Blog do Eliomar

Categorias para Ceará

BNB lança linha de crédito para setor varejista

O presidente do Banco do Nordeste vai lançar, às 14 horas desta quarta-feira (240, em sua sede, em Fortaleza, o Giro BNB Digital. Trata-se de um produto desenvolvido com base em plataforma digital, cuja operacionalização é feita toda, de forma automatizada, para ser oferecido às empresas varejistas indicadas por atacadistas que formalizaram previamente parcerias com o BNB.

O novo produto propiciará aos varejistas, segundo o dirigente do banco, mais conveniência, segurança e rapidez nas suas compras dos atacadistas e trará vantagens para ambos. A nova plataforma combina o diferencial dos prazos e das taxas de juros exclusivos, com recursos do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE), e a conveniência do crédito automatizado e simplificado, rotativo e pré-aprovado.

Repor estoques

Os varejistas poderão recompor seus estoques de mercadorias com as vantagens do pagamento à vista aos atacadistas, com prazos de reembolsos mais estendidos, o que possibilita aumento das vendas e melhor acesso ao crédito, com a garantia do atacadistas.

Na quarta-feira, serão formalizados os primeiros acordos de cooperação entre o Banco e três atacadistas cearenses: Jotujé Distribuidora, JA Distribuidora e Empório Cearense, pioneiras no Estado e que oferecerão condições diferenciadas aos seus clientes, possibilitando aos varejistas adquirir mercadorias com crédito rotativo e pré-aprovado, prazos mais cômodos e com taxas de juros atrativas do FNE, além de contar com bônus de 15%, no caso de pagamento em dia.

 

O Centenário do poeta Gerardo Mello Mourão

Com o título “Um gênio da arte da ressurreição”, eis artigo do escritor, professor e juiz estadual Mantovanni Colares, sobre o poeta cearense Gerardo Mello Mourão, cujo centenário se comemora neste 2017. Confira:

O poeta tem a ilimitada permissão para despertar em nós estranhos sentidos, ao cerzir no tecido da imaginação algumas expressões aparentemente sem nexo; assim o fez Fernando Pessoa, por exemplo, ao se referir a “músicas invisíveis”. E por acaso existiriam músicas visíveis? Esse é o primeiro socorro argumentativo racional que nos invade, para depois também questionarmos se a visibilidade mantém relação de pertinência com algo a abstrata música. Na verdade, o que Pessoa constrói nesses versos é algo magicamente lírico; a poesia fala de alguém a sonhar, inventando palcos e cenários, para viver o sonho “Entre luzes brandas / E músicas invisíveis…”. As luzes que alimentam os sonhos não são as de holofote, agressivas, a queimar a pele dos que porventura estejam no palco. As luzes ofuscantes se revelam tão assustadoras quanto as músicas escandalosas, e por isso não combinam com a necessária ambiência própria dos que almejam viajar por sonhos, que é a da penumbra, com luzes brandas, e músicas quase imperceptíveis, assustadoramente silenciosas. Eis as músicas invisíveis.

Uma das mais instigantes junções poéticas supostamente desconexas, porém, é a referência a “ouvidos cegos”. Não seriam ouvidos moucos? Para nós, mortais, sim. Os poetas, todavia, vão além, e nesse caso a ousadia foi talhada por Gerardo Mello Mourão, aquele que “conseguiu o máximo de expressão usando recursos artísticos que nenhum outro empregou em nossa língua”, assim se referiu Carlos Drummond de Andrade ao cearense nascido nas Ipueiras, e que dominava não só o idioma nosso, mas também holandês, alemão, francês, italiano, inglês e espanhol, sem falar no grego e no latim.

