecane), da Universidade Federal do Ceará. A formação preparou gestores municipais para o desenvolvimento de ações de educação alimentar e alimentação saudável nas escolas.

A formação foi conduzida pelo coordenador do Cecane, professor José Arimateia Bezerra, que explicou a importância de apresentar o programa para os novos profissionais que estão chegando após renovação de gestão por conta das últimas eleições municipais de 2016.

O secretário da Educação de Sobral, Herbert Lima, saudou os presentes e lembrou da realidade sobralense: “Nós, que vivemos uma realidade com 58 unidades escolares e 35 mil alunos, temos uma logística de médio porte, então imagino que esse desafio de prestação de contas e qualidade que é oferecida aos nossos alunos é variável de município para município”, finalizou agradecendo aos coordenadores da formação.

O evento contou com a participação de representantes de gestores municipais de educação de 30 municípios da Região Norte, entre gestores da alimentação escolar (PNAE), conselheiros da alimentação escolar (CAE), gestores escolares, coordenadores pedagógicos, nutricionistas, merendeiras, professores da educação básica e agricultores familiares, dentre outros.

(Foto – Divulgação)

Cabo Sabino admite de novo deixar o PR

O deputado federal Cabo Sabino voltou a admitir insatisfações com o Partido da República. Ele não apoia o governo de Michel Temer, que conta com o PR como base aliada.

Cabo Sabino, inclusive, conversa com outros partidos de olho em sua reeleição ano que vem. Uma das legendas que lhe agrada é o Podemos, comandado nacionalmente pelo senador Álvaro Vale (PR).

O problema é que o Podemos deve ter candidato a presidente da República e não gostou dessa história do Cabo Sabino já ter informado que quer votar em Jair Bolsonaro para o Palácio do Planalto.

(Foto- Arquivo)

Assembleia Legislativa vai discutir alterações no projeto de organização judiciária do Ceará

A Assembleia Legislativa, por meio da sua Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJR), vai promover, a partir das 14 horas desta segunda-feira, uma audiência pública para discutir alterações na organização judiciária do estado do Ceará. O debate ocorrerá no Complexo de Comissões Técnicas da Casa. As mudanças estão previstas no projeto de lei nº 73/2017, oriundo da mensagem nº 6/17 , de autoria do Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE).

A audiência atende a requerimento dos deputados Fernanda Pessoa (PR)
e Bruno Pedrosa (PP) e tem como subscritores Audic Mota (PMDB), Capitão Wagner (PR), Danniel Oliveira (PMDB), Carlos Felipe (PCdoB), Dra. Silvana (PMDB), Evandro Leitão (PDT), Heitor Férrer (PSB), João Jaime (DEM), Julinho (PDT), Manoel Duca (PDT), Mário Hélio (PDT), Robério Monteiro (PDT) e Tin Gomes (PHS).

Os deputados defendem a importância de debater o assunto, com o objetivo de melhorar a qualidade da prestação jurisdicional na área extrajudicial, dando condições necessárias para que os serviços públicos sejam prestados com rapidez, qualidade satisfatória e eficiência.

Além de prefeitos e ex-prefeitos do Ceará, foram convidados para a audiência pública o presidente do TJCE, desembargador Gladyson Pontes; o presidente da Ordem dos Advogados do Ceará (OAB/CE), Marcelo Mota; a defensora pública Geral do Ceará, Mariana Lobo, entre outros.

No O POVO, além das notícias, lições de vida…

Uma lição de vida.

Eis o que nós do Grupo de Comunicação O POVO aprendemos nesta manhã de segunda-feira. Magna do Vale, da área comercial foi recebida feito rainha por seus companheiros de trabalho. Passou cerca de um ano superando um câncer e, como disse, aprendendo que não valemos nada se não olharmos nosso próximo com amor e compreensão.

Magda chegou numa limusine, foi abraçada por todos na entrada do O POVO e, de quebra, nos jardins, ganhou recepção ao som de músicas maravilhosas, tocadas por Tony Maranhão, e que nos passaram mensagens de força e confiança.

Ela nos deu uma grande lição de obstinação e nós passamos a entender mais ainda o porquê de O POVO ser uma empresa boa para se trabalhar.

(Foto e vídeo – Paulo MOska)

Projeto Proinfância em debate no MPCE

O Ministério Público do Estado do Ceará, a Secretaria da Justiça e Cidadania e o Tribunal de Justiça do Estado farão, às 10 horas desta segunda-feira, no auditório do MPCE, a primeira reunião do programa Proteção à Infância e à Adolescência (Proinfância). O encontro vai reunir  todos os integrantes da rede de assistência à criança e ao adolescente.

O projeto Proinfância tem o objetivo de garantir que o encarceramento dos genitores ou do(a) responsável reflita o mínimo possível em seus filhos e/ou dependentes, sejam eles crianças, adolescentes ou pessoas com necessidades especiais. Para isso, é necessário o engajamento de toda a rede de proteção para, de modo absolutamente prioritário, agir com o objetivo de garantir a proteção dos direitos das crianças e adolescentes.