Os ouvidos cegos imaginados pelo Poeta eram os de Ulisses (ou Odisseu), rei de Ítaca, personagem principal do poema épico Ilíada, de Homero, abordando acontecimentos da Guerra de Tróia, e justamente numa das viagens em ilha do Mediterrâneo, cujos navios sempre naufragavam por se aproximar das costas repletas de rochas, pois ali o canto das sereias enfeitiçava os marinheiros, que se deixavam levar ao destino cruel de por elas ser devorados, o precavido Ulisses determinou aos seus comandados que o amarrassem ao mastro de sua embarcação, e tapassem seus ouvidos com cera de abelha, ordenando-os que não o libertasse, ainda que ele implorasse para tanto, e graças a isso conseguiu atravessar a nau sem sucumbir ao encanto fatal das estranhas criaturas.

Gerardo Mello Mourão, o mágico artesão das palavras, imaginou então “O que as sereias diziam a Ulisses na noite do mar” – esse é o nome do poema –, e em seu canto aquelas deusas do abismo molhado prometiam ao rei de Ítaca “um leito de rosas e lençóis de jasmim”, lembrando-o de que “os que dormem com deusas / deuses serão”, para em seguida suplicar: “Não partas! / Se partires / as velas da tua nau serão escassas / para enxugar-te as lágrimas – e nunca / nunca mais tocará a pele das deusas / nunca mais a virilha das fêmeas dos homens / e nunca mais serás um deus / e nunca mais a melodia de uma canção de amor / dos hinos de himeneu: / abelhas mortas para sempre irão morar / na pedra do jazigo de cera / de teus ouvidos cegos”.

Impõe-se a bendita paciência para alcançar a grandiosidade do último verso: “de teus ouvidos cegos”. Lembremo-nos da ordem de Ulisses aos marinheiros, da imposição das amarras ao mastro central do navio, da colocação da cera de abelha em seus ouvidos, para não permitir a doce invasão do canto das sereias em sua mente. Mas no canto das deusas sedutoras imaginado por Gerardo Mello Mourão, a advertência é estarrecedora; se Ulisses não se deixasse encantar, seus ouvidos seriam um jazigo no qual, para todo o sempre, habitariam abelhas mortas – todas as que foram necessárias para produzir a cera –, e por isso aqueles ouvidos deveriam ficar destampados, abertos ao mundo e aos sonhos, ouvidos que não se deveriam permitir um lacre da não-sedução, ouvidos cegos, portanto, porque a visão, para o Poeta, é um atributo de cada pedaço do ser, não só dos olhos. Ouvidos cegos. Ouvidos incapazes de mirar os sonhos. Melhor abri-los, pois, ainda que tal atitude levasse o marinheiro ao naufrágio.

Esse é um pequeno exemplo da profundidade do escultor da palavra, o Poeta cearense cujo centenário de nascimento se dá neste ano de 2017, e no qual também se completam dez anos de seu falecimento, e ainda vinte anos do único poema épico escrito em língua portuguesa no Brasil, “Invenção do Mar”, publicado em 1997.

“Invenção do Mar” entoa um Brasil de gênese moldada em período anterior ao episódio das caravelas que aqui aportaram, porque Gerardo Mello Mourão sentencia que os portugueses “inventaram o mar, que inventou o Brasil. Pois o Brasil é uma invenção do mar, inventado por Portugal”. E muito antes de 1421, data na qual o infante Dom Henrique testemunhava o espetáculo de tantas caravelas lançadas ao mar, rumo à ousada tentativa de ultrapassar o Cabo Bojador, dois séculos para trás daquele dia, o rei Dom Dinis, ao perceber na cidade do Porto que dentre as dezenas de barcos singrando o rio não se avistava nenhum português – pois em Portugal não havia tábua para barco –, convocou os nobres e foram plantar pinho em terras portuguesas, e consta que ele plantou com as próprias mãos e com as mãos da rainha Isabel alguns dos pinhais de Leiria onde, tempos depois, se tiraram as tábuas para as caravelas portuguesas. E Dom Dinis mandou plantar cânhamos, para tecer as velas dos barcos, porque em Portugal se tinha apenas lã, e a lã não se prestava para as velas. E Dom Dinis mandou fundir ferro, das minas de Trás-os-Montes, para fazer pregos e tarraxas. E foi graças ao sonho e às atitudes desse que ficaria conhecido como “O Rei Poeta”, que as esquadras portuguesas inventaram o mundo que hoje conhecemos. Gerardo Mello Mourão, sempre que possível, lembrava essa história, daí os versos que inauguram com força e beleza seu “Invenção do Mar”: “Ai flores do verde pinho / ai pinhos da verde rama”. São os pinhais de Leiria.

É preciso que as novas gerações e a de sempre descubram ou redescubram Gerardo Mello Mourão, esse gênio da “arte da ressureição” – assim ele conceituava a poesia –; é fundamental que nos lancemos, tal como os portugueses o fizeram em relação ao mar, na magnífica obra poética desse gigante da palavra, erguendo por sobre o mastro do lirismo fincado no navio dos sonhos uma imensa bandeira branca, adornada com esses versos de “Invenção do Mar”: “não importa chegar – o que importa é partir.”

*Mantovanni Colares,

Juiz estadual, professor e escritor; e constantemente faz referência à poesia de Gerardo Mello Mourão em encerramentos de palestras jurídicas ministradas país afora.

Cid rebate dono da JBS: “É manchete para aqueles que desejam nos igualar ao lamaçal da política”

O ex-governador Cid Gomes (PDT dá entrevista coletiva, nesta momento, no Comitê de Imprensa da Assembleia Legislativa. Ele está acompanhado de alguns dirigentes de partidos aliados e de correligionários. A coletiva tem o objetivo de esclarecer sobre denúncia feita, em delação, por Joesley Batista, um dos donos da JBS, de que ele teria recebido “propina” de R$ 20 milhões para a campanha de 2014.

Cid deixou claro  que, ao saber da denúncia, tratou de rebatê-la. “Isso é a manchete que fica, principalmente para aqueles que desejam nos igualar ao lamaçal da política”, disse, acrescentando que sua índole não permite fazer alguma solicitação vinculado com benefício ao Estado.

Sobre a acusação do empresário de que o então governador teria feito o repasse no valor de R$ 110 milhões à JBS em relação aos créditos do ICMS como condição para a doação de R$ 20 milhões à campanha de Camilo Santana (PT), o pedetista afirmou que “é obrigação do Estado pagar”.

“Se o Estado não pagasse, eu é que seria responsabilizado. Eu poderia ter hoje as minhas contas reprovadas e estar condenado por crime de responsabilidade”, se defendeu.

Cid alegou ainda que “todos os débitos de todas as empresas foram pagos ao cabo dos dois mandatos”. “Em 2010 tudo o que tinha de dívida foi pago. Em 2014 tudo foi pago”. A JBS afirmou ainda em delação premiada que os valores referentes a 2011 e 2014 estavam em atraso. O ex-ministro rebateu: “A empresa recebeu em 2011, recebeu em 2012 e recebeu em 2013. Ao cabo do mandato, tudo foi pago”, finalizou.

(Também com POVO Online)

 

Outback comemora dois anos promovendo jantar em beneficio da Associação Peter Pan

O Restaurante Outback Steakhouse, do Shopping Iguatemi, vai comemorar, nesta terça-feira, dois anos de funcionamento promovendo um jantar em benefício da Associação Peter Pan.

O jantar, aberto à clientela e com vários convites endereçados também para artistas, gdnte da mídia, lideranças empresariais e autoridades, terá renda revertida para as obras de ampliação do Centro Pediátrico do Peter Pan.

Extinção do TCM – Executiva fecha contra emenda e maioria da bancada decide o contrário

A Executiva Estadual do PMDB decidiu, por unanimidade, em reunião realizada nesta manhã de segunda-feira, fechar questão contra a proposta de emenda constitucional de autoria do deputado Heitor Férrer (PSB), que prevê a extinção do Tribunal de Contas dos Municípios. A informação é do presidente em exercício do partido, Gaudêncio Lucena.