SERVIÇO

*Centro de Apoio do MPCE – Avenida Antônio Sales, 1740 – Dionísio Torres.

Fortaleza ganha um novo dicionário da violência

133 1

Com o título “O novo dicionário da violência”, eis o teor da coluna Segurança, do O POVO desta segunda-feira, assinada pelo jornalista Ricardo Moura. Confira:  

O Ceará voltou a sofrer com a escalada dos homicídios. Há, contudo, uma diferença importante em relação a 2014, ano mais violento da história: os grupos criminosos nunca estiveram tão organizados e fortemente armados quanto agora. A capacidade de a Polícia prover segurança aos cidadãos vem sendo desafiada em territórios dominados não mais pelo Estado, mas pelo tráfico. Alguns termos e expressões comprovam que, no campo da Segurança Pública, o cenário é diverso de tudo que vimos até aqui. A coluna faz um apanhado desse novo vocabulário da violência na tentativa de compreender a atual realidade:

O Crime. Sujeito coletivo e indeterminado, “o Crime” não tem face. Suas ordens espalhadas em pichações pelos muros da Cidade têm força de lei. Não se sabe ao certo quem definiu o destino de uma praça ou de uma comunidade, mas é de bom tom não afrontar. “Ao entrar, tire o capacete e baixe o vidro”, as duas instruções interligadas funcionam como uma dica de segurança para quem é de fora das “áreas”. Tais frases funcionam como o código de conduta de um poder paralelo ao do Estado que não teme medir seu potencial de regular as vidas alheias. Não à toa, a resposta da Polícia na Cidade Jardim, área dominada por facções, veio sob a forma de grafite: “Bandido não manda em nada”.

“Tudo 2, tudo 3”. A expressão corrente nas periferias revela o fatiamento do espaço público promovido por grupos rivais. Os números substituem as letras que dão nome às facções. Pronunciá-las no local errado não é seguro. É preciso saber se está “tudo 2” ou “tudo 3”, ou seja, quem manda naquele pedaço. Tal conhecimento tornou-se um requisito para navegar pela Cidade. O mapa dessa ocupação ainda está por ser totalmente elaborado. O que temos hoje são peças de um intricado quebra-cabeça territorial.

Medo. Em um intervalo curto de tempo, a dinâmica da violência no Estado sofreu uma transformação brutal. Se na paralisação dos PMs, em janeiro de 2012, o caos que se instalou devia-se ao espectro sem rosto dos nossos próprios temores, o medo que sentimos hoje tem nome e número. Tão importante quanto sua capilaridade e capacidade de mobilização, o Crime conta hoje com a capacidade de infligir pânico social em dose suficiente para fazer com que uma capital do porte de Fortaleza pare, como ocorreu em 19 de abril deste ano.

Guerra de facções. O termo veio de fora, mas logo se incorporou ao nosso vocabulário político e social. O conflito entre facções é sempre apresentado como justificativa pelos órgãos de segurança para o descalabro em que vivemos, mas dizer que estamos em “guerra” não pode ser a única explicação para tudo o que está acontecendo. É preciso compreender como as dinâmicas criminais operam nos territórios. E isso é um trabalho que envolve muita Inteligência, ou seja, o momento atual exige mais astúcia que força.

Microchacinas. Um terremoto costuma ser sucedido por pequenos tremores que mantêm a terra em movimento, mas nem sempre são capturados pelos sistemas de detecção. Fenômeno semelhante ocorre com as matanças. Há as que chamam atenção, mobilizam e tornam-se marcos históricos, como a Chacina da Grande Messejana. E há os homicídios múltiplos que, por sua grande quantidade e menor visibilidade, restringem-se à escala microssocial, tornando-se quase imperceptíveis. Daí o uso de uma nova expressão para dar conta desse fenômeno: microchacina. A coluna abordou o tema em maio.

Paz, pacificação. Carro-chefe da área de Segurança do Governo Camilo Santana, o Ceará Pacífico contou com pouquíssimo tempo de implementação até ser confrontado por um processo paralelo de “pacificação” promovido pelo Crime. O que se convencionou denominar de “paz”, na verdade, foi uma reconfiguração do mercado de entorpecentes no Ceará, passando de um contexto de microtráfico marcado pela fragmentação e por conflitos pontuais para uma estrutura mais articulada de canais de comercialização, redefinição de territórios e publicidade intensiva. Essa configuração foi abalada, contudo, pela Guerra de facções.

“Justiça ou cemitério”. Como o aceno à Paz não apresentou os resultados desejados pelo Governo do Estado até o presente momento, a opção pelo confronto direto tornou-se política governamental hegemônica respaldada pelo forte apelo ao espírito de corpo que une os policiais. A expressão “Justiça ou cemitério” não é apenas uma particularidade local, mas sintetiza o modo como se compreende a Segurança Pública no Brasil de hoje. E isso é preocupante.

(Foto – Nivaldo Lima -Futurapress)