Ele informou ainda que, no início da reunião, recebeu um requerimento da bancada estadual sobre o assunto. Dos cinco deputados estaduais, três se posicionaram a favor da emenda de Heitor, enquanto dois não assinaram o documento. A favor da emenda: Audic Mota, Dra Silvana e Agenor Neto; contra, Leonardo Araújo e Danniel Oliveira.

Houve apreciação do requerimento, mas, de acordo com Gaudêncio, por unanimidade, a Executiva fechou questão contra a emenda e pela manutenção do Tribunal de Contas dos Municípios, observando que seria um contrassenso do partido ser ficasse a favor dessa emenda, quando o senador Eunício Oliveira, liderança da sigla, tem emenda evitando a extinção desses tribunais.

Posição da bancada sobre a emenda: 3 x 2 pela extinção

Indagado sobre a posição dos três deputados a favor da emenda de Heitor, o presidente em exercício, baseado em regimento interno do PMDB, adiantou: “Só há duas situações no caso para que o deputado que não atender essa orientação sofra punição: votar contra a emenda ou se ausentar no dia da votação.”

“Nossos políticos e as respostas que esperamos”

Com o título “Nossos políticos e as respostas que esperamos”, eis artigo do jornalista Guálter George, editor-executivo de Conjuntura do O POVO. Ele aborda os citados pela delação dos donos da JBS no Ceará e cobra boas explicações. Confira:

Seria ingenuidade imaginar que os tentáculos extensos do esquema criminoso de financiamento de políticos e partidos organizado pela JBS não chegaria ao Ceará. Chegou e o que está dito exige esclarecimentos mais convincentes dos nomes envolvidos.

Oferecer valor absoluto de verdade ao que denunciam os delatores seria um imperdoável erro, que nem mesmo o ambiente contaminado que o País experimenta seria capaz de justificar. Portanto, consideremos que tudo que está dito precisará ainda de provas mais robustas para serem consideradas de maneira definitiva.

Dito isso, as pessoas públicas citadas devem se sentir obrigadas a oferecer uma boa explicação à sociedade. O primeiro deles é o ex-governador Cid Gomes, apresentado no relato como responsável direto pelas tratativas com os mega-financiadores de campanhas para que R$ 20 milhões viessem ajudar a candidatura de Camilo Santana no Ceará.

Da mesma forma que espera-se boas respostas do senador Eunício Oliveira, dos deputados federais Antônio Balhman (licenciado do mandato) e Raimundo Gomes de Matos e do secretário Arialdo Pinho. O que foi dito até agora como explicação parece longe de afastar dúvidas sobre o episódio.

Da parte do governo, a despeito de os vídeos mostrarem que Camilo Santana era um autêntico desconhecido da turma que liberava o dinheiro, a crise exige uma administração transparente e clara. O cidadão em geral é submetido a uma brutal carga tributária, o que torna inaceitável qualquer renúncia fiscal que não esteja justificada no melhor interesse público.

Esperemos e cobremos.

*Guálter George,

Editor-executivo de Conjuntura do O POVO.

Conselho Regional de Contabilidade quer integrar Contencioso do Estado, mas Sefaz barra

Tramitando, na Assembleia Legislativa, uma mensagem do governo estadual alterando aspectos da legislação do Conselho Tributário do Estado (Conat), que cuida do contencioso.

O Conselho Regional de Contabilidade aproveita essa mudança em discussão e quer ter direito a vaga no organismo, até por ser órgão ligado ao tema relacionado à matéria.

A Secretaria da Fazenda, segundo a presidente do CRC, Clara Germana, não quer a participação do conselho. Ela tentou respostas sobre o porquê dessa postura do órgão, mas não obteve retorno até agora.

 

MEC reconhece curso de Fisioterapia da Estácio FMJ de Juazeiro do Norte

Saiu no Diário Oficial da União portaria de reconhecimento, pelo Ministério da Educação, do Curso de Fisioterapia da Estácio FMJ, de Juazeiro do Norte (Região do Cariri). Com o nº 383, a portaria foi publicada no dia 2 de maio, com oferta de 100 vagas anuais. O curso passou por avaliação no final do ano passado, contando com nota 4, conceito considerado “muito bom”.

Uma equipe técnica do MEC esteve na Estácio FMJ, em dezembro do ano passado, para verificar a infraestrutura do curso, corpo técnico de professores, funcionários e alunos, entre outros itens de avaliação.

Há cerca de seis meses, o curso passou a trabalhar de forma mais ampla junto à sociedade, com a inauguração da Clínica Escola de Fisioterapia. São cerca de 800 pessoas atendidas nos últimos meses, com serviços exclusivos junto à sociedade.

(Foto – Divulgação)

PMDB fará reunião para definir posição sobre emenda que extingue o TCM

O presidente em exercício do PMDB estadual, Gaudêncio Lucena, confirmou reunião extraordinária da executiva do partido, a partir das 10h30min desta segunda-feira, na sede da legenda.

O assunto, segundo Gaudêncio, é um só: o partido avaliar posição sobre a emenda de autoria do deputado estadual Heitor Férrer (PSB), que pede a extinção do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM).

Gaudêncio Lucena e o senador Eunício Oliveira são contra a PEC, pois veem como uma vingança, da parte do governador Camilo Santana  (PT) e dos Ferreira Gomes, contra o presidente do TCM, Domingos Filho.

Quando da eleição da presidência da Assembleia Legislativa, no fim do ano passado, a oposição apoiou Sérgio Aguiar (PDT) contra a reeleição de Zezinho Albuquerque (PDT), o que gerou a briga política.

 

DETALHE – O senador Eunício Oliveira é autor de PEC no Senado que evita a extinção de tribunais de contas. Há, também, liminar concedida pela presidente do STF, ministra Càrmen Lúcia, garantindo sobrevida ao TCM. O governo estadual apoiou a PEC.

DETALHE 2 – Será interessante essa reunião para saber a posição dos deputados Agenor Neto e Audic Mota, que, na Assembleia, atuam na base governista.

Fortaleza ganha destaque em assembleia da OMS por reduzir mortes no trânsito

Fortaleza foi destaque, nesse domingo (21/05), em evento que faz parte da 70ª Assembleia Geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), em Genebra, por ter reduzido o número de mortes no trânsito. A informação está no site da Prefeitura e deiz que a secretária de Municipal da Saúde, Joana Maciel, ao lado da coordenadora de Relações Internacionais, Patricia Macedo, representando a Capital cearense, falou sobre os programas de segurança viária e mobilidade urbana durante painel “Parceria por Cidades Saudáveis”, da Bloomberg Philanthropies, da qual Fortaleza faz parte.

Joana Maciel expôs, no painel, sobre o exemplo e as ações realizadas pela Prefeitura que “resultaram na redução de 36% nas mortes causadas por acidentes de trânsito”. A secretária citou programas como o Sistema de Bicicletas Compartilhadas, o Bicicletar, que já possui 800 bicicletas espalhadas pela cidade e atualmente é o programa mais usado entre todos do País; a primeira Área de Trânsito Calmo, implantada no Rodolfo Teófilo, outras duas serão instaladas na Cidade 2000 e nas proximidades do Hospital Albert Sabin, no bairro Vila União; as travessias elevadas para pedestres; o aumento no número de ciclofaixas e ciclovias e a redução para 40 quilômetros da velocidade em vias de Fortaleza.

(Foto -Site da Prefeitura)

Cid Gomes dará coletiva sobre denúncias feitas pela JBS

234 1

O ex-governador Cid Gomes (PDT) dará entrevista coletiva, às 12 horas desta segunda-feira, no Comitê de Imprensa da Assembleia Legislativa.

Segundo sua assessoria de imprensa, falará sobre a gravação em que um diretor da JBS diz que Cid pediu doação no valor de R$ 20 milhões para a campanha do governador Camilo Santana (PT). O grupo chegou a prometer a liberação desde que o Estado, época em que ele era governador, liberasse crédito de R$ 110 milhões da JBS.

A negociação teria sido feita com mediação de dois secretários estaduais: Antônio Balhamnn, hoje titular de Assuntos Internacionais, que, na época, era deputado federal, e Arialdo Pino, atualmente titular do Turismo, que, naquela ocasião, era o chefe da Casa Civil do Governo.

Secretário Artur Bruno e o neto em clima de manifestações contra Temer

Do secretário estadual do Meio Ambiente, Artur Bruno, em seu Facebook, nesse domingo em que houve ato contra Temer em Fortaleza, na Praia de Iracema:

Meu netinho Iago Iago na sua primeira manifestação. Milhares de pessoas na Praia de Iracema e Beira Mar gritando Fora Temer e Diretas Já. Ato amplo com muitos sindicalistas, políticos e cidadãos de bairros de Fortaleza e do interior do Estado. Muita emoção e vontade de acabar com a corrupção e lutar por um Brasil melhor

Secretários estaduais citados na delação da JBS permanecem no governo

 

Os dois secretários citados por Wesley Batista em delação premiada devem continuar no governo. Um dos donos da JBS, empresa investigada na Operação Lava Jato, Batista acusa os secretários de intermediar pagamento de propina de R$ 20 milhões para a campanha de Camilo ao governo do Estado em 2014.

O POVO apurou que a decisão foi tomada ontem, em reunião a portas fechadas entre Camilo e membros do Conselho por Resultados e Gestão Fiscal (Cogerf).

Antonio Balhman (Assuntos Internacionais) e Arialdo Pinho, que na época ocupavam os cargos de chefe da Casa Civil de Cid Gomes e deputado federal, respectivamente, teriam liberado pagamento de uma dívida de R$ 110 milhões do Estado com a JBS em troca de repasse.

Segundo uma fonte ligada ao governo, uma parte do secretariado de Camilo quer o afastamento imediato de ambos, enquanto outra alega que a atitude poderia funcionar como “condenação prévia”. O governador decidiu, então, manter os secretários em suas funções.

Marcado para a hora do almoço, o encontro não foi divulgado para a imprensa com antecedência, tendo sido confirmado horas depois. Participaram Nelson Martins (Casa Civil), Mauro Filho (Fazenda), Flávio Jucá (Controladoria e Ouvidoria Geral) e Juvêncio Vasconcelos (Procuradoria-Geral do Estado), além de Maia Júnior (Secretaria de Planejamento e Gestão), que articulou a reunião.

De acordo com o titular da Seplag, não é incomum encontros acontecerem aos fins de semana. Maia explicou ter agendado a conversa na quinta-feira, 18, dia em que o conteúdo das delações da JBS começou a vir à tona, para “avaliar as consequências econômicas do que está acontecendo”.

O governador, ele conta, estaria doente naquele dia e, no seguinte, teria viagem marcada para o Interior. A única data restante seria teria sido o domingo.

“Eu já participei de outras reuniões no fim de semana”, disse Maia., negando em seguida que a situação de Pinho e Balhmann tenha sido discutida no encontro. Sobre isso, ele preferiu não comentar. “Tem que falar com a área política, eu trato sobre a economia”, desconversou.

Procurado, Nelson Martins não atendeu as ligações da reportagem. A assessoria de imprensa do governador não confirmou a decisão de manter os secretários citados em delações.

O POVO tentou contato com Pinho e Balhmann, mas eles não foram localizados. A assessoria de Pinho afirmou que ele está viajando.

Por meio de nota enviada no último sábado, 20, a assessoria de Balhmann informou que “o apoio do Grupo JBS ao deputado justifica-se pelo trabalho sério desenvolvido pelo parlamentar em prol da consolidação do setor calçadista e da geração de emprego e renda para o Ceará”.

(O POVO)

Prefeito manda mensagem para Câmara mandando taxar aposentados, alerta Guilherme Sampaio

Da Coluna Vertical, do O POVO desta segunda-feira:

O vereador Guilherme Sampaio (PT) diz que a Prefeitura quer taxar aposentados do Instituto de Previdência do Município (IPM). Segundo o petista, o governo federal aprovou uma emenda constitucional, na época do Governo Lula, taxando aposentados do serviço público.

Com isso, os municípios ficaram obrigados a taxar seus aposentados. Nessa época, a então prefeita Luizianne Lins (PT) encontrou uma forma de não cobrar os valores, criando um abono (lei 9.099/2006) para compensar a taxação determinada pela nova regra constitucional.

Pois bem, agora, em plena crise, o prefeito Roberto Cláudio (PDT) mandou para a Câmara o projeto de lei no. 15/2017 – já tramitando, que revoga o abono. Com isso, a conta vai para os aposentados e pensionistas do IPM que, sobre o assunto, adota o silêncio.

(Foto – Evilázio Bezerra)

Cearenses começam com vitória na Série D

Guarany de Sobral e Guarani de Juazeiro estrearam com vitória na Série D do Campeonato Brasileiro, neste domingo (21). Enquanto a equipe sobralense desbancou o favoritismo do Ríver, em pleno estádio Albertão, em Teresina, por 2 a 1, o time juazeirense derrotou o América de Pernambuco, no Romeirão, por 1 a 0.

No próximo domingo (28), as duas equipes voltam a campo, contra times do Rio Grande do Norte. O Guarany recebe o Potiguar, no estádio do Junco, e a equipe juazeirense jogará fora de casa, diante do Globo.

Salmito revela paixão por músicas de Luiz Gonzaga e surpreende ao cantar “Asa Branca”

Quem acompanha o dia a dia do presidente da Câmara Municipal de Fortaleza, Salmito Filho (PDT), diante de articulações políticas, reuniões e condução das proposições legislativas, não imagina que o também sociólogo é um grande fã da obra de Luiz Gonzaga.

Na noite desse sábado (20), em Paramoti, a 104 quilômetros de Fortaleza, Salmito surpreendeu convidados de um aniversário, em um clube da cidade, ao interpretar “Asa Branca”.

“Sou fã do Luiz Gonzaga, o maior clássico da música popular nordestina, que para estudiosos foi o Rei do Baião, ao se antecipar com a sua música a concepção de ‘nordestinidade’, cantando o sertão, as secas, os costumes, a flora e a fauna do Nordeste Setentrional”, comentou Salmito.

O cheiro da nova estação

Da Coluna Fábio Campos, no O POVO deste domingo (21):

Avassaladores são os fatos. Para os que entendem os acontecimentos e sabem situá-los no contexto histórico, há motivos para otimismo. É o passado decrépito e moribundo sendo estraçalhado para então ser superado. Acabou. O mundinho político e administrativo, medíocre, cretino e patrimonialista, que se estabeleceu no Brasil desde a implantação da República está em franco processo de extinção. Antes tarde do que nunca.

(…) Depois de tudo o que vimos, assistimos e lemos, fica muito claro que o novo, gestado durante anos, vai se impor. Mas, muita calma nessa hora. Tudo é muito lento entre nós. É incrível a persistência e resistência do atraso que se enraizou nos trópicos como em nenhum outro ponto da humanidade.

As coisas se precipitaram com a chegada do PT ao poder. Não pelo que o partido e seus próceres pregaram quando na oposição. No poder, foi a vez do que se dizia novo, autodeclarado hospedeiro de uma nova consciência e juventude, reproduzir ao cubo o que de mais velho e velhaco existia. O PT apenas precipitou a decrepitude do sistema. Não por que assim o quisesse, mas sim por ter se mimetizado na velharia tornando-se amasiado do passado. E assim o fez por ser também velho e ultrapassado.

Para manter a tropa de prontidão, dizia adorar uma ideologia que o mundo moderno já havia colocado em seu devido lugar: o monturo de lixo da História. Claro, sem deixar de contar o vil metal.

(…) A parte que cabe ao Ceará nas delações da família Batista (Wesley e Joesley) é muito delicada e tem força suficiente para mexer no jogo político da sucessão estadual de 2018. Há, no caso, dinheiro público na veia. Vamos aguardar a atitude do governador Camilo Santana.

Governo lança programa “Enem Chego Junto Chego Bem”

A Secretaria da Educação do Ceará vai lançar nesta terça-feira, às 8 horas, no Liceu do Conjunto Ceará, a edição 2017 do programa “Enem Chego Junto Chego Bem”.
A ideia é preparar e motivar os alunos para o exame.
A Fundação Demócrito Rocha é parceira da iniciativa, que deve contar, no lançamento, com a presença do governador Camilo Santana.

Na contramão da crise, Acarape ganha duas novas indústrias

169 2

“Em meio ao desemprego e à crise econômica, a vinda de duas empresas para Acarape é a melhor notícia que poderíamos trazer para a sua população”. A comemoração é do deputado federal Domingos Neto (PSD), ao participar da solenidade de assinatura dos protocolos de intenções para a instalação das indústrias de reciclagem Norpel e Fox.

O prefeito Franklin Veríssimo (PSD) agradeceu o empenho do deputado em levar oportunidades de trabalho para Acarape, a 54 quilômetros de Fortaleza, e destacou que as duas empresas usarão a mão de obra local, trazendo um ciclo de desenvolvimento para o município.

(Foto -Divulgação)

Câmara Municipal de Fortaleza realiza seminário com assessores de Comunicação

Assessores de Comunicação dos gabinetes dos vereadores da Câmara Municipal de Fortaleza participaram de um seminário, nesta semana, no Auditório Ademar Arruda, que contou ainda com palestras dos professores Laurinbergue Lima e Paulo Junior Pinheiro.

O Diretor Geral da Câmara Municipal de Fortaleza, Robson Loureiro, disse que mais eventos serão oferecidos pela Casa, com o objetivo de capacitar quem trabalha no Legislativo de Fortaleza, não apenas na parte da comunicação, mas também em outras áreas, como a Legislativa e a Jurídica.

“Existe um projeto de capacitação continuada até o próximo ano em outras áreas como a Legislativa e Jurídica. A ideia é que a Câmara Municipal de Fortaleza se torne um centro de formação e discussão para melhorias do trabalho, para que o Poder Legislativo possa estar em progresso. O objetivo é ajudar e aperfeiçoar os setores da Casa”, afirmou.

O coordenador de Comunicação, jornalista Nicolau Araújo, ressaltou a importância do I ComuniCâmara – “algo que nunca tinha acontecido na história da Casa”. Disse esperar que as próximas legislaturas também tenham avanços nessa área.

Já o jornalista Demóstenes Batalha, diretor da TV Fortaleza, apresentou o funcionamento da emissora, que recentemente passou por uma reestruturação na sua grade de programação e também sua na estrutura física, “transmitindo o Parlamento com maior transparência”.

O também jornalista André Capiberibe, diretor da Rádio Fortaleza FM, destacou a veiculação de 10 programas produzidos pela Casa e lembrou que a rádio surgiu em 2009, quando o atual presidente da Câmara Municipal, Salmito Filho (PDT), exercia então o seu primeiro mandato à frente da Mesa Diretora. “Era desejo do Salmito ter uma emissora de rádio transmitindo ao vivo e sem cortes as sessões ordinárias. Foi uma novidade, uma grande novidade. Foi a primeira Câmara do país a fazer transmissões ao vivo. Salmito gosta sempre de ressaltar que cada político tem seu posicionamento ideológico e é preciso ter respeito às opiniões contraditórias”, comentou Capiberibe.

(Foto – Divulgação)